Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
Zendion

Circuito conversor ca/ca

Recommended Posts

Olá boa noite a todos primeiramente :thumbsup:

Estou desenvolvendo um projeto conversor CA/CA para fazer uma rede trifásica com um arduino acionando os gates dos TRIACs para chavear e controlar a frequência de saída.

Esquema no proteus

Coloquei transistores no esquema para simular apenas mas pretendo usar o BT136-600D.

Minhas dúvidas são:

1. O arduino consegue acionar esse triac?

2. O capacitor de entrada está correto?

3. Preciso usar Snubber?

Espero que entendam ;)

Quem puder ajudar fico grato!!

 

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
23 minutos atrás, Zendion disse:

Olá boa noite a todos primeiramente :thumbsup:

Estou desenvolvendo um projeto conversor CA/CA para fazer uma rede trifásica com um arduino acionando os gates dos TRIACs para chavear e controlar a frequência de saída.

Esquema no proteus

Coloquei transistores no esquema para simular apenas mas pretendo usar o BT136-600D.

Minhas dúvidas são:

1. O arduino consegue acionar esse triac?

2. O capacitor de entrada está correto?

3. Preciso usar Snubber?

Espero que entendam ;)

Quem puder ajudar fico grato!!

 

Acho que você não sabe o que está fazendo.

Este circuito nem tem triacs. E os chaveadores aí presentes nem sequer possuem Gates. 

 

Se você está fazendo estas perguntas é porque vai queimar transistores e arduinos durante uns 6 meses, até aprender como realmente funciona. 

 

Boa sorte! 

 

 

 

QyAx2Qu.png

 

1. O arduino consegue acionar esse triac?

Vai precisar de circuitos Drivers de transistor. Nem sequer tem triacs neste esquema 

 

2. O capacitor de entrada está correto?

Depende da potência que será extraída e do valor de ripple que você deseja.

Se tratando de um transistor que só suporta 5 amperes e no máximo 100 volts, não será possível extrair mais do que 300 watts. 

 

3. Preciso usar Snubber?

Precisa sim. 

 

 

 

O que é pior:

Terá que acionar estes transistores em PWM modulado em senoidal, o que será bem complexo para alguém que faz perguntas tão primárias. 

 

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Em primeiro lugar Triacs em corrente contínua não funcionam (pelo menos para o que você quer).

O arduíno deve ser isolado da rede elétrica, caso contrário vai queimar rapidinho.

O correto é usar transistores IGBT (porta isolada).

BJTs com opto acopladores até funcionam, mas não fica grande coisa.

 

Um inversor como esse é algo que deve ser bem projetado, senão só vai queimar componentes devido a alta tensão e corrente.

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, Mestre88 disse:

Em primeiro lugar Triacs em corrente contínua não funcionam (pelo menos para o que você quer).

O arduíno deve ser isolado da rede elétrica, caso contrário vai queimar rapidinho.

O correto é usar transistores IGBT (porta isolada).

BJTs com opto acopladores até funcionam, mas não fica grande coisa.

 

Um inversor como esse é algo que deve ser bem projetado, senão só vai queimar componentes devido a alta tensão e corrente.

 

Os transistores BJTs funcionam bem também. Tão bem quanto IGBTs.

Só que iria precisar de um transformador de pulsos para cada par de BJT, sendo que o transformador tem que ter uma realimentação positiva:

A corrente de coletor do BJT tem que passar por uma bobina que fica no próprio trafo de pulso que aciona a base do BJT, veja como fica: 

13617998_928822237245750_1145036268_n.pn

Daí quando é feito o disparo no primário, a própria realimentação se encarrega de fazer o resto, chaveando a base em alta velocidade, fazendo o BJT acionar a carga com um Rise time e Fall Tieme muito bom. A realimentação desliga quando os dois polos da bobina primária são postos em Zero VCC. O próprio CI controlador de PWM tem capacidade para dar este comando. 

Ou mesmo poderia ser implementado no arduíno. Mas veja que é mais complexo.

Este trafo de pulso aí não é feito de qualquer jeito. Tem que ser muito bem calculado. 

A entrada deste trafo costuma ser de 12V e a saída de apenas 3V. 

Para um BJT destes chavear com capacidade máxima na saída, precisa de pelo menos 5% de corrente na base em comparação ao coletor.

Circularia 1A na base para entregar 5 amperes.

Como a tensão de saída do trafo é 4 vezes menor que a tensão de entrada, a corrente na entrada será de 250mA.

2 transistores BC337 serviram de driver para o trafo de pulsos, e com bastante folga. 

 

Fica bem complexo. Além do mais só será possível acionar os transistores com no máximo uns 70 a 75% de Duty-cycle, o que pode se revelar um problema. Por isso fica mais viável usar mosfets ou IGBTs 

 

 

 

As informações que vou dar a seguir, servem apenas a mérito de curiosidade. Nos dias atuais não fazem sentido algum.

Triac também funcionam em DC e funcionariam num inversor hehehe. Só que se tratando de tiristor, o mais adequado para inversor seria um SCR. Eram usados quando os transistores custavam caros ou não existiam no mercado. 

 

Eu mesmo cheguei a ver um inversor senoidal de 10Kva usando SCR como chaveador. 

Existem algumas  técnicas para se fazer um SCR desligar quando está chaveando corrente contínua. A mesma técnica também funcionaria num Triac.

Mas o circuito termina ficando complexo e caro. 

 

 

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×