Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Modificar Baseclock da placa-mãe


Posts recomendados

Olá pessoal,

 

Será que a galera que mexe com OC faz alguma modificação no clock base da placa-mãe? Fico imaginando que uma fonte de clock mais estável que um cristal de quartzo simples possa ajudar a superar limites e deixar as coisas mais estáveis. O que pensam sobre? Trabalho com padrões de tempo e frequência, e gostaria de saber se uma fonte de sinal de alta estabilidade seria de utilidade em uma placa-mãe que será usada em overclocks.

 

Luiz

Link para o post
Compartilhar em outros sites
14 horas atrás, Luiz Paulo Damaceno disse:

Será que a galera que mexe com OC faz alguma modificação no clock base da placa-mãe? Fico imaginando que uma fonte de clock mais estável que um cristal de quartzo simples possa ajudar a superar limites e deixar as coisas mais estáveis. O que pensam sobre? Trabalho com padrões de tempo e frequência, e gostaria de saber se uma fonte de sinal de alta estabilidade seria de utilidade em uma placa-mãe que será usada em overclocks.

Pensando em um componente individual, o bclk não importa muito, pois no final das contas ele é apenas uma referência que é usada em conjunto com um modificador para determinar o clock real. Ou seja, tanto faz colocar um bclk de 130 com multiplicador 35 (=4550) ou 100 com 45.5, no fim das contas a estabilidade é a mesma.

 

Se você tem multiplicador liberado, o único motivo de mexer é caso, digamos, você esteja em 4000 e não consiga estabilizar o próximo nível, então aumenta o BCLK para tentar algo como 4010.

  • Obrigado 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • OPiantino alterou o título para Modificar Baseclock da placa-mãe

Interessante... O que eu imaginei foi que: 

 

Caso 1, multiplicador de 35, BCLK de 130, cristal de 24 MHz com 100 Hz de ruído. Todo PLL que vi até hoje, em algum nível multiplica também o ruído da fonte primária de sinal, nesse caso:

- BCLK possuirá 541 (100 *5,41) Hz de ruído (ou seja, há uma componente a mais ali de 541 Hz (ruído que vem dos 100 Hz de ruído do cristal de base multiplicado (24 MHz * 5,41 = 130 MHz);

- Considerando o multiplicador de 35, esse ruído passa a ser de 18,958 KHz em cima da frequência de 4,55 GHz.

 

Caso 2, multiplicador de 45,5. BCLK de 100, cristal de 24 MHz com 100 Hz de ruído também (afinal o ruído da base n vai mudar uma vez que n trocamos o cristal ainda):

- BCLK possuirá 416,66 Hz (100*4,16) de ruído (ou seja, há uma componente a mais ali de 416,66 Hz (ruído que vem dos 100 Hz de ruído do cristal de base multiplicado (24MHz * 4,16 = 100MHz );

- Considerando o multiplicador de 45, esse ruído passa a ser de 18,75 KHz em cima da frequência de 4,55 GHz.

 

Sim, o ruído em si não muda. Mas esses, arredondando pra ambos os casos, 19 KHz, de ruído, não atrapalha na estabilidade da máquina quando se quer atingir limites maiores? Ou esses 19 KHz são irrisórios e n faz sentido se preocupar com eles na hora de fazer um OC desse nível? 

Link para o post
Compartilhar em outros sites
2 horas atrás, Luiz Paulo Damaceno disse:

Ok, porque não faz? Isso não prejudica por exemplo, no lado do kernel do sistema na contagem de ciclos podendo levar à um crash no sistema por exemplo? 

Na prática, não, não influencia a estabilidade.

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisa ser um usuário para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas comunidades sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

Aprenda a ler resistores e capacitores

EBOOK GRÁTIS!

CLIQUE AQUI E BAIXE AGORA MESMO!