Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Algumas fotos internas da fonte Mancer Thunder 600W


Posts recomendados

Comprei essa fonte para montar um PC de uso escritório. Estava com preço muito bom, futuramente quem sabe pode-se tranformar em um computador com placa de video potente e nova placa-mãe

A grande diferença a olho nu é o bulk capacitor. Na 600W temos Teapo também 85C porém de 330uF 

Ponto positivo para capacitores Y e X de verdade certificados e não somente cerâmicos apesar de ser uma fonte baixo custo muita fonte aí no Kabum de 150 a 240 reais tem capacitor lixo sem certificação X e Y pois um problema nesse tipo de capacitor pode gerar fogo ou choque. Essa Mancer tem capacitores de 105C na secundária porém não listados, esqueci o nome. Seria excelente ter nichicon, sanyo ou até elite, mas infelizmente é o que temos.

https://imgur.com/a/tyVlWal

 

 

  • Curtir 4
  • Obrigado 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

Por ser um modelo de baixo custo, não está ruim. Mas se meu PC realmente necessitasse de 600W, com certeza eu investiria numa fonte de maior qualidade/custo.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
43 minutos atrás, GuilhermeGB disse:

Por ser um modelo de baixo custo, não está ruim. Mas se meu PC realmente necessitasse de 600W, com certeza eu investiria numa fonte de maior qualidade/custo.

Pela pouquissima diferença de preço que está (ou estava até 4 dias atrás) entre a de 500 e 600 eu acho que a de 600 vale mais pois o bulk cap tem capacitância maior. Essas fontes bronze e principalmente as bronze de custo baixo não tem  diferença entre gastar mais energia seja modelo de 500W ou 600W. Estou correto @Phynsx?

Até porque a capacitância do teapo da de 600W já é abaixo da Super Flower 550W (desconsiderando fato de tier). Então vejo a de Mancer 600W com uma bela alternativa nas fontes de baixo custo, inclusive prefiro essa Mancer de 600 por menos de 300 reais (ou 305 reais dependendo se for a vista ou nao) do que uma Redragon ou SuperFrame. Um projeto melhor mas um pouco mais caro seria a VTE de 500 ou 600, embora possa vir um bulk cap da Vent que sabemos que não é grandes coisas, eles mudam e pode ser que venha um capacitor melhor. E mesmo que seja Vent ela tem um projeto bom. Mas aí tem que pagar um pouco a mais

  • Curtir 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
11 minutos atrás, donzmaker disse:

Pela pouquissima diferença de preço que está (ou estava até 4 dias atrás) entre a de 500 e 600 eu acho que a de 600 vale mais pois o bulk cap tem capacitância maior. Essas fontes bronze e principalmente as bronze de custo baixo não tem  diferença entre gastar mais energia seja modelo de 500W ou 600W. Estou correto @Phynsx?

Até porque a capacitância do teapo da de 600W já é abaixo da Super Flower 550W (desconsiderando fato de tier). Então vejo a de Mancer 600W com uma bela alternativa nas fontes de baixo custo, inclusive prefiro essa Mancer de 600 por menos de 300 reais (ou 305 reais dependendo se for a vista ou nao) do que uma Redragon ou SuperFrame. Um projeto melhor mas um pouco mais caro seria a VTE de 500 ou 600, embora possa vir um bulk cap da Vent que sabemos que não é grandes coisas, eles mudam e pode ser que venha um capacitor melhor. E mesmo que seja Vent ela tem um projeto bom. Mas aí tem que pagar um pouco a mais

Um PC intermediário comum geralmente não vai precisar de mais do que 450W, mas por questão de poucos reais a mais, você pega 500W ou 600W, não vejo tanto problema nisso, apesar da eficiência ser um pouco menor rodando o PC em idle. Mas um PC que realmente necessite de 600W, vamos dizer, uma configuração high-end com Core i7 ou Ryzen 7 e uma RTX 3080 ou RX 6800 XT, eu não confiaria nessas fontes de baixo custo.

 

Esses modelos têm regulação agrupada, se você tiver ali no seu PC com processador e placa de vídeo em full load consumindo uns 450W em 12V, nada garante que seus HDs e SSDs, consumindo seus 20W no 5V, vão receber uma tensão bem regulada, porque a fonte está mais "preocupada" com a regulação da tensão com maior consumo. Com uma fonte mais moderna, com regulação DC-DC, as tensões de 5V e 3.3V terão circuitos especializados só para elas, e não haverá problema de regulação em crossload.

 

Claro que o dimensionamento correto dos capacitores e os outros componentes tão vão interferir na qualidade final da energia, mas geralmente essas fontes seguem um projeto base que tem um bom dimensioamento, só que cortam custo colocando componentes inferiores que geralmente vão impactar mais na vida útil da fonte, no caso dos capacitores, também pode influenciar um pouco no ripple, mas nada que faça ficar fora dos níveis de segurança. Também vão economizar no capacitor bulk do PFC (o mais caro do projeto), que vai interferir também no hold-up time, isso é bem comum em modelos de baixo custo. Mas eles fazem isso principalmente porque sabem que as fontes dificilmente vão ser usadas em carga máxima, então essa redução no capacitor não é tão crítica.

  • Curtir 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites

tava só confirmando aqui é capacitores secundária é tudo Hangcon

Não sei se é coincidência mas digitando Hangcon no google images só tem análise de site russo rs

Xcuz9Hi.png

  • Curtir 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
5 horas atrás, donzmaker disse:

Pela pouquíssima diferença de preço que está (ou estava até 4 dias atrás) entre a de 500W e 600W eu acho que a de 600W vale mais, pois o bulk capacitor tem capacitância maior. Essas fontes bronze e principalmente as bronze de custo baixo não tem diferença entre gastar mais energia seja modelo de 500W ou 600W. Estou correto @Phynsx?

 

Eu realmente não entendi muito bem o que você quis dizer. A diferença de gasto de energia depende da faixa de eficiência (que será completamente diferente entre um modelo de 500W e um modelo de 600W). Por exemplo, se você extrair 60W do modelo de 500W, ele tende a ser mais eficiente. Se você extrair 500W do modelo de 600W, ele tende a ser mais eficiente.

 

5 horas atrás, donzmaker disse:

Até porque a capacitância do Teapo da fonte de 600W é abaixo da Super Flower 550W.

 

Sim, essa é a orientação comum para modelos de baixo custo.

 

5 horas atrás, donzmaker disse:

Desconsiderando fato de tier.

 

Eu também não entendi isso, mas imagino que esteja se referindo ao fato da THUNDER ser um modelo de baixo custo e eventualmente apresentar um hold-up capacitor com menor capacitância.

 

5 horas atrás, donzmaker disse:

Então vejo a Mancer 600W com uma bela alternativa nas fontes de baixo custo, inclusive prefiro essa Mancer de 600W por menos de 300 reais (ou 305 reais dependendo se for a vista ou não) do que uma Redragon ou SuperFrame.

 

Eu prefiro ficar com o modelo da SuperFrame.

 

5 horas atrás, donzmaker disse:

Um projeto melhor mas um pouco mais caro seria a VTE, embora possa vir um bulk cap da Vent que sabemos que não é grande coisa, eles mudam e pode ser que venha um capacitor melhor. E mesmo que seja Vent ela tem um projeto bom. Mas aí tem que pagar um pouco a mais.

 

Curiosidade: não existe fabricante chamada Vent. O modelo analisado pelo TecLab apresentava um capacitor da Shenzhen Jiaye Electronic Co. Ltd. Alguns dos capacitores dessa fabricantes chegaram a aparecer em placas de vídeo da Galaxy, há mais de uma década. Realmente não têm boa fabricação, aliás, nem mesmo têm datasheets, mas devemos nos lembrar que as fabricantes não são estáticas, elas mudam a formulação dos seus eletrólitos, trocam o fornecedor da lata do capacitor, melhoram sua fabricação.

 

Aliás, sobre o Vent, é basicamente uma indicação de onde é a válvula de segurança. Esse é um ponto onde geralmente há algum corte (o formato depende da fabricante), para que aquela parte do capacitor seja mais frágil e, no caso de haver um aumento de pressão excessivo na parte interna do capacitor, essa parte seja rompida, evitando a explosão dos capacitores. Na época da praga dos capacitores, geralmente essas válvulas costumavam falhar bastante, ocasionando em explosões assustadoras. Geralmente ele fica localizado no topo do capacitor, mas pode estar localizado na parte inferior também.

 

4 horas atrás, GuilhermeGB disse:

Um PC intermediário comum geralmente não vai precisar de mais do que 450W, mas por questão de poucos reais a mais, você pega 500W ou 600W, não vejo tanto problema nisso, apesar da eficiência ser um pouco menor rodando o PC em idle. Mas um PC que realmente necessite de 600W, vamos dizer, uma configuração high-end com Core I7 ou Ryzen 7 e uma RTX 3080 ou RX 6800 XT, eu não confiaria nessas fontes de baixo custo.

 

Exatamente. O dimensionamento não deve se referir apenas à potência, mas também à qualidade da fonte de alimentação (tanto a saída de energia, quanto a construção interna).

 

4 horas atrás, GuilhermeGB disse:

Esses modelos têm regulação agrupada, se você tiver ali no seu PC com processador e placa de vídeo em full load consumindo uns 450W em 12V, nada garante que seus HDs e SSDs, consumindo seus 20W no 5V, vão receber uma tensão bem regulada, porque a fonte está mais "preocupada" com a regulação da tensão com maior consumo. Com uma fonte mais moderna, com regulação DC-DC, as tensões de 5V e 3.3V terão circuitos especializados só para elas, e não haverá problema de regulação em crossloads.

 

Sim, group regulation é uma dor de cabeça em questão de crossloads. Embora hajam implementações como as da Compucase, que apresentam performance muito estável nessa condição, mas são exceções. Até mesmo individual regulation (dual magnetic amplifier) tem seus problemas nessa condição, além de não ser eficiente. Com o buck converter, a situação é diferente, pois o controlador é alimentado com 12V e gera as trilhas de 5V e 3,3V com uma diferença de 180° entre as fases (ao menos em controladores mais comuns, como o APW7159C). E mesmo assim, não são perfeitamente estáveis, principalmente a trilha de 3,3V. Então o circuito de voltage feedback precisa também ser bem projetado.

 

4 horas atrás, GuilhermeGB disse:

Claro que o dimensionamento correto dos capacitores e os outros componentes também vão interferir na qualidade final da energia, mas geralmente essas fontes seguem um projeto base que tem um bom dimensionamento, só que cortam custo colocando componentes inferiores que geralmente vão impactar mais na vida útil da fonte, no caso dos capacitores, também pode influenciar um pouco no ripple, mas nada que faça ficar fora dos níveis de segurança.

 

Normalmente não é muito bem dimensionado, ao menos para o público comercial. Os fabricantes tendem a economizar em todos os componentes, pois o projeto é feito com base na funcionalidade. E realmente, economizar no hold-up capacitor é uma grande jogada, até porque você se preocupará muito menos para procurar por uma fabricante que atinja os seus requerimentos (não são muitas que fazem capacitores compactos, com boas especificações e que não custem muito). No entanto, não afetará apenas o ripple e o hold-up time. Você pode ver mais alguns pontos importantes nesse tópico.

 

4 horas atrás, GuilhermeGB disse:

Também vão economizar no bulk capacitor do PFC (o mais caro do projeto), que vai interferir também no hold-up time, isso é bem comum em modelos de baixo custo. Mas eles fazem isso principalmente porque sabem que as fontes dificilmente vão ser usadas em carga máxima, então essa redução no capacitor não é tão crítica.

 

Sim, a economia nesse capacitor é válida, mas em casos específicos. Por exemplo, você pode configurar o seu controlador de chaveamento para atingir um hold-up time mais alto, você pode aumentar a frequência (ou até mesmo o modo de controle) de chaveamento e redimensionar os filtering capacitors para reduzir o ripple. Você também pode redimensionar a bitola dos fios dos indutores, a grossura da placa de circuitos, os transistores, os diodos e mais uma porção de componentes para aumentar a eficiência, ou você também pode redimensionar o hold-up capacitor e ter esses mesmos efeitos, mas a diferença de custos não agrada muitos fabricantes, principalmente se eles ainda tiverem que redimensionar o inrush protection.

 

É uma questão complexa, que depende muito do engenheiro responsável e da plataforma em si.

 

4 horas atrás, donzmaker disse:

Tava só confirmando aqui é capacitores secundária é tudo Hangcon.

 

Não sei se é coincidência mas digitando Hangcon no google images só tem análise de site russo.

Xcuz9Hi.png

 

Eu fui ver se tinha algo sobre na minha base de dados e definitivamente não. Ou é empresa nova, ou é lixo. É bastante comum ver fabricantes grandes como a Fortron usando coisa do tipo (Foai, Hangcon).

 

6 horas atrás, donzmaker disse:

Comprei essa fonte para montar um PC de uso escritório. Estava com preço muito bom, futuramente quem sabe pode-se transformar em um computador com placa de video potente e nova placa-mãe.

 

A grande diferença a olho nu é o bulk capacitor. Na 600W temos Teapo também 85°C porém de 330µF.

 

Ponto positivo para capacitores Y e X de verdade certificados e não somente cerâmicos apesar de ser uma fonte baixo custo, muita fonte aí no Kabum de R$150,00 - R$240,00 tem capacitor lixo sem certificação X e Y pois um problema nesse tipo de capacitor pode gerar fogo ou choque. Essa Mancer tem capacitores de 105°C no secundário, porém não listados, esqueci o nome. Seria excelente ter Nichicon, Sanyo ou até Elite, mas infelizmente é o que temos. https://imgur.com/a/tyVlWal

 

A filtragem não é exatamente muito bem dimensionada, o núcleo dos indutores é barato e pequeno (este apresenta grande influência quanto a atenuação de ruído eletromagnético em diversas frequências, dependendo do material) e os capacitores têm capacitância bem reduzida. Infelizmente não se espera muito de uma unidade de baixo custo mesmo. Também acho um tanto incomum ver fontes de alimentação com capacitores sem certificação Y2 (cerâmicos) e X2 (filme), até porque não são caros, mas realmente tem produtos desprezíveis que nem isso oferecem.

 

O capacitor Teapo (LH) rotulado a 85°C e 400V é realmente decepcionante. A vida útil tende a ser bastante reduzida (a degradação também deve ser mais veloz do que de um capacitor com melhores especificações, podendo apresentar um aumento de resistência em um período mais curto).

 

Eu, sinceramente, não acho que caberia Sanyo e Nichicon à um modelo desses. Agora, Teapo, Elite e Su'scon, de modelos bons, com especificações decentes (tanto em vida útil, quanto em capacitância, resistência, tensão, se adequando à plataforma), seriam realmente muito bem-vindos. Geralmente esses capacitores sem datasheet (de fabricantes realmente desprezíveis) têm durabilidade estimada de 2000 horas a 105°C e dificilmente atingem isso.

  • Curtir 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
8 horas atrás, GuilhermeGB disse:

Um PC intermediário comum geralmente não vai precisar de mais do que 450W, mas por questão de poucos reais a mais, você pega 500W ou 600W, não vejo tanto problema nisso, apesar da eficiência ser um pouco menor rodando o PC em idle. Mas um PC que realmente necessite de 600W, vamos dizer, uma configuração high-end com Core i7 ou Ryzen 7 e uma RTX 3080 ou RX 6800 XT, eu não confiaria nessas fontes de baixo custo.

 

Esses modelos têm regulação agrupada, se você tiver ali no seu PC com processador e placa de vídeo em full load consumindo uns 450W em 12V, nada garante que seus HDs e SSDs, consumindo seus 20W no 5V, vão receber uma tensão bem regulada, porque a fonte está mais "preocupada" com a regulação da tensão com maior consumo. Com uma fonte mais moderna, com regulação DC-DC, as tensões de 5V e 3.3V terão circuitos especializados só para elas, e não haverá problema de regulação em crossload.

 

Claro que o dimensionamento correto dos capacitores e os outros componentes tão vão interferir na qualidade final da energia, mas geralmente essas fontes seguem um projeto base que tem um bom dimensioamento, só que cortam custo colocando componentes inferiores que geralmente vão impactar mais na vida útil da fonte, no caso dos capacitores, também pode influenciar um pouco no ripple, mas nada que faça ficar fora dos níveis de segurança. Também vão economizar no capacitor bulk do PFC (o mais caro do projeto), que vai interferir também no hold-up time, isso é bem comum em modelos de baixo custo. Mas eles fazem isso principalmente porque sabem que as fontes dificilmente vão ser usadas em carga máxima, então essa redução no capacitor não é tão crítica.

Sim! no caso jamais vou comprar uma RTX 3080 ou algo ultra high end mas  quem sabe no futuro algo que seja o equivalente da 1070ti - 1660 Super, quando baixar os preços. O ideal realmente seria uma fonte melhor mesmo com uma placa 1660 ou 1080ti... mas eu espero que essa Mancer dure uns 3 anos bem na questão de trabalho de escritório e joguinhos bem leves, depois terei de fazer um upgrade na placa-mãe. A questão do capacitor com capacitância maior me interessou pelo fato de ele ter uma "charge" mais suave que os de 270uF. 

O projeto CV650 da Corsair usa o Teapo 105 de 330uF série LH A3 se não me engano. O ideal seria usar sempre capacitores melhores, mas assim está bom, dá para usar uns 3 anos

4 horas atrás, Phynsx disse:

 

Eu realmente não entendi muito bem o que você quis dizer. A diferença de gasto de energia depende da faixa de eficiência (que será completamente diferente entre um modelo de 500W e um modelo de 600W). Por exemplo, se você extrair 60W do modelo de 500W, ele tende a ser mais eficiente. Se você extrair 500W do modelo de 600W, ele tende a ser mais eficiente.

 

 

Sim, essa é a orientação comum para modelos de baixo custo.

 

 

Eu também não entendi isso, mas imagino que esteja se referindo ao fato da THUNDER ser um modelo de baixo custo e eventualmente apresentar um hold-up capacitor com menor capacitância.

 

 

Eu prefiro ficar com o modelo da SuperFrame.

 

 

Curiosidade: não existe fabricante chamada Vent. O modelo analisado pelo TecLab apresentava um capacitor da Shenzhen Jiaye Electronic Co. Ltd. Alguns dos capacitores dessa fabricantes chegaram a aparecer em placas de vídeo da Galaxy, há mais de uma década. Realmente não têm boa fabricação, aliás, nem mesmo têm datasheets, mas devemos nos lembrar que as fabricantes não são estáticas, elas mudam a formulação dos seus eletrólitos, trocam o fornecedor da lata do capacitor, melhoram sua fabricação.

 

Aliás, sobre o Vent, é basicamente uma indicação de onde é a válvula de segurança. Esse é um ponto onde geralmente há algum corte (o formato depende da fabricante), para que aquela parte do capacitor seja mais frágil e, no caso de haver um aumento de pressão excessivo na parte interna do capacitor, essa parte seja rompida, evitando a explosão dos capacitores. Na época da praga dos capacitores, geralmente essas válvulas costumavam falhar bastante, ocasionando em explosões assustadoras. Geralmente ele fica localizado no topo do capacitor, mas pode estar localizado na parte inferior também.

 

 

Exatamente. O dimensionamento não deve se referir apenas à potência, mas também à qualidade da fonte de alimentação (tanto a saída de energia, quanto a construção interna).

 

 

Sim, group regulation é uma dor de cabeça em questão de crossloads. Embora hajam implementações como as da Compucase, que apresentam performance muito estável nessa condição, mas são exceções. Até mesmo individual regulation (dual magnetic amplifier) tem seus problemas nessa condição, além de não ser eficiente. Com o buck converter, a situação é diferente, pois o controlador é alimentado com 12V e gera as trilhas de 5V e 3,3V com uma diferença de 180° entre as fases (ao menos em controladores mais comuns, como o APW7159C). E mesmo assim, não são perfeitamente estáveis, principalmente a trilha de 3,3V. Então o circuito de voltage feedback precisa também ser bem projetado.

 

 

Normalmente não é muito bem dimensionado, ao menos para o público comercial. Os fabricantes tendem a economizar em todos os componentes, pois o projeto é feito com base na funcionalidade. E realmente, economizar no hold-up capacitor é uma grande jogada, até porque você se preocupará muito menos para procurar por uma fabricante que atinja os seus requerimentos (não são muitas que fazem capacitores compactos, com boas especificações e que não custem muito). No entanto, não afetará apenas o ripple e o hold-up time. Você pode ver mais alguns pontos importantes nesse tópico.

 

 

Sim, a economia nesse capacitor é válida, mas em casos específicos. Por exemplo, você pode configurar o seu controlador de chaveamento para atingir um hold-up time mais alto, você pode aumentar a frequência (ou até mesmo o modo de controle) de chaveamento e redimensionar os filtering capacitors para reduzir o ripple. Você também pode redimensionar a bitola dos fios dos indutores, a grossura da placa de circuitos, os transistores, os diodos e mais uma porção de componentes para aumentar a eficiência, ou você também pode redimensionar o hold-up capacitor e ter esses mesmos efeitos, mas a diferença de custos não agrada muitos fabricantes, principalmente se eles ainda tiverem que redimensionar o inrush protection.

 

É uma questão complexa, que depende muito do engenheiro responsável e da plataforma em si.

 

 

Eu fui ver se tinha algo sobre na minha base de dados e definitivamente não. Ou é empresa nova, ou é lixo. É bastante comum ver fabricantes grandes como a Fortron usando coisa do tipo (Foai, Hangcon).

 

 

A filtragem não é exatamente muito bem dimensionada, o núcleo dos indutores é barato e pequeno (este apresenta grande influência quanto a atenuação de ruído eletromagnético em diversas frequências, dependendo do material) e os capacitores têm capacitância bem reduzida. Infelizmente não se espera muito de uma unidade de baixo custo mesmo. Também acho um tanto incomum ver fontes de alimentação com capacitores sem certificação Y2 (cerâmicos) e X2 (filme), até porque não são caros, mas realmente tem produtos desprezíveis que nem isso oferecem.

 

O capacitor Teapo (LH) rotulado a 85°C e 400V é realmente decepcionante. A vida útil tende a ser bastante reduzida (a degradação também deve ser mais veloz do que de um capacitor com melhores especificações, podendo apresentar um aumento de resistência em um período mais curto).

 

Eu, sinceramente, não acho que caberia Sanyo e Nichicon à um modelo desses. Agora, Teapo, Elite e Su'scon, de modelos bons, com especificações decentes (tanto em vida útil, quanto em capacitância, resistência, tensão, se adequando à plataforma), seriam realmente muito bem-vindos. Geralmente esses capacitores sem datasheet (de fabricantes realmente desprezíveis) têm durabilidade estimada de 2000 horas a 105°C e dificilmente atingem isso.

Exatamente o LH A3 da Teapo e 2 mil horas.  

Em relação a Superframe o que você achou nela melhor?

Quando falei do tier tava falando do capacitor, apenas mostrando a discrepância entre o que vem com a superflower 550W e uma Mancer 500 ou 600W

Se não me engano tem modelos da Rubycon de excelente qualidade com 180uF? Nesse caso aí porém são usados em fontes de alta qualidade

a questão da filtragem na Mancer você diz que e'ruim em relação as bobinas e ao capacitor X laranja? ou os proprios de entrada e entre as bobinas são mal dimensionados?

  • Curtir 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

@donzmaker eu usei uma Seasonic SS-350BS 350W por uns 6 anos aqui sem nenhum problema. Comprei no Mercado Livre no fim de 2014, só que ela era uma fonte para PC de escritório, não tinha cabeamento PCI-Express e o cooler exaustor 80mm era muito barulhento quando meu PC consumia algo acima dos 100W. Só consegui deixar ela silenciosa um dia que fiz um teste dela aberta com um cooler de 120mm soprando ar fio pra dentro. Mas com relação aos componentes internos, ela tinha um capacitor de 220uF na entrada, não me recordo a marca, mas acho que era Rubycon. Os capacitores do secundário também pareciam decentes, a maioria da marca Teapo. Não reparei nos capacitores X e Y também, mas também não tenho muito conhecimento sobre nível de qualidade e sobre tipos específicos de capacitores, então na época que abri ela não fiquei reparando muito nesses detalhes, sou apenas um curioso na área de eletrônica, então queria ver como ela era por dentro em comparação com outras fontes vagabundas que eu já tinha visto, eu estava mais interessado em tentar descobrir os modelos dos MOSFETs e diodos do secundário, mas não deu pra ver muita coisa, e eu não queria tirar nada do lugar.

  • Curtir 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
54 minutos atrás, donzmaker disse:

A questão do capacitor com capacitância maior me interessou pelo fato de ele ter uma "charge" mais suave que os de 270µF. Estava vendo o datasheet dos capacitores Nichicon. Eles nem fabricam hold-up capacitor com menos de 330µF.

 

Sim, o capacitor com maior capacitância pode lidar com maior ripple current para suavizar a forma de onda. Quanto aos capacitores da Nichicon, você pegou o datasheet de uma única série, que não é utilizada em fontes de alimentação. Veja o catálogo completo dos modelos com lata grande.

 

54 minutos atrás, donzmaker disse:

A CV 650W da Corsair usa o Teapo 105°C de 330µF série LH se não me engano. O ideal seria usar sempre capacitores melhores, mas assim está bom, dá para usar uns 3 anos.

 

A CV 650W usa um Teapo LG (105°C, 2000H, 400V, 330µF), é um modelo superior. A linha Teapo LH é inferior.

 

54 minutos atrás, donzmaker disse:

Em relação a SuperFrame o que você achou nela melhor?

 

Os controladores de chaveamento e de monitoramento são superiores. A plataforma é superior, é melhor desenvolvida. O hold-up capacitor tem especificações superiores. A filtragem de transientes tem indutores com núcleos maiores, melhor dimensionados. Aliás, todos os indutores, de forma geral, são melhor dimensionados. Apesar de ser uma plataforma simples, é decente, conta com circuito integrados interessantes (como o de descarga dos capacitores X2 ou de desativação de blocos do circuito de APFC).

 

54 minutos atrás, donzmaker disse:

Quando falei do tier, estava falando do capacitor, apenas mostrando a discrepância entre o que vem com a Super Flower 550W e uma Mancer 500W ou 600W.

 

Sim. Geralmente fontes de alimentação mais caras vão ter hold-up capacitors melhor dimensionados.

 

54 minutos atrás, donzmaker disse:

Se não me engano tem modelos da Rubycon de excelente qualidade com 180µF? Nesse caso, porém, são usados em fontes de alta qualidade.

 

Sim, existem. Não são utilizados em fontes de alta qualidade (é um bom modelo, mas não é de alta qualidade), até porque, fontes de alimentação nesse nível geralmente são extremamente potentes e usam capacitores condizentes à potência, mas modelos como a SS-SFE 300W, SS-TFX 300W, SS-TGW 300W ou a CX 450W usam.

 

Agora, o correto deveria ser a utilização de capacitores bem dimensionados. Não importa se são da Rubycon ou da Capxon. Eles têm que estar bem dimensionados acima de tudo.

 

54 minutos atrás, donzmaker disse:

A questão da filtragem na Mancer você diz que é ruim em relação às bobinas e ao capacitor X2 laranja? Ou os próprios de entrada e entre as bobinas são mal dimensionados?

 

Bom, o capacitor X2 após a bridge rectifier está bastante mal dimensionado, mas ele não é exclusividade nesse caso. Os indutores da filtragem de transientes têm núcleos pequeníssimos. Veja esse gráfico da Kemet:

 

image.png.577ef46973ea93b5d982e2ce213597d7.png

 

Quanto menor o tamanho do núcleo do indutor e dependendo do material utilizado, menos eficaz é a filtragem. Além disso, os capacitores da pré-filtragem e da filtragem de transientes não são dimensionados corretamente para um modelo de 600W.

 

16 minutos atrás, GuilhermeGB disse:

Eu estava mais interessado em tentar descobrir os modelos dos transistores e diodos do secundário, mas não deu pra ver muita coisa, e eu não queria tirar nada do lugar.

 

É bastante comum para a Sea Sonic, mesmo nos modelos mais baratos, utilizar transistores caros. Não se surpreenda se ver produtos da Fairchild (atualmente da On Semiconductor) ou da Infineon Technologies. E diodos da Ween Semiconductor ou da própria On Semiconductor novamente.

  • Curtir 1
  • Amei 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
14 minutos atrás, Phynsx disse:

 

Sim, o capacitor com maior capacitância pode lidar com maior ripple current para suavizar a forma de onda. Quanto aos capacitores da Nichicon, você pegou o datasheet de uma única série, que não é utilizada em fontes de alimentação. Veja o catálogo completo dos modelos com lata grande.

 

 

A CV 650W usa um Teapo LG (105°C, 2000H, 400V, 330µF), é um modelo superior. A linha Teapo LH é inferior.

. O hold-up capacitor tem especificações superiores. A filtragem de transientes tem indutores com núcleos maiores, melhor dimensionados. Aliás, todos os indutores, de forma geral, são melhor dimensionados. Apesar de ser uma plataforma simples, é decente, conta com circuito integrados interessantes (como o de descarga dos capacitores X2 ou de desativação de blocos do circuito de APFC).

 

O capacitor dela não é o Chengx? eu vi que é superior por ser 105C mas não seria tier 4?

Essa questão dos indutores eu vou ter de abusar da sua paciência e pedir se você pode me explicar de forma detalhada se puder com imagem. Claro que a imagem seria um plus, não precisa, se você só puder detalhar melhor eu ficaria feliz. Sempre tenho curiosidade em saber muito sobre filtragem 

A questão do  circuito de descarga do capacitor X2 como é feita por favor? 
Obrigado!!

Realmente agora vi a linha LG na Corsair, superior a LH.

 

P.S: Esse circuito integrado seria um chip que descarga o capacitor X2?

Link para o post
Compartilhar em outros sites
13 minutos atrás, Phynsx disse:

É bastante comum para a Sea Sonic, mesmo nos modelos mais baratos, utilizar transistores caros. Não se surpreenda se ver produtos da Fairchild (atualmente da On Semiconductor) ou da Infineon Technologies. E diodos da Ween Semiconductor ou da própria On Semiconductor novamente.

Sim, na época eu consegui identificar dois MOSFETs com o início "FQP", inclusive encontrei algumas fotos que tirei, nessa dá pra ver mais ou menos o modelo do MOSFETs.

 

SS-350BS.thumb.png.807b9532f2d6c808d98bd8fe01b66c70.png

 

A ponte retificadora parece ser do mesmo modelo.

 

SS-350BS-2.thumb.png.fe3ba8809858a19658f0eea32b9251c6.png

 

Também tem algumas imagens do circuito secundário:

 

spacer.png

 

SS-350-BS-4.png

 

 

 

Link para o post
Compartilhar em outros sites
6 minutos atrás, donzmaker disse:

O capacitor dela não é o ChengX? Eu vi que é superior por ser 105°C mas não seria tier 4?

 

Eu diria que seria muito mais seguro você pegar um capacitor de empresa nipônica... se eu estivesse dizendo isso há duas décadas, na era da praga dos capacitores. A ChengX produz unidades de boa qualidade. É claro, a Kaimei (dona da Teapo, Jamicon e G-Luxon, subdivisão da Yageo, que é dona da Kemet) apresenta uma produção de melhor qualidade, mas a diferença entre dois produtos originais, de linhas com especificações similares, é mínima.

 

17 minutos atrás, donzmaker disse:

Essa questão dos indutores eu vou ter de abusar da sua paciência e pedir se você pode me explicar de forma detalhada, se puder com imagens. Claro que a imagem seria um bônus, não precisa, se você só puder detalhar melhor eu ficaria feliz. Sempre tenho curiosidade em saber muito sobre filtragem.

 

Para atenuar o ruído de forma mais eficiente, você precisa escolher o tamanho e o material do núcleo do indutor, de forma a atenuar corretamente o ruído gerado. Dependendo da permeabilidade magnética do material do núcleo de ferrite, ele terá uma faixa de frequência onde ele será efetivo. Materiais com maior permeabilidade magnética são eficazes em menor frequência, enquanto os que apresentam menor são mais eficazes em maior frequência.

 

No entanto, não é apenas o material, que geralmente é o mais barato possível, mas a quantidade de enrolamentos no indutor, o formato do núcleo do indutor (geralmente indutores quadrados conseguem ser mais compactos do que os que têm formato de toróide, sendo tão ou mais eficazes) e o tamanho do núcleo. A permeabilidade afeta a impedância total do indutor, que afeta a efetividade da filtragem eletromagnética. Indutores maiores terão maior impedância, tendo filtragem mais eficaz.

 

Infelizmente ficarei te devendo o gráfico, por enquanto.

 

1 hora atrás, donzmaker disse:

A questão do circuito de descarga do capacitor X2 como é feita por favor?

 

Esse circuito integrado seria um chip que descarga o capacitor X2?

 

O nome dele não é muito correto com relação a função dele. Basicamente, fontes de alimentação têm um bleed resistor. Esse resistor é utilizado para descarregar os capacitores X2 após o desligamento da fonte de alimentação, para evitar choques durante uma ocasional abertura. No entanto, esse resistor de descarga apresenta um bom consumo enquanto a fonte de alimentação está ligada. Quanto maior for esse resistor (impedância), maior é esse consumo, mas mais rapidamente ele drenará os capacitores. Afim de agradar tanto a órgãos de segurança, como também órgãos de eficiência, criaram um tipo circuito integrado que desliga o bleed resistor do circuito quando há entrada de corrente. Ele utiliza um circuito de voltage feedback para isso.

 

Os mais comuns são os da Power Integrations (CapZero), mas também existem modelos da Next Experience, Monolithic Power e empresas esquisitas que a Cougar encontra.

  • Curtir 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
53 minutos atrás, Phynsx disse:

Quanto maior for esse resistor (impedância), maior é esse consumo, mas mais rapidamente ele drenará os capacitores. 

Você quis dizer "quanto menor for esse resistor (impedância)", certo? O valor da corrente através do resistor será inversamente proporcional à resistência do mesmo, o que resultará numa potência consumida maior. Ele seria maior em tamanho físico, pois precisaria dissipar mais potência.

  • Curtir 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, Phynsx disse:

 

Eu diria que seria muito mais seguro você pegar um capacitor de empresa nipônica... se eu estivesse dizendo isso há duas décadas, na era da praga dos capacitores. A ChengX produz unidades de boa qualidade. É claro, a Kaimei (dona da Teapo, Jamicon e G-Luxon, subdivisão da Yageo, que é dona da Kemet) apresenta uma produção de melhor qualidade, mas a diferença entre dois produtos originais, de linhas com especificações similares, é mínima.

 

 

Para atenuar o ruído de forma mais eficiente, você precisa escolher o tamanho e o material do núcleo do indutor, de forma a atenuar corretamente o ruído gerado. Dependendo da permeabilidade magnética do material do núcleo de ferrite, ele terá uma faixa de frequência onde ele será efetivo. Materiais com maior permeabilidade magnética são eficazes em menor frequência, enquanto os que apresentam menor são mais eficazes em maior frequência.

 

No entanto, não é apenas o material, que geralmente é o mais barato possível, mas a quantidade de enrolamentos no indutor, o formato do núcleo do indutor (geralmente indutores quadrados conseguem ser mais compactos do que os que têm formato de toróide, sendo tão ou mais eficazes) e o tamanho do núcleo. A permeabilidade afeta a impedância total do indutor, que afeta a efetividade da filtragem eletromagnética. Indutores maiores terão maior impedância, tendo filtragem mais eficaz.

 

Infelizmente ficarei te devendo o gráfico, por enquanto.

 

 

O nome dele não é muito correto com relação a função dele. Basicamente, fontes de alimentação têm um bleed resistor. Esse resistor é utilizado para descarregar os capacitores X2 após o desligamento da fonte de alimentação, para evitar choques durante uma ocasional abertura. No entanto, esse resistor de descarga apresenta um bom consumo enquanto a fonte de alimentação está ligada. Quanto maior for esse resistor (impedância), maior é esse consumo, mas mais rapidamente ele drenará os capacitores. Afim de agradar tanto a órgãos de segurança, como também órgãos de eficiência, criaram um tipo circuito integrado que desliga o bleed resistor do circuito quando há entrada de corrente. Ele utiliza um circuito de voltage feedback para isso.

 

Os mais comuns são os da Power Integrations (CapZero), mas também existem modelos da Next Experience, Monolithic Power e empresas esquisitas que a Cougar encontra.

Como faço para ter conhecimento sobre toda a área que engloba não só as fontes de alimentação como todos componentes, circuitos e aplicaçoes em elétrica e eletrônica? curso de eng elétrica engloba isso ou há algo específico (2 ou 3 cursos técnicos que seriam melhores)?

Link para o post
Compartilhar em outros sites
agora, GuilhermeGB disse:

Você quis dizer "quanto menor for esse resistor (impedância)", certo? O valor da corrente através do resistor será inversamente proporcional à resistência do mesmo, o que resultará numa potência consumida maior. Ele seria maior em tamanho físico, pois precisaria dissipar mais potência.

 

Sim, exatamente. Acabei colocando o contrário do que deveria.

  • Curtir 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
14 minutos atrás, donzmaker disse:

Como faço para ter conhecimento sobre toda a área que engloba não só as fontes de alimentação como todos componentes, circuitos e aplicaçoes em elétrica e eletrônica? curso de eng elétrica engloba isso ou há algo específico (2 ou 3 cursos técnicos que seriam melhores)?

Rapaz, eu estou para terminar o curso de engenharia elétrica esse ano. Tudo bem que minha faculdade é bem fraca no geral (entrei nas primeiras turmas, e acho que nem vai pra frente rsrs), mas as matérias de eletrônica mesmo foi bem por cima, o pouco que eu sei, aprendi por interesse e curiosidade mesmo. Existem faculdades de engenharia elétrica com ênfase em eletrônica também, mas independente da faculdade, principalmente se tratando de engenharia, você não sai sabendo de tudo, digo que você aprende o mínimo que deveria saber pra começar a se virar no mercado de trabalho. A área de elétrica é muito ampla e complexa, por isso hoje já existem várias derivações desse curso para áreas mais específicas, como eng. eletrônica, eng. da computação, eng. mecatrônica (que também pega um pouco da mecânica), eng. de telecomunicações, etc. Muitas pessoas recomendam isso e eu também acho melhor: antes de começar uma faculdade, faça alguns cursos técnicos, se não vai ficar um pouco perdido em meio a teoria.

  • Curtir 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 08/05/2021 às 21:25, Phynsx disse:

 

Sim, o capacitor com maior capacitância pode lidar com maior ripple current para suavizar a forma de onda. Quanto aos capacitores da Nichicon, você pegou o datasheet de uma única série, que não é utilizada em fontes de alimentação. Veja o catálogo completo dos modelos com lata grande.

 

 

A CV 650W usa um Teapo LG (105°C, 2000H, 400V, 330µF), é um modelo superior. A linha Teapo LH é inferior.

 

 

Os controladores de chaveamento e de monitoramento são superiores. A plataforma é superior, é melhor desenvolvida. O hold-up capacitor tem especificações superiores. A filtragem de transientes tem indutores com núcleos maiores, melhor dimensionados. Aliás, todos os indutores, de forma geral, são melhor dimensionados. Apesar de ser uma plataforma simples, é decente, conta com circuito integrados interessantes (como o de descarga dos capacitores X2 ou de desativação de blocos do circuito de APFC).

 

 

Sim. Geralmente fontes de alimentação mais caras vão ter hold-up capacitors melhor dimensionados.

 

 

Sim, existem. Não são utilizados em fontes de alta qualidade (é um bom modelo, mas não é de alta qualidade), até porque, fontes de alimentação nesse nível geralmente são extremamente potentes e usam capacitores condizentes à potência, mas modelos como a SS-SFE 300W, SS-TFX 300W, SS-TGW 300W ou a CX 450W usam.

 

Agora, o correto deveria ser a utilização de capacitores bem dimensionados. Não importa se são da Rubycon ou da Capxon. Eles têm que estar bem dimensionados acima de tudo.

 

 

Bom, o capacitor X2 após a bridge rectifier está bastante mal dimensionado, mas ele não é exclusividade nesse caso. Os indutores da filtragem de transientes têm núcleos pequeníssimos. Veja esse gráfico da Kemet:

 

image.png.577ef46973ea93b5d982e2ce213597d7.png

 

Quanto menor o tamanho do núcleo do indutor e dependendo do material utilizado, menos eficaz é a filtragem. Além disso, os capacitores da pré-filtragem e da filtragem de transientes não são dimensionados corretamente para um modelo de 600W.

 

 

É bastante comum para a Sea Sonic, mesmo nos modelos mais baratos, utilizar transistores caros. Não se surpreenda se ver produtos da Fairchild (atualmente da On Semiconductor) ou da Infineon Technologies. E diodos da Ween Semiconductor ou da própria On Semiconductor novamente.

Quanto ao transformador dela, ela é bem dimensionada para 600W? no caso dos capacitores da pré filtragem, você poderia especificar melhor quais seriam as dimensões corretas? Eu vi na superflower um capacitor grande X2 mas nao consegui ver o que estava escrito nele, pois então não consegui pesquisar na internet o modelo e etc.

 

Esse resistor no capacitor X2 de entrada (assim como nos filtro de linha) eu já vi em pelo menos 2 outras fontes e 1 filtro de linha ter esse resistor entre fase e neutro ou fase/fase

Qual função dele?

BKKRB1F.png

Dps dá uma olhada nesse vídeo onde o interessante é a comparação entre muitos testes entre Pylon, DA500 e Nidus

O foco é da Gigabyte mas como ela é um lixo aproveitei o vídeo para verificar várias medições dos modelos Pylon, DA500 e Nidus

O grande problema da DA500 é a troca dos componentes de unidade para unidade, conforme disponibilidade dos fabricantes, a não ser que em alguma caixa que venda no BR de algum lote tenha selo Cybenetics

 

A DA500 continua me impressionando apesar da plataforma anemica. Gostaria que o Aris um dia fizesse outra review da DA500 (ond ele geramente coloca como Sample #2 e Sample #3) para verificar se a alteração dos capacitores fica distante da unidade que ele fez o teste

 

  • Curtir 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
2 horas atrás, donzmaker disse:

Esse resistor no capacitor X2 da entrada (assim como nos filtro de linha) eu já vi em pelo menos 2 outras fontes e 1 filtro de linha ter esse resistor entre fase/neutro ou fase/fase.

 

Qual é a função dele?

 

BKKRB1F.png

 

Esse resistor inserido em paralelo no capacitor serve como bleed resistor. Também pode ser utilizado como spark killer, se conectado ao interruptor de energia.

 

2 horas atrás, donzmaker disse:

Quanto ao transformador dela, é bem dimensionado para 600W?

 

É uma pergunta bastante relativa. O tamanho, de fato, não é muito grande para uma fonte de alimentação dessa potência. É comum usarem transformadores um pouco menores, principalmente quando utilizam alguns controladores específicos (que geralmente operam em frequência mais alta). Apesar disso, o núcleo provavelmente é suficientemente dimensionado para não saturar com carga alta.

 

2 horas atrás, donzmaker disse:

No caso dos capacitores da pré-filtragem, você poderia especificar melhor quais seriam as dimensões corretas?

 

Esse UTX.pdf é o datasheet dos capacitores X2 da UTX. Você certamente verá eles em alguma fonte da Channel Well, como a NIDUS. Não muito com relação às dimensões, mas especificações, um modelo de 600W, que tem indutores pequenos na filtragem de transientes, poderia utilizar capacitores de 1,2µF ao invés de 1,0µF, por exemplo.

 

3 horas atrás, donzmaker disse:

Eu vi na Super Flower um capacitor X2 grande, mas não consegui ver o que estava escrito nele, então não consegui pesquisar na internet o modelo, etc.

 

Bom, há alguns fabricantes de capacitores muito comuns entre os fabricantes de fontes de alimentação, como a Xiamen Yudian Electronics (UTX), Guangdong Jurcc Electronics (JURCC), Yimanfeng Science & Technology (EMF), Hua Jung Components (HJC) e Songtian Electronics (STE), por exemplo. Você deve encontrar algo sobre os capacitores deles em seus respectivos sites. Também tem essa Tenta Electrical Appliance (TENTA), que está presente na THUNDER.

 

3 horas atrás, donzmaker disse:

Depois dá uma olhada nesse vídeo onde o interessante é a comparação entre muitos testes entre PYLON, DA e NIDUS.

 

O foco é da Gigabyte mas como ela é um lixo aproveitei o vídeo para verificar várias medições dos modelos PYLON, DA e NIDUS.

 

O grande problema da DA é a troca dos componentes de unidade para unidade, conforme disponibilidade dos fabricantes, a não ser que em alguma caixa que venda no BR de algum lote tenha selo Cybenetics.

 

A DA500 continua me impressionando apesar da plataforma anêmica. Gostaria que o Aris um dia fizesse outra review da DA500 para verificar se a alteração dos capacitores fica distante da unidade que ele fez o teste.

 

Sim, a DA usa a plataforma GPT, assim como a NIDUS. A diferença é que a DA fez uma decisão curiosa de realmente não modificar nada da plataforma. Ou seja, mantiveram o cabeamento extremamente curto da plataforma original e os componentes ainda mais baratos. A performance, ainda assim, é bastante similar.

 

Agora, uma coisa engraçada é que o modelo que chegou ao nosso país é a DA500N. Eu não faço ideia qual seja a diferença (em questão de plataforma), mas essa realmente tem componentes diferentes da DA testada na Cybenetics. Se bem me recordo, foi ela quem foi testada pelo TecLab, mas é chamada apenas de DA, até mesmo pelos lojistas.

 

Não sei se a Deepcool adotaria o selo da Cybenetics (uma grande oportunidade perdida), mas o maior problema é que ela tem, pelo menos, 3 modelos diferentes com nome de DA500 ou similar. É sério, nem mesmo a Corsair consegue enfiar tantos modelos sob um mesmo nome de forma tão pouco específica. E o pior é que eles ainda ficam se apoiando na lista de materiais extremamente extensa da Channel Well e realmente a cada lote sempre tem alguma coisa muito diferente.

 

Mesmo mudando o modelo ou a fabricante do capacitor, se utilizarem um modelo com especificações similares, aprovado no controle de qualidade da fabricante da fonte de alimentação (ou seja, realmente apresentando tais especificações), é difícil imaginar que haveriam resultados distintos.

  • Curtir 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
28 minutos atrás, Phynsx disse:

 

Esse resistor inserido em paralelo no capacitor serve como bleed resistor. Também pode ser utilizado como spark killer, se conectado ao interruptor de energia.

 

 

É uma pergunta bastante relativa. O tamanho, de fato, não é muito grande para uma fonte de alimentação dessa potência. É comum usarem transformadores um pouco menores, principalmente quando utilizam alguns controladores específicos (que geralmente operam em frequência mais alta). Apesar disso, o núcleo provavelmente é suficientemente dimensionado para não saturar com carga alta.

 

 

Esse UTX.pdf é o datasheet dos capacitores X2 da UTX. Você certamente verá eles em alguma fonte da Channel Well, como a NIDUS. Não muito com relação às dimensões, mas especificações, um modelo de 600W, que tem indutores pequenos na filtragem de transientes, poderia utilizar capacitores de 1,2µF ao invés de 1,0µF, por exemplo.

 

 

Bom, há alguns fabricantes de capacitores muito comuns entre os fabricantes de fontes de alimentação, como a Xiamen Yudian Electronics (UTX), Guangdong Jurcc Electronics (JURCC), Yimanfeng Science & Technology (EMF), Hua Jung Components (HJC) e Songtian Electronics (STE), por exemplo. Você deve encontrar algo sobre os capacitores deles em seus respectivos sites. Também tem essa Tenta Electrical Appliance (TENTA), que está presente na THUNDER.

 

 

Sim, a DA usa a plataforma GPT, assim como a NIDUS. A diferença é que a DA fez uma decisão curiosa de realmente não modificar nada da plataforma. Ou seja, mantiveram o cabeamento extremamente curto da plataforma original e os componentes ainda mais baratos. A performance, ainda assim, é bastante similar.

 

Agora, uma coisa engraçada é que o modelo que chegou ao nosso país é a DA500N. Eu não faço ideia qual seja a diferença (em questão de plataforma), mas essa realmente tem componentes diferentes da DA testada na Cybenetics. Se bem me recordo, foi ela quem foi testada pelo TecLab, mas é chamada apenas de DA, até mesmo pelos lojistas.

 

Não sei se a Deepcool adotaria o selo da Cybenetics (uma grande oportunidade perdida), mas o maior problema é que ela tem, pelo menos, 3 modelos diferentes com nome de DA500 ou similar. É sério, nem mesmo a Corsair consegue enfiar tantos modelos sob um mesmo nome de forma tão pouco específica. E o pior é que eles ainda ficam se apoiando na lista de materiais extremamente extensa da Channel Well e realmente a cada lote sempre tem alguma coisa muito diferente.

 

Mesmo mudando o modelo ou a fabricante do capacitor, se utilizarem um modelo com especificações similares, aprovado no controle de qualidade da fabricante da fonte de alimentação (ou seja, realmente apresentando tais especificações), é difícil imaginar que haveriam resultados distintos.

Obrigado pela resposta! Mt obrigado mesmo

Em relação a Thunder x DA500(N), a DA500 é melhor, correto?

  • Curtir 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

Com relação ao transformador, é bem relativo. Eu também estive pesquisando um pouco mais sobre com calcular corretamente a potência com base no produto entre a área de janela e a área efetiva do núcleo (AeAw), e encontrei algumas formulas um pouco diferentes que resultavam em valores muito distintos. Tenho até um programinha aqui que calcula tudo, mas não sei o quanto ele é confiável. 

 

ExcellentIT.thumb.png.568b24de08fa59550385ea2bf6b9a6dc.png

 

Esse núcleo ai mesmo, EER35, eu encontrei numa fonte de 300W que estava instalada em um computador da Dell. Ela parecia ser bem construída por dentro, muito melhor do que essas fontes genéricas por aí. Coloquei ele no programa pra testar aí, vi que muitas dessas fontes trabalham com 60 kHz na frequência de chaveamento, a densidade de fluxo o programa ajustou sozinho, considerei uma densidade de corrente de 8A/mm², para uma refrigeração por meio de ventilador, deu uma potência máxima de 736W. Nessas fontes genéricas de 200W é bastante comum ver um EI33. Esse EI33 mesmo, para as mesmas condições usadas para o EER35, deu uma potência máxima de 465W no programa. Claro que os fabricantes vão projetar os transformadores dessas fontes com uma margem bem boa, provavelmente também não vão considerar uma densidade de corrente tão alta, o que vai fazer a potência máxima teórica cair bastante. Para refrigeração natural, você pode considerar uma densidade de até 5A/mm², segundo o programa, isso ainda deixar o EER35 com uma potência de mais de 450W.

 

Minha ideia é construir um inversor de tensão 12V para 127V senoidal 60Hz para meu TCC, então estava procurando informações sobre o dimensionamento correto de núcleos de ferrite para construir uma etapa CC-CC para elevar a tensão de 12V para um valor maior, depois converter para alternada.

  • Curtir 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 4 semanas depois...

@PhynsxConsegui uma DA500 para abrir, com 5 anos de garantia na caixa, veio cabo tripolar padrão brasileiro e capacitor capxon igual listado na cybenetics (CapXon (400V, 270uF, 1000h @ 85 °C, LP)

 

Seria melhor ter sido um HP 105C mesmo que fosse 270uF mas fazer o que...

A fonte é bem silenciosa. Pelo que consegui ver no video da Teclab a unidade deles era série GM da Elite 270uF 400V 85C eles disseram que não conhecem... enfim

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • KairanD alterou o título para Algumas fotos internas da fonte Mancer Thunder 600W
15 horas atrás, donzmaker disse:

@PhynsxConsegui uma DA500 para abrir, com 5 anos de garantia na caixa, veio cabo tripolar padrão brasileiro e capacitor Capxon (400V, 270μF, 2000h @ 85°C, LP) igual listado na Cybenetics.

 

Seria melhor ter sido um HP 105°C, mesmo que fosse 270μF, mas fazer o que...

 

A fonte é bem silenciosa. Pelo que consegui ver no vídeo da TecLab a unidade deles era da Elite (400V, 270μF, 2000h @ 85°C, GM) eles disseram que não conhecem... enfim.

 

Caberia até mesmo um Elite (400V, 270μF, 1000h @ 105°C, PM), mas o estoque da Channel Well Technology é repleto desses modelos de 85°C, principalmente da Chinsan Electronic, a Elite (que tem apresentado modelos baratos com poucas falhas, mesmo em condições mais exigentes).

 

Quanto ao restante, imagino que seja assim como a versão com 3 anos de garantia, certo? Um controlador mais moderno pouparia a necessidade de maior capacitância, talvez pudessem satisfazer os requerimentos do Alternative Sleep Mode com um capacitor de apenas 330μF e alguns ajustes... mas não é o foco da unidade, de qualquer forma.

 

O perfil de ventilação implementado é extremamente silencioso mesmo.

  • Curtir 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisa ser um usuário para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas comunidades sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

Aprenda a ler resistores e capacitores

EBOOK GRÁTIS!

CLIQUE AQUI E BAIXE AGORA MESMO!