Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
Entre para seguir isso  
Flavia Dutra

Boletim 1.676 – 02/02/2018

Recommended Posts

Boletim 1.676 – 02/02/2018
Boletim 1.676 – 02/02/2018
Editado por Flavia Dutra
Enviado para
Proibido Copiar ou Republicar


Índice

 

1. Artigos da Semana

2. NVIDIA sugere limite da venda de suas placas de vídeo para evitar a mineração de moedas  

3. Microsoft adquire a empresa de backend em nuvem para jogos PlayFab

4. Samsung anuncia a produção de processadores para mineração de moedas digitais

5. Pesquisadores descobriram que anúncios do YouTube estavam minerando criptomoedas sem autorização

6. Fujifilm concretiza a compra da Xerox por US$ 6,1 bilhões

 

1. Artigos da Semana

 

Como usar um osciloscópio para testar a fonte de alimentação

 

2. NVIDIA sugere limite da venda de suas placas de vídeo para evitar a mineração de moedas  

 

Fontes ligadas ao assunto indicaram que a NVIDIA teria pedido para lojas de varejo na Europa limitarem as vendas de suas placas de vídeo para cerca de duas peças por comprador, com o intuito de desestimular o uso por mineradores.  

 

Diante dos rumores, a NVIDIA comentou que todas as atividades relacionadas aos produtos GeForce são direcionadas aos jogadores, seu público principal. A empresa afirmou ainda ter sugerido aos parceiros de vendas mudanças para alcançar as necessidades dos jogadores, de continuar com acesso às placas de vídeo GeForce.     

 

Além disso, a NVIDIA começou a vender suas placas diretamente para o consumidor nos Estados Unidos.

 

Em 2017, o mercado de criptomoedas aumentou, com os mineradores conseguindo grandes retornos sobre o investimento em suas operações. Isso acarretou em crescimento da demanda por placas de vídeo capazes de realizar mineração, bem como dos preços delas. O alto preço e a escassez das placas fizeram com que os jogadores começassem a exigir da NVIDIA e a da AMD uma solução para esse problema.   

 

A NVIDIA não se pronunciou oficialmente sobre o assunto no Brasil.

 

3. Microsoft adquire a empresa de backend em nuvem para jogos PlayFab

 

A Microsoft anunciou a compra da PlayFab, empresa de plataformas de backend para desenvolvimento de jogos conectados à nuvem, porém sem informar os valores da transação.

 

Com a aquisição, os serviços da PlayFab serão prestados eventualmente no Microsoft Azure, mas as empresas permanecerão operando de forma independente.

 

Atualmente, a PlayFab opera a partir do AWS, da Amazon, oferece seus serviços para mais de 1,2 mil jogos ativos, realiza 1,5 bilhão de transações por dia e seus recursos são utilizados por empresas como Bandai Namco, Rovio, Disney, Nickelodeon e Capcom.  

 

4. Samsung anuncia a produção de processadores para mineração de moedas digitais  

 

A Samsung anunciou que fabricará processadores voltados para mineradores de criptomoedas, porém sem divulgar detalhes sobre os possíveis clientes.

 

Segundo um porta-voz da empresa, o chip produzido será um ASIC (Application-Specific Integrated Circuit ou circuitos integrados específicos para aplicações), que tem função única, como o nome indica.  

 

A mídia sul coreana divulgou que a Samsung trabalhará com a fabricante taiwanesa TSMC, que no momento já fornece chips ASIC para as companhias chinesas Bitmain e Canaan Creative. Com isso, a TSMC conseguiu aumento da receita trimestral em torno de US$ 400 mil.  

 

A Samsung já fabrica chips de memória para placas de vídeo, que também são usados para fins de mineração de moedas digitais.

 

5. Pesquisadores descobriram que anúncios do YouTube estavam minerando criptomoedas sem autorização

 

Após denúncias de consumidores de que os programas antivírus alertavam que o YouTube estava minerando criptomoedas em seus computadores, pesquisadores da Trend Micro descobriram que alguns anúncios veiculados eram os verdadeiros responsáveis pela mineração.  

 

De acordo com os especialistas, os anunciantes se aproveitaram do sistema DoubleClick, do Google, para exibir o banner mal-intencionado para quem acessava o YouTube de Taiwan, França, Itália, Japão e Espanha, minerando a moeda digital Monero sem autorização.

 

Além disso, segundo a Trend Micro, em 90% dos casos, o anúncio continha o JavaScript Coinhive, que permite mineração “escondida”. No restante dos casos, a publicidade possuía JavaScript privado de mineração, poupando o pagamento de taxas de 30% para os donos do Coinhive. Em ambos os casos, 80% da capacidade do processador do dispositivo era prejudicada.   

 

Diante da descoberta, o Google comentou: “Minerar criptomoedas por meio de anúncios é uma forma relativamente nova de abuso que viola as nossas políticas e que nós estamos monitorando”. A empresa disse ainda que aplica suas políticas através de um sistema de detecção multicamadas em todas as plataformas, atualizadas sempre que surge uma nova ameaça. Neste caso, o Google afirmou que os anúncios foram bloqueados em menos de duas horas e os envolvidos foram rapidamente removidos do YouTube.

 

6. Fujifilm concretiza a compra da Xerox por US$ 6,1 bilhões

 

A companhia japonesa Fujifilm confirmou a compra da empresa norte-americana Xerox por US$ 6,1 bilhões, passando a se chamar Fuji Xerox.

 

Com o negócio, os acionistas da Xerox receberão um dividendo de US$ 2,5 bilhões, financiado pelo balanço patrimonial da empresa combinada, e possuirá 49,9% da joint venture. Já a Fujifilm ficará com 50,1% da companhia.  

 

A Fuji Xerox também adotará uma reforma estrutural, dispensando 10 mil postos de trabalho até 2020 e fechando diversas fábricas na região Ásia Pacífico, operação com custo total de US$ 400 milhões.

 

A nova Fuji Xerox terá sedes em Norwalk, Connecticut, nos Estados Unidos, e em Minato, situada em Tóquio, no Japão, com presença em mais de 180 países. Ela manterá as marcas Xerox e Fuji Xerox nas suas regiões operacionais.  

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Entre para seguir isso  





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×