Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Renato.88

Membro Pleno
  • Total de itens

    7.649
  • Cadastrado em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%

Tudo que Renato.88 postou

  1. A ideia não é substituir nada, é criar um novo circuito pra alimentação da tal fonte que vai acionar o computador. Vai ligar ou desligar alguma coisa, então estamos enviando um bit, não deixa de ser um sinal. Pois pra isso o valor de tensão não importa, basta apenas ligar ou desligar.
  2. E é exatamente pela simplicidade que tende a funcionar melhor.... Não tem gambiarra nenhuma nisso. Só usar fio comum de 1,5mm² que funciona.
  3. Usando a própria rede. Acionar um sinal externo a rede elétrica com a própria rede elétrica é mais difícil do que adicionar um sinal num circuito de tensão abaixo de 12VCC. Se no local onde será instalado o tal botão já tem uma lâmpada ou tomada aproveita-se aquela fase que está ali pra jogar no botão. Do outro lado (onde fica o raspberry) coloca-se uma fonte de alimentação nesta mesma fase do botão obviamente com um neutro ali próximo pra completar o circuito. A saída desta fonte que pode ser um carregador de celular qualquer de 5V pode acionar a porta do raspberry. Outras alternativas como um relé com bobina de tensão da rede (creio que seja mais caro).
  4. Já que o circuito.... Faça da maneira mais simples: Pra fazer o transporte do sinal entre os 15 metros use a rede elétrica mesmo, lá no seu raspberry você reduz a tensão, aí pode usar uma fonte, um relé ou mesmo o opto acoplador.
  5. Se está falando daquelas lâmpadas que se parecem com a néon, elas são incandescentes de um pouco mais que 2V. 50 delas em série acendem em 110/127V. Mas vejo que já estão sendo substituídas pelos leds. Em automóveis antigos era comum esse tipo de contato para piscar as luzes de seta/alerta. As quatro lâmpadas de 21W faziam passar pelo relé 7 amperes! Quanto ao circuito título do tópico, eu fiz um desse, mas usei um capacitor de 100nF e um diodo 1N4007 no lugar do resistor de potência, dessa forma não há aquecimento. O zener eu acabei reduzindo pra 12V.
  6. Eu estava falando do primário. Sim, como foi dito é um relé de partida. Numa antiga camionete que meu pai tinha o miolo da chave emperrou e o tal relé ficou ligado até queimar, durou alguns minutos.
  7. Alguns amplificadores formam o "pipoco" lá na saída independente do que se tem na entrada. A maioria dos amplificadores de potência tem relé nas saídas dos alto falantes pra evitar isso, se esse não tem a minha sugestão seria colocar um relé na saída e outro na alimentação do amplificador. Não precisará desligar suave, pois o amplificador estará sem carga então não tem pico de corrente. Mais interessante ainda é se o relé de saída tiver um retardo.
  8. Sobre reduzir as espiras pela metade e dobrar a bitola do fio eu já tinha dito antes... Porém a @.if tem razão: É assim que funcionam motores e transformadores bivolt, numa chave podemos mudar o enrolamento de série para paralelo alterando tensão e corrente para manter a mesma potência. O que o amigo @Rafael.R pode fazer é justamente cortar o enrolamento original de 12V no meio e ligar as pontas em paralelo, observando claro a polaridade pra manter o campo magnético na mesma posição. Dessa forma não haverá aquecimento na bobina, mesmo que as desse tipo sejam feitas pra funcionar por pouco tempo.
  9. Deve diminuir as espiras, se é de 12V para 6V então é a metade. Deve colocar um fio mais grosso no lugar. Dobrando sua bitola em mm². Porém na prática o fio que está lá pode funcionar mesmo cortado pela metade. Faça um teste pra ver.
  10. O que tem no datasheet e ajuda como entender o funcionamento são as tabelas verdades e os gráficos. Foi assim que eu entendi como funciona. Recomendo ao amigo @Felipe2719 que procure maneiras entender os gráficos dos contadores e também as tabelas verdades, e claro um pouco de inglês (pelo menos as palavras principais). Assim vai ficar fácil entender datasheets de outros tipos de componentes.
  11. CEP e CET são os pinos de Enable. Servem para interromper a contagem. MR é o Master Reset, serve para zerar o contador a qualquer momento. Como tem uma "bolinha" ali no esquema a função é ativada quando o pino é levado ao zero. PE ativa as entradas paralelas, (as que estão abaixo, D0, D1, D2 e D3). Quando esta entrada é levada a zero o resultado na saída do contador é o que está configurado nessas entradas. Se a entrada for levada de volta a um, mostra a contagem atual. CP é o clock, a cada transição o contador muda seu estado. Pra que esta entrada funcione é necessário que todas as outras funções estejam desativadas. TC é a saída chamada "vai um", ela muda de estado todas as vezes que o contador muda de 9 para zero. Assim ela pode ativar o clock de um segundo contador para por exemplo formar a dezena, num terceiro contador formar a centena e assim por diante.
  12. Se esse trafo tivesse ruim, o alto falante nem dava sinal. Com transformador não tem meio termo. O defeito está nos componentes envoltos da válvula V3. Pode ser o C21, C22, R6 e R14 abertos ou com mau contato. C17 e C23 podem estar em curto.
  13. Algumas dessas fontes ruins eu já desmanchei pra sucata. E percebi uma coisa: a tensão de 5V é a mais protegida porque a fonte é regulada através dela, sendo referência pro circuito funcionar. As outras tensões recebem monitoramento também, mas não igual a correção de tensão que tem nos 5V. Em outras palavras, alimentar cargas que precisem das outras tensões (3,3 e 12V) pode ter mais risco de estragar do que alimentar com os 5V.
  14. Exato, se ligar no USB original do computador demora muito pra carregar. No meu caso coloquei um conector USB ligado diretamente a fonte, sem passar pela placa-mãe. Na verdade é mais de 1A, eu medi no meu 1,3A. Depois que se padronizou em usb isso não existe mais virou tudo 5V. Antes também tinha até de 5,5 e 6V. Alguns celulares tem carga rápida com tensão de 9V (ou outro valor dependendo do modelo), logo penso que dentro do celular temos um conversor step down para aumentar a corrente quando sobe a tensão de entrada. Pois todas as baterias ainda mantém a mesma tensão de 3,7V. Para ativar essas funções existe a comunicação entre os pinos de dados do USB que controla quando esses valores de tensão maiores devem ser ativados ou não.
  15. Melhor do que com certos carregadores que vendem por aí... Não. Eu mesmo quando estou mexendo no PC aproveito pra carregar meu celular nele, é praticamente a mesma coisa que você quer fazer.
  16. São triacs mesmo, ta aí o datasheet do danado: https://www.st.com/resource/en/datasheet/t435.pdf
  17. Fonte linear se ficar insistindo mesmo que não funciona pode estragar mesmo. Na chaveada fica aquele liga desliga comentado inúmeras vezes aqui no fórum por quem já tentou, mas não queima.
  18. Eu nunca liguei. Mas na teoria, se a parafusadeira tiver controle de velocidade vai funcionar, porém não terá todo o torque final no aperto do parafuso, visto que a bateria fornece corrente maior. Já se a parafusadeira for de uma velocidade só, tende a não funcionar. Pois as fontes chaveadas não suportam a arrancada brusca de um motor elétrico e acabam desarmando.
  19. Está. E também aprendeu que não se Mede componentes no circuito, a resistência dos outros componentes é "somada" ao que você quer medir e atrapalha.
  20. Isso aí pra mim é assim mesmo.... O fabricantes jogam a potência dos aparelhos no máximo que pode chegar. Por exemplo, se o motor travar ele pode consumir essa potência. Se o aparelho funciona corretamente, não há porque se queixar que está consumindo menos energia, ainda mais agora onde o preço da energia elétrica sobe toda semana!
  21. E eu ainda acho que sai mais barato que adaptar regulador de tensão com outros tipos de pilha.
  22. Estranho mesmo, pois quando queima a resistência costuma aumentar. Esse aí devem ter trocado somente a pista talvez pra manter a chave. Esses rádios têm a impedância bem alta, talvez o potenciômetro esteja realmente cortando o áudio. Faça um teste, coloque o potenciômetro lá mas não ligue o terminal do terra, o som deve sair no último volume talvez até distorcido. Se isso ocorrer pode trocar o potenciômetro pelo correto.
  23. Sim, tem lugares onde chamam a pilha palito (AAA) de pilha lapiseira. No primeiro post do tópico é especificado, mas não sei se é o mesmo modelo do amigo @Cassoni Malta Retrô Essa tensão era usada para as escalas de resistência alta no caso as x10 e x100. Me lembro de ter visto uma revista antiga que ensinava fazer um tipo de step up pra esse tipo de aparelho, a alimentação era com a bateria quadradinha de 9V.
  24. As vezes o potenciômetro pode ter sido trocado, ou mesmo a fábrica fez alteração no projeto do rádio. A resistência total do potenciômetro não influencia muito na função de volume. Para tirar as dúvidas deve medir de todas as formas. Meça entre as pontas para ver a resistência total. E depois o pino do meio com ambos os lados, nesse teste com as pontas de prova encostadas gire o cursor para ver se há mau contato. Qualquer um de 500k serve, mas que seja do mesmo tamanho desse aí pelo menos. Nessa época usavam o tamanho grande, que hoje praticamente está em desuso. Talvez hoje seja mais fácil procurar pelo valor de 470k que é praticamente a mesma coisa.
  25. Quanto tem de que? A maioria das caixas só tem um alto falante e este é o que Mede 6 ohm. Se procura saber a potência, ela vem marcada no alto falante ou no manual do aparelho o qual a caixa veio.

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas comunidades sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

Curso de Hacker Ético

LANÇAMENTO!

CLIQUE AQUI E CONFIRA!

* Este curso não é ministrado pela equipe do Clube do Hardware.