Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.
Entre para seguir isso  
lta

Armação Das Cias. Telefônicas?

Recommended Posts

Pessoal, o e-mail abaixo procede ou é só mais um spam?

A grande farsa do "SPEEDY" Bem, para nós que utilizamos a internet vale a pena se ligar nisso: Você sabia que o Speedy é uma farsa? Você sabia que: - você pode comprar um modem igual ao SPEEDY, por um preço mais baixo e ainda não precisaria pagar mensalidade??? Que fora do Brasil não existe mais linha discada e que a AOL trouxe dos EUA seus equipamentos obsoletos? ·Um acordo entre as grandes provedoras de Internet e as Cia's de telecomunicações, como Telefônica em SP, Telecom no Sul, Telemar no RJ,entre outras, frauda totalmente os Direitos do Consumidor, principalmente no que se trata de ACESSO DE ALTA VELOCIDADE, como ADSL Speedy), Multilink, LP's, entre outros. Estão provadas que através de uma linha telefônica comum podem ser feitas conexões de até 512 kpbs, onde hoje as provedoras permitem no máximo uma conexão de 56.6 kbps, quando chegam neste ponto. Fora do Brasil não existe mais conexão discada. A América On-line, por exemplo, trouxe todos os seus equipamentos antigos, que já se encontravam obsoletos no mercado americano, para cá, e mais uma vez o brasileiro usa o lixo do primeiro mundo, achando que é tecnologia de ponta. A diferença é apenas que os modems que fazem esse tipo de conexão são diferentes, externos como os das conexões ADSL, mas utilizam a linha telefônica comum e se conectam a 512 kpbs (para transmissão e recepção de dados, melhor que os atuais ADSL do mercado, que transmitem com a metade da velocidade que recepcionam). Um modem desses, já fabricados para efeitos de testes por empresas como a 3Com, Lucent, Motorola e Genius, custariam no mercado algo em torno e 150 reais. Ou seja, você precisaria apenas de adquirir o modem, gastando uma só vez uma quantia razoável, e ter uma assinatura de acesso discado com qualquer provedora de renome que deveria oferecer esses serviços. Mas ao invés disso, o consumidor brasileiro é enganado e paga só de instalação mais de 200 reais, não tem posse dos equipamentos, que são alugados e você paga por mês, além da mensalidade ser altíssima. E na maioria das vezes cobradas pelas empresas de telecomunicações e provedoras simultaneamente, o que também é outra operação nitidamente ilegal perante o código do consumidor. O sistema já é ilegal por si só, sendo que eles oferecem tecnologia obsoleta como se fosse de ponta. E dentro do próprio sistema, eles ainda colocam mais ilegalidades, como estas, de obrigar a comprar um serviço para poder utilizar outro. As provedoras de internet e empresas de telecomunicações não colocam esses serviços que são simples e eficientes à disposição dos clientes só porque seus lucros seriam bem menores, uma vez que o equipamento poderia ser comprado até no viaduto Santa Efigênia em São Paulo, como hoje em dia você compra um modem qualquer ou uma placa de rede, além do fato que a mensalidade seria acessível como uma conexão discada comum que existe hoje em dia, por causa da concorrência. Talvez até mesmo provedoras gratuitas poderiam fornecer tal acesso, de tão simples, eficiente e funcional que é o sistema. A ignorância do povo faz mais uma vez o regime capitalista vingar, onde os poderosos ficam cada vez mais ricos e você fica cada vez mais lesado. ·"Mas essa situação pode facilmente ser revertida, basta você enviar esta mensagem para o maior número de pessoas de sua lista, e também, para os órgãos competentes, pois somente assim as provedoras e empresas de telecomunicações vão perceber que não conseguirão mais enganar os internautas com toda essa fraude e ladainha de conexão RÁPIDA." Espalhe essa mensagem em nome dos seus Direitos e pela dignidade dos Internautas. Atenciosamente, Reynaldo Andersen K. Pellegrini Engenheiro ITA - Novas tecnologias Revista Consultor Jurídico "DIVULGUEM"

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu acho tudo isso uma grande besteira!!

t+! :D

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Estão provadas que através de uma linha telefônica comum podem ser feitas conexões de até 512 kpbs, onde hoje as provedoras permitem no máximo uma conexão de 56.6 kbps, quando chegam neste ponto."

Impossível uma linha comum chegar a esta velocidade.

Fora do Brasil não existe mais conexão discada.

Nos EUA, por exemplo, as linhas são de ótima qualidade.

ptz...quanta besteira tá escrito ai, não vou ficar perdendo meu tempo comentando td isso.

:tantan::bandeira::bandeira:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Entre para seguir isso  





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×