Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

kodo no kami

Membros Juniores
  • Total de itens

    14
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    N/D

Reputação

11

Sobre kodo no kami

  • Data de Nascimento 4 de julho

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    rj
  • Sexo
    Masculino

Meu PC

  • Sistema Operacional
    w7, debian e xubuntu
  • Antivírus
    nenhum

Outros

  • Interesses
    programação, segurança da info, rede, arquiteturas antigas, eletronica e animes
  1. e ae @Eduardo Daltro beleza? Tipo a manipulação das imagem em python é totalmente possivel, existem modulos que permite manipular uma imagem de diversas formas possiveis como pillow (PIL) e o matplotlib. O problema nesse caso é melhorar a qualidade pela resolução, se voce simplesmente ampliar uma imagem ela vai ficar pixelada, isso ocorre porque existe uma quantidade menor de dados/pixels reais para representar aquela imagem como um todo naquela determinada resolução (não tem como advinhar qual o pixel real que deveria realmente esta ali), por outro lado quando diminui uma imagem voce pode melhorar sim a qualidade dela so que voce perde pixel/dados com isso tambem (fora que ta diminuindo ela então vai ficar menor), claro que existem tecnicas usando em computação grafica que pode melhorar a qualidade ate certo ponto (ex: anti-aliasing deixa as bordas mais suaveis sem aqueles dentes pixelados), um pequeno exemplo de como abrir uma imagem e aplicar antialias nela usando o python #!/usr/bin/python from PIL import Image img = Image.open("dragon.png") #exibe ela img.show() #amplia para 800x600 img2 = img.resize((800,600)) img2.show() #amplia com antialiasing img3 = img.resize((800,600),Image.ANTIALIAS) img3.show() resultado seria isso claro que o PIL não se resume apenas a isso, tu pode manipular a imagem de varias formas ate pixel a pixel se quiser
  2. concordo o zerofill é feito para zera os bytes não tem haver necessarimente com a quantidade de vezes, so que dependendo do programa e do uso dele essa quantidade pode variar um pouco, normalmente programas que usam zero fill para limpar o HD de forma segura para evitar a recuperação dos dados fazem isso varias vezes podem ser apenas 3x como recomendado nas normas DoD ou ate mais vezes como um cd de boot que eu esqueci o nome que tinha a opção 650x kkk, tambem poderia ser apenas um setor ou um arquivo especifico não necessarimente o HD inteiro exemplo usando shred daria para fazer isso 1x ou infinitas vezes em um arquivo ou em uma partição, depede muito do programa utilizado
  3. @Marcos FRM pior que existe uma possibildade de causar sim, os HDs podem durar alguns anos so que dependendo da forma que usa ele o tempo de vida pode ser menor do que outros ou maior depende muito daquele HD, no caso do zero fill tu vai sobrescrever nao apenas uma unica vez como em uma formatação normal com aquele formato de partição e os arquivos do OS e sim dezenas e ate centenas de vezes dependendo do programa que faz aquele zero fill, tudo isso em poucas horas coisa que seria feito em meses ou ate anos (ta se a pessoa é um gamer são semanas kkk). Depende muito pode da um badblock em algum setor como pode não dar (sendo que na maioria das vezes não vai dar), so que a chance é bem maior que em uma formatação normal
  4. no caso o zero fill ele sobrescreve o HD byte a byte antes da formatação, normalmente isso é usado para evitar que alguem recupere arquivos removidos do HD, em uma formatação normal ainda fica os bytes dos arquivos anteriores que não foram totalmente sobrescritos pelo novo sistema, com isso é possivel recuperar esses arquivos ou parte deles usando alguns programas (recuva, foremost, sleuthkit e etc), quando voce faz o zero fill tu sobrescreve cada byte do HD de cada setor e trilha inumeras vezes para garantir que o byte que estava ali vai ser sobrescrito. Fazer zero fill pode trazer alguns riscos para o HD ja que vai sobrescrever ele varias vezes então isso pode causar um badblock, fora que isso é desnecessario caso não for vender ou dar ele para alguem, isso não aumenta a velocidade de escrita/leitura do HD so vai fazer voce gasta um pouco mais de tempo na formatação, sobre a BIOS é exatamente como o @Elder Nauvirth respondeu, inclusive se tirar o HD o setup da bios ainda vai continuar abrindo normalmente
  5. talvez chamando o rundll32 com alguma API do windows como SetCursorPos e keybd_event ou ate mesmo SendMessage talvez seja possivel usando o batch porém seria mais simples fazer em alguma linguagem que permita manipular o mouse
  6. depende, normalmente a unica forma de extrair o winrar ou zip criptografado seria por brute force. Tudo depende do tamanho e da complexidade da senha usada podendedo demorar segundos ou decadas. Se a senha for alguma palavra existente em algum dicionario no mundo ou que permita uma combinação de alguns deles, então seria ate mais rápido por um ataque de wordlist. Por outro lado se a senha é composta por numeros e letras com carateres especiais de forma aleatoria, então apenas por brute force que permute caracter a caracter, sendo que isso pode demorar dias, meses ou ate anos depedendo do tamanho dela (uma coisa interessante que a cada novo digito na senha o tempo cresce de uma forma absurda)
  7. voce pode usar o goto e criar um loop e ficar exibindo o time /t, exemplo: @echo off :kodo cls time /t goto kodo: explicando o codigo acima @echo off -> não mostra os comandos digitado so a saida deles :kodo -> é um label para onde vai voltar cls -> limpa a tela para ao ficar mostrando os anteriores time /t -> exibe o tempo goto kodo: -> pula novamente para o :kodo IMPORTANTE: nunca execute programas em loop (trava a maquina) eu recomendaria fazer isso em alguma linguagem, tente baixar o perl ou python tu vai ver que da para fazer muito mais coisas e vai ter uma saida ate mais limpa que em batch, exemplo em perl #!/usr/bin/perl while(1){ ($seg,$min,$hora) = localtime(); print("agora é $hora:$min:$seg\n"); sleep(1); }
  8. E ae Heerkaneqwe13 beleza? no caso ataques de DoS/DDoS é uma parada um pouquinho complicado de se lidar principalmente dependendo da forma que ele é feito, ja que os meios mais efetivos são os mais custosos então muitas vezes nem vale a pena, se o DDoS ta sendo causado por alguma forma de conexao no jogo bastaria limitar a quantidade de conexao naquela porta usando algum firewall ou alguma coisa desse tipo (poderia criar uma especie de login que so conseguiria conecta no jogo de fato se logar naquele sistema, poderia ser uma vpn e cria um token unico para cada maquina com informações unica de cada maquina MAC, informação do hardware e etc), se o DDoS ta sendo causado por consumo de banda ou seja ta sendo gerado um trafego maior que a banda do seu servidor ai complica amigo kkk
  9. não se ele tiver apenas naquele HD, o que pode acontecer é ele modificar algum arquivo e voce armazenar esse arquivo em um pendrive ou algum dispositivo de armazenamento (ou ele infectar o pendrive diretamente tambem é possivel), e depois infectar o novo HD por aquele dispostivo infectado. Alguns malwares pode infectar outros dispositivos não diretamente o computador, por exemplo. Um malware que loga no roteador e modifica o DNS para que quando a vitima conectar nele e receber um IP do roteador tambem receba um DNS do invasor automaticamente pelo DHCP (nesse caso mesmo trocando de HD ou ate mesmo de PC se utilizar o DHCP daquele roteador infectado vai da ruim), depende muito
  10. e ae Yasmim beleza? não é muito complicado construir um desse não, no caso bastaria entrar com a cor normal como uma string e comparar, a primeira cor voce gera o digito equivalente aquela cor multiplicada por 10, exemplo se passar uma string "vermelho" para a primeira cor ele vai atribuir 20 a uma variavel. Quando passar a segunda cor ele vai pegar aquela variavel e somar com o valor equivalente daquela outra cor, exemplo laranja (como a primeira cor no exemplo era vermelho = 20, então basta somar aquele valor com 3 ficando 23). A terceira cor basta multiplicar a variavel pelo valor equivalente (preto = 1, marrom = x10, vermelho x100 ...), então vermelho laranja vermelho acabaria dando 2300 ohms como resultado. para fazer o inverso por exemplo entrar com 1000 e sair marrom preto vermelho, bastaria ler o primeiro e o segundo digito convertendo eles separadamente, se for uma string é ate simples bastando ler eles como caracteres de uma array, por outro lado se a entrada for um numero é um pouco mais complicado ja que teria que fazer algumas divisões ou usar operadores como AND e shift right para ficar apenas o numero desejado, depois que conseguir apenas o numero basta comparar, depois basta contar quantos zeros fora os dois primeiros ou qual o tamanho da string - 2 que seria equivalente ao numero da terceira cor, eu fiz um desse em python uma vez para um bot no discord kkk
  11. E ae Marcos beleza? o codigo do produto pode ser o proprio indice de uma array (poderia por exemplo ter duas arrays sendo que uma guarda o nome do produto e a segunda guarda o preço, o indice vincula as duas arrays pela mesma posição ~ claro poderia ser uma matriz no lugar de uma array). Um exemplo de um pseudo codigo #codigo 0 para as pizza produto_nome[0] = "pizza" produto_preco[0] = 15.00 #codigo 1 para o bolo produto_nome[1] = "bolo" produto_preco[1] = 10.00 #mostrar o bolo no caso codigo 1 id = 1 mostrar(produto_nome[id]) mostrar(produto_preco[id]) sobre parte do maior preço, basta criar duas variaveis (codigo e o preço) e comparar o preço, se o valor atual for maior que o valor na variavel basta atualizar com o novo valor se não mantem. Na parte da media basta criar uma variavel e somar todos valores novos a ela, depois quando terminar tudo basta dividir pela quantidade de valores ^^
  12. Ola Germando beleza? voce pode mudar o alinhamento da imagem no caso o alClient da propriedade align, ele vai assumir o form inteiro ou aquela determinada area redimensionando automaticamente (pode usar um panel para fazer uma separação e tal e assumir o tamanho panel), coloque também true na propriedade stretch da imagem para deixar ela do tamanho exato (talvez os delphis mais recentes tenha mudado um pouco, eu ainda uso o 7 kkkk) tambem é possivel fazer isso no braço redimensionando a imagem conforme for mudado a largura e altura do form é um pouquinho trabalhoso \o
  13. opa @Jasiel beleza? é sempre uma boa jogar os arquivo no virus total para ver o que ele vai nos retornar, o problema que muitas vezes apenas com essa informação retornada pelo V.T. não podemos dizer se é um artefato malicioso ou um simples programa (você pode ter o malware que ate o AV mais fuleiro detecta, se esse malware for passado em um crypter ou algum outro tipo de packer ele fica indetectavel para quase todos ou em todos AV) , nesses casos teria que se feito uma analise mais profunda naquele programa seja ela mais estatica (olhando as strings, dissecando, decompilando etc) ou mais dinamica (olhando os processos e arquivos gerados por ele, as modificações no sistema, conexões de rede, ganchos em funções e etc), e depois disso talvez ficaria mais simples dizer se realmente é um artefato malicioso ou um falso positivo. Uma boa para esse tipo de analise seria uma maquina virtual configurada especificamente para a analise com programas específicos para isso (alguns programas da sisinternal, sysanalyzer, sniffers como wireshark, hijackthis, gmer ou kernel detective, api monitor e etc) , outra opção seria uma sandbox especifica para a analise de mawlare como o cuckoo, tambem existem sites parecidos com o virus total só que são sandboxs que analisa e te retorna um relatório geral como o site da hybrid-analysis (inclusive ele tambem usa o virus total nas analises kkk) ^^ sobre o arquivo, baixei ele la no site e a hash dele com a da imagem do virus total que voce postou é diferente, aqui ta baixando o arquivo tq_ae_ragnarok_br (relatorio: virus total, hybrid-analysis), pela imagem do hybrid ta instalando um trem de mosalopah kkkk, se for possivel upa esse ai
  14. você pode usar o sinal de adição para concatenar duas ou mais strings tambem, ex: program kodo; var nome, sobrenome, completo: string; begin //entra com o nme write('digite o nome: '); readln(nome); //entra com o sobrenome write('digite o sobrenome: '); readln(sobrenome); //concatena em uma nova variavel completo := nome + ' ' + sobrenome; //exibe writeln(completo); end.

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

GRÁTIS: minicurso “Como ganhar dinheiro montando computadores”

Gabriel TorresGabriel Torres, fundador e editor executivo do Clube do Hardware, acaba de lançar um minicurso totalmente gratuito: "Como ganhar dinheiro montando computadores".

Você aprenderá sobre o quanto pode ganhar, como cobrar, como lidar com a concorrência, como se tornar um profissional altamente qualificado e muito mais!

Inscreva-se agora!