Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
Rafaa1

Lista de Serviços desnecessários para o Windows

Recommended Posts

Bom dia,

Sempre quando eu instalo o Win7 em alguma máquina, faço uma "limpeza" nele. Costumo desabilitar alguns serviços. Para isso, aperte "Win"+"R" e digite services.msc (ou serviços).

O que costumo desativar e consequentemente ganhar uns 100MB de memória é:

-Agendador de Tarefas (só pelo msconfig)

-Acesso a dispositivo de Interface Humana

-Central de segurança

-Configuração da Área de Trabalho Remota

-Desfragmentador de Disco

-Experiência com aplicativo

-Firewall do Windows (nunca será bom... Ainda por cima acho firewall desnecessário)

-Gerenciador de conexão de acesso remoto*

-Gerenciador de conexão de acesso remoto automático*

-Office Sourge Engine

-Registro Remoto

-Roteamento e Acesso Remoto*

-Serviço de compartilhamento de rede do WMP

-Serviço de entrada de TabletPC

-Serviços de área de trabalho remota

-Telefonia*

-Windows CardSpace

-Windows Defender

-Windows Remote Management

PS: Arquivos marcados com * se não me engano dizem respeito ao "discador" do windows, aquele que coloca login e senha do provedor pra autenticar a internet caso seu modem não consiga fazer isso.

E vocês? Tem alguma dica?

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Rafaa1, minha dica é complementar à sua. No site Black Viper, que conheci nos tempos de Windows XP, o cara apresenta listas de praticamente todos os serviços dos sistemas operacionais e de quais podem ter suas configurações alteradas. Ele descreve o que cada um faz, eventuais relações com outros serviços, a situação deles em cada edição do OS e dá as opções de mudanças em três níveis: Safe, Tweaked e Bare-bones, indo de alterações mais seguras até as mais extremas.

Até hoje é o guia mais abrangente que conheço sobre o assunto. Infelizmente, ainda não encontrei um equivalente em português.

Atualização

Desde a primeira vez que usei as instruções do Black Viper e apesar de bastante conhecimento de inglês, minha dificuldade sempre foi a equivalência dos nomes dos serviços em português do Brasil, o que me custava um bom tempo de procura na lista. O pior: alguns serviços eu simplesmente não conseguia achar, e no caso de poderem ter sua configuração alterada, eu era obrigado a esquecer.

Hoje, após responder aqui, fiz uma busca sobre a correspondência entre os serviços em inglês e português e achei um site de Portugal falando de um programa chamado ServicesSuite. Logo de cara fiquei chateado, pois o site do produtor do software tá em alemão. Então busquei mais até achar um site em inglês, e só então me senti à vontade pra baixar o programa. E aí tive uma ótima surpresa, ao abri-lo pela primeira vez: tudo em português do Brasil!

Agora vou checar se a lista dos serviços é completa e a tradução, perfeita, além de testar o software em si. Um detalhe: em outro site em alemão se diz que o "contra" dele é exigir usuários mais experientes... (aqui usei o Tradutor do Google =)

Espero que o ServicesSuite ajude muitos como eu. Em tempo: ele é portátil, não precisa de instalação. E vale sempre a recomendação: criar um ponto de restauração antes das mudanças.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Para mim, as dicas do Black Viper estão de bom tamanho, porque sempre gostei de usar o Windows em inglês. O motivo inicial acho que não se aplica mais: muitos anos atrás, viajei aos EUA, comprei uma placa de vídeo e o driver dela não funcionou de jeito nenhum no Windows (3.1 na época!) em português. Acho que a arquitetura do Windows mudou e isso já não ocorreria. Anos depois, eu trabalhava com o Windows 2000 numa empresa quando saiu o SP4 para aquele sistema - mas só em inglês. O Service Pack só saiu para o sistema em português quase um mês depois. Hoje também a Microsoft deve ter sincronizado isso. Mas em todas as empresas onde trabalhei, usavam Windows em inglês, porque usavam uns pacotes muito especializados e caros e queriam eliminar ao máximo quaisquer possibilidades de incompatibilidade. Hoje vejo outra vantagem: quando tenho algum problema, posso postar minhas dúvidas nos fóruns internacionais, geralmente muito mais completos e que dão mais e melhores respostas, e dar as mensagens de erro exatas ou mesmo colocar capturas de tela. Então, às vezes nem sei o nome de algum recurso em português, porque nunca vi uma tela com o nome dele...

Agora, há um núcleo comum de serviços completamente desnecessários, mas há outros serviços que dependem do tipo de utilização que cada usuário faz do sistema. Por exemplo, eu não desativo o Agendador de Tarefas (ou "Task Scheduler", no meu caso) porque tenho vários programas que o utilizam para executar suas tarefas. Mesmo assim, vale fazer uma limpeza nele, pois há várias tarefas inúteis ou incômodas que o sistema faz e que você pode passar sem. Por outro lado, tenho um único PC e nenhuma conexão de rede, a não ser a Internet. Por isto, desativo todos os serviços de rede local, NetBIOS, Servidor e Workstation. Além de eu não precisar deles, são menos uma porta de entrada para malware - quanto menos, melhor. Mas um usuário que tenha dois ou mais PCs e os ligue em rede, ainda que apenas esporadicamente, não pode fazer isso.

Há quem diga que desativar esses serviços não dá nenhum impacto perceptível no sistema. Pode ser, até acredito que a diferença no desempenho seja muito pequena, mesmo. Mas acho que você ganha muito em segurança, fechando portas de entrada para malware e invasões do seu sistema. Quanto menos coisas houver que possam oferecer brechas para "exploits", melhor. E quanto menos coisas estiverem interagindo com o sistema num nível muito íntimo, como todo serviço, por sua própria natureza, faz, menor a chance de você ter instabilidade no seu sistema.

.

.

  • Curtir 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×