Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
Rafael Coelho

Boletim 1.405 – 03/03/2015

Recommended Posts

Boletim do Clube do Hardware | www.clubedohardware.com.br
Boletim 1.405 – 03/03/2015
Editado por Flavia Dutra
boletim@clubedohardware.com.br
Proibido Copiar ou Republicar - www.clubedohardware.com.br/pagina/legal

Índice
1. Seja um membro VIP do Clube do Hardware!
2. Conheça os livros de Gabriel Torres
3. Relatório mostra que NVIDIA obteve 64,9% do mercado de placas de vídeo em 2014
4. Desembargador do Piauí impede suspensão do WhatsApp no Brasil
5. Apple foi condenada a pagar quase US$ 533 milhões por violar patentes usadas no iTunes
6. Lenovo é processada por causa de software da Superfish
7. Procon-RJ aciona justiça contra operadoras por corte da internet

------------------------------------------------------------

1.Seja um membro VIP do Clube do Hardware!

Seja um membro VIP do Clube do Hardware e navegue em nosso site e em nosso fórum sem anúncios e com outros benefícios exclusivos, além de colaborar para que o Clube do Hardware continue no ar! Veja hoje mesmo como se tornar um membro VIP!

Vídeo explicativo: http://bit.ly/1oLzExv

Acesso VIP: http://forum.clubedohardware.com.br/store

[informe publicitário, texto de responsabilidade do anunciante]

------------------------------------------------------------

2. Conheça os livros de Gabriel Torres

Referência na área e amplamente adotado em cursos técnico-profissionalizantes, com os livros de Gabriel Torres você se destacará no mercado de trabalho. Confira:

Hardware: http://bit.ly/1IQLbGu

Redes: http://bit.ly/T4WvsX

Montagem: http://bit.ly/1tHBq28

Eletrônica: http://bit.ly/1zmeknA

[informe publicitário, texto de responsabilidade do anunciante]

------------------------------------------------------------

3. Relatório mostra que NVIDIA obteve 64,9% do mercado de placas de vídeo em 2014

Segundo relatório da consultoria JPR, no último trimestre 2014 a NVIDIA apresentou um crescimento de 5,5% nos envios de placas de vídeo para o comércio, alcançando 76% da quota do mercado, enquanto as placas da AMD caíram 16%, ocupando 24% da fatia do mercado.

Além da NVIDIA e da AMD, apenas outras duas empresas competem no mercado de placas de vídeo: a S3, que obteve 0,1% do mercado, e a Matrox, que conseguiu menos de 0,1% do mercado.

Durante todo o ano de 2014, a NVIDIA obteve 64,9% da fatia de mercado e a AMD, 35%.

De forma geral, o mercado de placas de vídeo diminuiu 0,68% em relação ao trimestre anterior, enquanto em 2013 o envio de placas caiu 17,52%.

Mais informações:
http://bit.ly/17CfFgJ

------------------------------------------------------------

4. Desembargador do Piauí impede suspensão do WhatsApp no Brasil

No último dia 19, as companhias telefônicas foram informadas que deveriam suspender temporariamente, por 24 horas, o funcionamento do aplicativo WhatsApp em todo o Brasil, por determinação do juiz Luiz Moura Correia, da Central de Inquérito da Comarca de Teresina, do Tribunal de Justiça do Piauí.

Segundo o juiz, a medida foi tomada porque a empresa fornecedora do aplicativo WhatsApp não retirou imagens de crianças e adolescentes expostas sexualmente, objeto de investigação da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente de Teresina, em processos iniciados em 2013.

Entretanto, no dia 26 de fevereiro, o desembargador Raimundo Nonato Alencar, do Tribunal de Justiça do Piauí, derrubou a determinação do juiz, alegando que a suspensão de serviços não é razoável, pois afeta milhões de pessoas em prol de uma investigação local.

Além disso, a Polícia Civil do estado do Piauí publicou um comunicado informando que aplicará novas punições (não especificadas) ao WhatsApp até que a empresa colabore com as investigações.

O Facebook, proprietário do WhatsApp desde 2014, informou que as operações das duas empresas são independentes e que não se posicionaria sobre a questão. O WhatsApp também não se manifestou sobre a medida judicial.

Mais informações:
http://bit.ly/18qtfVy

------------------------------------------------------------

5. Apple foi condenada a pagar quase US$ 533 milhões por violar patentes usadas no iTunes

A Apple foi condenada em um tribunal federal do Distrito Leste do Texas, nos Estados Unidos, a pagar US$ 532,9 milhões à empresa Smartflash por quebra de três patentes.

De acordo com o processo, a Apple utilizou tecnologias desenvolvidas e patenteadas pela Smartflash no iTunes, incluindo software para gerenciamento de direitos autorais, para armazenamento e sistemas de pagamento.

A Smartflash revelou que há cerca de 10 anos o fundador Patrick Racz tentou vender suas tecnologias para o atual diretor de segurança da Apple, Augustin Farrugia. Apesar da negociação não ter se concretizado, a Apple usou as patentes intencionalmente.

A princípio, a Smartflash havia pedido US$ 852 milhões por ressarcimento de danos, referentes a uma porcentagem das vendas dos dispositivos da Apple com acesso ao iTunes. Entretanto, os advogados da Apple consideraram o valor excessivo, alegando que o montante não poderia ultrapassar US$ 4,5 milhões.

Segundo um porta-voz da Apple, a empresa deve recorrer da decisão do tribunal, sob alegação de que a Smartflash não utiliza as patentes que possui e está explorando o sistema de royalties por tecnologias inventadas por funcionários da Apple.

A Smartflash também entrou com processos no Texas contra a Amazon e o Google por causa das mesmas patentes.

Mais informações:
http://bloom.bg/1A5iz40

------------------------------------------------------------

6. Lenovo é processada por causa de software da Superfish

A Lenovo está sendo processada pela consumidora Jessica Bennett, na corte federal dos Estados Unidos, devido ao escândalo envolvendo o adware da Superfish, que vazava dados dos usuários, deixando os computadores vulneráveis a ataques.

No processo, Bennett alega que a Lenovo e a Superfish estão violando leis de interceptação de comunicações, de invasão de propriedade privada e concorrência desleal. A consumidora alerta ainda que o adware da Superfish faz o computador usar banda da internet e memória do computador, tornando-o mais lento, causa perda de dados e compromete funções de segurança.

Segundo Jessica, após notar anúncios pornográficos em diversos sites, incluindo no de um cliente, suspeitou que a fonte do problema seria o recém-comprado notebook Lenovo Yoga 2.

Além disso, outros usuários afirmam que o Superfish instala seu próprio certificado de segurança, possibilitando invadir até conexões seguras, e que os popups do adware começaram a aparecer em todos os sites, afetando o Chrome e o Internet Explorer nos computadores da Lenovo.

Diante disso, a Lenovo, apesar de informar que não comenta pendências judiciais, disse que o software da Superfish serve para procurar as melhores ofertas de produtos ao analisar as imagens em páginas da internet, sugerindo itens semelhantes com preços menores, e que desconhecia a potencial vulnerabilidade de segurança. A empresa ainda divulgou instruções sobre como desinstalar o software da Superfish e que está trabalhando em conjunto com a McAfee e a Microsoft para corrigir a vulnerabilidade de segurança.

Mais informações:
http://bit.ly/1MX6zMj

------------------------------------------------------------

7. Procon-RJ aciona justiça contra operadoras por corte da internet

Diante da decisão das operadoras de telefonia de cortar o acesso à internet após o consumo de dados dos clientes das redes 3G e 4G, o Procon do Rio de Janeiro entrou com um processo contra a Oi, TIM, Vivo e Claro.

De acordo com o Procon-RJ, as operadoras, ao determinarem a mudança nas regras antes do término da vigência dos contratos atuais, estão ferindo o direito adquirido previsto pela Constituição Federal e no Código de Defesa do Consumidor.

Na ação, o Procon-RJ solicita uma liminar para que os clientes continuem usando as redes 3G e 4G com a velocidade reduzida depois de ultrapassarem o limite do pacote de dados. Caso o pedido seja aceito, as empresas que não cumprirem a ordem judicial terão que pagar multa diária de R$ 50 mil.

Com isso, o Ministério da Justiça cobrou esclarecimentos das empresas de telefonia a respeito da mudança.

Já a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) afirmou que as empresas só têm que oferecer a velocidade reduzida ao fim do pacote se a medida estiver no contrato e que mudanças devem ser informadas aos clientes com 30 dias de antecedência. Além disso, a agência informou que as empresas mudaram as regras porque acreditam que a conexão mais lenta é insuficiente para as aplicações modernas e que elas não têm obrigação de prestar serviços de forma gratuita.

As operadoras TIM, Claro e Vivo alegaram não terem recebido notificações judiciais até o momento. Já a Oi revelou que não comenta processos em andamento.

Mais informações:
http://bit.ly/17Cr4x5

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Visitante
Este tópico está impedido de receber novos posts.





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×