Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Lauro A L Brito

Membros Plenos
  • Total de itens

    920
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%

Reputação

0

Sobre Lauro A L Brito

  • Data de Nascimento 01-10-1955 (63 anos)

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    São Paulo/SP

Outros

  • Interesses
    Programação para WEB<br />Ediçao e Autoração de DVDs<br />Edição e mixagem de audio
  1. Rogério Barros Entendi a sua dúvida porém não conheco do Encore. Agora toda essa tratativa explicada parte do principio de que você vai autorar num programa tipo DVD Maestro ou Scenarits, acho que o DVD LAB também. O Encore não tenho ideia dos procedimentos dele. Nestes programas mencionados você é livre pra montar o seu dvd com a estrutura que desejar inclusive dividindo o video em capitulos de tamanhos variados, os diversos clips não precisam estar necessariamente em arquivos separados e você controla tudo pela connections que é responsável pela navegação. Você pode por exemplo cria playlists para que o dvd volte ao menu ao final de cada capitulo, porém atraves da playlist, pode executar de forma sequencial.... O Encore permite isso? Posso estar errado mas para que o Encore arraste um clip como botão, a principio voce teria que separar todos os clips, um pra cada botao? Pelo menos era assim no UVS, no UMF que usei muito tempo atrás. O UVS e UMF permitiam somente uma imagem de background e os botões trechos dos clips linkados, o Encore permite uso de videos pra background? Como voce cria os links ou ele traz um preset já definido e não permite que altere as posições dos botões? Realmente não sei.... Bom no Maestro, eu crio a (s) pasta(s) do menu(s) e arrasto pra la o(s) clips destinados. Para criar um botão basta eu clicar com o mouse numa área qualquer e abrir o retângulo na largura e altura desejadas que ao soltar o botão do mouse, o maestro já cria o botão que não passa de um link como temos na internet. Uma vez criado esse link (botão) eu posso dar uma cor com opacidade 30% por exempo pra quando o cursos estiver sobre ele e outra cor quando for pressionado play, definir a partir de onde o menu deve ficar em loop, se o menu vai ser com timeout (de 0 a 255 segs) ou se o menu ficará em loop. Acredito que o Encore não possibilite isso... Daí é que vem a minha insistência: Um menu nada mais é que um clip de 30s ou mais bem trabalhado e geralmente os efeitos seguem o rítmo da trilha sonora. Constantemente vemos também (O Lost é um bom exemplo) videos de transição entre o Menu "X" e o capitulo selecionado. Neste caso, ao se clicar no menu, é direcionamento para um video de transição que inicia no ultimo frame do menu fazendo transição com os primeiros frames do capitulo selecionado e ao final deste video de transição é que se direciona para o capitulo propriamente dito.
  2. Rogério Barros Rogério é exatamente ai onde tá a diferença. No premiere temos a liberdade de fazer o nosso menu da forma que desejamos, sem qualquer limite ou seja, o limite é a nossa imaginação. Fazer um botão com um video é simplesmente voce colocar o video numa pista acima da pista principal do video na timeline e reduzí-lo o suficiente para para tamanho do botão desejado... O premiere para isso dispõe de n pistas de video diferente da maioria dos programas que dispoem de no maximo 1 pista overlay. Ex: Temos um menu com um clip rolando. Primeiro aplicamos alguns filtros nesse clip podemos passar ele pra pb, aplicar ruidos pra criar efeito de filme antigo, etc... e tal... Por cima deste video aplicaremos numa pista um video de tamanho 100x60 que será um botão... em outra pista acima, colocaremos outro video do mesmo tamanho que seria outro botão.... e assim sucessivamente. Ou seja teriamos 1 video em tamanho normal e por cima varios videos pequenos para os botões No proprio premire podemos aplicar máscaras por baixo desses videos delimitando-os externamente com efeito de sombras por exempo ou podemos criar uma mascara no photoshop e aplicar os videos sobre essa máscara. Feito isso é so renderizar tudo no premiere e exportar. Recentemente eu publiquei um link com tuto sobre keyframes que explica bem esses recursos do premiere mas o 4shared tirou do ar porque ficou muito tempo sem downloads. O cuidado disso tudo é que o maestro cria links de formas retangulares portanto se quiser botões em forma elíptica por exemplo, teria que usar recurso tipo underline nos botões emvez de alterar seu aspecto. Tudo parte do seguinte princípio. O menu nada mais é que um clip bem trabalhado e projetado inclusive de acordo com a música se quiser ou seja, aplicar efeitos no clip conforme o tom da música.
  3. Valeu Ogro pelo feedback. O legal de tudo é exatamente voce ajudar alguem e esse dar um retorno principalmente quando a dica foi legal e resolveu o problema. Qualquer duvida que eu possa ajudar, post novamente.
  4. Beleza Dinho, espero que tenha descansado bastante pra gente retomar novamente as autorações e descobrir novos caminhos. Sei que você já está a frente do nosso tempo mas vamos de rabeira mesmo. Acho que pra muitos de nós por algum tempo ainda vai ser sonho autorar blue rays mas os seus ensinamentos sobre o convencional já é de grande valia pra nós. Obrigado pelo retorno e na medida do possível sabe que pode contar sempre comigo que naquilo que souber e puder ajudar estamos por aqui. Valeu amigão.
  5. Nightwatcher O fundo quadriculado deve aparecer já no photoshop, pois ela indica a ausência de pixels naquela área. No proprio imaginate tem um exemplo do uso do canal alpha. Se a imagem aparece com fundo branco, significa que voce criou no photoshop uma imagem em layer mas com fundo branco. Quando abrir uma nova pagina no Photoshop sempre selecione fundo transparente (embora o background que o PS cria, voce vai descartar na hora da gravação). Eu não posso me aprofundar no photoshop devido não ser este o próposito do post mas do uso combinado do imaginate com o premiere. Tanto é que voce pode gerar o seu titulo no coreldraw e exportar como eps que o premiere vai importar sem problemas e os gráficos EPS não carregam o background a não ser que faça parte da composição e esteja selecionado na hora da exportação. O uso do photoshop acho mais indicado devido aos inúmeros recursos e filtros que possibilita além dele trabalhar em 3D enquanto que o corel trabalha com 1D. quem domina bem o corel pode ate fazer títulos fantásticos nele combinando os gradientes e alguns filtros que ele possui mas a facilidade do photoshop eu acho mais apropriado. Quem quiser dicas sobre o photoshop, eu indico o http://forum.imasters.com.br onde tem dicas fantásticas sobre esse programa que até a gente que trabalha diariamente com o photoshop acaba aprendendo e fazendo uso delas. No PS não é necessario gravar qualquer seleção basta que a imagem desejada esteja num layer (camada) e claro com áreas transparentes para deixar aparecer o clip ou outra imagem que vier por baixo no premiere. San-R Eu nunca sequer abri um DVD LAB, portanto não sei os recursos dele mas pelo que o pessoal diz deve ter os mesmos recursos do maestro e como eu expliquei no Nightwatcher no post anterior, no maestro quando se está criando os links para os botões no botão avançado voce determina onde começa o loop do menu e a partir dai apos a compilação, ao entrar no menu, o mesmo fica em loop dentro daquela área definida. É provável que o LAB também tenha esse recurso talvez com nomes diferentes. Quanto a apertar o botão capitulos, ser carregado um segundo menu, deve ser feito diretamente no botão (pelo menos no maestro) direito do mouse e apontar para Menu Tal ou Movie Tal ou digitar diretamente na caixa target abaixo. Eu noto que a tecnologia do DVD é similar à tecnologia da internet, os botões são como os links das páginas portanto no quesito audio do menu eu acredito que assim como na internet não é possivel mudar de página e continuar ouvindo o mesmo audio, exceto claro quando se trata de paginas em flash. Acredito que mesmo usando command não seja possível manter a continuidade do audio quando se muda de menu, a gente observa isso nos menus comerciais que são planejados cuidadosamente para que o audio fique em loop sem mudanças drásticas no início ou no final. Morpheu-RJ - Bem vindo ao balaio como se dizia antigamente... Primeiro indicar qualquer coisa é muito complicado porque nem sempre o que é bom pra um é bom pra outro e vice-versa. Aqui procuramos trocar experiência e cada um opta um sistema de captura, um programa de edição, um programa de autoração. Aqui no forum tem muito material, muita dica sobre programas, placas, gravadores, técnicas, etc... O que posso fazer por você é dizer o meu processo que não é o da maioria pois como disse, cada um se adapta melhor com este ou com aquele programa.... 1) Captura: Tenho um JVC S-VHS (que so le NTSC) porém tem a qualidade de mais de 400 linhas de varredura além de uma qualidade bem superior ao você (Video composto) dos VCR comuns. Tenho também um Philips Stereo 7 cabeças que lê qualquer coisa (PAL, PAL-M, NTSC, etc...) mas so dá saída em você. Muitas vezes aparecem fitas filmadas em PAL-M e neste caso tenho que optar por ele pois no JVC fica em PB as imagens. A captura é feita num Samsung R121 em midia DVD-Ram, que gera um arquivo VRO de tamanho próximo aos 4GB para fitas de 120minutos. Após finalizada a captura, essa midia é inserida no leitor do micro e copiada para uma pasta geralmente com o nome do cliente ou da fita. 2) Esse VRO é carregado no programa Womble Mpeg Video Wizard o "C U B O". Esse arquivo já traz o video em 720x480 e áudio já comprimido em AC3 2.0. É feito uma rápida verificação no video pra ver se precisa de cortes (partes comidas da fita, o vcr perde o tracking e fica alguns trechos em azul). Essas partes devem ser removidas, assim como a palavra play do inicio. Essa verificação deve ser feita cuidadosamente arrastando o slider na timeline do programa. Uma vez verificado e estando o video já recortado com os excessos pois se começa a capturar antes do inicio e termina um pouco depois, neste momento já se decide se vai ser preciso menu ou um clip de abertura, ou seja algo que de inicio ao DVD antes de entrar no video principal. Vamos imaginar que fosse uma fita de casamento e tivessesmos além da fita de casamento o álbum de casamento tambem. Poderiamos fazer um belo slideshow com as fotos dentro do imaginate e portanto teriamos dois videos pra o dvd e neste caso teriamos que ter um menu pra selecionar um ou outro video ou ambos na sequencia. Então ainda nesse programa eu seleciono um trecho de 30 segs ou mais para servir background para o menu. Também se não tenho fotos (a maioria das vezes) eu seleciono uns 10 quadros que servirão pra compor a capa e o label do dvd. (label é o que vai impresso na midia). É feito uma exportação da timeline já separando o audio do video para posterior autoração. (programas profissionais de autoração exigem que o audio seja separado do video, devido a voce poder montar a estrutura do DVD de acordo com o que o projeto exija. Mudança de angulo, diversos áudios, diversas legendas, etc... 3) São criados títulos, menus, finais, créditos geralmente no premiere devido aos recursos dele que não têm no programa citado acima. 4) Com os arquivos de video e audio principal, arquivos e audio de menu, extras, créditos etc e tal, tudo é carregado no programa de autoria que no meu caso é o Maestro que tem topico excluisivo neste forum com tutorial bastante ilustrado. No maestro é feito a montagem do DVD, criado os links no menu e é ele quem gera o dvd final que sãoa os arquivos VOBS que ficam na pasta VIDEO_TS. Relação de programas geralmente utilizados: 1) Womble MPEG Video Wizard (http://www.womble.com) - Pequenas edições de video. Ele também tem a capacidade de dividir em captitulos, gerar menu mas muito limitado. Só permite uma pista de video, uma pista de audio (stereo ou 5.1), uma pista de diálogos que ele mixa junto com a pista de audio principal e uma pista de legendas. 2) Adobe Premiere Pro (http://www.adobe.com) - Inúmeros recursos para edição de video e allguns recursos básicos para edição de áudio. É um programa considerado profissional e muito utilizado em agencias de porte médio pra baixo. Porém é um programa que exige máquinas rápidas, muita memória e bom conhecimento em edição digital. dominando este programa e com uma máquina de bastante rápida dá pra se obter resultados bem próximos ao que a gente vê nos comerciais de TV basta imaginação. 3) Imaginate - http://www.canopus.com - Excelente programa pra criação de slideshows e como mostrei no post dá pra se usar também pra criar bons titulos e aplicar no video principal. Claro que o que o imaginate faz é possivel também fazer diretamente no pro desde que se tenha um bom domínio no uso dos keyframes e filtros. A vatagem do imaginate é a facilidade de se criar movimentos e a funcionabilidade que ele propoe ao ser considerado um plugin do premiere. Ou seja, não é necessário renderizar nada no imaginate, somente criar o salvar o projeto e renderizar tudo no premiere, pois ele importa o projeto *.IVP criado pelo imaginate. já em outros programas será necessário renderizar no imaginate e exportar no formato DV/AVI para ser importado pelo outro programa mas neste caso, não sei como ficaria o fundo alpha, num fiz este teste, normalmente se usa ele pra fotos e fotos não tem áreas transparentes e ocupam toda a área da tela. 4) Photoshop - também da adobe. É um dos melhores programas para tratamento de imagens 3D (qualquer foto é uma imagem 3D - um desenho geralmente é uma imagem 1D). Dá pra criar títulos fantásticos nele, combinando os filtros existente, principalmente títulos com efeitos metálicos, entre tantos outros. 5) DVd Maestro - Não é mais comercializado mas ainda se encontra para downloads. A meu ver é um excelente programa além de fácil assimilação para autorar dvds profissionais. Existem outros como DVD Encore da Adobe, DVD LAB, Scenarist da Sonic que me parece é o top desse tipo de programas. 6) Steinberg Nuendo ou Sonar: São dois excelentes programas para tratamento e criação de áudio 2 ou 6 canais. Eu prefiro o Nuendo pelo fato dele trabalhar com todos os plugins existentes na máquina e já permite a exportação em AC3. Mas o nuendo tem um inconveniente. Ele é muito exigente no quesito hardware. Ele não aceite placas 5.1 virtuais (a maioria do mercado). Eu tenho uma genius 5.1 que pra ele é uma placa stereo, já que a divisão de canais é feita mediante software e não hardware. Ele busca o hardware e até aqui a unica placa que conheço e é reconhecida por ele como multi é Platinum Plus que na ultima cotação de mercado eu achei por meros 800 paus enquanto que uma genius 5.1 custa 40,00. O sonar já não é tão exigente e reconhece essa placa como sendo 5.1 e mostra o resultado em tempo real nas 6 caixas porém tem o inconveniente de não exportar diretamente em AC3. Nele é preciso exportar em 6 canais separados no formato Wav e usar um encoder separado pra gerar o AC3 final para o DVD. É tudo questão de gostar ou não do programa. Os dois usam os mesmos plugins instalados na máquina. Claro que tem lá os seus recursos próprios. 7 - Finalmente um programa pra queimar a midia. Eu so uso o Nero Express e somente pra isso. Bom é isso agora é voce correr os post ai e se basear pelos relatos de cada um e tirar as suas conclusões.
  6. Rafa O padrão de DVD hoje é: 720px x 480px NTSC 720px x 576px PAL Resolução 72dpis. Se aumentar essa resolução tipo 300 dpis por exemplo e carregar esse aquivo no premiere, vai notar que ele vai reduzir automaticamente a imagem pra 30% porque o padrão em px é relativo somente ao display (monitor, tv, etc...) Todos esses dispositivos tabalham com saída acho que no máximo 92dpis). Resoluções acima deste valor devem ser usadas somente para arquivos com destino a saídas para impressoras. Gustavo Buchle Eu não acompanhei o topico todo mas nem sempre á fácil sincronizar legendas principalmente quando se baixa o video de um lugar e a legenda de outro. É preciso verificar primeiro o framerate de entrada do video e testar se as legendas estão sincronizadas, feito isso, tem que setar a saida da legenda para o novo framerate. É comum baixar videos com 23.976, 23.978, 24 fps. Se o final vai ser DVD a saída deve ser sempre 29,976 NTSC ou 25 para PAL. Muitas vezes, eu acabo sincronizando na unha dentro do maestro algumas legendas que adiantam ou atrasam agora se todo o final da legenda está adiantando ou atrasando é porque está entrando com valor errado por isso ta saindo tambem com valores errados.
  7. Bom vamos tentar matar tudo numa única vez: Nightwatcher Veja no topo da tela do imaginate no lado direto tem 5 botões abaixo do sliderbar. O último é do canal alpha. Se no preview estiver mostrando o fundo preto na foto, clique nele que o fundo some, ele vai considerar somente o layer da imagem. Com relação ao tamanho de fontes no premiere. Assim que pegar a ferramenta texto e clicar em qualquer área pra digitar, a caixa de atributos é aberta e portanto mesmo antes de digitar o texto, voce pode escolher a fonte, tamanho, entrelinha, leader (espaço acima das letras), sombra, contornos, distorções, preenchimentos, etc... Você pode também pegar um padrão já definido na caixa abaixo da area de titulos e depois na caixa de atributos alterar tamanho, cor, sombra, etc...
  8. Olha amigo, no maestro é nessa tela acima que voce marca o inicio do loop. O final é determinado pelo final do clip. Feito isso o proprio maestro vai criar o script para que o menu fique em loop dentro dessa sequencia marcada. Agora não esquece que para o menu aparecer no dvd, é necessário fazer o link dele em connections
  9. Nightwatcher O c u b o é um editor de video o máximo que faz é fusão no audio quando se aplica fusão no video, desde que o audio esteja multiplexado. Tem lá o básico, tipo normalize, volume, mute, nada de especial. Quanto ao Imaginate. Bom eu me preocupo com a parte que ele sabe fazer muito bem que é os efeitos das fotos. Não me preocupo com áudio, pois isso fica a cargo de outros programas. Eu uso pra edição de áudio o Nuendo 3.0 da Steinberg que a meu ver é um dos melhores programas do mercado e possui inclusive plugin para exportar diretamente em DTS ou AC3 2.0 ou 5.1. Quando estou fazendo algo no imaginate, coloco um audio somente pra facilitar a composição daquilo que eu quero mas na exportação eu removo todo o audio. Rusimar O Imaginate exporta o arquivo no formato AVI e portanto esse AVI pode ser importado por qualquer editor de video. O detalhe é que na exportação voce deve selecionar o Codec correto, caso contrário nenhum outro programa vai conseguir abrir o arquivo. Na hora que se vai exportar o default dele é o Codec Canopus DV e com esse codec e não consegui abrir o arquivo nem no premiere. É melhor exportar usando o codec Microsoft AVI.
  10. O melhor programa que encontrei até agora pra converter RMVB pra outros formatos foi esse ai o WinAviVideoConverter. Recentemente eu fiz um teste comparativo convertendo de AVI pra DVD e o resultando está baixo: Source: Video de +/- 65minutos Formato: AVI 670 x 400 e alguma coisa: premiere pro: tempo estimado: 210 minutos Womble Mpeg (C U B O): não mostra mas levou 10 minutos pra 1 minuto de video. WinAviVideoConverter: 36 minutos e estava la os vobs completinhos no micro.
  11. Pra isso voce deve usar um programa de autoria, tipo DVD Maestro ou Scenarist acho que o DVD LAB tambem. Nesses programas voce marca os capítulos onde quer sem nada automático e tem que criar as conexões portando quando estiver criando as conexões voce pode tanto fazer com que cada capítulo retorne ao menu como seguir adiante. Em programas automáticos tipo UVS, Studio e outros, somente dividindo o video mesmo é que poderia voltar para o menu.
  12. OgroShrek É o seguinte: Você pode fazer de duas formas: 1) Criar um único clip no premiere usando todos os recursos disponiveis do programa e colocar os botões (feito no proprio premiere pelo Title) ou importanto um PSD do photoshop após n segundos. No exemplo acho que deixei o botões aparecendo a partir de 15 ou 20 segs não lembro. Salvar o clip e no maestro, na seção de menus, tem uma barra de botões para se criar os links, Na aba avançada se não me engano, voce determina a partir de onde o dvd ficará em loop no menu. Essa forma é a mais simples porém tem o inconveniente de que cada vez que se pressionar o botão title ou menu root, o clip volta la inicio do menu sem botões etc... 2) A maneira mais correta de se fazer é: criar o clip completo no premiere, renderizar colocar os botões e a seguir, marcar como sequencia do inicio até a entrada dos botões (sem os botões claro) e exportar como WokArea (acho que é o termo la). Ou seja, exportar somente a primeira parte do clip. Marcar o final do clip, a partir dos botões e exportar como menu 2 talvez. As vezes eu costumo ainda fazer o seguinte: Após renderizado todo o clip, eu exporto o ultimo frame do clip como bitmap e importo novamente pra timelime. Capturo também se possível o primeiro frame do video e faço uma sequencia de fusão entre o último frame do menu com o primeiro do video. Ou seja tenho tres sequencias de video pra montar um menu legal. No maestro, eu abro o menu, carrego o inicio dele sem qualquer botão, porém marco em conections que o End Action dele deve ir pro menu2. Abro outra pasta de menu (menu2) carrego a segunda parte do clip, que tem os botões, crio os links e em vez de enviar o action do menu para ao video eu envio para o menu3 que igual ao menu1, conteria somente a sequencia de transição para o video. O menu3 teria o seu EndAction apontando para o video. É trabalhoso? É, como todo trabalho bem feito! Eu uso para criar menus, titulos ou extras quando necessário o photoshop, combinado com os efeitos do imaginate e renderizando no premiere.
  13. soat O premiere importa qualquer arquivo com camadas. Dessa forma voce deve criar o seu Title no photoshop numa camada, remover o background e salvar com PSD que é o formato nativo. Agora o importante é usar uma so camada porque na hora que o premiere importa se tiver mais de uma camada, você vai ter que selecionar qual camada vai importar.
  14. A pixelView tem uma entrada e uma saída de audio. Junto com a placa acompanha um pequeno cabo preto P2->p2 que é pra fazer a ponte da pixelView com a placa de audio do micro. A captura do audio so acontece através da placa de audio. Se estiver capturando de um VCR pode ligar o audio direto na entrada da placa de audio sem passar pela pixelView agora se estiver capturado o sinal da TV vai ter que fazer essa ponte com esse cabo ou melhor ligue o sinal da TV diretamente no VCR e do VCR ligue o cabo de video na entrada de video da PV mas o cabo de audio ligue direto na entrada de audio da placa de som. A qualidade é melhor.
  15. Amigo isso aconteceu comigo uma vez e descobri o seguinte: Eu tinha capturado o audio em mono e portanto o UVS gravou o DVD com audio mono so que o meu dvd ta setado pra stereo então não saia audio nem a pau. Depois fuçando no DVD descobri isso e setei pra mono e estava la o audio. Eu tive que reeditar o dvd, duplicando o canal de audio pelo menos pra sair nos dois canais.

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×