Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Fonte Corsair CV650 com e sem PFC ativo?


Posts recomendados

Ao comparar dois modelos de fonte disponíveis no site da Kabum, me deparei com as fontes CV650 da Corsair CP-9020236-BR e CP-9020211-BR. É informado que a CP-9020211-BR possui PFC ativo, porém nada se fala sobre o PFC da CP-9020236-BR (se tem - ativo ou passivo - ou se não tem). Gostaria de saber se o modelo CP-9020236-BR possui PFC ativo e se essa característica é algo relevante para uma máquina gamer. Obrigado.

Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Mateus Tinel todo modelo de fonte da Corsair atualmente tem PFC Ativo até mesmo fontes VS,e é algo útil sim,o PFC Passivo tem um grande indutor que basicamente corrige a potência da fonte mas de forma manual com a famosa chavinha bomba,já o PFC Ativo ele faz o que o PFC Passivo faz mas em tempo real,que converte a energia da tensão da fonte para 400V CC e ela faz isso monitorando novamente em tempo real os transistores que controlam a forma de entrada da fonte,a fonte já usa os 400V do PFC pra converter em 12V, 5V e 3.3V,mantendo uma tensão estável fazendo inútil os circuitos dobradores de tensão e seletores de fonte com PFC Passivo

  • Curtir 4
Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Mateus Tinel, bom dia! Assim como o @Pepse disse, todas as fontes atuais da Corsair têm APFC, então pode ficar tranquilo quanto a isso. Aliás, outro detalhe é que o selo 80 Plus que eles colocam exige algum tipo de PFC (pode usar PPFC até o Gold, mas tem que usar APFC acima dele), então não precisa se preocupar quanto a isso.

 

Só um detalhe é que o PPFC não é aquele com a chave seletora. Nesse caso é uma fonte sem PFC. No PPFC, usa um filtro π (geralmente considerado como um filtro de harmônicos) no lugar do conversor boost (com um transistor e um diodo). Lembra bastante uma fonte sem PFC, mas é um pouquinho diferente ainda.

  • Curtir 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
7 horas atrás, Pepse disse:

@Mateus Tinel todo modelo de fonte da Corsair atualmente tem PFC Ativo até mesmo fontes VS,e é algo útil sim,o PFC Passivo tem um grande indutor que basicamente corrige a potência da fonte mas de forma manual com a famosa chavinha bomba,já o PFC Ativo ele faz o que o PFC Passivo faz mas em tempo real,que converte a energia da tensão da fonte para 400V CC e ela faz isso monitorando novamente em tempo real os transistores que controlam a forma de entrada da fonte,a fonte já usa os 400V do PFC pra converter em 12V, 5V e 3.3V,mantendo uma tensão estável fazendo inútil os circuitos dobradores de tensão e seletores de fonte com PFC Passivo

@Pepse , muito obrigado!!

 

3 horas atrás, Kotori disse:

@Mateus Tinel, bom dia! Assim como o @Pepse disse, todas as fontes atuais da Corsair têm APFC, então pode ficar tranquilo quanto a isso. Aliás, outro detalhe é que o selo 80 Plus que eles colocam exige algum tipo de PFC (pode usar PPFC até o Gold, mas tem que usar APFC acima dele), então não precisa se preocupar quanto a isso.

 

Só um detalhe é que o PPFC não é aquele com a chave seletora. Nesse caso é uma fonte sem PFC. No PPFC, usa um filtro π (geralmente considerado como um filtro de harmônicos) no lugar do conversor boost (com um transistor e um diodo). Lembra bastante uma fonte sem PFC, mas é um pouquinho diferente ainda.

@Kotori , muito obrigado!!

Link para o post
Compartilhar em outros sites

A vantagem da CV650 em relação a CV450 e CV550 é que ela tem DC-DC mesmo que seja um DC-DC meia boca. Eu nunca vi fotos da CV650 mas a principio ela tem melhores capacitores também


Não é fonte para overclock. Pra quem precisa de 400W ela pode ser usada. Uma pena que não temos um review muito detalhado a não ser o do Cybenetics. Ela tá em promoção no Kabum... quase comprei ela de fonte reserva.

O que desanimou foi o consumo alto em 20% de carga. Mas para quem é viciadinho em game é uma fonte bem decente. Tem PFC ativo sim

Não sei se a DeepCool 600 seria melhor mas acho que se resolveram os problemas de explosão a Corsair CV ainda leva uma pequena vantagem

Link para o post
Compartilhar em outros sites
2 minutos atrás, Kotori disse:

@donzmaker, por que o DC-DC da CV é inferior? Ela explode mesmo? Tipo, pensei que era coisa só da CX (por conta do erro de uma das fabricantes da linha). Desculpe incomodar!

Eu li muita gnete tambem tendo problemas com a CV ano passado.
Ela não tem o  Conversor Ressonante LLC no secundário somente conversor DC-DC, o LLC é um projeto mais eficiente nas linhas de 5 e 3.3

  • Curtir 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

@donzmaker, mas LLC não é um conversor ressonante que vai no primário, em conjunto geralmente com MOSFETs configurados em half-bridge? Tipo, eu não sabia desses problemas da CV mesmo. É bem triste pra um modelo que lançou no ano passado mesmo ainda e com uma fabricante tão boa (HEC).

Link para o post
Compartilhar em outros sites
27 minutos atrás, Kotori disse:

@donzmaker, mas LLC não é um conversor ressonante que vai no primário, em conjunto geralmente com MOSFETs configurados em half-bridge? Tipo, eu não sabia desses problemas da CV mesmo. É bem triste pra um modelo que lançou no ano passado mesmo ainda e com uma fabricante tão boa (HEC).

não não é na secundária essa configuração. Em relação ao termo que usei inferior é que não é uma Super Flower da vida. É a mesma config da Pylon. Pessoalmente não acho a CV ruim, mas não tenho muita coisa nas mãos pra analisar. Só vi uma 550 num site https://www.pctekreviews.com/Reviews/Corsair_CV550.aspx

Não sou especialista em tipologia e componentes mas depende muito do qual objetivo


Além dos testes bons o próprio dono da Cybenetics já falou em vídeo que hoje em dia recomenda muito a Pylon para pc de entrada.

São poucos sites ou quase nenhum que faz análise da linha CV. Só 650 do Cybenetics fez análise a fundo até onde eu sei.

O pessoal lá fora não gosta muito da CV. Realmente é uma fonte barata lá fora, não valendo a pena trocar ela pela CX. Mas também não podemos nos basear no pessoal americano porque eles adoram a EVGA e Seasonic e essas 2 aí tem jogado tanta porcaria no mercado... 

Inclusive recomendei um tempo atrás a GD da EVGA mas hj em dia não recomendo não. 

 

Em relação a fonte de entrada em dia com Pylon e Nidus não tem porque pegar EVGA até que Teclab da vida faça umas boas reviews de uns 3 modelos da EVGA na mesma faixa de preço

 

Outra fonte que eu compraria no lugar da CV é a Mancer. Pelo menos sabemos o que ela tem dentro. A Superframe foi mt boa nos testes, mas o Teclab não abriu ela. Mas ela passou nos testes tranquilo e tem preço camarada, embora ultimamente tenha ficado caro e até tenha ficado sem estoque umas semanas.

A Corsair domina o mercado, então acho que eles já não tem mais condição de fazer controle de qualidade de forma decente ainda. Quem sabe num futuro próximo...

 

Em relação a capacitores a Nidus ainda é a top na faixa de preço apesar da topologia antiga. Por menos de 300 reais não tem como ir errado tanto Nidus quanto Mancer. A Superframe logo depois do lançamento subiu 80 reais o preço. Acho que ela deveria custar no maximo 300. Ah e tem a Redragon que voltou em estoque também, uma fonte decente.

 

O único erro da Nidus é só 12 meses de garantia. Por isso as vezes compensa mais pegar uma Cougar VTE 400/500 ou DeepCool 500/600. Pra quem deixa o PC ligado o dia todo e visto que o Brasil é um país quente, a garantia acima de 2 anos é um baita plus.

  • Curtir 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
55 minutos atrás, donzmaker disse:

A vantagem da CV650 em relação a CV450 e CV550 é que ela tem DC-DC mesmo que seja um DC-DC meia boca. Eu nunca vi fotos da CV650 mas a principio ela tem melhores capacitores também


Não é fonte para overclock. Pra quem precisa de 400W ela pode ser usada. Uma pena que não temos um review muito detalhado a não ser o do Cybenetics. Ela tá em promoção no Kabum... quase comprei ela de fonte reserva.

O que desanimou foi o consumo alto em 20% de carga. Mas para quem é viciadinho em game é uma fonte bem decente. Tem PFC ativo sim

Não sei se a DeepCool 600 seria melhor mas acho que se resolveram os problemas de explosão a Corsair CV ainda leva uma pequena vantagem

Valeeuu!! Pessoal, desculpa incomodar mais uma vez, mas eu sou leigo em relação a fontes (como vocês já perceberam kkkk). Fiz a compra da CV650 CP-9020236-BR ontem na Kabum por estar em um preço bacana e ser uma Corsair, porém ,ao pesquisar um pouco mais hoje, vi que ela tem um ripple elevado (90mV) segundo o TecLab. Todavia, o bando de dados da Cybenetics informa um ripple de 50mV. Vocês recomendam a troca da fonte?

Link para o post
Compartilhar em outros sites
11 minutos atrás, Mateus Tinel disse:

Valeeuu!! Pessoal, desculpa incomodar mais uma vez, mas eu sou leigo em relação a fontes (como vocês já perceberam kkkk). Fiz a compra da CV650 CP-9020236-BR ontem na Kabum por estar em um preço bacana e ser uma Corsair, porém ,ao pesquisar um pouco mais hoje, vi que ela tem um ripple elevado (90mV) segundo o TecLab. Todavia, o bando de dados da Cybenetics informa um ripple de 50mV. Vocês recomendam a troca da fonte?

Dificilmente você vai usar ela em 90 ou 100% de carga

qual tua configuração?

OBS eu to com a memória ruim pra caramba

Abriram a 600W da Superframe. Eu senti falta de abrir 500W mas tá valendo

As lives do Teclab me deixam mais perdido que cego em tiroteio

  • Curtir 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
19 minutos atrás, donzmaker disse:

Dificilmente você vai usar ela em 90 ou 100% de carga

qual tua configuração?

OBS eu to com a memória ruim pra caramba

Abriram a 600W da Superframe. Eu senti falta de abrir 500W mas tá valendo

As lives do Teclab me deixam mais perdido que cego em tiroteio

Minha config:

placa-mãe ASRock B450M Steel Legend

Processador AMD Ryzen 5 1600 AF

2x Memória Crucial Ballistix 8GB DDR4 3000 Mhz, CL15

Fonte Corsair CV650, 650W, 80 Plus Bronze - CP-9020236-BR

Placa de vídeo Veineda GTX 950 (pretendo trocar por uma superior quando houver a redução de preços)

HD Seagate BarraCuda, 2TB

SSD Kingston A400, 240GB 

Valeu pela ajuda!

 

Link para o post
Compartilhar em outros sites
3 minutos atrás, Mateus Tinel disse:

Minha config:

placa-mãe ASRock B450M Steel Legend

Processador AMD Ryzen 5 1600 AF

2x Memória Crucial Ballistix 8GB DDR4 3000 Mhz, CL15

Fonte Corsair CV650, 650W, 80 Plus Bronze - CP-9020236-BR

Placa de vídeo Veineda GTX 950 (pretendo trocar por uma superior quando houver a redução de preços)

HD Seagate BarraCuda, 2TB

SSD Kingston A400, 240GB 

Valeu pela ajuda!

 

Vai ná CV650 tranquilo sem medo, só cuida o overclock... não inventa de estourar a fonte 

Deixa que a bios e o software da AMD façam o boost sem que você mexa na tensão

Dá para deixar a ram em 3200 tranquilo mas o resto deixa em stock


Infelizmente ou felizmente para overclock não existe fonte por menos de 800 reais

  • Curtir 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

@donzmaker

15 minutos atrás, donzmaker disse:

Vai ná CV650 tranquilo sem medo, só cuida o overclock... não inventa de estourar a fonte 

Deixa que a bios e o software da AMD façam o boost sem que você mexa na tensão

Dá para deixar a ram em 3200 tranquilo mas o resto deixa em stock


Infelizmente ou felizmente para overclock não existe fonte por menos de 800 reais

Obrigado!! Já estava pesando em cancelar o pedido kkkk

  • Curtir 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
51 minutos atrás, donzmaker disse:

Não, é no secundário essa configuração.

 

É no primário mesmo.

 

52 minutos atrás, donzmaker disse:

Em relação ao termo que usei inferior é que não é uma Super Flower da vida.

 

A topologia é a mesma: conversor step-down.

 

54 minutos atrás, donzmaker disse:

É a mesma configuração da PYLON.

 

Você pode estar se referindo à topologia do primário (two-switch forward) ou à topologia de retificação da trilha de 12V (passive rectification).

 

55 minutos atrás, donzmaker disse:

 

Tem também um relatório da equipe do Aph Networks e do F14LAB. Os dois são bastante detalhistas e a equipe do F14LAB tem equipamentos decentes para testes (mais adequados do que os equipamentos utilizados pelo TecLab, por exceção da calibragem não uniforme com outros testadores e pela falta de software especializado).

 

59 minutos atrás, donzmaker disse:

Não sou especialista em topologia e componentes, mas depende muito do qual objetivo.

 

Com certeza, não é muito esperado que um modelo de baixo custo apresente uma topologia half-bridge & resonant converter no primário. Aliás, o histórico de modelos do tipo é bastante manchado, afinal, precisam economizar nos seus componentes, então bizarrices como a MWE V2 costumam aparecer. O único modelo, até o momento, dessa categoria, que conseguiu implementar adequadamente essa topologia, sem barbarizar toda a unidade, foi a nova revisão da linha CX.

 

1 hora atrás, donzmaker disse:

Além dos testes bons, o próprio dono da Cybenetics falou em vídeo, que, hoje em dia, recomenda muito a PYLON para computadores de entrada.

 

Seria estranho ele não recomendar. A revisão da PYLON que ele recebeu é realmente espetacular, apesar das medições mais elevadas de ripple do que a versão que circula no Brasil (que apresenta capacitores menos duráveis, com ênfase em ESR baixo, o que permite isto).

 

1 hora atrás, donzmaker disse:

São poucos sites ou quase nenhum que faz análise da linha CV. Só a de 650W na Cybenetics, que fizeram análise a fundo até onde eu sei.

 

Sim, até porque não é um modelo muito relevante para o público fora de países emergentes. Pensa assim: por que um estadunidense pegaria uma CV 450W por U$39,90 se ele pode pegar uma CX 450W por U$44,90? A única opção relevante é a CV 650W, que ainda conta com um fan com sleeve bearing e custa praticamente o mesmo que uma unidade superior. Então, não tem qualquer relevância para o público a análise de unidades desse tipo, infelizmente.

 

1 hora atrás, donzmaker disse:

Mas também não podemos nos basear no pessoal americano, porque eles adoram a EVGA e Sea Sonic e essas 2 têm jogado tanta porcaria no mercado... inclusive, recomendei um tempo atrás a GD da EVGA, mas hoje em dia não recomendo.

 

Acho que eles não se importam muito com a EVGA, mas com a Sea Sonic é certo mesmo. Chega a ser uma piada de tão toscas que são as novas unidades da Sea Sonic, todas com problema nos sense wires, todas com problemas de configuração no circuito integrado de monitoramento, economia de componentes e todo tipo de desgraça. A EVGA é uma piada. Desistiu da FSP (para a felicidade do consumidor), mas o que decidiram? É isso mesmo, vamos chamar a Andyson, aquela fabricante grandiosa que produz a KCAS. GD é um reflexo do apocalipse que foi terem deixado a Super Flower pela FSP, que tem algum tipo de tesão em usar ACRF em toda e qualquer fonte (e depois reclamar que não consegue cumprir os requerimentos da Intel).

 

1 hora atrás, donzmaker disse:

Em relação a fonte de entrada hoje em dia, com PYLON e NIDUS não tem porquê de pegar EVGA. Outra fonte que eu compraria no lugar da CV é a Mancer (THUNDER). Pelo menos sabemos o que ela tem dentro. A fonte da SuperFrame foi muito boa nos testes, mas o TecLab não abriu ela. Mas ela passou nos testes tranquilo e tem preço camarada, embora ultimamente tenha ficado caro e até tenha ficado sem estoque umas semanas.

 

Realmente, as empresas chamadas "tradicionais", estão perdendo espaço. Agora, em minha humilde opinião, de quem faz análises há um bom tempo. Mancer THUNDER e SuperFrame (com aquele nome difícil, que mais parece um part number) não são exemplares. A THUNDER tem um projeto vergonhoso na filtragem de transientes, ou melhor, no primário de forma geral. Segue aquela ideia dos modelos que usam CM6805BS e GR8313. Ou seja: vamos usar controladores de baixa performance, vamos economizar nos capacitores, dimensiona os transistores com folga, configura o circuito integrado de monitoramento com folga. Resultado final: não explode, é satisfatório para o testador e fica barato.

 

Agora, não esqueçamos que existe transient response, crossloadshold-up time, fator de potência em tensões mais altas, power good signal delay e outros pontos esquecidos pelos testadores. Além dos testes em temperaturas mais elevadas (que é o correto). Enquanto a THUNDER tem uma plataforma raquítica, a CV utiliza uma plataforma da Compucase, que realiza a melhor implementação do group regulation dentre todas as fabricantes convencionais.

 

A plataforma do modelo da SuperFrame é parecida com a plataforma utilizada pela NIDUS, até porque também é um projeto da Channel Well. A diferença fica para os componentes escolhidos, que são de qualidade inferior (o que infere em menor durabilidade e confiabilidade), embora a performance seja realmente excelente. A CV está longe de ser exemplar nisso (ou melhor, é um mau exemplo), mas a política da Corsair quanto aos componentes utilizados é correta.

 

1 hora atrás, donzmaker disse:

A Corsair domina o mercado, então acho que eles não tem mais condição de fazer controle de qualidade de forma decente ainda. Quem sabe num futuro próximo...

 

Quem faz o controle de qualidade é a fabricante, no caso da CV, a Compucase. No caso da CX, era a Channel Well, que em 2015 sofreu com lotes defeituosos e recentemente em 2020, quando a linha estava nas mãos da Channel Well e da Great Wall, sofreu com lotes defeituosos por parte desta segunda, onde o problema foi prontamente identificado, mas a ação tomada pela empresa foi errada, o produto merecia um recall (que não foi realizado porque a taxa de retorno da linha continuou menor do que 1%, nesse ponto é que entra o problema de ser uma fabricante enorme). A Corsair, no final, realiza outra inspeção, mas não seria capaz de identificar erros pequenos (mas mortais), como foi o caso das novas unidades da CX.

 

1 hora atrás, donzmaker disse:

Em relação a capacitores a NIDUS ainda é a melhor na faixa de preço, apesar da topologia antiga. Por menos de R$300,00 não tem como ir errado tanto NIDUS quanto Mancer (THUNDER). A SuperFrame, logo depois do lançamento, subiu R$80,00. Acho que ela deveria custar no máximo R$300,00. E tem a Redragon (RGPS) que voltou em estoque também, uma fonte decente. O único erro da NIDUS é só 12 meses de garantia. Por isso, às vezes, compensa mais pegar uma Cougar VTE ou DeepCool DA. É uma boa para quem deixa o computador ligado o dia todo e visto que o Brasil é um país quente.

 

Sim, a NIDUS troca uma plataforma de melhor desempenho, por componentes mais duráveis e confiáveis. A THUNDER, conforme comentei acima, não é uma opção tão interessante. Concordo quanto ao modelo da SuperFrame, deveria custar tanto quanto a THUNDER. A RGPS segue a mesma ideia da THUNDER, com algumas vantagens (ao menos o hold-up capacitor é melhor). Sim, a garantia é extremamente curta. O melhor disso tudo é a desculpa da Pichau de "empresas brasileiras geralmente não oferecem mais do que um ano de garantia". Isso tudo é medo do brasileiro?

 

DA é basicamente a NIDUS, mas com componentes de qualidade inferior, que tendem a durar menos, enquanto a VTE realmente tem uma plataforma bem interessante, mas cai nessa mesma ideia de utilizar componentes de qualidade inferior (que parecem variar bastante de acordo com o lote, sendo possível verificar mudanças entre testes russos, testes do TecLab e testes da Cybenetics, mudando o controlador de chaveamento, capacitores, transistores e diodos indiscriminadamente). 

 

Sim, realmente uma garantia mais extensa tem a sua vantagem aqui mesmo, assim como componentes de melhor qualidade.

Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Phynsxa Pylon tá vindo com quais capacitores diferentes aqui no Brasil? Sim quando falei do LLC era em relação a CV650 não ter no primário


Obrigadão pelas informações adicionais. Não sabia desses problemas da Mancer. Porém pelo menos o modelo testado de 600W pela Teclab é capacitor nem listado, é o chengx... a Thermaltake White 500 usa também, mas em compensação tem outros capacitores melhores.


Eu não consigo ver por onde a Superframe vale 60, 70 ou 80 reais a mais que a Nidus ou a Mancer. Eu só vi uma VTE aberta e não entendo da plataforma, mas pelo que você falou antes ela não é ruim não.

Em relação as opções que temos hoje entre 270 a 350 reais, basicamente é VTE, Nidus e Mancer?  O que pesa é a questão da garantia. A VTC não perde em nada para a Superframe e Redragon... pelo menos é a impressão que eu tive ao ver o teste e os capacitores.

 

Em relação a nova linha da CX, quando ela começou a ser vendida mais ou menos?

Em relação a DeepCool 600 e 700, elas são fontes razoáveis ?

  • Curtir 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 minuto atrás, donzmaker disse:

PYLON está vindo com quais capacitores diferentes aqui no Brasil? Sim, quando falei do LLC era em relação a CV650 não ter no primário.

 

Com os capacitores do primeiro relatório da Cybenetics, ou seja, Jun-Fu WL (2000 à 5000 horas, 105°C) e WG (2000 horas, 105°C) e CapXon KF (2000 à 5000 horas, 105°C) e GF (2000 horas, 105°C). Nas unidades recebidas pelo Aris Mpitziopoulos, eles utilizaram basicamente todo o lineup da Elite, com as linhas ED (2000 à 5000 horas, 105°C), EK (2000 à 5000 horas, 105°C), EY (4000 à 10000 horas, 105°C), EV (3000 à 6000 horas, 105°C), EG (3000 à 6000 horas, 105°C) e PL (2000 horas, 105°C).

 

6 minutos atrás, donzmaker disse:

Obrigadão pelas informações adicionais. Não sabia desses problemas da Mancer. Porém pelo menos o modelo testado de 600W pela TecLab é capacitor nem listado, é o ChengX... a Thermaltake (SMART WHITE 500W) usa também, mas em compensação tem outros capacitores melhores.

 

Assim, a ChengX não faz apenas capacitores ruins, ela tem linhas boas. O problema é que nenhuma fabricante faz uso de outra linha, senão aquela porcaria de GR (2000 horas, 105°C), tanto os snap-in (hold-up capacitor), quanto os through-hole (filtering capacitors). Por falar nisso, tenho uma dessas SMART WHITE desmontadas comigo no momento... é uma plataforma que eu certamente não recomendarei para a fabricante parceira.

 

9 minutos atrás, donzmaker disse:

Eu não consigo ver por onde a SuperFrame vale R$60,00, R$70,00 ou R$80,00 a mais que a NIDUS ou a Mancer (THUNDER).

 

Bom, eu também não consigo ver isso dentro do projeto (ao menos com o pouco que nos foi mostrado). Fora do projeto, em questão de garantia, é possível que alcancemos a nossa resposta.

 

11 minutos atrás, donzmaker disse:

Eu só vi uma VTE aberta e não entendo da plataforma, mas pelo que você falou antes ela não é ruim não.

 

A plataforma é excelente mesmo. Não costumo recomendar por conta dos componentes que apresentam grande variação de qualidade, mas não é uma opção tão falha quanto outras escolhas mais comuns nessa faixa.

 

13 minutos atrás, donzmaker disse:

Em relação as opções que temos hoje entre R$270,00 à R$350,00, basicamente é a VTE, a NIDUS e THUNDER?

 

Eu removeria a THUNDER dessa lista, é um modelo que eu dificilmente... na realidade, é um modelo que eu nunca recomendaria. A CV está mais bem cotada nessa categoria.

 

15 minutos atrás, donzmaker disse:

O que pesa é a questão da garantia. A VTC não perde em nada para a SuperFrame e Redragon... pelo menos é a impressão que eu tive ao ver o teste e os capacitores.

 

A VTC não perde mesmo não, é bastante similar à VTE, apenas é dimensionada de maneira inferior (e apresenta resultados inferiores). É a mesma coisa que você comparar as linhas B1 e W1 da EVGA (que inclusive, também são da Compucase, que é dona da Cougar), que têm a mesma plataforma e um dimensionamento diferente. Ou a VS e a CV (olha a Compucase aqui outra vez), que usam a mesma plataforma, praticamente os mesmos componentes, têm mudanças mínimas na configuração dos controladores e um dimensionamento diferentes dos componentes passivos.

 

A Redragon tem a vantagem de ter um excelente capacitor Toshin Kogyo LGW (2000 horas, 105°C) no primário (parabéns à Helly Technology), que é mal dimensionado, enquanto a SuperFrame usa ChengX GR (2000 horas, 105°C), que curiosamente também é. Não é incomum que fontes mais baratas utilizem hold-up capacitors mal dimensionados. E os capacitores de filtragem das três, bom, são Asia'x TM (2000 horas, 105°C) e ChengX GR (2000 horas, 105°C), então é basicamente farinha do mesmo saco.

 

21 minutos atrás, donzmaker disse:

Em relação a nova linha da CX, quando ela começou a ser vendida mais ou menos?

Em relação a DeepCool DA 600W e DA 700W, elas são fontes razoáveis ?

 

Especificamente em 2016. Bom, as DA são a NIDUS (especificamente a plataforma GPT da Channel Well) com componentes mais baratos. Não são boas fontes, mas também não são ruins. Apenas contam com todas as desvantagens da plataforma da NIDUS e não têm componentes à altura.

  • Amei 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
36 minutos atrás, Phynsx disse:

 

Com os capacitores do primeiro relatório da Cybenetics, ou seja, Jun-Fu WL (2000 à 5000 horas, 105°C) e WG (2000 horas, 105°C) e CapXon KF (2000 à 5000 horas, 105°C) e GF (2000 horas, 105°C). Nas unidades recebidas pelo Aris Mpitziopoulos, eles utilizaram basicamente todo o lineup da Elite, com as linhas ED (2000 à 5000 horas, 105°C), EK (2000 à 5000 horas, 105°C), EY (4000 à 10000 horas, 105°C), EV (3000 à 6000 horas, 105°C), EG (3000 à 6000 horas, 105°C) e PL (2000 horas, 105°C).

 

 

Assim, a ChengX não faz apenas capacitores ruins, ela tem linhas boas. O problema é que nenhuma fabricante faz uso de outra linha, senão aquela porcaria de GR (2000 horas, 105°C), tanto os snap-in (hold-up capacitor), quanto os through-hole (filtering capacitors). Por falar nisso, tenho uma dessas SMART WHITE desmontadas comigo no momento... é uma plataforma que eu certamente não recomendarei para a fabricante parceira.

 

 

Bom, eu também não consigo ver isso dentro do projeto (ao menos com o pouco que nos foi mostrado). Fora do projeto, em questão de garantia, é possível que alcancemos a nossa resposta.

 

 

A plataforma é excelente mesmo. Não costumo recomendar por conta dos componentes que apresentam grande variação de qualidade, mas não é uma opção tão falha quanto outras escolhas mais comuns nessa faixa.

 

 

Eu removeria a THUNDER dessa lista, é um modelo que eu dificilmente... na realidade, é um modelo que eu nunca recomendaria. A CV está mais bem cotada nessa categoria.

 

 

A VTC não perde mesmo não, é bastante similar à VTE, apenas é dimensionada de maneira inferior (e apresenta resultados inferiores). É a mesma coisa que você comparar as linhas B1 e W1 da EVGA (que inclusive, também são da Compucase, que é dona da Cougar), que têm a mesma plataforma e um dimensionamento diferente. Ou a VS e a CV (olha a Compucase aqui outra vez), que usam a mesma plataforma, praticamente os mesmos componentes, têm mudanças mínimas na configuração dos controladores e um dimensionamento diferentes dos componentes passivos.

 

A Redragon tem a vantagem de ter um excelente capacitor Toshin Kogyo LGW (2000 horas, 105°C) no primário (parabéns à Helly Technology), que é mal dimensionado, enquanto a SuperFrame usa ChengX GR (2000 horas, 105°C), que curiosamente também é. Não é incomum que fontes mais baratas utilizem hold-up capacitors mal dimensionados. E os capacitores de filtragem das três, bom, são Asia'x TM (2000 horas, 105°C) e ChengX GR (2000 horas, 105°C), então é basicamente farinha do mesmo saco.

 

 

Especificamente em 2016. Bom, as DA são a NIDUS (especificamente a plataforma GPT da Channel Well) com componentes mais baratos. Não são boas fontes, mas também não são ruins. Apenas contam com todas as desvantagens da plataforma da NIDUS e não têm componentes à altura.

Deixa aproveitar tua boa vontade: eu como leigo fiquei impressionado pelo ripple da Mancer. Claro que aqueles testes que o Aris faz no canal no youtube são mt mais completos. O teste basicamente do ripple pode não dizer muita coisa. Outra coisa que chamou atenção que ela não aqueceu muito

 

O que a Mancer seria de ruim em relação a fontes de baixo custo? Digo porque ela está quase mesmo preço da Nidus (10 reais diferença na data de hoje). Claro que a Nidus é melhor, mas focando nos problemas da Mancer, você diria que a longo prazo ela vai perder muita qualidade ou os capacitores já foram mal escolhidos e a plataforma é ruim sendo ruim desde o início? poderia explicar melhor a questão da má escolha dos capacitores por favor?


Eu não tinha me dado conta da mudança dos capacitores da Pylon. Uma pena.

  • Curtir 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
34 minutos atrás, donzmaker disse:

Deixa aproveitar tua boa vontade: eu como leigo fiquei impressionado pelo ripple da Mancer THUNDER. Claro que aqueles testes que o Aris faz no canal no YouTube são muito mais completos. O teste basicamente do ripple pode não dizer muita coisa. Outra coisa que chamou atenção que ela não aqueceu muito.

 

O ripple é realmente um parâmetro muito importante, mas não diz tudo sobre o modelo e apresenta uma grande variação de acordo com a confiabilidade dos componentes, principalmente capacitores. Com a degradação destes, temos a degradação do ripple, consequentemente.

 

A baixa temperatura apresentada pela unidade se deve, em boa parte, à dissipação de calor na sua ponte retificadora, que modelos como a própria NIDUS, que não apresentam, pois assim permitem maior eficiência ao modelo a ser mais eficiente (pela alta temperatura neste componente, que apresenta um coeficiente térmico em que, quanto maior a temperatura, menor a voltage forward, fazendo com que se torne mais eficiente). A desvantagem fica para a alta temperatura incidida sobre esse componente e a menor capacidade de carregar corrente, ou seja, o componente apresenta menor capacidade.

 

34 minutos atrás, donzmaker disse:

O que a Mancer THUNDER teria de ruim em relação a fontes de baixo custo? Digo isso porque ela está quase mesmo preço da NIDUS (R$10,00 diferença na data de hoje). Claro que a NIDUS é melhor, mas focando nos problemas da Mancer THUNDER, você diria que à longo prazo ela vai perder muita qualidade ou os capacitores já foram mal escolhidos e a plataforma é ruim sendo ruim desde o início? Poderia explicar melhor a questão da má escolha dos capacitores, por favor?

 

Depende de quais fontes de alimentação de baixo custo você estiver falando. Nos critérios mais avaliados, ela ainda supera modelos realmente desgostantes, como a GM V2 e a GP, da Gamemax e se aproxima de modelos como a VTE e a NIDUS. Em critérios importantes, mas deixados de lado, ou em situações diferentes, a história é outra.

 

A THUNDER é um modelo que, por conta da plataforma e dos componentes selecionados, não é capaz de ter bom transient response, não tem um fator de potência bom em redes de alta tensão, tem um load regulation inferior (pela ausência de sense wires), assim como não apresentaria boa performance em crossloads, principalmente devido à sua potência extremamente baixa nas trilhas de 5V e 3,3V, que precisam ser balanceadas em plataformas com topologia group regulation.

 

Os componentes de baixa qualidade selecionados poderão ser uma dor de cabeça, mas à longo prazo, sugiro que leia esse texto que eu trouxe para o fórum há um tempo, porque pode ser útil para entender a capacidade que os capacitores têm de afetar os resultados de uma fonte de alimentação. Basicamente, a sua degradação pode inferiorizar os resultados do modelo de maneira considerável e o seu dimensionamento não auxilia para que o modelo tenha bons resultados.

 

O maior problema dessa plataforma é a maldita dupla de circuitos integrados que eu sempre venho criticando: CM6805BS e GR8313. É sério, a Champion parece que estava de brincadeira quando resolveu fazer esse controlador de chaveamento e a Grenergy realmente não parece fazer bons produtos. Isso interfere com as medições de inrush current, fator de potência e até nos timings do power good signal. Para fechar com chave de ouro, o modelo ainda não conta com um varistor na filtragem de transientes e apresenta um fan com sleeve bearing, que normalmente é uma dor de cabeça com o decorrer do tempo (eu cito os motivos no texto que eu coloquei acima).

 

34 minutos atrás, donzmaker disse:

Eu não tinha me dado conta da mudança dos capacitores da Pylon. Uma pena.

 

Parece ser o motivo do modelo ter 3 anos de garantia, ao invés de 5 anos. Nada contra as duas fabricantes no modelo que chegou ao Brasil, os resultados foram até mesmo melhores, mas sinceramente, há linhas mais interessantes para se introduzir no modelo e a seleção de componentes da outra unidade peca justamente onde essa versão que chegou a nós acerta. O maior culpado disso tudo é a falta extensiva de capacitores em grandes fábricas (Elite e Su'scon, principalmente) e o preço elevado de empresas nipônicas.

  • Curtir 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisa ser um usuário para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas comunidades sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

Aprenda a ler resistores e capacitores

EBOOK GRÁTIS!

CLIQUE AQUI E BAIXE AGORA MESMO!