Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Daniel Marques Santos

Membros Juniores
  • Total de itens

    7
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    N/D

Reputação

0

Sobre Daniel Marques Santos

  • Data de Nascimento 27-01-1968 (50 anos)

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    Bauru/SP
  • Sexo
    Masculino

Outros

  • Biografia
    Engenheiro Eletricista - Eletrônica

    http://lattes.cnpq.br/9625161578852128
  • Ocupação
    Pesquisador
  • Interesses
    Pesquisa & Desenvolvimento
  1. Complemento as informações citada na enquete: "Ternário esta morto?". A grande dificuldade encontrada para a implementação do ternário tratava-se mais de lógica matemática que propriamente tecnológica de circuitos.
  2. Obrigado, Paulo. Fiz uma correção no post anterior... Os circuitos podem ser modelados por saturação ou não. Tudo depende de qual aplicação se deseja. Outrossim, em aplicações mais simples, o binário é vantajoso, aplicações mais robustas, tais como, armazenamento e processamento de dados ou computação, as vantagens do ternário são astronômicas. De fato, nas aplicações ternárias mais simples, há necessidade de mais transístores, e consequentemente, redução de velocidade, no entanto, o ganho no processamento de dados é vantajoso. Quando comparado projetos mais robusto, no ternário há necessidade de menos transístores, e consequentemente, ganho de velocidade, exponencialmente falando, de tal sorte que, o binário não consegue alcançar. O ternário torna-se insuperável no ganho de velocidade e o ganho no processamento de dados é exponencial. Como exemplo, modelei um dos projetos de circuitos ternários empregando amplificadores operacionais (AmpOp). Este projeto trouxe enormes vantagens, eliminou qualquer necessidade reguladores de tensão, reduziu as tensões de entradas, no entanto, elevou o número de transistores associados por tratar-se de AmpOp, mas as vantagens e estabilidade foram enormes. Estamos, apenas, no início. Temos muito a avançar, mas é necessário dar o primeiro passo. Espero estar contribuindo para isto e abrindo uma enorme variedade e possibilidades para novas aplicações.
  3. Uma análise muito bem posta. Parabéns e obrigado, Sérgio.
  4. Obrigado, @Sergio Lombo, por suas valiosas considerações. Vou considera-las, também, como resposta na enquete que abri sobre o projeto “tecnologia ternária”. O conceito (1, 0 e -1) é um conceito rotacional e pertence a lógica ternária balanceada. Neste projeto, não há este conceito. O problema de controle de ganho foi resolvido, todos circuitos são modelados por saturação, ou não, depende apenas da aplicação. Os circuitos funcionam tal qual a lógica boolenana, tanto em concepção, quanto em construção de projeto. Referente a questão “Ternário está morto?”, após realizar a pesquisa na academia, bem como, os trabalhos publicados no assunto, foi possível constatar que a grande dificuldade na implementação do ternário não residia na condição tecnológica, mas na condição matemática. O @Logan Angel, em sua postagem inicial abordou bem dificuldade matemática que encontrei na literatura. Para a construção e projetos de circuitos digitais, a lógica booleana apresenta vantagens astronômicas, se comparada com as lógicas de multivalores (MVL) apresentadas até então. Projetar, construir e manipular circuitos ternários com as lógicas MVL apresentam uma complexibilidade de entendimento que inviabilizou a construção e projeto de circuitos digitais mais robustos se comparado a circuitos projetados em binários booleanos.
  5. Sergio Lembo, Obrigado por suas considerações. Considerando que o INPI nos impõe sigilo de 18 meses para dar fé pública de toda tecnologia. A pergunta que faço é : Seria adequado iniciar uma Startup do projeto? Buscar investidores na modalidade de parceiros? Outra sugestão? A tecnologia é Eletrônica Digital Ternária. Pode ser localizado o registro do deposito na revista do INPI 2463, 2465 e 2466 (http://revistas.inpi.gov.br/rpi/), com meu nome, complementado no meu currículo (link Lattes CNPq, anterior), por isso o assunto está aberto para que possa obter sugestões. PS: A lógica proposta no meu projeto não é rotacional do tipo ternário balanceado. As questões de ganho e lógicas foram todas resolvidas, todos circuitos podem ser modelados por saturação.
  6. Estou com um projeto, onde resolvi a questão algébrica ternária. Modelei os circuitos e portas lógicas ternárias e simulei nos programas Proteus e Multisim. Fiz uma ampla pesquisa sobre as experiências ternárias, inclusive o computador ternário Setun, Russia, 1958. Levantei as dificuldades na implementação da lógica, tais como, Lógica Post, Lógica Kleene, Lógica Bochvar, Lógica Belnap, entre outras. Considerando algumas pesquisas que eu desenvolvia em matemáticas, física e outros projetos, me permitiu desenvolver uma álgebra tão simples quanto a Álgebra de Boole, no entanto, uma álgebra Ternária. Este projeto e todo o trabalho já depositei pedido de patente no INPI, no entanto, gostaria de suas opiniões e sugestões de passo que devo tomar a seguir. Atenciosamente Engenheiro Eletricista - Eletrônica CV: http://lattes.cnpq.br/9625161578852128
  7. Estou com um projeto, onde resolvi a questão algébrica ternária. Modelei os circuitos e portas lógicas ternárias e simulei nos programas Proteus e Multisim. Fiz uma ampla pesquisa sobre as experiências ternárias, inclusive o computador ternário Setun, Russia, 1958. Levantei as dificuldades na implementação da lógica, tais como, Lógica Post, Lógica Kleene, Lógica Bochvar, Lógica Belnap, entre outras. Considerando algumas pesquisas que eu desenvolvia em matemáticas, física e outros projetos, me permitiu desenvolver uma álgebra tão simples quanto a Álgebra de Boole, no entanto, uma álgebra Ternária. Este projeto e todo o trabalho já depositei pedido de patente no INPI, no entanto, gostaria de suas opiniões e sugestões de passo que devo tomar a seguir. PS: A lógica proposta no meu projeto não é rotacional do tipo ternário balanceado. As questões de ganho e lógicas foram todas resolvidas. Atenciosamente Engenheiro Eletricista - Eletrônica CV: http://lattes.cnpq.br/9625161578852128

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×