Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Faire

Membros Plenos
  • Total de itens

    34
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    N/D
  1. Porque é mais eficiente, o núcleo é sólido e circular, logo um convencional com a mesma força de um toroide teria que ser bem maior.
  2. Sim, é para ligar na rede alternada, e se eu fizesse um toroide adequado para aguentar a potência exigida e filtrasse muito bem o ripple e a tensão ficasse continua, isso vai arretar uma melhoria no áudio? eu sei que não ouço frequências altíssimas mas a mesma entrando no amplificador o afeta mesmo assim ocasionando ruídos (eu já fiz o teste, ligando na bateria de um carro 12,6v não acontece ruído porque a tensão é continua e a qualidade é muito boa (ripple) , já com fonte chaveada a situação muda porque o ripple é alto. Mesmo eu não ouvindo altas frequências gera sujeira no som final.
  3. Acho que não amigo, tente colocar um capacitor de valor alto na saída e verás que a "fonte" entenderás como curto circuito e irá desarmar, esse sistema não é inteligente o suficiente para entender que é um mero capacitor armazenando elétrons. Já com transformador toroidal não terei esse problema, não será enxergado como "curto" ou "surto de corrente". adicionado 2 minutos depois Meu objetivo é alimentar um amplificador classe D com um transformador toroidal unido de capacitores enormes, tipo 25v 47000uf para eliminar o ripple da saída e manter a tensão realmente continua, só que mesmo fazendo isso não sei se irá adiantar ou se seria necessário pular a fonte interna do classe D indo direto para sessão de amplificação.
  4. É que amigo, eu quero evitar mexer com fonte chaveada, principalmente em relação a som, como fonte chaveada não permite capacitores parrudos na saída, tipo 47000uf, não é interessante, pois apresentará um ripple muito grande, consequentemente afetando o som pois 0 60Hz da rede será amplificado e o som ficará todo caggado
  5. 2 hipóteses, se eu não mexer no amplificador, utilizá-lo como está, precisarei confeccionar um toroide que solte 12,6v no secundário e uns 50a (vai ter que usar um fio bem grosso no secundário e muitas espiras no primário provavelmente). 2 maneira seria se eu conseguisse passar pela fonte interna do amplificador, assim eu montaria um toroide com uma tensão mais elevada, exemplo: se na entrada do amplificador classe D entra 12,6v e saí 40v pros falantes, um toroide de 40v ignorando a fonte interna, "fazendo uma ligação direta".
  6. Boa tarde amigos, os amplificadores automotivos trabalham de 12,6v até 14,8v mais ou menos, só que fornece uma tensão muito alta pros falantes, então sabemos que dentro do mesmo existe uma fonte para elevar a tensão de entrada de 12,6v para 40 45 60v dependendo da potência do amplificador. Então será possível passar essa fonte interna, e ai no caso alimentá-lo com uma fonte simples usando um toroide, retificação de onda completa e capacitores bem parrudos para filtrar o ripple, e ai encaixa outra dúvida, se for utilizado um toroide de 12,6v na conexão normal do amplificador e capacitores parrudos teria um filtro anti-ripple muito bom, porém adiantaria? porque após a fonte interna de amplificadores automotivos tem um capacitor mixuruca. Eu abri um da JBL de 400w x 4, após a fonte só tinha 1 capacitor de 4700uf, bem pouco para a quantidade de amperes que utilizas.
  7. Tudo bem kkkk, 3s significa que o pack conterá 3 células 18650 em série e quantas em paralelo a bms aguentar, 15s mesma coisa, 15 18650 em série totalizando 63v
  8. Me desculpe por não explicar muito bem, mas é assim: Uma bms 3s fornecerá na saída 12,6v (com às células 18650 totalmente carregadas), nesse caso eu ligaria a SAÍDA da bms em série com outras 4, resultando na saída 63v. Já para carregar os 5 packs de 18650 faria uma ligação em paralelo na entrada da bms (por onde carrega), assim uma fonte chaveada de 12,6v carregaria todos os packs ao mesmo tempo. Ou se seria melhor usar uma bms de 15s que precisaria de 63v para ser carregada, no caso eu faria um transformador toroidal para carregá-la.
  9. 63v 8a mais ou menos Suponhamos que eu fosse carregar vários packs de baterias ao mesmo tempo (18650), nesse caso utilizando várias bms de 3s. No caso de uma fonte chaveada bastaria a mesma estar em 12,6v, vários packs de baterias com às bms ligado em paralelo (entrada para carregar), logo irá puxar mais corrente mantendo a tensão para carregar todos os packs de uma vez, e a saída dessas bms estariam ligadas em série resultando 63v 12,6v x 5 packs. (para alimentar um motor DC). Ou seria melhor utilizar uma bms de 15s direto dando os mesmos 63v, entretanto teria que construir uma fonte com um toroide por conta de que não se encontra fonte chaveada a 63v. Nesse caso compensaria construir uma fonte chaveada com essa necessidade ou utilizar o esquema de várias bms?
  10. Quero construir um transformador toroidal por ser mais eficiente tendo menos vibração, esquentando menos etc. Encontrei 2 fórmulas porém não sei qual utilizar ou qual está correta em relação ao meio científico. A primeira seria [(OD-ID)*Ht]/2 Segunda: diâmetro de 1 parede do núcleo * altura * 2 Qual fórmula utilizar? A segunda dizem por ai que por conta de ser um toroide se multiplica por 2 dando mais potência por ser mais eficiente.
  11. Sim amigo, só não entendi a relação da constante de 42 em relação a ficar mais tempo ligado, exemplo: Cálculo bem simplificado: 28,5 CM2 de núcleo * pela constante de 42 que você informou: dá 1,47 voltas por volt, multiplicado pela tensão * 220 = 324 espiras no total. No caso, na sua fórmula o valor 42 não é utilizado para calcular a eficiência (o quanto ele poderá ficar ligado), tipo na onde entra esse número, no caso do transformador do microondas é 26 como você informou, na onde entra 42 no lugar de 26?
  12. Entendi, só fiquei com 1 dúvida em relação as fórmulas, na onde entra a constante de 42 que você falou (pra ele ficar ligado bastante tempo).
  13. Entendi amigo, obrigado. Então o certo seria enrolar um transformador do zero? tem algum post com os cálculos necessários para tal feito? Eu fiz em uma calculadora online mas me parece que não deu muito certo.
  14. Utilizando a fórmula VP X NS / VS. Dá uma quantidade de espiras muito alta no primário (fio fino não rola). Seguindo a lógica de que se o primário conter 200 espiras e entrar 220v, se enrolar 400 espiras no secundário me forneceria 110v? O que vai determinar a quantidade de espiras no primário? porque se sigo essa lógica e enrolo um fio AWG bem grosso no primário, tipo 20 ESPIRAS entrando 220v, Logo 1 espira seria suficiente para me fornecer cerca de 11V, isso procede?
  15. Um motor elétrico DC, eu já vi opções como essa no aliexpress que diz aguentar "50, 100a", duvido muito, porque só um diodo de 100a já da o tamanho dessa capsula, não acho muito confiável isso ai não.

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

Aprenda_a_Ler_Resistores_e_Capacitores-capa-3d-newsletter.jpg

EBOOK GRÁTIS!

CLIQUE AQUI E BAIXE AGORA MESMO!