Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Henry Butt

Membros Juniores
  • Total de itens

    17
  • Registro em

  • Última visita

    Nunca
  • Qualificações

    0%
  1. Unidades SSD tiveram uma redução de preço significativa recentemente, portanto agora está mais barato do que nunca atualizar o seu computador. Enquanto que unidades de 128 GiB oferecem a melhor relação entre o preço e a capacidade de armazenamento na maioria dos casos, alguns usuários preferem um modelo de 256 GiB quando mais espaço de armazenamento é necessário. Hoje nós daremos uma olhada em dois novos modelos de 256 GiB: a Corsair Neutron e a OCZ Agility 4. Existem vários componentes em um computador que podem ser melhorados para fazê-lo mais rápido, mas nenhum é mais evidente no mundo real que a troca de um disco rígido por uma unidade SSD. Uma unidade SSD de 256 GiB é ideal para aqueles que estão limitados a uma única unidade em um notebook ou para aqueles que precisam de mais espaço de armazenamento para aplicativos e jogos. Apesar de ambas as unidades terem 256 GiB de memória, a Corsair Neutron é vendida como sendo uma unidade de 240 GiB, já que 16 GiB são reservados para armazenamento para uso interno (“over-provisioning”), usado pelos mecanismos de coleta de lixo e balanceamento de desgaste da unidade. Figura 1: As duas unidades SSD testadas Antes de prosseguirmos com este teste, nós sugerimos a leitura do tutorial “Anatomia das Unidades SSD”, onde você encontrará informações sobre estas unidades. Ambas as unidades SSD testadas utilizam chips de memória MLC. Na tabela abaixo, nós comparamos a Corsair Neutron de 240 GB e a OCZ Agility 4 de 256 GB. Ambas as unidades de armazenamento utilizam uma interface SATA-600 e são de 2,5”. Fabricante Modelo Número do Modelo Capacidade Preço nos EUA Corsair Neutron CSSD-N240GB3-BK 240 GiB US$ 210 OCZ Agility 4 AGT4-25SAT3-256G 256 GiB US$ 150 Os preços foram pesquisados na data de publicação deste teste. Na tabela abaixo, nós fornecemos informações técnicas mais detalhadas destas unidades. A maioria dos fabricantes de chips não fornecem detalhes específicos de seus chips em seus sites, portanto nós só estamos mostrando o que achamos. Modelo Controlador Buffer Memória Corsair Neutron Link_A_Media LM87800 2x 128 MiB K4T1G08QF 16x 16 GiB Micron 29F128G08CFAAB OCZ Agility 4 Indilinx Everest 2 IDX400M00-B0 2x 256 MiB Hynix H5TQ2G63BFR 16x 16 GiB OCZ H2502128T048AX22 A Corsair Neutron apresenta gabinete metálico que deve oferecer boa proteção contra danos aos componentes internos. Existem lacres de garantia que previnem que você mexa em seu conteúdo interno. Figura 2: A Corsair Neutron 240 GB Na parte superior da placa do circuito impresso existem oito chips de memória Micron 29F128G08CFAAB de 16 GiB, junto a um chip de cache K4T1G08QF de 128 MiB. Figura 3: A placa do circuito impresso da Corsair Neutron 240 GB Virando a placa do circuito impresso, você pode ver o controlador Link-A Media LM87800 e mais oito chips de memória de 16 GiB e outro chip de cache de 128 MiB. Figura 4: A placa do circuito impresso da Corsair Neutron 240 GB (inferior) A OCZ Agility 4 apresenta um gabinete em metal e plástico que é leve e rígido. Ele tem uma aparência atraente e deve proteger adequadamente seus componentes internos. Figura 5: A OCZ Agility 4 A parte superior da placa do circuito impresso apresenta um controlador Indilinx Everest 2, junto com oito chips de memória H2502128T048AX22 da OCZ de 16 GiB. Há também um único chip de cache Hynix de 256 MiB. Figura 6: A placa do circuito impresso da OCZ Agility 4 Virando a placa do circuito impresso, nós vemos mais oito chips de memória de 16 GiB junto a outro chip de cache. A capacidade total de armazenamento da unidade de 256 GiB é reduzida para cerca de 238 GiB quando formatada no Windows. Figura 7: A placa do circuito impresso da OCZ Agility 4 (inferior) Durante nossos testes usamos a configuração listada abaixo e o único componente diferente entre cada seção de teste foi a unidade SSD sendo testada. Configuração de Hardware Processador: Intel Core i7-3930K Placa-mãe: ASUS P9X79 Memória: Four 4 GB Mushkin Blackline modules Placa de vídeo: AMD Radeon HD 7950 3 GB Resolução de vídeo: 1920 x 1080 Monitor de vídeo: Viewsonic VX2260WM Fonte de alimentação: SilverStone 1,000 W Cooler do processador: NZXT Kraken X40 Unidade de boot: Kingston HyperX 3K 240 GB Configuração de Software Sistema operacional: Windows 7 Home Premium 64-bit using NTFS File System Versão do driver da Intel INF: 9.2.0.1016 Versão do driver da AMD: AMD Catalyst 12.3 Programas Usados CrystalDiskMark 3.0.1 x64 Iometer Margem de Erro Nós adotamos uma margem de erro de 3%. Com isso, diferenças de desempenho inferiores a 3% não podem ser consideradas significativas. Em outras palavras, produtos onde a diferença de desempenho seja inferior a 3% deverão ser consideradas como tendo desempenhos similares. Nós medimos o desempenho de cada unidade SSD usando dois programas: CrystalDiskMark e Iometer. É importante notar que nós conectamos as unidades SSD à porta SATA-600 de nossa placa-mãe em vez da porta SATA-300, que poderia causar limitações no desempenho. Nós configuramos o CrystalSidkMark no modo “All 0x00 Fill” para avaliarmos o desempenho da unidade SSD ao lidar com dados compactáveis. No teste de leitura sequencial, a Corsair Neutron atingiu um desempenho 22% mais alto que a OCZ Agility 4. No entanto, durante o teste de escrita sequencial, a OCZ Agility 4 apresentou maior desempenho, vencendo a Corsair Neutron por 11%. No teste de leitura aleatória usando blocos de 512 kB, a Corsair Neutron ofereceu maior desempenho, vencendo a OCZ Agility 4 por 81%. No entanto, durante o teste de escrita aleatória usando blocos de 512 kB, a OCZ Agility 4 ultrapassou a Corsair Neutron por 11%. No teste de leitura aleatória usando blocos de 4 kB, a Corsair Neutron obeteve um desempenho 25% maior que o da a OCZ Agility 4. No entanto, durante o teste de escrita aleatória usando blocos de 4 kB, a OCZ Agility 4 venceu a Corsair Neutron com uma margem de 56%. Para este teste, nós configuramos o CrystalDiskMark em sua configuração padrão, que usa dados que não podem ser compactados. No teste de leitura sequencial, a Corsair Neutron ultrapassou a OCZ Agility 4 com uma margem de 22%. No entanto, durante o teste de escrita sequencial, a OCZ Agility 4 ultrapassou a Corsair Neutron com uma margem de 11%. Durante o teste de leitura aleatória usando blocos de 512 kB, a Corsair Neutron obteve um desempenho 82% maior que o da OCZ Agility 4. No entanto, a OCZ Agility 4 se saiu melhor durante o teste de escrita aleatória usando blocos de 512 kB, vencendo a Corsair Neutron por uma margem de 12%. No teste de leitura aleatória usando blocos de 4 kB, a Corsair Neutron se saiu melhor, atingindo um desempenho 24 % mais alto que o da OCZ Agility 4. No entanto, durante o teste de escrita aleatória usando blocos de 4 kB, a OCZ Agility 4 desempenhou melhor que a Corsair Neutron por 53%. Iometer é um programa que permite que testemos sinteticamente as operações de entrada e saída por segundo da unidade de armazenamento. Nós analisaremos especificamente os resultados dos testes de escrita e leitura aleatórias usando blocos de 4 kB. No teste de leitura aleatória usando blocos de 4 kB, a Corsair Neutron foi ligeiramente (4,4%) mais rápida do que a OCZ Agility 4. A Corsair Neutron também obteve melhor desempenho que a OCZ Agility 4 no teste de escrita aleatória usando blocos de 4 kB com uma margem um pouco maior, de 14%. Pelos resultados de nossos testes, fica claro que ambas as unidades SSD Corsair Neutron e OCZ Agility 4 oferecem um desempenho impressionante. No entanto, também fica claro que ambas as unidades apresentam pontos fortes e pontos fracos em diferentes áreas. A Corsair Neutron obteve um desempenho muito mais alto que a OCZ Agility 4 durante os testes de leitura sequencial e aleatória, sem exceções. Um dos pontos-chave da Corsair Neutron é a consistência em seu desempenho durante os testes com dados compactáveis e não compactáveis. Isto se deve ao controlador Link-A Media que não depende de compressão de dados para atingir maior desempenho. A OCZ Agility 4 obteve melhor desempenho durante os testes de escrita e, também, seus resultados foram relativamente consistentes durante os testes com dados compactáveis e não compactáveis. Na verdade, o único teste de escrita em que a OCZ Agility 4 não atingiu maior desempenho que a Corsair Neutron foi durante o teste de medição do número de operações de entrada e saída por segundo (IOPS). Ao considerar o preço das duas unidades de armazenamento, a Corsair Neutron é cerca de US$ 60 mais cara que a OCZ Agility 4. A OCZ Agility 4 apresenta uma capacidade de armazenamento ligeiramente maior que a Corsair Neutron porque seu controlador não reserva espaço para armazenamento para uso interno (“overprovisioning”), o que resulta em cerca de 15 GiB a mais de espaço disponível ao ser formatada no Windows.
  2. Comprar uma unidade SSD de grande capacidade para atualizar um sistema antigo ou para montar um computador novo está cada vez mais acessível. Hoje nós vamos testar a mais nova unidade SSD da OCZ, a Vertex 4, e compará-la à sua principal concorrente, a Kingston HyperX 3K. Unidades SSD de grande capacidade como a Vertex 4 256 GB são ideais para atualizar notebooks, já que elas oferecem espaço de armazenamento suficiente para a maioria dos usuários. No caso de micros de mesa, usuários podem combinar uma unidade SSD de pequena capacidade com um disco rígido, criando mais espaço de armazenamento para arquivos de dados, quando necessário. Esta opção pode ser mais barata, então pode ser melhor para usuários de micros de mesa do que comprar uma unidade SSD de alta capacidade como as que estamos analisando hoje. Figura 1: A unidade SSD OCZ Vertex 4 256 GB Antes de prosseguirmos com este teste, nós sugerimos a leitura do tutorial “Anatomia das Unidades SSD”, onde você encontrará informações sobre estas unidades. Ambas as unidades SSD testadas utilizam chips de memória MLC. Na tabela abaixo, nós comparamos a OCZ Vertex 4 e a Kingston HyperX 3K, que estamos usando em nossa comparação. Ambas as unidades de armazenamento utilizam uma interface SATA-600 e são de 2,5”. Os preços foram pesquisados na Neweeg.com na data de publicação deste teste. Fabricante Modelo Número do Modelo Capacidade Preço nos EUA OCZ Vertex 4 VTX4-25SAT3-256G 256 GB US$ 209 Kingston HyperX 3K SH103S3/240G 240 GB US$ 210 Na tabela abaixo, nós fornecemos informações técnicas mais detalhadas destas unidades. Modelo Controlador Buffer Memória OCZ Vertex 4 Indlinx Everest 2 (IDX400M00-B0) Hynix H5TQ2G63BFF (2 x 256 MB) OCZ M2502128T048SX22 (16 x 16 GB) Kingston HyperX 3K Sandforce SF-2281 N/D Intel 29F16B08CCME3 (16 x 16 GB) A OCZ escolheu uma combinação de plástico e metal para a construção do gabinete da Vertex 4, o que ajuda a criar um produto mais leve sem comprometer sua proteção e durabilidade. Figura 2: A unidade SSD OCZ Vertex 4 A remoção da parte superior do gabinete expõe o lado dos componentes da placa do circuito impresso, que contém oito chips de memória M2502128T048SX22 da OCZ, o controlador Indilinx Everest 2 e o chip de cache Hynix H5TQ2G63BFR de 256 MB. Figura 3: A placa do circuito impresso da OCZ Vertex 4 de 256 GB (superior) A placa do circuito impresso pode ser removida pela parte inferior do gabinete, revelando mais oito chips de memória OCZ M2502128T048SX22, junto a outro chip de cache Hynix H5TQ2G63BFR de 256 MB. Figura 4: A placa do circuito impresso da OCZ Vertex 4 256 GB (inferior) Cada chip de memória tem capacidade de 16 GB, resultando em uma capacidade total de 256 GB. O controlador Indilinx Everest 2 não reserva espaço de armazenamento para uso interno (“over-provisioning”). Portanto, a capacidade total da unidade é de 256 GB, porém ela será reduzida para 238 GB quando for formatada para Windows. Durante nossos testes usamos a configuração listada abaixo e o único componente diferente entre cada seção de teste foi a unidade SSD sendo testada. Configuração de Hardware Processador: Intel Core i7-3930K Placa-mãe: ASRock Fatal1ty X79 Champion Memória: Quatro módulos de memória Mushkin Ridgeback Redline de 4 GB (DDR3-2133, 1,65 V, 9-11-10-28) Placa de vídeo: AMD Radeon HD 7950 3 GB Monitor de vídeo: Viewsonic VX2260WM Fonte de alimentação: Corsair HX850W Cooler do processador: Corsair H100 Unidade de boot: Intel 520 Series 240 GB SSD Configuração de Software Sistema operacional: Windows 7 Home Premium 64 bits usando sistema de arquivos NTFS Versão do driver da Intel INF: 9.2.0.1016 Versão do driver de vídeo NVIDIA: 270.61 Resolução de vídeo: 1920 x 1080 Programas Usados AS SSD 1.6.4067.34354 CrystalDiskMark 3.0.1 x64 Margem de Erro Nós adotamos uma margem de erro de 3%. Com isso, diferenças de desempenho inferiores a 3% não podem ser consideradas significativas. Em outras palavras, produtos onde a diferença de desempenho seja inferior a 3% deverão ser consideradas como tendo desempenhos similares. Como você pode ver na página anterior, nós analisamos o desempenho de cada unidade SSD através de dois programas: CrystalDiskMark e AS SSD. É importante notar que nós conectamos as unidades SSD a uma porta SATA-600 em nossa placa-mãe, em vez de usarmos uma porta SATA-300, o que poderia causar limitações de desempenho. Nós configuramos o CrystalDiskMark no modo “All 0x00 Fill” para avaliar o desempenho da unidades SSD ao lidar com dados compactáveis. No teste de leitura sequencial usando dados compactáveis, a Kingston HyperX 3K obteve maior desempenho que a OCZ Vertex 4 por uma margem de 18%. No entanto, durante o teste de escrita sequencial usando dados compactáveis, as duas unidades exibiram níveis de desempenho semelhantes. Durante o teste de leitura aleatória usando blocos de 512 KB, a Kingston HyperX também se saiu melhor, atingindo um desempenho 33% mais alto que o da OCZ Vertex 4. Mais uma vez, no teste de escrita aleatória usando blocos de 512 KB, as duas unidades obtiveram níveis de desempenho semelhantes. No teste de leitura aleatória usando blocos de 4 KB, a Kingston HyperX 3K atingiu o maior nível de desempenho, 13% mais alto que o da OCZ Vertex 4. No entanto, durante o teste de leitura aleatória usando blocos de 4 KB, a Kingston HyperX 3K foi apenas 3% melhor que a OCZ Vertex 4. Para este teste, nós configuramos o CrystalDiskMark em sua configuração padrão, que usa dados que não podem ser compactados. No teste de leitura sequencial usando dados não compactáveis, a Kingston HyperX 3K obteve um desempenho maior que o da OCZ Vertex 4, por uma margem de 22%. No entanto, durante o teste de escrita sequencial usando dados não compactáveis, a OCZ Vertex 4 ficou em primeiro lugar, atingindo um desempenho 44% maior que o da Kingston HyperX 3K. A Kingston HyperX 3K obteve um desempenho 45% maior que a OCZ Vertex 4 durante o teste de leitura aleatória usando blocos de 512 KB. Durante o teste de escrita aleatória usando blocos de 512 KB, a OCZ Vertex 4 atingiu o nível de desempenho mais alto, vencendo a Kingston HyperX 3K por uma margem de 39%. Durante o teste de leitura aleatória usando blocos de 4 KB, a OCZ Vertex 4 obteve um nível de desempenho maior que o da Kingston HyperX 3K, por uma margem de 6%. Ela também atingiu o maior nível de desempenho durante o teste de escrita aleatória usando blocos de 4 KB, obtendo um desempenho 10% mais alto que o da Kingston HyperX 3K. Nós usamos o AS SSD para testar o tempo de acesso das duas unidades. Durante o teste de leitura, a Kingston HyperX 3K obteve um desempenho 34% mais alto que o da OCZ Vertex 4. Durante o teste de escrita, no entanto, o desempenho da OCZ Vertex 4 foi 55% mais alto que o da Kingston HyperX 3K. Nós podemos ver pelos nossos testes que a OCZ Vertex 4 e a Kingston HyperX 3K apresentam pontos fortes e pontos fracos em áreas diferentes, o que faz com que seja difícil julgar qual delas apresenta melhor desempenho. As diferenças em desempenho entre as duas unidades podem ser atribuídas aos diferentes controladores usados em cada modelo. Nós estamos bem familiarizados com o controlador Sandforce SF-2281 usado na Kingston HyperX 3K, já que nós testamos várias unidades SSD contendo este controlador. Seu desempenho é particularmente bom em testes de dados que podem ser compactados, já que ele comprime dados para aumentar a velocidade. Isto explica a enorme diferença em desempenho entre os testes de dados compactáveis e não compactáveis. A OCZ Vertex 4 vem como controlador Indilinx Everest 2, que oferece um desempenho mais consistente entre dados compactáveis e não compactáveis. Ela se saiu bem melhor que a HyperX 3K durante os testes de escrita usando dados que não podem ser compactados. No mundo real, é improvável que usuários possam notar diferença entre o desempenho das duas unidades, mesmo comparando-as lado a lado. Ambas as unidades oferecem excelente desempenho, aproveitando ao máximo a largura de banda disponível na interface SATA-600. A diferença no preço das duas unidades também é insignificante: US$ 1, nos EUA. No entanto, existe uma versão da HyperX 3K disponível sem acessórios por US$ 10 a menos. Se nós fossemos forçados a escolher entre uma das unidades, nós estaríamos inclinados a comprar a OCZ Vertex 4. A OCZ oferece cinco anos de garantia (nos EUA) e uma capacidade de 256 GB, comparado a três anos de garantia e capacidade de 240 GB da Kingston HyperX 3K. No entanto, a unidade da Kingston vem com ferramentas para o “upgrade” da unidade de armazenamento, o que é ideal para usuários que desejam atualizar seu computador mas não apresentam qualificações técnicas.
  3. Nos últimos meses, unidades SSD tiveram uma considerável queda de preço nos EUA, tornando sua relação custo/benefício muito mais atraente. Hoje, nós vamos dar uma olhada em uma das mais recentes unidades SSD da Samsung, a 830 Series de 256 GB, e compará-la com a sua principal concorrente. Como resultado da recente redução de preço das unidades SSD, muitos usuários podem estar considerando obter uma unidade de armazenamento maior para seu computador. Para a maioria dos usuários, uma unidade de 256 GB apresenta espaço suficiente para a instalação de vários programas e jogos, e é grande o bastante para ser usada em um laptop sem a necessidade de uma unidade de armazenamento adicional. Antes de prosseguirmos com este teste, nós sugerimos a leitura do tutorial “Anatomia das Unidades SSD”, onde você encontrará informações sobre estas unidades. Ambas as unidades SSD testadas utilizam chips de memória MLC. Figura 1: A Samsung 830 Series 256 GB Na tabela abaixo, nós comparamos a Samsung 830 Series com a Crucial M4. Ambas as unidades de armazenamento utilizam uma interface SATA-600 e são de 2,5”. Os preços foram pesquisados na Neweeg.com na data de publicação deste teste. Fabricante Modelo Número do Modelo Capacidade Preço nos EUA Samsung 830 Series MZ-7PC256 256 GB US$ 217 Crucial M4 CT256M4SSD2 256 GB US$ 209 Na tabela abaixo, nós fornecemos informações técnicas mais detalhadas destas unidades. Modelo Controlador Buffer Memória Samsung 830 Series Samsung S4LJ204X01-Y040 Samsung K4T2G314QF-MCF7 (256 MB) Samsung K9PFGY8U7A-HCK0 (8 x 32 GB) Crucial M4 Marvell 88SS9174-BLD2 Micron IED22D9LGQ (256 MB) Micron 29F128G08CFAAB (16 x 16 GB) A Samsung optou por usar um metal exclusivo na construção do gabinete da 830 Series. A parte superior da carcaça é feita de alumínio escovado na cor preta, o que dá à unidade de armazenamento uma aparência atraente. A parte inferior é também feita de metal, o que ajuda na proteção dos componentes internos. Apesar de a 830 Series ser de 2,5”, ela é ligeiramente mais fina que a maioria das unidades de armazenamento no mercado, medindo 7 mm de altura em vez de 9,5 mm. Isto não deve causar problemas de compatibilidade na maioria dos computadores. Isto também significa que você pode instalar esta unidade em notebooks “ultra finos” como o Lenovo X220. Figura 2: Samsung 830 Series 256 GB Todos os componentes estão localizados na parte superior da placa do circuito impresso. O controlador Samsung S4LJ204X01-Y040 está localizado no centro da placa, assim como um buffer Samsung K4T2G314QF-MCF7 de 256 MB. Existem ao todo oito chips de memória Samsung K9PFGY8U7A-HCK0 de 32 GB. Figura 3: Placa do circuito impresso da Samsung 830 Series 256 GB (vista superior) Não há perda de capacidade de armazenamento, já que o controlador da Samsung não reserva espaço de armazenamento para uso interno (“over-provisioning”). Portanto, a capacidade total da unidade é de 256 GB, porém ela será reduzida para 238 GB quando for formatada para Windows. Não existem componentes na parte inferior da placa do circuito impresso. Figura 4: Placa do circuito impresso da Samsung 830 Series 256 GB (vista inferior) Durante nossos testes usamos a configuração listada abaixo e o único componente diferente entre cada seção de teste foi a unidade SSD sendo testada. Configuração de Hardware Processador: Intel Core i7-3930K Placa-mãe: ASRock Fatal1ty X79 Champion Memória: Quatro módulos Mushkin Ridgeback Redline (DDR3-2133, 1.65 V, 9-11-10-28) de 4 GB cada Placa de vídeo: AMD Radeon HD 7950 3 GB Resolução de vídeo: 1920 x 1080 Monitor de vídeo: Viewsonic VX2260WM Fonte de alimentação: Corsair HX850W Cooler do processador: Corsair H100 SSD (para boot): Intel 520 Series 256 GB Configuração de Software Windows 7 Home Premium 64 bits usando sistema de arquivos NTFS Versão do drive Intel INF: 9.2.0.1016 Versão do driver de vídeo NVIDIA: 270.61 Programas de Desempenho AS SSD 1.6.4067.34354 CrystalDiskMark 3.0.1 x64 Margem de Erro Nós adotamos uma margem de erro de 3%. Com isso, diferenças de desempenho inferiores a 3% não podem ser consideradas significativas. Em outras palavras, produtos onde a diferença de desempenho seja inferior a 3% deverão ser consideradas como tendo desempenhos similares. Como você pode ver na página anterior, nós analisamos o desempenho de cada unidade SSD através de dois programas: CrystalDiskMark e AS SSD. Nós vamos discutir os resultados obtidos em cada programa na ordem em que aparecem listados acima. É importante notar que nós conectamos as unidades SSD a uma porta SATA-600 em nossa placa-mãe, em vez de usarmos uma porta SATA-300, o que poderia causar limitações de desempenho. Nós configuramos o CrystalDiskMark no modo “All 0x00 Fill” para avaliar o desempenho da unidades SSD ao lidar com dados compactáveis. Como você pode ver, a Samsung 830 Series obteve um desempenho melhor que a Crucial M4 no teste de leitura sequencial com uma margem de 19%. A 830 Series atingiu um desempenho ainda melhor no teste de escrita sequencial, ultrapassando a Crucial M4 por 87%. Mais uma vez, a Samsung 830 Series teve um desempenho melhor no teste de leitura aleatória usando blocos de 512 KB, passando a Crucial M4 com uma margem de 7%. No teste de escrita aleatória usando blocos de 512 KB, as duas unidades apresentaram um nível de desempenho semelhante. A Samsung 830 Series atingiu maior pontuação no teste de leitura aleatória usando blocos de 4 KB, sendo 6% mais rápida do que a Crucial M4. A 830 Series também foi melhor no teste de escrita aleatória usando blocos de 4 KB, atingindo um desempenho 7% melhor que a Crucial M4. Para este teste, nós configuramos o CrystalDiskMark em sua configuração padrão, que usa dados não compactáveis. No teste de leitura sequencial, a Samsung 830 Series atingiu um desempenho 17% melhor que a Crucial M4. A 830 Series também foi melhor no teste de escrita sequencial, com uma pontuação 76% mais alta que a Crucial M4. Como você pode ver, a Samsung 830 Series teve um melhor desempenho no teste de leitura aleatória usando blocos de 512 KB, com uma pontuação 9% mais alta que Crucial M4. A 830 Series também atingiu melhor desempenho durante o teste de escrita aleatória usando blocos 512 KB, passando a Crucial M4 por 10%. No teste de leitura aleatória usando blocos de 4 KB, a Samsung 830 Series apresentou o nível de desempenho mais alto, vencendo a Crucial M4 com uma margem de 12%. Durante o teste de escrita aleatória usando blocos de 4 KB, a 830 Series também obteve melhor desempenho, sendo 7% mais rápida do que a Crucial M4. Nós usamos o AS SSD para testar o tempo de acesso das duas unidades. Durante o teste de leitura, as duas unidades apresentaram um nível de desempenho semelhante. No entanto, no teste de escrita, a Crucial M4 levou 189% mais tempo que a Samsung 830 Series para acessar dados. Nós podemos ver pelos nossos testes de desempenho que a Samsung 830 Series apresenta um nível de desempenho melhor que o da Crucial M4 em quase todos os testes. Na maioria dos testes, podemos dizer que a Crucial M4 não fica atrás da 830 Series por uma margem muito grande. Nós duvidamos que no mundo real o desempenho das duas unidades seja muito diferente, especialmente se você estiver acostumado com a velocidade dos discos rígidos convencionais. Nós ficamos muito impressionados com o desempenho de ambas as unidades testadas em nosso teste de dados não compactáveis, já que os resultados foram bem similares aos atingidos durante os testes de dados compactáveis. Isto pode ser atribuído ao controlador presente em cada unidade de armazenamento. Eles não usam tecnologia de compressão para aumentar a velocidade de leitura e escrita como a SandForce SF-2281, que é usada em um vasto número de unidades SSD disponíveis no mercado. Isto significa que as unidades oferecem um desempenho mais consistente com diferentes tipos de dados, já que unidades baseadas na SandForce apresentam um desempenho pior quando lidando com dados não compactáveis. Considerando-se que a Samsung 830 Series 256 GB custa apenas US$ 10 a mais que a Crucial M4 (nos EUA), nós recomendamos a Samsung 830 Series, pois acreditamos que ela oferece uma boa relação custo/benefício. No entanto, nós consideraríamos a compra da Crucial M4 256 GB se ela ficasse em torno de US$ 190, já que seria a unidade SSD perfeita para usuários que não querem estourar o orçamento.
  4. As unidades SSD oferecem maior desempenho do que os discos rígidos tradicionais, por isso elas são ideais para aqueles usuários que querem obter o melhor desempenho de seus micros. Hoje nós analisaremos o desempenho de duas unidades SSD de 60 GB, a Kingston SSDNow V+200 e a Zalman F-Series. Qual das duas você deve comprar? Confira. Os usuários que querem usufruir dos benefícios de desempenho das unidades SSD sem gastar muito dinheiro normalmente combinam uma unidade SSD de 60 GB para acelerar o acesso aos programas e um disco rígido para armazenar os dados. Nós não recomendaríamos o uso de uma unidade SSD de 60 GB em um notebook ou micro de mesa sem uma unidade de armazenamento secundária, já que o usuário ficaria com pouco espaço disponível após a instalação do sistema operacional e programas. Antes de prosseguirmos com o teste, nós sugerimos a leitura do tutorial “Anatomia das Unidades SSD”, onde você encontrará informações sobre unidades SSD. Ambas unidades SSD testadas utilizam chips de memória MLC. Figura 1: As unidades SSD testadas Na tabela abaixo nós comparamos a Kingston SSDNow V+200 com a Zalman F-Series. Ambas são unidades de 2,5” e possuem interface SATA-600. Fabricante Modelo Número do Modelo Capacidade Preço Kingston SSDNow V+200 SVP200S3/60G 60 GB US$ 90 Zalman F-Series SSD0060F1 60 GB £ 90 (US$ 140) Nós pesquisamos os preços no dia da publicação deste teste, com as seguintes observações: A amostra que testamos da Kingston SSDNow V+200 é a versão “Upgrade Bundle Kit”. A versão sem os acessórios pode ser comprada pelo mesmo preço na Newegg.com. A Zalman F-Series ainda não está disponível no mercado norte-americano. O o seu preço foi pesquisado em QuietPC.com e convertido de libra esterlina para dólar usando a cotação do dia. Na tabela abaixo nós fornecemos informações técnicas mais detalhadas das unidades SSD testadas. A maioria dos fabricantes de chips não divulga em seu site informações específicas sobre seus produtos, e por isso estamos colocando link apenas nos chips que encontramos mais informações. Modelo Controlador Buffer Memória Kingston SSDNow V+200 Sandforce SF-2281 N/D Intel 29F64G08ACME3 Zalman F-Series Sandforce SF-2281 N/D Intel 29F64G08ACME3 A Kingston SSDNow V+200 usa um gabinete de metal sólido, que é muito resistente e oferece um bom nível de proteção para os componentes internos do produto. A unidade é um pouco pesada se comparada a outros produtos disponíveis no mercado, o que não é o ideal para uso em notebooks. Figura 2: A Kingston SSDNow V+200 60 GB Todos os chips de memória Intel 29F64G08ACME3 de 8 GB estão localizados na parte superior da placa de circuito impresso. Esses chips utilizam tecnologia NAND assíncrona, que oferecem desempenho inferior ao manipular dados que não podem ser compactados do que os chips de memória síncrona usados em unidades SSD mais caras da Kingston, como a série HyperX. O controlador Sandforce SF-2281 está localizado na parte inferior da placa de circuito impresso. Figura 3: Parte superior da placa de circuito impress da Kingston SSDNow V+200 60 GB Figura 4: Parte inferior da placa de circuito impress da Kingston SSDNow V+200 60 GB O gabinete da Zalman F-Series é feito em alumínio anodizado, o que oferece um excelente visual ao produto. A unidade da Zalman também é muito mais leve do que o produto da Kingston, sendo uma melhor opção para notebooks. A unidade também oferece um bom nível de proteção para os componentes internos. Figura 5: A Zalman F-Series 60 GB O único item importante localizado na parte superior da placa de circuito impresso é o controlador Sandforce SF-2281. Na parte inferior da placa de circuito impresso estão localizados os oito chips de memória Intel 29F64G08ACME3. Esses chips de memória são idênticos aos usados no produto da Kingston, por isso a diferença de desempenho entre essas duas unidades deve ficar por conta apenas do firmware. Figura 6: Parte superior da placa de circuito impresso da Zalman F-Series 60 GB Figura 7: Parte inferior da placa de circuito impress da Zalman F-Series 60 GB Durante nossos testes usamos a configuração listada abaixo e o único dispositivo diferente entre cada seção de teste foi a unidade SSD sendo testada. Configuração de Hardware Processador: Intel Core i7-3770K Placa-mãe: ASRock Z77 Extreme6 Memória: Dois módulos Kingston HyperX Genesis de 2 GB (DDR3-2133, CL9, 1,5V, 9-9-9-27) Placa de vídeo: AMD Radeon HD 6950 Resolução de vídeo: 1920 x 1080 Monitor: Viewsonic VX2260WM Fonte de alimentação: Corsair HX850W Cooler do processador: be quiet! Dark Rock Pro 2 Disco de boot: Intel 520 Series 240 GB Configuração de Software Windows 7 Home Premium 64 bits usando sistema de arquivos NTFS Versão do driver Intel Inf: 9.2.0.1016 Versão do driver de vídeo AMD: AMD Catalyst 12.3 Programas de Desempenho CrystalDiskMark 3.0.1 x64 AS SSD 1.6.4237.30508 Margem de Erro Adotamos uma margem de erro de 3%. Com isso, diferenças de desempenho inferiores a 3% não podem ser consideradas significativas. Em outras palavras, produtos onde a diferença de desempenho seja inferior a 3% deverão ser considerados como tendo desempenhos similares. Como você pode ver na página anterior, nós analisamos o desempenho de cada unidade SSD com os programas CrystalDiskMark e AS SSD. Nesta página nós vamos discutir os resultados do programa CrystalDiskMark, enquanto que na página seguinte discutiremos os resultados do AS SSD. É importante notar que nós conectamos as unidades SSD na porta SATA-600 da placa-mãe para termos certeza de que o desempenho não seria limitado pelo uso de uma porta SATA-300. Nós configuramos o CrystalDiskMark no modo “All 0x00 Fill mode” para analisar o desempenho da unidade SSD ao manipular dados que podem ser compactados. Nos testes de leitura e escrita sequencial, as duas unidades apresentaram desempenho similar. Como você pode ver, as duas unidades mais uma vez apresentaram o mesmo nível de desempenho em ambos os testes de leitura e escrita aleatória usando blocos de 512 KB. No teste de leitura aleatória usando blocos de 4 KB, a Zalman F-Series foi 6% mais rápida do que a Kingston SSDNow V+200. Entretanto, no teste de escrita aleatória usando blocos de 4 KB, as duas unidades apresentaram o mesmo nível de desempenho. Para este teste, nós configuramos o CrystalDiskMark no modo padrão, que manipula dados que não podem ser compactados. No teste de leitura sequencial, a Zalman F-Series foi 120% mais rápida do que a Kingston SSDNow V+200. O produto da Zalman também foi mais rápido do que o produto da Kingston no teste de escrita sequencial por uma margem de 13%. A Zalman F-Series obteve o melhor nível de desempenho no teste de leitura aleatória usando blocos de 512 KB, sendo 108% mais rápida do que a Kingston SSDNow V+200. No teste de escrita aleatória usando blocos de 512 KB, a Zalman também foi mais rápida, sendo 14% mais rápida do que a Kingston SSDNow V+200. Como você pode ver, a Zalman F-Series também foi mais rápida do que a Kingston SSDNow V+200 no teste de leitura aleatória usando blocos de 4 KB. Mas no teste de escrita aleatória, as duas unidades apresentaram o mesmo nível de desempenho. Nós usamos o AS SSD para testar o tempo de acesso das duas unidades. A Kingston SSDNow V+200 obteve o melhor nível de desempenho no teste de leitura, sendo 206% mais rápida do que a Zalman F-Series. Mas no teste de escrita, a Zalman F-Series foi 16% mais rápida do que a Kingston SSDNow V+200. Nós podemos ver a partir de nossos testes que a Zalman F-Series oferece um nível de desempenho um pouco melhor do que a Kingston SSDNow V+200 na maioria dos casos. Embora as duas unidades tenham praticamente os mesmos componentes internos, a Zalman F-Series é mais rápida ao manipular dados que não podem ser compactados do que a Kingston V+200. Em todos os testes de dados que não podem ser compactados no CrystalDiskMark, a Zalman F-Series foi significativamente mais rápida do que a Kingston V+200. Mas nos testes de dados que podem ser compactados, as duas unidades apresentaram desempenho similares. Nós ainda temos que levar em consideração o preço das unidades, já que este é um dos fatores mais importantes na hora de comprar uma unidade SSD. Como mencionamos anteriormente, a Zalman F-Series ainda não está disponível nos EUA, mas no Reino Unido ela é vendida por £ 90, o que equivale a US$ 140. Considerando o alto preço da Zalman F-Series, nossa recomendação é a Kingston SSDNow V+200. A diferença de desempenho não é tão grande para justificar os US$ 50 extras. Na verdade, a menos que a Zalman F-Series seja lançada com preço similar ao da Kingston SSDNow V+200, o produto da Kingston é uma melhor opção de compra, porque a diferença de desempenho em situações do mundo real é muito pequena. A Kingston também inclui um kit gratuito contendo vários acessórios, o que agrega ainda mais valor ao produto. A Zalman inclui apenas um CD com um software para clonagem de dados e um adaptador de 3,5”. Em resumo: por oferecer um preço razoável e um bom nível de desempenho, a nossa recomendação vai para a Kingston SSDNow V+200.
  5. A diferença de desempenho é grande quando você substitui um disco rígido por uma unidade SSD. Existem hoje no mercado vários modelos de unidades SSD, e às vezes fica difícil saber qual modelo comprar. Hoje nós testaremos a mais nova unidade SSD de 128 GB da Corsair, a Performance Pro, e vamos compará-la com sua principal concorrente. Atualmente as unidades SSD de 128 GB oferecem o equilíbrio perfeito entre preço, capacidade e desempenho. Para a maioria dos usuários, esta capacidade de armazenamento é suficiente para programas e jogos. Em um micro de mesa, uma unidade SSD de capacidade menor pode ser combinada com um disco rígido para armazenar mais arquivos, caso necessário. Antes de prosseguirmos com o teste, nós sugerimos a leitura do tutorial “Anatomia das Unidades SSD”, onde você encontrará informações sobre unidades SSD. Ambas unidades SSD testadas utilizam chips de memória MLC. Figura 1: A Corsair Performance Pro 128 GB Na tabela abaixo nós comparamos a Corsair Performance Pro com a Corsair Force GT. Ambas utilizam interface SATA-600 e são compatíveis com o padrão de 2,5”. Os preços foram pesquisados na Newegg.com no dia da publicação deste teste. Fabricante Modelo Número do Modelo Capacidade Preço nos EUA Corsair Performance Pro CSSD-P128GBP-BK 128 GB US$ 200 Corsair Force GT CSSD-F120GBGT 120 GB US$ 170 Na tabela abaixo nós fornecemos informações técnicas mais detalhadas das unidades SSD testadas. A maioria dos fabricantes de chips não divulga em seu site informações específicas sobre seus produtos, e por isso estamos colocando link apenas nos chips que encontramos mais informações. Modelo Controlador Buffer Memória Corsair Performance Pro Marvell 88S-9174 BKK2 512 MB NANYA NT5CB128M16BP Toshiba TH58TE07D2HBA4C (8 x 16 GB) Corsair Force GT Sandforce SF-2281 N/D Micron 29F64G08CBAAB (16 x 8 GB) A Corsair optou por usar um gabinete de alumínio escovado na Performance Pro, o que proporcionou um nível de proteção decente para os componentes internos do produto, sem falar do aspecto estético. A Performance Pro também é mais leve do que outras unidades SSD de metal que já testamos, o que a torna ideal para uso em notebooks. Figura 2: A Corsair Performance Pro 128 GB Para acessar a parte interna da unidade é necessário remover dois selos de garantia para poder ter acesso aos parafusos localizados na parte inferior do produto. Na parte superior da placa de circuito impresso nós encontramos oito chips de memória Toshiba TH58TE07D2HBA4C de 16 GB e um buffer NANYA NT5CB128M16BP de 512 MB. Figura 3: A placa de circuito impresso da Corsair Performance Pro 128 GB (parte superior) Na parte inferior da placa de circuito impresso há apenas o controlador Marvell 88S-9174 BKK2. Este controlador não reserva espaço de armazenamento para uso interno (“over-provisioning”), o que dá ao usuário um pouco mais de espaço de armazenamento se comparado a uma unidade SSD equivalente baseada no chip Sandforce SF-2281. A capacidade da Performance Pro é de 119,24 GB quando formatada no Windows. De acordo com a Corsair, esta unidade oferece velocidades de leitura e escrita sequenciais de 515 MB/s e 440 MB/s, respectivamente. Figura 4: A placa de circuito impress da Corsair Performance Pro 128 GB (parte inferior) Durante nossos testes usamos a configuração listada abaixo e o único dispositivo diferente entre cada seção de teste foi a unidade SSD sendo testada. Configuração de Hardware Processador: Intel Core i5-2500K Placa-mãe: Gigabyte Z68X-UD5-B3 Memória: Dois módulos Kingston HyperX Genesis de 2 GB cada (DDR3-2133, CL9, 1,6 V, 9-9-9-27) Placa de vídeo: Zotac Geforce GTX 470 AMP! Resolução de vídeo: 1920 x 1080 Monitor de vídeo: Viewsonic VX2260WM Fonte de Alimentação: Corsair HX850W Cooler do processador: Noctua NH-D14 Disco rígido (para boot): Kingston SSDNow V+100 128 GB Configuração de Software Windows 7 Home Premium 64 bits usando sistema de arquivos NTFS Versão do driver Intel Inf: 9.2.0.1016 Versão do driver de vídeo NVIDIA: 270.61 Programas de Desempenho CrystalDiskMark 3.0.1 x64 AS SSD 1.6.4237.30508 HD Tune 2.55 Margem de Erro Adotamos uma margem de erro de 3%. Com isso, diferenças de desempenho inferiores a 3% não podem ser consideradas significativas. Em outras palavras, produtos onde a diferença de desempenho seja inferior a 3% deverão ser considerados como tendo desempenhos similares. Como você pode ver na página anterior, nós analisamos o desempenho de cada unidade SSD com os programas AS SSD, CrystalDiskMark e HD Tune. Nesta página nós vamos discutir os resultados do programa AS SSD, enquanto que nas páginas seguintes discutiremos os resultados dos outros dois programas. É importante notar que nós conectamos as unidades SSD na porta SATA-600 da placa-mãe para termos certeza de que o desempenho não seria limitado pelo uso de uma porta SATA-300. Nós usamos a configuração padrão do AS SSD durante os testes. No teste de leitura sequencial, as duas unidades apresentaram desempenho similar. Mas no teste de escrita sequencial, a Corsair Performance Pro foi 100% mais rápida do que a Force GT. Como você pode ver, a Corsair Performance Pro foi 30% mais rápida do que a Force GT no teste de leitura aleatória usando blocos de 4 KB. Mas a Corsair Force GT obteve uma pontuação melhor no teste de escrita aleatória usando blocos de 4 KB, sendo 8% mais rápida do que a Performance Pro. No teste de tempo de acesso, a Corsair Performance Pro foi 4% mais rápida do que a Force GT no teste de leitura e 70% mais rápida no teste de escrita. Nós usamos o CrystalDiskMark em sua configuração padrão, o que significa dizer que cada unidade SSD foi submetida a cinco tarefas simultâneas usando um arquivo de 1.000 MB. Vamos aos resultados. No teste de leitura sequencial, a Corsair Performance Pro foi 6% mais rápida do que a Force GT. A Performance Pro também apresentou o melhor nível de desempenho no teste de escrita sequencial, sendo 90% mais rápida do que a Force GT. A Corsair Force GT foi mais rápida do que a Performance Pro no teste de leitura aleatória usando blocos de 512 KB por uma margem de 13%. Mas a Corsair Performance Pro obteve uma melhor pontuação no teste de escrita aleatória, sendo 85% mais rápida do que a Force GT. Como você pode ver, a Corsair Force GT foi 10% mais rápida do que a Performance Pro no teste de leitura aleatória e 13% mais rápida no teste de escrita aleatória. Agora vamos discutir os resultados fornecidos pelo programa HD Tune. No teste de taxa de transferência de pico, as duas unidades SSD testadas apresentaram desempenho similar. Mas no teste de taxa de transferência média, a Corsair Force GT foi 9% mais rápida do que a Performance Pro. Durante o teste, a Corsair Performance Pro apresentou taxas de transferências mais consistentes. No início do teste, a Force GT foi capaz apenas de apresentar taxa de transferência de 118 MB/s, enquanto a Performance Pro apresentou taxa de transferência de 323,5 MB/s. A Corsair Performance Pro travou uma boa briga com a Force GT em nossos testes. A diferença de desempenho entre as duas unidades SSD pode ser atribuída aos controladores diferentes. A Corsair Performance Pro usa o novo controlador Marvell 88S-9174 BKK2, enquanto a Force GT usa o controlador Sandforce SF-2281, que é mais antigo. Nós não esperávamos que a Performance Pro fosse mais rápida do que a Force GT, já que, segundo a Corsair, a Performance Pro apresenta velocidades de leitura e escrita sequenciais de 515 MB/s e 440 MB/s, respectivamente, menores do que as divulgadas para a Force GT (555 MB/s e 515 MB/s). Em nossos testes, a Performance Pro se saiu muito bem nos testes de escrita aleatória usando blocos de 512 KB e no teste sequencial, onde ela foi muito mais rápida do que a Force GT. A Performance Pro apresentou desempenho similar ao da Force GT no teste de leitura sequencial no CrystalDiskMark e foi 6% mais rápida no AS SSD. Isto porque esses testes utilizam dados que não podem ser compactados, e o controlador Marvell da Performance Pro não utiliza compressão para aumentar a taxa de transferência de dados, ao contrário do controlador Sandforce da Force GT. Atualmente a Corsair Performance Pro 128 GB custa US$ 200 nos EUA, US$ 30 mais cara do que a Corsair Force GT 120 GB. Por se tratar de um modelo recém-lançado, o preço da Performance Pro deverá cair em breve e ficar no mesmo patamar da Force GT. Considerando o preço atual, nós achamos que a Force GT é uma melhor opção de compra, já que oferece desempenho similar e é mais barata. Mas se o preço da Performance Pro cair nos próximos meses, a situação se inverte já que a sua capacidade é um pouco maior.
  6. Desde que a Seagate lançou a série Momentus XT, ela se tornou uma opção popular entre os usuários de notebooks que normalmente são limitados a apenas uma unidade de armazenamento. O objetivo desta série é preencher uma lacuna entre discos rígidos e unidades SSD, mas sem cobrar um preço exorbitante para isso. Hoje nós testaremos o disco rígido híbrido de segunda geração da Seagate, o Momentus XT 750 GB. O conceito de um disco rígido híbrido é similar ao da tecnologia Smart Response da Intel. Em vez de ter um disco rígido e uma unidade SSD separados, a Seagate integrou uma unidade SSD dentro de um disco rígido de 2,5”. Apesar disso, o visual do disco híbrido é idêntico a um disco rígido convencional. Figura 1: Seagate Momentus XT 750 GB (parte superior) Assim como a tecnologia Smart Response da Intel, o Momentus XT usa algoritmos para identificar quais dados no disco rígido estão sendo mais acessados e os copia para a unidade SSD. Como a unidade SSD é mais rápida do que o disco rígido, os dados mais requisitados pelo usuário serão acessados com maior velocidade. Portanto, a instalação de um disco híbrido Momentus XT deve ajudar a aumentar o desempenho do micro, como por exemplo, reduzindo o tempo de inicialização do sistema operacional. Figura 2: Seagate Momentus XT 750 GB (parte inferior) O Seagate Momentus XT 750 GB tem uma capacidade formatada de 698,63 GB, espaço suficiente para a maioria dos usuários. Sua capacidade de armazenamento é maior do que a de qualquer unidade SSD atualmente disponível no mercado. A Seagate usou memórias SLC na porção SSD do disco, já que este tipo de memória suporta maiores ciclos de leitura e escrita do que as memórias MLC. Mesmo que a porção SSD apresente defeito após alguns anos, o Momentus XT continuará funcionando como um disco rígido convencional sem perda de dados. Em nossos testes, nós usaremos os discos rígidos Seagate Momentus XT 750 GB (que usa a segunda geração da tecnologia híbrida da Seagate), Seagate Momentus XT 500 GB (que é um disco híbrido de primeira geração), Seagate Momentus 750 GB (que também é um disco de 2,5”) e o Western Digital Scorpio Black 750 GB (outro disco de 2,5”). Nós também incluiremos os resultados de uma unidade SSD, a OCZ Agility 3 240 GB. Na tabela abaixo nós comparamos as especificações desses produtos. Fabricante Modelo Número do Modelo Velocidade de Rotação Interface Buffer Capacidade Seagate Momentus XT (segunda geração) ST750LX003 7200 rpm SATA-600 32 MB 750 GB Seagate Momentus XT (primeira geração) ST95005620AS 7200 rpm SATA-300 32 MB 500 GB Seagate Momentus ST9750420AS 7200 rpm SATA-300 16 MB 750 GB Western Digital Scorpio Black WD7500BPKT 7200 rpm SATA-300 16 MB 750 GB OCZ Agility 3 AGT3-25SAT3-240G N/D SATA-600 N/D 240 GB Durante nossos testes usamos a configuração listada abaixo e o único dispositivo diferente entre cada seção de teste foi a unidade de armazenamento sendo testada. Configuração de Hardware Processador: Intel Core i5-2500K Placa-mãe: Gigabyte Z68X-UD5-B3 Memória: Dois módulos Kingston HyperX Genesis de 2 GB cada (DDR3-2133, CL9, 1,6 V, 9-9-9-27) Placa de vídeo: Zotac Geforce GTX 470 AMP! Resolução de vídeo: 1920 x 1080 Monitor de vídeo: Viewsonic VX2260WM Fonte de Alimentação: Corsair HX850W Cooler do processador: Noctua NH-D14 Disco rígido (para boot): Kingston SSDNow V+100 128 GB Configuração de Software Windows 7 Home Premium 64 bits usando sistema de arquivos NTFS Versão do driver Intel Inf: 9.2.0.1016 Versão do driver de vídeo NVIDIA: 270.61 Programas de Desempenho CrystalDiskMark 3.0.1 x64 PCMark Vantage Margem de Erro Adotamos uma margem de erro de 3%. Com isso, diferenças de desempenho inferiores a 3% não podem ser consideradas significativas. Em outras palavras, produtos onde a diferença de desempenho seja inferior a 3% deverão ser considerados como tendo desempenhos similares. Nós usamos o CrystalDiskMark em sua configuração padrão, o que significa dizer que cada unidade SSD foi submetida a cinco tarefas simultâneas usando um arquivo de 1.000 MB. Este programa mede o desempenho apenas do disco rígido, não levando em consideração a tecnologia híbrida. Vejamos os resultados. Nos testes de leitura e escrita sequenciais, os dois discos rígidos híbridos da Seagate apresentaram o pior desempenho. No entanto, o Momentus XT de segunda geração foi 17% mais rápido no teste de leitura e 19% mais rápido no teste de escrita do que o Momentus XT de primeira geração, mostrando que o disco de segunda geração é mais rápido do que a versão anterior, mesmo com a tecnologia híbrida desabilitada. Como você pode ver, os dois discos rígidos convencionais inclusos no teste, o Seagate Momentus 750 GB e o Western Digital Scorpio Black 750 GB, venceram os dois discos híbridos da Seagate. O Seagate Momentus 750 GB foi 7% mais rápido no teste de leitura e 10% mais rápido no teste de escrita do que o Momentus XT 750 GB de segunda geração, enquanto o Western Digital Scorpio Black 750 GB foi 14% mais rápido no teste de leitura e 14% mais rápido no teste de escrita. A unidade SSD OCZ Agility 3 240 GB obteve o melhor nível de desempenho, batendo o Seagate Momentus XT 750 GB de segunda geração por 94% e o Seagate Momentus XT 500 GB de primeira geração por 128% no teste de leitura, além de ser 104% mais rápido do que o Seagate Momentus XT 750 GB de segunda geração e 142% mais rápido do que o Seagate Momentus XT 500 GB de primeira geração. No teste de leitura aleatória usando blocos de 512 KB, o Seagate Momentus XT 750 GB de segunda geração e o Western Digital Scorpio Black 750 GB apresentaram desempenho similar, e foram 5% mais rápidos do que o Seagate Momentus 750 GB e 64% mais rápidos do que o Seagate Momentus XT 500 GB. O Momentus XT 750 GB de segunda geração foi 65% mais rápido do que o Momentus XT 500 GB de primeira geração aqui. No teste de escrita, o Western Digital Scorpio Black 750 GB foi o melhor, sendo 9% mais rápido do que o Seagate Momentus XT 750 GB de segunda geração, 22% mais rápido do que o Seagate Momentus 750 GB e 61% mais rápido do que o Seagate Momentus XT 500 GB de primeira geração. O Momentus XT 750 GB de segunda geração foi 47% mais rápido do que o modelo de primeira geração incluído em nosso teste. A unidade SSD OCZ Agility 3 240 GB foi consideravelmente mais rápida do que todos os discos rígidos incluídos em nosso teste. No teste de leitura aleatória usando blocos de 4 KB, o Western Digital Scorpio Black apresentou o maior desempenho, sendo 6% mais rápido do que o Seagate Momentus XT 750 GB de segunda geração, 10% mais rápido do que o Seagate Momentus 750 GB e 113% mais rápido do que o Seagate Momentus XT 500 GB de primeira geração. O Momentus XT 750 GB de segunda geração foi duas vezes mais rápido do que o Momentus XT 500 GB de primeira geração neste teste. No teste de escrita, no entanto, o Western Digital Scorpio Black apresentou desempenho similar ao do Seagate Momentus XT 750 GB de segunda geração, e foram 19% mais rápidos do que o Seagate Momentus XT 500 GB de primeira geração e 30% mais rápidos do que o Seagate Momentus 750 GB. Mais uma vez, o OCZ Agility 3 foi consideravelmente mais rápido do que todos os discos rígidos incluídos em nosso teste. Nós decidimos usar o PCMark Vantage para testar o desempenho dos discos rígidos, já que ele simula várias situações do mundo real. Nós rodamos o teste três vezes em cada disco híbrido e incluímos os resultados do primeiro e do terceiro teste, para mostrar o aumento no desempenho quando os discos têm tempo para “aprender” a maneira com que nós usamos o computador. Veja os resultados. No teste de inicialização do Windows, a unidade SSD OCZ Agility 3 foi a campeã. Mas quando consideramos apenas os discos rígidos, o Momentus XT 750 GB de segunda geração apresentou o maior nível de desempenho, após três rodadas. Na verdade, o seu desempenho aumentou 118% após ele ter copiado para a porção SSD os arquivos de inicialização do Windows. Neste cenário, o Momentus XT 750 GB de segunda geração foi 24% mais rápido do que o Momentus XT 500 GB de primeira geração, também após três rodadas, 151% mais rápido do que o Western Digital Scorpio Black 750 GB e 172% mais rápido do que o Momentus 750 GB. No teste de carga de aplicativo os resultados foram similares ao do teste de inicialização do Windows. Depois que o Momentus XT 750 GB de segunda geração copia para a porção SSD os programas, o tempo de carga de aplicativo melhorou 152%, com um resultado similar ao obtido pelo Momentus XT 500 GB de primeira geração, também após três rodadas. O resultado do Momentus XT 750 GB de segunda geração após três rodadas foi 227% melhor do que o do Western Digital Scorpio Black Momentus 750 GB e 236% melhor do que o do Momentus XT 750 GB. Novamente, a unidade SSD OCZ Agility 3 apresentou um desempenho muito superior ao dos discos rígidos no teste de importação de imagens. Aqui, o desempenho do Momentus XT 750 GB de segunda geração melhorou 80% após o disco ter “aprendido” o padrão de utilização, sendo 34% mais rápido do que o modelo de primeira geração neste teste, também após três rodadas. O Momentus XT 750 GB de segunda geração foi 48% mais rápido do que o Western Digital Scorpio Black 750 GB e 56% mais rápido do que o Momentus 750 GB. Como a porção SSD integrada nos discos Momentus XT é usada para armazenar os dados que são frequentemente usados, nós publicaremos os resultados da primeira e da terceira carga do Windows 7 Home Premium e compararemos os resultados. O Seagate Momentus XT 750 GB de segunda geração apresentou uma redução considerável de 77% no tempo de carga do Windows entre o primeiro e o terceiro “boot”. O Seagate Momentus XT 500 GB de primeira geração também apresentou um aumento significativo de desempenho de 172% entre os dois testes. Após a terceira carga do sistema operacional, ambos os discos apresentaram desempenho similar. Comparado com a unidade SSD OCZ Agility 3, o Seagate Momentus XT foi apenas 10% mais lento após a terceira carga do sistema operacional. Considerando que a unidade SSD OCZ Agility 3 240 GB foi 73% mais rápida do que o disco Seagate Momentus 750 GB, este resultado é bastante expressivo. O Momentus XT de segunda geração foi muito melhor do que o modelo de primeira geração, mesmo quando a porção SSD não foi usada. Em nossos testes, a vantagem de desempenho do disco de segunda geração foi entre 17% e 100% em relação ao modelo de primeira geração neste cenário, dependendo do teste. Quando o disco teve tempo de “aprender” como usamos o computador, o seu desempenho melhorou entre 80% e 152%, o que é realmente impressionante. O tempo de inicialização do Windows pode melhorar em até 77%, desempenho muito próximo ao de uma unidade SSD a uma fração do seu preço. Uma unidade SSD, no entanto, ainda é mais rápida do que o Momentus XT de segunda geração em outros cenários. Nós achamos que o Seagate Momentus XT 750 GB de segunda geração é uma ótima opção para usuários de notebooks que acham um disco rígido convencional muito lento e não podem comprar uma unidade SSD com capacidade suficiente para seus arquivos. Embora ele custe US$ 80 a mais do que o Momentus 750 GB convencional, nós achamos que esta diferença de preço é justificada para o ganho de desempenho. Para aqueles que querem o melhor desempenho possível, no entanto, é melhor comprar uma unidade SSD, como a OCZ Agility 3, por exemplo, já que o ganho de desempenho será muito maior.
  7. Com tantos modelos de unidades SSD SATA-600 atualmente disponíveis no mercado, o que não falta é opção para os usuários que querem melhorar o desempenho de seus computadores. Hoje nós testaremos a mais nova unidade SSD da Intel, a 520 Series de 240 GB, que foi desenvolvida pensando nos usuários que gostam de desempenho. Atualmente, as unidades SSD de 120 GB oferecem o equilíbrio perfeito entre preço e desempenho para os usuários de micros de mesa, já que há sempre a possibilidade de instalar um disco rígido [G1] juntamente com a unidade SSD para expandir a capacidade de armazenamento. Mas os usuários com dinheiro disponível podem optar pela capacidade extra de uma unidade SSD de 240 GB. Em um notebook, no entanto, normalmente há espaço para apenas uma unidade de armazenamento, portanto um dispositivo de 240 GB é o ideal. Figura 1: Unidade SSD Intel 520 Series A unidade SSD Intel 520 Series é vendida juntamente com um kit contendo vários acessórios para facilitar a instalação, como um adaptador de 2,5”-para-3,5”, um cabo SATA, um adaptador para converter um conector de alimentação para periféricos em um conector de alimentação SATA, um CD de software e todos os parafusos requeridos para a instalação. É provável que a Intel 520 Series seja vendida separadamente, sem o kit. Figura 2: Kit que acompanha a unidade SSD Intel 520 Series Na tabela abaixo nós comparamos a unidade SSD Intel 520 Series com a Intel 510 Series 250 GB, com a OCZ Vertex 3 MAX IOPS 240 GB e com a Kingston HyperX 240 GB. Fabricante Modelo Número do Modelo Capacidade Preço nos EUA Intel 520 Series SSDS2CW240A3 240 GB US$ 509 Intel 510 Series SSDSC2MH250A2K5 250 GB US$ 566 OCZ Vertex 3 MAX IOPS VTX3MI-25SAT3-240G 240 GB US$ 480 Kingston HyperX SH100S3B/240G 240 GB US$ 440 Os preços foram pesquisados na Newegg.com no dia da publicação deste teste. A unidade SSD Intel 520 Series ainda não está sendo vendida no mercado, e a Intel nos forneceu o preço de venda de atacado. Certamente o preço de varejo da Intel 520 Series será maior. Na tabela abaixo nós fornecemos informações técnicas mais detalhadas das unidades SSD testadas. Por alguma razão a maioria dos fabricantes de chips não divulga em seu site informações específicas sobre esses chips, e por isso estamos colocando link apenas nos chips que encontramos mais informações técnicas. Modelo Controlador Buffer Memória Intel 520 Series Sandforce SF-2281 N/D Intel 29F16B08CCME2 (16 x 16 GB) Intel 510 Series Marvell 88SS9174-BKK2 Hynix H5TQ1G63BFR (128 MB) Intel 29F16B08JAMDD (16 x 16 GB) OCZ Vertex 3 (MI) Sandforce SF-2281 N/D Toshiba TH58TAG7D2FBAS9 (16 x 16 GB) Kingston HyperX Sandforce SF-2281 N/D Intel 29F64G08ACME2 (16 x 16 GB) A Intel optou por usar um gabinete de alumínio escovado na 520 Series, o que proporcionou um nível de proteção decente para os componentes internos do produto. A unidade mede 9,5 mm de altura com o espaçador plástico instalado, e 7 mm sem ele. Figura 3: Unidade SSD Intel 520 Series Na parte superior da placa de circuito impresso estão oito dos 16 chips de memória Intel 29F16B08CCME2. A capacidade total da unidade é de 256 GB, mas apenas 240 GB estão disponíveis para o armazenamento de dados, já que 16 GB são separados para uso interno (“over-provisioning”), o que aumenta a sua vida útil. Figura 4: Placa de circuito impresso da Intel 520 Series (parte superior) No outro lado da placa de circuito impresso nós encontramos os demais chips de memória juntamente com o controlador Sandforce SF-2281. Este é o mesmo controlador usado nas unidades Kingston HyperX e OCZ Vertex 3 MAX IOPS incluídas em nosso teste. Segundo a Intel, a 520 Series oferece velocidades sequenciais de leitura e escrita de 550 MB/s e 520 MB/s, respectivamente. Figura 5: Placa de circuito impresso da Intel 520 Series (parte inferior) Durante nossos testes usamos a configuração listada abaixo e o único dispositivo diferente entre cada seção de teste foi a unidade SSD sendo testada. Configuração de Hardware Processador: Intel Core i5-2500K Placa-mãe: Gigabyte Z68X-UD5-B3 Memória: Dois módulos Kingston HyperX Genesis de 2 GB cada (DDR3-2133, CL9, 1,6 V, 9-9-9-27) Placa de vídeo: Zotac Geforce GTX 470 AMP! Resolução de vídeo: 1920 x 1080 Monitor de vídeo: Viewsonic VX2260WM Fonte de Alimentação: Corsair HX850W Cooler do processador: Noctua NH-D14 Disco rígido (para boot): Kingston SSDNow V+100 128 GB Configuração de Software Windows 7 Home Premium 64 bits usando sistema de arquivos NTFS Versão do driver Intel Inf: 9.2.0.1016 Versão do driver de vídeo NVIDIA: 270.61 Programas de Desempenho CrystalDiskMark 3.0.1 x64 AS SSD 1.6.4237.30508 HD Tune 2.55 Margem de Erro Adotamos uma margem de erro de 3%. Com isso, diferenças de desempenho inferiores a 3% não podem ser consideradas significativas. Em outras palavras, produtos onde a diferença de desempenho seja inferior a 3% deverão ser considerados como tendo desempenhos similares. Como você pode ver na página anterior, nós analisamos o desempenho de cada unidade SSD com os seguintes programas: AS SSD, CrystalDiskMark e HD Tune. Nesta página nós vamos discutir os resultados do programa AS SSD, enquanto que nas páginas seguintes discutiremos os resultados dos outros dois programas. É importante notar que nós conectamos as unidades SSD na porta SATA-600 da placa-mãe para termos certeza de que o desempenho não seria limitado pelo uso de uma porta SATA-300. Nós usamos a configuração padrão do AS SSD durante os testes. No teste de leitura, a Intel 520 Series, a OCZ Vertex 3 MI e a Kingston HyperX obtiveram o mesmo nível de desempenho e foram cerca de 8% mais rápidas do que a Intel 510 Series. No teste de escrita, no entanto, a Intel 510 Series obteve o melhor nível de desempenho e foi 8% mais rápida do que a Kingston HyperX, 14% mais rápida do que a 520 Series e 17% mais rápida do que a OCZ Vertex 3 MI. A Intel 520 Series assumiu a liderança no teste de leitura, sendo 11% mais rápida do que a Kingston HyperX, 15% mais rápida do que a OCZ Vertex 3 MI e 23% mais rápida do que a Intel 510 Series. Mas no teste de escrita, a Intel 520 Series, a Kingston HyperX e a OCZ Vertex 3 MI obtiveram nível de desempenho similar, e foram cerca de 33% mais rápidas do que a Intel 510 Series. No teste de tempo de acesso de leitura, a Intel 520 Series e a Kingston HyperX obtiveram uma pontuação baixa (o que é bom), que foi 141% maior do que a da OCZ Vertex 3 MI e 182% maior do que a da Intel 510 Series. No teste de escrita, no entanto, a Intel 510 Series apresentou o menor valor (isto é, melhor), sendo 178% mais rápida do que a Intel 520 Series, 143% mais rápida do que a Kingston HyperX e 153% mais rápida do que a OCZ Vertex 3 MI. Nós usamos o CrystalDiskMark em sua configuração padrão, o que significa dizer que cada unidade SSD foi submetida a cinco tarefas simultâneas usando um arquivo de 1.000 MB. Vamos aos resultados. A OCZ Vertex 3 MI obteve o melhor desempenho no teste de leitura e foi 5% mais rápida do que a Kingston HyperX, 8% mais rápida do que a Intel 510 Series e 9% mais rápida do que a Intel 520 Series. Mas no teste de escrita, a Kingston HyperX e a Intel 510 Series obtiveram desempenho similar e foram 3,1% mais rápidas do que a Intel 520 Series e 12% mais rápidas do que a OCZ Vertex 3 MI. No teste de leitura, a OCZ Vertex 3 MI foi a campeã, sendo 9% mais rápida do que a Kingston HyperX, 15% mais rápida do que a Intel 520 Series e 48% mais rápida do que a Intel 510 Series. Mas no teste de escrita, a Kingston HyperX obteve o melhor nível de desempenho, e foi 7% mais rápida do que a Intel 520 Series, 8% mais rápida do que a OCZ Vertex 3 MI e 15% mais rápida do que a Intel 510 Series. Agora vamos discutir os resultados fornecidos pelo programa HD Tune. No teste de taxa de transferência de pico, a Intel 520 Series, a OCZ Vertex 3 MI e a Intel 510 Series apresentaram desempenho similar e foram 3,4% mais rápidas do que a Kingston HyperX. No teste de taxa de transferência média, a Intel 520 Series e a Kingston HyperX apresentaram desempenho similar e foram 3,1% mais rápidas do que a OCZ Vertex 3 MI e 3,3% mais rápidas do que a Intel 510 Series. Considerando que a unidade SSD Intel 520 Series usa o mesmo controlador Sandforce SF-2281 da Kingston HyperX e da OCZ Vertex 3 MI, não é surpresa que esses três produtos tenham apresentados resultados similares em nossos testes. Todas as quatro unidades SSD testadas utilizam memórias síncronas de alta qualidade, que manipulam dados que não podem ser compactados de maneira mais eficiente do que as memória assíncronas, que são mais baratas. Comparada com a geração anterior da Intel 510 Series, a 520 Series foi melhor, em média, embora tenha perdido em alguns testes. As duas unidades utilizam controladores diferentes, portanto isto não é surpresa. Nós não podemos comparar a Intel 520 Series com as demais unidades testadas em termos de preço, já que a Intel só nos forneceu o preço de venda de atacado e o preço no varejo da 520 Series será maior. O que podemos dizer é que a Intel 520 Series certamente chegará ao mercado sendo entre US$ 150 e US$ 200 mais cara do que a Kingston HyperX. Considerando esta grande diferença de preço entre as duas unidades, que diga-se de passagem apresentam desempenho similar, fica difícil recomendar a Intel 520 Series para o usuário comum. Mas muitos usuários entusiastas juram que as unidades SSD da Intel têm a reputação de ser mais confiáveis do que outras marcas. Portanto, pagar entre US$ 150 e US$ 200 a mais ficará ao seu critério.
  8. A maioria dos usuários entusiastas prefere instalar uma unidade SSD como dispositivo principal de inicialização (boot) em vez de um disco rígido por motivos de desempenho. Entretanto, ainda há mercado para discos rígidos de alto desempenho que oferecem capacidade de armazenamento suficiente para guardar arquivos grandes. Hoje nós testaremos o mais novo disco rígido Barracuda da Seagate, que oferece nada menos do que 3 TB de espaço de armazenamento. O Seagate Barracuda 3 TB usa a mesma tecnologia “Advanced Format” do modelo Barracuda Green 2 TB, que nós já testamos. Esta tecnologia permite ao fabricante incluir mais setores em cada prato do disco rígido, aumentando assim a sua capacidade de armazenamento. Figura 1: Seagate Barracuda 3 TB (parte superior) O Seagate Barracuda 3 TB possui interface SATA-600 e, portanto, o seu desempenho não será limitado desde que ele seja instalado na porta SATA-600 da placa-mãe. A capacidade do disco é de 2,794 GB (leia nosso tutorial “Limites de Capacidade dos Discos Rígidos” para entender), o que provavelmente será mais do que o suficiente para você armazenar todos os seus arquivos. A capacidade de armazenamento do Barracuda 3 TB é ideal para aqueles usuários que tenham muitos arquivos de música, fotos e vídeos, ou queiram montar um pequeno servidor doméstico. Figura 2: Seagate Barracuda 3 TB (parte inferior) Apesar da alta capacidade, fisicamente o Barracuda 3 TB se parece com qualquer outro disco rígido de 3,5”. Na verdade, com a tecnologia “Advanced Format” são necessários menos pratos do que o utilizado em muitos discos rígidos de capacidade menor. Em nosso teste, nós iremos comparar o Seagate Barracuda 3 TB com o Seagate Barracuda LP Green 2 TB e com o Seagate Barracuda XT 2 TB. Na tabela abaixo, nós listamos as principais especificações técnicas dos discos incluídos em nosso teste. Fabricante Modelo Número do Modelo Velocidade de Rotação Interface Buffer Capacidade Preço nos EUA* Seagate Barracuda ST3000DM001 7200 rpm SATA-600 64 MB 3000 GB US$ 230 Seagate Barracuda Green ST2000DL003 5900 rpm SATA-600 64 MB 2000 GB US$ 130 Seagate Barracuda XT ST32000641AS 7200 rpm SATA-600 64 MB 2000 GB US$ 240 *Todos os preços foram pesquisados na Newegg.com no dia da publicação deste teste. Durante nossos testes usamos a configuração listada abaixo e o único dispositivo diferente entre cada seção de teste foi o disco rígido sendo testado. Configuração de Hardware Processador: Intel Core i5-2500K Placa-mãe: Gigabyte Z68X-UD5-B3 Memória: Dois módulos Kingston HyperX Genesis de 2 GB cada (DDR3-2133, CL9, 1,6 V, 9-9-9-27) Placa de vídeo: Zotac Geforce GTX 470 AMP! Resolução de vídeo: 1920 x 1080 Monitor de vídeo: Viewsonic VX2260WM Fonte de Alimentação: Corsair HX850W Cooler do processador: Noctua NH-D14 Disco rígido (para boot): Kingston SSDNow V+100 128 GB Configuração de Software Windows 7 Home Premium 64 bits usando sistema de arquivos NTFS Versão do driver Intel Inf: 9.2.0.1016 Versão do driver de vídeo NVIDIA: 270.61 Programas de Desempenho CrystalDiskMark 3.0.1 x64 HD Tune 2.55 Margem de Erro Adotamos uma margem de erro de 3%. Com isso, diferenças de desempenho inferiores a 3% não podem ser consideradas significativas. Em outras palavras, produtos onde a diferença de desempenho seja inferior a 3% deverão ser considerados como tendo desempenhos similares. Nós usamos o CrystalDiskMark em sua configuração padrão, o que significa dizer que cada unidade SSD foi submetida a cinco tarefas simultâneas usando um arquivo de 1.000 MB. Vejamos os resultados. No teste de leitura sequencial, o Barracuda 3 TB apresentou o maior desempenho, sendo 19% mais rápido do que o Barracuda XT 2 TB e 26% mais rápido do que o Barracuda Green 2 TB. No teste de escrita sequencial, a situação se repetiu e o Barracuda 3 TB foi 21% mais rápido do que o Barracuda XT 2 TB e 24% mais rápido do que o Barracuda Green 2 TB. No teste de leitura aleatória usando blocos de 512 KB, o Barracuda 3 TB e o Barracuda XT 2 TB obtiveram o mesmo nível de desempenho e foram 18% mais rápidos do que o Barracuda Green 2 TB. Mas no teste de escrita aleatória usando blocos de 512 KB, o Barracuda 3 TB assumiu a liderança e foi 18% mais rápido do que o Barracuda XT 2 TB e 26% mais rápido do que o Barracuda Green 2 TB. No teste de leitura aleatória usando blocos de 4 KB, o Barracuda XT 2 TB apresentou o maior nível de desempenho e foi 9% mais rápido do que o Barracuda 3 TB e 28% mais rápido do que o Barracuda Green 2 TB. Mas no teste de escrita aleatória usando blocos de 4 KB, o Barracuda XT 2 TB e o Barracuda Green 2 TB obtiveram desempenho similar e foram 6% mais rápidos do que o Barracuda 3 TB. Agora vamos analisar os resultados fornecidos pelo programa HD Tune. No teste de taxa de transferência de pico, o Barracuda 3 TB e o Barracuda Green 2 TB obtiveram desempenho similar e foram 57% mais rápidos do que o Barracuda XT 2 TB. No teste de taxa de transferência média, o Barracuda 3 TB apresentou o maior desempenho, sendo 52% mais rápido do que o Barracuda XT e 59% mais rápido do que o Barracuda Green 2 TB. A taxa de transferência mínima do Barracuda 3 TB foi maior do que as taxas de transferência média dos dois outros discos, mostrando a grande diferença de desempenho neste teste. O tempo de acesso é outro parâmetro importante. Ele mede o tempo que o disco leva para começar a entregar um dado solicitado pelo computador. É medido na ordem de milissegundos (ms, que é igual a 0,001 s) e quanto menor este valor, melhor. Neste teste, o Barracuda 3 TB apresentou o menor tempo de acesso e foi 20% mais rápido do que o Barracuda XT 2 TB e 31% mais rápido do que o Barracuda Green 2 TB. De acordo com os nossos testes, o Seagate Barracuda 3 TB apresentou um nível de desempenho muito bom, sendo mais rápido do que os discos incluídos em nossa comparação na maioria das vezes. No CrystalDiskMark, o Barracuda 3 TB foi o mais rápido nos testes sequencial e aleatório usando blocos de 512 KB, embora tenha perdido para os outros dois discos nos testes de leitura e escrita aleatória usando blocos de 4 KB. No HD Tune, o Barracuda 3 TB foi mais rápido do que os outros discos por uma margem significativa, exceto no teste de taxa de transferência de pico, onde ele obteve o mesmo nível de desempenho do Barracuda Green 2 TB. Esses resultados também foram refletidos no teste de tempo de acesso, onde o Barracuda 3 TB foi o mais rápido. Para muitos consumidores, o custo de um disco rígido é mais relevante do que o seu desempenho. Quando consideramos o custo relativo e o desempenho do Seagate Barracuda XT 2 TB, não vemos porque alguém consideraria a sua compra. Além de custar mais do que o Barracuda 3 TB, ele oferece uma capacidade de armazenamento menor e desempenho inferior. Como os discos rígidos de 3 TB são relativamente novos no mercado, não é surpresa que o Barracuda 3 TB custe um pouco mais por gigabyte do que o Barracuda Green 2 TB. Usuários mais avançados podem considerar comprar dois Barracuda Green 2 TB e configurá-los no modo RAID0, já que isto criaria um disco virtual de 4 TB com maior desempenho do que discos individuais. No entanto, para usuários menos avançados, o Barracuda 3 TB ainda oferece um preço razoável e é perfeito para ser usado em um micro multimídia ou servidor doméstico.
  9. Atualmente, a competição no mercado de unidades SSD de alto desempenho é acirrada, pois há muitos modelos à disposição. Hoje nós analisaremos a mais nova unidade SSD da Kingston, a HyperX 240 GB, que apresenta excelente desempenho. Figura 1: Unidade SSD Kingston HyperX 240 GB Enquanto as unidades SSD de 120 GB atualmente oferecem o melhor equilíbrio entre preço e desempenho, a capacidade extra de uma unidade de 240 GB pode ser útil, e tem muita gente disposta a pagar por isso. Ela também é ideal para os usuários que precisam de uma unidade de armazenamento para ser usada em notebooks onde normalmente não há espaço para uma unidade de armazenamento adicional. Figura 2: Kingston upgrade bundle Na tabela abaixo nós comparamos a Kingston HyperX 240 GB com a OCZ Vertex 3 MAX IOPS, com a OWC Mercury 6G e com a Crucial M4. Todas elas são modelos de 2,5”. A unidade SSD da Kingston vem com alguns acessórios, incluindo um adaptador de 2,5”-para-3,5”, uma pequena chave de fendas, um gabinete externo, um cabo SATA e um CD contendo um programa para você criar uma réplica do seu atual disco rígido na unidade SSD. Fabricante Modelo Número do Modelo Capacidade Preço nos EUA Kingston HyperX SH100S3B/240G 240 GB US$ 549 OCZ Vertex 3 MAX IOPS VTX3MI-25SAT3-240G 240 GB US$ 490 Intel 510 Series SSDSC2MH250A2K5 250 GB US$ 570 Crucial M4 CT256M4SSD2 256 GB US$ 381 Os preços foram pesquisados na Newegg.com no dia da publicação deste teste, com a seguinte observação: o preço da unidade SSD da Kingston HyperX é para a versão “upgrade”, que vem com os acessórios mencionados (versão que testamos). A mesma unidade está disponível avulsa por US$ 440. Na tabela abaixo nós fornecemos informações técnicas mais detalhadas sobre as unidades testadas. Por alguma razão a maioria dos fabricantes de chips não divulga em seu site informações específicas sobre esses chips, e por isso estamos colocando link apenas nos chips que encontramos mais informações técnicas. Modelo Controlador Buffer Memória Kingston HyperX Sandforce SF-2281 ND Intel 29F64G08ACME2 (16 x 16 GB) OCZ Vertex 3 (MI) Sandforce SF-2281 ND Toshiba TH58TAG7D2FBAS9 (16 x 16 GB) Intel 510 Series Marvell 88SS9174-BKK2 Hynix H5TQ1G63BFR (128 MB) Intel 29F16B08JAMDD (16 x 16 GB) Crucial M4 Marvell 88SS9174-BLD2 Micron IED22D9LGQ (256 MB) Micron 29F128G08CFAAB (16 x 16 GB) A Kingston decidiu usar um gabinete de metal em sua unidade SSD HyperX, o que deu ao produto uma aparência de alta qualidade. Eles também incluíram alguns detalhes em azul na unidade, o que ficou bacana. A unidade SSD HyperX da Kingston é baseada no padrão de 2,5”, garantindo compatibilidade com a maioria dos notebooks. Ela também é compatível com todos os gabinetes, já que a Kingston incluiu um adaptador de 3,5”. Figura 3: Kingston HyperX 240 GB O acesso à placa de circuito impresso não é uma tarefa simples, pois a Kingston usou parafusos sextavados invioláveis. Na parte superior da placa de circuito impresso nós encontramos o controlador Sandforce SF-2281 e oito dos 16 chips de memória NAND de 25 nm (modelo Intel 29F64G08ACME2). Os demais oito chips de 16 GB estão localizados na parte inferior da placa de circuito impresso, totalizando os 256 GB da unidade. A capacidade da unidade, no entanto, é reduzida para 240 GB, pois ela separa parte da memória para uso interno (“over-provisioning”), o que aumenta a sua vida útil. Figura 4: Placa de circuito impresso da Kingston HyperX 240 GB Durante nossos testes usamos a configuração listada abaixo e o único dispositivo diferente entre cada seção de teste foi a unidade SSD sendo testada. Configuração de Hardware Processador: Intel Core i5-2500K Placa-mãe: Gigabyte Z68X-UD5-B3 Memória: Dois módulos Kingston HyperX Genesis de 2 GB cada (DDR3-2133, CL9, 1,6 V, 9-9-9-27) Placa de vídeo: Zotac Geforce GTX 470 AMP! Resolução de vídeo: 1920 x 1080 Monitor de vídeo: Viewsonic VX2260WM Fonte de Alimentação: Corsair HX850W Cooler do processador: Noctua NH-D14 Disco rígido (para boot): Kingston SSDNow V+100 128 GB Configuração de Software Windows 7 Home Premium 64 bits usando sistema de arquivos NTFS Versão do driver Intel Inf: 9.2.0.1016 Versão do driver de vídeo NVIDIA: 270.61 Programas de Desempenho AS SSD 1.6.4067.34354 CrystalDiskMark 3.0.1 x64 HD Tune 2.55 Margem de Erro Adotamos uma margem de erro de 3%. Com isso, diferenças de desempenho inferiores a 3% não podem ser consideradas significativas. Em outras palavras, produtos onde a diferença de desempenho seja inferior a 3% deverão ser considerados como tendo desempenhos similares. Como você pode ver na página anterior, nós medimos o desempenho usando três programas diferentes: AS SSD, CrystalDiskMark e HD Tune. Nesta página nós analisaremos os resultados do programa AS SSD, enquanto que nas páginas seguintes discutiremos os resultados dos outros três programas. É importante notar que nós conectamos as unidades SSD na porta SATA-600 da placa-mãe para termos certeza de que o desempenho não seria limitado pelo uso de uma porta SATA-300. Nós usamos a configuração padrão do AS SSD durante os testes. No teste de leitura sequencial, a Kingston HyperX apresentou desempenho similar ao da OCZ Vertex 3 MAX IOPS, e foi cerca de 9% mais rápida do que a Intel 510 Series e 22% mais rápida do que a Crucial M4. No teste de escrita sequencial, no entanto, a Intel 510 Series assumiu a liderança, e foi 8% mais rápida do que a Kingston HyperX, 17% mais rápida do que a OCZ Vertex 3 MAX IOPS e 30% mais rápida do que a Crucial M4. A Kingston HyperX e a Crucial M4 apresentaram desempenho similar no teste de leitura aleatória e foram 3,1% mais rápidas do que a OCZ Vertex 3 MAX IOPS e 10% mais rápidas do que a Crucial M4. No teste de escrita aleatória, no entanto, Kingston HyperX e a Crucial M4 apresentaram o mesmo desempenho da OCZ Vertex 3 MAX IOPS, e foram 32% mais rápidas do que a Intel 510 Series. No teste de tempo de acesso de leitura, a Kingston HyperX foi a campeã, sendo 7% mais rápida do que a Crucial M4, 140% mais rápida do que a OCZ Vertex 3 MAX IOPS e 180% mais rápida do que a Intel 510 Series. No teste de tempo de acesso de escrita, no entanto, a Intel 510 Series assumiu a liderança, e foi 143% mais rápida do que a Kingston HyperX, 153% mais rápida do que a OCZ Vertex 3 MAX IOPS e 184% mais rápida do que a Crucial M4. Nós usamos o CrystalDiskMark em sua configuração padrão, o que significa dizer que cada unidade SSD foi submetida a cinco tarefas simultâneas usando um arquivo de 1.000 MB. Vejamos os resultados. A OCZ Vertex 3 MAX IOPS foi a unidade mais rápida no teste de leitura sequencial, batendo a Kingston HyperX em 5%, a Intel 510 Series em 8% e a Crucial M4 em 30%. Mas no teste de escrita sequencial, a Kingston HyperX foi a campeã, sendo 12% mais rápida do que a OCZ Vertex 3 MAX IOPS e 36% mais rápida do que a Crucial M4. No teste de leitura aleatória, a OCZ Vertex 3 MAX IOPS foi a campeã, batendo a Kingston HyperX em 9%, a Intel 510 Series em 48% e a Crucial M4 em 43%. Mas no teste de escrita aleatória, a Kingston HyperX foi a melhor, batendo a OCZ Vertex 3 em 8%. A Crucial M4 e a Intel 510 Series apresentaram desempenho similar e foram 15% mais lentas do que a Kingston HyperX. Agora vamos analisar os resultados fornecidos pelo programa HD Tune. No teste de taxa de transferência de pico, a Intel 510 Series e a OCZ Vertex 3 MAX IOPS apresentaram desempenho similar e foram 3,4% mais rápidas do que a Kingston HyperX e 256% mais rápidas do que a Crucial M4. No teste de taxa de transferência média, no entanto, a OCZ Vertex 3 MAX IOPS, a Crucial M4, a Kingston HyperX e a Intel 510 Series obtiveram o mesmo nível de desempenho. A unidade SSD Kingston HyperX competiu à altura com a OCZ Vertex 3 MAX IOPS em nossos testes e elas obtiveram o mesmo nível de desempenho em várias situações. Em média, poderíamos dizer que a unidade da Kingston ficou um pouco atrás da OCZ Vertex 3 MAX IOPS, mas na frente da Intel 510 Series e da Crucial M4 em termos de desempenho. Não é surpresa que a Kingston HyperX e a OCZ Vertex 3 MAX IOPS tenham apresentado desempenho similar em nossos testes, já que ambas utilizam o mesmo controlador Sandforce SF-2281 e memórias síncronas de alta qualidade. As memórias síncronas oferecem melhor desempenho ao manipular dados que não podem ser compactados do que as memórias assíncronas, que é o tipo de memória encontrada na Corsair Force 3, por exemplo. Além de apresentar desempenho similar ao da OCZ Vertex 3 MAX IOPS, nós achamos que a Kingston HyperX é uma melhor opção de compra, já que a versão avulsa pode ser encontrada nos EUA por US$ 100 a menos do que o modelo da OCZ . Em nossa opinião não há diferença de desempenho significativa entre as duas unidades. Para os usuários menos técnicos, a versão “upgrade” da Kingston HyperX pode valer a pena, já que vem com todas as ferramentas e software requeridos para a instalação da unidade SSD.
  10. Atualmente as unidades SSD mais rápidas do mercado utilizam o controlador Sandforce SF-2281 e, portanto, produtos baseados neste controlador são a melhor opção para quem quer atualizar o micro com uma unidade SSD de alto desempenho. Em nossa opinião unidades SSD de 120 GB oferecem o equilíbrio perfeito entre preço, desempenho e capacidade, já que as unidades de 240 GB são muito caras e as unidades de 64 GB oferecem pouco espaço de armazenamento para os padrões de hoje. Muitos usuários preferem instalar uma unidade SSD de 120 GB juntamente com um disco rígido para ter maior capacidade de armazenamento para seus arquivos. Hoje nós analisaremos o desempenho da unidade SSD Mach Xtreme Technology MX DS Turbo de 120 GB. Confira. Figura 1: Unidade SSD Mach Xtreme Technology MX DS Turbo Antes de prosseguirmos, sugerimos a leitura do nosso tutorial Anatomia das Unidades SSD, que oferece todas as informações que você precisa saber sobre o assunto. As unidades testadas utilizam chips de memória MLC. A unidade SSD Patriot Wildfire de 120 GB vem com um adaptador de 3,5”-para-2,5” para você instalá-la em gabinetes sem baias de 2,5”. Figura 2: Adaptador de 3,5” que acompanha a Mach Xtreme Technology MX DS Turbo Na tabela abaixo nós comparamos a Mach Xtreme Technology MX DS Turbo com a Patriot Wildfire, com a Corsair Force 3 e com a Corsair Force GT. Todas elas são modelos de 2,5” com interface SATA-600. A MX DS Turbo vem com um adaptador para você instalá-la em uma baia de 3,5”. Fabricante Modelo Número do Modelo Capacidade Preço nos EUA Mach Xtreme Technology MX DS Turbo MXSSD3MDST-120G 120 GB US$ 230 Patriot Wildfire PW120GS25SSDR 120 GB US$ 270 Corsair Force 3 CSSD-F120GB3 120 GB US$ 195 Corsair Force GT CSSD-F120GBGT 120 GB US$ 225 Nós pesquisamos os preços na Newegg.com no dia da publicação deste. Na tabela abaixo nós fornecemos informações técnicas mais detalhadas sobre as unidades testadas. Por alguma razão a maioria dos fabricantes de chips não divulga em seu site informações específicas sobre esses chips, e por isso estamos colocando link apenas nos chips que encontramos mais informações técnicas. Modelo Controlador Buffer Memória MX DS Turbo Sandforce SF-2281 N/D Intel 29F64G08ACME2 (16 x 8 GB) Patriot Wildfire Sandforce SF-2281 N/D Toshiba TH58TAG6D2FBA49 (16 x 8 GB) Corsair Force 3 Sandforce SF-2281 N/D Micron 29F64G08CBAAA (16 x 8 GB) Corsair Force GT Sandforce SF-2281 N/D Micron 29F64G08CBAAB (16 x 8 GB) A Mach Xtreme Technology optou por usar um gabinete de metal na MX DS Turbo, o que deu ao produto um aspecto de qualidade e confiabilidade. O acabamento cinza metálico não é tão atraente quanto o vermelho brilhante usado pela Corsair na Force GT, mas mesmo assim tem um visual atraente. Figura 3: Mach Xtreme Technology MX DS Turbo 120 GB Para acessar a placa de circuito impresso da MX DS Turbo você deve remover quatro parafusos localizados nos quatros cantos da unidade. O controlador Sandforce SF-2281 está localizado ao centro da parte superior da placa de circuito impresso, juntamente com oito dos 16 chips de memória Intel 29F64G08ACME2 de 25 nm. Figura 4: Placa de circuito impresso (vista superior) Na parte inferior da placa de circuito impresso nós encontramos os demais chips de memória. A Mach Xtreme Technology usou chips de memória síncrona na MX DS Turbo, que oferecem bom desempenho quando manipulam dados que não dão para ser compactados. A MX DS Turbo também tem suporte para TRIM (caso o sistema operacional tenha este recurso). Figura 5: Placa de circuito impresso (vista inferior) Durante nossos testes usamos a configuração listada abaixo e o único dispositivo diferente entre cada seção de teste foi a unidade SSD sendo testada. Configuração de Hardware Processador: Intel Core i5-2500K Placa-mãe: Gigabyte Z68X-UD5-B3 Memória: Dois módulos Kingston HyperX Genesis de 2 GB cada (DDR3-2133, CL9, 1,6 V, 9-9-9-27) Placa de vídeo: Zotac Geforce GTX 470 AMP! Resolução de vídeo: 1920 x 1080 Monitor de vídeo: Viewsonic VX2260WM Fonte de Alimentação: Corsair HX850W Cooler do processador: Noctua NH-D14 Disco rígido (para boot): Kingston SSDNow V+100 128 GB Configuração de Software Windows 7 Home Premium 64 bits usando sistema de arquivos NTFS Versão do driver Intel Inf: 9.2.0.1016 Versão do driver de vídeo NVIDIA: 270.61 Programas de Desempenho AS SSD 1.6.4067.34354 CrystalDiskMark 3.0.1 x64 HD Tune 2.55 ATTO Disk Benchmark 2.46 Margem de Erro Adotamos uma margem de erro de 3%. Com isso, diferenças de desempenho inferiores a 3% não podem ser consideradas significativas. Em outras palavras, produtos onde a diferença de desempenho seja inferior a 3% deverão ser considerados como tendo desempenhos similares. Como você pode ver na página anterior, nós medimos o desempenho usando quatro programas diferentes: AS SSD, CrystalDiskMark, HD Tune e ATTO Disk Benchmark. Nesta página nós analisaremos os resultados do programa AS SSD, enquanto que nas páginas seguintes discutiremos os resultados dos outros três programas. É importante notar que nós conectamos as unidades SSD na porta SATA-600 da placa-mãe para termos certeza de que o desempenho não seria limitado pelo uso de uma porta SATA-300. Nós usamos a configuração padrão do AS SSD durante os testes. No teste de leitura sequencial, a MX DS Turbo apresentou o mesmo nível de desempenho da Patriot Wildfire e da Corsair Force GT, mas foi 145% mais rápida do que a Corsair Force 3. No teste de escrita sequencial, a Patriot Wildfire foi a unidade SSD mais rápida, sendo 35% mais rápida do que a Corsair Force GT e 63% mais rápida do que a MX DS Turbo e a Corsair Force 3. No teste de leitura, a MX DS Turbo foi a melhor, sendo 5% mais rápida do que a Corsair Force GT, 10% mais rápida do que a Patriot Wildfire e 17% mais rápida do que a Corsair Force 3. No teste de escrita, as quatro unidades testadas apresentaram o mesmo nível de desempenho. No teste de tempo de acesso, a Corsair Force GT, a Force 3 e a Patriot Wildfire apresentaram o mesmo nível de desempenho e foram 187% mais rápidas do que a MX DS Turbo. No teste de escrita, a Corsair Force GT foi a melhor, sendo 9% mais rápida do que a MX DS Turbo, 15% mais rápida do que a Patriot Wildfire e 21% mais rápida do que a Corsair Force 3. Nós usamos o CrystalDiskMark em sua configuração padrão, o que significa dizer que cada unidade SSD foi submetida a cinco tarefas simultâneas usando um arquivo de 1.000 MB. Vamos aos resultados. No teste de leitura, a MX DS Turbo apresentou desempenho similar ao da Patriot Wildfire e foi, em média, 5% mais rápida do que Corsair Force GT e 134% mais rápida do que a Corsair Force 3. Mas no teste de escrita, a Patriot Wildfire assumiu a liderança, sendo 35% mais rápida do que a Corsair Force GT, 59% mais rápida do que a Corsair Force 3 e 68% mais rápida do que a MX DS Turbo. No teste de leitura, a Patriot Wildfire assumiu novamente a liderança e foi 8% mais rápida do que a MX DS Turbo, 9% mais rápida do que a Corsair Force GT e 130% mais rápida do que a Corsair Force 3. A unidade da Patriot também foi mais rápida no teste de escrita, sendo 38% mais rápida do que a Corsair Force GT, 63% mais rápida do que a Corsair Force 3 e 67% mais rápida do que a MX DS Turbo. No teste de leitura, a Corsair Force GT e a MX DS Turbo apresentaram desempenho similar e foram aproximadamente 9% mais rápidas do que a Patriot Wildfire e 17% mais rápidas do que a Corsair Force 3. Mas no teste de escrita, a Patriot Wildfire foi a unidade mais rápida, batendo as demais por aproximadamente 14%. Agora vamos analisar os resultados fornecidos pelo programa HD Tune. No teste de taxa de transferência de pico, a Patriot Wildfire, a Corsair Force 3 e a Corsair Force GT apresentaram o mesmo nível de desempenho e foram, em média, 9% mais rápidas do que a MX DS Turbo. No teste de taxa de transferência média, a Patriot Wildfire e a Corsair Force GT apresentaram desempenho similar e foram cerca de 4% mais rápidas do que a Corsair Force 3 e 22% mais rápidas do que a MX DS Turbo. Na taxa de transferência mínima, a Patriot Wildfire foi a unidade SSD mais rápida, batendo a Corsair Force GT por 12%, a MX DS Turbo por 15% e a Corsair Force 3 por 38%. No teste de taxa de transferência máxima, todas as quatro unidades apresentaram o mesmo nível de desempenho. Agora vamos analisar os resultados fornecidos pelo ATTO Disk Benchmark usando um arquivo de 1.024 KB. No teste de leitura, todas as unidades testadas apresentaram o mesmo nível de desempenho, mas no teste de escrita, a Patriot Wildfire e a MX DS Turbo apresentaram desempenho similar e foram 5% mais rápidas do que a Corsair Force GT e 7% mais rápidas do que a Corsair Force 3. Embora a MX DS Turbo da Mach Xtreme Technology não tenha apresentado o melhor nível de desempenho em nossos testes, ela foi a unidade SSD mais rápida em alguns deles. Em média, podemos dizer que ela ficou um pouco atrás da Corsair Force GT em termos de desempenho. Como mencionamos anteriormente, a MX DS Turbo utiliza chips de memória síncrona, assim como a Corsair Force GT e a Patriot Wildfire. Este tipo de memória oferece maior desempenho ao manipular dados que não podem ser compactados do que as memórias assíncronas usadas na Corsair Force 3. Os programas AS SSD e CrystalDiskMark medem a taxa de transferência usando dados desse tipo, o que explica a grande vantagem que as três unidades tiveram sobre a Corsair Force 3. Entre as três unidades que utilizam memórias síncronas, a Patriot Wildfire é claramente a mais rápida. A Corsair Force GT e a MX DS Turbo oferecem um bom nível de desempenho, especialmente a Force GT, que foi mais consistente em nossos testes. Para a maioria das pessoas, o preço da unidade SSD é o fator decisivo na hora da compra. Para aqueles que querem um bom nível de desempenho sem gastar muito podem optar pela Corsair Force GT ou pela MX DS Turbo, já que elas oferecem o mesmo nível de desempenho e estão na mesma faixa de preço (entre US$ 225 e US$ 230, nos EUA). Mas quem quiser pagar US$ 40 a mais para ter o melhor desempenho, a Patriot Wildfire é definitivamente a melhor opção.
  11. A quantidade de unidades SSD SATA-600 disponível no mercado cresceu consideravelmente nos últimos meses e opção é o que não falta caso você queira atualizar o seu micro com uma unidade SSD de alto desempenho. Em nossa opinião unidades SSD de 120 GB oferecem o equilíbrio perfeito entre preço, desempenho e capacidade, já que você pode combiná-las com um disco rígido tradicional para ter maior capacidade de armazenamento para seus arquivos. Neste teste analisaremos a Patriot Wildfire de 120 GB. Confira. Figura 1: Unidade SSD Patriot Wildfire de 120 GB Antes de prosseguirmos, sugerimos a leitura do nosso tutorial Anatomia das Unidades SSD, que oferece todas as informações que você precisa saber sobre o assunto. As unidades testadas utilizam chips de memória MLC. Figura 2: Adaptador de 3,5” da Patriot Wildfire Na tabela abaixo nós comparamos a Patriot Wildfire com a Corsair Force 3 e com a Corsair Force GT. Todas elas são modelos de 2,5” com interface SATA-600. A Wildfire vem com um adaptador para você instalá-la em uma baia de 3,5”. Fabricante Modelo Número do Modelo Capacidade Preço nos EUA Patriot Wildfire PW120GS25SSDR 120 GB US$ 270 Corsair Force 3 CSSD-F120GB3 120 GB US$ 195 Corsair Force GT CSSD-F120GBGT 120 GB US$ 225 Nós pesquisamos os preços na Newegg.com no dia da publicação deste. Na tabela abaixo nós fornecemos informações técnicas mais detalhadas sobre as unidades testadas. Por alguma razão a maioria dos fabricantes de chips não divulga em seu site informações específicas sobre esses chips, e por isso estamos colocando link apenas nos chips que encontramos mais informações técnicas. Modelo Controlador Buffer Memória Patriot Wildfire Sandforce SF-2281 N/D Toshiba TH58TAG6D2FBA49 (16 x 8 GB) Corsair Force 3 Sandforce SF-2281 N/D Micron 29F64G08CBAAA (16 x 8 GB) Corsair Force GT Sandforce SF-2281 N/D Micron 29F64G08CBAAB (16 x 8 GB) A Patriot optou por usar um gabinete de metal de alta qualidade na Wildfire, o que a torna praticamente indestrutível. A Wildfire tem um acabamento metálico cinza escuro que deve ficar bem em qualquer computador. Para acessar a placa de circuito impresso da Wildfire você deve remover quatro parafusos Torx localizados nos quatros cantos da unidade. Figura 3: Patriot Wildfire 120 GB O controlador Sandforce SF-2281 está localizado na parte superior da placa de circuito impresso, juntamente com oito dos 16 chips de memória Toshiba TH58TAG6D2FBA49. A memória é síncrona, do mesmo tipo encontrado na Corsair Force GT. Figura 4: Placa de circuito impresso (vista superior) Na parte inferior da placa de circuito impresso nós encontramos os demais chips de memória. Cada chip de memória tem capacidade de 8 GB, o que resulta em 128 GB de memória. Esta capacidade foi reduzida para 120 GB, pois o controlador usa um recurso para aumentar a vida útil da unidade. Figura 5: Placa de circuito impresso (vista inferior) Durante nossos testes usamos a configuração listada abaixo e o único dispositivo diferente entre cada seção de teste foi a unidade SSD sendo testada. Configuração de Hardware Processador: Intel Core i5-2500K Placa-mãe: Gigabyte Z68X-UD5-B3 Memória: Dois módulos Kingston HyperX Genesis de 2 GB cada (DDR3-2133, CL9, 1,6 V, 9-9-9-27) Placa de vídeo: Zotac Geforce GTX 470 AMP! Resolução de vídeo: 1920 x 1080 Monitor de vídeo: Viewsonic VX2260WM Fonte de Alimentação: Corsair HX850W Cooler do processador: Noctua NH-D14 Disco rígido (para boot): Kingston SSDNow V+100 128 GB Configuração de Software Windows 7 Home Premium 64 bits usando sistema de arquivos NTFS Versão do driver Intel Inf: 9.2.0.1016 Versão do driver de vídeo NVIDIA: 270.61 Programas de Desempenho AS SSD 1.6.4067.34354 CrystalDiskMark 3.0.1 x64 HD Tune 2.55 ATTO Disk Benchmark 2.46 Margem de Erro Adotamos uma margem de erro de 3%. Com isso, diferenças de desempenho inferiores a 3% não podem ser consideradas significativas. Em outras palavras, produtos onde a diferença de desempenho seja inferior a 3% deverão ser considerados como tendo desempenhos similares. Como você pode ver na página anterior, nós medimos o desempenho usando quatro programas diferentes: AS SSD, CrystalDiskMark, HD Tune e ATTO Disk Benchmark. Nesta página nós analisaremos os resultados do programa AS SSD, enquanto que nas páginas seguintes discutiremos os resultados dos outros três programas. É importante notar que nós conectamos as unidades SSD na porta SATA-600 da placa-mãe para termos certeza de que o desempenho não seria limitado pelo uso de uma porta SATA-300. Nós usamos a configuração padrão do AS SSD durante os testes. No teste de leitura sequencial, a Patriot Wildfire apresentou desempenho similar ao da Corsair Force GT, mas foi 148% mais rápida do que a Force 3. No teste de escrita sequencial, a Patriot Wildfire foi 35% mais rápida do que a Force GT e 62% mais rápida do que a Force 3. A Patriot Wildfire foi 6% mais rápida do que a Corsair Force 3 no teste de leitura, mas foi batida pela Force GT, que foi 5% mais rápida. No teste de escrita, todas as três unidades apresentaram desempenho similar. No teste de tempo de acesso, a Patriot Wildfire apresentou desempenho similar ao da Corsair Force 3 e Force GT. No teste de escrita, a Corsair Force GT foi 13% mais rápida do que a Patriot Wildfire, que por sua vez foi 5% mais rápida do que a Corsair Force 3. Nós usamos o CrystalDiskMark em sua configuração padrão, o que significa dizer que cada unidade SSD foi submetida a cinco tarefas simultâneas usando um arquivo de 1.000 MB. Vamos aos resultados. No teste de leitura sequencial, a Patriot Wildfire foi 5% mais rápida do que a Corsair Force GT e 136% mais rápida do que a Force 3. Ela também foi mais rápida do que ambas as unidades da Corsair no teste de escrita, sendo 35% mais rápida do que a Force GT e 59% mais rápida do que a Force 3. No teste de leitura aleatória usando blocos de 512 KB, a Patriot Wildfire foi 9% mais rápida do que a Force GT e 130% mais rápida do que a Force 3. Ela também foi mais rápida no teste de escrita, sendo 38% mais rápida do que a Force GT e 63% mais rápida do que a Force 3. A Patriot Wildfire foi 8% mais rápida do que a Corsair Force 3 no teste de leitura e 13% mais rápida no teste de escrita. Ela também foi 15% mais rápida do que a Force GT no teste de escrita, mas foi batida pela Force GT, que foi 9% mais rápida. Agora vamos analisar os resultados fornecidos pelo programa HD Tune. Todas as três unidades apresentaram o mesmo nível de desempenho no teste de taxa de transferência de pico. No teste de taxa de transferência média, a Patriot Wildfire apresentou desempenho similar ao da Corsair Force GT, que foi 4% mais rápida do que a Corsair Force 3. No teste de taxa de transferência mínima, a Patriot Wildfire foi 12% mais rápida do que a Corsair Force GT e 38% mais rápida do que a Force 3. No teste de taxa de transferência máxima, as três obtiveram o mesmo nível de desempenho. Agora vamos analisar os resultados fornecidos pelo ATTO Disk Benchmark usando um arquivo de 1.024 KB. No teste de leitura, as três obtiveram o mesmo nível de desempenho, mas no teste de escrita, a Patriot Wildfire saiu na frente, sendo 5% mais rápida do que a Corsair Force GT e 7% mais rápida do que a Force 3. Como vimos no teste, a Patriot Wildfire foi mais rápida do que as unidades da Corsair e, portanto, é a opção ideal para os usuários interessados em desempenho. A diferença de desempenho entre as unidades testadas é devido ao tipo de memória usada em cada modelo, já que todas elas utilizam o mesmo controlador Sandforce SF-2281. O desempenho da Corsair Force GT é muito mais próximo ao da Patriot Wildfire do que ao da Force 3, já que as duas primeiras utilizam memória síncrona. As memórias síncronas oferecem melhor desempenho ao manipular dados que não podem ser compactados do que as memórias assíncronas. Isto explica porque a diferença no AS SSD e no CrystalDiskMark foi tão grande. Foi bacana ver que a Patriot incluiu um adaptador de 3,5”, o que torna a Wildfire compatível com praticamente todos os gabinetes. Todos os fabricantes de unidades SSD deveriam seguir o exemplo da Patriot. Embora a Patriot Wildfire ofereça um nível de desempenho melhor do que ambas as unidades da Corsair, a Force GT pode ser uma melhor opção para a maioria dos usuários por ter desempenho similar ao da Wildfire e ser US$ 45 mais barata, nos EUA. Para alguns poucos usuários, no entanto, esta diferença compensará o pequeno ganho de desempenho.
  12. Atualmente as unidades SSD de 120 GB oferecem o equilíbrio perfeito entre preço, desempenho e capacidade. Elas oferecem, para a maioria das pessoas, espaço de armazenamento suficiente para serem usadas em notebooks ou micros de mesa sem a necessidade de ter um disco rígido para guardar arquivos grandes. Hoje nós compararemos o desempenho das mais novas unidades SSD de 120 GB da Corsair. Confira! Muitos usuários preferem instalar uma unidade SSD de 120 GB juntamente com um disco rígido, especialmente se eles precisam armazenar arquivos multimídia (músicas, vídeos e fotos). Entretanto, nós não recomendados a instalação de uma unidade SSD menor do que 120 GB em um notebook, pois a capacidade será rapidamente preenchida. Antes de prosseguirmos, sugerimos a leitura do nosso tutorial Anatomia das Unidades SSD, que oferece todas as informações que você precisa saber sobre o assunto. As unidades testadas utilizam chips de memória MLC. Figura 1: As duas unidades SSD testadas Na tabela abaixo nós comparamos as unidades SSD testadas. Elas são modelos de 2,5” e utilizam interface SATA-300. Ambas vêm com um adaptador e os parafusos necessários para você instalá-las em baias de 3,5”. Fabricantes Modelo Número do Modelo Capacidade Preço nos EUA Corsair Force 3 CSSD-F120GB3 120 GB US$ 195 Corsair Force GT CSSD-F120GBGT 120 GB US$ 225 Nós pesquisamos os preços na Newegg.com no dia da publicação deste. Na tabela abaixo nós fornecemos informações técnicas mais detalhadas sobre as unidades testadas. Modelo Controlador Buffer Memória Corsair Force 3 Sandforce SF-2281 N/D Micron 29F64G08CBAAA (16 x 8 GB) Corsair Force GT Sandforce SF-2281 N/D Micron 29F64G08CBAAB (16 x 8 GB) As unidades testadas têm 120 GB e utilizam o mesmo controlador, o Sandforce SF-2281. Fora o aspecto estético do gabinete, a única diferença de hardware entre a Force 3 e a Force GT é a memória usada. A Corsair decidiu usar um gabinete de alumínio preto anodizado, com um acabamento escovado, o que deu às unidades uma aparência atraente e um bom nível de proteção para os componentes internos. Figura 2: Corsair Force 3 120 GB Na parte superior da placa de circuito impresso nós encontramos o controlador Sandforce SF-2281 e oito dos 16 chips de memória Micron 29F64G08CBAAA de 8 GB (16 x 8 GB = 128 GB; embora a capacidade atual seja de 128 GB, apenas 120 GB estão disponíveis). Figura 3: Placa de circuito impresso da Corsair Force 3 120 GB (parte superior) Os demais oito chips de memória estão localizados na parte inferior da placa de circuito impresso. A Force 3 tem suporte para TRIM (caso o sistema operacional tenha este recurso). Figura 4: Placa de circuito impresso da Corsair Force 3 120 GB (parte inferior) A Corsair optou por usar um gabinete vermelho brilhante na Force GT, provavelmente para chamar a atenção dos entusiastas que gostam de exibir seus componentes topo de linha. Por ser de metal, o gabinete oferece um bom nível de proteção para os componentes internos. Figura 5: Corsair Force GT 120 GB Assim como a Force 3, a Force GT utiliza o controlador Sandforce SF-2281, que está localizado na parte superior da placa de circuito impresso. Oito dos 16 chips de memória Micron 29F64G08CBAAB estão localizados na parte superior da placa de circuito impresso. Figura 6: Placa de circuito impresso da Corsair Force GT 120 GB (parte superior) Os demais oito chips de memória estão localizados na parte inferior da placa de circuito impresso. Embora os números de modelo dos chips de memória da Force 3 e da Force GT sejam similares, a memória é muito diferente. A Force 3 utiliza memória assíncrona, cujo desempenho não é tão bom quando manipula dados que não dão para ser compactados. Já a Force GT utiliza memória síncrona, que é mais cara do que a memória assíncrona, mas oferece maior desempenho ao manipular dados que não dão para ser compactados. Figura 7: Placa de circuito impresso da Corsair Force GT 120 GB (parte inferior) Durante nossos testes usamos a configuração listada abaixo e o único dispositivo diferente entre cada seção de teste foi a unidade SSD sendo testada. Configuração de Hardware Processador: Intel Core i5-2500K Placa-mãe: Gigabyte Z68X-UD5-B3 Memória: Dois módulos Kingston HyperX Genesis de 2 GB cada (DDR3-2133, CL9, 1,6 V, 9-9-9-27) Placa de vídeo: Zotac Geforce GTX 470 AMP! Resolução de vídeo: 1920 x 1080 Monitor de vídeo: Viewsonic VX2260WM Fonte de Alimentação: Corsair HX850W Cooler do processador: Noctua NH-D14 Disco rígido (para boot): Kingston SSDNow V+100 128 GB Configuração de Software Windows 7 Home Premium 64 bits usando sistema de arquivos NTFS Versão do driver Intel Inf: 9.2.0.1016 Versão do driver de vídeo NVIDIA: 270.61 Programas de Desempenho AS SSD 1.6.4067.34354 CrystalDiskMark 3.0.1 x64 HD Tune 2.55 ATTO Disk Benchmark 2.46 Margem de Erro Adotamos uma margem de erro de 3%. Com isso, diferenças de desempenho inferiores a 3% não podem ser consideradas significativas. Em outras palavras, produtos onde a diferença de desempenho seja inferior a 3% deverão ser considerados como tendo desempenhos similares. Como você pode ver na página anterior, nós medimos o desempenho usando quatro programas diferentes: AS SSD, CrystalDiskMark, HD Tune e ATTO Disk Benchmark. Nesta página nós analisaremos os resultados do programa AS SSD, enquanto que nas páginas seguintes discutiremos os resultados dos outros três programas. É importante notar que nós conectamos as unidades SSD na porta SATA-600 da placa-mãe para termos certeza de que o desempenho não seria limitado pelo uso de uma porta SATA-300. Nós usamos a configuração padrão do AS SSD durante os testes. No teste de leitura, a Force GT foi 144% mais rápido do que a Force 3. No teste de escrita, a diferença de desempenho foi menor, mas a Force GT ainda foi 20% mais rápida do que a Force 3. A Force GT foi 11,7% mais rápida do que a Force 3 no teste de leitura usando blocos de 4 KB. No teste de escrita, ambas apresentaram o mesmo nível de desempenho. No teste de tempo de acesso, ambas as unidades apresentaram o mesmo nível de desempenho no teste de leitura, mas a Force GT foi 21% mais rápida no teste de escrita. Nós usamos o CrystalDiskMark em sua configuração padrão, o que significa dizer que cada unidade SSD foi submetida a cinco tarefas simultâneas usando um arquivo de 1.000 MB. Vamos aos resultados. Mais uma vez a Force GT bateu a Force 3 em ambos os testes de leitura e escrita, sendo 124% e 18% mais rápida, respectivamente. Neste teste, a Force GT foi 112% mais rápida do que a Force 3 no teste de leitura e 19% mais rápida no teste de escrita. Aqui a Force GT foi 17% mais rápida do que a Force 3, mas no teste de escrita, ambas obtiveram o mesmo nível de desempenho. Agora vamos analisar os resultados fornecidos pelo programa HD Tune. No teste de taxa de transferência de pico, a Force GT foi mais rápida do que a Force 3 por uma pequena margem de 3,3%. A Force GT também foi mais rápida no teste de taxa de transferência média, sendo 4,1% mais rápida do que a Force 3. A Force GT também liderou no teste de taxa de transferência mínima, sendo 24% mais rápida do que a Force 3. Mas no teste da taxa de transferência máxima, ambas apresentaram o mesmo nível de desempenho. Agora vamos analisar os resultados fornecidos pelo ATTO Disk Benchmark usando um arquivo de 1.024 KB. No teste de leitura, a Force GT foi apenas 3,6% mais rápida do que a Force 3, mas no teste de escrita, ambas obtiveram o mesmo nível de desempenho. Como podemos inferir a partir dos resultados obtidos em nosso teste, a Corsair Force GT é mais rápida do que a Force 3 na maioria dos casos e, portanto, é a unidade SSD certa para aqueles usuários que querem o maior desempenho possível. Apesar de ambas usarem o mesmo controlador Sandforce SF-2281, a Force GT utiliza memória síncrona em vez de memória assíncrona, que oferece melhor desempenho ao manipular dados que não podem ser compactados. Os programas AS SSD e CrystalDiskMark medem a taxa de transferência usando este tipo de dados. No ATTO Disk Benchmark, entretanto, as unidades apresentaram desempenho similar, pois este programa testa as unidades usando dados que podem ser compactados. Alguns de vocês podem estar se perguntando porque a Corsair usou memória assíncrona na Force 3 em vez de memória síncrona. Bem, memória síncrona é mais cara, o que explica a diferença de US$ 30 entre a Force GT e a Force 3. Considerando o desempenho extra que ela oferece, vale a pena pagar esta diferença de US$ 30 e comprar a Force GT em vez da Force 3, caso você queira o maior desempenho possível. Para aqueles que não estão preocupados com desempenho e querem economizar algum dinheiro, a Force 3 é uma boa opção.
  13. Embora existam vários discos rígidos no mercado com interface SATA-600, nós realmente precisamos de uma unidade SSD para usufruir da largura de banda oferecida por esta interface. Hoje nós compararemos e analisaremos o desempenho de cinco modelos de unidades SSD de fabricantes diferentes: Crucial, Intel, Mushkin, OCZ e OWC. Vejamos qual delas é a mais rápida! Recentemente houve uma adoção maciça da interface SATA-600 em placas-mãe graças ao suporte nativo a esta interface oferecido pelos chipsets mais recentes da Intel e da AMD. Portanto, se você for comprar um computador novo, é muito provável que você seja capaz de aproveitar a largura de banda extra oferecida pela interface SATA-600 em relação à interface SATA-300. Antes de continuarmos, sugerimos a leitura do tutorial Anatomia das Unidades SSD, para você entender melhor como elas funcionam. Todas as unidades incluídas neste teste utilizam chips MLC. Na tabela abaixo nós comparamos as unidades testadas. Todas elas são de 2,5” com interface SATA-600. A unidade Vertex 3 da OCZ está disponível em dois modelos, e nós testamos a versão MAX IOPS. A capacidade de armazenamento das unidades SSD testadas varia levemente, embora todas elas possuam a mesma quantidade de chips de memória. Todas elas têm memória física de 256 GB, mas alguns fabricantes configuraram parte da memória disponível para uso interno. Essa memória reservada é usada para criar setores pré-apagados. Esta técnica aumenta o desempenho da unidade. As capacidades das cinco unidades SSD testadas estão exibidas na tabela abaixo. Fabricante Modelo Número do Modelo Capacidade Preço nos EUA Crucial M4 C400 CT256M4SSD2 256 GB US$ 415 Intel 510 Series SSDSC2MH250A2K5 250 GB US$ 580 Mushkin Chronos MKNSSDCR240GB-DX 240 GB US$ 544 OCZ Vertex 3 MAX IOPS VTX3MI-25SAT3-240G 240 GB US$ 560 OWC Mercury Extreme 6G OWCSSDMX6G240 240 GB US$ 549 Os preços foram pesquisados na Newegg.com no dia da publicação deste teste. A unidade Mushkin Chronos não foi encontrada na Newegg.com, e por isso o seu preço foi pesquisado na AVADirect.com. Na tabela abaixo nós fornecemos informações técnicas mais detalhadas sobre as unidades testadas. Por alguma razão a maioria dos fabricantes de chips não divulga em seu site informações específicas sobre esses chips, e por isso estamos colocando link apenas nos chips que encontramos mais informações técnicas. Modelo Controlador Buffer Memória Crucial M4 C400 Marvell 88SS9174-BLD2 Micron IED22D9LGQ (256 MB) Micron 29F128G08CFAAB (16 x 16 GB) Intel 510 Series Marvell 88SS9174-BKK2 Hynix H5TQ1G63BFR (128 MB) Intel 29F16B08JAMDD (16 x 16 GB) Mushkin Chronos SandForce SF-2281 N/D Toshiba TH58TAG7D2FBA89 (16 x 16 GB) OCZ Vertex 3 MAX IOPS SandForce SF-2281 N/D Toshiba TH58TAG7D2FBAS9 (16 x 16 GB) OWC Mercury 6G SandForce SF-2281 N/D Micron 29F128G08CFAAB (16 x 16 GB) Embora as unidades testadas tenham a mesma capacidade física, as configurações internas são diferentes. Nós daremos agora uma olhada detalhada em cada unidade. A Crucial optou por usar um gabinete cinza na C400, cujo visual é bastante simples, sem nada de especial. Mas por ser de metal, o gabinete tem aspecto sólido e resistente. Figura 1: Crucial M4 C400 256 GB Na parte superior da placa de circuito impresso há um chip controlador Marvell 88SS9174-BLD2 e oito dos 16 chips de memória Micron 29F128G08CFAAB de 16 GB cada. Os oito chips de memória restantes estão localizados na parte inferior da placa de circuito impresso juntamente com o chip de buffer Micron IED22D9LGQ de 256 MB. Figura 2: Placa de circuito impresso da Crucial M4 C400 256 GB A Intel escolheu usar um gabinete de metal prata na sua unidade SSD 510 Series. O desenho do gabinete é similar ao do Mercury 6G da OWC. Tanto a unidade da Intel quanto a da OWC apresentam qualidade excepcional da parte externa, superior aos das outras unidades incluídas no teste. Figura 3: Intel 510 Series 256 GB Assim como a Crucial, a Intel também usou um controlador da Marvell em sua unidade SSD, embora um modelo diferente (Marvell 88SS9174-BKK2). Este controlador apresenta velocidades de leitura e escrita de 500 MB/s e 265 MB/s, respectivamente. Oito dos chips de memória Intel 29F16B08JAMDD de 16 GB estão localizados na parte superior da placa de circuito impresso, juntamente com o chip de buffer Hynix H5TQ1G63BFR de 128 MB. Os oito chips de memória restantes estão localizados na parte inferior da placa de circuito impresso. Figura 4: Placa de circuito impresso da Intel 510 Series 250 GB A Mushkin optou por usar um gabinete de metal cinza escuro na Chronos, que vem com uma grande etiqueta. O desenho e a qualidade do gabinete são muito similares aos dos produtos da Intel e OWC. Figura 5: Mushkin Chronos 240 GB A Mushkin Chronos é a primeira das cinco unidades SSD que testamos a usar o mais novo controlador SandForce SF-2281. Este controlador oferece velocidades de leitura e escrita de 560 MB/s e 520 MB/s, respectivamente. Há 16 chips de memória Toshiba TH58TAG7D2FBA89 de 16 GB, distribuídos igualmente entre os lados da placa de circuito impresso. Figura 6: Placa de circuito impresso da Mushkin Chronos 240 GB A Vertex 3 MAX IOPS tem um gabinete idêntico ao da Agility 3, embora com uma etiqueta diferente. Sua qualidade não é tão boa quanto a das outras unidades do teste, mas não deve causar problemas. Figura 7: OCZ Vertex 3 MAX IOPS 240 GB Embora a Vertex 3 MAX IOPS utilize o mesmo controlador SandForce SF-2281 da Agility 3, suas velocidades de leitura (550 MB/s) e escrita (500 MB/s) são melhores. A OCZ usou 16 chips de memória Toshiba H58TAG7D2FBAS9 de 16 GB, distribuídos igualmente entre os lados da placa de circuito impresso. Figura 8: Placa de circuito impresso OCZ Vertex 3 MAX IOPS 240 GB Não há como negar de que o produto da OWC tem o visual mais maneiro das cinco unidades SSD testadas, graças ao seu acabamento azul metálico. O gabinete é feito de metal e é de boa qualidade. Figura 9: OWC Mercury Extreme Pro 240 GB 6G A OWC Mercury Extreme Pro 6G também utiliza o mais novo controlador SandForce SF-2281, que oferece velocidades de leitura e escrita de 559 MB/s e 527 MB/s, respectivamente. A OWC optou por usar 16 chips de memória Micron 29F128G08CFAAB de 16 GB para compor a sua capacidade de 240 GB. Oito desses chips estão localizados na parte superior da placa de circuito impresso, e os demais na parte inferior. Figura 10: Placa de circuito impresso da OWC Mercury Extreme Pro 6G 240 GB Durante nossos testes usamos a configuração listada abaixo e o único dispositivo diferente entre cada seção de teste foi a unidade SSD sendo testada. Configuração de Hardware Processador: Intel Core i5-2500K Placa-mãe: Gigabyte Z68X-UD5-B3 Memória: Dois módulos Kingston HyperX Genesis de 2 GB cada (DDR3-2133, CL9, 1,6 V, 9-9-9-27) Placa de vídeo: Zotac Geforce GTX 470 AMP! Resolução de vídeo: 1920 x 1080 Monitor de vídeo: Viewsonic VX2260WM Fonte de Alimentação: Corsair HX850W Cooler do processador: Noctua NH-D14 Disco rígido (para boot): Kingston SSDNow V+100 128 GB Configuração de Software Windows 7 Home Premium 64 bits usando sistema de arquivos NTFS Versão do driver Intel Inf: 9.2.0.1016 Versão do driver de vídeo NVIDIA: 270.61 Programas de Desempenho AS SSD 1.6.4067.34354 CrystalDiskMark 3.0.1 x64 HD Tune 2.55 Margem de Erro Adotamos uma margem de erro de 3%. Com isso, diferenças de desempenho inferiores a 3% não podem ser consideradas significativas. Em outras palavras, produtos onde a diferença de desempenho seja inferior a 3% deverão ser considerados como tendo desempenhos similares. Como você pode ver na página anterior, nós medimos o desempenho usando três programas diferentes: AS SSD, CrystalDiskMark e HD Tune. Nesta página nós analisaremos os resultados do programa AS SSD, enquanto que nas páginas seguintes discutiremos os resultados dos outros três programas. É importante notar que nós conectamos as unidades SSD na porta SATA-600 da placa-mãe para termos certeza de que o desempenho não seria limitado pelo uso de uma porta SATA-300. Nós usamos a configuração padrão do AS SSD durante os testes. Toda as três unidades SSD equipadas com controlador SandForce – OWC Mercury 6G, OCZ Vertex 3 MAX IOPS e Mushkin Chronos – apresentaram desempenho similar no teste de leitura sequencial. Elas foram aproximadamente 9% mais rápidas do que a Intel 510 Series e 21% mais rápidas do que a Crucial M4 C400. No teste de escrita sequencial, a Intel 510 Series apresentou o melhor desempenho e foi cerca de 12% mais rápida do que a OWC Mercury 6G. As outras unidades com chip SandForce, a Mushkin Chronos e a OCZ Vertex 3 MAX IOPS, apresentaram desempenho similar e foram 18% mais lentas do que a unidade da Intel. A Crucial M4 C400 obteve o pior desempenho neste teste e foi cerca de 30% mais lenta do que a Intel 510 Series. No teste de leitura aleatória usando blocos de 4 KB, a OWC Mercury 6G foi a mais rápida, batendo a Crucial M4 C400 e a OCZ Vertex 3 MAX IOPS em pouco mais de 3%. Essas unidades apresentaram desempenho similar entre si. A Intel 510 Series e a Mushkin Chronos também apresentaram desempenho similar entre si, e foram cerca de 15% mais lentas do que a OWC Mercury 6G. No teste de escrita aleatória usando blocos de 4 KB, a Mushkin Chronos e a OWC Mercury 6G apresentaram desempenho similar e foram cerca de 4% mais rápidas do que a OCZ Vertex 3 MAX IOPS e 5% mais rápidas do que a Crucial M4 C400. A Intel 510 Series foi a perdedora neste teste, com um desempenho 38% inferior. A Mushkin Chronos e a OWC Mercury 6G apresentaram desempenho similar no teste de leitura, batendo a Crucial M4 C400 em 16%, a OCZ Vertex 3 MAX IOPS em 160% e a Intel 510 Series em 204%. No teste de escrita, a Intel 510 Series foi a melhor, batendo a OWC Mercury 6G em 141%, a OCZ Vertex 3 MAX IOPS em 153%, a Mushkin Chronos em 156% e a Crucial M4 C400 em 184%. Nós usamos o CrystalDiskMark em sua configuração padrão, o que significa dizer que cada unidade SSD foi submetida a cinco tarefas simultâneas usando um arquivo de 1000 MB. Vamos aos resultados. A OCZ Vertex 3 MAX IOPS foi a mais rápida no teste de leitura sequencial, sendo em média 7% mais rápida do que a Intel 510 Series, a Mushkin Chronos e a OWC Mercury 6G, que apresentaram o mesmo nível de desempenho. A Crucial M4 C400 foi a perdedora neste teste, já que a OCZ Vertex 3 MAX IOPS foi 30% mais rápida do que ela. No teste de escrita sequencial, a Intel 510 Series foi a melhor, batendo a OWC Mercury 6G em 5%, a OCZ Vertex 3 MAX IOPS em 11%, a Mushkin Chronos em 14% e a Crucial M4 C400 em 35%. Mais uma vez a OCZ Vertex 3 foi a mais rápida no teste de leitura, batendo a Mushkin Chronos em 4% e a OWC Mercury 6G em 10%. A OCZ Vertex 3 também foi mais rápida do que a Intel 510 Series em 48% e a Crucial M4 C400 em 53%. No teste de escrita aleatória usando blocos de 512 KB, a OCZ Vertex 3 MAX IOPS apresentou desempenho similar ao da Crucial M4 C400. Elas foram, em média, 7% mais rápidas do que a Intel 510 Series, 9% mais rápidas do que a Mushkin Chronos e 17% mais rápidas do que a OWC Mercury 6G. No teste de leitura aleatória usando blocos de 4 KB, a OWC Mercury 6G foi a mais rápida, sendo 4% mais rápida do que a Mushkin Chronos, 8% mais rápida do que a OCZ Vertex 3 MAX IOPS, 47% mais rápida do que a Crucial M4 C400 e 58% mais rápida do que a Intel 510 Series. No teste de escrita aleatória, no entanto, a OCZ Vertex 3 MAX IOPS foi a mais rápida, batendo a OWC Mercury 6G e a Mushkin Chronos em 10%. Ela também foi mais rápida do que a Crucial M4 C400 (17%) e a Intel 510 Series (55%). Agora vamos analisar os resultados fornecidos pelo programa HD Tune. No teste de taxa de transferência de pico, todas as três unidades equipadas com controlador SandForce e a Intel 510 Series obtiveram desempenho similar. Elas foram, em média, 240% mais rápidas do que a Crucial M4 C400. A OWC Mercury 6G obteve o melhor desempenho na taxa de transferência média, batendo a Mushkin Chronos em 3% e a OCZ Vertex 3 em 4%. Ela também foi 5% mais rápida do que a Intel 510 Series e a Crucial M4 C400. Qual das cinco unidades SSD de 240 GB que testamos é a mais rápida? Bem, não houve um ganhador absoluto, já que cada unidade teve pontos fortes e fracos em diferentes testes. Nos testes de leitura sequencial, a OCZ Vertex 3 MAX IOPS foi a melhor, vencendo as demais unidades por uma boa margem no CrystakDiskMark e no AS SSD. Mas, nos testes de escrita sequencial, a Intel 510 Series foi a melhor. Em ambos os testes de leitura e escrita sequencial, a Crucial M4 C400 apresentou o pior desempenho e foi batida por uma margem grande. Nos testes de leitura aleatória usando blocos de 512 KB, a OCZ Vertex 3 MAX IOPS saiu na frente em ambos os testes de leitura e escrita. Nos testes aleatórios usando blocos de 4 KB, no entanto, a OWC Mercury Extreme Pro 6G foi a vencedora, sendo mais rápida em três dos quatro testes. No teste de escrita aleatória do CrystalDiskMark usando blocos de 4 KB, a OCZ Vertex 3 MAX IOPS foi mais rápida do que a unidade da OWC por uma margem pequena. No HD Tune, a OWC Mercury Extreme Pro 6G obteve a maior taxa de transferência média e apresentou o mesmo desempenho da taxa de transferência de pico das outras unidades baseadas no chip SandForce. Portanto, qual dessas unidades você deve comprar? Bem, se você está procurando por desempenho, a OCZ Vertex 3 MAX IOPS ou a OWC Mercury Extreme Pro 6G são as nossas recomendações. As duas unidades apresentaram pontos fortes e fracos em diferentes áreas, com a unidade da OWC vencendo em sete testes e a OCZ Vertex 3 MAX IOPS em cinco. Elas também estão na mesma faixa de preço. Embora a Crucial M4 C400 SSD tenha apresentado o pior desempenho, nós devemos considerá-la, pois ela é, nos EUA, US$ 130 mais barata do que as outras unidades incluídas em nosso teste, sendo uma excelente opção para os usuários que não se importam em sacrificar o desempenho em nome do baixo custo. Sua capacidade de armazenamento também é um pouco maior, já que a Crucial não separa parte de sua memória para uso interno (“over-provisioning”). Nós achamos a Intel 510 Series um pouco cara, mas não hesitaríamos em recomendá-la caso o seu preço ficasse entre o da Crucial M4 C400 e das unidades com chip controlador SandForce. A Mushkin Chronos se saiu muito bem em nossos testes, mas acabou atrás da OCZ Vertex 3 em quatro deles. Embora ainda seja uma unidade rápida, nós gostaríamos de vê-la custando US$ 15 a menos, nos EUA, para ser escolhida em vez das duas unidades SSD com controlador SandForce.
  14. A maioria dos fabricantes de unidades SSD desenvolve os seus produtos com capacidades padrões de 64 GB, 128 GB e 256 GB. A Intel é uma exceção à regra, com unidades SSD variando entre 40 GB e 600 GB. Hoje nós testaremos o modelo Intel 320 Series de 160 GB, que vem com um pouco mais de espaço para armazenamento do que as unidades de 128 GB oferecidas pela maioria dos fabricantes. Antes de prosseguirmos, sugerimos a leitura do nosso tutorial Anatomia das Unidades SSD, que oferece todas as informações que você precisa saber sobre o assunto. As unidades usadas neste teste utilizam chips de memória MLC. Muitas pessoas gostariam de atualizar os seus notebooks com uma unidade SSD, mas não podem pagar por uma que ofereça espaço de armazenamento o suficiente para os seus programas e arquivos. Com esta unidade de 160 GB, a Intel oferece uma solução que se encaixa entre os modelos de 128 GB e 256 GB, ideal para as pessoas que acham que 128 GB é pouco, mas que não podem comprar uma unidade de 256 GB. Para usuários de micros de mesa, ter uma unidade SSD com grande capacidade de armazenamento é menos relevante, já que a unidade SSD pode ser combinada com um disco rígido para ter espaço de armazenamento extra para os programas, músicas, fotos e jogos. Como a Intel 320 Series é de 160 GB, vamos compará-la com duas unidades SSD de 128 GB, a Patriot Torqx 2 e a Kingston V100, ambas já testadas aqui no Clube do Hardware. Na tabela abaixo nós listamos as unidades SSD testadas. Todas elas são modelos de 2,5” e utilizam interface SATA-300. Fabricante Modelo Número do Modelo Capacidade Preço nos EUA Intel 320 Series SSDSA2CW160G310 160 GB US$ 290 Kingston SSDNow V100 SV100S2D/128GZ 128 GB US$ 226 Patriot Torqx 2 PT2128GS25SSDR 128 GB US$ 225 Nós pesquisamos os preços na Newegg.com no dia da publicação deste teste e notamos as seguintes observações: o preço da unidade SSD da Kingston é para a versão “Desktop Bundle” (versão que testamos). A mesma unidade está disponível avulsa ou como parte de um kit “Notebook Bundle” na Newegg.com. Ambas as versões custam US$ 220. Na tabela abaixo nós fornecemos informações técnicas mais detalhadas sobre as unidades testadas. Por alguma razão a maioria dos fabricantes de chips não divulga em seu site informações específicas sobre esses chips, e por isso estamos colocando link apenas nos chips que encontramos mais informações técnicas. Modelo Controlador Buffer Memória Intel 320 Series Intel PC29AS21BA0 64 MB (Hynix H5585162EFR) Intel 29FI6B08CCMEI Kingston SSDNow V100 Toshiba JMF618 64 MB (Mira P3R12E4JIFF) Toshiba TH58NVG6D2FTA20 Patriot Torqx 2 Phison PS3105-S5 128 MB (Hynix H5MS1G22AFR) Toshiba TH58NVG7D2FLA89 A unidade SSD Intel 320 Series de 160 GB utiliza uma configuração interna diferente da maioria dos outros produtos. O seu controlador suporta 10 canais de memória em vez de oito. Figura 1: Intel SSD 320 Series A parte externa da Intel 320 Series é feita em alumínio escovado, o que dá a ela uma aparência interessante e um nível de proteção decente para a placa de circuito impresso, sem aumentar muito o seu peso. Na parte superior da unidade, há um espaçador plástico que a torna compatível com o padrão de 2,5”. Figura 2: Placa de circuito impresso da Intel SSD 320 Series (parte superior) A Intel SSD 320 Series utiliza o controlador Intel PC29AS21BA0, que oferece velocidades de leitura e escrita de 270 MB/s e 230 MB/s, respectivamente. Na parte superior da placa de circuito impresso nós encontramos também o chip de memória cache de 64 MB (Hynix H5585162EFR). Figura 3: Placa de circuito impresso da Intel SSD 320 Series (parte inferior) Há 12 chips de memória no total: 10 localizados na parte superior da placa de circuito impresso e dois na parte inferior. Esses chips totalizam os 160 GB da unidade, e são do tipo MLC de 25 nm (número de modelo Intel 29FI6B08CCMEI). Ao ser formatada, a capacidade da unidade SSD cai para aproximadamente 149 GB. Durante nossos testes usamos a configuração listada abaixo e o único dispositivo diferente entre cada seção de teste foi a unidade SSD sendo testada. Configuração de Hardware Processador: Intel Core i5-2500K Placa-mãe: Gigabyte Z68X-UD5-B3 Memória: Dois módulos Kingston HyperX Genesis de 2 GB cada (DDR3-2133, CL9, 1,6 V, 9-9-9-27) Placa de vídeo: Zotac Geforce GTX 470 AMP! Resolução de vídeo: 1920 x 1080 Monitor de vídeo: Viewsonic VX2260WM Fonte de Alimentação: Corsair HX850W Cooler do processador: Noctua NH-D14 Disco rígido (para boot): Kingston SSDNow V+100 128 GB Configuração de Software Windows 7 Home Premium 64 bits usando sistema de arquivos NTFS Versão do driver Intel Inf: 9.2.0.1016 Versão do driver de vídeo NVIDIA: 270.61 Programas de Desempenho AS SSD 1.6.4067.34354 CrystalDiskMark 3.0.1 x64 PCMark 7 HD Tune 2.55 Margem de Erro Adotamos uma margem de erro de 3%. Com isso, diferenças de desempenho inferiores a 3% não podem ser consideradas significativas. Em outras palavras, produtos onde a diferença de desempenho seja inferior a 3% deverão ser considerados como tendo desempenhos similares. Como você pode ver na página anterior, nós medimos o desempenho usando quatro programas diferentes: AS SSD, CrystalDiskMark, HD Tune e PCMark 7. Nesta página nós analisaremos os resultados do programa AS SSD, enquanto que nas páginas seguintes discutiremos os resultados dos outros três programas. É importante notar que nós conectamos as unidades SSD na porta SATA-600 da placa-mãe para termos certeza de que o desempenho não seria limitado pelo uso de uma porta SATA-300. Nós usamos a configuração padrão do AS SSD durante os testes. No teste de leitura e escrita sequencial do AS SSD, o desempenho da unidade da Intel ficou próximo dos valores divulgados pela empresa. No teste de leitura, o seu desempenho foi 4,5% melhor do que a unidade da Kingston e 5,6% melhor do que a unidade da Patriot. No teste de leitura usando blocos de 4 KB, a unidade Intel 320 Series foi 81% mais rápida do que o produto da Kingston e 48% mais rápida do que o produto da Patriot. Mas no teste de escrita usando blocos de 4 KB, a unidade da Intel apresentou o mesmo desempenho da unidade da Kingston, que foram vencidas pela Patriot Torqx 2 (8,5% mais rápida). No teste de tempo de acesso de leitura, a unidade da Intel foi 75% mais rápida do que a unidade da Kingston e 80% mais rápida do que a unidade da Patriot. Mas no teste de tempo de acesso de escrita, o produto da Patriot foi 21% mais rápido do que a unidade da Intel. Aqui a unidade da Intel foi 8% mais rápida do que o produto da Kingston. Nós usamos o CrystalDiskMark em sua configuração padrão, o que significa dizer que cada unidade SSD foi submetida a cinco tarefas simultâneas usando um arquivo de 100 MB. Vamos aos resultados. Nos testes de leitura e escrita sequencial do CrystalDiskMark, a unidade da Intel apresentou um desempenho mais próximo ao divulgado pelo fabricante do que no AS SSD. No teste de leitura, a unidade da Intel foi 6,1% mais rápida do que a unidade da Kingston e 8% mais rápida do que a unidade da Patriot. Mas no teste de escrita, os produtos da Kingston e Patriot foram 9,5% e 11,2% mais rápidos do que o produto da Intel, respectivamente. Isto não é uma surpresa, já que a velocidade máxima de leitura da unidade da Intel é menor do que a dos produtos da Kingston e Patriot. No teste de leitura aleatória usando blocos de 512 KB, a unidade da Intel foi 11,8% mais rápida do que o produto da Patriot, mas perdeu para o produto da Kingston, que foi 8,5% mais rápido. No teste de escrita, a unidade da Intel foi a mais rápida entre as três, sendo 17% mais rápida do que o produto da Kingston e 39% mais rápida do que o produto da Patriot. Durante o teste de leitura aleatória usando blocos de 4 KB, a unidade da Intel foi 84% mais rápida do que o produto da Kingston e 59% mais rápida do que o produto da Patriot. No teste de escrita, a história foi um pouco diferente, já que o produto da Intel perdeu para o produto da Patriot (12%), mas bateu a unidade da Kingston, sendo 38% mais rápida. Agora vamos analisar os resultados fornecidos pelo programa HD Tune. A Intel 320 Series foi mais rápida do que a Patriot Torqx 2 e a Kingston V100 nos testes de taxa de transferência mínima, máxima e média, sendo 22% mais rápida do que o produto da Kingston e 8,9% mais rápida do que o produto da Patriot, em média. No teste de taxa de transferência de pico, o produto da Kingston foi 24% mais rápido do que o produto da intel. Mas a Intel 320 Series foi 168% mais rápida do que a Patriot Torqx 2 neste teste. Nós decidimos usar o PCMark 7 para testar o desempenho dessas unidades SSD, pois este programa nos dá uma boa indicação de desempenho em um ambiente típico de trabalho. Confira os resultados. No PCMark 7, as unidades testadas obtiveram o mesmo nível de desempenho, com variações de desempenho dentro da nossa margem de erro de 3%. No geral, nós diríamos que a Intel SSD 320 Series de 160 GB se saiu muito bem em nossos testes, mesmo que as outras unidades testadas tenham se saído melhores em alguns deles. Isto nos surpreendeu um pouco, já que a unidade da Intel apresenta velocidade de escrita máxima menor do que a dos outros dois produtos testados. Claro que a velocidade de escrita máxima menor da unidade da Intel comprometeu o seu desempenho nos testes de escrita sequencial. Portanto, as unidades Patriot Torqx 2 e Kingston V100 apresentam um maior desempenho em situações do cotidiano ao gravar grandes quantidades de dados sequenciais. Nos testes de leitura sequencial, a unidade da Intel apresentou velocidade muito próxima aos 270 MB/s anunciados pelo fabricante, fazendo com que ela fosse a mais rápida do teste neste aspecto. A Intel SSD 320 Series foi melhor do que a Patriot Torqx 2 e a Kingston V100 nos testes de leitura usando blocos de 4 KB do CrystalDiskMark e AS SSD. Ela também apresentou um tempo de acesso muito baixo nos testes de leitura do AS SSD, o que significa que ela pode iniciar transferências de dados mais rapidamente do que as outras duas unidades testadas. O produto da Patriot apresentou um tempo de acesso um pouco melhor no teste de escrita, mas o impacto no desempenho foi muito pequeno. No PCMark 7, a unidade da Intel apresentou o mesmo nível de desempenho da Patriot Torqx 2 e da Kingston V100, indicando que não há grandes diferenças de desempenho em aplicações do cotidiano entre esses três produtos. Devido a sua capacidade de armazenamento maior, a Intel SSD 320 Series 160 GB é em torno de US$ 65 mais cara (nos EUA) do que as outras unidades incluídas em nosso teste. Mas para muitas pessoas, a capacidade extra da unidade da Intel compensará o custo, e nós não hesitaremos em recomendá-la nesta faixa de preço.
  15. O preço das unidades SSD caiu bastante desde que elas foram lançadas há alguns anos e agora elas estão mais acessíveis do que nunca, pelo menos no exterior. Em nossa opinião, unidades SSD de 128 GB oferecem o equilíbrio perfeito entre capacidade, desempenho e preço, e por isso é que hoje nós colocaremos frente a frente dois dos mais novos modelos do mercado. Antes de prosseguirmos, sugerimos a leitura do nosso tutorial Anatomia das Unidades SSD, que oferece todas as informações que você precisa saber sobre o assunto. As unidades testadas utilizam chips de memória MLC. Figura 1: As duas unidades SSD testadas A maioria dos usuários que faz upgrade no computador com uma unidade SSD de 64 GB a utiliza juntamente com um disco rígido mecânico para ter espaço de armazenamento extra para os programas, músicas, fotos e jogos. Com uma unidade SSD de 128 GB, entretanto, há mais espaço para seus programas e jogos dentro do próprio SSD, que serão acessados mais rapidamente graças ao maior desempenho das unidades SSD. Mas muitos usuários também poderão instalar um disco rígido mecânico, já que arquivos de música e vídeo rapidamente “lotam” uma unidade SSD de 128 GB. Figura 2: Kingston Desktop Bundle Na tabela abaixo nós comparamos as unidades SSD testadas. Elas são modelos de 2,5” e utilizam interface SATA-300. A unidade SSD da Kingston é vendida avulsa ou como parte de um kit chamado “Desktop Bundle”. Nossa amostra incluía o kit “Desktop Bundle”, que contém um adaptador de 2,5”-para-3,5” para permitir a você instalar a unidade em uma baia de 3,5” para discos rígidos, e cabos SATA de dados e alimentação. O kit também vem com um programa para você criar uma réplica exata do seu atual disco rígido no SSD, o que facilita bastante o upgrade. Fabricante Modelo Número do Modelo Capacidade Preço nos EUA Kingston SSDNow V100 SV100S2D/128GZ 128 GB US$ 226 Patriot Torqx 2 PT2128GS25SSDR 128 GB US$ 225 Nós pesquisamos os preços na Newegg.com no dia da publicação deste teste e notamos as seguintes observações: o preço da unidade SSD da Kingston é para a versão “Desktop Bundle” (versão que testamos). A mesma unidade está disponível avulsa ou como parte de um kit “Notebook Bundle” na Newegg.com. Ambas as versões custam US$ 220. Na tabela abaixo nós fornecemos informações técnicas mais detalhadas sobre as unidades testadas. Por alguma razão a maioria dos fabricantes de chips não divulga em seu site informações específicas sobre esses chips, e por isso estamos colocando link apenas nos chips que encontramos mais informações técnicas. Modelo Controlador Buffer Memória Kingston SSDNow V100 Toshiba JMF618 64 MB (Mira P3R12E4JIFF) Toshiba TH58NVG6D2FTA20 (16 x 8 GB) Patriot Torqx 2 Phison PS3105-S5 128 MB (Hynix H5MS1G22AFR ) Toshiba TH58NVG7D2FLA89 (8 x 16 GB) Embora as unidades SSD testadas tenham capacidade de armazenamento de 128 GB, elas diferem muito em outros aspectos, como falaremos abaixo. Figura 3: Kingston SSSNow V100 128 GB A Kingston decidiu usar um gabinete de metal em sua unidade SSD, o que faz com que ela seja muito sólida. Isto aumentou significativamente o seu peso, e a Kingston SSSNow V100 128 GB é mais pesada do que a maioria dos discos rígidos de 2,5”. Figura 4: Interior da Kingston SSSNow V100 128 GB Na parte superior da placa de circuito impresso nós encontramos o controlador, que está posicionado em um ângulo de 45 °C em relação aos chips de memória, o que não é muito comum. Este controlador é fabricado pela Toshiba, mas na verdade é um JMicron JMF612 com algumas atualizações. Ele suporta velocidades de leitura e escrita de 250 MB/s e 230 MB/s, respectivamente, e tem o número de modelo JMF618. Os dezesseis chips de memória Toshiba de 8 GB estão distribuídos igualmente entre os dois lados da placa de circuito impresso. Esses chips são do tipo MLC de 32 nm (número de modelo TH58NVG6D2FTA20). Na parte inferior da placa nós encontramos também 64 MB de cache (chip Mira P3R12E4JIFF). Figura 5: Patriot Torqx 2 128 GB A Patriot optou por usar um gabinete de alumínio escovado no Torqx 2, o que deu a ele uma aparência robusta sem aumentar muito o seu peso. O Torqx 2 pesa quase a metade do produto da Kingston, e por isso ele é uma opção melhor para usuários de notebooks. Figura 6: Interior da Patriot Torqx 2 128 GB A Patriot Torqx 2 utiliza o controlador Phison PS3105-S5, que oferece velocidades de leitura e escrita de 270 MB/s e 230 MB/s, respectivamente. Na parte superior da placa de circuito impresso nós também encontramos o chip de memória cache de 128 MB (Hynix H5MS1G22AFR). Em vez de usar dezesseis chips de memória de 8 GB como a Kingston, a Patriot usou oito chips de memória de 16 GB, todos localizados na parte superior da placa de circuito impresso. Esses chips também são da Toshiba (modelo TH58NVG7D2FLA89). Durante nossos testes usamos a configuração listada abaixo e o único dispositivo diferente entre cada seção de teste foi a unidade SSD sendo testada. Configuração de Hardware Processador: Intel Core i5-2500K Placa-mãe: Gigabyte Z68X-UD5-B3 Memória: Dois módulos Kingston HyperX Genesis de 2 GB cada (DDR3-2133, CL9, 1,6 V, 9-9-9-27) Placa de vídeo: Zotac Geforce GTX 470 AMP! Resolução de vídeo: 1920 x 1080 Monitor de vídeo: Viewsonic VX2260WM Fonte de Alimentação: Corsair HX850W Cooler do processador: Noctua NH-D14 Disco rígido (para boot): Kingston SSDNow V+100 128 GB Configuração de Software Windows 7 Home Premium 64 bits usando sistema de arquivos NTFS Versão do driver Intel Inf: 9.2.0.1016 Versão do driver de vídeo NVIDIA: 270.61 Programas de Desempenho AS SSD 1.6.4067.34354 CrystalDiskMark 3.0.1 x64 PCMark 7 HD Tune 2.55 Margem de Erro Adotamos uma margem de erro de 3%. Com isso, diferenças de desempenho inferiores a 3% não podem ser consideradas significativas. Em outras palavras, produtos onde a diferença de desempenho seja inferior a 3% deverão ser considerados como tendo desempenhos similares. Como você pode ver na página anterior, nós medimos o desempenho usando quatro programas diferentes: AS SSD, CrystalDiskMark, HD Tune e PCMark 7. Nesta página nós analisaremos os resultados do programa AS SSD, enquanto que nas páginas seguintes discutiremos os resultados dos outros três programas. É importante notar que nós conectamos as unidades SSD na porta SATA-600 da placa-mãe para termos certeza de que o desempenho não seria limitado pelo uso de uma porta SATA-300. Nós usamos a configuração padrão do AS SSD durante os testes. No teste de leitura e escrita sequencial do AS SSD as duas unidades SSD obtiveram desempenho similar. Embora a unidade da Kingston tenha sido um pouco mais rápida, a diferença não foi superior a 3%. No teste de leitura e escrita aleatória usando blocos de 4 KB, a unidade da Patriot foi aproximadamente 22% mais rápida do que o produto da Kingston no teste de leitura e 7% mais rápida no teste de escrita. O tempo de acesso é o quanto a unidade de armazenamento leva para começar a fornecer dados após o computador ter solicitado um determinado dado. É medido na ordem de milissegundos (ms, que é igual a 0,001 s) e quanto menor este valor, melhor. No teste de leitura, a unidade da Kingston foi aproximadamente 17% mais rápida do que o produto da Patriot, mas no teste de escrita, as coisas se inverteram e a unidade da Patriot foi 24% mais rápida do que o produto da Kingston. Nós usamos o CrystalDiskMark em sua configuração padrão, o que significa dizer que cada unidade SSD foi submetida a cinco tarefas simultâneas usando um arquivo de 1.000 MB. Vejamos os resultados. Nos testes de leitura e escrita sequencial do CrystalDiskMark, ambas as unidades apresentaram desempenho similar. O produto da Kingston foi apenas 1,7% mais rápido no teste de leitura, e o produto da Patriot foi 1,9% mais rápido no teste de escrita. Esses valores estão dentro da nossa margem de erro de 3%. No teste de leitura aleatória, a unidade da Kingston foi 22% mais rápida do que o produto da Patriot, e no teste de escrita aleatório ela foi 19% mais rápida. Durante os testes de leitura e escrita aleatória usando blocos de 4 KB, o produto da Patriot foi 16% e 58% mais rápido do que o produto da Kingston nos testes de leitura e escrita, respectivamente. Agora vamos analisar os resultados fornecidos pelo programa HD Tune. No teste de taxa de transferência de pico, o produto da Kingston foi 252% mais rápido do que o produto da Patriot. Mas nos outros testes, o produto da Patriot foi superior, sendo em média 12% mais rápido do que o produto da Kingston. A unidade da Patriot também consegui manter seu nível de desempenho de uma maneira muito melhor do que o produto da Kingston, que apresentou variações mais frequentes durante este teste. Nós decidimos usar o PCMark 7 para testar o desempenho dessas unidades SSD, pois este programa nos dá uma boa indicação de desempenho em um ambiente típico de trabalho. Confira os resultados. No PCMark 7, as unidades testadas obtiveram o mesmo nível de desempenho. Com base em nossos testes, verificamos que as unidades SSD Kingston SSDNow V100 e Patriot Torqx 2 de 128 GB apresentam desempenhos similares, embora houvesse situações onde uma unidade foi claramente mais rápida do que a outra. Nos testes de leitura e escrita sequencial do AS SSD e do CrystalDiskMark, ambas as unidades SSD apresentaram desempenho similar, embora o produto da Kingston tenha sido um pouco melhor em três dos quatro testes. Isto nos surpreendeu um pouco, já que o controlador usado na unidade SSD da Patriot apresenta velocidade máxima de leitura de 270 MB/s contra 250 MB/s do produto da Kingston. As duas unidades têm a mesma velocidade máxima de escrita de 230 MB/s, e por isso as similaridades nos testes de escrita eram previsíveis. No teste de taxa de transferência de pico do HD Tune, a unidade da Kingston foi significativamente melhor do que o produto da Patriot. Mas a unidade da Patriot foi 12% mais rápida do que o produto da Kingston no teste de taxa de transferência contínua. Essas qualidades fazem de cada produto mais adequado para tarefas diferentes. Mas, no geral, há muito pouco o que escolher entre essas duas unidades em termos de desempenho no mundo real, como mostrado em nossos testes do PCMark 7, em que as unidades SSD apresentaram desempenhos praticamente idênticos. As unidades Kingston SSDNow V100 e Patriot Torqx 2 128 GB estão na mesma faixa de preço (US$ 226 e US$ 225 nos EUA, respectivamente). Em nossa opinião o produto da Kingston é uma melhor opção, pois ele vem com um kit que inclui um adaptador de 2,5”-para-3,5” e um programa que simplifica o processo de upgrade para usuários com pouca experiência técnica.

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas comunidades sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

Aprenda_a_Ler_Resistores_e_Capacitores-capa-3d-newsletter.jpg

EBOOK GRÁTIS!

CLIQUE AQUI E BAIXE AGORA MESMO!