Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.

Pincipi

Membros Plenos
  • Total de itens

    370
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%

Reputação

117

1 Seguidor

Sobre Pincipi

  • Data de Nascimento 13-12-1964 (53 anos)

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    São Paulo/SP
  • Sexo
    Masculino
  1. Neste aqui eu não sei mas, em um outro modelo parecido até que foi possível instalar o Windows 7 porém, não reconheceu os drivers.
  2. Na realidade eu não tenho ideia da carga suportada, por enquanto tive sorte e nenhuma queimou a placa.
  3. @Viny Ela não guardou a propaganda mas, jura que o vídeo mostrava o laser queimando os pelos e não aparando. Realmente o LED serve apenas para iluminar e tornar mais fácil ver os pelos. Ela acreditou que seria a solução definitiva par eliminar os pelos, coitada. Ela não foi a única a cair no golpe:
  4. Minha esposa comprou um depilador a laser e na hora de usar funcionou por apenas alguns segundos, depois de carregar por duas horas e meia e acionar o botão de ligar, apenas pisca a lâmpada seis vezes e mais três segundos o motor funciona, desligando depois de quatro segundos. Parece que foi fabricado apenas para iludir o consumidor no momento da compra ao fazer o teste, mostra que funciona e depois não funciona mais. Eis ele ai desmontado, na bateria está escrito 4,7 Volts 300mAh e o que poderia ser o laser, parecem ser apenas 4 leds.
  5. @Fokas Eu entendi assim: o @Victor_Rosa fez um anúncio no ml e não realizou a venda, um falsário golpista lhe enviou e-mail falso se passando pelo ml dizendo que a venda foi realizada (quando de fato não foi realizada), o golpe foi tentado e o vendedor não caiu porque não fez o envio. Caso o vendedor tivesse realizado o envio, nunca iria receber o valor da venda porque nenhuma quantia foi paga ao ml ou ao comprador e ainda ficaria sem a mercadoria e também com o prejuízo do valor da postagem. Quando for vender, recomendo ver se no site consta a venda e se não constar, ignore o e-mail do falsário golpista.
  6. Eu já tive muitos Acers, dois deles travaram na tela com o logo da Acer e não saiam disso, um deles resolveu o problema desligando da tomada, tirando a bateria e abrindo a tampa de baixo, retirando e recolocando o HD, o outro resolveu seguindo os mesmos passos retirando e recolocando a memória, ai foi só ligar que voltou a funcionar normalmente, ambos estavam fora da garantia, caso o seu ainda esteja na garantia aconselho a procurar a assistência.
  7. Precisei das unhas da MFC9330 (linha 9020, 9340, 9130) porque achei que as originais estavam desgastando o rolo Fusor que acabou rasgando, só que na hora de comprar foi difícil encontrar no mercado. E quando achei o preço estava fora de minha realidade, R$ 30,00 a unidade. Então vi pelas fotografias que as unhas da linha 8085, 8080, 8480, 5350,5370,8065,8060 são quase idênticas e bem mais baratas. Comprei o kit da mais barata e separei as partes do que é conhecido como “unha do fusor” que na realidade ao ser desmontada se tratam de três partes as quais posso chamar de dedo, mola e unha. Na foto acima o que chamo de dedo são as partes plásticas, de cor preta da série 8085 e de cor branca da 9330. A mola é o arame de metal e as peças que sobraram são as unhas, que tem uma camada de teflon prateada. As unhas são encaixadas no dedo, dá para tirar com as mãos ou então colocando algo no pequeno vão do plástico do dedo para facilitar a separação. É um encaixe simples de tirar e depois para colocar de volta basta empurrar seguindo o pino guia do dedo com o furo da unha. Coloquei a unha da série 8085 no dedo da série 9330. As unhas são idênticas, só muda o dedo e as molas, não dá trabalho e ainda sobra dinheiro para outras coisas. Só não sei o que fazer com as peças que sobram, acho que vou guardar, quem sabe no futuro sirva para algo. Mais econômico que isto eu não sei, só mesmo descobrindo que as unhas não servem para nada e pode usar a unidade Fusora sem elas.
  8. @Antônio Albuquerque Eu passei por algo parecido, se não me engano eu só girava o toner com a impressora ligada na mensagem de erro, sem retirar ele por inteiro, só fazia o movimento suficiente para o chip se desconectar do sensor e depois retornava a posição original de fechado, girando ao contrario, não caia nada de pó, após duas ou três manobras, a mensagem não voltava mais, enquanto ela permanecia ligada. Depois de um tempo não deu mais a mensagem.
  9. Para quem se interessar, reuni as anotações que tinha sobre as compras que fiz à partir do ano de 2016 e montei minhas estatísticas de compras no exterior, sem computar o tempo de entrega, o qual vou contabilizar daqui por diante. 2016 - de 9 compras, 5 foram entregues e 4 não, sendo que 1 estava quebrada. R$ 160,43 gastos sendo que R$ 129,53 foram perdidos em não entregues e quebrado. Média de R$ 17,83 para cada item comprado. A última compra que não foi entregue foi em 17Jul16, sem esperança de entrega. 2017- de 53 compras, 37 foram entregues e 16 não, sendo que 2 estavam quebradas, 1 faltando partes e 2 com defeito. R$ 691,96 gastos sendo que R$ 262,83 foram perdidos em não entregues e defeito. Média de R$ 13,06 para cada item comprado. A última compra que não foi entregue foi em 07Nov17, até seis meses ainda tenho esperança de entrega. 2018 – de 15 compras, 1 foi entregue e 14 não. Ainda não dá para fechar a contabilidade do ano, tenho que esperar até Mar19 para se ter uma posição do ano. Observações: -Um mesmo item foi comprado 5 vezes, nas seguintes datas; 21Jan16, 23Mai17, 23Ago17, 07Nov17, 09Jan18 e nunca foi entregue, ou seja já fazem dois anos que estou tentando comprar e não consigo receber. - Em mais da metade das compras não entregues de 2016 e 2017 eu não consegui a restituição do valor pago, fiquei no prejuízo, sendo que 3 compras chegaram depois da restituição do valor pago, 2 eu consegui pagar de novo e 1 eu não consegui, fiquei com a mercadoria de graça. Caso queira acompanhar, seguem mais dois códigos de rastreio RH943695891CN e RG938995139CN.
  10. Eu tenho diversos casos para relatar, começando pelas encomendas que enviei: - Depois de atraso de vinte dias constou mercadoria extraviada, restitui o valor pago ao comprador e depois de um mês a encomenda foi entregue, fiquei sem o dinheiro e sem o mercadoria. - Sedex Mundi enviado à Inglaterra com prazo de entrega em sete dias, paguei R$ 580,00. Depois de 30 dias chegou no país de destino e a alfandega de lá recusou a mercadoria porque a declaração de conteúdo estava em português e pela norma do país, só podem ser aceitas declarações de conteúdo na língua nativa, Inglês, compareci na agência e preenchi nova declaração em Inglês que foi enviada fisicamente por conta do correio, depois de mais 30 dias chegou lá e passado uma semana a mercadoria foi devolvida ao remetente com a alegação de ter sido recusada pelo destinatário, sendo que o destinatário alega ter comparecido diversas vezes na agência de lá e sempre diziam que a mercadoria não era encontrada no sistema. - Barrada pela fiscalização Estadual do Ceará, a mercadoria (discos de metal) ficou retida com base na lei de moedas antigas que não podem comercializadas, tive que devolver o valor ao comprador e passados 90 dias a encomenda foi entregue ao destinatário, fiquei de novo sem o valor e sem a mercadoria. - Cai num golpe e enviei a mercadoria a um estelionatário, fiz o Boletim de Ocorrência e levei ao CDD onde constava o rastreio, junto com um Mandado de Busca e Apreensão da Delegacia, ninguém conseguiu localizar a encomenda, 20 dias depois apareceu no rastreio que a mercadoria foi entregue, num endereço que é um terreno baldio, procurei a Justiça e o Juiz disse que a responsabilidade é minha, que os correios não tem responsabilidade alguma. Mais uma sem o dinheiro e sem a mercadoria. - Constou no sistema como entregue ao destinatário, fui ameaçado de morte pelo comprador se não devolver o dinheiro porque a mercadoria não tinha sido entregue, devolvi o valor e quando contratei um advogado que entregou uma notificação prévia ao Correio, a encomenda foi devolvida ao remetente sem justificativa, recuperei a mercadoria mas, gastei quatro vezes o valor dela com um advogado. - O comprador desistiu da compra dentro do prazo de sete dias e paguei o frete de volta devolvendo o valor, passados 60 dias a caixa chegou, no lugar da mercadoria devolvida tinha um tijolo dentro. Agora meus casos com minhas compras, no Brasil e no exterior: - Pacote apreendido ao chegar no Brasil e enviado ao Japão por se tratar de patrimônio histórico, onde foi examinado e constou como não pertencente ao patrimônio histórico do país, encaminhado para a Inglaterra onde, constou como sendo objeto acima das dimensões permitidas dos pacotes internacionais e devolvido ao remetente na China. Fiquei sem o dinheiro e sem a mercadoria. - Mercadoria danificada e constatado pelo correio, fui retirar na agência e tive que assinar um termo isentando a responsabilidade dos correios. - Mercadoria danificada e não constatada pelo correio, mais de vinte casos. - Caixa vazia, rasgada sem nada dentro ou faltando partes do objeto, uns dez casos. - Rastreio consta como entregue e não foi entregue, sendo devolvido ao correio e depois entregue realmente, uns seis casos. - Recebi um fardo com diversos pacotes amarrados, só o de cima era meu, todos os outros eram de outros moradores do mesmo prédio, agora sim eu entendo porque muita coisa nunca chega na minha mão. - Entrega em endereço diferente do destinatário, de vez em quando o porteiro do prédio vizinho trás as correspondências e pacotes do meu prédio que foram entregues por engano lá. - Lente de máquina fotográfica Nikon apreendida pelo Exército como sendo mira laser, mercadoria perdida porque só pode ser liberada com um certificado internacional de importação expedido antes do envio. Não aceitaram as provas que apresentei. - Binóculo simples apreendido pelo Exército como sendo luneta de visão noturna, com ameaça de instauração de processo administrativo. Deixei o advogado de prontidão e nada aconteceu, perdi a mercadoria. - LEDs apreendidos pela Anvisa como sendo medicamento, perdi a mercadoria. - Objeto saiu para entrega no domingo seguido de carteiro não foi atendido. - Objeto saiu para entrega na segunda feira seguido de entrega não efetuada, será entregue no próximo dia útil, sendo entregue na terça feira da outra semana, sendo que não haviam feriados no período. - Taxação de imposto sobre o valor de U$ 500,00 sobre uma mercadoria que custou R$ 30,00. Levou dois meses para ser julgado e aceito o recurso, acontece que o vendedor desmembrou a compra em dois pacotes e quando chegou o segundo pacote, este também foi taxado no valor máximo, a sorte é que aceitaram o recurso do segundo pacote porque eu já tinha pago o imposto sobre os dois pacotes. - Mercadoria taxada como um Ipod de U$ 150,00 sem a identificação do remetente, paguei achando que era o Ipod comprado mas, era outra coisa que comprei e valia U$ 1,00 enquanto que o Ipod mesmo nunca chegou. - Entrega depois de seis meses da compra, antes tarde do que nunca! - Mercadoria taxada, vi o pacote, estava perfeito quando encaminhei o pedido de revisão do valor de imposto cobrado, quando fui retirar pagando o valor correto de imposto, o pacote estava achatado e tudo nele esmagado e quebrado. Ganhei o recurso, paguei o imposto mas, não levei a mercadoria, ou melhor, fiquei com os pedaços dela.
  11. @Antônio Albuquerque Pode ser que seu problema seja mais fácil de resolver do que pensa. Poste uma descrição do que está acontecendo.
  12. Sobre a mercadoria ou embalagem avariada, ou o pacote que parece ter sido atingido por um raio, citado logo acima, quando acontece isso, a encomenda é encaminhada para uma agência própria dos correios, mais próxima ou pelo menos responsável pela área do local de entrega, não vai para agência franqueada por exemplo, só vai para agência própria, lá, enviam um aviso de que se encontra disponível para retirada, bem como aparece no sistema "objeto aguardando retirada no endereço indicado", o destinatário tem que levar documento de identidade e o código de rastreio se não estiver com o aviso em mãos. No atendimento o funcionário vai mostrar o pacote e perguntar se aceita ou não a encomenda ou pelo menos o que sobrou dela, no meu caso a funcionária trouxe uma espécie de urna funerária, do tipo daquelas caixas de plástico em que são guardados ossos e restos mortais, abriu a tampa e me mostrou um pacote ou uma massa embolada quase irreconhecível porém, com a etiqueta de envio legível, caso o destinatário aceite, tem que assinar um termo de constatação, onde é discriminado em termos gerais os danos ocorridos e também assinar uma declaração de que está recebendo a mercadoria no estado em que se encontra sem contestação, isentando de responsabilidade os correios. Não sei o que acontece no caso de não aceitar. Acredito que eles devem esperar um prazo e depois devolver ao remetente.
  13. Continuando, enquanto a peça não chega, resolvi fazer novos testes com as unhas do Fusor. O primeiro foi a remoção das unhas e imprimir sem elas para ver o que acontecia, eu apostei que ocorreria um atolamento: Usei um alicate de ponta para deslocar a mola que faz a dupla função de travar e de manter pressionada a peça, dá para tirar com qualquer objeto pontiagudo, a força dela é muito fraca. Após soltar, a peça inteira desliza para fora. Aqui um detalhe delas já soltas fora da unidade Fusora, observe que nas pontas tem um sinal de desgaste. Depois de remontado, sem as quatro unhas, fiz uma impressão e ocorreu tudo normalmente, a folha não atolou nem ficou presa na impressora, perdi mais uma aposta então, fica a dúvida cruel, para que servem estas unhas? Procurando respostas no manual de serviços, não existe menção direta à elas, o mais próximo que se comenta é sobre a substituição da unidade Fusora, não tem nada mais detalhado a não ser uma figura geral do percurso da folha de papel pela impressora: Num detalhamento mais perto, dá para observar a figura do que seria a unha: Destacada no circulo verde. Tentando simular como é o papel passando por ela: Seria algo assim, parece que passa longe e a unha nem chega a tocar no papel: Eu pensava que o papel passava entre a unha e o rolo Fusor, que neste caso está prateado porque a camada de borracha foi removida. Passei a pensar que a função da unha é evitar que o papel entre o espaço errado e seja direcionado para o próximo conjunto de roletes, justamente para evitar que enganche como no exemplo abaixo: Onde forcei a passagem do papel no lugar errado. Parece que esgotei esta parte sobre a passagem do papel pelas unhas e vamos seguir adiante com outras considerações que se passaram em minha cabeça. Procurei por anúncios ofertando a referida unha e não achei nada no mercado internacional, com as palavras "nail" "fuser" e "Brother". Só achei no nacional procurando pelas palavras "unha", "fusor" e "Brother", encontrei vários anúncios para a série DCP8085DN/8085/8080/8070/8060/8065/8065DN/8870DW/8480DN/8480/8890DW/8660DN/HL5240/5340/5350 e nenhum para a série Dcp9020 Mfc9330 9340 9130 HL-3140, que são os que procuro. Passados alguns dias em novas pesquisas, consegui descobrir que fora do Brasil estas peças são conhecidas pelo nome de "dedos" e não de "unhas", então consegui achar muitos anúncios pesquisando por "Fuser" "Picker" e "Finger", respectivamente "fusor", "selecionador" e "dedos", seguido pela palavra "Brother", ocorre que os preços são fora de noção, custam mais caros do que uma impressora nova quando se acrescenta o valor do frete porém, a variedade de modelos utilizada é muito grande. Resolvi desmembrar em partes as unhas que tenho: Forcei uma ponta entre as partes e elas se soltaram: São apenas encaixadas. Deu para notar que a peça se divide em três partes: O plástico branco eu posso chamar de dedo, alavanca ou seletor, a parte dourada eu chama de unha mesmo e por fim tem a mola. Olhando em detalhe a unha: Deu para notar também em comparação com outras fotografias que conforme a série de impressoras, a unha parece ser a mesma enquanto que a alavanca e a mola mudam de uma série para outra. Passados mais alguns dias achei anúncio da série que quero, a 9330, só que custa R$ 30,00 cada unidade e se comprar as quatro vai sair R$ 120,00 fora o valor do frete, um valor de certo modo exorbitante se for somado ao custo do rolo Fusor, por exemplo de R$ 180,00. Nesta brincadeira dá mais de R$ 300,00 num reparo de uma impressora que pode ser encontrada usada em torno de R$ 600,00 o que já é suficiente para condenar ela, sem realizar os reparos porque compensa comprar outra nova e ter uma certa garantia. Como estamos no Brasil e brasileiro sempre dá um jeito, vamos as nossa alternativas disponíveis: A primeira é aproveitar as unhas de outra série que é mais barata a oferta, afinal de contas pelas fotografias parecem ser idênticas as peças de série diferentes, pelo menos na parte da unha em separado da alavanca, comprei um jogo da 8085 a R$ 12,00 cada e quando chegar vou ver se dá certo. Outra alternativa é recuperar a unha danificada, fazer um serviço de manicure, do tipo assim, pintar com tinta teflon ou com tinta de alta resistência ao calor. Se observar bem o detalhe, a peça é de uma espécie de plástico de cor marrom, recoberta por uma camada de teflon de cor prateada, como se tivesse sido pintado por spray ou aerógrafo. Este é o detalhe das pontas que entram em contato com o rolo Fusor: Do outro lado não tem dano algum. Para tirar a prova da possível recuperação realizei o seguinte experimento: Lixar uma peça: Com a lixa mais fina que encontrei: Veja a diferença do detalhe acima em que parte do teflon foi removido e abaixo com a remoção completa do teflon: Feito isto, deixei duas peças sem intervenção e duas peças lixadas, das peças sem intervenção eu pintei uma delas com a tinta que tinha disponível: Um restinho de tinta automotiva que sobrou, também pintei uma peça lixada e ficou assim, depois de esperar secar por um dia: Ficou com bolhas. Remontei a unidade Fusora com as unhas trabalhadas e fiz uma impressão: Ficaram assim as unhas: A peça sem intervenção continuou como estava, a peça apenas lixada ficou com uma camada de resíduo de pó de Toner e em ambas as peças pintadas a tinta não resistiu e se soltou, sendo que na parte do teflon se soltou mais, enquanto que na peça lixada, sem a camada de teflon, a tinta resistiu um pouco mais. Eu sei que a tinta utilizada não é própria, bem como a forma de aplicação por pincel não proporciona o mesmo acabamento de se aplicar por spray, e ainda que o rolo Fusor está só no alumínio, sem a camada de borracha e por causa disto age como uma lixa, mas, é isso, foi mesmo para se ter uma ideia do que pode acontecer ao tentar recuperar a unha, pelo resultado, parece ser totalmente inviável. Eu não sei como esta camada original de teflon foi aplicada, nem sei mesmo ao certo se é teflon mas, o que posso dizer é que sem ela o desgaste pelo atrito é grande. Infelizmente, meu sobrinho pentelho entrou na área de testes e pisou na unidade Fusora, quando eu estava escrevendo este post e como resultado, ao remontar, apareceu a terrível mensagem de diagnóstico automático na impressora, pelo jeito deu um novo defeito do tipo quebrou a lâmpada ou soltou uma solda ou rompeu algum fio, vou ter que voltar no manual para saber como realizar o diagnóstico pela combinação de teclas e deixar que a própria impressora indique o erro ou defeito.
  14. @M.B.M Computers Pelo que vi no vídeo acima, é uma lata de massa plástica com um frasco de catalisador, material que pode ser encontrado principalmente em lojas de tintas, bem como em outros comércios como materiais de construção, tem basicamente dois tipos, a normal conhecida como plástica, mais barata e a acrílica, mais cara. A aplicação que mais conheço é em funilaria de automóveis, não sei dizer qual é melhor indicada para o caso de carcaças de notebooks, precisa estudar as características de cada uma para saber, uma é mais fácil de lixar que a outra e conforme o tipo de tinta utilizada, uma dá melhor acabamento e durabilidade que a outra. Outras aplicações são em mármores, modelagens e reparos em geral. Na internet tem vários vídeos mostrando com se usa, só sei o que se utilizar muito catalisador a massa endurece rapidamente e mal dá para trabalhar com ela, enquanto que o contrário, pouco catalisador, ela não endurece ou fica quebradiça sem resistência, mesma coisa para não misturar bem. Sugiro fazer experiências com pequenas quantidades e observar como se comporta antes de fazer o reparo final na carcaça, eu pessoalmente retiraria a placa-mãe para evitar um dano nela e protegeria com fita durex as partes que não quero que entrem em contato com a massa. adicionado 1 minuto depois Para saber a melhor marca só perguntando para quem trabalha com a massa, funileiros, marmoreiros e outros.

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×