Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
Entre para seguir isso  
time

HTML Como criar sua própria linguagem de marcação?

Recommended Posts

Parte 1

 

Os principais modos que você pode criar sua própria linguagem de marcação:

 

1- Modificar uma linguagem preexistente como: HTML, SVG, XML entre outras.

2- Criar sua linguagem de marcação do zero e isso inclui: criar seu próprio analisador léxico, semântico e sintático. 

3- Aplicar apenas mudanças consideráveis.

 

Observação: Veremos cada uma delas.

 

1- Modificar uma linguagem preexistente como: HTML, SVG, XML entre outras.

 

Nota e casos específicos:

 

Segundo W3C você pode:

a -  Criar sua própria definição de tipo de documento.

b -  Apenas criar um modelo de linguagem.

 

a- Como criar sua própria definião de tipo de documento?

Resposta: Defindo entidades, elementos, atributos e tags.

 

Exemplo prático: 

<?xml version="1.0"?>
<!DOCTYPE mail [
<!ELEMENT mail (send,reap)>
<!ELEMENT send (#PCDATA)>
<!ELEMENT reap (#PCDATA)>
]>

// mail será definido como tipo de documento assim: <!DOCTYPE mail   [ até os caracteres finais: ]>
<mail>                     

// send envia arquivo. Observação: send é uma palavra de origem inglesa e significa: - Enviar.  
<send>Test</send>
  
// reap recebe arquivo.  Observação: reap é uma palavra de origem inglesa e significa: - Colher, Receber.  
<reap>test</reap>
  
 // encerra -se a definição do tipo de documento.   
</mail>                   

 

Agora abra o editor e salve o arquivo como xml. Depois, espere o navegador fazer o resto.

 

b -  Como criar um modelo de linguagem?

Resposta: Criando apenas um modelo de linguagem.

 

Exemplo de código original HTML:

<html href="test.css"></html>   // tag: html, atributo href

 

Modelo de linguagem:     

Normalmente, mail é lido como se fosse a linguagem de marcação html. Observação: Navegadores e W3C não recomendam esse uso.

<mail href="test.css"></mail>  

  

Agora abra o editor e salve o arquivo como .html 

 

Informações Adicionais:

 

Segundo a W3C e "Navegadores" deve -se usar ou não:

 

a - Quando não:

1- Sites, plataformas ou sistemas públicos. Porque causa confusão, os aparelhos podem não se comunicar. Isto é, cada um fala de uma maneira e ninguém entende. Além disto, navegador pode e terá um enorme problema: renderizar um conteúdo que não é padrão.

 

b - Quando sim:

1- Sites, plataformas ou sistemas pessoais ou privados. Porque existe 4 necessidades:

 

a -  Ambiente de teste e desenvolvimento de aplicações como banco de dados. 

b - Problemas técnicos específicos.

c - Elaboração e manutenção apis, bibliotecas ou frameworks próprios.

d - Customizações, personalizações e até configurações essencias para um produto final.

 

Porque aprender isso?

1- Entender como as coisas funcionam e desenvolvem -se.

2- Fazer as coisas do seu jeito.

3- Criar sites, plataformas ou sistemas pessoais ou privados.

 

Referências:

w3schools, google, youtube, stackoverflow, github, fóruns, blogs.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora
Entre para seguir isso  





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×