Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Alceu Cunha Pires Neto

Membros Juniores
  • Total de itens

    6
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    N/D

Reputação

1

Sobre Alceu Cunha Pires Neto

  • Data de Nascimento 15-08-1997 (21 anos)

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    Fortaleza/CE
  • Sexo
    Masculino

Meu PC

  • Processador
    Bulldozer Fx 8120 @ 4.0 Ghz
  • Cooler
    Deep Cool Lucifer V2
  • Placa de vídeo
    ASUS GeForce GTX 1050 Ti Expedition
  • Placa-mãe
    M5A99X EVO R2.0
  • Memória
    4 Gb Kingston HyperX Blu e 4 Gb HyperX Fury 1600 MHz
  • HDs
    Toshiba SATA III 500 Gb 7200 Rpm
  • SSDs
    Kingston A400 480 Gb
  • Gabinete
    Haf 912 Plus
  • Fonte
    EVGA 600 W 80 Plus Bronze
  • Mouse
    Mini-Mouse de Notebook
  • Teclado
    Antigamente Branco; Hoje Amarelado.
  • Caixas de som
    Soundbar JBL Stéreo 40 W
  • Monitor
    AOC 21''
  • Sistema Operacional
    Windows 10
  • Browser
    Google Chrome
  • Antivírus
    Avast :3

Meu Tablet

  • Marca e modelo
    Samsung Tab E

Meu Smartphone

  • Marca e modelo
    Samsung J5 Pro

Meu Console

  • Modelo
    R.I.P. Sony Playstation 2 - Retrocompatível
  1. Boa tarde/noite. Hoje tentei bastante, mas não logrei êxito. Primeiro testei o Prime95 com tudo Stock e funcionou. Depois, quando comecei a mudar as configurações da BIOS - LLC e afins - assim que iniciava o Small FFT ou qualquer outro teste o PC travava e dava tela azul. Pesquisando, descobri que o Prime95 é conhecido por bugar com OC's de processadores Bulldozer e o troquei pelo AIDA64. Tentei mexer no CPU Bus/ FSB, no multiplicador, nas voltagens CPU e NB, nas opções DIGI+ power no Ai Tweaker; desliguei o AMD Turbo Boost, Cool n' Quiet, CPU Spread Spectrum, PCIe Spread Spectrum. Tentei mexer na tensão da DRAM, mas não fez nada. Tudo que eu fazia ou o MemOK! desfazia ou dava tela azul ou o AIDA64 indicava "Hardware Failure" após alguns segundos. Dessa maneira percebi que se eu tirasse de AUTO as frequências CPU/NB e do HyperTransport (HTT ou HT) ele reiniciava a BIOS com as configurações padrões. O mais estável que consegui foi 4390 MHz com VCore 1.43, que passou 10 minutos no AIDA64 sem problemas, com temperaturas relativamente altas (52 ºC CPU e 61 ºC Soquete, o que ainda está longe do limite: 62 ºC e 70 ºC, respectivamente), mas após esse tempo ele indicava erro de hardware. Apesar disso, usei o computador normalmente, inclusive para jogos e notei uma melhora significativa de performance, principalmente no RPCS3. Houve uma acréscimo de cerca de 5 FPS, muito para um emulador em desenvolvimento. Preciso de ajuda para conseguir estabilizar ou saber se esses Stress Tests sintéticos são uma boa maneira de verificar a estabilidade do OC em meu caso. Edit: Esqueci de informar as configurações da BIOS (esqueci de tirar prints, mas lembro o que configurei). Ai Tweaker Ai Overclock Tuner: Manual CPU Ratio: 17.5 AMD Turbo CORE technology: Disabled CPU Bus Frequency: 250 PCIE Frequency: 100 Memory Frequency: 1332 CPU/NB Frequency: AUTO HT Link Speed: AUTO CPU Spread Spectrum: Disabled ... CPU & NB Voltage: Manual Mode CPU Manual Voltage: 1.43--- CPU/NB Manual Voltage: 1.250000 ... (o resto em AUTO) DRAM Voltage: 1.50000 ... (o resto em AUTO) Ai Tweaker -> DIGI+ Power Control CPU Load Line Calibration: Ultra High (75%) CPU/NB Load Line Calibration: AUTO CPU Current Capability: 130% CPU/NB Current Capability: 130% CPU Power Phase Control: Standard CPU Voltage Frequency: AUTO VRM Spred Spectrum: Disabled CPU Power Duty Control: T Probe CPU Power Response Control: AUTO CPU Power Thermal COntrol: 130 DRAM Current Capability: 120% DRAM Voltage Frequency: 300 Dram Power Pahse Control: Optimized Advanced Cool' n' Quiet: Always Disabled C1E: Disabled SVM: Disabled Core C6 State: Disabled HPC Mode: Disabled Apm Master Mode: Disabled
  2. @Adriano Sarinho, Хорошо! Muito obrigado por sua resposta. Quando você mencionou que tinha um Ryzen 2400 eu senti uma forte dor no coração (kkk). Afinal, o tópico é sobre Overclock. Você conseguiu um ótimo resultado com Vcore "baixo" (não sei dizer) e com o O.C. das memórias ao diminuir as latências (e a tensão de 1.2 V!!). Só recentemente entendi que existe uma particularidade com o Overclock de RAM, pois uma alta frequência de operação não implica efetivamente uma operação mais rápida. É mais interessante reduzir as latências CAS, na medida do possível, em vez de simplesmente aumentar o clock. O resultado de Overclock tem muito haver com sorte, tendo em vista que os chips de memória, CPU etc são diferentes entre si. Isso porque as fabricantes utilizam PCBs de diferentes empresas, com qualidade variada, o que gera diferentes desempenhos. Por exemplo: É comum que, ao comprar um módulo de RAM, e, passado algum tempo, comprar outro igual, haja problemas de compatibilidade, mesmo que sejam os "mesmos" chips. A diferença entre componentes de fabricação é responsável por pequenas disparidades na resistividade desses componentes, o que altera o seu funcionamento. O importante para as fabricantes desses componentes é que eles funcionem bem dentro das especificações, algo imprevisto quando se considera Overclock. Isso explica o porquê de alguns caras conseguirem Overclocks de 5.0+ GHz, enquanto outros não passam de 4.4 GHz, com o mesmo modelo de processador. Quanto às suas dicas, muito obrigado! (Clear CMOS? vou pesquisar. Só conheço o truque de tirar a bateria da Mobo e o MemOK!, que volta as configurações da RAM quando não faz POST) Conhecer o Lucas Peperaio me agregou bastante conhecimento. Já conhecia fontes como Adrenaline, o próprio Clube, LinusTechTips, TechRadar, Tom's Hardware. É muito bom que tenha um representante da pátria que faz vídeos especializados no Youtube. Senti falta disso por muitos anos. Quem sabe há outros?! Ao pesquisar incessantemente no Google, não estava conseguindo materiais relevantes para o O.C. do meu sistema. Entretanto, quando adicionei o nome da família do meu processador encontrei vários. Um deles é um guia (em inglês), em oito partes, usando uma placa-mãe parecida com a minha (mesma empresa... não tão parecida assim): Guia de O.C. (em inglês): https://www.overclock.net/forum/10-amd-cpus/1348623-amd-bulldozer-piledriver-overclocking-guide-asus-motherboard.html Outro Guia de O.C. (em inglês): https://www.overclockers.com/forums/showthread.php/688663-Bulldozer-Overclocking-Guide-(Performance-Scaling-Charts-max-OCs)LN2-Results-co Retornando à questão da compatibilidade do meu Hardware com O.C., descobri algo óbvio: a minha Placa-Mãe é da versão "X" da ASUS, logo é apta. Quanto à minha fonte, meu PC mal gasta 200 W... Além disso, segundo este artigo (https://www.hardocp.com/article/2015/02/27/how_does_my_power_supply_impact_overclocking), os três trilhos de tensão - 12V, 5V e ~3V - são bastante afetados quando em LOAD, podendo sair das especificações manualmente configuradas na BIOS, mas isso em casos EXTREMOS de O.C..No Entanto, porque não pretendo fazer algo absurdo - a ponto de afetar meu HDD com a varição de tensão - e porque não tenho problemas com ventilação em meu gabinete, as perdas na vida útil não serão tão relevantes. Se houver mais dúvidas, eu postarei. Por favor, enviem mais dicas!
  3. Boa tarde. Estive usando o RPCS3 (Emulador de PS3) e a falta de desempenho do meu processador me aventurou pelo mundo do Overclock. Li bastante sobre o tópico por alguns meses e estou ciente dos riscos: ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- - As vidas úteis do meu processador e de minha placa-mãe estão perto do fim, além disso estão obsoletos. Overclocking é uma boa opção para aproveitar os momentos finais dessas peças; - Li que o processo de Overclocking de Ram é simples; - A refrigeração está garantida, pois minhas temperaturas não são muito altas: *Não usei nenhum programa de Benchmark - HWMonitor - Alguns dirão que o HWInfo é melhor, mas ainda não usei pra comparar... --> CPU Package: 16 ºC (IDLE) 35 ºC (Rodando o RPCS3 com ~100% de CPU por 3 horas.) --> placa-mãe, Chipset e Ram: 32ºC (não muda muito quando em IDLE ou LOAD). -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Apesar disso, tenho dúvidas comuns a qualquer iniciante: - Minha placa-mãe aguenta? E minha Fonte de Alimentação? - Qual o efeito que o Overclock da CPU faz no Over da RAM (e vice-versa)? Digo, a placa-mãe é um circuito complexo, então produzir alterações de tensão em um componente vai afetar o sistema como um todo. Desse modo, como contornar esse tipo de problema? - Li que programas de Overclock automatizados não são muito recomendáveis por aumentarem demais as tensões ou por não entregarem o desempenho de maneira eficiente. Seria a abordagem manual da BIOS uma boa pedida? - Quanto à estabilidade do CPU, stresstests como AIDA64 e Prime95 são suficientes para ratificá-la? E quanto a da RAM (não sei se esses programas também verificam)? - Tenho dois pentes diferentes de DDR3 1600 MHz: A diferença entre os DIMMS pode acarretar problemas num cenário de Overclock? -- Um HyperX Blu 4 Gb - 1.65 V 9-9-9-27 (XMP) / 1.5 V 11-11-11-30 KHX1600C9D3B1/4G -- Um HiperX Fury 4 Gb - 1.5 V 10-10-10-X HX316C10F/4 A Fury não é compatível com minha Mobo, mas não sabia disso quando comprei. Ela gerava tela azul sempre que abria algumas aplicações mais intensas, por isso pensei que fosse defeito e parei de usá-la. Após me deparar com alguns tópicos sobre frequências CAS e JEDEC (no Tom's Hardware) eu percebi que poderia achar um meio termo entre as frequências das minhas memórias, e, após atualizar a BIOS eu configurei para que ambas (não em Dual Channel) operassem em 11-11-11-28 a 1.525 V (DRAM Voltage). Escolhi essa tensão ao acaso e o sistema está extremamente estável - e rápido. Acredito que consiga diminuir esse valor, mas não estou confortável mexendo na BIOS ainda. ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Meu Sistema: CPU: AMD Bulldozer Fx 8120 3.10 GHz turbo de 4.0 GHz + Deep Cool Lucifer V2 Placa-Mãe: ASUS M5A99X EVO R2.0 (BIOS 2501) RAM: HyperX Blu 4 Gb KHX1600C9D3B1/4G HiperX Fury 4 Gb HX316C10F/4 "VGA": ASUS GeForce GTX 1050 Ti Expedition (4 Gb GDDR5) HDD: Um Toshiba meia boca de 500 Gb SSD: (Futuramente um Kingston A400 de 480 Gb 500 Mb/s) Fonte: EVGA 600W 80 Plus Bronze Gabinete: HAF-912 Plus - Sim. O Lucifer cabe no meu PC (huehuee) S.O.: Windows 10 Lembrando que o TDP do Fx 8120 é de 125 W porque ele perde muito calor, mas em IDLE ele consome ~60 W, segundo o HWMonitor. Pretendo levar o processador para a faixa de 4.2 ~ 4.5 GHz, se possível; As memórias para 1866 MHz se possível ou proveitoso. Levando isso tudo em consideração, faço a pergunta mais crucial desse post: por onde começo o Overclock do meu sistema?
  4. Perdão pela demora (quase um ano...). Não sei se é necessária uma resposta para fechar o tópico, mas usarei uma mesmo assim. Não consegui contato com minha concessionária de energia. Isso me fez ligar o dane-se e contratar um eletricista pela internet: a pior ideia que tive. O homem sujou meu apartamento, fez um serviço porco na parede do meu quarto (eu tive que rebocar sem nunca ter tido contato com gesso na vida) e ainda me cobrou caro. Teria saído melhor se eu tivesse feito, tendo em vista que li à respeito das normas e especificações de segurança prediais, as quais não foram seguidas pelo carinha que eu contratei. Depois de consertar os erros do "eletricista" e de limpar minha casa, constatei que não há mais choques. Além disso, o filtro de linha da Clamper tem-se mostrado útil ao proteger o que estava conectado. Alguns aparelhos que estavam ligados diretamente à tomada queimaram num surto de tensão, mas meu computador se manteve firme. Está tudo nos conformes após o aterramento.
  5. Muito obrigado por sua resposta. Quanto à instalação, o quadro de energia fica fora do apartamento, segundo meu pai. Não sei se vai ser possível resolver essa questão do aterramento. Vou chamar um técnico credenciado pela Enel aqui pra ver o que pode ser feito.
  6. Boa noite, senhores. Há alguns anos montei um PC para jogos: Processador: AMD Bulldozer FX-8120 3.1ghz 16MB cache (cooler stock) Placa-Mãe: M5A99X EVO R2.0 RAM: 4 GB HyperX Blu 1600 Mhz HDD: Toshiba 500 GB 7200 RPM Placa de Vídeo: GTX 660 Ti Gigabyte Fonte: Cougar CMX 850 V2 Gabinete/: HAF 912 Plus Carcaça Naquela época (setembro de 2014) eu não sabia o que se passava entre a tomada e o computador. Devido à isso, e à escassez de "dilmas", não tive opção senão ligar o PC num Módulo Isolador Estabilizado (MIE) da Microsol de 500W que estava jogado lá em casa. Conseguia jogar meus joguinhos de boas, mas sempre que colocava algo mais "pesadinho" - BF3, The Witcher (1,2), Crysis - percebia umas enganchadas e os famosos "Tlecs". Li um pouco sobre possíveis causas e percebi que: ou minha placa de vídeo estava sendo limitada (provavelmente pelo MIE não fornecer o suficiente para fonte) ou estava faltando memória RAM - não pensei em Bottleneck da CPU. Não tinha dinheiro pra resolver então deixei como estava. Em dezembro de 2015 minha fonte queimou (é de se esperar).Foi um momento dramático, pois tinha juntado por 6-7 anos pra comprar esse computador, e tudo foi inutilizado em alguns segundos. O MIE estava dando "Tlecs" quando eu apertei o botão de ligar. Resultado: a fonte deu um papoco e houve um clarão de luz. Tudo terminou com aquele cheiro característico de eletricidade. O maldito MIE seguiu funcionando... Depois disso o computador ficou juntando poeira por um bom tempo, até que comprei a minha fonte atual em setembro de 2016. Após fazer aquela limpeza de disco, verificar módulos de memória por possíveis erros e, claro, tirar aquela poeira e rearranjar os cabos (fonte não modular ;-;) estava tudo de volta aos conformes, até os problemas de desempenho. Logo, achei melhor procurar uma boa solução de energia: um filtro de linha Energia 8 da Clamper. Pensei que isso iria resolver meus problemas, mas isso criou problemas. Descobri da pior maneira que minha tomada não é aterrada ao tomar um senhor choque do gabinete (nem foi tão ruim assim) enquanto descalço - não tomava choques calçado. Apesar disso, o desempenho melhorou, porém não muito. Com medo dos choques, principalmente por causa de meu irmão mais novo, preferi voltar a utilizar o MIE, mesmo com o risco de queimar outra peça, e, para compensar o desempenho, preferi comprar outro pente de 4 GB. Contudo, não achava em lugar nenhum o mesmo módulo, o que me fez optar por outro similar (frequências, Jedec etc). Após a instalação da memória nova, notei que os problemas de desempenho tinham sumido. Isso me fez esquecer do aparelho ao qual meu computador estava conectado. Em dezembro de 2016 minha placa de vídeo queimou. Apenas três meses depois da instalação da memória e da fonte nova. Há uma semana recebi minha GTX 1050 Ti. Limpei e testei o PC, corrigi os erros do Windows, conectores oxidados da memória RAM - borracha neles!, HD fazendo tlecs (que apareceram misteriosamente e sumiram da mesma maneira) e outros probleminhas. Desta vez não houve problemas de desempenho ou com o sistema. Após a instalação dos drivers da placa de vídeo eu conseguia rodar tudo (ou quase) no máximo, mas fiquei cabreiro com os "Tlecs" do MIE. Esta é minha nova configuração: Processador: AMD Bulldozer FX-8120 3.1ghz 16MB cache (cooler stock) Placa-Mãe: M5A99X EVO R2.0 RAM: 4 GB HyperX Blu 1600 Mhz 4 GB HyperX Fury 1600 Mhz (falta de planejamento) HDD: Toshiba 500 GB 7200 RPM Placa de Vídeo: GTX 1050 Ti Asus Expedition (aquela do Kabum!) Fonte: EVGA 600W 80 Plus Bronze Gabinete/: HAF 912 Plus Carcaça Aprendi com meus erros. Eles custaram MUITO. Por isso, desconectei o computador e vou deixá-lo assim até eu solucionar o seguinte problema: onde eu ligo esse trem sem dar choque ou reduzir a vida útil das peças? Observações: - Ligar direto na tomada oferece riscos de choque no gabinete, bem como no Filtro de Linha; - Moro no Térreo de um apartamento. Só há duas tomadas aterradas: a do chuveiro elétrico e outra do ar-condicionado, ambos distantes do meu quarto; - Não é possível abrir a parede sem correr riscos de lascar a estrutura do prédio; (É o que meu pai diz, mas tenho certeza que a parede é de gesso.) - Meu pai é absolutamente contra eu aterrar essa tomada, mas creio que posso convencê-lo se eu tiver bons argumentos. Além disso, sei bem que o aterramento não é um processo simples; - Não pretendo colocar estabilizador (nem a pau),não encontro módulo isolador com mais de 500W no mercado e não tenho dinheiro pra gastar num No-break "On-line"; - Moro no Ceará: Tensão 220 V; - Minha internet é de fibra óptica, logo não me preocupo com a queima da orta LAN. A única solução é aterrar e usar o Filtro de Linha?

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×