Teste da Fonte de Alimentação Coletek LC-8460BTX S de 450 W
09/11/2009 às 22h55min por Gabriel Torres em Energia

Introdução

A Coletek é uma marca nacional voltada ao mercado OEM, ou seja, suas fonte são voltadas a empresas que montam PCs. Eles possuem uma marca separada para produtos voltados ao mercado de varejo, a C3Tech. Testaremos hoje o modelo LC-8460BTX S (que, apesar do nome, é uma fonte ATX e não BTX) que é vendida como sendo uma fonte de 450 W. Será?.

Importante notar que no site do fabricante ele informa que esta fonte possui uma potência real de 200 W, mas esta informação não está presente na caixa ou na etiqueta do produto.

Enquanto que as fontes da C3Tech são fabricadas pela CWT, a Coletek LC-8460BTX S é fabricada pela Solytech. Este fabricante está há séculos no mercado usando vários nomes, tais como L & C Technology, Deer, Apex e Allied. Ou seja, é o mesmo fabricante por trás das fontes da Nilko (Jitek), da MSI, da Satellite e de alguns modelos eXtreme Power Plus da Cooler Master (por exemplo, o modelo de 350 W).

Coletek LC-8460BTX S
Figura 1: Fonte de alimentação Coletek LC-8460BTX S.

Coletek LC-8460BTX S
Figura 2: Fonte de alimentação Coletek LC-8460BTX S.

A Coletek LC-8460BTX S segue o padrão das primeiras fontes de alimentação para gabinetes mini-torre: 14 cm de profundidade, ventoinha de 80-mm em sua parte traseira e baseada na topologia meia-ponte, sem circuito PFC ativo. Ela tem ainda uma tomada para você ligar o monitor de vídeo e desta forma economizar uma tomada em seu estabilizador ou filtro de linha. Tem mais de 10 anos que não víamos este tipo de tomada.

Nenhum dos cabos possui proteção de nylon e todos eles usam fios 20 AWG, que são mais finos do que o recomendado. A reduzida quantidade de cabos corresponde a um produto de baixo custo:

Como você pode ver, esta fonte não possui cabo para alimentar placas de vídeo e com apenas um único conector de alimentação SATA fica difícil de usá-la até mesmo em computadores simples atuais, onde você precisará de dois desses conectores (um para a unidade óptica e outro para o disco rígido). É claro que você tem sempre como alternativa converter um dos plugues de alimentação para periféricos em um plugue SATA através de um adaptador, mas obviamente esta não é a melhor solução.

Os cabos são ridiculamente curtos, medindo apenas 30 cm entre a carcaça da fonte e o primeiro conector do cabo, tornando impossível a instalação desta fonte em gabinetes do tipo “full tower” ou gabinetes torre média onde a fonte fica na parte inferior. Cabos com mais de um conector possuem 15 cm de distância entre os conectores.

Coletek LC-8460BTX S
Figura 3: Cabos.

Vamos agora dar uma olhada no interior desta fonte de alimentação.

Por Dentro da Coletek LC-8460BTX S

Nós decidimos desmontar esta fonte de alimentação para vermos qual projeto e componentes foram utilizados. Leia nosso tutorial Anatomia das Fontes de Alimentação Chaveadas para entender como uma fonte de alimentação trabalha internamente e para comparar esta fonte de alimentação com outras..

Nesta página teremos uma visão geral, enquanto que nas páginas seguintes discutiremos em detalhes a qualidade e as especificações dos componentes usados.

O que vimos logo de cara é que a Coletek LC-8460BTX S de 450 W é baseada no mesmo projeto da Jitek de 250 W.

Coletek LC-8460BTX S
Figura 4: Visão geral.

Coletek LC-8460BTX S
Figura 5: Visão geral.

Coletek LC-8460BTX S
Figura 6: Visão geral.

Estágio de Filtragem de Transientes

Como mencionamos em outros testes, a primeira coisa que gostamos de ver quando abrimos uma fonte de alimentação para termos uma ideia da sua qualidade é o estágio de filtragem de transientes. Os componentes recomendados para esse estágio são duas bobinas de ferrite, dois capacitores cerâmicos (capacitores Y, normalmente azuis), um capacitor de poliéster metalizado (capacitor X) e um varistor (MOV). Em fontes de alimentação genéricas são usados menos componentes do que o recomendado, normalmente removendo o varistor, que é essencial para eliminar picos de energia provenientes da rede elétrica, e a primeira bobina..

Esta fonte tem apenas dois capacitores Y aqui, no mais tradicional esquema “fonte de alimentação genérica”. Curiosamente fontes de baixo custo que testamos recentemente e que não tinham este circuito vinham com local para a instalação dos componentes deste estágio, o que não ocorre com a Coletek LC-8460BTX S.

Coletek LC-8460BTX S
Figura 7: Estágio de filtragem de transientes.

Por falar em curiosidade, na Figura 7 você pode ver a marcação do tipo de fusível na placa de circuito impresso da fonte. Todas as fontes trazem esta informação. Mas o curioso aqui é que a marcação indica que para uma fonte de 150 a 200 W um fusível de 5 A deve ser usado e para uma fonte de 230 a 300 W um fusível de 6,3 A deve ser usado. Como esta fonte usa um fusível de 6,3 A, estamos diante de uma fonte entre 230 e 300 W, de acordo com a própria marcação existente na placa de circuito impresso da mesma. Como o fabricante consegue transformar isso em 450 W na etiqueta da fonte é uma mágica que nem Mr. M consegue explicar.

Agora vamos ter uma discussão mais detalhada a respeito dos componentes usados na Coletek LC-8460BTX S.

Análise do Primário

Vamos agora dar uma olhada em profundidade no primário da Coletek LC-8460BTX S. Para uma melhor compreensão do que iremos falar aqui, sugerimos a leitura do nosso tutorial Anatomia das Fontes de Alimentação Chaveadas..

Em vez de usar uma ponte de retificação “pronta”, esta fonte usa quatro diodos 2A05, cada um aguentando no máximo 2 A a 55° C, que é um limite baixo para uma fonte rotulada como sendo de 450 W: esta fonte seria em teoria capaz de extrair até  230 W em uma rede elétrica de 115 V; assumindo uma eficiência de 80%, esta ponte permitiria que esta fonte fornecesse somente até 184 W sem a queima dos diodos. Aqui já dá para ver que esta fonte não tem como ser um produto de 450 W. O ridículo aqui é que a fonte Jitek de 250 W usa componentes com o dobro da capacidade.

Coletek LC-8460BTX S
Figura 8: Ponte de retificação.

A Coletek LC-8460BTX S usa dois transistores de potência NPN marcados como “D4206” (assumimos serem transistores 2SD4206) em sua seção de chaveamento usando um projeto de meia-ponte. Infelizmente não encontramos o documento técnico com as especificações destes transistores.

Coletek LC-8460BTX S
Figura 9: Transistores chaveadores (o transistor da esquerda é responsável pela fonte standby/+5VSB).

Os transistores chaveadores são controlados por um circuito integrado ATX2005 (marca registrada das fontes Solytech), que está fisicamente localizado no secundário.

Coletek LC-8460BTX S
Figura 10: Controlador PWM.

Vamos agora dar uma olhada no secundário desta fonte de alimentação.

Análise do Secundário

A corrente máxima teórica que cada linha pode fornecer é dada pela fórmula I / (1 - D), onde D é o ciclo de trabalho usado e I é a corrente máxima suportada pelo diodo de retificação. Como esta fonte usa o projeto meia-ponte, o ciclo de trabalho é de 50%, ou seja, basta somar a corrente máxima de todos os diodos de cada saída..

A saída de +12 V é produzida por dois diodos PR3002 em vez de usar um único componente retificador contendo dois diodos dentro. Sem brincadeira, tem mais de 15 anos que não vemos este tipo de configuração! Cada um desses diodos suporta até 3 A a 90° C, portanto a saída de +12 V tem um limite máximo teórico de 6 A ou 72 W. Sim, você leu certo! Esses diodos são do tipo “rápido” e não do tipo “Schottky”, o que quer dizer que eles possuem uma alta queda de tensão (1,2 V no caso desses modelos), o que faz com que eles consumam muito durante sua operação fazendo, portanto, que a fonte ofereça menor eficiência.

A saída de +5 V usa um retificador Schottky S16C45C, possuindo uma corrente máxima de 16 A (8 A por diodo interno a 125° C, queda de tensão máxima de 0,55 V). Isso nos dá uma potência máxima teórica de 80 W para a saída de +5 V.

A saída de +3,3 V usa um retificador Schottky S10C45C, dando uma potência máxima teórica de 33 W para a saída de +3,3 V.

Aqui o fabricante usou sua varinha mágica para fazer com que uma potência máxima teórica de 185 W (72 W + 80 W + 33 W) se transformasse em 435 W na etiqueta da fonte. O mais ridículo é que a Jitek de 250 W, que é uma fonte baseada no mesmo projeto interno da Coletek LC-8460BTX S de “450 W”, usa componentes mais “parrudos” e é rotulada com uma potência nominal muito inferior.

Coletek LC-8460BTX S
Figura 11: Retificadores de +3,3 V, de +12 V e de +5 V.

O circuito integrado ATX2005, apresentado na Figura 10, além de ser o controlador PWM monitora também as saídas da fonte, suportando apenas as proteções contra subtensão (UVP) e sobretensão (OVP).

Todos os capacitores desta fonte de alimentação são chineses, como era de se esperar.

Distribuição da Potência

Na Figura 12 você pode rever a etiqueta contendo todas as especificações de potência desta fonte..

Coletek LC-8460BTX S
Figura 12: Etiqueta da fonte de alimentação.

De acordo com a etiqueta esta fonte tem dois barramentos de +12 V, mas como internamente esta fonte não tem circuito de proteção contra sobrecarga de corrente (OCP), esta fonte tem na realidade apenas um único barramento de +12 V. O que diferencia uma fonte de um barramento para outra com vários barramentos é a existência de mais de um circuito OCP (cada grupo de fios monitorado por um circuito OCP individual é chamado "barramento").

Vamos agora ver o quanto esta fonte pode realmente fornecer.

Testes de Carga

Nós fizemos vários testes com esta fonte de alimentação, conforme descrito em nosso artigo Nossa Metodologia de Testes de Fontes de Alimentação..

Primeiro nós testamos esta fonte com cinco padrões diferentes de carga, tentando extrair em torno de 20%, 40%, 60%, 80% e 100% da sua capacidade máxima rotulada (na linha “% Carga Máx” nós listamos a porcentagem usada), observando como a fonte testada se comportava em cada carga. Na tabela abaixo nós listamos os padrões de carga e os respectivos resultados.

Se você somar todas as potências listadas para cada teste você pode encontrar um valor diferente do que publicamos na linha “Total” abaixo. Como cada saída pode ter uma pequena variação (por exemplo, a saída de +5V trabalhando a 5,10 V) a quantidade total de potência sendo fornecida é um pouco diferente do valor calculado. Na linha “Total” estamos usando a quantidade real de potência sendo fornecida, medida pelo nosso testador de carga.

+12V1 e +12V2 são as entradas independentes de +12 V do nosso testador de carga e como esta fonte só possui um único barramento ambas foram conectadas ao único barramento existente. A entrada +12V2 foi ligada ao conector ATX12V enquanto todos os demais conectores foram ligados à entrada +12V1 do nosso testador.

Nós resolvemos testar esta fonte de uma maneira um pouco diferente da habitual. Sendo um produto de baixo custo, desconfiávamos que ela não poderia entregar sua potência rotulada. Com isso, resolvemos testá-la com mais padrões de carga do que o habitual, começando em 75 W e subindo a potência em incrementos de 25 W até vermos o máximo que esta fonte poderia entregar sem queimar.

Entrada

Teste 1

Teste 2

Teste 3

Teste 4

Teste 5

Teste 6

+12V1

2,5 A (30 W)

3,5 A (42 W)

4,5 A (54 W)

5,5 A (66 W)

6,5 A (78 W)

7,5 A (90 W)

+12V2

2 A (24 W)

3 A (36 W)

4 A (48 W)

5 A (60 W)

6 A (72 W)

7 A (84 W)

+5 V

1,5 A (7,5 W)

1,5 A (7,5 W)

1,5 A (7,5 W)

1,5 A (7,5 W)

1,5 A (7,5 W)

2 A (10 W)

+3,3 V

1 A (3,3 W)

1 A (3,3 W)

1,5 A (4,95 W)

1,5 A (4,95 W)

2 A (6,6 W)

1,5 A (4,95 W)

+5VSB

1 A (5 W)

1 A (5 W)

1 A (5 W)

1 A (5 W)

1 A (5 W)

1 A (5 W)

-12 V

0,5 A (6 W)

0,5 A (6 W)

0,5 A (6 W)

0,5 A (6 W)

0,5 A (6 W)

0,5 A (6 W)

Total

74,6 W

103,4 W

122,1 W

144,6 W

168,3 W

191,4 W

% Carga Máx.

16,6%

23,0%

27,1%

32,1%

37,4%

42,5%

Temp. Ambiente

42,2° C

42,0° C

42,4° C

43,5° C

45,6° C

46,3° C

Temp. Fonte

44,8° C

45,3° C

46,6° C

48,1° C

50,8° C

53,0° C

Estabilidade da Tensão

Aprovada

Aprovada

Aprovada

Aprovada

Aprovada

Aprovada

Oscilação e Ruído

Reprovada em +5 V e +5VSB

Reprovada em +5 V e +5VSB

Reprovada em +5 V e +5VSB

Reprovada em +5 V e +5VSB

Reprovada em +5 V e +5VSB

Reprovada em +5 V e +5VSB

Potência CA

104,1 W

141,2 W

167,2 W

199,6 W

237,1 W

277,6 W

Eficiência

71,7%

73,2%

73,0%

72,4%

71,0%

68,9%

Tensão CA

114,9 V

114,5 V

114,7 V

113,7 V

112,9 V

114,1 V

Fator de Potência

0,625

0,662

0,623

0,620

0,621

0,626

Resultado Final

Reprovada

Reprovada

Reprovada

Reprovada

Reprovada

Reprovada

A Coletek LC-8460BTX S queimou quando tentamos puxar cerca de 225 W dela (o que seria o nosso teste número sete). Portanto o máximo que conseguimos puxar dela foi cerca de 190 W (o que seria nosso teste de 200 W). Mais informações e vídeo na próxima página.

Como você pode ver, a eficiência esteve muito baixa o tempo inteiro, beirando os 70%, caindo abaixo de 70% durante o teste seis com a fonte entregando cerca de 190 W.

As tensões estiveram dentro da faixa de operação permitida.

O problema mais sério da LC-8460BTX S é o alto nível de oscilação e ruído, que nas saídas +5 V e +5VSB estiveram sempre acima do máximo permitido: entre 58,2 mV e 80,2 mV e entre 53,8 mV e 59,2 mV, respectivamente (o máximo permitido é 50 mV). Na saída +3,3 V o ruído esteve alto o tempo inteiro (entre 45,2 mV e 48,6 mV), mas ainda abaixo do limite de 50 mV. O ruído na saída +12 V esteve entre 71,2 mV e 93,6 mV (o máximo permitido é 120 mV). Todos esses números são valores de pico-a-pico.

A Queima

No vídeo abaixo você pode ver o que aconteceu quando tentamos puxar cerca de 225 W desta fonte de alimentação (veja ela queimando por volta dos 55 segundos)..

Após desmontarmos a fonte vimos que o componente que queimou foi um dos diodos retificadores de +12 V. Importante notar que só desmontamos a fonte após testarmos a fonte (para garantir que o processo de desmontagem e remontagem da fonte não interferirá com os resultados) e com isso não tínhamos noção que esta fonte usava dois diodos de apenas 3 A. Nós seguimos o que estava escrito na etiqueta, que diz que esta fonte segura até 30 A na saída de +12 V.

Principais Especificações

As principais características técnicas da Coletek LC-8460BTX S incluem:.

Conclusões

A Coletek LC-8460BTX S de 450 W usa o mesmo projeto interno da Jitek de 250 W, mas com um detalhe interessante: ela usa componentes de menor capacidade..

Em nossos testes a LC-8460BTX S queimou quando tentamos puxar 225 W dela. O fabricante informa em seu site que esta fonte possui uma potência real de 200 W, o que vimos ser verdade. O problema é que esta informação não está presente na caixa ou na etiqueta do produto e acreditamos que apenas uma pequena parcela dos consumidores irá ver as especificações presentes no site do fabricante antes de comprar esta fonte.

Tanto a caixa do produto quanto a etiqueta apresentam informações que não correspondem à verdade. Por exemplo, “circuito de alta tecnologia” (o projeto usado é considerado obsoleto para os padrões atuais), “excelente desempenho e eficiência” (a eficiência desta fonte é muito ruim, na faixa dos 70%), “baixa oscilação de energia” (a fonte falhou neste quesito em todos os testes nas saídas +5 V e +5VSB) e “indústria brasileira” (na etiqueta da fonte diz que ela foi fabricada na China). Além, é claro, da informação falsa de que esta fonte tem dois barramentos virtuais (ela só tem um) e a etiqueta com valores máximos de corrente e potência que não são verdadeiros.

É claro que não podemos esperar muito de uma das fontes mais baratas do mercado (R$ 44), mas o fabricante poderia ajudar a melhorar a qualidade do mercado brasileiro não publicando informações fantasiosas a respeito de seu produto.

Infelizmente no Brasil fabricantes induzem consumidores ao erro e ficam impunes. Enquanto o governo não faz nada, fazemos nós, alertando usuários sobre as verdadeiras características do produto que ele está levando para casa.

No caso desta fonte, o selo “Bomba” está sendo dado pelo alto nível de oscilação e ruído, fora das especificações, que sobrecarga os capacitores presentes no computador e pode levar o computador a um funcionamento errático.

Originalmente em http://www.clubedohardware.com.br/artigos/Teste-da-Fonte-de-Alimentacao-Coletek-LC-8460BTX-S-de-450-W/1818

© 1996-2014, Clube do Hardware - Todos os direitos reservados.

É expressamente proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo e dos textos disponíveis no site principal (http://www.clubedohardware.com.br), no fórum de discussões (http://forum.clubedohardware.com.br), no boletim de notícias enviado por e-mail e em nas nossas páginas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.), seja através de mídia eletrônica, impressa ou qualquer outra forma de distribuição, mesmo citando a fonte e colocando link para o artigo original. Os infratores serão indiciados e punidos com base nas leis nº 9.610 de 19/02/1998 (Brasil), Digital Millenium Copyright Act (DMCA) (EUA) e diretiva 2001/29/EC (União Européia).

Não nos responsabilizamos por danos materiais e/ou morais de qualquer espécie promovidos pelo uso das informações contidas em nosso site, em nosso fórum de discussões, em nosso boletim de notícias ou em publicações feitas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.).

Opiniões emitidas por usuários e moderadores não necessariamente refletem a opinião do Clube do Hardware e de sua direção.

Ao acessar o nosso site ou nossa página em redes sociais, você está ciente e concorda com os termos acima.