Ir ao conteúdo

Nintendo lançará o Super Nintendo Classic Edition em 29 de setembro de 2017

       
 5.880 Visualizações    28 comentários

O novo console tem o mesmo design do Super Nintendo original da década de 90.

Nintendo lançará o Super Nintendo Classic Edition em 29 de setembro de 2017
Flavia Dutra Editora de Notícias do Clube do Hardware

A Nintendo divulgou o lançamento do novo Super Nintendo Classic Edition, modelo compacto e com o mesmo design do console de 16 bits da década de 90, trazendo o jogo inédito Star Fox 2 e mais 20 jogos clássicos pré-instalados na memória.

Os 20 jogos que virão no console são: Contra III: The Alien Wars; Donkey Kong Country; EarthBound; Final Fantasy VI; F-ZERO; Kirby Super Star; Kirby’s Dream Course; The Legend of Zelda: A Link to the Past; Mega Man X; Secret of Mana; Star Fox; Street Fighter II Turbo: Hyper Fighting; Super Castlevania IV; Super Ghouls ’n Ghosts; Super Mario Kart; Super Mario RPG: Legend of the Seven Stars; Super Mario World; Super Metroid; Super Punch-Out!!; e Yoshi’s Island.

O console possui porta HDMI, dois controles, que são réplicas dos originais do Super Nintendo, e cabo USB.

O novo Super Nintendo Mini será lançado mundialmente no dia 29 de setembro deste ano, por US$ 79,99.

packshot.jpg

snesw4j1g.png

Mais informações

Compartilhar

  • Curtir 4


  Denunciar Notícia

Notícias similares


Comentários de usuários




Pena que pra variar a Nintendo tá cagando para o Brasil. Enquanto Sony e Microsoft seguem com a produção e distribuição de seus produtos no Brasil a Nintendo segue com suas desculpas esfarrapadas.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Não tem Rock N' Roll Racing? Sacanagem? Além destes jogos, tem como colocar mais? Vai ter slot para o cartucho original? Emulação de Rons?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
15 horas atrás, Kleber Peters disse:

Não tem Rock N' Roll Racing? Sacanagem? Além destes jogos, tem como colocar mais? Vai ter slot para o cartucho original? Emulação de Rons?

 

Não, não vai, a menos que consigam explorar alguma vulnerabilidade do aparelho e saber se tem memória suficiente para adicionar mais jogos. Poderiam ao menos disponibilizar a compra de outros jogos.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

O que eu quero saber é se tem como por jogos aí. 

Porque, se não tiver, eles não vão conseguir popularizar com isso aí. Nintendo é burro demais pra não por jogos como Bomberman 5, Donkey Kong 2 Country, Sunset Riders.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Sim, Donkey Kong Country 2 e Chrono Trigger teriam que vir!

 

Mas ainda assim o pacote tem jogos excelentes (The Legend of Zelda: A Link to the Past, Super Metroid, Secret of Mana, Donkey Kong Country 1...). Pelo preço de 80 dólares definitivamente vale a pena. É uma barganha para quem tem a sorte de viver em países com economia aberta.

 

Nosso problema é que aqui o mercado é sempre fora da realidade. Ao invés de custar uns 300 reais, provavelmente vai para a estratosfera o preço. Não duvido que possa beirar os mil reais. Daí, com esse preço, obviamente não vale a pena :(, a menos que a pessoa seja muito fã da época do SNES (como eu :)).

 

EDIT

Hmmm, mil seria exagero. Se bem que no fim da produção do NES Classic, era o que os caras pediam no Mercado Livre. Vamos apostar por quanto será a facada? 600, 800? :mad::(

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Essa edição é meramente para colecionador. A versão é miniaturizada, assim como a do NES, ou seja, não tem como utilizar cartucho. Com apenas 20 jogos e pelo preço absurdo que deverá chegar ao Brasil... Se for para investir em um 16-bit o Mega Drive lançado pela TecToy (entrada para cartucho e microSD) é mais vantagem.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
11 horas atrás, Erso disse:

Essa edição é meramente para colecionador. A versão é miniaturizada, assim como a do NES, ou seja, não tem como utilizar cartucho. Com apenas 20 jogos e pelo preço absurdo que deverá chegar ao Brasil... Se for para investir em um 16-bit o Mega Drive lançado pela TecToy (entrada para cartucho e microSD) é mais vantagem.

 

O problema é que o funcionamento dos jogos deixa um pouco a desejar no caso desse modelo de Mega Drive; alguns funcionam perfeitamente, outros nem tanto e outros nem mesmo funcionam, fora o fato de não ter saída HDMI e ainda ser em PAL-M.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
18 horas atrás, Erso disse:

Com apenas 20 jogos e pelo preço absurdo que deverá chegar ao Brasil...

 

Dos 21 jogos até nem reclamo. A Nintendo colocou os meus preferidos na lista. O que nos matará será o preço. Aliás, isso é o que sempre nos mata. Se pudéssemos contar com um preço justo, boa parte da discussão "vale ou não vale a pena" nem existiria.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
10 horas atrás, Excelsior disse:

O problema é que o funcionamento dos jogos deixa um pouco a desejar no caso desse modelo de Mega Drive; alguns funcionam perfeitamente, outros nem tanto e outros nem mesmo funcionam, fora o fato de não ter saída HDMI e ainda ser em PAL-M.

Segundo a própria TecToy a intenção era tentar se aproximar ao máximo do hardware utilizado na época utilizando os componentes disponíveis atualmente, para se conseguir a melhor compatibilidade com os dispositivos originais. A questão do HDMI também achei uma falha bem grande por parte deles.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
12 horas atrás, Marcos FRM disse:

 

Dos 21 jogos até nem reclamo. A Nintendo colocou os meus preferidos na lista. O que nos matará será o preço. Aliás, isso é o que sempre nos mata. Se pudéssemos contar com um preço justo, boa parte da discussão "vale ou não vale a pena" nem existiria.

 

O problema é que ficamos nas mãos dos importadores, e além da tributação absurda tem a margem de lucro que também não fica muito atrás.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Em 01/07/2017 às 10:31, Erso disse:

Segundo a própria TecToy a intenção era tentar se aproximar ao máximo do hardware utilizado na época utilizando os componentes disponíveis atualmente, para se conseguir a melhor compatibilidade com os dispositivos originais. A questão do HDMI também achei uma falha bem grande por parte deles.

 

O problema é que a Tectoy CONSEGUIU fazer uma versão inferior a original. Sério... ok, um video game para vender em grande escala é caro mesmo, há uma exigencia financeira alta... mas poxa com TANTO codec e placas de som que reproduzem fielmente som de ondas quadradas, eles precisavam apelar para um hardware pior?

 

É bem enfatizado como por exemplo Sonic foi feito para aproveitar os recursos do video game. Você já viu algum video de demonstração? Poxa... o jogo tem um audio modificado porque a paleta de instrumentos é inferior (como pode um video game que mal tinha 4 canais de trilhas ter uma versão superior, pior que o original?) e toca muito mal.

 

Curiosamente, o mega drive 3 que teve jogos na memoria (e ainda era possível colocar cartuchos) preservava a qualidde dos produtos porque simplesmente tinham video games muito superiores. Vamos ser justos... um mega drive assim como o SNES, hoje parecem um Atari perto dos video games atuais. Não tem como querer piorar isso.

 

Só que eu achei sacana a atitude da Tectoy nesse aspecto. Além disso, custava colocar um circuito de imagem que pudesse ao menos fazer uma conversão para o formato digital? E curiosamente, novamente a critica, o "atual" mega drive consegue ter imagens com exagero de nitidez e cores que como pode num paleta tão baixas de cores, piorarem isso? E é aí que um emulador faz todo sentido: Ao invés de se utilizar de som midi ou tradução para esse fim, utilizaram uma emulação do chip original. Excetuando a questão das ilegalidades de se ter esses jogos em um PC, justiça seja feita... é melhor jogar no PC com qualidade de imagem HD, do que se render a um video game que na pratica é uma mera importação de fora e colocar como se a tectoy fosse a produtora.

 

Feito uma série de pesquisas entre quem curte e tem a nostalgia de ter o video game, não melhoram nenhum aspecto do que um dia faziam pela SEGA? É uma pena... mas hoje o lucro fala mais alto do que qualidade e nem sempre o preço é a garantia de entrega de qualidade. FElizmente eu tenho meu mega drive e seus jogos... (cartuchos) e nunca trocaria por esse atual.

adicionado 1 minuto depois

A despeito do Super Nintendo, algo positivo de ter colocado uma saida HDMI é a possibilidade de manter ou melhorar a qualidade original de audio, ou uma pequena conversão de audio e imagem que faça o comprador feliz da aquisição. Veremos se ele será um enrosco ou como deveria ser o mega drive.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
2 horas atrás, eds2008 disse:

É bem enfatizado como por exemplo Sonic foi feito para aproveitar os recursos do video game. Você já viu algum video de demonstração? Poxa... o jogo tem um audio modificado porque a paleta de instrumentos é inferior (como pode um video game que mal tinha 4 canais de trilhas ter uma versão superior, pior que o original?) e toca muito mal.

Concordo. Assisti a um review sobre o novo Mega e, realmente, em certas partes é nítido o áudio "estourando", demonstrando um hardware de péssima qualidade. Estava muito interessado pelo aparelho, principalmente pela entrada para microSD, porém, após ver este review, desisti na mesma hora.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

A Nintendo não faz produto porco como a Tectoy. Basta ver o NES Classic, que, apesar de ser um emulador (hardware: SoC ARM Allwinner R16, 256 MiB DDR3 e uma memória flash de 512 MiB para o sistema/jogos; software: algo baseado em Linux), roda muito bem todos os jogos embutidos.

 

Estou curioso para ver qual será a especificação do SNES Classic. Eles têm obrigação de emular com perfeição o áudio do SNES, que para mim foi o melhor da geração 16-bit. As trilhas sonoras de Donkey Kong Country, The Legend of Zelda: A Link to the Past, Super Castlevania IV, Super Metroid, são fantásticas.

Editado por Marcos FRM

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

 

 

Em 18/07/2017 às 17:59, Erso disse:

Concordo. Assisti a um review sobre o novo Mega e, realmente, em certas partes é nítido o áudio "estourando", demonstrando um hardware de péssima qualidade. Estava muito interessado pelo aparelho, principalmente pela entrada para microSD, porém, após ver este review, desisti na mesma hora.

 

Na verdade, eles mantiveram "de original" apenas o processador. De resto é um video game novo. "A placa de som" é modificada e não toca os mesmos timbres da epoca. E isso é pessimo: Pois na epoca havia uma certa limitação no som, o minimo que se espera é ter uma placa de som que consiga no minimo tocar os mesmos ou mais instrumentos (nesse caso canais, pois era uma situaçao diminuta usar mais que ondas quadradas devido a quantidade disponivel de memoria em um cartucho).

 

É deprimente na realidade a Tectoy fazer toda uma propaganda, levantando o interesse para quem quer um console para matar a saudades da nostalgia e ele não ser no minimo similar. O que os caras fizeram ? Importaram da China e colocaram a Badge deles pelo console e fez uma caixa nova. Pior que o Mega é o Atari "retro", mas não vem ao caso...

 

A maior dureza é saber que jogos originais podem não funcionar mesmo sendo compativel com o video game (que ao menos tiveram a decência de utilizar um software interno que não trava cartuchos de países distintos).

 

Esse video game não precisava inventar a roda: Apenas uma conexão HDMI utilizando resolução 4:3 mesmo deixaria original e sem problemas quanto a qualidade dos graficos de epoca (não iria estourar na tela e não teria problemas de pixelação já que as TVs atuais conseguem ligar com sinais analogicos e até mesmo se adequar a resoluções SD.

 

Enfim... é uma pena.

 

 

Em 19/07/2017 às 07:22, Marcos FRM disse:

A Nintendo não faz produto porco como a Tectoy. Basta ver o NES Classic, que, apesar de ser um emulador (hardware: SoC ARM Allwinner R16, 256 MiB DDR3 e uma memória flash de 512 MiB para o sistema/jogos; software: algo baseado em Linux), roda muito bem todos os jogos embutidos.

 

Estou curioso para ver qual será a especificação do SNES Classic. Eles têm obrigação de emular com perfeição o áudio do SNES, que para mim foi o melhor da geração 16-bit. As trilhas sonoras de Donkey Kong Country, The Legend of Zelda: A Link to the Past, Super Castlevania IV, Super Metroid, são fantásticas.

 

O NES Classic será no Brasil distribuido pela Nintendo? 

 

Sobre o hardware, gostaria apenas que mantivessem os itens originais de um produto: Imagem, som e resolução. Se quiser melhorar otimo, mas que não seja uma regressão a um video game que hoje já é bem antigo e muito desafado tecnicamente. Se eles fizerem um video game que seja simples mas que atenda ao que o original faz, é o suficiente.

 

Eu como fã de carteirinha da SEGA confesso a ti gostar das musicas com um tom empolgante do Mega. Um dos melhores games que teve musica sensacional foi o Streets of Rage. Mas dá para colocarmos de ambos os consoles, muitas musicas marcantes e com muita qualidade.

 

E não sei se você já ouviu o mega drive original por fone de ouvido: Apesar de jogos como street fighter terem no SNES uma qualidade bem superior de imagem e audio (a paleta de cores do Super Nintendo é superior e o audio em teoria teria tecnicamente melhores possibilidades de utilização de sons, mas como é onda quadrada na epoca para evitar um gasto com musica, é incrivel o que eles faziam para adequar os jogos), o Mega sempre conseguiu ser mais fiel aos sons de fliperama (as musicas do Street são mais fieis).

 

Enfim, eu gosto muito, sem fanatismo bobo porque pra mim jogar um ou outro em epoca era extremamente divertido (International Super Star Soccer do SNES que o diga) mas acho que por vezes a Nintendo gostava de limitar certos pontos do game em um console que poderia como ter sido ainda melhor utilizado (Street Fighter Alpha é um belo exemplo, Killer Instinct, Donkey Kong que de longe teve um realismo fora do comum e por aí vai). 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
10 horas atrás, eds2008 disse:

O NES Classic será no Brasil distribuido pela Nintendo? 

 

A produção já foi encerrada, apesar da demanda brutal. :(

 

Não, a Nintendo não atua mais oficialmente no Brasil faz alguns anos.

 

Citação

Sobre o hardware, gostaria apenas que mantivessem os itens originais de um produto: Imagem, som e resolução. Se quiser melhorar otimo, mas que não seja uma regressão a um video game que hoje já é bem antigo e muito desafado tecnicamente. Se eles fizerem um video game que seja simples mas que atenda ao que o original faz, é o suficiente.

 

A emulação do NES Classic é excelente. Posso inferir que a do SNES Classic também será. :)

 

Citação

Eu como fã de carteirinha da SEGA confesso a ti gostar das musicas com um tom empolgante do Mega. Um dos melhores games que teve musica sensacional foi o Streets of Rage. Mas dá para colocarmos de ambos os consoles, muitas musicas marcantes e com muita qualidade.

 

E não sei se você já ouviu o mega drive original por fone de ouvido: Apesar de jogos como street fighter terem no SNES uma qualidade bem superior de imagem e audio (a paleta de cores do Super Nintendo é superior e o audio em teoria teria tecnicamente melhores possibilidades de utilização de sons, mas como é onda quadrada na epoca para evitar um gasto com musica, é incrivel o que eles faziam para adequar os jogos), o Mega sempre conseguiu ser mais fiel aos sons de fliperama (as musicas do Street são mais fieis).

 

Eu tive o SNES. O Mega Drive só jogava de vez em quando na casa de amigos. Não joguei com fones. Não que eu lembre...

 

Citação

Enfim, eu gosto muito, sem fanatismo bobo porque pra mim jogar um ou outro em epoca era extremamente divertido (International Super Star Soccer do SNES que o diga) mas acho que por vezes a Nintendo gostava de limitar certos pontos do game em um console que poderia como ter sido ainda melhor utilizado (Street Fighter Alpha é um belo exemplo, Killer Instinct, Donkey Kong que de longe teve um realismo fora do comum e por aí vai). 

 

Ambos consoles tinham suas virtudes e pontos fracos. O processador do SNES (65C816, uma versão 16-bit do MOS 6502) era menos potente do que o Motorola 68000 do Mega, por exemplo. Jogo em que dá para notar é Top Gear 2. No Mega é mais ágil, porém, no SNES, mesmo às vezes dando um engasgada, a deficiência é compensada pelo áudio melhor (nele, a música e efeitos tocam simultaneamente).

Editado por Marcos FRM
Gramática.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
9 horas atrás, Marcos FRM disse:

 

A produção já foi encerrada, apesar da demanda brutal. :(

 

Não, a Nintendo não atua mais oficialmente no Brasil faz alguns anos.

 

 

A emulação do NES Classic é excelente. Posso inferir que a do SNES Classic também será. :)

 

 

Eu tive o SNES. O Mega Drive só jogava de vez em quando na casa de amigos. Não joguei com fones. Não que eu lembre...

 

 

Ambos consoles tinham suas virtudes e pontos fracos. O processador do SNES (65C816, uma versão 16-bit do MOS 6502) era menos potente do que o Motorola 68000 do Mega, por exemplo. Jogo em que dá para notar é Top Gear 2. No Mega é mais ágil, porém, no SNES, mesmo às vezes dando um engasgada, a deficiência é compensada pelo áudio melhor (nele, a música e efeitos tocam simultaneamente).

 

Top Gear 2 do Mega Drive, sem comentários. Foi feito pela Vic Tokai, em vez da Kemco/Gremlin Graphics, não preciso dizer mais nada.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
16 horas atrás, Excelsior disse:

 

Top Gear 2 do Mega Drive, sem comentários. Foi feito pela Vic Tokai, em vez da Kemco/Gremlin Graphics, não preciso dizer mais nada.

 

Eu penso que aí, é o fator popularização e direcionamento de games (além da não concorrencia por contrato da Nintendo). Porque o Mega teve inumeros titulos de corrida e talvez por isso seja o maior dos problemas em considerar o top gear. Dando um exemplo de continuidade: Outrun 2097.

 

Em 10/08/2017 às 13:14, Marcos FRM disse:

Ambos consoles tinham suas virtudes e pontos fracos. O processador do SNES (65C816, uma versão 16-bit do MOS 6502) era menos potente do que o Motorola 68000 do Mega, por exemplo. Jogo em que dá para notar é Top Gear 2. No Mega é mais ágil, porém, no SNES, mesmo às vezes dando um engasgada, a deficiência é compensada pelo áudio melhor (nele, a música e efeitos tocam simultaneamente).

O problema que esse processador era "chato" considerando a limitação de memoria do mega para video e apesar da boa placa de som, ele tinha limitação séria de memoria além da linguagem que a SEGA nunca foi tão "amiga" para desenvolvimento de jogo. 

 

Curiosamente eu vou até ver a versão de mega do top gear 2 já não esperando a mesma fidelidade do SNES...rs

 

não consigo colocar na minha cabeça a necessidade de ter sons tão porcos no Street fighter. Porque o port do jogo foi até bem feito considerando a limitação de cores.

 

Essa epoca para mim foi de ouro nos video games. 

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
5 horas atrás, eds2008 disse:

 

Eu penso que aí, é o fator popularização e direcionamento de games (além da não concorrencia por contrato da Nintendo). Porque o Mega teve inumeros titulos de corrida e talvez por isso seja o maior dos problemas em considerar o top gear. Dando um exemplo de continuidade: Outrun 2097.

 

O problema que esse processador era "chato" considerando a limitação de memoria do mega para video e apesar da boa placa de som, ele tinha limitação séria de memoria além da linguagem que a SEGA nunca foi tão "amiga" para desenvolvimento de jogo. 

 

Curiosamente eu vou até ver a versão de mega do top gear 2 já não esperando a mesma fidelidade do SNES...rs

 

não consigo colocar na minha cabeça a necessidade de ter sons tão porcos no Street fighter. Porque o port do jogo foi até bem feito considerando a limitação de cores.

 

Essa epoca para mim foi de ouro nos video games. 

 

 

Bom, o Mega Drive tem bons jogos de corrida, critiquei o Topgear 2 do Mega Drive justamente por ser um port muito malfeito do original. Aliás, a Vic Tokai, responsável pela versão tem um histórico de jogos meia boca sendo, inclusive, conhecia no meio justamente por isto.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×