Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Posts recomendados

Gostaria de fazer uma sugestão ao formato com o qual o selo do CdH hoje é utilizado.

Sei que existe atualmente basicamente 2 selos. O de produto bomba e o de produto recomendado.

 

Bom, os produtos bomba estão muito bem segmentados e são dados aos equipamentos cujos resultados de testes mostraram alguma falha de projeto, péssima qualidade ou defeito cronico.

 

Mas quando entramos no selo de produto recomendado é que caímos na zona cinza. Ao meu ver esse selo e usado com frequência um pouco ampla. Por exemplo, praticamente todo SSD testado têm ganho o selo, mesmo tendo resultados iguais aos concorrentes diretos na mesma faixa de preço ou até mesmo quando a comparação é feita entre categorias iguais, porém com o produto em questão custando mais caro que os concorrentes.  Até acho interessante endossar com um selo de qualidade esses produtos, mas acho que dessa forma, poderíamos ter terceiro selo. De repente um selo dourado para produtos que se destacam com louvor. Por exemplo, um SSD que tenha taxas de transferência semelhante à concorrência mas que custe a metade do preço, ou produto que tenha preço semelhante à concorrência, mas demonstre uma qualidade e desempenho muito superiores. Bom, acho que ficou claro a ideia, premiar os produtos que tenham um ponto fora da curva do mercado, seja em relação à qualidade/desempenho, bem como quando a relação de custo x beneficio for também for muito vantajosa.

 

 

  • Curtir 4

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@sdriver

Gostei da ideia, podendo ter selo de produto bomba, produto recomendado e um selo extra de produto custo/benefício quando necessário. Entretanto, como o valor das peças no mercado pode variar da noite para o dia, não sei se a longo prazo o selo de c/b ainda se torna válido.

Como exemplo, o G4560 da Intel por um bom tempo foi o melhor custo/benefício, porém hoje nem compensa mais. Mesmo que coloquem uma nota sobre o período testado e as possíveis mudança de valores, 90% dos leitores nem vão perceber este ponto de vista e só terão olhos para o selo.

  • Curtir 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O exemplo do G4560 é bem didático. Mas a ideia do @sdriver é muito boa. Ficaríamos com 4 graduações:

- Bomba - Não compre de forma alguma

- Sem selo - Compre por sua conta e risco

- Recomendado - Pode comprar que não terá problemas

- C/B - Pode comprar sem dúvida alguma, pois além de não ter problemas vai economizar ou ter mais desempenho. 

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Entendo que os preços podem variar, mas tudo pode variar com o tempo. Um exemplo seria os testes de SSDs sata que temos hoje. Daqui a 2, 3 anos, os M.2 NVME serão absolutos e você não poderá mais considerar um SSD normal como recomendável.

É um paradoxo engraçado. Um produto bomba sempre será um produto bomba, mas um produto recomendável pode deixar de ser com o  tempo.

Os selos são inerentes ao momento em que o teste é feito e tem um período de validade.

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A ideia é interessante, mas acho que fica ramificado demais e mais complicado para a maioria dos leigos. Digo isso pelo perfil dos usuários atuais. Nesse tipo de coisa é melhor ser mais objetivo do tipo:  recomendado ou não recomendado.

 

Eu penso que um produto bomba, sempre vai ser,  a não ser que a empresa refaça produto e melhore.

Já um produto com selo recomendado, sempre vai ser bom e recomendado, não importa a data. 

 

Exatamente como é o caso do processador que foi demonstrado no exemplo, na época ele era bom, para quem não podia pagar tanto, hj em dia ainda pode ser uma opção, embora tem coisas melhores. Entende?

 

Acho que criar mais de dois selos.. é exagero e trabalhoso..Enfim.. quem pode dar uma resposta melhor sobre isso é quem faz os testes e artigos @Rafael Coelho

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, DiF disse:

...

Eu penso que um produto bomba, sempre vai ser,  a não ser que a empresa refaça produto e melhore.

Já um produto com selo recomendado, sempre vai ser bom e recomendado, não importa a data. 

 

Exatamente como é o caso do processador que foi demonstrado no exemplo, na época ele era bom, para quem não podia pagar tanto, hj em dia ainda pode ser uma opção, embora tem coisas melhores. Entende?

Uma GT9800 era um produto recomendado na época, assim como um core i5 de primeira geração. Mas hoje não dá mais de recomendar nenhum dos 2 por estarem defasados. Logo o selo de recomendado tem validade, contudo isso não significa que o CdH deva sair editando todas as matérias antigas para remover o selo de produto recomendado. Espera-se dos leitores um mínimo de discernimento para saber que produtos antigos perdem sua vantagem com o passar do tempo.

 

A minha ideia não é ter um complexo ranking de indicações.

Produtos bomba seguiriam tendo o alerta sobre seu alto risco.

Produtos sem problemas, porém sem atrativos seguiriam sem selo algum.

E o ideal seria usar o selo de recomendado para os produtos realmente especiais, mas como esse selo acabou tendo um uso um pouco extensivo, surge a possibilidade de ter um selo dourado que premie os campeões de uma dada categoria.

Justamente porque assim os leigos ficam com uma gama de opções bem menor se quiserem o melhor de alguma coisa.

Em vez de ter de escolher entre 12 SSDs recomendados, haveria tipo uns 3 com selo dourado: porque o preço é muito bom, ou porque o desempenho é muito  bom, ou porque se destacou em alguma coisa que obviamente vai estar explicada na conclusão do teste. E com base nisso cada um escolhe o que está buscando.

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@sdriver Chegamos a pensar em ter mais de uma categoria, como ouro, prata e bronze. Mas, por motivos de simplicidade, achamos melhor manter apenas um único selo. Mas vou discutir esta ideia internamente. Abraços.

  • Curtir 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@sdriver Entendo você no sentido que poderia haver diferentes selos. Como o @Gabriel Torres mencionou, vamos discutir esta ideia.

A questão é que um produto pode receber o selo porque tem excelente relação custo/benefício, OU porque apresenta um desempenho acima da média, OU porque apresenta alguma funcionalidade que pode ser útil a alguém.

Assim, o selo de "produto recomendado" sempre deve ser analisado no contexto do que escrevemos nas conclusões, pois quando um produto é recomendado, ele é recomendado para um tipo específico de usuário em uma determinada função, até porque não existe produto recomendado para todos os usuários. E, como você muito bem falou, ele é recomendado naquele momento em que o teste vai pro ar, quase nunca um produto de informática vai continuar sendo uma boa compra por mais do que alguns meses.

E quanto a, às vezes, um produto ligeiramente pior também receber o selo, é porque podemos interpretar que o "produto recomendado" simplesmente não é uma má compra. Se um determinado SSD custa R$200 e recebe o selo, outro concorrente com desempenho semelhante que custa R$220 também merece porque não chega a ser uma compra ruim; vá que o produto de R$200 saia de estoque, aquele de R$220 passa a ser a melhor compra naquele momento. Por isso, a gente só não dá o selo quando um produto está com preço realmente acima da média do mercado.

Outra situação: aparece um novo produto X no mercado, com excelentes características e ótimo preço. A gente testa e dá o selo. Daí imagine que, um mês depois, uma concorrente lança o produto Y, com características ainda melhores e preço ainda menor. Leva o selo, mas daí não temos mais como retirar o selo dado para o primeiro produto...

Por tudo isso, nossa ideia é: não dê muita bola para o selo, leia o artigo completo e avalie se o produto é recomendado para você. ;)

  • Curtir 3
  • Obrigado 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

GRÁTIS: minicurso “Como ganhar dinheiro montando computadores”

Gabriel TorresGabriel Torres, fundador e editor executivo do Clube do Hardware, acaba de lançar um minicurso totalmente gratuito: "Como ganhar dinheiro montando computadores".

Você aprenderá sobre o quanto pode ganhar, como cobrar, como lidar com a concorrência, como se tornar um profissional altamente qualificado e muito mais!

Inscreva-se agora!