Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Hugo Thomás Mendes

Membros Juniores
  • Total de itens

    6
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    N/D
  1. e aí, gente! Muito obrigado novamente pelo apoio. Acabei usando chaves manuais mesmo, porque o tempo pra fazer o circuito tava curto e cês sabem como protoboard ama dar mau-contato, aí deixei o mais simplista possível. Consegui realizar o circuito, todos os Amp. Op. funcionaram perfeitinhos e a nota foi ótima. Ainda assim, minha curiosidade sobre a aplicação do 4051 se manteve, então testei o CI (somente ele na placa), usando Arduino para as entradas seletoras digitais. E finalmente tive a oportunidade de ler a datasheet sem estar na correria. Como dito aqui, o uso por aí de alimentações não-simétricas é super comum, justificado inclusive pelo trecho que @Isadora Ferraz transcreveu, do datasheet. No caso do CD4051, uma diferença entre Vdd e Vss de 3V consegue controlar sinais com (Vdd - Vee) de até 13V. Para ranges maiores que 13V, Vdd-Vss precisa ser maior que 4.5V, que é o caso transcrito acima. Pode-se dizer, então, que o circuito citado por @aphawk, funcionaria pra tensões entre -5V e +12V, com tensão de seleção entre 0V e +5V, caso Vss estivesse entre 0V e +7.5V. Baseado nessa leitura mais aprofundada, consegui fazer o circuito de seleção e, ainda que não tenha sido aplicado ao meu trabalho de laboratório, foi um aprendizado magnífico, e agradeço a vocês por isso! Ter descoberto a existência dessa ferramenta que eu não tinha conhecimento prévio (a chave analógica) agregou um valor imenso a esse trabalho, graças a vocês! Ah, e como o trabalho tenha uma segunda etapa, montagem da PCI, quem sabe eu consiga aplicar esse chaveamento que a gente conversou! Abraços e muito agradecido, Hugo
  2. @aphawk Cheguei a imaginar que fosse isso. Procurei chaves análogas à 4066 e acabei caindo no demux 4051. Foi uma burrice, pelo visto. Acho que vou voltar à opção do 4066 e testá-la, aí compro outra 4066 amanhã, caso funcione. Muito obrigado!
  3. Oi, Isadora! Quanto à amplitude, é informado no datasheet que a amplitude máxima do sinal a ser chaveado é definida pelo Vdd + 0.5V. No caso, não inseri sinais que ultrapassassem o valor, e funcionou conforme verifica-se na teoria. O ruim mesmo foi só quando injetei sinal negativo. Agora, em um segundo teste, a saída está dando -1V, mas ainda não chega aos -6V esperados. Verifiquei se tá tudo aterrado direitinho, pra não criar grounds virtuais, e tá sim. Tentei também conectar tanto Vee quanto Vss ao -V, só que ele nem funciona quando nessa configuração. Vou continuar aqui, qualquer sugestão é bem-vinda!
  4. Gente, perdoa reviver o tópico, mas infelizmente algumas coisinhas pontuais acabaram complicando a execução do circuito e queria novamente ter o apoio de vocês, se possível. Então, conforme suas sugestões, utilizei em meu circuito um CI de chaves analógicas. Ao invés do 4066, utilizei o 4051 porque precisava de 5 entradas, mas, excetuando a resistência das chaves (que é bem maior), os CIs são bastante semelhantes. Na simulação, seu funcionamento se deu perfeito, assim como tinha acontecido com o 4066. Pra minha surpresa, também não foi difícil obter resultados satisfatórios na montagem do circuito. Compensei a queda de tensão na chave através de um buffer e o circuito ficou conforme desejado... até que alimentei uma das entradas com tensão negativa, pois, uma vez que amplificarei senóides, haverá eventuais entradas desse tipo. Eu esperava que a saída da chave fosse também negativa, conforme entrada, mas não foi. Na verdade, o que era para ser -6V ficou como +6V. Vale pontuar aqui que a chave está sendo alimentada com fonte simétrica (-8V em Vee e +8V em Vdd), confirme sugerido pelo datasheet e sites os quais visitei. Eu realmente não entendo onde pode estar o erro. Vocês poderiam me dar uma luz? Faz sentidos que a chave, mesmo com alimentação simétrica (e Vss em 0V) não conduza o sinal negativo? CIs de chaves analógicas apresentam essa restrição, ou há algum erro no meu circuito? Eu fui crente achando que funcionaria porque na simulação a chave transmite a onda inteira, não somente a parte positiva, mas não deu certo.
  5. Muito obrigado a todos! A sugestão do 4066 foi em ótima hora! Não conhecia o CI e tava quebrando cabeça tentando fazer na mão grande. Acatei imediatamente aos conselhos, modifiquei meu circuito e já estou com o 4066 em mãos. Novamente, agradeço imensamente a vocês! Hugo
  6. Saudações a todos! Tenho uma dúvida sobre um circuito seletor envolvendo sinais analógicos. Seguinte: foi pedido que seja criada uma caixinha com (além dos borns de alimentação) duas entradas de sinal analógico (E1 e E2) e dois borns para a medição de sinais de saída (OUT1 e OUT2). A questão é: os sinais de saída podem ser E1 + E2 (OUT1), E1 - E2 (OUT1), E1*2 (OUT1), E1 + E2 (OUT1 - sendo agora E2 um sinal DC) e E2 * 4 (OUT2). Até aí beleza, todos os circuitos (soma, subtração, soma de offset e multiplicação) já estão feitos com amplificadores operacionais, funcionando para senoides, ondas quadradas e triangulares. O problema, no entanto, se refere à saída OUT1, que pode contar com diversos sinais, a depender da função desejada, fazendo-se necessário um método seletor. O sistema de seleção poderia ser puramente mecânico, através de chaves, mas acontece todo aquele problema de precisar desligar uma chave S1 (cuja saída é a soma) para poder ligar a chave S2 (cuja saída é o sinal resultante da subtração), o que fica bem chatinho. Pensei, então, em utilizar um único botão, e um sistema de 4 estados, através de flip-flop tipo D e portas lógicas AND (vejam a figura 1). Não há erros nesse sistema, a seleção ocorre perfeitamente. Agora vem o problema: coloquei a saída da porta lógica (que varia em torno de 5V) para alimentar o gate de um MOSFET, fazendo-o funcionar como chave (alternando entre as regiões de corte e triodo). Na source, coloquei o sinal que sai do amplificador somador e, no drain, a minha OUT1 (conforme figura 1). O mesmo se repetiu para o sinal do subtrator, do multiplicador e do somador de offset, todos enviados à mesma OUT_1. Na minha lógica (que deve estar errada), Quando os FF-D estiverem no estado 00, a porta com entradas nA e nB terá saída ativa, colocando o MOSFET 1 em triodo (condução). Enquanto isso, todas as outras portas lógicas estariam em estado baixo, com seus respectivos FETs em corte; isso faria com que OUT_1 recebesse o sinal OUT_SOMADOR, e somente ele. O mesmo valeria para 01 com sinal do subtrator, 10 e sinal do somador de offset, e 11 com sinal do multiplicador. Até o ponto da colocação do FET em estado de triodo, tá dando certo, mas olhem agora o que segue. A imagem 2 mostra os sinais num osciloscópio quando em estado triodo: os canais 1 e 2 mostram os sinais de entrada (senoides de amplitude 2V e 1V), o canal 3 mostra a saída OUT_1 e o canal 4 mostra a saída OUT_SOMADOR (a que eu quero que apareça em OUT_1). A imagem 3 mostra os mesmos sinais, agora com o MOSFET em estado de corte. Há os seguintes questionamentos, portanto: Por que na imagem 2, a parte negativa da onda é somada com perfeição, mas a parte positiva sofre esse gigante achatamento em +1V? Por que o FET, na imagem 3, permite condução (em menor proporção), mesmo com o sinal injetado no Gate em 0V? O que foi mostrado acima é o resultado observado somente com acoplamento do circuito SOMADOR a OUT_1. Quando acoplado o subtrator, somador de offset e multiplicador, as ondas adquirem formatos ainda mais loucos, sendo que o único que funciona razoavelmente acaba sendo o subtrator, ainda que com erro. Nesse caso, creio que o que está acontecendo é que, justamente por haver condução quando os FETs estão em corte, os sinais que eu queria na saída estão sofrendo interferência daqueles que eu não desejo, gerando uma onda com formas não-senoidais. Adorarei caso as perguntas sejam respondidas, mas meu questionamento principal é se há alguma maneira de fazer esse seletor de sinais analógicos sem usar chaves mecânicas (switch on-off ou relé), usando transistores como chaves, ou se a queda de tensão gerada pela junção fonte-dreno (ou coletor-emissor) acaba tornando essa uma tarefa um tanto mais árdua. Se alguém puder ajudar com esse sistema de seleção, ficarei muito grato. Desde já agradecido! Hugo

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

GRÁTIS: minicurso “Como ganhar dinheiro montando computadores”

Gabriel TorresGabriel Torres, fundador e editor executivo do Clube do Hardware, acaba de lançar um minicurso totalmente gratuito: "Como ganhar dinheiro montando computadores".

Você aprenderá sobre o quanto pode ganhar, como cobrar, como lidar com a concorrência, como se tornar um profissional altamente qualificado e muito mais!

Inscreva-se agora!