Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Glauco Bandeira

Membros Juniores
  • Total de itens

    16
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    N/D
  1. @mattaus Certo, obrigado pela recomendação e informação sobre a fonte. Passado-se todo esse tempo desde o meu Post, o cooler não apresentou problemas.
  2. Boa tarde! Antivírus bem reconhecidos têm a capacidade de detectar e remover spywares, bem como disse o @Eduardo Marques Santos, contudo, sempre que eu instalo um antivírus, mexo em suas configurações para deixa-lo o mais heurístico possível, o que percebi que vale a pena fazer, se a segurança for mais importante que o desempenho do sistema (dependendo do antivírus). A um caso específico de Spyware, existe um ferramenta simples cuja função é detectar comportamentos suspeitos que podem indicar espionagem (como keyloggers, compartilhamento remoto...), para tanto, o programa faz uma análise nos processos do sistema operacional. Pode não ser tão efetivo quanto uma ferramenta de que analisa os arquivos no disco, reconhecendo ameaças presentes no banco de vírus, mas já ajuda. O nome dessa ferramenta é SpyDetect. Link: SpyDetect Quanto à varredura você pode: Deletar o arquivo suspeito; Desinstalar o programa ao qual o arquivo pertence (se for o caso); Utilizar um antivírus ou um antispyware.
  3. A fonte simplesmente não cabe dentro do gabinete? Mesmo que você apenas a parafusasse com 2 dos parafusos fazendo-os encaixar nas brechas maiores utilizando porcas? Bom, a fonte de alimentação de um PC é um dos componentes cuja a tendência é permanecer parado, você deverá deixar ela de forma que não se desloque, principalmente no arranque do cooler. Tente imobiliza-la em algum suporte pertencente ou não ao gabinete.
  4. Tente fazer uma gambiarra de parafusá-la nos suportes internos, aqueles destinados ao HD e à gaveta do dvd..., se os parafusos forem muito finos, use porcas ou ruelas. Mas, no fim das contas, o seguro e recomendado é colocar uma fonte compatível com o gabinete.
  5. Se é ASUS então provavelmente usa o Gerenciador de Áudio HD Realtek, experimente-o: Selecione o painel de "Microfone" na parte superior e certifique-se que o gerenciador está reconhecendo o painel correto na parte inferior. Então tente aumentar o volume por ele. Se não der certo, tente aumentando o reforço no microfone (aquele quadrado azul com o desenho do microfone) Se ainda não resolver, abra a aba de "Opção" na engrenagenzinha no canto superior direito, então certifique-se de que a configuração do painel selecionada é a correta e que em "Dispositivo de gravação", a opção "Vincula o mesmo tipo de conectores..." está selecionada.
  6. import subprocess subprocess.getoutput("cd local_do_arquivo && nome_do_arquivo.exe") por exemplo: import subprocess subprocess.getoutput("cd C:\Program Files && rufus-2.18.exe")
  7. Boa noite, @xMatheusRocha , qual seria a marca da sua placa-mãe?
  8. Olá pessoal, há alguns meses eu li em um site que, quando o HD é particionado, o desempenho do sistema é aumentado por conta que o espaço a ser lido é reduzido. Eu não duvido muito dessa informação, mas também gostaria de uma confirmação do pessoal aqui . No meu caso, eu particionei dessa forma: - Partição do Windows (235,21 GB) - Partição de programas (112,30 GB) - Partição de arquivos (112,30 GB) * O HD é de 500 GB Após algum tempo feito isso, veio-me a dúvida, isso que eu fiz realmente ajuda no desempenho / fez sentido? Separar uma partição para o OS e outra para programas, chega a melhorar o desempenho no uso do disco? Outra dúvida: no caso de ser verdade que o particionamento em si ajuda, quer dizer então que, por exemplo, se eu abro a partição de arquivos, o disco terá menos trabalho em listar e executar os arquivos lá contidos do que se a partição tivesse 200 GB?
  9. Entendi. Porém, hoje, quando fui abri-lo novamente, reparei que a ventoinha se mexe para cima e para baixo, sendo que o limite de movimento para baixo é quando a arruela encosta na parede inferior, dando a impressão de que, caso a arruela esteja ausente, a ventoinha simplesmente cai, então fica uma pergunta, todos os coolers consideravelmente modernos possuem tal imã? Então, é como eu disse la em cima, essa foto não é minha, peguei na internet, mas abaixo está o rótulo da minha fonte:
  10. Olá pessoal, recentemente o cooler da minha fonte estava fazendo um forte barulho por alguns segundos ao ligar, portanto, seguindo tutoriais resolvi fazer uma limpeza, contudo, ao tentar desmontar o cooler, não consegui passar da borrachinha (dita em um tutorial como "trava que segura o eixo no lugar"). Então apliquei óleo por ali mesmo na expectativa de o movimento da ventoinha espalhá-lo. O resultado deu certo, o cooler voltou a ficar silencioso, contudo, enquanto eu tentava remover a borrachinha, acabei deixando ela levemente torta nas extremidades, não que ela tenha ficado tão torta a ponto de deixar de ser circular, mas é como se eu tivesse deixado pequenos amassos na borda dela (a parte rachada para remoção não está mais 100% reta um lado com o outro, mas também não está muito distante). Portanto, gostaria de saber se, estando o cooler nessas condições, ele e a fonte correm algum risco consideravelmente prejudicial? A ventoinha pode vir a virar um "bixo piruleta" dentro da fonte? E... em caso de falha no cooler, causando superaquecimento na fonte, o PC desligaria automaticamente? No caso, para quem ainda não entendeu a qual borrachinha eu me refiro, é essa aí: (esse não é meu cooler, peguei a imagem da internet)
  11. Obrigado pela ajuda e pelas sugestões, pessoal. No fim das contas, ao descobrir que minha casa é decentemente aterrada, resolvi adquirir uma manta e uma pulseira antiestáticas.
  12. Justamente como eu havia pensado: "quem está no meio se da mal". Então, @faller , para que seja evitada uma "catastrófica" descarga de eletricidade estática, todos os elementos (humano, componente, superfície) devem estar em estado condutivo, sendo recomendado que o humano e a superfície estejam aterrados?
  13. @faller Então, você concorda com o @Sérgio Lembo , onde ele disse que "somos nós os portadores de estática"? Ou seja, uma superfície, mesmo feita de material isolante elétrico (plástico, silicone, borracha, vidro...), não pode por si só, queimar um componente eletrônico quando é colocado sobre ela, ocorrendo o ESD somente a partir da estática carregada por nós? Se sim, quer dizer que todos os cuidados contra ESDs estão direcionados a nós, de forma a descarregarem e evitarem armazenamento de estática em nós, não nas superfícies onde trabalhamos?
  14. Certo, obrigado. adicionado 3 minutos depois É de tanto assumir o risco que eu vim ao fórum. Voltando à ideia da placa de cerâmica, lembrei-me que tenho alguns pisos guardados, valeu a ideia. adicionado 9 minutos depois Ficou clara a importância do aterramento. Mas, ainda me vem uma dúvida: então quer dizer que, para bem evitar distúrbios antiestáticos, o material da superfície não importa muito, como a ideia do @Ricardov em utilizar uma placa de cerâmica e a do@ede566 em usar um tapete de borracha, do tanto que essas superfícies estejam aterradas?
  15. Eu até acho bem interessante essa ideia, posso aplicá-la futuramente. Quanto às recomendações do @Ricardov , a parte de utilizar as embalagens também me veio à mente, contudo, os componentes vieram em plásticos e os PCs foram montados na loja, ou seja, os plásticos foram jogados fora. Quanto à placa de cerâmica, ainda ficou um pouco complicado de obter. Vou apresentar um cenário cuja as condições de recursos se parecem com as minhas: Imaginem que, eu estou na casa de um amigo e ele me pede para fazer uma manutenção no hardware do computador dele, eu sei fazer o serviço, mas no local não há qualquer item próprio de segurança antiestática, (nem placa de cerâmica), a única coisa que eu preciso fazer é colocar os componentes em cima de algo enquanto mexo neles ou nos outros, "algo" o qual seja realmente fácil de encontrar em uma casa qualquer e que evite ao máximo possível disturbios eletroestáticos.

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×