Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
ch1na

Medições com o osciloscópio

Posts recomendados

Eai pessoal

 

Bom já trabalhei com osciloscópio um tempo mas fiquei um pouco afastado, então me surgiram algumas dúvidas básicas, queria ver se alguém pode me ajudar

 

Eu vi na especificação do osciloscópio que a tensão máxima de entrada pra uma ponta atenuação X10 é 300Vrms. Pra corrente contínua seria o mesmo valor também, 300V? É que vou fazer umas medições em um inversor de frequência, e vai ser até mais do que isso, uns 500 mais ou menos, aí pra valores maiores precisaria de uma ponta x100? Obrigado desde já 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sim uma ponta x100 suporta tensões maiores. Confirme nos dados dela.

Alternativamente você pode fazer seu próprio divisor com resitores mesmo. Use de vários M de 1W ou + pois este suporta maior V. O problema é R alto em série tem mania de distorecer o resultado em freq muito alta. Por isso existe aquele ajuste - um parafusinho - na ponteira. Aquilo é um trimmer capacitivo pra disdistorcer o sinal. E sim pra considerar o resultados corretos, a resistẽncia da ponteira e entrada do osc vão ter que ser consideradas nos cálculos do divisor. É o preço que se paga por não se pagar a cara ponteira x100...

 

Agora o detalhe importante: pra fazer medições conectadas na rede ac, não conecte o fio terra no osc. Vulgo "quebre o 3º pino central do plugo do terra" ou algo do gênero. Se não fizer isso pode dar um baita curttão.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A Isadora já deu a dica.

Eu costumo usar um divisor resistivo com compensação capacitiva para que o divisor não funcione como um filtro passa baixas frequências.

Vi um vídeo no YouTube, que mostra como construir um, pois um comprado custa alguns milhares de reais.

MOR_AL

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Boa tarde pessoal.

 

Desculpem pela demora, tive um probleminha e não consegui responder antes

 

 Muito obrigado pelas respostas, sempre pesquisava aqui nesse fórum e encontrava muitos posts de vcs dois ajudando, que honra de ter vocês aqui no meu tópico kkkk

 

Entendi, vou pesquisar sobre como fazer uma X100 caseira por enquanto então. Agora sobre medir 300VDC, será que essa minha X10 aguenta?

 

Eu estou alimentando o osciloscópio com um trafo 110v/220v 200VA, o trafo tá ligado na tomada com um plugue de 2 pinos apenas, está no 110v. O 220 vai pro osciloscópio e o mesmo só tem 2 pinos no cabo de alimentação também. Desta forma, se o equipamento a ser medido estiver alimentado direto na rede (e não no 220 do trafo), eu posso referenciar a garra do osciloscópio em qualquer ponto? Ou ainda existe algum risco? 

Valeu pessoal!!

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Agradecemos a gentileza.

 

32 minutos atrás, ch1na disse:

medir 300VDC, será que essa minha X10 aguenta

Sim. A que tenho é 300VRMS máximo e já medi 300Vdc (um pouco+) sem problema.

 

32 minutos atrás, ch1na disse:

Eu estou alimentando o osciloscópio com um trafo 110v/220v 200VA

32 minutos atrás, ch1na disse:

referenciar a garra do osciloscópio em qualquer ponto? Ou ainda existe algum risco?  

Sim. O risco ainda existe se seu trafo não for um trafo isolador que é diferente de um autotrafo que parece ser o seu caso. Confirme... Mas o fato de não ter o 3º pino de terra já te alivia. Neste caso, contamos com a isolação natural da fonte do osc. Nem precisa do seu (auto?)trafo...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu mandei fazer um trafo com isolamento galvânico. O trafo tem 110V e 220V em um dos lados e 110V e 220V no outro.

 Assim posso usar ele tanto em rede com 110 ou 220 e sair com 110 ou 220.

O pulo do gato é que o trafo NÃO É AUTOTRANSFORMADOR. AUTOTRAFO POSSUI LIGAÇÃO FÍSICA ELÉTRICA (0 OHM CC) ENTRE PRIMÁRIO E SECUNDÁRIO.

Meu circuito sob teste no osciloscópio é alimentado através do trafo e o osciloscópio é alimentado normalmente. Com isso não dou mais curto no osciloscópio.

Agora, respondendo a sua pergunta. 

Pesquise e leia o manual do osciloscópio. Nele tem menção sobre limite de tensão nas ponteiras (originais).

Se a ponteira funciona com "X" tensão rms, então DEVE PODER FUNCIONAR COM TENSÃO CC "Y" = "X" vezes 1,414.

Mas eu não arriscaria trabalhar no limite ou próximo a ele ou sem um trafo com isolamento galvânico.

A exceção é quando sua fonte de alimentação, que alimenta o seu circuito em teste, for proveniente de uma fonte comercial. Nesse caso a própria fonte já possui trafo com isolamento galvânico.

MOR_AL

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Uma ponteira X100 tem seu devido valor e vale o investimento, pode medir até 2kV, acima disto é necessário uma ponta de prova especial. Apesar de tudo, recomendo que você adquira a ferramenta adequada para fazer medições acima de 300Vrms. Pra fazer besteira sem estar plenamente consciente do que se esta fazendo, pode ser perigoso e arriscado, ou ainda te custar caro. Sem dúvida, tenha um transformador com isolamento galvânico na entrada do osciloscópio, caso contrário você corre o risco eminente de fazer um curto em alta tensão, não queria saber o resultado...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fala galera!!

 

Então, não deixei muito claro no começo do tópico, mas eu tenho algum conhecimento em elétrica/eletrônica. Na verdade sou formado como técnico em eletroeletrônica. Desculpem se a resposta soar arrogante, não é a intenção, e também agradeço reforçarem esses pontos. É até um pouco embaraçoso fazer essas perguntas meio básicas, mas como disse, fiquei um tempo sem utilizar osciloscópio e também agora estou utilizando em um equipamento diferente.

 

Sobre o autotrafo, eu fiquei atento a isso e realmente dois lugares que tentei comprar me ofereceram um autotrafo no lugar do trafo. Acredito que seja porque essas especificações são bem comuns pra quem compra na intenção de utilizar algum aparelho em tensões diferentes, então o pessoal já vende isso meio que no automático. Então vou me certificar de conseguir um transformador pra poder medir tranquilo.

Agora qual seria o ideal, utilizar o transformador pra alimentar a carga ou o osciloscópio? A carga no caso é um inversor de frequência alimentado com 220V trifásico, eu precisava medir a entrada, o link CC, o gate dos IGBTs e a saída pro motor. Com o osciloscópio devidamente isolado da rede, posso fazer todas essas medições?

 

adicionado 0 minutos depois

Screenshot_20190316-072912.png

adicionado 1 minuto depois

O meu osciloscópio é o todos 1002

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@ch1na

Eu não deixaria o osciloscópio alimentado através do trafo, pois ele já tem a característica para ser alimentado pela rede sem dar choque. 

O seu problema é que a alimentação do seu inversor é trifásico. Aí o buraco é mais fundo. Eu nunca tive este problema. Mas se tivesse e se fosse financeiramente válido, eu encomendaria um trafo trifásico em 220V com pelo menos a capacidade da carga.

Talvez; e somente TALVEZ, eu pudesse fazer uma fonte com um trafo monofásico, retificado e filtrado. Esta fonte substituiria a parte da fonte trifásica do inversor. Com isso você poderia conectar essa fonte no ponto da tensão cc do seu inversor e deixar ele fora da tomada. 

Então você teria o inversor alimentado pela rede, de modo provisório, apenas para os seus testes, porém com isolamento galvânico. 

É uma hipótese, que você deve pensar e decidir se é viável.

Quanto ao trafo com isolamento galvânico.

Depois de procurar e não achar para comprar, eu calculei um e procurei uma empresa que montava o trafo. Mas tem que "garimpar" para ver se eles entendem do assunto.

Estendi a conversa e eles responderam as minhas perguntas corretamente. Perguntas do tipo; Qual seria a lâmina a ser usada? Qual seria a área da seção transversal do núcleo? O número de espiras? E que teria que ser com isolamento galvânico.

Quando senti firmeza nas respostas encomendei e fizeram um excelente trafo.

Em tempo:

Possuo um livro antigo sobre transformadores, que ensina a calculá-los. Você nem precisará calcular, mas terá os valores das características do trafo, para argumentar com o fabricante, pois tem muito picareta que fala muito e não entende do assunto. Aí você compra gato por lebre.

O livro deve ser encontrado em qualquer cebo e deve lhe custar uns R$10,00.

Transformadores

Alfonso Martignoni

Editora Globo

 

MOR_AL 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
7 horas atrás, ch1na disse:

Com o osciloscópio devidamente isolado da rede, posso fazer todas essas medições

esta seria minha opção minimalista preferida.

O osc consome pouco assim sendo eu (eu*) faria uma isolação dupla com 2 trafos 12v 3A algo como

[rede]--primario...secundario...secundário...primario--[osc]

De fato a isolação vai ser tripla: tem a fonte do osc. E de novo nada de terra

*é que já tenho alguns a disposição...

 

8 horas atrás, ch1na disse:

Fala galer

😥

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Uma outra sugestão para isolamento do Osc. com a rede é desfazer a ligação que une os dois enrolamentos do auto transformador. 

Tudo o que ele tem são duas bobinas de 110V em série, nos extremos a tomada de 220V e no meio com a ponta a tomada de 110V. 

Separando o meio teremos 2 enrolamentos de 110V.

Será um simples trafo de 1:1.

Se ele tiver um enrolamento de bitola mais fina, esta ficará com a saída. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Boa noite!

 

Obrigado pelas várias dicas pessoal!

 

@MOR  infelizmente não tenho recursos para adquirir um trafo trifásico, acho que seria o ideal pra mim. A ideia da fonte externa também é interessante mas acho que também não vou ter recursos para construir uma com a potência necessária. E além disso, a referência da fonte da eletrônica e a fonte para os IGBTs é a mesma, não queria colocar mais uma, ia ficar meio complicado de manusear pra mim.

 

@Isadora Ferraz eu acabei fazendo isso pois eu tinha dois trafos 0-110-220/0-16, o problema é que são de 9VA e o osciloscópio consome 30W, então eles estão esquentando bem, mas talvez eu vou continuar com essa configuração por enquanto. Acho que dessa forma consigo medir no inversor com segurança pois a alimentação do scope não tem nenhum terra.

 

@Renato.88 se eu não conseguir o trafo do jeito que tô querendo, vou estudar essa possibilidade também, obrigado

 

Mas então concluindo, acho que o mais acessível pra mim é usar um trafo isolado galvanicamente pra alimentar o osciloscópio mesmo. Caso eu não consiga, vou tentar essas outras opções. Muito obrigado a todos!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Junte-se à conversa

Você pode postar agora e cadastrar-se depois. Se você tem uma conta, faça o login para postar.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Restore formatting

  Só é possível ter até 75 emoticons.

×   O link foi automaticamente convertido para mostrar o conteúdo.   Clique aqui para mostrá-lo como link comum

×   Seu texto anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

GRÁTIS: minicurso “Como ganhar dinheiro montando computadores”

Gabriel TorresGabriel Torres, fundador e editor executivo do Clube do Hardware, acaba de lançar um minicurso totalmente gratuito: "Como ganhar dinheiro montando computadores".

Você aprenderá sobre o quanto pode ganhar, como cobrar, como lidar com a concorrência, como se tornar um profissional altamente qualificado e muito mais!

Inscreva-se agora!