Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
Entre para seguir isso  
RicardoFA

Tutorial Sobre Fotografia Digital

Recommended Posts

Esse é um tutorial que achei em www.globalexchange.com.br/tecno26.asp ha algum tempo, não sei se ainda esta disponivel, fala basicamente sobre, foco, abertura de diafragma e tempo de exposição...aí vai:

Antes de entrar em cada conceito, é importante deixar claro o que é fotografar. Fotografar é, por princípio, registrar a luz refletida pelo assunto (entende-se por “assunto” o que está sendo fotografado). Na câmera digital, como na convencional, é preciso definir a quantidade de luz que passará pelo diafragma para o sensor (dispositivo dentro da câmera que captura luz. Ex: CCD, CMOS) e quanto tempo esta passagem vai levar. Mais para frente me aprofundarei mais nestas “variáveis”.

Uma fotografia nada mais é do que o ajuste destas “variáveis” a fim de se conseguir a quantidade de luz necessária e adequada para o correto registro da imagem, a chamada exposição. Uma variável influi diretamente na outra, que consequentemente influi no resultado final da fotografia, como uma equação. Eu sei que isto pode parecer muito complicado e complexo, mas daqui a pouco vocês verão que não é.

Exposição: Exposição é a quantidade de luz que uma imagem recebe; é a quantidade de luz que é registrada em uma fotografia, que é determinada através da combinação de valores que determinam como a luz será registrada. Novamente: Estes valores (variáveis) serão vistas a seguir.

Para se conseguir uma exposição correta é necessário que o balanço dos valores estejam configurados de maneira correta, equilibrada, dependendo das condições de luz do assunto. Você já deve ter visto um tal de "EV(exposure value)" na sua câmera, certo? Este valor serve para você corrigir a exposição de uma imagem. A câmera considera o valor EV 0 como o ideal. No entanto, se você achar que a foto ficou clara demais, você pode corrigir isto diminuindo o valor EV para números negativos. Se você achar que a foto ficou escura demais, você pode corrigir isto aumentando o valor EV para números positivos. Quando você modifica o valor EV, a câmera muda suas configurações de maneira a permitir a entrada de mais luz ou reduzir a quantidade de luz capturada.

O exemplo criado e fácil de se entender para explicar o conceito de captura de luz da máquina fotográfica é o do cano de água:

1 - Imagine que 1 litro de água precise passar por um cano e chegar até a outra extremidade do mesmo, com o objetivo de encher um recipiente com capacidade de 1 litro.

2 - Agora pense o seguinte: Se este cano for grosso (tiver um alto calibre), o 1 litro de água vai passar rapidamente. No entanto, se for um cano fino, como uma mangueira, vai ser preciso um tempo maior, provavelmente alguns segundos a mais, para toda a água ir de uma extremidade até a outra.

3- Agora, vamos jogar valores para ficar mais fácil. Digamos que no 1° caso, o do cano grosso, seja necessário 1 segundo para o 1 litro de água passar. No entanto, no 2° caso, por o cano ser mais fino, digamos que é necessário 5 segundos para o 1 litro passar completamente.

E o que acontece se eu deixar o cano grosso aberto por mais de 1 segundo?

Resposta: Vai passar água demais, o recipiente transborda.

E o que acontece se e deixar o cano fino aberto por menos de 5 segundos?

Reposta: Vai passar pouca água, o recipiente não vai se encher suficientemente. E vice-versa!

Com a fotografia é a mesma coisa. Imagine a água sendo a luz, e o cano sendo o diafragma de sua máquina. Se a câmera receber luz demais, a imagem vai ficar muito clara: superexposta. Se a câmera receber luz de menos, a imagem vai ficar muito escura: subexposta.

Tendo isto em mente, podemos entrar nos conceitos (as citadas variáveis) de:

1 - Tempo de exposição (exposure time/shutter speed)

Ao contrário do que muitas pessoas que estão começando na fotografia pensam, o ato de capturar a imagem não dura um período de tempo fixo e pré-determinado necessariamente. Este tempo é definido pela variável tempo de exposição. Esta variável define durante quanto tempo o diafragma da câmera permanecerá aberto recebendo luz (analogia: quanto tempo o cano ficará aberto permitindo a passagem de água). Este tempo pode ir desde milésimos de segundos até muitos segundos.

E como eu uso isto?

Tempos de exposição longos são geralmente recomendados para locais com pouca luz. Uma vez que o local tem pouca luz, um maior tempo recebendo luz vai permitir que a câmera capture a imagem com a exposição correta, evitando que ela fique subexposta. Tempos de exposição longos também permitem que a foto tenha o efeito de movimento. Você já deve ter visto este efeito nas famosas fotos da Avenida Paulista com traços luminosos em suas pistas. No entanto, vai haver um efeito colateral: tempos de exposição longos vão exigir que você apóie a câmera em uma superfície estável, como um tripé ou uma mesa; caso contrário, a foto ficará tremida.

Tempos de exposição curtos são recomendados para lugares onde há muita luz, como um dia ensolarado, evitando que muita luz passe pelo diafragma e torne a foto superexposta. Um tempo de exposição curto também pode ser usado para fotos em que o objetivo é congelar o movimento de um assunto que se move, como um carro. Se uma foto de um carro em alta velocidade for tirada com um alto tempo de exposição, o carro ficará "borrado", dando o impressão de movimento à pessoa que vê a foto. Já um tempo de exposição curto fará o carro parecer imóvel, já que o diafragma não ficou aberto o suficiente para capturar o movimento do carro. Porém, temos que nos preocupar com as condições de luz do local onde este carro está passando. Se o local estiver escuro e você usar um tempo de exposição baixo, você conseguirá "congelar" o movimento do carro, porém, a foto corre grande risco de ficar subexposta ou até mesmo incapaz de ser visualizada, devido à grande escuridão causada pelo baixo tempo de exposição.

2 - Abertura do diafragma (aperture)

A abertura do diafragma é a variável que defne o diâmetro da abertura do mesmo (analogia: o diâmetro [calibre] do cano). O valor da abertura é definido através de "f/x". Aqui vem um ponto simples, mas que confunde muitos: quanto maior o valor "f/x", menor a abertura do diafragma.

Pergunta: qual diafragma tem maior abertura, um que está a f/2.8 ou um que está a f/8.

Resposta: o que está a f/2.8, uma vez que 2.8 é menor que 8, e quanto menor o valor f/x, maior a abertura, maior o calibre.

E como eu uso isto?

Uma abertura grande (f/x baixo) é geralmente recomendada em situações de pouca luz, assim como um tempo de exposição alto. Apesar disto, nem sempre apenas uma alta abertura é o suficiente para fotos com pouca luz, geralmente precisando ainda assim de um alto tempo de exposição. Porém, a abertura é muito priorizada para se trabalhar com efeitos de profundidade de campo, a distância à frente e atrás do assunto principal em que os elementos ficam em foco. Uma abertura grande prioriza o primeiro plano da imagem, desfocando o segundo. Uma abertura pequena aumenta a profundidade de campo, sem priorizar uma área especificamente. Uma abertura grande é interessante para uma foto de uma pessoa que está em primeiro plano, desfocando o fundo da foto; e uma abertura pequena é interessante para uma paisagem, onde a inteção é que toda a imagem fique em foco.

3 - ISO (sensibilidade)

A terceira e última variável é a ISO. O valor ISO determina a sensibilidade da película, determina o "poder" que a luz tem em suas fotos. Quanto maior o valor do ISO, menor será a quantidade de luz necessária para se obter a exposição correta, e isto pode significar tempos de exposição menores.

E como eu uso isto?

ISO's altos são geralmente recomendados para fotos onde há pouca luz e você não tem uma superfície estável para apoiar sua câmera, impedindo o uso de um alto tempo de exposição. No entanto, a regra geral é usar o menor ISO possível. Isto porque altos valores de ISO geram o chamado "noise". Noise, em tradução semântica, significa "grãos/sujeira", que são pequenos pontos que aparecem em imagens com alto ISO, prejudicando a nitidez das mesmas. Ou seja, se você puder apoiar a câmera em superfíce estável, apele para um tempo de exposição alto, mas se você estiver em uma danceteria, onde além de não poder apoiar a câmera em uma superfície sólida, haverá pessoas se mexendo rapidamente (fazendo com que elas fiquem "borradas", devido ao alto tempo de exposição), o alto valor de ISO é preferido a um alto tempo de exposição.

Apesar de eu não ter citado nada que possa representar o ISO na analogia com o cano de água, aqui vai uma tentativa: Imagine o ISO sendo algumas "barreiras" dentro do cano. Algo como obstáculos internos que apenas dificultam a passagem de água, talvez algumas bolas de pano, que não bloqueiam a passagem de água. A ideia aqui é dizer que quanto mais obstáculos (bolas de pano), mais tempo vai demorar para a água chegar do outro lado do cano - no caso, um ISO menor. Quanto menos obstáculos (ou a remoção de todos), menos tempo vai demorar para a água chegar do outro lado - no caso, um ISO maior. Agora, para analogia com efeito colateral, o noise, imagine que estes obstáculos internos façam a velocidade da água diminuir, fazendo com que ela chegue no recipiente sem pressão, evitando que a água respingue para fora do mesmo, enchendo-o de maneira correta (ISO menor). Agora, se os obstáculos internos forem retirados, a água vai chegar do outro lado com uma velocidade muito maior, com alta pressão, fazendo com que a água respingue para fora do recipiente, apresentando um resultado não tão satisfatório. Bom, espero que vocês tenham entendido o que eu quis dizer, não é fácil fazer analogia de um cano de água com ISO.

Visto estes três conceitos, a questão de priorizar um ou outro dependerá exclusivamente de sua intenção e das condições na hora de tirar a foto. Depende exclusivamente do seu conhecimento sobre os resultados que cada conceito pode oferecer e decidir se o resultado oferecido é o que você realmente quer em sua foto. Só como exemplo, na explicação sobre ISO eu citei o caso de uma danceteria. Disse que o fato de as pessoas estarem se movendo impediria um alto tempo de exposição. Porém, se a sua intenção for registrar as pessoas de maneira "borrada", para transmitir a sensação de movimento, nada impede que você apoie a câmera no balcão do barman e bata suas fotos. Depende de você, e exclusivamente de você, definir a sua intenção ao bater a foto e as configurações dos valores da câmera, para consegur registrar a foto de maneira que a mesma passe a sua mensagem, o seu ponto de vista.

Agora vem a pergunta que não quer calar: Porque eu vou ficar me preocupando com tudo isto se eu posso colocar minha câmera no modo automático e deixar ela fazer todo o trabalho sozinha?

Resposta (pessoal): As câmeras digitais possuem um dispositivo chamado fotômetro embutido. Fotômetro é o dispositivo que mede as condições de luz do ambiente e determina os valores de tempo de exposição, abertura do diafragma e ISO. No entanto, antes de tudo, a câmera não deixa de ser um computador, que recebe estas informações e as processa através de equações pré-determinadas. Porém, este programa não lê a mente do fotógrafo, o programa não sabe qual a intenção do fotógrafo ao bater a foto. Como visto acima, os ajustes destas variáves são tão importantes quanto o assunto da foto. Uma simples mudança nestes valores pode fazer um mesmo assunto ser fotografado de maneiras totalmente diferentes, mudando totalmente a foto e a mensagem que ela passa. Cabe a nós humanos, configurar a câmera com os valores para fazer com que a fotografia seja registrada de maneira a passar a mensagem que temos em mente na hora de bater a foto. Veja bem, não estou dizendo que uma foto no modo automático não seja boa, fotos no modo automático podem revelar-se muito boas sim, mas como o próprio nome diz, elas são simplesmente automáticas, nada mais.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora
Entre para seguir isso  





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×