Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
faller

Devo alimentar o PC em 110 ou 220 Volts???

Posts recomendados

(Esse texto ai abaixo não é novo.. Foi redigido ainda em 2008, em outro Fórum onde não mais opero e portanto vou por bem trazer o mesmo para o Clube do Hardware, para ficar mais a mão, para referência)Faller

Devo alimentar o PC com 110 ou 220 Volts??

Esse questionamento só tem sentido para aquelas pessoas que tem a distribuição de energia de sua cidade feita na tensão de 220 Volts. Para todos os demais não tem a menor dúvida, alimente-o na tensão da rede elétrica da tomada, nos 110, ou 115 ou 120, o que seja...

É impressionante a quantidade, e ai não tenho estatística formal mas tenho a percepção, a quantidade de pessoas que, em tendo a alimentação em 220 Volts trata de rebaixar essa tensão para 115 Volts para então alimentar seu PC, monitor, impressora e demais equipamentos.

Inicialmente saiba que o Brasil é uma colcha de retalhos se for considerada a tensão de alimentação, 110 ou 220 Volts. Já procurei se existe uma regulamentação que rege essa distribuição, dentro do Brasil, para definir onde a alimentação das habitações seria em 110, (127 volts) ou em 220 Volts. Não achei nada a não ser uma característica de herança, de legado histórico.

O Brasil, um país relativamente novo e comercial, industrial e tecnologicamente dependente de outros em seus primórdios (ainda hoje), eletricamente falando, dependente das mais diversas companhias que se aventuravam na geração/distribuição da eletricidade. Pois cada uma dessas companhias que aqui aportavam traziam de sua origem as melhores práticas e topologias de geração/distribuição. Desse modo certamente as empresas que dos EUA vinham traziam a distribuição em 110 Volts como é de praxe em seu país. As companhias européias traziam um legado de distribuição em 220 Volts, e assim por diante.

Resultado: Essa colcha de retalhos que até já foi pior quando se tinha geração em 50 Hz e 60 Hz, em outros tempos... Uma verdadeira zona, sem possibilidade de integração...

Em meu estado (RS), por exemplo, na capital e algumas outras cidades da região metropolitana a tensão de distribuição de baixa é de 127 Volts enquanto massivamente o interior essa tensão é de 220 Volts, fase neutro. Certamente em cada estado essa colcha recebe diferentes remendos e desenhos.

Pois é para aqueles usuários que tem 220 Volts na tomada de sua casa que estou falando agora. Também historicamente os equipamentos de informática que aportam no Brasil são fortemente derivados da cultura USA, aonde se adota a distribuição em 115 Volts. Lembro ainda da época em que todos os monitores (CRT) era alimentados somente por 115 Volts. Isso tudo acabou criando uma cultura de transformar os 220 Volts em 110 antes de alimentar os equipamentos de informática. A informática por algum tempo também era tratada como uma área "intocável", de comportamento frágil. Os computadores maiores tinham que obrigatoriamente trabalhar em ambientes com condicionamento de ar, etc.. Isso dai também ajudou a forçar a necessidade ou a cultura de transformar os 220 em 110 antes de alimentar os equipamentos de informática. O "medo" dos 220 Volts, uma tensão talvez muito elevada para PC´s quem sabe, na cabeça do usuário típico de informática.... Mitos se criam do nada e tomam conta, viram cultura e acabam apendando essas idiotices no DNA dos futuros usuários..

Tecnicamente falando tem uma boa diferença, em uma instalação aonde são supridos pela tomada 220 Volts, alimentar o PC direto na tomada ou rebaixar para 110 para então alimentar o PC e periféricos.

Não existe correto ou errado nessa discussão. Existe sim o mais indicado, ou mais econômico, ou mais simples, e é isso que quero explorar.

A alimentação em 220 volts já por si só faz com que as correntes envolvidas sejam a metade do que seriam, para a mesma potência, se comparada com a alimentação em 110 Volts. Isso dai já é uma boa dica para bem alimentar em 220 Volts mesmo. Claro que o equipamento necessita ter a condição de poder operar nessa tensão de 220 Volts. Hoje existe uma tendência dentro dos equipamentos da faixa de potência da qual estamos falando que é a de poder ser alimentado com qualquer tensão de 90 a 270 Volts, ou de 100 a 240 Volts com tolerância de mais ou menos 10%, dá na mesma. Isso é chamado de entrada Full Range ou Entrada de tensão Universal. Mas não é só por causa das correntes mais baixas que a alimentação em 220 Volts é mais adequada para quem pode dispor dessa condição.

Uma fonte típica de PC tem o seguinte diagrama de blocos para que se entenda melhor sem necessitar aprofundar a análise:

Voltagedoubler_GabrielTorres.jpg

Veja lá, na entrada, se setada para 220 Volts a rede vai direto aos retificadores da fonte. Se setada para 110 Volts, se faz necessário a colocação de um dobrador de tensão para resgatar os 220 Volts que a fonte necessita para bem operar. A fonte do PC é concebida para operar em 220 Volts, in natura. Quando alimentada em 110 volts ela tem que gastar alguma energia para buscar novamente a tensão de 220 Volts.

Mesmo modernas fontes com PFC ativo, que não tem portanto a chave seletora de tensão, e que operam desde 90 VAC até 265 VAC. Elas não tem dobrador de tensão mas sua eficiência é maior quando operam em 220 Volts. Veja ai, a diferença não é muito grande mas é energia colocada fora, do modo muito burro, se já tinhas 220 rebaixar para 110 para alimentar uma fonte dessas:

CorsairVX450_Eficincia.jpg

Está ai a minha defesa da tese do bem alimentar uma config direto nos 220 Volts, quando essa é a tensão de sua tomada. Inexplicavelmente a grande maioria dos usuários de informática, moradores daquelas partes do Brasil aonde a alimentação é 220 Volts providenciam o rebaixamento dessa tensão para os 110 Volts, e para tal perdem alguma energia, perda essa que pode chegar a 10% da potência envolvida, para depois novamente a fonte de seu PC gastar mais um pouco de energia recuperando esses 220 Volts que originalmente estavam lá, de graça, disponíveis na tomada da parede.

Ai a expressão que usei acerca do modo correto ou errado de fazer a coisa passa a ter um pouco de sentido e, se poderia dizer, em nome da economia, da simplicidade, do custo, que o modo correto seria alimentar toda a sua config diretamente em 220 Volts, se essa tensão estiver disponível, e se seu equipamento tolerar.

Isso não quer dizer que você usuário de distribuição em 110 Volts vá providenciar que seu PC tenha uma tomada de 220 Volts para alimentar o mesmo. Muito menos colocar ai um transformador para conseguir isso. Desde o início falamos que esse papo todo somente serviria para aqueles usuários que, alimentados em 220 Volts, rebaixam a tensão para somente então colocar ali seu PC e periféricos.

Essa também é uma das explicações da tamanha popularidade dos estabilizadores que, em sua absoluta maioria, fazem essa conversão de 220 para 110 Volts. Pois saibam que esse tipo de dispositivo não é nada comum em outros locais no mundo.. Só aqui no Brasil.

Também os no-breaks mais comuns são aqueles que alimentados na entrada por 220 Volts somente geram saída de 115 Volts, forçando desse modo que sua config fique alimentada sempre com esses 115 Volts AC.

Pois saiba que os no-breaks também existem nas configurações 220 na entrada e 220 Volts na saída. Talvez mais difíceis de encontrar, mais raros, até por que esse aculturamento de alimentar em 110 Volts seu PC faça com que os lojistas mantenham em estoque somente esses. Sem demanda não existe a oferta...

E o que devo fazer se algum dispositivo só aceitar alimentação de 120 Volts??? Um modem por exemplo?? Resolva o caso dele, coloque um autotransformador de 220 para 110 volts na potência adequada para ele, no caso de um modem por exemplo, nada mais do que 20 a 30 Watts. Simples.

Então, sem mitos nem cultura legada, se você tem uma alimentação na tomada em 220 Volts, comute todos os seus equipamentos para se capacitarem a alimentação em 220 Volts, e ligue-os ali tranquilamente. A Europa toda, por exemplo, é alimentada com 230 Volts. Fosse inseguro não seria utilizado... Aliás, a maior parte do mundo, em área, é alimentado em 220 Volts

Mapadastenses_wikipdia.jpg

Mapa de tensões (Wikipedia).

Quanto à proteção. Use uma boa régua de proteção contra surtos e filtro de linha. Um bom aterramento também faz parte do aconselhamento ai nessa hora, e, não pense que é o estabilizador, seja ele rebaixador ou não, que lhe dá essa proteção pois não dá. Estabilizador é um elemento totalmente desnecessário na sua configuração, as fontes modernas dão conta do recado de modo muito mais eficaz.

  • Curtir 6

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Feller, vou deixar uma sugestão aqui: seria interessante você incluir aí também os casos de fontes com PFC ativo, demonstrando porque nmesmo em fontes com PFC esse rebaixamento de tensão não compensa.

E fica também uma outra pergunta: por que os fabricantes de estabilizadores e de nobreaks ainda teimam em fazer tais aparelhos com saída de 110 V, mesmo quando ligado em 220 V?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito Bom !

Realmente, essa questão de estabilizador é um mito que muitas pessoas acreditam, algumas até se recusam a não usar, pois acreditam estar "mais seguros" contra descargas na rede..., alem de usarem somente em 110 v, como se o computador fosse uma áquina totalmente ultrapassada que não suportaria nem uma tensão maior.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Feller, vou deixar uma sugestão aqui: seria interessante você incluir aí também os casos de fontes com PFC ativo, demonstrando porque nmesmo em fontes com PFC esse rebaixamento de tensão não compensa.

E fica também uma outra pergunta: por que os fabricantes de estabilizadores e de nobreaks ainda teimam em fazer tais aparelhos com saída de 110 V, mesmo quando ligado em 220 V?

Aceita a ideia e providenciada..

Quanto ao maldito beiço torto, de o estabilizador rebaixar de 220 para 110, se sabe a origem que foi certamemente a dependência tecnológica e aproximação mercadológica do Brasil com os EUA, que recebia equipamentos tfodos para 115 Volts. O brasil, se quisesse ter algum equipamento de informática tinha que atalhar o caminho e buscar, via "importador paraguaio", um equipamento destinado aos EUA.. As relações comerciais, nossos importadores, todos sempre se concentraram na logística Brasil EUA e nunca com a Europa (ai seria 220 Volts)

Para atender uma demanda de mercado, ter a disposição a tensão de 110 Volts, os fabricantes de estabilizador adotaram isso como praxe..

Facilitava as coisas..

Mas sabe-se que ambas demandas não mais existem

- O estabilizador de há muito não mais é necessário;

- Os equipamentos de há muito não mais são exclusivamente alimentados com 110 Volts...

Mas o beiço torto, de tanto fumar cachimbo, continua de modo muito, mas muito burro...

É mais ou menos uma herança genética.. Com o tempo incrusta no DNA.

Como se explica que um guri, de 15 anos, coloca estabilizador no seu PC. Um elemento não mais necessário nem na época em que seu pai tinha a idade dele??? É herança genética.. Só pode..

O Mendel, o Gregório, se revirou na tumba...

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Nada genético. O guri de 15 ouviu do irmão de 19: "Se ligar direto na tomada, queima!". O de 19, por seu lado, aprendeu tal coisa com a mãe, que aprendeu com a avó. E o vendedor garantiu que precisava levar o estabilizador junto com o micro. E além de tudo "é o que todo mundo faz" (a velha história dos 5 macacos, muitas vezes contada pelo Marco Piracicaba). E finalmente, para não deixar dúvida, o colega do primo que mora lá em Santos ligou na tomada e.... bum! Viu? Queima mesmo.

Mas o assunto estabilizador já tem seu próprio tópico e aqui é apenas a questão dos 220V. A fonte com PFC ativo ganha em eficiência ligada em 220V. E sequer tem o perigo do bum por erro de seletor na tensão errada. Mas para os fabricantes de nobreaks e estabilizadores é mais prático e lucrativo rebaixar tudo para 110V para atender com um só produto todo o território nacional.

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá a todos.

Certa vez morei numa casa alugada de fundos e recém reformada muito provavelmente com alguma economia de gastos, pois quando ligava o chuveiro ou a máquina de lavar roupas a casa toda se tornava uma bela árvore de natal. Como a casa era de fundos, o longo caminhão que o cabo tinha de percorrer da rua até a minha boa casinha era o meu problema.

Certamente pensei em passar a utilizar em toda a casa a tensão de 220V, assim, reduziria pela metade a corrente percorrida por aquele longo caminho, mas não fiz isso por causa de alguns eletrodomésticos na minha casa que não são assim tão versáteis, bem como a geladeira e o secador de cabelos de minha companheira. Logo desisti.

Poderia também comprar alguns auto-transformadores pra realizar esta função, mas também desisti, pois eles tem lá o seu consumo que iriam pesar um pouco no caso do uso na geladeira.

No fim deixei tudo na mesma, porém eu acharia uma boa, na hora de comprar eletrodomésticos novos, já comprá-los na tensão de 220V, pois exigiria muito menos do sistema de cabeamento da residência, seguindo o exemplo das instalações industriais e comerciais.

Mas pra não sair do tema do tópico, eu ligaria o meu PC em 220V, assim pouparia alguns pouquinhos centavos na minha conta.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Caro faller, preciso da sua opinião. Basicamente o problema que tenho aqui é esse: Aqui recebo 220 Volts, mas preciso alimentar o meu som com 120 Volts 60Hz. Por enquanto tenho a porcaria de um estabilizador SMS 300VA exclusivamente para fazer esse serviço. Porém, lendo você aqui e em outros fóruns, já entendi que devo substituir o estabilizador por um autotransformador.

Mas a questão é, afinal, como escolher um autotransformador ideal para o meu uso? Agradeço a indicação de potência ideal e marca confiável (e se não for abusar demais da sua boa vontade em ajudar, talvez, até a indicação de onde comprar pela Internet).

Entenda o meu caso:

Tenho aqui 2 tomadas disponíveis. Em uma delas está ligado uma extensão elétrica (infelizmente é preciso, pois a tomada fica num ponto inacessível ao Filtro de linha) da marca legrand (igual a essa da imagem abaixo)

zdoMN.jpg

Na extensão acima ligo um Filtro de Linha Profissional Upsai FHT-1200 (1300W) - 220V - Padrão Novo.

fht1200_n.jpg

E diretamente no Upsai ligo os meus aparelhos: 01 PC com fonte 520W PFC ativo seasonic, 01 monitor LED 19", 01 TV 29" tubo (que será substituída ainda nessa semana por 01 TV de plasma 50"), 01 DVD player, 01 sistema de som 2.1 canais com 28 RMS de potência (esse daqui é a minha única preocupação, pois é o único que precisa ser alimentado por 120V 60Hz, todos os demais são 220V ou bivolt automático), e 01 HDD externo.

Então, essa são as especificações do som:

OZRnR.jpg

Com essas características, qual autotransformador comprar, visto que existem inúmeros disponíveis no mercado, das mais diversas potências e mais variadas marcas.

Meu receio é comprar algum autotransformador exageradamente forte ("sugando" assim, mais energia do que o necessário, e deixando os demais eletrônicos sem a devida alimentação ou sobrecarregando o Upsai) ou terminar comprando um que seja fraco para a demanda do som (limitando a sua potência ou causando uma "subtensão" no mesmo).

Sim, é pertinente acrescentar que estou providenciando (devo receber ainda essa semana também) um Filtro De Linha Clamper Máxima Proteção Modelo Novo

s_MLB_v_O_f_201411867_6202.jpg

para ser ligado na tomada restante do ambiente, dividindo assim, o "fardo" que o Upsai carrega sozinho.

Peço desculpas por ter me prolongado demais, e por ter invadido o seu tópico dessa maneira, mas não encontrei outro lugar mais adequado. Confesso que sou um completo leigo em eletrônica, e se por favor você puder me esclarecer essa dúvida, me seria de imensa ajuda.

Obrigado.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Boa noite caro Kadavro.

Bem vindo ao Fórum.

Sobre a sua dúvida com o auto transformador, como é só para este aparelho de som, podes adquirir um meio-médio, com alguma folga como um de 200W, como esse daqui: http://www.nodaji.com.br/produto/autotrafo-220-v-para-110-vac-300-va-200w.html.

Mas porque esse de 200Watts e não um mais fraquinho, já que seu aparelho consome quase a metade disso? Ora, porque esse é o valor comercial um pouco mais alto mais próximo do que você precisa. O seu aparelho tem saídas de aprox. 30WRMS, mas sabemos que há também outros consumos neste aparelho podendo ele consumir até 60W em certos momentos.

Como o valor mínimo que conheço é de 30W e o mais próximo de 50W, o mais indicado seria então um acima de 100W, um de 150W pra garantir, mas esses valores são um pouco difíceis de se encontrar, portanto pegue um de 200W/300VA que não vais ter problemas.

Pride and Joy!

RicardoSPimentel.

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Amigo ricardospimentel. Obrigado pela atenção e resposta.

Agora já tenho a noção do que eu preciso comprar. Só não irei comprar nessa loja que você postou o link, porque esse transforma para 110. Preciso de um para 120. Mas a sua resposta me ajudou a ter uma ideia. Irei de 200/300VA.

Valeu.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Amigo Kadavro, não tem problema usar esse trafo para tal tensão.

Nos aparelhos que utilizamos atualmente há alguma tolerância na faixa dos 110V, desde uns 90V até uns 130V.

Estamos acostumados a dizer "110Volts" por causa dos Yankes, mas a rede aqui no Brasil tem um padrão de 127V e em alguns lugares ela chega a 105V e em outros 129V. Isso vareia de região para região. O mesmo vale para a rede 220V.

Além do mais, não conheço um autotrafo que tenha uma saída de 120V exatos sem contar que a saída de um autotrafo dependerá da sua tensão de entrada. Se você o alimentar com 221V sairão 111V, se com 244V >> 134V e isso também não é lá tão exato assim, portanto não se preocupe com isso.

Eu te mostrei o link da Nodaji só pra te dar uma noção do que é comercializado por aí, nas lojas da sua região devem haver autotrafos da UPSAI dentre outros.

RicardoSPimentel

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ok RicardoSPimentel. Entendi perfeitamente o que você me explicou. Porém, ainda estou um tanto confuso. O consumo em Watts do meu aparelho é 30. Tenho que alimentá-lo com 120V com frequência de 60Hz. Até aí tudo bem, mas acontece que os autotransformadores são medidos por volt-ampère (VA). Ou seja, duas medidas diferentes. Aqui é que estou me embaralhando para fazer essa "transformação" de W para VA. Porque, digamos que eu compre um autotransformador com potência de 200VA. Mesmo sem saber quanto em VA o som consome, imagino que irei alimentar com "folga" os 30W do aparelho. Porém, e quanto a essa "folga"? Ela irá aumentar o consumo da minha energia, desperdiçando-a? Ou só irá consumir a potência que for requisitada pelo som?

Vi no site da Atera que o custo de um autotransformador de 300VA não difere muito com outro menos potente com 100VA, por exemplo. Então não faria diferença, comprar um ou outro. Ambos são da mesma marca (Force Line), até.

Com a certeza que um autotransformador só consome exatamente aquela quantidade de energia requisitada pelo aparelho, compraria o de 300VA sem pensar duas vezes.

Valeu.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Um autotransformador tem eficiência da ordem de 75 a 80%. Desse modo, se seu aparelho demanda 30 Watts, o transformador demandará da rede elétrica 30/0,75 = 40 Watts.

Como o FP de uma carga dessas dai gira em torno de 0,65 = a transformação em VA se faz assim Potência aparente [VA] = Potência útil [W] / FP

PA = 40/0,65 = 61VA.

Um transformador de 100VA dá e sobra um monte para o que desejas..

E note, a potência demandada da rede elétrica depende do que a carga pedir e da eficiência do transformador. Nunca da máxima potência do mesmo..

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Tá certo então Kadavro. Devo lembrar que esse não é bem o assunto deste tópico, portanto não vamos prolongar muito este assunto aqui. Ok?

Para eu achar precisamente o valor em VA do seu aparelho de som eu precisaria saber o fator de potência dele, mas estimo que o valor em VA para o seu aparelho esteja aureolando os 55VA e isso é bem um chute já que não conheço a fonte dele, poderia recomendar um de 90VA, mas por maior segurança, vai de 200VA mesmo.

Dá uma lidinha aqui pra você entender um pouco melhor tudo isso: http://www.hardware.com.br/dicas/va-watt-pfc.html;

...e aqui pra você poder converter as suas informassões: http://www.webcalc.com.br/frame.asp?pag=http://www.webcalc.com.br/conversoes/potencia.html.

Até +,

Ricardospimentel

(Até eu ter clicado em "Enviar Resposta Rápida" Não havia visto a resposta do Faller. A resposta dele está bem direta)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Ok RicardoSPimentel. Entendi perfeitamente o que você me explicou. Porém, ainda estou um tanto confuso. O consumo em Watts do meu aparelho é 30. Tenho que alimentá-lo com 120V com frequência de 60Hz. Até aí tudo bem, mas acontece que os autotransformadores são medidos por volt-ampère (VA). Ou seja, duas medidas diferentes. Aqui é que estou me embaralhando para fazer essa "transformação" de W para VA. Porque, digamos que eu compre um autotransformador com potência de 200VA. Mesmo sem saber quanto em VA o som consome, imagino que irei alimentar com "folga" os 30W do aparelho. Porém, e quanto a essa "folga"? Ela irá aumentar o consumo da minha energia, desperdiçando-a? Ou só irá consumir a potência que for requisitada pelo som?

Vi no site da Atera que o custo de um autotransformador de 300VA não difere muito com outro menos potente com 100VA, por exemplo. Então não faria diferença, comprar um ou outro. Ambos são da mesma marca (Force Line), até.

Com a certeza que um autotransformador só consome exatamente aquela quantidade de energia requisitada pelo aparelho, compraria o de 300VA sem pensar duas vezes.

Valeu.

Olha Kadavro, eu tenho rede de 220v aqui e uma impressora e som 110, uso um filtro de linha (clone f8) e tudo ligado nele PC, monitor, tel s/fio, modem e o estabilizador de 300va que já tinha bem antes de tomar conhecimento de que o PC pudesse funcionar sem o mesmo. Resumindo tendo em vista que você já possui o estabilizador, não haverá maiores problemas em você continuar a usá-lo, tão-somente para alimentar o som.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Um autotransformador tem eficiência da ordem de 75 a 80%. Desse modo, se seu aparelho demanda 30 Watts, o transformador demandará da rede elétrica 30/0,75 = 40 Watts.

Como o FP de uma carga dessas dai gira em torno de 0,65 = a transformação em VA se faz assim Potência aparente [VA] = Potência útil [W] / FP

PA = 40/0,65 = 61VA.

Um transformador de 100VA dá e sobra um monte para o que desejas..

E note, a potência demandada da rede elétrica depende do que a carga pedir e da eficiência do transformador. Nunca da máxima potência do mesmo..

Exatamente o que eu estava procurando saber. Sinceramente, iria demorar um bocado até que eu conseguisse chegar nessas fórmulas e cálculos, que para mim (um leigo nesse assunto) não são tão simples assim. Obrigado mesmo.

Fica aí a dica de como calcular para quem tiver a mesma dúvida! Valeu faller.

Tá certo então Kadavro. Devo lembrar que esse não é bem o assunto deste tópico, portanto não vamos prolongar muito este assunto aqui. Ok?

Para eu achar precisamente o valor em VA do seu aparelho de som eu precisaria saber o fator de potência dele, mas estimo que o valor em VA para o seu aparelho esteja aureolando os 55VA e isso é bem um chute já que não conheço a fonte dele, poderia recomendar um de 90VA, mas por maior segurança, vai de 200VA mesmo.

Dá uma lidinha aqui pra você entender um pouco melhor tudo isso: http://www.hardware.com.br/dicas/va-watt-pfc.html;

...e aqui pra você poder converter as suas informassões: http://www.webcalc.com.br/frame.asp?.../potencia.html.

Até +,

Ricardospimentel

(Até eu ter clicado em "Enviar Resposta Rápida" Não havia visto a resposta do Faller. A resposta dele está bem direta)

Valeu Ricardospimentel. Com certeza irei ler o link que você me passou. E gostei bastante da calculadora do segundo link. Uma mão na roda.

Olha Kadavro, eu tenho rede de 220v aqui e uma impressora e som 110, uso um filtro de linha (clone f8) e tudo ligado nele PC, monitor, tel s/fio, modem e o estabilizador de 300va que já tinha bem antes de tomar conhecimento de que o PC pudesse funcionar sem o mesmo. Resumindo tendo em vista que você já possui o estabilizador, não haverá maiores problemas em você continuar a usá-lo, tão-somente para alimentar o som.

É karlo, na verdade talvez você tenha razão em pensar assim. Eu mesmo há muito tempo que já sabia que o estabilizador mais atrapalha do que ajuda. E mesmo assim continuei usando-o para a finalidade de transformação de energia, por puro comodismo. Pensava mais ou menos como você. "Tá funcionando, então fica aí". Mas acontece que no fundo eu sabia que a longo prazo o maldito estabilizador está encurtando a vida útil do meu eletrônico. Por quê? Pelo "estresse" que ele causa tentando "estabilizar" a rede. A energia que o eletrônico recebe do estabilizador não está vindo em forma de ondas senoidais "puras". Ou seja, quem paga o pato, no caso, é o meu som que tem que trabalhar com essa energia "suja". Mas eu posso até estar falando asneira, e por favor, alguém me corrija se eu estiver errado. E além desse fato (encurtar a vida do aparelho), há outra fator importante (pelo menos para mim): se você gosta de algo mais perto da perfeição na qualidade do seu som, jamais ligue-o em estabilizador de energia. Há a famosa "coloração" no áudio, causado pela distorção harmônica oriunda da energia ruim do estabilizador. Se tiver grana para tanto, o ideal é um condicionador de energia.

Valeu.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Caro Faller, excelente texto, porém algumas dúvidas me surgiram.

 

Em 12/01/2012 às 21:24, faller disse:

Esse questionamento só tem sentido para aquelas pessoas que tem a distribuição de energia de sua cidade feita na tensão de 220 Volts. Para todos os demais não tem a menor dúvida, alimente-o na tensão da rede elétrica da tomada, nos 110, ou 115 ou 120, o que seja...

 

Não ficou claro o motivo para não ser levada em consideração a nossa condição em PoA, fase-fase 220V. Seria apenas pelo fato de requerer alguma alteração na instalação elétrica para disponibilizar os 220V ou existe algum malefício em se utilizar o sistema fase-fase.

 

Outra dúvida é se, considerando que a massiva maioria dos equipamentos utilizados hoje utilizam fontes chaveadas, este raciocínio se estende aos demais aparelhos também ou se limita às fontes de PC.

 

Isto posto, caso o sistema fase-fase seja interessante, para equipamentos de home theater(por exemplo) que demandem um bom punhado de W RMS não seria interessante a utilização em 220V? No mínimo se pouparia-se em condutores e etc.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
32 minutos atrás, wobeto disse:

Não ficou claro o motivo para não ser levada em consideração a nossa condição em PoA, fase-fase 220V. Seria apenas pelo fato de requerer alguma alteração na instalação elétrica para disponibilizar os 220V ou existe algum malefício em se utilizar o sistema fase-fase.........

Sempre que tiveres de escolher entre um sistema de alimentação 110 Volts fase neutro ou um 220 Volts fase fase, para alimentar equipamentos de áudio/vídeo/informática, opte pelo que disponha de fase neutro, por segurança..

 

Lembre-se que esses equipamentos tem os elementos de proteção bem como chave liga/desliga sempre em um só condutor, aquele em que trafega o fio fase.

Se colocares duas fases ai uma delas jamais será desligada bem como seu fusível, ao queimar, 

nunca desligará uma das fases..

 

Simples... Por segurança adote ligação fase - neutro..

  • Curtir 1
  • Obrigado 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Não podia ser mas simples o raciocínio. Não havia me dado conta deste detalhe. Daí a importância da instalação correta da tomada padrão BR de 3 pinos, tenho que verificar as minhas aqui, o eletricista não era aquilo tudo... Valeu!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
7 horas atrás, wobeto disse:

Não podia ser mas simples o raciocínio. Não havia me dado conta deste detalhe. Daí a importância da instalação correta da tomada padrão BR de 3 pinos, tenho que verificar as minhas aqui, o eletricista não era aquilo tudo... Valeu!

Excelente raciocínio.. É por isso que se torna importante manter correta a polarização das tomadas AC. Infelizmente a maior parte dos instaladores não reconhecem isso e acertam só por acaso...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@faller Eu acabei de fazer uma reforma elétrica na minha residência, pois é uma casa muito antiga, então já viu né? Antes tinha apenas 127v aqui, e para ligar alguns aparelhos de ar condicionado, solicitei 220v e refiz o padrão de entrada, montei um novo quadro de distribuição também.
 

Aqui no interior de SP, temos 220v com duas fases 127v.
Eu tenho algumas tomadas 127v no escritório, usando fase + neutro + terra

E também tenho uma tomada 220v sendo fase + fase + terra.

 

Estou pensando em ligar pelo menos meu PC principal e meu firewall nela, assim como equipamentos de rede e roteadores.

 

No caso, tenho um Clamper Energia 8 (Link para o site do fabricante), onde esses equipamentos estão conectados, hoje em 127v.
Um dos PC's tem uma fonte genérica, com chaveador manual de tensão, de 400w, e o outro tem uma fonte com PFC ativo. Todos os aparelhos são 110-240v Auto, e pela maior eficiência estou pensando em ligar todos no 220v.

Você vê algum risco? Tem alguma recomendação?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Eduardo Frazão Não sou o @faller,mas não tem risco para os aparelhos não,apenas certifique-se da chave da fonte xing ling estar setada para 220.Mas procure substituí-la o quanto antes por uma full range.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pelo que o Faller falou ali em cima o mais seguro é usar tomadas fase-neutro e não fase-fase. 

Segundo ele, entre um 110V fase-neutro e um 220V fase-fase é preferível utilizar o 110V.

Mas pelo que eu entendi o melhor de todos seria utilizar o 220V fase-neutro, porém aqui no sudeste não dispomos desse tipo de tensão nas residências....

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sempre dê preferência a ligação fase-neutro, até mesmo porque as chaves liga-desliga, os fusíveis e demais elementos de proteção série são ligados sempre no fio fase. Se alimentares com duas fases de 127 Volts ao desligar ou ao abrir um fusível a alimentação fase nunca será desativada. É uma solução não muito esperta alimentar com duas fases de 220 Volts, ao se tratar de elementos de relativo baixo consumo. Deixe a alimentação 220 Volts, com duas fases, para circuitos de alta corrente tais como chuveiros elétricos, condicionadores de ar, fornos etc... Seu PC e afins ligue em 127 Volts fase neutro...

 

Quanto ao ganho por conta da maior eficiência da fonte, por operar em 220 Volts, trata-se parcos 1 a 2%, que não justifica o transtorno.. 10 segundos a menos no banho de chuveiro elétrico ultrapassa em muito essa economia dai..

  • Curtir 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@faller Entendi Faller. No meu caso específico, o único elemento de proteção que tenho um é o DPS da Clamper, mas não sei dizer se o disjuntor dele desliga apenas um dos fios de fase, e uma das fontes que tem um um switch para desligar, que na verdade eu não utilizo. Uso apenas um disjuntor aqui que desliga as duas fases, quando preciso desligar os circuitos.

Mas se não tem nenhum ganho real, nem compensa mesmo. Deixa como está :D

Obrigado pelas respostas pessoal.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

Aprenda_a_Ler_Resistores_e_Capacitores-capa-3d-newsletter.jpg

ebook grátis "Aprenda a ler resistores e capacitores", de Gabriel Torres

GRÁTIS! BAIXE AGORA MESMO!