Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Placa-Mãe ASUS A7PRO

       
 78.013 Visualizações    Testes  
 1 comentário

Teste com a placa-mãe ASUS A7PRO, baseada no chipset VIA KT133, para a plataforma soquete 462.

Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

Não poderíamos deixar de testar uma placa-mãe soquete A (isto é, para processadores Duron e Athlon) da ASUS (http://www.asus.com.br). Dessa vez testamos a A7PRO, que utiliza o chipset VIA KT133.

Essa é uma placa-mãe extremamente simples, sendo um modelo baseado na placa-mãe ASUS A7V só que de custo mais baixo. A grande diferença entre a A7PRO e a A7V é a existência, nesta última, de duas portas IDE ATA-100 adicionais, fazendo com que a placa-mãe possua quatro portas IDE. É importante notar que as portas IDE da A7PRO são ATA-66. O áudio on-board é um opcional e não estava disponível na placa que testamos.

A A7PRO traz um slot AGP Pro, que é um slot um pouco maior do que o AGP convencional. Os contatos extras que esse slot possui são de alimentação. Dessa forma, o slot AGP Pro é capaz de fornecer mais corrente elétrica do que o slot AGP tradicional. Como chipsets de vídeo e memórias de vídeo de alto desempenho consomem muita corrente elétrica, esse slot será o preferido para a nova geração de placas de vídeo 3D de alto desempenho.

Mas o que impressiona mesmo ao ver a A7PRO pela primeira vez é o seu circuito regulador de voltagem, que fica soldado em um ângulo de 90 graus sobre a placa-mãe e chama bastante a atenção. Esse circuito não é mera bobagem. Por causa dele, essa placa-mãe traz uma excelente configuração de tensões de alimentação do processador, com inúmeras opções, todas efetuadas através de jumpers. Isso permite uma excelente configuração de overclock, já que geralmente em configurações de overclock mais barra-pesadas precisamos aumentar a tensão de alimentação do processador.

Ela também apresenta um jumper para aumentar a tensão de alimentação do barramento (tensão de I/O), com três possibilidades: 3,31 V, 3,40 V ou 3,56 V. Da mesma forma, o aumento da tensão de alimentação do barramento facilita o overclock.

Essa placa-mãe não nos decepcionou no overclock. Conseguimos colocar o nosso Duron-600 rodando a 666 MHz (clock externo de 111 MHz). Com certeza com um pouco mais de paciência e com uma ventoinha de melhor qualidade conseguiríamos facilmente chegar a um clock muito mais alto. A configuração de clock pode ser feita através de jumpers ou então através do setup.

O manual é muito bem feito e o CD-ROM que acompanha a placa não traz nenhum programa extra (o único é o antivírus PC-Cillin). Um programa da ASUS que vale a pena destacar é o ASUS Probe, que identifica o hardware e monitora o estado das ventoinhas, temperatura e tensão de alimentação da fonte, traçando um gráfico da variação do estado desses itens ao longo do tempo.

 

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Olá pessoal, meu nome é Gardenni e sou técnico em informática. Estou com uma máquina de um cliente com a placa A7PRO com processador Athlon 1000 Mhz, essa máquina veio com o processador danificado e troquei por um Duron 1600 Mhz; só que não estou sabendo configurar as voltagens para esse processador. Tenho o manual já tentei várias opções e a placa mãe só reconhece 1200 Mhz e trava logo após o POST. Gostaria de saber se alguém conhece bem essa placa mãe e se pode me orientar na configuração, posso enviar o manual se precisar, sem mais obrigado.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário







Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×