Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
Entre para seguir isso  
Yaacov Spielman

Lixo eletrônico - o que fazer com ele?

Recommended Posts

Recuperando Ouro e Prata do Lixo Eletrônico:

 

Considerações importantes de segurança

Antes de começar qualquer processo, seja ácido ou, alcalino, dê especial atenção a proteção individual e coletiva.

O KCN Cianeto de Potássio, por exemplo é extremamente venenoso e deve se tomar o máximo cuidado na hora do descarte de soluções contendo este reagente.

Uma das melhores formas de livrar-se dos resíduos com KCN é deixa-lo em tanques sob UV. O raio ultravioleta tem papel fundamental na decomposição de KCN. Deve-se deixar por no mínimo 72 horas exposto ao sol, pois os raios ultravioleta aceleram a decomposição do reagente.

Da mesma forma, a aplicação de H2O2 (peróxido de hidrogênio) na proporção de 0,5x1,0 ou, meia parte para cada uma de solução com KCN, isso aumenta a velocidade de decomposição do KCN em até 3 vezes.

Depois disso, as soluções podem ser descartadas no esgoto sanitário normalmente.

A decomposição das soluções a base de ácidos, deve ser feita adicionando uma base como NaHCO3 (Bicarbonato de sódio) em uma proporção de 30g para cada 100ml de solução. Após, um período de 12 horas, deve-se testar o Ph, que não deve estar maior que 7, após, as soluções podem ser descartadas, mas com muito cuidado pois, a mesma ainda pode conter outros metais, porém, considerando que esta instrução é dirigida para recuperação de Ouro e Prata em microescala, a quantidade de outros metais não representará risco ambiental.

 

Atenção!

Use Luvas de borracha e óculos de proteção.

 

Preparando os materiais

(Processadores cerâmicos)

Meio Ácido

Todo o Processador cerâmico tem banho bom de Ouro e ainda conta com uma adição de Prata junto ao metal chamado Kovar. Os processadores, antes de serem submetidos ao processo de recuperação, seja em meio ácido ou alcalino, devem passar por um banho em hidróxido de sódio (sada cáustica) a 80ºC. Isso removerá qualquer resíduo orgânico presente, resíduos que poderão entupir os filtros nos passos seguintes e podem acarretar em perdas significativas de solução rica em Au e Ag dissolvidos.

 

 

 

Obs; as imagens não foram copiadas...

 

 

 

Processadores Cerâmico

Depois de preparados os materiais, remova (caso tenham) todas as placas de metais. Em seguida, quebre-os, tomando cuidado para não perder os pinos com banho. Use um martelo pequeno para isso.

Logo após, disponha os pedaços em um recipiente refratário, preferencialmente um Balão de fundo chato.

Use um balão de 3000ml para processar 1000g de material.

Isso evitará a perda de solução de ácido cloro-áurico, resultante da dissolução do metal em A.R.

Em um Becker, providencie os reagentes químicos para dar início ao ataque químico.

 Para cada 1 Kg de processador, use 2000 ml de ácido, na seguinte proporção 300ml de ácido nítrico HNO3 + 900ml de ácido Clorídrico HCL + 800ml de Peróxido de Hidrogênio. Em seguida, despeje a solução ácida no Balão contendo os processadores e coloque o Becker em banho de areia, em temperatura entre 60ºC e 80ºC, você pode conseguir isso usando um fogareiro elétrico.

 

 

 

 

 

 

Deixe o balão em banho de areia durante 1 hora, movimentando a solução de 15 em 15 min. Se notar que o desprendimento de fumaça avermelhada cessou, adicione mais 100ml de HNO3 ácido nítrico e deixe por mais ½ hora no banho de areia até que reste apenas uma fumaça branca, sinal de que já acabou a reação entre o ácido e os metais.

Neste caso, deve-se desligar a chapa quente e deixar esfriar a temperatura ambiente.

Caso você esteja fazendo o processo em local confinado, utilize o balão de fundo chato! (em local aberto e arejado, pode-se usar um Becker).

Em conjunto com o balão, use a lavagem de gás.  Isso reduzirá em 80% a toxicidade das fumaças, porém, só entre no recinto quando for realmente necessário.

A preparação que precede a precipitação

Após, coloque algumas pedras de gelo num Becker e despeje a solução ali. O objetivo é resfriar bastante a solução até que as partículas de prata se liguem e formem um precipitado branco granulado, cloreto de Ag. (Prata).

Após esta fase, deve-se deixar o precipitado separado pois trata-se de Ag em forma de cloreto.

Em seguida, despeje o conteúdo em outro Becker passando por filtragem usando filtro qualitativo 80g/m2, deixando no recipiente e no filtro o cloreto de Prata.

 

 Adicione lentamente o ácido sulfúrico na solução, mexa com bastão de vidro e deixe repousar por no mínimo, 6 horas.

Este tempo será suficiente para que todo o cloreto de estanho/Prata precipite.

Passe novamente em filtro duplo, movendo o mínimo possível o pó que ficar no fundo. Lembre-se, este pó é um vilão que impede a eficiência do processo.

Guarde este precipitado para posterior recuperação da Prata!

(Para o caso deste precipitado, basta atacar com A.R., o pó que ficar depois de ½ hora é cloreto de Prata, mais adiante, estaremos abordando a metalização do cloreto de Prata)

 

Você pode adicionar água limpa no recipiente para lavar o cloreto de estanho/Prata durante a filtragem.

 

A precipitação

Com a solução já filtrada e livre de estanho/Prata, em temperatura ambiente, chegou a tão esperada hora de adicionar o reagente precipitante.

Neste caso, vamos usar o Metabissulfito de Sódio (Na2S2O5), para cada quilo de material (processador) processado, usaremos até 15g de reagente diluído em água destilada (pode ser água de chuva) desde que seja limpa.

Use 100ml de água.

Adicione a solução de reagente e mexa com bastão de vidro e deixe repousar por 24 horas, esse é o tempo realmente necessário para a precipitação completa das partículas de Au.

Passadas as 24 horas, faça um teste usando o Cloreto Estanoso que pode ser obtido dissolvendo 2g de fio de solda (estanho) em 50ml de HCL ácido clorídrico a quente.

Bem, molhe o bastão de vidro na solução e pingue sobre um pedaço de filtro, em seguida, pingue cerca de 2 gotas sobre a solução (que está no filtro). Se ela ficar com coloração violeta forte ou roxo, ainda tem Ouro dissolvido na solução e deve ser adicionado mais reagente.

Dificilmente isso ocorrerá se você seguir à risca as indicações anteriores para a precipitação do metal.

Remova a solução com muito cuidado para não perder Pó de Ouro, usando um borrifador para precipitar as partículas que possam estar suspensas na solução.

Neste ponto, acrescente água limpa para remover o ácido da solução, antes da purificação (refino) do pó. É preciso remover completamente a A.R. pois, se não o fazer, acontecerá que, quando for iniciar o processo de refino ou, purificação do pó, o mesmo será dissolvido de forma que, mesmo que tente, não conseguirá recupera-lo totalmente.

Depois de tê-lo lavado adequadamente no mínimo 5 vezes com água fervente, adicione ao pó, ácido clorídrico de modo que apenas cubra o mesmo e coloque-o na chapa quente deixando por 30 minutos.

 

 

 

 

 

 

Ácido clorídrico fervendo o pó de Au

 Passados os trinta minutos, deve-se remover o ácido aos poucos, reservando-o para posterior uso em outra purificação.

Agora, depois de lavado 5 vezes com água fervente (use água, depois de ter separado o HCL usado na purificação), não misture água ao ácido que usar para purificar!

Proceda com a segunda parte do refino, adicione, da mesma forma, até cobrir ácido Sulfúrico P.A (para análise).

Deixe atingir fervura em chapa quente durante 30 minutos e logo repita a operação de lavagem e reserva do ácido usado no refino.

Lembrando que, após a segregação do ácido usado (sem adição de água) o resíduo da lavagem deve ser segregado para posterior decomposição e descarte adequado.

Por último, vamos adicionar HNO3 ácido nítrico P.A. da mesma forma que cubra o pó que restou e novamente deixe ferver por mais 30 minutos.

Proceda com a segregação do ácido usado e a lavagem, seguindo a mesma ordem apresentada acima.

Este último, deverá ser bem guardado para recuperar a prata contida em forma de nitrato de Prata

98O resultado deste procedimento de ser um pó granulado ou, em alguns casos, um pó bem fino, porém com uma característica única: a cor marrom clara inconfundível do Au puro. Ver fig. Abaixo.

Aspecto do pó de Ouro refinado

Seque o pó no Becker na chapa quente, depois adicione uma pitada de Bórax Decahidratada, e macere usando grau e

pistilo como o da imagem. Após isso, pode-se colocar o pó de Ouro no cadinho para fundição.

 

Cadinho ourivesaria

Despeje o pó no cadinho cuidadosamente, use maçarico para ourivesaria, inicie a fundição com fogo mais avermelhado (pouco oxigênio) na medida que você nota que o pó vai criando uma casca, aumente o oxigênio no fogo.

Maçarico ourivesaria

Se possível, ao fundir os metais preciosos, eles devem ser derramados em formas chamadas rilheiras,

 Estas formas fazem o que chamamos de lingote, o lingote, além de ser esteticamente melhor, também agregam valor e credibilidade a quem trabalha com recuperação e refino de metais

  • Curtir 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora
Entre para seguir isso  





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×