Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.
Pedro Borges

Historia das Placas de vídeo

Recommended Posts

Historia das Placas de vídeo – Parte 1 – Da era 2D ao fim da 3dfx.

Esse tópico visa o entendimento de como surgiram as Placas de vídeo e o seu desenvolvimento até a venda da famosa 3dfx. Tentarei escreve-lo da forma mais clara possível para o entendimento geral. Bom vamos ao que interessa, a história das placas de vídeo...

Os Primordios: Aceleração 2D.

A primeira família de processadores gráficos que irá aparecer aqui será a S3 trio, desenvolvido pela S3 Graphics.

O S3 trio era um processador utilizado tanto em vídeo onboard como offboard. Para a época ela tinha um processamento gráfico muito bom. Sua linha com controladora de memória de 64bits foi uma das mais vendidas pela S3. Essa família se dividia nos modelos:

Trio64 e Trio64V+: Não suportavam VRAM (memoria de video) e possuiam controladora de memoria 64bits.

Trio32: Versão de baixo custo do Trio64 com controladora de memoria 32bits.

Trio64V2: Atualização do Trio64V+, foi usado como acelerador 2D nos GPUs ViRGE.

Obs: Tambem cabe citar aqui os chips da ATI, que eram utilizados em PCs durante a primeira metade da decada de 90, são eles: Mach8, Mach32, Mach64. Todos eles muito parecidos, com pequenas evoluções de um para outro.

Imagens:

triose4.th.jpg

(S3 Trio64V+)

atimach32dz8.th.jpg

(ATI Mach32)

Finalmente, a chegada às tres dimensões.

Com o fim da familia Trio, entra em cena a segunda familia de aceleradores graficos fabricados pela S3: o ViRGE.

O S3 ViRGE veio ao mundo em 1995 e possuia um incrivel processamento 2D (Trio64V2). Tambem era retrocompativel com as placas projetadas para o Trio. O unico “porém” desse primeiro acelerador grafico era o seu desempenho 3D, que era pouco melhor que o da CPU (realizado por software). Os seus modelos foram:

ViRGE/325: O primeiro Acelerador da familia ViRGE.

ViRGE/DX: Atualização do ViRGE/325

ViRGE/GX: Era um ViRGE/DX com suporte a outros tipos de memoria.

ViRGE/GX2: Um dos primeiros aceleradores compativeis com o slot AGP.

Pouco depois do lançamento do S3 ViRGE, a NVIDIA, empresa recem criada, lançou o NV1. Ele não teve como competir com o ViRGE, que mesmo tendo um desempenho pior que o NV1, era muito mais barato.

O NV1 integrava acelerador 3D com base em poligonos quadrangulares (hoje são utilizados triangulos), um processador sonoro e VRAM (memoria de video). Ele tambem era compativel com o SEGA Saturn, que infelizmente contribuiu para o fracasso do NV1.

Chegou a haver um projeto para o NV2, que seria usado no Dreamcast, porém o projeto não progrediu.

Já estamos em 1996 e o ViRGE, mesmo fraco, ainda reina sobre o mercado de aceleradores graficos. porém esse reinado não duraria muito tempo. Nesse mesmo ano a industria de placas de video sofreria uma grande transformação.

A ATI tecnologies, ainda estagnada no projeto Mach (lembra o 2D??), lança a familia Rage, que unia ao Mach o poder do processamento 3D. voce deve estar se perguntando essa é a revolução?? Não, ainda não chegamos lá e eu ainda vou enrolar vocês um pouquinho :D. Bom como a primeira Rage não foi um bom projeto a ATI lança em 1997 a sua segunda geração de aceleradores graficos, a familia Rage II que dobrava a velocidade da Rage original. porém ainda não era o que a ATI queria e essa placa não foi um sucesso.

E agora, ja passamos de 1996, mas a revolução ainda não foi mencionada...Tudo bem, voltemos a 1996. Naquele ano tres empresas entraram no ramo de aceleradores 3D, a 3dfx (isso te lembra algo??), a Imagination Tecnologies e a Rendition, com seus aceleradores graficos Voodoo 1, o PowerVR e a Vérité 1000, respectivamente. Uma revolução ocorreu, o pifio desempenho da ViRGE finalmente seria deixado para tras. A Voodoo 1 tinha um bom processamento grafico e um preço ótimo, essas duas variaveis a tornaram um sucesso, e nenhuma das suas concorrentes conseguiu alcança-la.

Em 1997 alem do lançamento da Rage II, tambem houveram outros lançamentos, como a Voodoo Rush, que tinha um desempenho inferior a Voodoo 1, e o sucesso do ano, a Riva 128 (NV3), primeira placa da historia a suportar o Direct3D. Poucos meses depois, no inicio de 1998 a NVIDIA lança a Riva 128ZX, pequena atualização da Riva 128, que troxe apenas um suporte de memoria de video maior (8MB). Ainda em 97 a ATI lança a Rage PRO com desempenho proximo ao da Riva 128, mas ela não chegou a ser um problema para a NVIDIA. A Rage Pro foi lançada sob estes modelos:

Rage PRO Turbo: Prometia 50% a mais de desempenho se comparada a Rage PRO, mas essa promesa não foi cumprida

Rage LT: Versão da Rage PRO utilizada como video onboard.

Rage XL: Versão de baixo custo e consumo da Rage PRO

Em meados de 1998 a 3dfx, depois do fracaso da Voodoo Rush, lançou a Voodoo 2, que honrava o nome e retomou a coroa de melhor acelerador grafico, que estava na cabeça da Riva 128ZX. Meses depois, a NVIDIA lança a Riva TNT (NV4), que consegue incomodar um pouco a Voodoo 2, mas quem sai vencedor desta briga é a placa da 3dfx. Tambem em 98 a S3 (da ViRGE, lembra?) lança a familia Savage3D, um fiasco devido aos erros na produção.

Ainda em 98 a Rendition lança a linha Vérité 2x00, que não consegue uma boa margem de vendas e a aventura Rendition do mercado de VGAs termina por aqui.

Em outubro de 98 a 3dfx lançou a versão de baixo custo da Voodoo 2, a Voodoo Banshee, que nada mais era do que um chip Voodoo 2 “capado” (tinha um TMU a menos), porém com clocks maiores. A Voodoo Banshee vendeu quantidades consideraveis, mas mesmo assim não deteve o avanço da TNT, e da NVIDIA, que ano apos ano vinha roubando mercado da 3dfx.

Nesse mesmo ano a Intel tentou se aventurar no mercado de GPUs lançando o acelerador Intel 740, compativel com AGP e PCI, porém a sua ambição de se tornar competitiva com as grandes desse mercado (ATI, NVIDIA e 3dfx) fracassou e desde então os unicos aceleradores graficos produzidos pela empresa são os GMAs, que são integrados em algumas de suas placas-mãe.

Logo no inicio de 1999 a S3 consegue dar o seu ultimo suspiro no mercado antes de ser comprada pela VIA, ela lança a Savage4 que infelizmente ficou abaixo do desempenho de seus adversários. Mais tarde, em 2004, a VIA iria lançar a família Chrome, porém ela também teve um desempenho baixo e seria usada apenas em vídeo on-board.

Imagens:

virgegxbo6.th.jpg

(ViRGE/GX)

nv1ba1.th.jpg

(NVIDIA NV1)

voodoo1uy6.th.jpg

(Voodoo1)

nvidiariva128sw2.th.jpg

(NVIDIA Riva128)

<< Continua...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
 

>>Continuando...

O fim da rainha: Cai a 3dfx.

Em 1999, três empresas se consolidam no mercado de placas de vídeo, a ATI, a NVIDIA e a 3dfx. Nesse ano são lançadas por essas empresas a ATI Rage128, a Riva TNT2 e a Voodoo 3. Vamos por partes.

A ATI Rage128 foi lançada em dois modelos: a Rage 128 GL e a Rage 128 VR, diferindo apenas no barramento de memoria sendo 64bits para o primeiro e 128bits para o segundo. Pouco depois a Rage128 foi atualizada para a linha Rage 128 PRO, que contava com melhor Direct3D, codificação e decodificação de video, entre outros. Ela se apresentava com os seguintes modelos: Rage Fury Pro e a famosa Rage Fury MAAX (que foi um belo desastre devido a pequena compatibilidade), essa ultima possuia dois chips Rage128 PRO, trabalhando no modo AFR, onde enquanto um chip renderizava um quadro o outro ja renderizava o proximo.

A Riva TNT2 também teve dois modelos: a TNT2 e a TNT2 M64, a diferença entre elas era exclusivamente o barramento de memoria, que na TNT2 M64 era cortado pela metade (64bits). A familia TNT2 foi uma pequena atualização da TNT original, contudo ela conseguiu manter a coroa de melhor acelerador grafico com a NVIDIA devido a TNT2 Ultra, uma TNT2 com os clocks bem inflados e memorias de baixa latencia (para a época).

A Voodoo3 era um processador integrado 2D/3D. Possuia um GPU potente que se alternava no topo com a TNT2, depenedendo do aplicativo. com certeza só não foi o GPU top na epoca pois não tinha suporte a alguns modos de cores que a TNT2 tinha. Para o segmento de baixo custo a 3dfx repitiu a teoria do bem sucedido Voodoo Banshee, lançando a linha Velocity que era uma Voodoo 3 “capada” exatamento nos moldes da Banshee, ou seja, com um TMU desativado e metade da memoria do Voodoo 3. Seu clock era o mesmo da Voodoo 3 1000 (linha mid-end da Voodoo 3).

A 3dfx, mesmo com bons projetos de aceleradores graficos, começou a ruir. Como ultimos projetos dessa grande empresa do setor estão as Voodoo 4 e 5 e a grande contribuição que ela deu ao mercado de VGAs, o SLI. Na epoca o SLI, chamado de Scan-Line Interleave, funcionava do seguinte modo: cada GPU renderizava alternadas linhas horizontais, ou seja, uma ficava com as linhas pares e outra com as impares.

A 3dfx foi a primeira empresa a oferecer processamento paralelo em GPUs, com o SLI, e pouco mais tarde a empresa lançou o VSA-100, chip que poderia ser utilizado em paralelo e na mesma placa (igual ao que a ATI fez com a HD3870X2), podendo ser interligados de 2 a 32 chips.

A 3dfx ainda lançou duas linhas de GPUs, baseadas no mesmo núcleo, o VSA-100. Essas linhas foram a Voodoo 4 e 5, a primeira era baseada em um unico VSA-100, enquanto a segunda possuia dois desses chips em paralelo. Elas deveriam ter um nivel pouco maior que o da TNT2, porém os sucessivos atrasos (que foram cruciais na queda da empresa) abriram uma margem para a NVIDIA lançar uma resposta para a ainda nem lançada Voodoo 5, a Geforce 256. Quando a Voodoo 5 foi definitivamente lançada a Geforce 2 e a Radeon a deixaram para tras, afundando de vez a compania que no fim de 2000 seria vendida para a NVIDIA.

Muitos chips promissores da 3dfx não foram lançados, entre eles esta o Voodoo 5 6000, que possuia 4 VSA-100 na mesma placa, esse é até hoje o maior numero de chips colocados sobre uma unica placa de video.

O fracasso da 3dfx, entre outras variaveis, se deve ao fato da tecnologia empregada nas suas placas de video serem concentradas em apenas algumas partes, explico com um exemplo: O VSA-100 não possuia controlador de memoria DDR, o que fazia o seu desempenho cair, e muito, se comparada a outras placas da epoca que possuiam o DDR (GeForce2).

Em meados de 2001 a NVIDIA comprou todas as propriedades intelectuais da 3dfx e consolidou-se, pelo menos nessa época, como a rainha dos aceleradores graficos. Apenas uma empresa começou a ameaçar o reinado da gigante das placas de video, uma empresa que até aquele momento não havia feito GPUs muito competitivas no segmento high-end, mas que iria destronar a NVIDIA anos depois, a ATI. Mas esse é um assunto para a segunda parte desse tópico, que será feita em breve.

Imagens:

s3savage4fd7.th.jpg

(S3 Savage4)

vsa100familyvf9.th.jpg

(VSA-100)

rivatnt2qq8.th.jpg

(Riva TNT2)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
 

Bom aqui continua a nossa saga que começou com o S3Trio e que, até agora, acabou no fim da 3dfx. Nessa segunda parte o assunto será o grande duelo que muitos acompanham desde os primórdios, e que até hoje rende discussões muitas vezes acaloradas :D: O duelo de gigantes: Radeon vs Geforce. Então vamos até ele...

Com o fim da 3dfx, a NVIDIA, que vinha do sucesso da linha Riva, se tornou a nova rainha das VGAs, isso só aconteceu devido ao lançamento de uma nova linha de GPUs, muito melhor que a Riva TNT2 e que a morta Voodoo, a Geforce.

No fim de 1999 a NIVIDIA lançava a Geforce 256, a placa que marcou o fim da 3dfx. A Geforce 256 corrigia alguns erros da linha Riva, alem de ser a primeira VGA totalmente compatível com o Direct3D 7. No inicio ela utilizava memória SDR, que por não tirar todo o potencial do chip foi substituída mais tarde pela DDR. Em termos de desempenho a Geforce 256 era melhor que todos os chips existentes e superava a linha Riva TNT2 Ultra por uma margem de no mínimo 50%. A ATI Rage Fury MAXX conseguia bater a Geforce 256 com SDR, porém a mesma com DDR era inalcançável. O único problema desse “gigante” do fim do século passado era o seu preço, que fazia com que ela só fosse acessível para poucos. A linha Quadro da NVIDIA, dedicada a estações de trabalho e servidores, também começou com a Geforce 256.

O inicio da Guerra:

Durante algum tempo a NVIDIA reinou no segmento high-end com a sua Geforce 256, porém a ATI, que estava perdendo mercado devido ao sucesso da Geforce 256, lança, em 2000, o verdadeiro concorrente da primeira Gefroce, a Radeon 7000, sob codinome R100, o primeiro R100 lançado foi a Radeon DDR. Existiam dois modelos, o de 64MB (que possuía VIVO) e o de 32MB (para o mercado mid-end). Ambas as placas eram melhores que a Geforce 256.

A NVIDIA se viu ameaçada e lançou a sucessora da Geforce 256 pouco tempo depois do lançamento do R100, a Geforce 2 GTS, melhor que a Radeon DDR, essa placa fez a alegria dos desenvolvedores e retomou a liderança de desempenho para a NVIDIA.

As melhorias da Geforce 2 em relação a Geforce original eram as seguintes:

-Uma TMU Extra em relação a Geforce 256.

-Processamento de Vídeo.

A Geforce 2 foi lançada sob vários modelos e para os mais variados mercados, eles são os seguintes:

-Geforce 2 MX- Era o chip entry level da linha. Para o corte de custos a NVIDIA tirou 2 pixel shaders e usou memórias SDR. Esse chip fez a alegria dos OEM, muito barato e com um bom desempenho 3D foi o maior sucesso da linha Geforce 2. Alem disso a NVIDIA vendeu vários modelos de Geforce 2 MX. Eles eram os seguintes:

- MX400- MX original (memórias de SDR 128bits) com um clock maior.

- MX200- Equipada com memórias SDR de 64bits de barramento.

- MX100- Equipada com memórias SDR de 32bits de barramento.

- GeForce 2 Ti- Era uma Geforce 2 GTS “capada”.

- Geforce 2 Pro- Um pouco mais rápida que a GTS devido a pequenas melhoras na arquitetura.

- Geforce 2 GTS- Chip High-end da família liderou por muito tempo esse segmento por parte da NVIDIA, até o lançamento da Ultra.

- Geforce 2 Ultra- A melhor das placas dessa linha, tinha um clock bastante alto, mais penava nos filtros. Uma das placas mais raras da história.

Logo após esses lançamentos a ATI não poderia ficar parada e lançou algumas revisões do R100 para preencher os mercados mid-end e high-end. As mudanças na ATI foram as seguintes:

- O R100 original mudou de nome para Radeon 7200 e preencheu o mercado mid-end, competindo com a Geforce 2 Ti.

- Introdução do Rv100 conhecido como Radeon 7000, foi concebido para disputar com a Geforce 2 MX. O único porém desse chip foi a retirada de muitos componentes em relação ao R100 (1 pixel shader e vários componentes desenvolvidos pela ATI), o que fez dele um perdedor em relação a Geforce MX.

- Introdução do Rv200, era basicamente um R100 feito em 150nm e com clocks maiores. Conseguia bater a Geforce 2 Ti e até incomodar a sucessora Geforce 3 Ti.

Imagens:

geforce256va6.th.jpg

(Geforce 256)

geforce2gtslg4.th.jpg

(Geforce 2 GTS)

radeon7500zz2.th.jpg

(Radeon 7500)

O inicio do acomodamento:

Com a liderança folgada do mercado, no inicio de 2001 a NVIDIA decidiu conceber mais um chip para o seu mercado mid e high-end, rebaixando todas as Geforce 2 para o segmento entry level. Esse chip ficou conhecido como Geforce 3, que foi lançado sob os seguintes modelos:

- Geforce 3 Ti 500- Novo chip high-end foi uma das maiores decepções da NVIDIA.

- Geforce 3 Ti 200- Carro chefe da empresa no segmento mid-end.

Suas diferenças para a Geforce 2 são o suporte a Direct3D 8.0 e os shaders programáveis.

Como resposta a ATI lança no fim de 2001 o R200 sob o nome de Radeon 8500, o carro chefe da empresa. Também lançou a 8500LE que era idêntica a Radeon 8500, porém com clocks menores. A arquitetura R200 original usava memórias DDR 64bits, mais tarde ambas as placas foram introduzidas com memórias DDR 128bits, o que rendeu a este grande chip mais desempenho. O R200 possuía 4 pixel shaders e 2 vertex shaders, era compatível com Direct3D 8.1

Nessa briga incessante a NVIDIA em 2002 lança um novo chip, o Geforce 4 sob dois modelos:

- Geforce 4 Ti- Uma Geforce 3 Ti revisada com maiores clocks, um melhor controlador de memória e um vertex shader a mais. Não cumpriu o seu papel em desempenho, pois era pior que a Radeon 8500, porém era mais barata. Foi lançada sob 4 modelos:

- Ti4200- Placa entry level.

- Ti4400- Primeira da serie a ser lançada seu mercado era o mid-end.

- Ti4600- Lançada juntamente com a Ti4400 se dedicava ao mercado mid/high-end.

- Ti4800- Melhor placa da serie 4 e a única a ultrapassar a Radeon 8500.

- Geforce 4 MX- Considerada pela critica como uma Geforce 2 MX anabolisada, ela não fez sucesso pela sua desempenho, mas sim pelo seu preço. Foi lançada sob 3 modelos:

- MX420- Placa concebida para PCs de potencia muito baixa.

- MX440- Feita sob medida para os parceiros OEM.

- MX460- Placa mid/low-end sem competidores.

A linha Geforce 4 foi concebida para destronar o R200, o que não conseguiu. Por isso uma nova revisão do chip (NV28) foi lançada. A Geforce 4 foi muito bem sucedida, tanto que o NV28 ganhava em desempenho da FX5600 e empatava com o fenômeno Radeon 9600, ou seja, era um belo chip para a época.

Imagens:

geforceti500ya2.th.jpg

(Geforce 3 Ti 500)

geforcemx440pk4.th.jpg

(Geforce MX 440)

radeon8500rh0.th.jpg

(Radeon 8500)

>>Continua...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
 

<<< Continuando...

A grande virada:

Tendo um desempenho estupendo porém um custo beneficio não muito bom com o R200, a ATI decide que chegara a hora de lançar outro chip, com uma maior variedade de modelos. O R300 vem ao mundo no fim de 2002. Ela era um chip completamente diferente do R200.

As principais características do R300 eram:

- Suporte ao Direct3D 9.

- Litografia em 150nm refinada.

- Dobro de transistores se comparado ao R200.

- 8 pixel shaders.

- 8 TMUs.

- 4 vertex shaders.

- Sistema de filtros montruoso.

O sistema de filtros do R300 era tão eficiente que ela chegava a ser 100% mais rápido que a Radeon 8500 sob filtros ativados.

O R300 foi lançado sob os seguintes modelos:

- Radeon 9550

- Radeon 9500

- Radeon 9600

- Radeon 9700

- Radeon 9800

Alem da serie Radeon 9000 o R300 também foi utilizados nas placas da geração seguinte, X***:

- X300

- X550

- X600

Esse chip era extraordinário e teve um dos maiores custo beneficio da história, tanto que a Radeon 9600 foi uma das melhores placas nesse quesito de todos os tempos. Alem disso o sistema de refrigeração de toda a linha ocupava apenas um slot, o que era extraordinário.

Com esse lançamento a ATI conseguiu uma grande façanha. Pela primeira vez na história do mercado de VGAs o melhor custo beneficio e o melhor chip eram da mesma empresa, 9600Pro e 9800XT, respectivamente.

Querendo retomar o trono a NVIDIA lança a tão esperada serie FX e, infelizmente, ela foi um grande fiasco. Excetuando-se a FX5200, que apesar da baixíssima desempenho foi a placa de vídeo mais vendida da historia, toda a linha FX perdia para suas concorrentes diretas da ATI. As principais características no NV30 são:

-Litografia de 130nm.

-Suporte a DDR, DDR2 e GDDR3.

A linha FX foi vendida sob os seguintes modelos:

-5200 (normal e Ultra) e 5300 para o mercado entry level.

-5500 e 5600 (XT, normal, Ultra e Ultra Ver.2) para o mercado mid/low end.

-5700 (VE, LE, normal e Ultra) e 5750 para o mercado mid-end.

-5800 (normal e Ultra) pra o mercado high-end.

-5900 (XT, normal e Ultra). Substitutas das 5800.

-5950 Ultra. Substituta da 5900 Ultra.

A NVIDIA teve muitos atrasos com o NV30 e esse foi um dos principais motivos do seu fracasso, alem disso os driver não eram dos melhores. Mesmo com novas revisões, como o NV34, 35 e 36, os chips NVIDIA não eram muito competitivos. Pela primeira vez a rainha NVIDIA havia perdido uma batalha, mas a guerra continuaria e muito mais intensa.

Imagens:

radeon9600prony7.th.jpg

(Radeon 9600 Pro)

geforcefx5200cc7.th.jpg

(Geforce FX 5200)

A volta por cima:

Movida pelo embalo do R300 a ATI decide continuar apostando no Direct3D 9. Com isso ela lança o R420, sob os modelos X***. O R420 era basicamente uma R300 com alguns refinos, com:

- Litografia em 130nm.

- 16 pixel shaders.

- 16 ROPs.

- 6 vertex shaders.

A aposta no Direct3D 9 no inicio se mostrou acertada, porém, após alguns meses percebeu-se a tendência do marcado em migrar para o Direct3D 9.0c que vinha com o shader model 3.0. Com isso a ATI perdeu muito mercado para a recém lançada serie 6 da NVIDIA. A placa mais poderosa dessa geração foi a X850XT PE, porém no segmento mid-end o velho R300 era utilizado e ele não foi o bastante para competir com a 6600GT. O R420 foi lançado sob esses modelos:

-X700 (normal, Pro e XT). Substitutas da X600 para o mercado mid-end.

-X800 (SE, GT, GTO, normal e GTO2, GTO-16, Pro, XL, XT e XT PE) para os mercados mid e high-end.

-X850 (Pro, XT e XT PE). Substitutas das suas respectivas X800 para o mercado high-end.

A NVIDIA, que vinha do erro chamado FX lançou uma serie que não prometia muito, mas que no fim, foi uma das mais bem sucedidas da história, a Serie 6.

Ao fim de 2004 é lançada a sexta geração de VGAs sob codinome Geforce. O superte, mesmo precário, ao Direct3D 9.0c foi um de seus principais diferencias.

As suas principais característica são:

- Primeiro chip com suporte a SLI.

- Primeiro chip com suporte a processamento de vídeo.

- Processo de construção de 130nm e de 110nm (para a 6600GT)

- 16 pixel shaders.

- 16 TMUs.

- 6 vertex shaders.

Os seus principais lançamentos foram:

- 6200 (normal, LE e Turbo cachê) e 6500 para o setor entry level.

- 6600 (normal, XL, LE e GT) pra o mercado mid-end.

- 6800 (LE, XE, XT, normal, GTO, GS, GT e Ultra) para o mercado high-end

Mesmo não tendo o melhor chip a serie 6 fez muito sucesso e ao contrario de seu concorrente (serie X***) é utilizado por muitas pessoas até hoje. Nessa geração a NVIDIA fez uma das mais bem sucedidas placas no quesito custo beneficio, a 6600GT. Ela tinha uma relação custo/benefício tão boa que chegou a enfrentar até a 9600Pro nesse quesito.

Imagens:

x850xtpexr5.th.jpg

(Radeon X850 XT PE)

6600gtdb6.th.jpg

(Geforce 6600GT)

O grande empate:

Devido ao sucesso do Direct3D 9.0c a ATI se rendeu a ele e em meados de 2005 lançou a famosa serie X1***. Seus modelos eram os seguintes:

- X1300 (normal, Pro e XT) e X1550 (SE e normal) para o mercado entry level.

- X1600 (Pro e XT) e X1650 (normal, Pro, GT e XT) para o mercado mid-end.

- X1800 (GTO, GTO Ver.2, XL, e XT) para os mercados mid e high end.

- X1900 (GT, GT Rev.2, XT, XTX) destinadas ao mercado high-end.

- X1950 (GT, Pro, XT e XTX) substitutas das suas variantes X1900.

No quesito entry level e mid-end essa serie não foi muito boa, porém no quesito high-end ela foi estupenda. A X1950 XTX foi a melhor placa dessa geração, sendo ultrapassada apenas pelas 7950GX2, uma placa com duas 7950GT em SLI.

Aqui a ATI não pode competir no mercado mid-end com a NVIDIA, tendo que lançar uma X1800 dedicada a esse mercado.

Para essa competição a NVIDIA lançou a serie 7, com um desempenho em Direct3D 9.0c melhorado em relação a serie 6. A serie 7 foi uma boa linha para a NVIDIA, porém em todos os quesitos ficou praticamente empatada com a serie X1*** da rival ATI. Ela foi lançada sob os seguintes modelos:

- 7300 (LE, GS e GT) para o segmento entry level.

- 7600 (GS e GT) para o segmento mid-end.

-7800 (GS, GT e GTX) para o segmento mid e high end.

-7900 (GS, GT, GTO, GTX e GX2) para o segmento high-end.

-7950 (GT e GX2). Substitutas de suas respectivas 7900.

Essa geração de VGAs foi marcada por dois motivos. O seu preço bastante elevado e a um empate entre as duas fabricantes.

A inércia da ATI:

No fim de 2006 a NVIDIA, cansada de empates, lançou a serie 8, a primeira a possuir os shaders unificados. O G80 reinou absoluto por quase 6 meses, até o lançamento fracassado do R600. porém, no que a serie 8 foi elogiada no segmento high-end, ela foi excomungada nos outros segmentos. O G84 (Geforce 8600) não obteve sucesso pois o seu desempenho não subiu muito como nas mid end anteriores. Desde a serie 6 todas as mid-end lançadas pela NVIDIA eram melhores que as High-end da geração anterior. A 8600 não conseguiu. O seu melhor chip, a GTS apenas empatava com a 7900GS (as vezes com a GT). No segmento entry level a 8500 (G86) também não obteva um bom desempenho, apenas empatando com a 7300GT (as vezes com a 7600GS). Quanto a 8400GS ela não merece ser citada, pois foi um verdadeiro fiasco.

A serie 8 da NVIDIA foi lançada sob os seguintes modelos:

- 8400GS e 8500GT para o mercado entry level.

- 8600 (GT e GTS) para o mercado mid-end.

- 8800 (GS, GT, GTS 320 e 640, GTX, GTS (G92) e Ultra) para o mercado high-end

A serie tinha preços bem elevados. A 8800 Ultra chegou a custar $700,00. porém no segmento mid-end (excluindo-se a 8600 GTS) e entry level os seus preços eram bons. O que fez muitas pessoas comprarem essas placas.

A revisão G92 foi concebida no fim de 2007 para ocupar a lacuna entre a 8600GTS e a 8800GTS 320, mas o que se viu foi o contrario, o chip era tão bom que, pela primeira vez a NVIDIA quebrou a sua nomenclatura e lançou uma placa com codinome GT melhor que outra GTS. No desempenho a 8800GT peitava a 8800GTS 640 (por metade do preço), a 8800GTS (G92) empatava com a GTX e a 8800GS conseguia ganhar da GTS 320. Ou seja, o G92 não conseguiu desempenhar o seu papel, fez melhor (para nós consumidores :D) fez os preços irem a um patamar nunca antes visto. Mas nisso o Rv670 ajudou.

Com a compra da ATI pela AMD o projeto da nova VGA da companhia atrasou e o R600 chegou 6 meses atrasado para a festa, alem disso seu desempenho não era melhor que o da 8800GTX, ele empatava com a GTS 640 e tinha um consumo elétrico bem maior. O R600 foi lançado sob os seguintes modelos.

- HD2400 (Pro e XT) para o mercado entry level.

- HD2600 (Pro e XT) para o segmento mid-end.

- HD 2900 (GT, Pro e XT) para o segmento high-end.

A HD 2400 XT, concorrente da 8400GS fez bem o seu papel, ganhava do G86 em todos os casos. No segmento entry level a HD2600Pro, concorrente da 8500GT, também fez o seu papel muitíssimo bem, ultrapassando aquela em todos os cenários. No segmento mid-end a HD2600XT competiu muito bem com a 8600GT, criando um empate técnico que as vezes era quebrado pela 8600GT. porém quando o segmento high-end entrava em cena a HD2900XT não era muito boa em jogos. Para cálculos sintéticos ela era um mostro, porém quando os filtro eram ativados o seu desempenho caia muito. Os tapa buracos HD2900 Pro e GT eram boas placas pelo que ofereciam, mais não foram vendidas em grandes volumes, já que eles eram concebidos por 2900XTs defeituosos.

Para ultrapassar essa má fase em novembro de 2007 a ATI lança o Rv670 um R600 com muitas melhorias, algumas delas são:

- Menor consumo de energia.

- Melhor gerenciamento de filtros.

- Um terço do preço do R600.

O Rv670 foi um sucesso e vendeu muitas unidades, mesmo não sendo uma arquitetura nova a ATI decidiu batizá-la com outro nome HD3***.

A HD3870 era praticamente o R600, porém com as melhorias apresentadas antes e com memórias GDDR4.

A HD3850 era uma HD3870 “capada” e com memórias GDDR3. Esse chip foi um dos maiores sucessos da época. Com um preço muito baixo e um desempenho soberbo vendeu muitas unidades. O seu irmão maior aproveitou a escassez do chip G92 durante o natal para vender, e como vendeu também.

Finalizando, o R600 foi um desastre, mas que rendeu um ótimo fruto, que foi o Rv670, um dos grandes responsáveis pela grande baixa de preços que ocorreram nos últimos tempos.

Imagens:

g80fy7.th.jpg

(G80)

r600tq3.th.jpg

(R600)

g92wx2.th.jpg

(G92)

rv670gm2.th.jpg

(Rv670)

>>> Continua...

Editado por Pedro Borges
Atualização do tópico

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
 

<<< Continuando...

Acuada com o grade sucesso do Rv670 e com poucas unidades do G92 a NVIDIA decide tomar duas providencias:

1ª: Aumentar drasticamente o numero de chips G92 fabricados e deixar de lado toda a produção do G80 e variantes.

2ª: Providenciar um G92 requentado com menos Shader Processors e consequentemente mais barato que o G92 para competir com a HD 3850. Esse foi batizado de G94.

As duas providencias surtiram um bom efeito o G92 inundou o mercado e o G94 mostrou uma performance soberba por um preço infimo. Na mesma faixa de preço da HD3850 ele tinha desempenho de uma HD3870. O G94 é conhecido comercialmente como 9600GT. A 9600GT se mostrou um custo beneficio muito melhor que o da HD3850, que na época pensava-se ser imbativel nesse quesito.

Como o mercado de VGAs é dinamico, não?? :D. Em um dia você tem o melhor produto e no outro acaba o seu sorriso...

Para combater o G94 só restou a ATI cortar os preços de seus chips, colocando a HD3870 no mesmo preço da 9600GT (entorno de $160,00) e deixando a HD3850 perto dos $100,00. Nunca tinha se visto tanto desempenho por tão baixo preço. Na metade de 2007 com $100,00 se comprava uma 8600GT. No inicio de 2008 com esse mesmo valor se comprava uma HD3850, muito, mas muito mais rapida que a 8600GT. A sorte da companhia vermelha foi o processo tecnico de 55nm que, mesmo com a substancial queda de preço dos seus chips, ainda garantiu os lucros da ATI.

também no mercado mid-end a NVIDIA renomeou a sua 8800GS de 9600GSO e a colocou para competir com a HD3850.

Com a briga esquentando no mercado mid restou atrair as atenções para o mercado Top. Para isso a ATI decidiu trazer ao presente um conceito a muito não usado, o de multi chip. O R680 era composto de dois Rv670 no mesmo PCB. O desempenho desse monstro chamado HD3870X2 era enorme, batendo de frente e vencendo, na maioria das aplicações, a famosa 8800Ultra.

Com esse lançamento a ATI reinou por dois meses como a rainha das VGAs, até o lançamento da 9800GX2, que ressucitou o conceito "sanduiche" da 7950GX2. A 9800GX2 era composta de duas 8800GTS 512 em dois PCBs "ensanduichados". O desempenho dessa placa ultrapassou o da já monstruosa HD3870X2, recolocando a NVIDIA no topo do ranking.

Depois de todos esses lançamento seguidos o mercado passa por um momento de calmaria, esperando o lançamento dos proximos carros chefes da empresa verde e da vermelha, o GT200 e o Rv770.

Infelizmente devo citar aqui a atitude da NVIDIA em remarcar a sua linha de VGAs sem nenhuma mudança profunda na arquitetura. Isso começou com a já citada 9600GSO, uma 8800GS renomeada, mas com as mesmas especificações, e que, segundo rumores, irá continuar com a sua linha 9800. Uma atitude ruim, mas que não tira o merito desse brilhante mercado (e dessa ótima briga) que são as placas graficas e dessas duas grandes empresas que nos fazem tão felizes no dia-a-dia.

Imagens:

g94ck7.th.jpg

(G94)

hd3870x2zo6.th.jpg

(HD 3870X2)

9800gx2jd9.th.jpg

(9800 GX2)

Acrescentado em 14/07/2008

Após a calmaria a NVIDIA prepara-se para lançar um monstro com 1,4 bilhão de transistores, o GT200. As especificações dle impressionavam. Esse GPU tinha tudo para ser o próximo G80, como eu disse tinha, pois após seu lançamento o mundo viu que esse montro gigantesco (construído em 65nm com controlador de memória 512bits), esquentadinho e consumista não batia a 9800GX2, e pior, por vezes não batia placas de gerações anteriores... Parece que já vimos essa história há exatamente um ano, com um cara chamado R600. Ele possuia, no papel tudo para bater a 8800GTX, mas conseguiu se posicionar apenas ao lado da 8800GTS 640MB...

O GT200 foi lançado em duas placas:

GTX 280- Carro chefe da NVIDIA, possuia TUDO o que o GT200 poderia oferecer.

GTX260- Difere do GTX 280 pela desativação de dois Clusters de processamento (24 SPs, alguns ROP e TMUs e 64bits do controlador de memória).

Alguns dias após o lançamento do GT200 a ATI mostrava-se confiante e lançou o RV770, o sucessor do sucesso RV670. Em relação ao RV670 o RV770 possuia algumas mudanças:

1ª: O numero de TMUs pulou de 16 para 40.

2ª: O número de transístores pulou de 666 milhões para 965 Milhões.

3ª: O número de SPs (Stream Processors) pulou de 320 para 800.

4ª: ROPS melhor desenhados.

Com essas mudanças a ATI concebeu um vencedor, o RV770 era muito melhor que o RV670. O desempenho dobrava com filtros ativados ou resoluções altas, os principais defeitos da geração anterior.

O RV770, seguindo o exemplo do seu irmão mais novo, foi lançado sob duas variantes:

HD4870- RV770XT com clocks maiores e memórias GDDR5.

HD4850- RV770PRO, clocks pouco abaixo do RV770XT e meórias GDDR3.

O desempenho desses GPUs foi tão bom que a HD4850 superava a 9800GTX (uma placa que custava $100,00 a mais) na maioria dos jogos e a HD4870 empatava ou ganhava da mais cara GTX260. Por tudo isso a NVIDIA se viu obrigada a tomar algumas decisões:

1- Abaixar o preço da 9800GTX a $200,00 (antes ela custava $330,00) para poder concorrer com a HD4850.

2- Apressar o lançamento do G92b (G92 gravado em 55nm) para trazer ao mundo a 9800GTX+ (9800GTX overclockada).

3- Abaixar o preço das placas equipadas com o GT200: GTX 280 cai em $100,00 e GTX260 em $60,00. Isso faz com que o GTX260 possa concorrer diretamete com a HD4870 e o GTX 280 fica preparado para o lançamento do R700.

4- Lançar uma GTX 260 com um SIMD core a mais, ou seja com 24 SPs a menos que a GTX 280.

Mesmo com todas essas providencias as placas da ATI permaneceram melhores, tanto em performance quanto em CustoxBeneficio. A 9800GTX+ conseguiu apenas empatar com a 4850 e a nova GTX260 ficou pouco superior a 4870, mas $50,00 mais cara.

R700...O R700 segue o mesmo conceito do R680 (HD3870X2): Dois RV770 num mesmo PCB, com memórias GDDR5 e um desenvolvimento na comunicação de dados entre os chips. Segundo slides preliminares da AMD/ATI o R700, no melhor dos casos, pode ser 80% melhor que o GTX280, mas a maioria dos especialistas espera algo entorno de 30%.

Após o lançamento desse monstro as previsões se confirmaram: Ele era MUITO mais rápido que o GTX280, era a ATI retomando a coroa 4 anos depois do famoso R300. A 4870X2 era a placa mais rápida de todos os tempos, ela surpreendeu até os engenheiros da ATI, que planejaram lançar uma HD4850X2, com memorias GDDR3 e com desempenho/preço igual ao da GTX280.

Nesse momento a ATI tinha a melhor placa acima dos $400,00, entre os $200,00 e $300,00 e entre os $150,00 e $200,00. Faltava apenas a fatia mais vantajosa do mercado: o mid/low-end.

Até esse momento, com a onda de renomeamentos, a NVIDIA dominava o mercado com a 9600GSO, a 9500GT e a 9400GT. Para combate-las a ATI concebeu o RV730 e o RV710.

O RV730 tinha caracteristicas parecidas com o do RV670, com menos TMUs, ele foi lançado sobre 2 modelos que diferiam apenas no clock:

1- HD4670- Concorrente da 9600GSO

2- HD4650- Concorrente da 9500GT

Enquanto a 4670 perdia da 9600GSO, mas custava menos, a 4650 ganhava da 9500GT custando o mesmo, aqui a ATI conseguiu ter um bom concorrente no mercado sub-$80,00

Porém, com esse lançamento a ATI deixou de atentar para uma das fatias mais lucrativas do mercado: Entre $80,00 e 150,00, essa fatia é dominada pela 8800GT (9800GT) e pela 9600GT. Nesse nicho o velho RV670 não tem poder para competir e a ATI precisa agir rápido se quer lucrar muito nesse mercado.

O RV710 era o mais fraco da familia R700, foi concebido para concorrer, e ganhar, da 9400GT. Quando for lançado o mercado se estabilizará e ai sim poderemos ver quem vencerá nessa geração.

Imagens:

gt200.th.jpg

(GT200)

rv7703q.th.jpg

(Rv770)

4850.th.jpg

(HD4850)

000546903nm0.th.jpg

(HD4670)

rv770vsgtxvspenrynbb9.th.png

(Comparação do tamanho dos núcleos)

Links interessantes:

http://forum.clubedohardware.com.br/relacoes-placas-video/357042

Link com a relação entre as placas de video.

http://forum.clubedohardware.com.br/veja-se-sua/526007

Tópico sobre o gargalo que processadores causam na placa de video.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Compara...A1fico_da_3dfx

http://en.wikipedia.org/wiki/Compari...ocessing_Units (em inglês)

http://en.wikipedia.org/wiki/Compari...ocessing_Units (em inglês)

Comparativo entre todas as VGAs dos respectivos fabricantes.

Bom espero que o tópico tenha sido interessante e não muito cansativo . Estou aberto a sugestões pra deixar esse tópico cada vez melhor. Tentarei atualiza-lo semestralmente com os lançamentos.

Grato pela atenção e colaboração,

Abraço

Pedro Borges

Agradecimentos ao Xita que me ajudou com a formulação e edição do tópico.

Editado por Pedro Borges
Arrumando links

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
 

Espaço Reservado 2

Editado por Evandro
Pedrão, era isso que vc queria ?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Nus, Parabéns Pedro, fico show o tópico.

Com a continuação dele bem que poderia ser fixado o tópico :D

Ta ai uma otima maneira de entender mais sobre a "guerra" e a evolução da tecnologia na parte gráfica :)

Parabéns de novo, abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pedro, eu que agradeço sua iniciativa e disposição pra elaborar este tópico, além da consideração. Já foi pra lista de destaque :D

Mas você parou de contar a história no começo do fervo da história heheheehe continua logo ^_^

Abrass !

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

To curioso pra saber o resto! Otimo trabalho mesmo, parabens! Acho que nem meus trabalhos da faculdade ficam assim kkkkk. o link do topico ja ta monitorado pra eu ficar vendo ele assim que for atualizado.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Parabéns pelo tópico Pedro Borges e todos os mederadores que permitiram e colaboraram com a criação do mesmo. Com esse artigo sobre placas de vídeo (e o do Marin também) o Fórum está se tornando referência nacional em hardware, devido ao conhecimento técnico de moderadoes e participantes do Fórum Clube do Hardware. Leitura obrigatória para qualquer um que queira conhecer o mínimo sobre placas de vídeo. Parabéns a todos novamente!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
 

Bom pessoal, obrigado pelos elogios :D. Vou tentar terminar a segunda parte logo para posta-la aqui. Obrigado novamente,

abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
 

Galera tópico atualizado. Desculpem a demora, mas eu ando muito acupado...Vestibular no fim do ano, dai vocês já sabem né :D. Bom esta tudo pronto. Qualquer erro me notifiquem. Grato pela colaboração e pela atenção,

abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Com a compra da ATI pela AMD o projeto da nova VGA da companhia atrasou e o R600 chegou 6 meses atrasado para a festa, alem disso seu desempenho não era melhor que o da 8800GTX, ele empatava com a GTS 640 e tinha um consumo elétrico bem maior. O R600 foi lançado sob os seguintes modelos.

- HD2400 (Pro e XT) para o mercado entry level.

- HD2600 (Pro e XT) para o segmento mid-end.

- HD 2900 (GT, Pro e XT) para o segmento hjgh-end.

Só um Errinho Básico de português.

Meu deus cara, eu li o tópico todo, quero mais! :D

Gostei muito, ***, acho que vou lê dnv. AUHeuhaUE.

Fico muito bom o seu Tópico, bem que podia ser fixado!

Ctrl + D :D

abs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pedro tu é roterista,cineasta não? deveria comprei até pipoca pra ver a continuação.

muito bom mesmo o tópico!

Obs; repondendo sobre a HX: é a melhor custo/benefício, muito boa e como o Danirava disse quenta até um SLI de Ultra!!!

t+

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito bom o tópico Pedro. Aguardaremos os próximos capítulos.

No quesito entry level e mid-end essa serie não foi muito boa, porém no quesito high-end ela foi estupenda. A X1950 XTX foi a melhor placa dessa geração, sendo ultrapassada apenas pelas 7950GX2, uma placa com duas 7900GT em SLI.

Ah, o certo não seria 7950 GT?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
 

wlv_striker obrigado pela correção, já ta arrumado :D.

guaimun valeu pelo elogio ai cara. Não sou cineasta nem roteirista não (não sei se você falou de brincadeira, mas já respondi :D).

r.fagioli já vi gente falando que eram duas 7900GT, GTX ou duas 7950GT. Dei uma pesquisadinha agora e ainda não achei uma solução. Se alguem ai tiver algum PDF da Nvidia passa ai pra mim arrumar ;).

Abraço a todos e obrigado pelos elogios.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Lindo tópico Pedro Borges... ;)

fiquei aqui todo saudosista e choroso lembrando das minhas antigas: GeForce MX440 64Mb (vendida) > Ati Radeon 7000 64Mb (guardada) > FX 5200 256Mb (vendida) > FX 5700 256Mb (queimada) e a minha atual X800 XT, e agora aguardando a hora certa pra comprar a minha 9600GT... :D:D:D

Parabéns cara!!! ^_^

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Parabens pelo tópico

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
 

Obrigado ai pessoal :D.

já vi gente falando que eram duas 7900GT, GTX ou duas 7950GT. Dei uma pesquisadinha agora e ainda não achei uma solução. Se alguem ai tiver algum PDF da Nvidia passa ai pra mim arrumar .

Alguem ai tem alguma informação concreta sobre a pergunta acima???

Abraço...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Parabéns pelo tópico que recapitula um pouco da história das vga´s.

Me fez lembrar da minha LGV-5446Tv de heróicos 2Mb e com sintonizador de TV, top top em 97/98 e cujos drivers/programa vinham em 6 disquetes e instalada num pc Pentium MMX 200Mhz huahuahua

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×