• Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   13-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware,

      Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:
        Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas ao formulário abaixo:    Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.
FBorges22

Tipos de formatação

27 posts neste tópico

Saudações

Criei esse tópico para sanar a dúvida que muitos usuários no fórum tem à respeito dos tipos de formatações que conhecemos.

Uma breve introdução:

O Disco rígido

O “Hard Disk”, “HD”, “Winchester”, ou simplesmente “Disco Rígido”, é um sistema de armazenamento de alta capacidade que, ao contrário da memória RAM, não perde seus dados quando desligamos o micro, sendo por isso destinado ao armazenamento de arquivos e programas.

Apesar de também ser uma mídia magnética, um HD é muito diferente de um disquete comum, sendo composto por vários discos empilhados que ficam dentro de uma caixa lacrada, pois, como os discos giram a uma velocidade muito alta, qualquer partícula de poeira entre os discos e a cabeça de leitura causaria uma colisão que poderia danificar gravemente o equipamento.

:: Como Funciona um Disco Rígido ::

Dentro do disco rígido, os dados são gravados em discos magnéticos, chamados em Inglês de “Platters”. Estes discos internos são compostos de duas camadas.

A primeira é chamada de substrato, e nada mais é do que um disco metálico, geralmente feito de ligas de alumínio. A fim de permitir o armazenamento de dados, este disco é recoberto por uma segunda camada, agora de material magnético. Os discos são montados em um eixo que por sua vez gira graças a um motor especial.

Para ler e gravar dados no disco, usamos cabeças de leitura eletromagnéticas (heads em Inglês) que são presas a um braço móvel (arm), o que permite o seu acesso a todo o disco. Um dispositivo especial, chamado de atuador, ou “actuator” em Inglês, coordena o movimento das cabeças de leitura.

:: Formatação ::

Para que o sistema operacional seja capaz de gravar e ler dados no disco rígido, é preciso que antes sejam criadas estruturas que permitam gravar os dados de maneira organizada, para que eles possam ser encontrados mais tarde. Este processo é chamado de formatação.

Existem dois tipos de formatação, chamados de formatação física e formatação lógica. A formatação física é feita apenas na fábrica ao final do processo de fabricação, e consiste em dividir o disco virgem em trilhas, setores e cilindros. Estas marcações funcionam como as faixas de uma estrada, permitindo à cabeça de leitura saber em que parte do disco está, e onde ela deve gravar dados. A formatação física é feita apenas uma vez, e não pode ser desfeita ou refeita através de software.

Porém, para que este disco possa ser reconhecido e utilizado pelo sistema operacional, é necessária uma nova formatação, chamada de formatação lógica. Ao contrário da formatação física, a formatação lógica não altera a estrutura física do disco rígido, e pode ser desfeita e refeita quantas vezes for preciso, através do comando FORMAT do DOS por exemplo. O processo de formatação, é quase automático, basta executar o programa formatador que é fornecido junto com o sistema operacional.

Quando um disco é formatado, ele simplesmente é organizado “do jeito” do sistema operacional, preparado para receber dados. A esta organização damos o nome de “sistema de arquivos”. Um sistema de arquivos é um conjunto de estruturas lógicas e de rotinas que permitem ao sistema operacional controlar o acesso ao disco rígido. Diferentes sistemas operacionais usam diferentes sistemas de arquivos.

Os sistemas de arquivos, mais usados atualmente são a FAT16, compatível com o DOS e todas as versões do Windows, e a FAT32, compatível apenas com o Windows 98, Windows 2000

:: Estruturas Lógicas ::

A algumas páginas atrás, disse que a formatação lógica, consiste em gravar algumas estruturas no disco, vamos ver agora que estruturas são estas.

:: Setor de Boot ::

Quando o micro é ligado, o BIOS (um pequeno programa gravado em um chip na placa mãe, que tem a função de “dar a partida no micro”), tentará inicializar o sistema operacional. Independentemente de qual sistema de arquivos você esteja usando, o primeiro setor do disco rígido será reservado para armazenar informações sobre a localização do sistema operacional, que permitem ao BIOS “achá-lo” e iniciar seu carregamento.

No setor de boot é registrado qual sistema operacional está instalado, com qual sistema de arquivos o disco foi formatado e quais arquivos devem ser lidos para inicializar o micro. Um setor é a menor divisão física do disco, e possui sempre 512 bytes. Um cluster é a menor parte reconhecida pelo sistema operacional, e pode ser formado por vários setores.

Um único setor de 512 bytes pode parecer pouco, mas é suficiente para armazenar o registro de boot devido ao seu pequeno tamanho. O setor de boot também é conhecido como “trilha MBR”, “trilha 0”, etc.

:: FAT (File Alocation Table) ::

Depois que o disco rígido foi formatado e dividido em clusters, mais alguns setores são reservados para guardar a FAT (“file alocation table” ou “tabela de alocação de arquivos”). A função da FAT é servir como um índice, armazenando informações sobre cada cluster do disco. Através da FAT, o sistema operacional sabe se uma determinada área do disco está ocupada ou livre, e pode localizar qualquer arquivo armazenado.

Cada vez que um novo arquivo é gravado ou apagado, o sistema operacional altera a FAT, mantendo-a sempre atualizada. A FAT é tão importante, que além da tabela principal, é armazenada também uma cópia de segurança, que é usada sempre que a tabela principal é danificada de alguma maneira.

Uma curiosidade é que, quando formatamos um disco rígido usando o comando Format por exemplo, nenhum dado é apagado, apenas a FAT principal é substituída por uma tabela em branco. Até que sejam reescritos porém, todos os dados continuam lá, apenas inacessíveis.

:: Diretório Raiz ::

Se fossemos comparar um disco rígido com um livro, as páginas seriam os clusters, a FAT serviria como as legendas e numeração das páginas, enquanto o diretório raiz seria o índice, com o nome de cada capítulo e a página onde ele começa.

O diretório raiz ocupa mais alguns setores no disco, logo após os setores ocupados pela FAT. Cada arquivo ou diretório do disco rígido possui uma entrada no diretório raiz, com o nome do arquivo, a extensão, a data quando foi criado ou quando foi feita a última modificação, o tamanho em bytes e o número do cluster onde o arquivo começa.

Um arquivo pequeno pode ser armazenado em um único cluster, enquanto um arquivo grande é “quebrado” e armazenado ocupando vários clusters. Neste caso, haverá no final de cada cluster uma marcação indicando o próximo cluster ocupado pelo arquivo. No último cluster ocupado, temos um código que marca o fim do arquivo.

Quando um arquivo é deletado, simplesmente é removida a sua entrada no diretório raiz, fazendo com que os clusters ocupados por ele pareçam vagos para o sistema operacional. Quando for preciso gravar novos dados, estes serão gravados por cima dos anteriores, como uma fita K7 que é regravada com outra música.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Os dois sistemas de arquivos mais usados atualmente que são o NTFS e o FAT32 veja abaixo:

FAT 32

Uma evolução natural da antiga FAT16, a FAT32, utiliza 28 bits para o endereçamento de cada cluster (apesar do nome sugerir 32 bits), permitindo clusters de apenas 4 KB, mesmo em partições maiores que 2 GB. O tamanho máximo de uma partição com FAT32 é de 2048 Gigabytes (2 Terabytes), o que a torna adequada para os discos de grande capacidade que temos atualmente.

Usando este sistema de arquivos, nossos 10.000 arquivos de texto ocupariam apenas 40 Megabytes, uma economia de espaço considerável. De fato, quando convertemos uma partição em FAT16 para FAT32, é normal conseguirmos de 15 a 30% de diminuição do espaço ocupado no Disco. O problema, é que o outros sistemas operacionais, incluindo o Linux, o OS/2 e o Windows 95 antigo, não são capazes de acessar partições formatadas com FAT32; somente o Windows 95 OSR/2, o Windows 98 e o Windows 2000 o são. O Windows NT 4.0 pode tornar-se compatível com a ajuda de programas desenvolvidos por terceiros, mas não o é nativamente.

Um outro problema é que devido à maior quantidade de clusters à serem gerenciados, a performance do HD deve cair um pouco, em torno de 3 ou 5%, algo imperceptível na prática de qualquer maneira. Ainda assim, caso o seu único sistema operacional seja o Windows 95 OSR/2 ou o Windows 98, é recomendável o uso da FAT32 devido ao suporte a discos de grande capacidade e economia de espaço.

NTFS

O NTFS é um sistema de arquivos de 32 bits usado pelo Windows NT. Nele, não usamos clusters, sendo os setores do disco rígido endereçados diretamente. A vantagem é que cada unidade de alocação possui apenas 512 bytes, sendo quase nenhum o desperdício de espaço em disco. Somente o Windows NT e o Windows 2000 são capazes de entender este formato de arquivos, e a opção de formatar o HD em NTFS é dada durante a instalação.

Apesar do Windows NT funcionar normalmente em partições formatadas com FAT16, é mais recomendável o uso do NTFS, pois além de não desperdiçarmos espaço com os clusters, e termos suporte a discos maiores que 2 Gigabytes, ele oferece também, vários recursos de gerenciamento de disco e de segurança, inexistentes na FAT16 ou FAT32. É possível, por exemplo, compactar isoladamente um determinado diretório do disco e existem várias cópias de segurança da FAT, tornando a possibilidade de perda de dados quase zero. Também existe o recurso de "Hot fix", onde setores danificados são marcados automaticamente, sem a necessidade do uso de utilitários como o Scandisk.

Apesar de também ser compatível com os sistemas Fat 16 e Fat 32 usados pelo Windows 98, o Windows 2000 usa o NTFS como seu sistema de arquivos nativo. O NTFS usado pelo Windows 2000 trouxe algumas melhorias sobre o NTFS do Windows NT, sendo por isso chamado de NTFS 5. Como o Windows 2000 foi construído com base no Windows NT 4, nada mais natural do que continuar usando o mesmo sistema de arquivos, porém, com alguns aperfeiçoamentos como o Suporte ao Active Directory, que pode ser usado em redes baseadas no Windows 2000 Server. Outro recurso enfatizado pela Microsoft é o Encripting File System, que permite criptografar os dados gravados no disco rígido, de modo que apenas o usuário possa acessá-los.

O Windows 2000 quando instalado, converte automaticamente unidades NTFS para NTFS 5, também oferecendo a opção de converter unidades FAT16 ou FAT32, sem perda de dados. As unidades NTFS 5 podem ser acessadas pelo Windows NT, com exceção dos diretórios criptografados. Alguns outros recursos nativos do NTFS 5 também não funcionarão, mas os dados poderão ser acessados sem problemas.

Do ponto de vista de um usuário doméstico, porém, o recurso mais interessante é a possibilidade de compactar pastas ou arquivos individualmente. É possível acessar as pastas compactadas normalmente através no Windows Explorer; o acesso aos dados será um pouco mais lento, mas, usando a partir de um Pentium II 300 provavelmente você nem sinta a diferença.

Para compactar um arquivo ou pasta basta clicar sobre ele com o botão direito do mouse, em seguida “propriedades” e “avançadas”. Basta agora marcar a opção de compactar arquivos para economizar espaço.

Mais informações entre os dois aqui.

Fonte da dica completa

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pequena observação...

"FAT-32->Um outro problema é que devido à maior quantidade de clusters à serem gerenciados, a performance do HD deve cair um pouco, em torno de 3 ou 5%, algo imperceptível na prática de qualquer maneira."

cara, isso e muito pelo contrario, tenho testes de sites muito confiaveis de desempenhos de HD e te provo q ao contrario d q você disse, a FAT-32 por ser mais simples e limitada tem um melhor desempenho do q a NTFS que por ser mais segura tem que fazer muitos mais processos, snedo assim, no ponto d vista d alguns entendedores do assunto o melhor a fazer e formata sua partição do Win XP9ou qualquer um) em FAT-32 pra quem não faz questao d muita segurança pra seus arquivos(como meu caso, que tenho meus arquivos valiosos em outra partição NTFS, ja que quero seurança) em caso d pane, por exemplo, o que e muito difícil d acontecer mas não impossivel....

"NTFS->Somente o Windows NT e o Windows 2000 são capazes de entender este formato de arquivos, e a opção de formatar o HD em NTFS é dada durante a instalação. "

cara, o Win XP tambem trabalha com este tipo d formatação....

"NTFS-> Ampliação, O Windows 2000 quando instalado, converte automaticamente unidades NTFS para NTFS 5, também oferecendo a opção de converter unidades FAT16 ou FAT32, sem perda de dados."

Tambem a como passar d NTFS para FAT-32 sem perder os dados... Mas cuidado, o unico programa confiavel e o Partition Magic....

"NTFS->Do ponto de vista de um usuário doméstico, porém, o recurso mais interessante é a possibilidade de compactar pastas ou arquivos individualmente. É possível acessar as pastas compactadas normalmente através no Windows Explorer; o acesso aos dados será um pouco mais lento, mas, usando a partir de um Pentium II 300 provavelmente você nem sinta a diferença.

Para compactar um arquivo ou pasta basta clicar sobre ele com o botão direito do mouse, em seguida “propriedades” e “avançadas”. Basta agora marcar a opção de compactar arquivos para economizar espaço"

Tome muito cuidado, so faça isso em Emergencias, alto risco d corromper arquivos e queda muito grande de desempenho...

Espero ter ajudado...

Meus Parabens pelo Otimo topico...

Abrassos...

Davi

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Cara valeu por complementar, eu não tinha olhado esses detalhes, uma coisa que eu preciso fazer urgente é um benchmark de desempenho testado o FAT-32, FAT-16 e o NTFS para mostrar essas diferenças de performance.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Postado Originalmente por trindadedavi@03 fev 2005, 01:52

cara, este link de um topico que eu mesmo fiz pode t complementar....

Espeor ter ajudado...

Veja aqui

Abrassos

Davi

è so da uma descindinha na tela q você ira avhar benchmarks com 4 programas diferentes testados em um mesmo pc desfragmentado e etc...

Da uma olha la....

Tem outra coisas interessantes também pra complementar.... :D

Abrassos

Davi

:-BEER

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Aqui está em fim o meu teste de desempenho que realizei com uma partição de 2GB em NTFS, FAT32 e FAT16 realmente o NTFS é o mais lento de todos vejam:

Benchmark of diferent types of partitions

OBS: Teste realizado usando o CrystalMark 0.8 usando as suas configurações padrão.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ola amigo percebi que você entende um pouco mais que eu e estou realmente precisando de ajuda, estou tentando instalar o windows 2000 server em uma máquina e não consigo pois está me dando um erro de ntfs.sys, sempre na hora de copiar os arquivos. A formatação corre sem problemas porém a cópia dos arquivos dá esse erro. A máquina é essa:

ASUS P4V8X-X

PROCESSADOR P4 3.0

HD SATA 160GB

512 MB DDR 400

geforce 5200 128MB

GABINETE DR.HANK COM FILTRO DE LINHA.

POR FAVOR ESPERO CONTATO.

:help:

:cry::chicote:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O Lugar ideal para essa pergunta seria lá no Windows NT/2000 mas tudo bem, eu preciso de mais detalhes sobre esse erro que você está tendo, teria como você me mandar mais detalhes sobre ele? Aí eu consigo ajudar!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Postado Originalmente por FBorges22@14 de fevereiro de 2005, 22:16

O Lugar ideal para essa pergunta seria lá no Windows NT/2000 mas tudo bem, eu preciso de mais detalhes sobre esse erro que você está tendo, teria como você me mandar mais detalhes sobre ele? Aí eu consigo ajudar!

cara, tente testar com outro cd, ja ocorreu erros como este comigo....

Tomara que não seja Hardware, tente usar outro CD mas se não der poste aqui mas com mais detelhes.....

Abrassos...

Davi

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá pessoal,

sou novo no Forum do Clube.. e só espero estar entrando a minha dúvida no tópico certo, qualquer erro por favor me comunicam..

É o seguinte:

ganhei um PC com processador PENTIUM MMX, placa mãe ATC-1020, que estava funcionando normalmente até que pifou o HD de 15Gb que tinha, eu consegui um outro HD de 6 Gb e estou querendo instalar o Windows 98 nele, fiz um disquette boot em um outro PC com Sist. oper. Win XP e a opção que este sistema dá para criar disco boot para Win98. Instalei o "novo" HD no PC e comecei a formata-lo com aquele boot mas durante a formatação, onde fala o tamanho do HD que está sendo formatado, aparece "formatando HD de 2Gb" e assim acaba a formatação mas ele não reconhece o HD como sendo de 6. Ai eu decidí passar o FDISK mesmo assim e acontece que quando pede para "Create DOS Partition or Logical DOS Drive" que dou ENTER na opção [1], i.e.- Create a Primary DOS Partition" (opção default..) o programa diz que não tem capacidade suficiente para criar a partição. (???)

Detalhe: aparentemente este HD já foi particionado em NTFS e não sei se isto traz problema com a formatação que o DOS faz para Win98 (que deveria ser FAT32, FAT16 para este último sistema oper.), caso seja isto, como faço para tirar esta formatação e reformatar ele com FAT32??.

Outro problema é que infelizmente não tenho o Manual da Placa Mãe (provavelmente não existe mais...) e não sei se tenho que atualizar a BIOS quando troco de HD e se não é por isso que não reconhece o tamanho do próprio HD...

Qualquer ajuda, dica, etc.. que possam me providenciar será muito bem-vinda

Abraço,

Raimundo

:help:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

cara, o unico jeito realmente bom e confiavel para passar a formatação NTFS para FAT32 e o partition Magic....

não tenho nenhum link pra t mandar d ond achar este...

Espero ter ajudado...

acho q você não vai ter q atualizar a bios não cara....

Espero ter ajudado..

Abrassos

Davi

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Postado Originalmente por pedro Ernesto Guerra Azevedo@18 de abril de 2005, 09:01

Qual o tipo de formatação para instalação do Windows XP ?

Olha, c eu fosse você, ja que esta querendo saber, leria este topico sobre formatações se quiser mais detalhes, mas os tipos de formatação existentes pra XP e FAT-32 ou NTFS....

Abrassos

Davi

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá amigos,...

Comprei recentemente um HD 120 GB Seagate SATA 7200. Sou um fanático por games, e pretendo desempenho máximo...

Pelo que li, devo instalar o windows XP em FAT32, bem como os games e os programas... Mas os arquivos mais importantes devem estar em uma partição separada, a NTFS...

Tenho aqui sobrando um HD 40 Seagate 5400 sobrando....

Queria que me dessem dicas de como particionar (não o ato de particionar), como o formato das partições e o tamanho da partição em que devo instalar o windows...

Primeiramente pensei em 2 partições..., mas pensei em por mais partições, pois serão 160GB...

Outra coisa, seria importante eu não particionar o meu HD de 120 SATA e deixar apenas o HD antigo como "deposito" em NTFS?

Valeu

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Boa pergunta.

Tenho um 20 GB e um 40 GB.

Até agora o que tive de sugestão foi:

Instalar o sistema operacional em um HD com FAT 32 e no outro HD criar duas partições:

- uma em NTFS para arquivos de usuário;

- uma em FAT 16 (de 2GB) única e exclusivamente para Memória Virtual (arquivo de paginação, swap file, arquivo de troca ou seja lá qual for mais os apelidos que dão para isso).

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Postado Originalmente por ennes@23 de abril de 2005, 01:09

Olá amigos,...

Comprei recentemente um HD 120 GB Seagate SATA 7200. Sou um fanático por games, e pretendo desempenho máximo...

Pelo que li, devo instalar o windows XP em FAT32, bem como os games e os programas... Mas os arquivos mais importantes devem estar em uma partição separada, a NTFS...

Tenho aqui sobrando um HD 40 Seagate 5400 sobrando....

Queria que me dessem dicas de como particionar (não o ato de particionar), como o formato das partições e o tamanho da partição em que devo instalar o windows...

Primeiramente pensei em 2 partições..., mas pensei em por mais partições, pois serão 160GB...

Outra coisa, seria importante eu não particionar o meu HD de 120 SATA e deixar apenas o HD antigo como "deposito" em NTFS?

Valeu

Postado Originalmente por Maurício (Santos)@02 de maio de 2005, 23:08

Boa pergunta.

Tenho um 20 GB e um 40 GB.

Até agora o que tive de sugestão foi:

Instalar o sistema operacional em um HD com FAT 32 e no outro HD criar duas partições:

- uma em NTFS para arquivos de usuário;

- uma em FAT 16 (de 2GB) única e exclusivamente para Memória Virtual (arquivo de paginação, swap file, arquivo de troca ou seja lá qual for mais os apelidos que dão para isso).

Olha, este tópico não é meu mas mesmo assim vou tentar ajudar....

Muricio, se lembrar o que te falei faça ao menos por teste, se não gostar tire...

E ao nosso amigo Ennes, como seu HD de 40GB e 5400rpm as instalações, XP e Page Files não serIA BOM COLOCAR NELE....

Como você mesmo disse, se em 40GB couber todos seus aequivos pessoais, seria bom deixar somente nele, mas se não couber, crie outra partição NTFS no HD de 120 (ultilizando o antigo também em NTFS) do tamanho q quiser....

Crie no começo do disco do HD de 120 a Partição do Windows (FAT-32) , logo depois a partição para seus arquivos pessoais (NTFS) , depois as instalações de jogos e etc, (para não prescizar reistalar tudo apos cada formatação em formato FAT-32), e por ultimo bem no final do disco 2GB para page files (FAT-16)....

Falei nesta ordem pois no final do disco e onde ha maior velocidade de leitura e escrita, pelo fato dss trilhas serem maiores e a cabeça ter que mexer menos....

Espero ter ajudado

Abrassos

Davi

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Postado Originalmente por le0@28 de agosto de 2005, 17:42

como edito uma particao ntfs, sem precisa formata-la e nem destrui-la?

cara....

Leia um pouco antes de postar...

Mas de qualquer forma ai vai...

O único programa confiável pra mexer em espaço em partição sem destruíla seria usando o partition Magic 8.0 ou superior..

Agora como usar o programa? Siga meu exemplo, fuçe com cuidado e aprenda....

Uso muito o 8.0 e nunca me deu problema...

Abrassos

Davi

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Como leigo qual e a diferença entre Disco básico e Disco Dinamico? no meu PC meu HD antigo de 80GB com 2 partições aparece como tipo:Disco básico contudo acabei de instalar um novo HD de 250GB com 4 partições ou volume e este novo HD que e so para dados sem s.operacional aparece como sendo do tipo : Disco Dinamico.Minha duvida e saber qual usar pois a finalidade das 4 partiçõe e para poder formatar somente uma em caso de problemas.Qual usar?:Disco básico ou Dinamico

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Caro "emannuelborges" ... quanto a sua pergunta ... isso é fácil!!

É só você em um terminal digitar como root:

root@1[kurumin]# gparted

Que será aberto o particionador de discos do linux (modo gráfico) ... aí você seleciona o HD ou a partição desejada, clica com o botão direito do mouse e seleciona "Redimensionar/Mover", que vai abrir uma outra tela para permitir que você altere o tamanho da partição atual escolhida para mais ou para menos. Detalhe: para mais ... você terá que se certificar que existe espaço não formatado para o aumento, para menos ... o espaço que sobrar será contado como espaço não formatado.

Depois clica em Redimensionar ... depois clica em Aplicar.

Pronto você já redimensionu o seu HD ou partição do mesmo.

OBS: No momento do redimensionamento aparece a área ocupada pelos arquivos na referida partição, importante não comer parte desta área, pois senão você estará entrando e apagando arquivos durante o redimensionamento.

Se caso você tiver o Windows XP ou outro ... é importante desfragmentar o disco antes, para evitar este tipo de problema na partição do Windows.

Qualquer dúvida ... tamos aí!!!

:palmas: :palmas: :palmas: :palmas: :palmas: :bye::bye::bye:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Saudações

Criei esse tópico para sanar a dúvida que muitos usuários no fórum tem à respeito dos tipos de formatações que conhecemos.

Uma breve introdução:

O Disco rígido

O “Hard Disk”, “HD”, “Winchester”, ou simplesmente “Disco Rígido”, é um sistema de armazenamento de alta capacidade que, ao contrário da memória RAM, não perde seus dados quando desligamos o micro, sendo por isso destinado ao armazenamento de arquivos e programas.

Apesar de também ser uma mídia magnética, um HD é muito diferente de um disquete comum, sendo composto por vários discos empilhados que ficam dentro de uma caixa lacrada, pois, como os discos giram a uma velocidade muito alta, qualquer partícula de poeira entre os discos e a cabeça de leitura causaria uma colisão que poderia danificar gravemente o equipamento.

:: Como Funciona um Disco Rígido ::

Dentro do disco rígido, os dados são gravados em discos magnéticos, chamados em Inglês de “Platters”. Estes discos internos são compostos de duas camadas.

A primeira é chamada de substrato, e nada mais é do que um disco metálico, geralmente feito de ligas de alumínio. A fim de permitir o armazenamento de dados, este disco é recoberto por uma segunda camada, agora de material magnético. Os discos são montados em um eixo que por sua vez gira graças a um motor especial.

Para ler e gravar dados no disco, usamos cabeças de leitura eletromagnéticas (heads em Inglês) que são presas a um braço móvel (arm), o que permite o seu acesso a todo o disco. Um dispositivo especial, chamado de atuador, ou “actuator” em Inglês, coordena o movimento das cabeças de leitura.

:: Formatação ::

Para que o sistema operacional seja capaz de gravar e ler dados no disco rígido, é preciso que antes sejam criadas estruturas que permitam gravar os dados de maneira organizada, para que eles possam ser encontrados mais tarde. Este processo é chamado de formatação.

Existem dois tipos de formatação, chamados de formatação física e formatação lógica. A formatação física é feita apenas na fábrica ao final do processo de fabricação, e consiste em dividir o disco virgem em trilhas, setores e cilindros. Estas marcações funcionam como as faixas de uma estrada, permitindo à cabeça de leitura saber em que parte do disco está, e onde ela deve gravar dados. A formatação física é feita apenas uma vez, e não pode ser desfeita ou refeita através de software.

Porém, para que este disco possa ser reconhecido e utilizado pelo sistema operacional, é necessária uma nova formatação, chamada de formatação lógica. Ao contrário da formatação física, a formatação lógica não altera a estrutura física do disco rígido, e pode ser desfeita e refeita quantas vezes for preciso, através do comando FORMAT do DOS por exemplo. O processo de formatação, é quase automático, basta executar o programa formatador que é fornecido junto com o sistema operacional.

Quando um disco é formatado, ele simplesmente é organizado “do jeito” do sistema operacional, preparado para receber dados. A esta organização damos o nome de “sistema de arquivos”. Um sistema de arquivos é um conjunto de estruturas lógicas e de rotinas que permitem ao sistema operacional controlar o acesso ao disco rígido. Diferentes sistemas operacionais usam diferentes sistemas de arquivos.

Os sistemas de arquivos, mais usados atualmente são a FAT16, compatível com o DOS e todas as versões do Windows, e a FAT32, compatível apenas com o Windows 98, Windows 2000

:: Estruturas Lógicas ::

A algumas páginas atrás, disse que a formatação lógica, consiste em gravar algumas estruturas no disco, vamos ver agora que estruturas são estas.

:: Setor de Boot ::

Quando o micro é ligado, o BIOS (um pequeno programa gravado em um chip na placa mãe, que tem a função de “dar a partida no micro”), tentará inicializar o sistema operacional. Independentemente de qual sistema de arquivos você esteja usando, o primeiro setor do disco rígido será reservado para armazenar informações sobre a localização do sistema operacional, que permitem ao BIOS “achá-lo” e iniciar seu carregamento.

No setor de boot é registrado qual sistema operacional está instalado, com qual sistema de arquivos o disco foi formatado e quais arquivos devem ser lidos para inicializar o micro. Um setor é a menor divisão física do disco, e possui sempre 512 bytes. Um cluster é a menor parte reconhecida pelo sistema operacional, e pode ser formado por vários setores.

Um único setor de 512 bytes pode parecer pouco, mas é suficiente para armazenar o registro de boot devido ao seu pequeno tamanho. O setor de boot também é conhecido como “trilha MBR”, “trilha 0”, etc.

:: FAT (File Alocation Table) ::

Depois que o disco rígido foi formatado e dividido em clusters, mais alguns setores são reservados para guardar a FAT (“file alocation table” ou “tabela de alocação de arquivos”). A função da FAT é servir como um índice, armazenando informações sobre cada cluster do disco. Através da FAT, o sistema operacional sabe se uma determinada área do disco está ocupada ou livre, e pode localizar qualquer arquivo armazenado.

Cada vez que um novo arquivo é gravado ou apagado, o sistema operacional altera a FAT, mantendo-a sempre atualizada. A FAT é tão importante, que além da tabela principal, é armazenada também uma cópia de segurança, que é usada sempre que a tabela principal é danificada de alguma maneira.

Uma curiosidade é que, quando formatamos um disco rígido usando o comando Format por exemplo, nenhum dado é apagado, apenas a FAT principal é substituída por uma tabela em branco. Até que sejam reescritos porém, todos os dados continuam lá, apenas inacessíveis.

:: Diretório Raiz ::

Se fossemos comparar um disco rígido com um livro, as páginas seriam os clusters, a FAT serviria como as legendas e numeração das páginas, enquanto o diretório raiz seria o índice, com o nome de cada capítulo e a página onde ele começa.

O diretório raiz ocupa mais alguns setores no disco, logo após os setores ocupados pela FAT. Cada arquivo ou diretório do disco rígido possui uma entrada no diretório raiz, com o nome do arquivo, a extensão, a data quando foi criado ou quando foi feita a última modificação, o tamanho em bytes e o número do cluster onde o arquivo começa.

Um arquivo pequeno pode ser armazenado em um único cluster, enquanto um arquivo grande é “quebrado” e armazenado ocupando vários clusters. Neste caso, haverá no final de cada cluster uma marcação indicando o próximo cluster ocupado pelo arquivo. No último cluster ocupado, temos um código que marca o fim do arquivo.

Quando um arquivo é deletado, simplesmente é removida a sua entrada no diretório raiz, fazendo com que os clusters ocupados por ele pareçam vagos para o sistema operacional. Quando for preciso gravar novos dados, estes serão gravados por cima dos anteriores, como uma fita K7 que é regravada com outra música.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar agora