Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
Entre para seguir isso  
Flavia Dutra

Boletim 1.654 – 07/11/2017

Recommended Posts

Boletim 1.654 – 07/11/2017
Editado por Flavia Dutra
Enviado para
Proibido Copiar ou Republicar


Chegou: curso de redes online do Gabriel Torres

Acabamos de colocar no ar o curso online "Arquitetura de redes", de Gabriel Torres, que é o primeiro de uma série. Usuários do Clube do Hardware têm um desconto exclusivo, pagando R$ 150 em vez de R$ 200. Para isso, basta usar o cupom "CLUBEDOHARDWARE". Confira e esperamos ter você como aluno!

O link abaixo já traz o cupom aplicado:
http://bit.ly/m1-boletim


[Informe publicitário, texto de responsabilidade do anunciante]

 

Pesquisadores criam tecnologia de refrigeração intrachip para microprocessadores 3D

 

Cientistas da Universidade de Purdue, em Indiana, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nova tecnologia de refrigeração intrachip para os futuros microprocessadores 3D.

 

No novo sistema de refrigeração circula um líquido refrigerante chamado HFE-7100, eletricamente isolado em chips eletrônicos através de microcanais. Entretanto, essa tecnologia ainda não remove o calor de forma eficiente para eletrônicos 3D de alto desempenho, podendo danificar os circuitos.  

 

Suresh V. Garimella, responsável pelo projeto e professora de engenharia mecânica na universidade, disse que a tecnologia é muito promissora para uso em eletrônicos de radar e em supercomputadores. 

 

Garimella comentou ainda que a equipe de cientistas optou por um sistema de canais curtos e paralelos, com 250 microns de comprimento, para aumentar a eficiência e reduzir as quedas de pressão associadas aos longos canais de resfriamento que cobrem o chip, com um coletor hierárquico que distribui o fluxo do refrigerante.

 

Atualmente, os sistemas de resfriamento utilizam placas de metal com aletas chamadas de dissipadores de calor.

 

A pesquisa foi financiada pela DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency) para o Centro de Nanotecnologia Birck da Universidade de Purdue, com a exigência de o sistema gerar 1 kW de calor por cm³, dez vezes mais do que o gerado por computadores de alto desempenho.

 

Broadcom propõe comprar a Qualcomm por US$ 103 bilhões

 

A Broadcom anunciou proposta de US$ 103 bilhões, ou US$ 70 por ação, pela aquisição da Qualcomm.

 

A Qualcomm comentou que analisará a oferta e agirá no interesse de suas acionistas. 

 

A Broadcom disse que os acionistas da Qualcomm receberiam US$ 60 em dinheiro e US$ 10 por ação e que, incluindo a dívida, a transação chegaria a US$ 130 bilhões.

 

A Broadcom, que fornece tecnologia Wi-Fi e Bluetooth para a Apple, mudou suas operações de Singapura para San Jose, na Califórnia, Estados Unidos.

 

No momento, a Qualcomm está em crise após pagar multa de US$ 773 milhões por monopólio em Taiwan e perdas em batalhas jurídicas com a Apple.

 

O processo ainda passará por análises das agências regulatórias. 

 

Projeto de lei criminaliza o uso de robôs que influenciam no processo político-eleitoral

 

O senador Eduardo Braga (PMDB) criou projeto de lei PLS 413/2017, que torna crime a utilização de robôs que se passam por pessoas e enviam mensagens automáticas para influenciar debates políticos ou no processo eleitoral.

 

O projeto prevê punição dos responsáveis pela contratação de robôs, com multa de R$ 30 mil a R$ 100 mil e detenção de três a cinco anos.

 

De acordo com o senador, um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostrou que mensagens falsas que simulam opiniões de pessoas reais representariam 20% do total de interações ocorridas sobre temas de relevância político-eleitoral. Braga disse ainda que contas automatizadas ou robôs são uma intervenção ilegítima que atrapalham o processo democrático, pois inflacionam artificialmente a popularidade de notícias positivas relacionadas a certos candidatos ou grupos políticos.      

 

O PLS 413/2017 está em análise na Comissão de Constituição e Justiça de forma terminativa. Se for aprovado, o projeto seguirá para a Câmara dos Deputados.

 

Estudiosos criam tela inquebrável, composta por grafeno e nanofios de prata 

 

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Sussex, na Inglaterra, misturou grafeno e nanofios de prata para compor uma tela “inquebrável”.

 

Segundo o professor da universidade, Alan Dalton, os nanofios de prata já foram usados em telas sensíveis ao toque, porém nunca combinados com grafeno. “Nós elevamos as partículas de grafeno para a superfície da água, as coletamos com um carimbo de borracha e depositamos sobre o filme de nanofios de prata no padrão que quisermos”, explicou Dalton.

 

O professor comentou ainda que a técnica permite uma produção de grande volume de telas, apesar de a prata também ser um material raro e de extração cara. Nesse caso, o custo é mais baixo porque apenas uma pequena parte do produto é usada.

 

Não há previsão para a comercialização de telas com nanofios de prata e grafeno.

 

As telas atuais são feitas de filmes condutores de óxido de iodeto estanho, cujo mineral primário, o índio, é raro, caro e frágil.

 

Samsung registra patente de touchpad com sensores de gestos no ar

 

A Samsung registrou no USPTO (United States Patent and Trademark Office) a patente de um touchpad contendo sensores de gestos no ar, além daqueles tradicionais de pressão.

 

Conforme o documento da patente, o usuário não precisaria tocar na superfície do dispositivo para executar alguns comandos.

 

Não há informações de quando a empresa pretende implementar a ideia da patente em um notebook.

 

A Samsung já havia trabalhado com um conceito de navegação sem toque com o Air Gesture no Galaxy S4, porém a ideia foi abandonada.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Entre para seguir isso  





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×