Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
Entre para seguir isso  
Redfield

[Resolvido] Solução para aterramento

Recommended Posts

Bom, venho aqui pedir uma sugestão sobre aterramento. A pouco tempo perdi uma placa mãe que foi danificada não pela corrente de força, mais por uma corrente que veio pelo cabo adsl devido a raios caidos pela região. Por incrível que pareça, apesar de o computador estar desligado e fora da tomada, tive este prejuizo devido a este cabo adsl por está conectado. A partir daí para minimizar futuros problemas a respeito, comprei um filtro de linha aconselhado para 220v, o FHT-1200 da upsai, e estou pensando em fazer um aterramento em minha casa, para isso li o tópico "Aterramento. Aterra... o que?" e fiquei por dentro dos tipos de aterramento existentes, mais isso me deixou confuso em alguns aspectos, por isso venho a pedir uma sugestão a respeito. Estou querendo fazer um aterramento que seria o chamado TT, enfiando uma haste de ferro no solo para o terra, mais esta seria realmente uma boa opção? Aqui a concessionária de energia é a Coelba, eu realmente não sei se o Neutro é aterrado e como li que poderia-se criar algum tipo de conflito entre Neutro e Terra gostaria de saber opiniões e sugestões a respeito. Grato por isso.

Um abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O neutro é sempre aterrado, mesmo que não localmente, abaixo do seu medidor de energia. Se esse for muito antigo, provavelmente não seja, mas em mal nenhum há, puxar o fio terra de uma haste aterrada, até o neutro do quadro de medição e dai partir o fio terra separadamente, na verdade deve ser assim para maior segurança, as linhas aterradas ficam em equipotencialidade, ficam num mesmo referencial de tensão, impossibilitando diferenças de potencial a qual poderia gerar queimas.

Na opção pela topologia TT há que se antes de tudo realizar medições na malha, essa deve ter uma impedância baixa, o que não é fácil de se conseguir em qualquer solo. Depois deve se utilizar um dispositivo na caixa de disjuntores, chamado de Dispositivo DR onde as fases e o neutro passam por ele, sendo que qualquer "vazamento" de corrente, daquela energia que entrou pela fase e não voltou para a origem, ou seja, pelo neutro, faz com que o circuito seja cortado, protegendo o usuário de choques. Num aterramento TT, se houver um grande "vazemento" pra uma carcaça de metal, mesmo que ela esteja atada num terra do tipo TT, a impedância dessa malha pode ser alta demais, dai a carcaça ainda poderá dar choques. E por ultimo, DPS tb na caixa de disjuntores ou um filtro de linha que possua proteção entre Neutro-Terra. Isso é exigido pra que descargas que provoque uma sobretensão entre essas linhas não atinja seu equipamento ou seja, a proteção equalizará momentaneamente essas duas linhas em caso de descarga atmosférica.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Não se idula com proteções para redes telefônicas que se resumem a apenas centelhadores a gás e varistores. O varistor possui um tempo de resposta de proteção na ordem dos 25ns, enquanto o segundo pode chegar a quase milisegundos.

A melhor proteção para rede telefônica é combinar os componentes PTC, MOV e SAD.

O PTC é na verdade um fusível rearmável cuja função é bloquear a corrente após um limite pré-determinado pela especificação do componente ou ainda em caso de alta temperatura. O PTC possui uma infinidade de aplicações e uma delas é controlar a corrente das portas USB de um computador.

O MOV é o varistor em si que permite absorver surtos e proteger os equipamentos.

O SAD é um diodo supressor de avalanche que permite proteção num tempo super pequeno (inferior a 1ps) com alta potência (1,5KW).

No mercado existem também outros componentes com proteção ainda melhor, como o TSPD (Tiristor de proteção contra surtos), mas com um custo mais elevado. O TSPD faz praticamente o mesmo do SAD, mas gera baixíssima atenuação de sinal em sistemas telefônicos com maior tráfego de dados.

No geral um protetor como o Isoray da Lábramo tem um tempo de resposta adequado e compatível com proteção Classe I (descargas diretas). Link para o protudo:

http://www.labramo.com.br/isoray04.htm

Existem vários projetos de filtros de linha para rede elétrica, mas nunca vi um projeto sequer para proteção telefônica. Iria ser de grande ajuda um projeto com proteção classe I.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu tinha um Labramo ISORAY que um varistor dele simplesmente pifou e deixou a proteção em curto e não abriu o fusivel, sei lá porque, o telefone só ficava com um chiado, aconteceu no momento em que o transformador da rua deu um pipoco e faltou a energia. O fio terra do protetor tava ligado no mesmo fio terra que sai do quadro de medição onde tb tenho DPS's... Não tava chovendo, nem tinha raios...

O varistor pode ser mais lento, mas teve um caso no forum Adrenaline que o protetor do filtro APC, que só usa varistores, protegeu o modem do cara. Caiu um raio nas proximidades, o fusivel da proteção telefonica foi pro espaço e o modem dos vizinhos dele queimaram, o dele q tava protegido só por varistor e fusivel, saiu ileso.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Não, Severino, não quisemos dizer isso e afirmo o contrário, pra uma residência a coisa nem é tão complexa, parece que é, mas nem tanto.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu uso aqui o Isolador Microsol, que parece dar conta do recado. Pelo menos, nunca tive problemas de choques, ou coisa parecida. Por outro lado, as caixas do micro quando são ligadas nele, e não na rede da Light, tem muito menos ruído.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

É uma caracteristica desse produto, você não é o primeiro caso. Realmente esse produto causa ruido nas caixas e é um gastador de energia. Eu só usaria em casos extremos, como numa UTI's, salas de exames mais invasivos, por exemplo onde choque elétrico causado por equipamentos conectados ao corpo humano é algo inaceitavel e o aterramento apesar de obrigatório, apresenta uma alta impedância pra não desligar os equipamentos de uma vez no caso de uma pane por curto circuito entre Fase-Aterramento. Nesses casos, inclusive em consultórios dentarios, é recomendado um transformador isolador.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Eu uso aqui o Isolador Microsol, que parece dar conta do recado. Pelo menos, nunca tive problemas de choques, ou coisa parecida. Por outro lado, as caixas do micro quando são ligadas nele, e não na rede da Light, tem muito menos ruído.

Esses módulos isoladores evitam choques elétricos, seja por contato direto ao fio ou através da carcaça do seu equipamento, o gabinete do PC.

Outras funções do aterramento como filtragem de ruídos (através de filtros), estabelecimento de um potencial 0V, escoar a energia estática, desviar surtos de tensão (através de protetores) não existem. Arrisco dizer que para o equipamento seria melhor sem o módulo isolador, ao menos teria um referencial 0V (o neutro) e teria lugar para escolar a energia estática (o neutro).

Surtos de tensão, principalmente raios, podem sim entrar pela rede telefônica ou de TV a cabo, é bastante comum, até mais que pela rede elétrica. Um modem ligado na rede telefônica é o suficiente para um surto atingir o PC e danificá-lo, mesmo que esteja desligado da rede elétrica.

Para proteger disso há protetores de surtos específicos para essas linhas, esses protetores são ligados na linha a ser protegida e em um aterramento de boa qualidade. No caso da não disponibilidade de aterramento atinge-se a mesma funcionalidade usando o neutro da rede elétrica, porém não sei dizer como fica a parte de segurança do usuário nesse caso.

Com o módulo isolador você consegue uma boa segurança para o usuário do PC, mas a proteção do equipamento é quase inexistente.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
É uma caracteristica desse produto, você não é o primeiro caso. Realmente esse produto causa ruido nas caixas e é um gastador de energia.

rau, só para esclarecer:

Eu disse que quando eu ligo as caixas de som no Módulo Isolador, o ruído é muito menor, e portanto a qualidade do som aumenta. Daí eu concluo que ele deve ter algum tipo de filtro de ruído.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
rau, só para esclarecer:

Eu disse que quando eu ligo as caixas de som no Módulo Isolador, o ruído é muito menor, e portanto a qualidade do som aumenta. Daí eu concluo que ele deve ter algum tipo de filtro de ruído.

Sim, ele filtra alguns ruídos, como qualquer outro transformador isolador. Mas também adiciona outros tipos de ruídos.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
O raio atravessou o modem, desligado, e torrou o micro. É isso ?

O modem estava ligado em um hub (minha internet é compartilhada e pertençe a um vizinho), meu computador estava desligado, porém com cabo de rede conectado a placa mãe, entendeu?

O neutro é sempre aterrado, mesmo que não localmente, abaixo do seu medidor de energia. Se esse for muito antigo, provavelmente não seja, mas em mal nenhum há, puxar o fio terra de uma haste aterrada, até o neutro do quadro de medição e dai partir o fio terra separadamente, na verdade deve ser assim para maior segurança, as linhas aterradas ficam em equipotencialidade, ficam num mesmo referencial de tensão, impossibilitando diferenças de potencial a qual poderia gerar queimas.

Na opção pela topologia TT há que se antes de tudo realizar medições na malha, essa deve ter uma impedância baixa, o que não é fácil de se conseguir em qualquer solo. Depois deve se utilizar um dispositivo na caixa de disjuntores, chamado de Dispositivo DR onde as fases e o neutro passam por ele, sendo que qualquer "vazamento" de corrente, daquela energia que entrou pela fase e não voltou para a origem, ou seja, pelo neutro, faz com que o circuito seja cortado, protegendo o usuário de choques. Num aterramento TT, se houver um grande "vazemento" pra uma carcaça de metal, mesmo que ela esteja atada num terra do tipo TT, a impedância dessa malha pode ser alta demais, dai a carcaça ainda poderá dar choques. E por ultimo, DPS tb na caixa de disjuntores ou um filtro de linha que possua proteção entre Neutro-Terra. Isso é exigido pra que descargas que provoque uma sobretensão entre essas linhas não atinja seu equipamento ou seja, a proteção equalizará momentaneamente essas duas linhas em caso de descarga atmosférica.

Obrigado _rau_ pela resposta. Meu objetivo por querer fazer o aterramento do tipo TT é devido ao medidor ser justamente dos antigos, que não possuem aterramento e também por ser algo que eu mesmo possa estar fazendo com um amigo meu já acostumado a fazer este tipo de coisa (mesmo não tendo conhecimento técnico a respeito). Não entendo muito bem, por isso peço a você que me explique, se eu colocar uma haste no solo do meu quintal, e ligar a ela um fio de 2,5 até a apenas uma tomada tripolar, e nesta tomada ligar um protetor deste: http://www.clone.com.br/db/detalhes_prod.asp?detalhe=01019 e neste o Upsai FHT-1200, isso poderia melhorar a proteção de minha TV,DVD, Home Theater e Computador ou piorar a situação? Desejo fazer este tipo de aterramento, infelizmente não disponho de dinheiro para pagar um técnico especializado neste tipo de coisa, mais desejo aumentar a segurança. O que você pode me dizer a respeito, alguma sugestão?

Existem vários projetos de filtros de linha para rede elétrica, mas nunca vi um projeto sequer para proteção telefônica. Iria ser de grande ajuda um projeto com proteção classe I.

Concordo com você, seria muito bom um projeto deste nível.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Guia prático de aterramento:

http://br.geocities.com/nery_prado/Guia_Pratico_de_Aterramento.pdf

Seria bom o rau, o faller e o leohartmann avaliarem este guia.

Eu o achei muito bom.

Não li todo o documento, já havia visto ele outra vez, mas vou dar minha opinião:

Ensina a fazer um aterramento de topologia errada (TT) para a função que se destina. Os testes foram recomendados não são ideais, não garantem muito, muito menos a eficiência do aterramento.

Não me agradou não, entre um aterramento como indicado nesse documento e nenhum aterramento, prefiro nenhum aterramento.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Não li todo o documento, já havia visto ele outra vez, mas vou dar minha opinião:

Ensina a fazer um aterramento de topologia errada (TT) para a função que se destina. Os testes foram recomendados não são ideais, não garantem muito, muito menos a eficiência do aterramento.

Não me agradou não, entre um aterramento como indicado nesse documento e nenhum aterramento, prefiro nenhum aterramento.

Mas então quais seriam os testes para garantir a eficiência do aterramento ?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Se eu entendi direito, seria correto afirmar que não há uma solução simples para o problema do aterramento ? E que na dúvida, seria melhor deixar como está ?

Continuo com essa impressão !

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Mas então quais seriam os testes para garantir a eficiência do aterramento ?

O único modo confiável que conheço de testar um aterramento é com um terrômetro, porém não conheço o funcionamento deste. Acho que* o _rau_ pode explicar melhor isso para você.

Um aterramento equipotencializado, no padrão TN-S, chega a dispensar testes, uma vez bem executado o funcionamento é muito bom, a resistência muito baixa, tornando a necessidade de realizar testes muito pequena.

Nesse padrão você aproveita a rede de aterramento da companhia de energia, o mesmo que ela usa como neutro da rede, que é de baixa resistência para permitir o funcionamento correto da rede elétrica.

Continuo com essa impressão !

Com certeza o modo mais fácil é não fazer nenhum aterramento, mas em uma residência não é tão difícil assim para fazer um aterramento TN-S.

Veja um esquema de como deve ser feito um aterramento:

instalacao.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Guia prático de aterramento:

http://br.geocities.com/nery_prado/Guia_Pratico_de_Aterramento.pdf

Seria bom o rau, o faller e o leohartmann avaliarem este guia.

Eu o achei muito bom.

Obrigado pelo Link, este era justamente o método que iria usar, é um aterramento do tipo TT muito usado por técnicos em informática. Minha dúvida se resume aos problemas que isso pode causar, leia o tópico "Aterramento... aterra o quê?" criado pelo colega _rau_ e você irá entender. Este método pode ser como o que as pessoas usando estabilizadores imaginam segurança, mais na realidade pode ser que não exista nada de seguro e funcional.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
rau, só para esclarecer:

Eu disse que quando eu ligo as caixas de som no Módulo Isolador, o ruído é muito menor, e portanto a qualidade do som aumenta. Daí eu concluo que ele deve ter algum tipo de filtro de ruído.

Perdão, entendi errado! É que tem um caso lá no forum do Adrenaline de ruidos gerados nas caixas de som ao liga-las no modulo isolador e já li mais um outro caso...

--------------------

Obrigado _rau_ pela resposta. Meu objetivo por querer fazer o aterramento do tipo TT é devido ao medidor ser justamente dos antigos, que não possuem aterramento e também por ser algo que eu mesmo possa estar fazendo com um amigo meu já acostumado a fazer este tipo de coisa (mesmo não tendo conhecimento técnico a respeito). Não entendo muito bem, por isso peço a você que me explique, se eu colocar uma haste no solo do meu quintal, e ligar a ela um fio de 2,5 até a apenas uma tomada tripolar, e nesta tomada ligar um protetor deste: http://www.clone.com.br/db/detalhes_prod.asp?detalhe=01019 e neste o Upsai FHT-1200, isso poderia melhorar a proteção de minha TV,DVD, Home Theater e Computador ou piorar a situação? Desejo fazer este tipo de aterramento, infelizmente não disponho de dinheiro para pagar um técnico especializado neste tipo de coisa, mais desejo aumentar a segurança. O que você pode me dizer a respeito, alguma sugestão?

Concordo com você, seria muito bom um projeto deste nível.

Olha, recomendo que deixe sem aterramento se é pra adotar o tipo TT. As desvantagens são maiores se não for executado utilizando as proteções adequadas em conjunto. DPS + DR.

Esse protetor da Clone não resolve de nada para as questões da topologia TT.

A única vantagem em fazer do jeito que você ta querendo fazer é que seu PC vai parar de dar choquinhos na carcaça, mas quando esse aterramento for realmente exigido, como uma curto entre Fase-Terra, ele não vai responder adequadamente. E se um raio cair nas proximidades, esse aterramento vai piorar as coisas porque o grandiente de energia no solo, injetado pelo raio, vai criar uma diferença de potencial elétrico entre sua haste isolada e a malha de neutro da rede elétrica. Isso é desastroso porque dentro das fontes as linhas neutro e terra passam próxima uma da outra, o que facilita a criação de um arco voltaico e logo, queimas, durante uma tempestade elétrica. Há o fato tb de que neutro e terra dentro da fonte, estão atados por capacitores e eles podem não aguentar a corrente derivada do surto entre essas duas malhas isoladas. Malha únca e equipotencializada, impossivel de haver circulação de corrente.

Guia prático de aterramento:

http://br.geocities.com/nery_prado/Guia_Pratico_de_Aterramento.pdf

Seria bom o rau, o faller e o leohartmann avaliarem este guia.

Eu o achei muito bom.

Já tinha visto esse guia e tem um outro muito "famoso" tb que inclusive é fácil de achar no google, acho que da revista Saber Eletrônica, que recomenda o terra TT. Mas ambos textos estão errados. A revista saber eletrônica é conhecida por algumas matérias duvidosas - Informação me dada pelo Marcos_piracicaba, aqui do forum.

Eletrônica e elétrica são áreas diferentes. Quando uma pessoa que só tem conhecimento em eletrônica e se mete a falar de elétrica, já viu. O mesmo ocorre com o contrário.

O aterramento TT só é recomendado tomando as devidas precauções e para equipamentos de audio/video - vide o site do Jorge Knirsch os artigos sobre aterramento, ele vai explicar o porquê disso.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Olha, recomendo que deixe sem aterramento se é pra adotar o tipo TT. As desvantagens são maiores se não for executado utilizando as proteções adequadas em conjunto. DPS + DR.

Esse protetor da Clone não resolve de nada para as questões da topologia TT.

A única vantagem em fazer do jeito que você ta querendo fazer é que seu PC vai parar de dar choquinhos na carcaça, mas quando esse aterramento for realmente exigido, como uma curto entre Fase-Terra, ele não vai responder adequadamente. E se um raio cair nas proximidades, esse aterramento vai piorar as coisas porque o grandiente de energia no solo, injetado pelo raio, vai criar uma diferença de potencial elétrico entre sua haste isolada e a malha de neutro da rede elétrica. Isso é desastroso porque dentro das fontes as linhas neutro e terra passam próxima uma da outra, o que facilita a criação de um arco voltaico e logo, queimas, durante uma tempestade elétrica. Há o fato tb de que neutro e terra dentro da fonte, estão atados por capacitores e eles podem não aguentar a corrente derivada do surto entre essas duas malhas isoladas. Malha únca e equipotencializada, impossivel de haver circulação de corrente.

Novamente agradeço pela resposta. Gostaria que deixasse claro que este tipo de aterramento sem as devidas proteções (DPS + DR) é apenas um mito imaginário de segurança. Vemos isso o tempo todo, muitos dos meus colegas fazem isso e se enganam em imaginar segurança. Agora, se eu quiser adotar este método TT e adotar as proteções DPS e DR, quais os produtos que devo comprar, e é possível ser feito por um usuário como eu? Estava pensando em pedir a concessionária de energia um medidor novo daí se estas proteções não forem tão caras farei o possível pra adquiri-las e instala-las. Abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu no seu lugar fazia um aterramento perto do padrão de energia, se possivel, puxava o fio até dentro do padrão, abre um furinho embaixo. Liga ele no fio neutro com um conector adequado chamado de parafuso fendido ou no parafuso que o neutro fica preso na caixa metalica e dai faz como indicado no meu topico sobre aterramento, tem imagens lá.

A instalação do DR tem algumas implicações:

1 - O DR é inimigo de gambiarra.

2 - O DR não funciona com qualquer chuveiro elétrico, geralmente só com os de resistência blindada, mas dependendo do nível de resistividade da água, é possivel operar com modelos apenas com selo "Compatível com DR".

3 - Não pode haver fugas elétricas. Numa instalação elétrica há algumas pequenas fugas naturais, seja por capacitâncias em fontes chaveadas ou por alguma indução elétrica na fiação, mas essa fuga não pode ser superior à 50% do valor nominal do DR que é de 30mA.

4 - O DR deve ser dimensionado de acordo com a corrente total prevista ou seja, se o disjuntor geral da casa, geralmente no medidor, for de 40A, o DR tem que ser de 40A ou maior. O DR deve ser de corrente nominal sempre maior ou igual ao disjuntor geral. A corrente de disparo do DR, dada em miliamperes (mA) deve ser de 30mA. Um de 100mA é o suficiente para proteção contra choques em aterramento TT, mas não serve para contatos direto em pinos de tomadas por exemplo ou num fio desencapado.

5-Um equipamento com fuga vai provocar disparo do DR. Um fio desencapado tocando em qualquer ponto condutor, tipo uma caixa de tomada que seja metalica, vai provocar seu disparo. Ou um parafuso de "espelho" de tomadas que perfurou a capa de um fio, o DR consegue detectar isso tb.

Esses são apenas são pontos gerais da instalação do DR. Há vários detalhes da instalação que deve ser visto para que o mesmo não fique disparando à toa.

Quanto o DPS, esse é fácil, basta instalar entre neutro e terra, na caixa de disjuntores ou mesmo usar por exemplo um filtro da Upsai ou APC ou um Clamper Computer Protector PRO, ja que esses possuem DPS entre Neutro-Terra. Mas é recomendado que se instale um proprio pra Neutro/Terra direto na caixa de disjuntores. A Clamper tem esse dispositivo - VCL Slim para N/PE.

O DR seria para a proteção contra choques. Uma falha entre uma Fase com a massa do equipamento seria instantaneamente detectada pelo DR e logo ele desligaria o circuito.

O DPS seria proteção contra surtos de tensão e geralmente é instalado entre Fase(1 por fase)-Neutro e Neutro-Aterramento.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Eu no seu lugar fazia um aterramento perto do padrão de energia, se possivel, puxava o fio até dentro do padrão, abre um furinho embaixo. Liga ele no fio neutro com um conector adequado chamado de parafuso fendido ou no parafuso que o neutro fica preso na caixa metalica e dai faz como indicado no meu topico sobre aterramento, tem imagens lá.

A instalação do DR tem algumas implicações:

1 - O DR é inimigo de gambiarra.

2 - O DR não funciona com qualquer chuveiro elétrico, geralmente só com os de resistência blindada, mas dependendo do nível de resistividade da água, é possivel operar com modelos apenas com selo "Compatível com DR".

3 - Não pode haver fugas elétricas. Numa instalação elétrica há algumas pequenas fugas naturais, seja por capacitâncias em fontes chaveadas ou por alguma indução elétrica na fiação, mas essa fuga não pode ser superior à 50% do valor nominal do DR que é de 30mA.

4 - O DR deve ser dimensionado de acordo com a corrente total prevista ou seja, se o disjuntor geral da casa, geralmente no medidor, for de 40A, o DR tem que ser de 40A ou maior. O DR deve ser de corrente nominal sempre maior ou igual ao disjuntor geral. A corrente de disparo do DR, dada em miliamperes (mA) deve ser de 30mA. Um de 100mA é o suficiente para proteção contra choques em aterramento TT, mas não serve para contatos direto em pinos de tomadas por exemplo ou num fio desencapado.

5-Um equipamento com fuga vai provocar disparo do DR. Um fio desencapado tocando em qualquer ponto condutor, tipo uma caixa de tomada que seja metalica, vai provocar seu disparo. Ou um parafuso de "espelho" de tomadas que perfurou a capa de um fio, o DR consegue detectar isso tb.

Esses são apenas são pontos gerais da instalação do DR. Há vários detalhes da instalação que deve ser visto para que o mesmo não fique disparando à toa.

Quanto o DPS, esse é fácil, basta instalar entre neutro e terra, na caixa de disjuntores ou mesmo usar por exemplo um filtro da Upsai ou APC ou um Clamper Computer Protector PRO, ja que esses possuem DPS entre Neutro-Terra. Mas é recomendado que se instale um proprio pra Neutro/Terra direto na caixa de disjuntores. A Clamper tem esse dispositivo - VCL Slim para N/PE.

O DR seria para a proteção contra choques. Uma falha entre uma Fase com a massa do equipamento seria instantaneamente detectada pelo DR e logo ele desligaria o circuito.

O DPS seria proteção contra surtos de tensão e geralmente é instalado entre Fase(1 por fase)-Neutro e Neutro-Aterramento.

Estava pensando no seguinte, pedir a concessionária de energia daqui de meu estado para trocar a caixa de medição para uma atual, já liguei para ela e esta troca custa um valor pequeno que será descontado em parcelas na conta de luz. Como estes novos medidores já são instalados com um aterramento, após a instalação pediria a um eletricista para instalar os dispositivos que você recomendou para DPS, o VCL Slim para N/PE entre o Neutro-Aterramento, e como já possuo o filtro FHT-1200 da Upsai que também contém esta proteção fico tranqüilizado. O que quero saber mesmo é se instalando uma haste cobreada em meu quintal e ligando a ela o fio até o Neutro-Aterramento seria recomendável, qual dispositivo DR você aconselha para compra e como é feita a instalação (pois acredito que precisarei explicar isso ao eletricista). O esquema é este abaixo, peço que dê uma olhada na imagem para entender melhor. Até!

post-338035-13884951693997_thumb.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Se você usar o mesmo aterramento do padrão, derivando um fio para o aterramento ali da caixa, não precisará do DPS entre Neutro e Terra, a não ser que o padrão fique muito distante da casa em si, tipo mais de 10 metros. Os DPS podem ser instalados entre Fase-Terra o Fase-Neutro nesse caso.

Pra ligar a haste do quintal até a haste do neutro, deveria ser por baixo da terra com cordoalha. Cordoalha é um cabo grosso cobreado. Nã recomendo fazer da forma q você tá mostrando ai na imagem, usa só a haste que a CIA Elétrica de prover.

O DPS Entre N-Terra deve ficar o mais proximo do equipamento possivel, geralmente na caixa de disjuntores ou na proteção final, no filtro de linha.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Visitante
Este tópico está impedido de receber novos posts.
Entre para seguir isso  





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×