Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.
guezz

Vidro elétrico - fim de curso

Recommended Posts

Boa tarde,

 

Estou desenvolvendo um "computador de bordo" para meu carro (jipe) e quero integrar o vidro elétrico nele.

 

Fazer subir ou descer é tranquilo. Entretanto, quero adicionar uma função de conforto que eu faça o vidro subir/descer automaticamente. Mas me esbarro em como descobrir o fim do curso do vidro (pra cima ou para baixo). Inicialmente pensei em colocar uma chave de fim de curso, mas eu teria que colocar 2 chaves por vidro.

 

Encontrei um método com menos recursos que é transformar o acionamento do motor em ondas quadradas e, então, medir a quantidade de pulsos usadas no motor para subir ou descer.

 

Posso gerar este pulsos com capacitores. Mas, e para contá-los?

 

Encontrei alguns CI's com contadores, mas ainda não entendi exatamente como se classificam, como funcionam, como eu poderia ajudá-los.

 

Alguem já trabalhou com eles?

 

Abraços.

 

Patrick

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O que podes fazer é motor dc mesmo e monitorar a corrente. Ao atingir o fim de curso, ele trava e a corrente vai lá pra cima. Uma partida suave - algo com pwm - pode diferenciar o pico inicial da travada final. Um algoritmo algo como um de motor de portão de correr: a cada apertada do botão ele gira pra um lado. Tanto faz o lado...

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Cara você tá doidinho com essas ideias. É possível controlar a posição pela quantidade de pulsos enviados a um motor? Sim, desde que (e é nesse ponto que sua ideia não funciona) o motor utilizado seja de passo. O motor de passo tem a característica de andar 1,8º a cada passo. O motor de vidro elétrico tem a sua rotação proporcional a tensão e a resistência encontrada, que varia muito.. Vai ter que instalar o fim de curso ou fazer o monitoramento de corrente sugerido pela @Isadora Ferraz .

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Sérgio... pensei num motor de passo também... mas para ter o torque suficiente que consiga levantar o vidro ele sairia muito caro (jipe grande e velho)... e po, adorei esta sugestão da Isadora !!! Bem prática!

 

Isadora, muito legal sua ideia!!!! Vou fazer alguns testes!

 

Gente, muito obrigado mesmo!

Editado por guezz
melhorar resposta
  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Alguns desafios para implementação desse projeto:

- Se vai monitorar a corrente e determinar que o vidro alcançou o final de curso pelo travamento do motor (corrente de stall), vai matar o movimento no ninho por um simples motivo: quando o motor inicia o movimento, ele está partindo da rotação zero, então nesse momento inicial terá a corrente de stall.

- Descobrir a corrente de stall (essa é fácil).

- Um delay que cale o monitor de corrente apenas no início do movimento (0,5s deve ser o suficiente) - criatividade e 555  ou até mesmo um simples RC resolve.

Boa sorte.

== Poste desenvolvimento e resultados, será a sua melhor retribuição. ==

Editado por Sérgio Lembo
  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 minuto atrás, Sérgio Lembo disse:

inicia o movimento, ele está partindo da rotação zero, então nesse momento inicial terá a corrente de stall.

imaginei isso ...

3 horas atrás, Isadora Ferraz disse:

Uma partida suave - algo com pwm - pode diferenciar o pico inicial da travada final.

mas penso que torna o sistema mais complexo

 

De fato pode-se diferenciar o stallzinho da partida do stallzão do fim de curso de várias maneiras. Um desafio mais desafiador seria algo como previr uma criança ou um sem noção segurando o vidro. Forçando uma corrente um pouco aquém do fim de curso: o trem vai ferver. Ferva-se sua cabeça. Algo como: com 50% do valor de stall, nunca fique + que 2 segundos ligado. Este 'campo magnético' está atraindo um mc hein...

 

Ainda que eu prefira maximizar um pouco com mc...uma minilista minimalista: comparador, flip flop, ponte h

 

abç

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pense também em colocar em série com a alimentação um PTC (ou polyswitch) para lhe dar a segurança de não ferver sob o comando de criança seja ela grande ou pequena..

 

 

  • Curtir 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Falando mais em segurança, imagine algo como um watch dog rotativo (inventei isso agora). Imagine um sensor hall ou ímã com reed switch ou ótico ou seja algo no eixo pra contar voltas. Imagine cada volta disparando um 555 na função monoestável. P.ex. Se cada volta leva 1 segundo, ajuste o tempo do 555 pra 1.5 seg ou menos. Teoria: se parar de girar por qualquer motivo que seja, vai parar de mandar o sinal de disparo e ficar pouco tempo acionado.

 

Mas já que estás a fazer um

8 horas atrás, guezz disse:

"computador de bordo"

este algoritmo adicional seria mais um atrativo pra considerar um versátil mc

 

abç

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Poxa, obrigado pessoal!

 

Vou experimentar todas as sugestoes.

 

O exio pra contar as voltas seria o mais preciso apos gerar uma memoria pra saber a posicao do vidro. Entretanto, pelo que me lembro, acoplar isso la dentro da porta seria bem complicado e a trepidacao do carro pode enganar o sensor se nao forem bem presos. Mas vou tentar.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu (eu) compraria um motor de vidro elétrico que já vem com os fins de curso embutidos, pois já tem para os carros que vem com esse sistema. 

A ideia de sensor de corrente é boa, se não me engano existem carros com esse sistema. 

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Em tudo que foi dito aqui, só uma coisa que não consegui entender: porque não usar o fim de curso. É o método mais simples e barato que tem. As opções são interessantes mas não agregam vantagem alguma, exceto a possibilidade de evitar esmagamento de mão/cabeça (sensor de corrente no motor).

Alguns problemas que terá que conviver com o sistema de posicionamento por pulsos:

- Ruidos elétricos ocorrem e provocam erro acumulativo no seu contador.

- O motor de arranque é um pico de corrente entre 100A e 200A (item acima).

- A memória RAM e os contadores são apagados cada vez que alguém mexe na bateria (se bem que temos a EEPROM, verificar quantos ciclos de escrita seu MCU suporta nisso).

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
29 minutos atrás, guezz disse:

O exio pra contar as voltas seria o mais preciso apos gerar uma memoria pra saber a posicao do vidro.

Não foi bem isso que tive em mente mas tá valendo. No caso terias que ter uma detecção da posição inicial o que torna o sistema menos minimalista.

 

+1: imaginei algo como uma embreagem ou algo assim pressionando o eixo em rotação mantendo um botão pressionado. Se parar de girar, ele desliga.

Me fez lembrar... Na época dos toca fitas k7 que tinha um sistema autostop 100% mecânico. Vários tipos: um a fita esticava e desligava o motor, outro tinha um trequinho balançando que se parasse, desligava. Tudo mecânico. Ah e também os autoreverse. Muito lôco. Foi uma honra ter conhecido isso... R.I.P.

 

Vá de @Mestre88 e @Sérgio Lembo e compre um carro novo!

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Te falar que na mudança da casa dos meus pais, desembalei um toca fitas velho. Fomos tentar ligar e o play não funciona. Qualquer hora vou tentar reanimá-lo.  Minhas fitas eu perdi todas, mas meu pai tem um bocado rsrs.

 

A propósito fiz uns testes preliminares com base na corrente quando o motor para e me parece o mais ideal. Quase não força o motor, já que a corrente sobe rapidamente.

 

Vou pegar um sensor de corrente e testar pra valer!

 

Obrigado mais uma vez!

  • Curtir 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

É só usar centralinas de vidro elétrico, elas já tem essa função, elas monitoram a corrente. Tem um fio de subida e outro de descida, basta jogar um pulso negativo

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×