Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

DELPITEC

Membros Plenos
  • Total de itens

    96
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%
  1. Você grava ele com seu pickit e após a programação, o pino assume a função do código. Mas como gravar de novo? Simples, insira seu pickit novamente nos pinos de gravação e manda gravar. O pickit realiza um reset diferente, que o pic entende que está sendo regravado. Se você quiser ler a frequência que uma tensão varia de high até low (é o que entendi) você pode usar esse high para acionar e desaciona o timer. Você terá o período, e como sabemos: F = 1/T ABS
  2. Ué...mas você mesmo assumiu que queria mastigado. Aqui você mostra que não sabe nada de programação. Para não dizer que não ajudei: > Aprenda o básico de programação (existem milhares de canais no YouTube para isso) e assim, automaticamente irá aprender o básico de ligação de leds em pic. Utilize o Protheus para simular. > Compre um pickit3 , assista uma vídeo aula de como ligar e gravar um pic (fácil de achar no YouTube). Se nada resolver, repita a cadeira (se for uma disciplina) ou contrate algum profissional para fazer para você (caso seja um projeto contratado). Abraço!
  3. Sim...minha risada no final era para demonstrar sarcasmo. Mas eu fico muito feliz em saber que a concorrência aí fora é essa, profissionais do Ctrl C + Ctrl V
  4. @edyadjuto pinagens no datasheet. O restante o pessoal do grupo vai te dar mastigado hehehehehehe
  5. Ué...colocar mais peso em cima dele. Kkkkkk Ok, agora que já fiz a piadinha posso perguntar? Cadê seu código? Seu diagrama? Você já fez algo?
  6. Só pra não deixar passar em branco...eu não sei se esse pic tem o bit HLVDCON Caso tenha, só colocar um capacitor na fonte que mantenha o pic alimentado o tempo suficiente para testar o bit e se ele detectar tensão baixa, grava o dado que for na eeprom, correto @Isadora Ferraz ? Abs
  7. O exemplo do datasheet é em assembly mas é simples de converter para C. É antes do código em asm (no datasheet) tem um explicação passo a passo do que deveria ser feito. Abs
  8. Em qualquer compilador, prefiro eu mesmo escrever a função de gravar dados na eeprom. Essas bibliotecas não desativam o flag de gravação da EEPROM e nem apontam o registrador EEADR para um endereço vazio e ao executar em um power down os dados podem ser perdidos (já passei por isso na prática, um pic em um sistema com muitas quedas de energia perdia os dados na eeprom, pesquisa por EEPROM Lost data em fóruns gringo e verá que muitos passam por isso). Isso acontece pelo que citei acima: porque as bibliotecas não desativam os flags de escrita e nem zeram o registrador que aponta o endereço de memória que será gravado. A melhor coisa é você escrever na mão essa biblioteca. Pesquisa no datasheet por EEPROM write e EEPROM read e lá tem os comandos para fazer escrita e leitura. Não vai dar mais que 5 linhas de código cada uma. Abraço
  9. Dá pra fazer de vários jeitos, aqui vai um: 1) Configura o TIMER 0 como temporizador e que incremente uma variável global contador_estouros a cada 1ms 2) Crie eu próprio delay Ex: void my_delay_ms(char estouros){ start_timer0(); // você terá que criar a função que inicializa o timer0 com o valor de 0 while(estouros > contador_estouros_timer0); // ficará aqui enquanto seu valor em ms for maior que o contador do TMR0 stop_timer0(); // você terá que criar uma função que pare o timer0, para ele não ficar contando infinitamente } 3) Substitua seus delays antigos por my_delay_ms(); Existem vários artigos de como configurar o timer 0 do PIC. Aqui tem um bem didático. http://microcontrolandos.blogspot.com.br/2012/11/utilizando-o-timer0-do-pic.html Abraço
  10. Olá. Eu sempre utilizo portB porque eles já vem com resistor de pull up interno, e eles só compartilham a função de PGM/PGD/PGC. Já o portA compartilha funções de entrada analógica, comparador, master clear, etc... além de não possuir pull up interno. Mas você pode usar como digital i/o qualquer uma das portas. Abs
  11. Já que você já sabe como fazer, vou só dar a lógica...os periféricos você faz... #define BOTAO PORTBbits.RB0 if (BOTAO){ start(timer0); while (BOTAO); if (timer0 > 2 segundos) piscaled(2); // a função para piscar o led voce faz fora else piscaled(1); stop(timer0); reset(timer0; } As funções é com você. Abraço
  12. Grande Isa. Pois é. Até vi alguns circuitos de adaptação, mas preferi investir em um hardware com i2c e spi em portas separadas
  13. aproveitando o tópico: Como faço para ligar um shield SPI e 12C no mesmo pino? Pois queria ligar um RTC i2C e o módulo enc28j60 em um PIC.
  14. Olá. Não analisei profundamente, até poruqe o jeito que foi feita a postagem ficou meio confuso. Mas n pino RA4 é coletor aberto (tens que colocar um resistor de puul-up nele) Boa sorte!
  15. Já fiz esse tipo de circuito (não com arduino) Existe um CI chamado FT232 que converte o serial do teu arduino para o USB. Nunca usei arduino mas já me informaram de um problema ao utilizar este CI com o arduino (não lembro qual): A porta serial do arduino já está sendo utilizada para comunicar com o PC, e é a mesma porta que é utilizada no conector preto, o que se usa para soquetar com jumpers. Não sei como resolveu esse problema, mas eu imagino que a solução seja desconectar do PC o usb do arduino ou , selecionar outra porta serial do PC para ler o conversor. Abs

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×