Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.

Anchluss

Membros Plenos
  • Total de itens

    743
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%

Tudo que Anchluss postou

  1. Estou com o mesmo problema. Eis a imagem do HDTune: Meu Hd já era mesmo?
  2. Pessoal estou vendo que ainda há pessoas com dúvidas com relação ao Serial ATA ou SATA então ai alguns detalhes: Introdução Do mesmo modo que a interface paralela IEEE 1284 , vulgarmente conhecida como porta de impressora, perdeu espaço para os novos padrões seriais como USB e FireWire como padrão de comunicação entre dispositivos externos, chegou a vez da interface IDE ATA abrir espaço para seu sucessor, o novo padrão Serial ATA , ou simplesmente SATA . A primeira aplicação prática dessa tecnologia, interligando um disco rígido da Seagate a um PC, foi apresentada no início de 2002 durante o Intel Developers Forum (IDF) em San Jose, Califórnia. Numa época em que o ritmo de atualização de certos componentes de um computador, como placas de vídeo, processadores e memórias, são medidos em meses é impressionante saber que a interface IDE ATA tem mais de 20 anos de idade . Entretanto, é tempo de olhar para um futuro no qual os bits de dados irão trafegar em fila e não mais lado a lado. Os computadores comunicam-se com periféricos através de "interfaces" ou "portas". Há dois tipos: paralela e serial. Nas portas paralelas os dados fluem byte a byte entre o micro e o periférico. Como um byte é formado por oito bits, micro e dispositivo são ligados por cabos com pelo menos oito condutores, um para cada bit (condutores adicionais para aterramento, alimentação e outras finalidades elevam para 25 o número de vias dos cabos chatos usados nas portas paralelas padrão). Já nas portas seriais os dados fluem bit a bit, um após o outro. Na origem, cada byte é "desmontado" (ou "serializado") e os bits que o formam são transmitidos seqüencialmente. No destino, são recebidos e "remontados" (ou "desserializados") para reconstituir o byte original. Para isso bastam dois condutores: um para transportar os bits, outro para funcionar como terra (também aqui há condutores auxiliares, e as interfaces seriais padrão usam cabos com nove condutores). Agora responda rápido: qual delas transporta dados mais rapidamente? Ele lembra que isso era válido nos anos 70, quando a eletrônica moderna ainda estava nos primeiros anos de vida. Os principais meios de transmissão atuais são seriais, como as redes Ethernet, as interfaces USB e a Firewire. Porque o Serial ATA? O problema é que a ATA já está na praça há mais de dez anos e nessa indústria isso é uma eternidade. Resultado: por mais hercúleos que tenham sido os esforços para acompanhar a evolução dos demais componentes (inclusive e principalmente a CPU), o descompasso é evidente. E olhe que a evolução foi grande: começou com a ATA 33, que elevou a taxa de transferência de dados para 33 MB/s, passou a aceitar novos dispositivos, como drives de CD e fitas, evoluiu para ATA 66, ATA 100 e recentemente a ATA 133, com taxa de transferência máxima de 133 MB/s. Mas o mercado quer mais e a ATA não pode ir muito além. Ao que parece ela chegou ao fim da linha. Nas transmissões seriais não há esse problema, já que não existem bits 'vizinhos'. No caso do Serial ATA, os cabos mais estreitos permitem um gabinete mais arejado, contribuindo assim para a queda da temperatura interna do sistema. O Que é Serial ATA? Mas afinal, o que é o padrão SATA e porque adotou a transmissão serial? Bem, a transmissão paralela efetivamente é mais rápida, mas tem lá seus inconvenientes: necessidade de sincronia na transmissão dos oito bits de um byte, cabos mais pesados e sujeitos a interferências, hardware mais caro. E a evolução da capacidade do processamento não somente aumentou a freqüência dos barramentos (rapidez com que os pulsos que transportam os dados fluem através dos condutores) como também tornou a serialização e desserialização muito mais rápidas. Por isso a tendência agora são as ligações seriais. O padrão Serial ATA é resultante de uma iniciativa da Intel com mais 67 empresas, entre elas fabricantes de discos, computadores e componentes, e nasceu da visão de que as próximas arquiteturas de computadores não serão compatíveis com os atuais padrões de comunicação e consumo de energia . Para efeito de comparação, imagine que os sinais utilizados na atual interface IDE/ATA funcionam com 3.3 volts (5V até o ATA33) enquanto as novas especificações (SATA) trabalham em tensões na faixa de 250 mV . Com o uso de um novo algoritmo de comunicação serial e de um simples cabo de quatro vias , cujo diâmetro não é maior que um cadarço de tênis, será possível elevar o teto máximo de transmissão de dados inicialmente para 150 MB/s e, mais à frente, para 300 MB/s e até 600 MB/s com SATA. Diagrama: Serial ATA vs. Parallel ATA. Diferente dos atuais padrões IDE/ATA e SCSI, as conexões são ponto a ponto, capazes de suportar elevadas taxas de transmissão e recepção de dados. O objetivo é que os futuros computadores sejam equipados com o menor número de pinos possíveis (reduzindo custos) e com a maior largura de banda em cada uma das interfaces. O padrão IDE/ATA possui algumas limitações que o mantiveram fora de certos segmentos de mercado como o de servidores , que ainda preferem o bom e velho padrão SCSI, não apenas por causa da maior largura de banda, confiabilidade e menor tempo de acesso, mas pelo fato de o padrão IDE/ATA ser uma interface pouco flexível não permitindo, por exemplo, a troca de um periférico com o computador ligado, o que é chamado de hot-swap . Esse problema será resolvido no SATA com o auxílio do sistema operacional. O procedimento de troca será semelhante ao que acontece hoje quando retiramos um cartão PCMCIA de um notebook: utiliza-se um applet que desativa o dispositivo por software, permitindo sua remoção segura. Por essas características, os dispositivos compatíveis com o novo barramento também serão totalmente "plug and play", podendo ser configurados por software. O SATA incorporará esses recursos a um preço mais acessível, além de oferecer um sistema de verificação de dados mais eficiente de modo a torná-lo mais confiável. Taxa de transf. PATA= 133 MB/S Taxa de transf. SATA= 600 MB/S Para transportar dados, em vez do tradicional cabo chato de 80 vias e cinco centímetros de largura da ATA, o cabo SATA tem apenas quatro condutores: um par para transmissão, outro para recepção. Isso reduz sua largura para pouco mais de cinco milímetros. O comprimento máximo permitido também aumenta para cerca de um metro (o ATA está limitado a menos da metade disso). Sendo mais fino, flexível e longo, o cabo SATA pode se acomodar junto às paredes do gabinete sem obstruir o fluxo de ar das ventoinhas, evitando o superaquecimento do microprocessador, um fator importante nos dias atuais. E olhe que tudo isso são características da versão 1.0 do padrão, liberada semana passada. Mas o grupo de trabalho não está dormindo: já está em desenvolvimento a versão 2.0, muito mais rápida (a taxa máxima ainda não foi definida, mas seguramente será bem maior que o limite de 600 Mbytes/s da versão 1.0), que virá à luz antes do final do ano. Em suma: o padrão SATA é mais rápido, suporta maiores capacidades, é mais simples e (dentro de algum tempo será) tão ou mais barato que o atual ATA. E logo invadirá o mercado. Portanto, é só uma questão de tempo. As vantagens do Serial ATA A primeira versão do SATA atinge o mercado de desktops, incluindo as seguintes melhorias: SATA I escreveu: » aumento da velocidade; inicialmente 150MB/seg; » cabos mais finos e de fácil manuseio; » redução no consumo de energia; » um único e auto-configurável drive por cabo; não há mais necessidade de se configurar o drive como master/slave (jumperfree); Cyclic Redundancy Checking (CRC): Detecção de erro O CRC foi introduzido originalmente com a tecnologia Ultra160 (SCSI) a fim de garantir a integridade dos dados. Este provavelmente é o maior benefício do SATA. Estatisticamente, a eficácia do CRC na descoberta de um erro é tal que numa transferência de 100 MB/sec constantes, um erro triplo passaria despercebido pelo esquema de descoberta a cada 4.7 * 10^18 anos, o equivalente a 1 milhão de vezes o tempo de existência do nosso sistema solar. Tagged Command Queing (TCQ) TCQ é a capacidade do próprio drive tomar decisões inteligentes quanto à forma (ordem) mais econômica de executar as tarefas. O principio por traz do TCQ é que o próprio dispositivo, isto é, o drive, seja capaz de tomar decisões inteligentes sobre qual ordem ler os dados nos pratos. Sem o TCQ, as cabeças precisam ?saltar? todos os pratos para acessar os dados. Com TCQ, o drive pode determinar, basendo-se na posição da cabeça, qual é o caminho mais curto, para acessar a informação, procurando movimentar o mínimo possível a cabeça de leitura. Dispositivos SATA podem incorporar o TCQ, apesar de que só será obrigatória a implementação no SATA II. Os Cabos... Em termos práticos, outra grande vantagem do Serial ATA é o fim da confusão de fios e cabos dentro do computador. Nos dias de hoje, os flat cables mais comuns (na forma de fita) são pouco flexíveis e quando mal posicionados no interior do gabinete (quando não socados para dentro como numa mala cheia de roupas), além de bloquear o acesso aos componentes da placa-mãe, ainda podem dificultar a circulação de ar no interior do gabinete, aumentando a temperatura interna do sistema. Além disso, com a eliminação dos flat cables, os projetistas de hardware terão liberdade para desenvolver novos tipos de gabinetes cujo desenho seria impossível com os uso dos cabos convencionais. Uma das preocupações do grupo de desenvolvimento do Serial ATA é que o processo de transição da velha tecnologia para a nova seja a menos traumática possível. A princípio, a implementação da interface será feita por meio de placas de expansão e os discos rígidos convencionais poderão ser usados com adaptadores. Empresas como a HighPoint Technologies já dispõem de uma linha completa de chipsets para interfaces padrão SATA que estão sendo montadas em placas PCI ou diretamente nas placas-mãe mais recentes do mercado. Existirão adaptadores que serão instalados na porta de comunicação de um disco padrão IDE/ATA de modo que ele possa trabalhar com SATA. Com esse novo padrão, deixarão de existir os conceitos de unidades primária e secundária ligadas no mesmo barramento. Apesar disso, acredita-se que, mais por hábito do que por necessidade, o SATA terá quatro conexões para acomodar o mesmo número de periféricos que a atual interface. Vale a pena observar também que, ao contrário de outros padrões emergentes como o USB 2.0 ou IEEE 1394, as aplicações do SATA estarão restritas aos dispositivos de armazenamento, não havendo intenções de expandir seu uso para outros equipamentos externos, como scanners e câmeras de vídeo. O Futuro da Tecnologia O SATA mal chegou ao mercado e o consórcio de empresas que apóiam essa iniciativa já anunciou novas especificações chamadas Serial ATA II (2004) e III (2007) que deverão oferecer larguras de banda de até 300 MB/s e 600 MB/s, números impressionantes se levarmos em consideração que o atual padrão IDE/ATA está em torno de 100 e 133 MB/s. Obviamente, a tecnologia de disco rígido também deverá evoluir consideravelmente para acompanhar tamanha velocidade. Do lado o computador, o SATA II e III irão trabalhar com o suporte de um novo tipo de barramento de dados que deverá suceder o PCI ? o PCI Express (conhecido antes como 3GIO), que será capaz de trabalhar com tamanho tráfego de informações. Seguindo o exemplo do SATA, o padrão SCSI também tenderá a se tornar um padrão serial: conhecido como Serial Attached SCSI (SAS) ele começará funcionando a uma velocidade de 300 MB/s, podendo chegar posteriormente a 600 MB/s. No futuro, a tecnologia SATA também deverá chegar aos notebooks, já que o uso de cabos mais finos facilitará os projetos de portáteis. A empresa Molex já anunciou a expansão de sua linha de conectores SATA para uso em notebooks e servidores, nenhuma empresa faz isso por acaso. Fonte: Guia do Hardware Pessoal espero que tenham gostado e estou as ordens. Falou, Abraços!!
  3. Olá pessoal, Eu estou com um PC da Semp Toshiba Modelo: ES 1592 G 1283 2010. Coloquei o Windows Vista Ultimate nele, mas não acho os drivers da placa de vídeo. Por meio do everest tem-se que: Placa mãe: MSI P4M890M3-V E a placa de vídeo é: Via/S3G UniChrome PRO IGP. Já entrei no site da S3G: http://www.s3graphics.com/en/resources/drivers/index.jsp E no da Via Arena, mas achei achei drivers compatíveis. Também já entrei na área de download da Toshiba: http://www.suporte-semptoshiba.com.br/downloads/index.asp E também não encontrei. Desde já agradeço. Até mais.
  4. Alguém sabe como? Quais são os cabos que eu preciso comprar? Tem de fazer algum ajuste?
  5. Pessoal, Quero instalar o Vista em meu computador, mas quando tento fazê-lo me deparo com os seguintes erros: Ao tentar por meio do Windows que já está aqui eu recebo esta mensagem: http://img148.imageshack.us/img148/9854/errovistabl3.jpg Não sei o que é Windows PE. E se eu reinicio o PC e dou boot pelo DVD de instalação recebo esta: http://img151.imageshack.us/img151/6209/errovista2uy4.jpg Já atualizei o BIOS, e não instalei nenhum hardware ou sofware novos, além desse erro ocorrer mesmo em um hd recém-formatado. Além disso, a única função parecida com a parte grifada na imagem é "Video BIOS shadow" que eu já desativei e mesmo assim nada. Verifiquei as memórias e elas estão em bom estado. Alguém sabe de mais algo que eu possa fazer? Meu PC: Até mais.
  6. Não, meus problemas não acabarão formatando por que eu já o fiz. Eu quero ir pro Vista de vez, mas se eu formato e tento instalar ele dá o erro que está no segundo link e se eu enteto instalar por cima do XP, com o XP ligado, ele me dá o erro do primeiro link.
  7. Não dá para eu estar pentes de outras marcas. Todos os que eu conheço tem pentes Samsung. Eu peguei outro pente Samsung por aqui e nada. Se você estiver certo e minha memória for incompatível, então sem chance de por o Vista.
  8. Criei esse tópico com o objetivo de fazer uma lista de bons freewares para Windows, essecialmente para ajudar a maioria dos usuários a se acharem no meio de tantas opções que circulam pela internet. Quem quiser contribuir, fique à vontade! Anti-Spyware / Anti-SPAM AdAware: http://www.lavasoftusa.com/ Anti-Spy 1.7: http://www.velasco.com.br/ Mailwasher: http://www.mailwasher.net/ Spyboot: http://www.spybot.info/index.php?lang=br&page=download Spyware Blaster: http://www.wilderssecurity.net/spywareblaster.html Anti-vírus avast! Home Edition: http://www.avast.com/cgi-bin/redir4.pl?/setupeng.exe AVG: http://www.grisoft.com AntiVir: http://www.free-av.com/ AntiWorm: http://www.velasco.com.br/ Astronomia Celestia: http://www.shatters.net/celestia Audio Players Amp2000: http://baixaki.ig.com.br/site/detail2332.htm Foobar 2K Player: http://foobar2000.hydrogenaudio.org/ Jet Audio Basic: http://www.jetaudio.com/download/index.html MusicAmp MP3 Studio: http://baixaki.ig.com.br/site/detail3199.htm Musicmatch Jukebox: http://info.abril.com.br/aberto/download/753.shl Real Jukebox: http://baixaki.ig.com.br/site/detail3247.asp Sonique: http://info.abril.com.br/aberto/download/1040.shl Winamp: http://www.winamp.com Windows Media Player: http://www.microsoft.com/windows/windowsme...oad/default.asp XM Player: http://www.un4seen.com/xmplay.html Banco de Dados MySQL: http://www.mysql.org/ FireBird: http://www.firebirdsql.org/ Benchmark 3D Mark / PC Mark: http://www.futuremark.com FreshDiagnose: http://www.freshdevices.com/ SiSoft Sandra: http://www.sisoftware.net/ Browsers Avant Browser: http://www.avantbrowser.com/absetup.exe Beonex: http://www.beonex.com/communicator Mozilla: http://www.mozilla.org MyIE 2: http://www.ruihehang.com/myie2/files/myie2beta.zip NeoPlanet: http://baixaki.ig.com.br/site/detail2212.asp Netscape: http://baixaki.ig.com.br/site/detail5994.asp Opera: http://www.opera.com/download/index.dml?op...latform=Windows Firefox - http://mozilla.org/products/firefox CD Utilities CDBurnerXP Pro: http://w1.737.telia.com/~u73702956/index.htm ExactAudioCopy: http://www.exactaudiocopy.de/ Clientes de e-mail ePrompter: http://www.eprompter.com/ Eudora: http://www.eudora.com/products/eudora/download/ Incredimail: http://www.incredimail.com/portuguese/splash.html Pegasus Mail: http://superdownloads.ubbi.com.br/download/i870.html Thunderbird - http://mozilla.org/products/thunderbird Clientes FTP AceFTP: http://freeware.aceftp.com/ Filezilla: http://sourceforge.net/projects/filezilla FTP Explorer: http://info.abril.com.br/aberto/download/484.shl LeechFTP: http://superdownloads.ubbi.com.br/download/i2216.html Smart FTP: http://www.smartftp.com/ WS_FTP95 LE: http://www.ftpplanet.com/download.htm Clientes de IRC X-Chat: http://www.xchat.org Compactadores de arquivos 7-Zip: http://www.7-zip.org FreeZIP: http://baixaki.ig.com.br/site/detail4061.asp Iceows: http://baixaki.ig.com.br/site/detail5851.asp Power Archiver: http://www.oldversion.com/download/powarc61.exe Compiladores e programação ActivePerl: http://www.activestate.com/Products/ActivePerl/ Cold Fusion Express: http://baixaki.ig.com.br/site/detail2992.asp Dev-C++: http://www.bloodshed.net/ Dev-Pascal: http://www.bloodshed.net/ Java: http://java.sun.com/ Pascal ZIM!: http://www.iesb.br/aí/adm/luizcurado/Pasca...wnload/PZIM.zip PHP: http://www.php.net/ Contabilidade Hábil: http://www.habil.com.br/ Criptografia BlowFish Advanced CS: http://info.abril.com.br/aberto/download/1298.shl PGP: http://info.abril.com.br/aberto/download/1347.shl Win Privacy Tray: http://www.winpt.org Diagnóstico: Motherboard Monitor: http://superdownloads.ubbi.com.br/download/i7538.html DirectX Plug-ins para áudio profissional AnalogX: http://www.analogx.com DVD DVD Profiler: http://www.dvdprofiler.com/dvdpro/index.html Editores de áudio Audacity: http://audacity.sourceforge.net CD 'n Go!: http://www.cdngo.com/ dBPowerAMP Music Converter: http://www.dbpoweramp.com/ MP3 Tag Tools: http://www.winajuda.hpg.ig.com.br/programas/mtt-v1.2.exe MP3Trim: http://www.logiccell.com/~mp3trim/ MP3Gain: http://www.geocities.com/mp3gain/ MP3DirectCut: http://www.rz.uni-frankfurt.de/~pesch/ NexENCODE Studio: http://www.team-nexen.com/ Editores de vídeo DDclip Free: http://www.softlab-nsk.com/ Camel's MPEGjoin: http://member.newsguy.com/~theprof/ Windows Media Encoder: http://www.microsoft.com/windows/windowsmedia Editores HTML AceHTML 5: http://freeware.acehtml.com/ Aracnophilia: http://info.abril.com.br/aberto/download/378.shl MAX's HTML Beauty++: http://superdownloads.ubbi.com.br/download/i7338.html Editores / Visualizadores de Imagem GIMP: http://www.gimp.org/~tml/gimp/win32/ IrfanView: http://www.irfanview.com Serif PhotoPlus: http://www.freeserifsoftware.com/ SlowView: http://www.slowview.at/?page=download Xn View: http://www.xnview.com/ Ferramentas de busca Copernic 2001: http://baixaki.ig.com.br/site/detail2209.asp WebFerret: ftp://ftp.download.com/pub/zd/WebFerret.exe Firewall eSafe Desktop: http://info.abril.com.br/aberto/download/1167.shl Kerio Personal Firewall: http://info.abril.com.br/aberto/download/2186.shl Sygate Personal Firewall: http://www.sygate.com Zone Alarm: http://www.zonelabs.com Gerenciadores de Download DAP: http://downloadbeta1.speedbit.com Dl Mage: http://dlmage.com (free com limitações) Download Express: http://superdownloads.ubbi.com.br/download/i10062.html FlashGet: http://info.abril.com.br/aberto/download/1057.shl FreshDownload: http://www.freshdevices.com/ GetRight: http://baixaki.ig.com.br/site/detail2375.htm MyGetRight: http://baixaki.ig.com.br/site/detail4803.asp Net Vampire: http://baixaki.ig.com.br/site/detail3381.asp Puxa Rápido: http://www.puxarapido.com.br/ ReGet: http://baixaki.ig.com.br/site/detail3382.asp Wackget: http://millweed.com/projects/wackget/ Mensagens Instantâneas ICQ: http://www.icq.com/ Miranda IM: http://miranda-im.org/ Odigo Messenger: http://info.abril.com.br/aberto/download/825.shl Paltalk: http://www.paltalk.com/ SIM: http://sim-icq.sourceforge.net/download.shtml Trillian: http://info.abril.com.br/aberto/download/1183.shl Modelagem 3D Blender: http://www.blender.org/ MAYA Personal Learning Edition: http://www.aliaswavefront.com/en/products/...wnloadnow.shtml POV-Ray: http://www.povray.org/ Peer to peer Abc: http://pingpong-abc.sf.net Azureus: http://azureus.sf.net BitTorrent++: http://sourceforge.net/project/showfiles.p...lease_id=157713 DC++: http://dcplusplus.sourceforge.net/ eDonkey: http://www.edonkey2000.com Emule: http://www.emule-project.net/ Grokster: http://www.grokster.com/ iMesh: http://download.imesh.com/ Kazaa: http://download.kazaa.com/kmd.exe Kazaa Lite: http://www.kazaalite.com/nuke/modules.php?...eq=getit&lid=17 LimeWare: http://www.terra.com.br/informatica/downlo...ire_win_por.htm Morpheus: http://streamcast.downloadtech.net/ Overnet: http://www.overnet.com/ Shareaza: http://www.shareaza.com/ Slsk: http://slsknet.org Scour Exchange: http://baixaki.ig.com.br/site/detail4154.htm Torrentstorm: http://torrentstorm.com WinMX: http://dld66.winmx.com/281553512/winmx331.exe XoloX Ultra: http://baixaki.ig.com.br/site/detail5716.asp Previsão do Tempo Climalerta: http://www.climatempo.com.br/ Processadores de texto /PDF AbiWord Personal: http://info.abril.com.br/aberto/download/1773.shl Atlantis Nova: http://info.abril.com.br/aberto/download/1505.shl Win2PDF: http://dl.filekicker.com/send/file/130371-yjtv/w2pdf20.exe Rede AnalogX Proxy: http://www.analogx.com/contents/download/network/proxy.htm RealVNC: http://www.realvnc.com Tight VNC: http://www.tightvnc.com Vários freewares para comunicação em rede: http://www.nonags.com/nonags/conflan.html Velox - Autenticação automática: http://planeta.terra.com.br/informatica/shimatai/ Yahoo! POPs: http://sourceforge.net/projects/yahoopops/ WinConnection: http://www.winconnection.com.br/ Servidor Web Apache: http://www.apache.org/ Guild FTP: http://baixaki.ig.com.br/site/detail3404.asp InetServ: http://baixaki.ig.com.br/site/detail3405.asp WarFTP Daemon: http://baixaki.ig.com.br/site/detail3400.asp Xitami: http://baixaki.ig.com.br/site/detail3399.asp Suítes de escritório 602 Pro Suite: http://superdownloads.ubbi.com.br/download...369.html?ixdq5x Easy Office: http://info.abril.com.br/aberto/download/1416.shl OpenOffice: http://www.openoffice.org/dev_docs/source/...ex.html#windows Star Office: http://info.abril.com.br/aberto/download/3153.shl Tradutores TraduzWeb 2.0p: http://www.traduz.com.br/16/download.html Tweak / Windows Tools AIDA32: http://www.aida32.hu/download/aida32ee_330.zip ATnotes: http://www.winajuda.hpg.ig.com.br/programas/atnotes.zip Cacheman: http://www.reg.net/authors.asp?AuthorID=3223 Disclib: http://www.lyrasoftware.com/disclib/download.html Explore2fs: http://uranus.it.swin.edu.au/~jn/linux/explore2fs.htm FreshUI: http://www.freshdevices.com/ Glass2K: http://www.chime.tv/products/glass2k.shtml JV16 Power Tools: http://www.vtoy.fi/jv16/index.php MultiRes: http://www.entechtaiwan.com/files/multires.exe MV-RegClean: http://www.velasco.com.br/ RegCleaner: http://www.vtoy.fi/jv16/index.php TrayIt: http://www.teamcti.com/trayit/index.html X-Setup: http://www.xteq.com/ WinHex: http://www.winhex.com/ Video Players BSPlayer: http://www.bsplayer.org/ DivX: http://www.terra.com.br/informatica/downlo...as/divx_win.htm Real One: http://www.real.com/ Windows Media Player: http://www.microsoft.com/windows/windowsme...oad/default.asp ffdshow - http://ffdshow.sf.net GSpot - http://www.headbands.com/gspot/ MPC - http://sourceforge.net/projects/guliverkli/ ZoomPlayer - http://www.inmatrix.com/files/zoomplayer_download.shtml Quick Time e Real Player Alternatives - http://www.k-litecodecpack.com/ RadLight: http://www.divxplayer.org/ Abraços!!!
  9. Olá pessoal, Devido a falta de dinheiro quando montei o meu pc, eu usei um gabinete genérico mesmo. Agora dedidi trocar por um que ofereça uma refrigeração melhor. Se possível, não quero gastar mais do que 200 reais nesse gabinete. A minha configuração é de quatro anos atrás e não poderei trocá-la tão cedo. Aqui vai ela: Athlon 64 3000 New Castle 1024 de ram da Samsung Abit KV8 Max 3 HD de 80 da seagate Radeon 9600XT (da ati mesmo) Drive de DVD da Pioneer Floppy Placa de rede Modem Obrigado.
  10. Lindíssimo esse Trinity! Adorei o logotipo do fabricante ao lado e o fato de eu porder colocar uma ventoinha embaixo dele. O problema é que ultrapassa em 89 reais o meu limite. Vou deixá-lo no forno e ver se aparece um bom e de até 200 reais. Senão vou de Trinity mesmo. Valeu cara!
  11. Tecnologia Hyper-Threading da Intel: Super Performance? No ano passado nos reportamos a tecnologia de Multi-Processamento Simultâneo nos processadores da Intel. Embora ela tenha começado por trás do codinome Jackson Tecnology, a Intel revelou oficialmente que sua tecnologia pelo menos segue a IDF. O codenome Jackson foi substituído por um que combina muito mais com o assunto: Hyper-Threading. Mas antes de entender como o Hyper-Threading funciona você tem de entender a base dele, como são os threads e como eles funcionam. O que faz um programa funcionar? O que diz ao seu processador que instruções executar e quando? Esta informação está contida no código compilado do programa que você está executando e e quando você dá à ordem ao aplicativo, ele em partes manda threads para o seu processador dizendo o que fazer para atender ao seu comando. Para o processador thread é um conjunto de instruções que devem ser executadas. Quando você é atingido por um míssel no Quake 3 Arena ou clica para abrir o Word, ao processador é mandado um conjundo de instruções para executar. O processador sabe exatamente da onde conseguir estas instruções graças À um pequeno registro conhecido como Contador de Programa [Program counter (PC)]. O PC indica a memoria onde a próxima instrução a ser executada está armazenada; quando um thread é mandado ao processador; o endereço dele na memória é carregado no PC então o processador sabe onde começar a processar. Depois cada instrução é incrementada ao PC então o processo continua até o finaç do thread. Quando a execução de um thread é terminada o PC é sobreescrito com a nova localização da instrução a ser executada. Threads podem interromper uns aos outros forçando o processador a armazenar o valor atual do PC numa pilha e carregar outro valor no mesmo. Mas há uma limitação, somente um thread pode ser executado por vez. Há um modo fácil de contornar este problema; o uso de dois processadores. Se cada processador pode executar um thread por vez, dois processadores podem executar dois de uma só vez. Porém há vários problemas nesta solução, muitos dos quais você já deve estar familiatizado. Para iniciantes, vários processadores são mais caros que apenas um. Há maiores problemas associados a administração de dois processadores como dividir os recursos entre eles. Por exemplo, até o lançamento do chipset 760MP da AMD, todas as plataformas x86 com suporte a multiprocessamento dividiam a largura de banda do FSB entre todos os processadores disponíveis. Mas o maior impecílio de todos é o fato de os aplicativos e o sistema operacional devem ser capazes de suportar este tipo de processamento. Ser capaz de despachar multiplas execuções de thread ao hardware é genéricamente conhecido como Multi-Threading; É necessário que o processador suporte esta tecnologia para ativá-la assim como programas otimizados para tirar proveito do aumento de desempenho causado por sistemas de multi processamento(na maioria dos casos). Sendo capaz de entender isto você será capaz de entender a chave do assunto; a capacidade de executar várias coisas ao mesmo tempo - é hora de entrarmos na tecnologia Hyper-Threading. Veja, nós somos ineficientes. O termo eficiência sempre foi sondado, não só no meio corporativo como em nossa vida diária. Há boatos de o ser o humano apenas usar uma fração da capacidade total de seus cérebros bom o mesmo pode ser dito sobre os processadores. Pegue o Pentium 4 por exemplo, a CPU tem um total de 7 unidades de execução, duas delas podem operar em duas operações (micro-ops) por clock (estes são "não entendi"). E se fossem mesmo possível, você não iria ser capaz de encontrar programa que saturasse todas essas unidades de execução. O programa de desktop mais frequentemente usado executará um punhado de calculos de inteiros assim como instruções de load/Store mas deixa as unidades de ponto flutuante intocadas e também deixa as Unidades Lógica e Aritimética (ULAs) sem uso. Mesmo aplicações que primeiramente utilizam operações de inteiros não irão saturar todas as ULAs, especialmente a velocidade "lenta" ou normal da unidade de inteiro a qual é primeiramente usada para executar saltos e rotações. Para demonstrarmos melhor vamos criar um processador hipotético com 3 unidades de execução. um ALU, um FPU e uma unidade Load/Store para leitura/gravação na memória. Digamos que nosso processador possa executar qualquer operação em um pulso de clock e pode mandar operações para as 3 unidades de execução simultâneamente. Agora daremos a ele um thread que consiste das seguintes instruções: 1+1 10+1 Armazenar resultado anterior O diagrama abaixo demostrará o grau de saturação das unidades de execução (cinza indica uma unidade de execução inativa e azul uma unidade de execução ativa). <div class='bbimg'>http://images.anandtech.com/reviews/cpu/intel/hyperthreading/cpu1-thread1.gif' border='0' alt='Imagem postada pelo usuário' /></div> Como você pode ver, durante todo o clock apenas 33 % das unidades de execução foram usadas. Durante este tempo o FPU fica completamente inativo. Segundo a Intel, a maioria dos programas baseados no x86 utilizam apenas 35% das unidades de execução do Pentium 4. Daremos ao processador outro thread e mandaremos à sua unidade de execução, desta vez será um ADD, um load e um store. <div class='bbimg'>http://images.anandtech.com/reviews/cpu/intel/hyperthreading/cpu2-thread2.gif' border='0' alt='Imagem postada pelo usuário' /></div> De novo os mesmos 33 % de utilização das unidades de execução. O tipo de paralelo que nós estamos tentando atingir aqui é conhecido como instruction level parallelism (ILP) "instrução de nível paralelo" que consiste em múltiplas instruções serem executadas simultâneamente por causa de uma habilidade do processador em introduzir múltiplas instruções de paralelo na unidade de execução. Infelizmente a realidade da maioria dos programas para x86 não há tanto ILP quanto gostariámos então temos de encontrar outra solução para aumentar a performance. Por exemplo, se tivessemos dois desses processadores em nosso sistema então dois threads poderiam ser executados ao mesmo tempo. Esta façanha é conhecida como thread-level parallelism (TLP) mas é uma solucão cara para aumentar a performance. Mas que outras opções existem para fazer melhor uso do poder de fogo dos processadores x86 atuais? Introdução ao Hyper-Threading. Há muitas razões para as unidades de execução não serem sempre utilizadas. Se o processador não é capaz de conseguir dados tão rápido quanto as suas necessidade (resultado do gargalo do FSB ou da memória) então você verá uma queda de desempenho na unidade de execução. Outra razão, da qual este artigo trata é a falta do ILP na maioria das unidades de execução. Atualmente a maneira mais usada pelos fabricantes de processadores para aumentar o desempenho dos mesmos é aumentando o clock e a cache do processador. No caso do nosso processador fictício nós aumnetariamos o desempenho desta forma mas ainda não estáriamos usando o desempenho total do processador. Se houvesse uma maneira de executar múltiplos threads de uma vez nós poderíamos fazer melhor uso dos recursos do processador; Isto é exatamente o que a tecnologia Hyper-Threading faz. Hyper-Threading é o nome de uma tecnologia que vem sido rondada na plataforma x86 há algum tempo, Simultaneous Multi-Threading (SMT) "Multi-Processamento Simultâneo" O conceito SMT é simples, o processador físico aparece para o sistema operacional como dois lógicos mas o sistema operacional não vê nenhuma diferença entre os sistemas SMT e um sistema dual regular. Em ambos os casos o sistema operacional manda ao processador duas tarefas aos "dois" processadores e o hardware pega dai para frente. <div class='bbimg'>http://images.anandtech.com/reviews/cpu/intel/hyperthreading/hyperthreadslide.gif' border='0' alt='Imagem postada pelo usuário' /></div> Em um processador com o HT ativado, cada processador tem seu próprio conjunto de registros (incluindo um PC separado) mas para minimizar a complexidade desta tecnologia, o HT não procura/converte as instruções correspondentes as duas tarefas. Ao invés disso, o processador irá alternar o procura/converte entre os dois processadores lógicos e só tenta executar duas tarefas simultâneamente depois de endereçar o problema da precária utilização da unidade de execução. O HT foi oficialmente anunciado no fórum de desenvolvedores da Intel no último Outono e foi demonstrado num Xeon que executava uma renderização de imagem. Naquele teste o Xeon com HT ativado foi 30% mais rápido que um Xeon normal. Os benefícios a performance foram realmente impressionantes porém mais impressionante ainda era o fato não-revelado de que o HT estava presente em todos os núcleos de Xeon e P4; simplesmente desabilitado. A tecnologia ainda não estava completamente depurada porém aqueles que tinham comprado um processador desses e depois do anúncio oficial fizeram o upgrade de BIOS tiveram antes do lançamento e depois deste fizeram um upgrade de BIOS tiveram um surpresa interessante com uma nova função: habilitar/desabilitar o HT. Por enquanto, a Intel vai manter o HT desativado de fábrica mas a única coisa necessária para ativa-lo é uma opção na BIOS para isto. Isto é apenas para o lado corporativo da moeda para o lado doméstico não há nada oficial para o futuro próximo mas os fabricantes de BIOS podem habitar esta opção extra-ofialmente em uma edição especial. Mas a questão é porque a Intel iria querer este recurso de aumento de desempenho tão bom desativado? Entendendo o Hyper-Threading: Não estamos num mundo perfeito Lembra aqueles dois threads do nosso outro exemplo? Agora vamos assumir que o nosso único CPU possui a tecnologia Hyper-Threading da Intel e vamos ver o que acontece quando nós tentamos executar os dois threads simultaneamente: <div class='bbimg'>http://images.anandtech.com/reviews/cpu/intel/hyperthreading/smtcpu-2threads.gif' border='0' alt='Imagem postada pelo usuário' /></div> Assim como antes, quadrados azuis indicam que uma instrução do thread 1 está sendo executada, enquanto quadrados verdes indicam que uma instrução do thread 2 está sendo executada. Quadrados cinzas indicam uma unidade de execução não utilizada, enquanto quadrados vermelhos indicam um conflito em que duas instruções estão tentando alimentar a mesma unidade de execução. De repente nossa aventura em busca de TLP (tender love and parallelism, amor tenro e paralelismo) foi recompensada com menos utilização de nossos recursos de execução. Em vez de conseguirmos executar ambos os threads em paralelo, nosso CPU agora executa ambos os threads muito mais lentamente do que um processador sem Hyper-Threading. O motivo por trás disso é muito simples; nós estávamos tentando executar dois threads similares simultaneamente, ambos consistem de ADDs, carregamentos e armazenamentos. Se nós tivéssemos rodado uma aplicação de ponto flutuante intensivo ao lado de qualquer aplicação de números inteiros que utilizamos, então estaríamos em uma situação muito melhor. A questão real é, qual é a maneira mais característica pela qual utilizamos nossos PCs? Atualmente, a maneira pela qual a maioria dos usuários de desktop utilizam seus PCs é muito parecida com o exemplo que demos no início dessa seção, na qual o CPU recebe operações muito similares para executar. A realidade infeliz aqui é que com operações muito similares há despesas adicionais em gerenciar e lidar com o que acontece quando você fica sem um tipo de unidade de execução e tem mais que o dobro de instruções necessitando seu uso. Na maioria dos casos, se você pudesse ativar Hyper-Threading em um PC desktop, você não veria aumento de desempenho, e sim uma diminuição de 0 a 10% de desempenho. Em uma workstation há mais potencial para o Hyper-Threading resultar em um aumento geral de desempenho, mas o termo workstation é tão largo que pode significar tudo entre um sistema high-end de renderização 3D e um PC desktop pesadamente utilizado. A área em que os ganhos de performance são mais possíveis hoje é sob aplicações de servidor por causa da mais variada natureza de operações enviadas ao CPU. Aplicações transacionais de servidor banco-de-dados podem ver um aumento de 20 a 30% no desempenho apenas por ativar o Hyper-Threading. Ganhos menores, porém tangíveis, podem ser vistos em servidores web, assim como em outras áreas de aplicação. Ganhando mais do Hyper-Threading A Intel criou o Hyper-Threading apenas para sua linha de CPUs para servidores? É claro que não, eles não teriam desperdiçado espaço adicional algum no die do resto de seus CPUs se esse fosse o caso. De fato, a arquitetura NetBurst por trás dos processadores Pentium 4 e Xeon é na verdade perfeita para um núcleo com SMT ativo. Vamos pegar nosso CPU teórico para um último teste; desta vez vamos dá-lo mais uma unidade de execução, uma segunda ALU e vamos ver o que acontece quando rodamos dois threads nele: <div class='bbimg'>http://images.anandtech.com/reviews/cpu/intel/hyperthreading/smtcpu-2alus.gif' border='0' alt='Imagem postada pelo usuário' /></div> Voila! Com uma segunda ALU o único conflito que temos é aquele último armazenamento (store). Nosso CPU deve começar a lembrá-lo de um Pentium 4 que parece ter três unidades de números inteiros (dois ALUs e uma unidade mais lenta para deslocamentos/giros). Até mais importante é o fato de que os dois ALUs do Pentium 4 podem executar 2 micro-ops por clock cada, significando que duas instruções ADD cada uma de dois threads diferentes poderia executar em um único clock no Pentium 4/Xeon. Mas isso ainda não resolve nosso problema; não faria muito sentido manter o CPU vestido com mais e mais unidades de execução só para ganhar um benefício de desempenho com Hyper-Threading ativado; isso seria muito caro do ponto de vista do die. Em vez disso, a Intel está encorajando a otimização para Hyper-Threading aos desenvolvedores. Utilizando a instrução HALT é possível parar um dos processadores lógicos, maximizando assim a performance em aplicações que não se beneficiam do Hyper-Threading. Então, em vez de uma aplicação ficar mais lenta com Hyper-Threading ativado, um dos CPUs lógicos seria simplesmente desligado e a performance seria equivalente a um sistema com um único CPU. Em seguida, quando um aplicativo ou tarefa que pode se beneficiar do Hyper-Threading vier, o segundo processador lógico começará a operar. A Intel tem uma apresentação muito útil de exatamente como os desenvolvedores podem programar com o Hyper-Threading em mente em seu Developer website. Conclusão Embora nós todos tenhamos ficado extremamente animados quando rumores de que Hyper-Threading estava em todos os núcleos de Pentium 4/Xeon atuais apareceram, não será o desempenho gratuito pelo qual todos nós esperávamos. Os motivos são simples e a tecnologia tem um longo caminho a percorrer antes de podermos vê-la e tirar vantagem dela em todas as plataformas, incluindo desktops, mas o suporte de desenvolvedores pode definitivamente virar um aliado muito poderoso do Pentium 4, Xeon e a geração futura de processadores Intel. Devido à tecnologia e às limitações atuais de volume, o Hyper-Threading faz muito mais sentido para o mercado de massa do que uma solução de dois núcleos como a que os rumores dizem a AMD considerar para os CPUs SledgeHammer high-end. Até tecnologias como Bumpless Build-Up Layer packaging (volume de Camadas Construídas sem Inchaço) serem aperfeiçoadas, os custos associados com a produção de um CPU de múltiplos núcleos pode ser muito alto para mais do que uma porção muito pequena do mercado. É interessante notar como a AMD e a Intel ficaram diferentes através dos anos. Dos dias de produzir essencialmente clones de CPUs Intel a tomar uma solução drasticamente diferente para o futuro dos CPUs de workstation e servidor, a AMD veio de um caminho muito longo de fato. Se os CPUs SledgeHammer high-end acabarem possuindo dois núcleos, prometerão desempenho muito superior do que o Hyper-Threading pode oferecer por causa do fato que haverá o dobro de unidades de execução, evitando assim alguns dos problemas que endereçamos hoje. Novamente, a grande desvantagem sendo a produção de tal chip; nós explicamos no passado os perigos de fabricar CPUs complicados. O Hyper-Threading estará ausente do mercado desktop por um tempo, mas dados os apropriados suportes de desenvolvedores, ele pode facilmente tornar-se ainda outra tecnologia que faz seu caminho para baixo do nível servidor ao nível desktop. Link para o artigo original =>: :xmas: Traduzido do Anandtech por Shadowwarrior e Smartwarthog.
  12. Amd 64 Bits

    Pessoal vi várias pessoas comentando sobre o Athlon 64 os preços, que já estava no mercado e tal mas não o descreveram então ai vai!!! Porquê a adoção de um endereçamento de 64 bits do processador em relação aos anteriores 32 bits dos anteriores processadores de arquitetura x86? A necessidade de um processador de 64 bits é muitas vezes questionada, pelo menos no mercado de consumo, visto que atualmente já existem várias soluções de 64 bits para servidores e estações de trabalho (workstations). Além disso, a AMD quer posicionar agressivamente este processador como uma alternativa tanto aos processadores Intel Xeon (baseados no Pentium-4, IA-32) na vertente de estações de trabalho e servidores de entrada de gama, como aos processadores Intel Itanium (IA-64), a aposta da Intel para a computação de topo da próxima geração. Para obter uma resposta a esta interrogação acerca da necessidade deste produto da AMD, precisamos primeiro de entender a que se referem estes 64 bits do processador Opteron, e qual o seu lugar no mercado de hoje em dia. No diagrama a cima, é possível ver uma pequena história dos processadores x86, que foram introduzidos em 1979 pela Intel na forma dos processadores 8086/8088 (a diferença entre estes dois processadores é o tamanho do bus de dados, que no 8086 é de 16 bits e no 8088 de 8; podendo parecer insignificante, a diferença de custo era significativa na altura, e daí a escolha pela IBM do 8088 para a introdução do IBM PC, que se tornou no sucesso que hoje conhecemos). É importante referir que a maioria dos computadores pessoais de hoje em dia se baseiam numa arquitectura com mais de 20 anos! Na indústria tecnológica, 20 anos é uma idade muito respeitável, e devido a todas as evoluções tecnológicas que os processadores x86 foram sofrendo, tendo de manter a compatibilidade com o passado, advém uma herança pesada. O pesadelo do modelo de programação x86 (e x87, para cálculos de vírgula flutuante) já é discutido quase desde a introdução destes processadores, havendo por isso muita polémica acerca da aposta da AMD em perpetuar esta arquitectura por mais tempo ainda; uma das justificações da Intel (a própria empresa responsável pela arquitectura x86) para introduzir os processadores Itanium, é justamente "enterrar" estes processadores pré-históricos, que dão pesadelos tanto aos programadores como aos próprios desenhadores de circuitos da Intel e outras empresas que fabricam processadores compatíveis com a ISA (Instruction Set Architecture) x86. Genericamente, quando falamos de processadores de 16 bits, 32, etc., estamos a referir-nos à largura do caminho de dados do processador. Mais especificamente, quando falamos de processadores de 64 bits, estamos a referir-nos a processadores nos quais cada um dos registos tem espaço de armazenamento para 64 bits de dados; da mesma forma, uma instrução de 64 bits é uma instrução que opera em números de 64 bits. No diagrama acima, os quadrados negros representam pedaços de código e os quadrados brancos representam dados. Nem todos os dados na memória, cache ou registos são de 64 bits - este valor é o máximo de cada bloco de dados. Também é de salientar que, apesar de a largura do caminho de dados ter duplicado, a largura do caminho de código permanece inalterada. Tendo em conta que este diagrama é apenas um exemplo de um processador hipotético, é de realçar que é teoricamente possível manipular dados de 64 bits com os mesmos opcodes de um processador de 32 bits (não é esse o caso com o processador da AMD). Para sustentar o aumento da largura do caminho de dados, é necessário igualmente a duplicação dos caminhos de dados internos e do tamanho dos registos do processador. Os registos do processador simples de 64 bits ilustrado em cima têm o dobro da dimensão dos do processador de 32. De igual modo, o Program Counter (PC) tem também uma dimensão duas vezes superior. No entanto, o Instruction Register mantém o seu tamanho - é necessário realçar de novo que neste processador hipotético, aumentámos a largura do caminho de dados mas não a do caminho de código. O que eventualmente se tornou na actual ISA x86, introduzida em 1979 com o lançamento do processador 8086 da Intel, passou de 8 bits (dos antecessores dos 8086/8088, os 8080/8085) para 16 bits e finalmente 32 bits. O 8086 possuia 4 GPR's (General Purpose Registers - registos de uso geral), cada um de 16 bits, e 4 registos de 16 bits para conter endereços de memória, mas que podiam ser utilizados como GPR's (os 4 GPR's, no entanto, não podiam ser utilizados para armazenar endereços de memória no modo de endereçamento de 16 bits). Com o lançamento do processador 80386, a Intel aumentou a arquitectura para suportar 32 bits; para tal duplicou o tamanho dos 8 registos de 16 bits originais. Para aceder à porção extendida destes registos, os programadores de assembly utilizavam um conjunto diferente de mnemónicas. Com a introdução da arquitectura AMD64, passou-se algo semelhante: a AMD duplicou o tamanho dos 8 GPR's e atribui novas mnemónicas aos registos extendidos. Ao aumentar de 32 para 64 o número de bits que a ALU e os registos suportam, e tendo em conta que os endereços de memória não passam de números inteiros e são armazenados nos registos, é possível endereçar mais memória: 232 bits = 4.294.967.296 bytes; 264bits = 18.446.744.073.709.551.616 bytes. É claro que a quantidade de memória que é teoricamente possível endereçar não corresponde necessariamente à sua implementação prática. Uma arquitectura teórica com um espaço de endereçamento de 64 bits poderia endereçar de modo directo até um máximo 18 milhões de terabytes. A implementação da AMD quebra a barreira dos 4 GBytes de memória física endereçável do modo 32 bits dos processadores x86 actuais (até 4 Gbytes, que não são atingidos na prática, excepto com sistemas operativos mais recentes), permitindo endereçar directamente até 1024 GBytes de memória física (são utilizados 40 bits para o endereçamento nestes processadores, e não 64: 240 bits = 1.099.511.627.776 bytes) e uns incríveis 256 TBytes (48 bits) de memória virtual. Em abono da verdade, é bom salientar que existem sistemas baseados no processador Intel Xeon que permitem o endereçamento de mais de 4 Gbytes de memória, e além disso, existe aparentemente um "truque" relativamente fácil de implementar que permitiria à Intel endereçar até 512 GBytes nos seus sistemas de 32 bits. No entanto, o método mais "limpo" e com menos implicações futuras é de facto aumentar o tamanho dos ponteiros de memória. E quais são as vantagens de se poder endereçar mais memória e de se poderem realizar cálculos com números de 64 bits? • A inserção de bases de dados de grande dimensão na sua totalidade na memória é uma possibilidade. A intenção de o fazer já foi expressa por algumas entidades, que não levam em conta considerações financeiras enquanto factor inibidor de uma solução tecnológica, e que desejam obter o máximo desempenho nas suas aplicações. • Utilizadores de software de imagem, modelação 3D, simulação, CAD e até jogadores de jogos 3D em tempo real, obcecados em obter o melhor desempenho possível, estão também interessados na memória extra que é possível utilizar e no desempenho acrescido que soluções de 64 bits permitem obter. • Finalmente, existe uma outra aplicação para a qual a utilização de números inteiros de 64 bits pode oferecer verdadeiros benefícios: criptografia. A maioria das tecnologias de encriptação mais populares assenta na multiplicação e factorização de números inteiros muito grandes, e quanto maior for o número maior será a segurança. A AMD espera que o aumento da procura de segurança mais apertada e a crescente utilização de técnicas de encriptação nos mercados informáticos empresariais e domésticos torne atractivo um processador de 64 bits compatível com x86. Uma desvantagem da utilização de valores de endereçamento de memória de 64 bits é que, como estes endereços têm o dobro do tamanho físico dos de 32 bits, ocupam também o dobro do tamanho que ocupam na cache (para não falar do aumento no tamanho do código em disco, mas esse aspecto é algo insignificante com o aumento constante do espaço de armazenamento). Mesmo tendo em conta que os ponteiros para memória ocupam uma fracção pequena da cache, quando essa fracção duplica, o que impede que outros dados mais úteis estejam presentes na cache, o que pode diminuir o desempenho. Um dos problemas mais antigos acerca da arquitectura x86 é a de que o modelo de programação contempla apenas 8 GPR's, 8 FPR's (Floating Point Registers: registos de vírgula flutuante) e 8 registos para SIMD (Single Instruction, Multiple Data) . Todos os ISA's RISC (Reduced Instruction Set: conjunto de instruções reduzidas) mais recentes suportam muito mais registos arquitecturais. Por exemplo, a ISA PowerPC especifica a inclusão de 32 unidades de cada tipo de registo. O aumento do número de registos permite ao processador armazenar mais dados onde as unidades de execução podem aceder directamente, o que se traduz numa redução do número de instruções load e store, o que por sua vez implica menor tráfego nos subsistemas de memória, o que implica por sua vez a diminuição do tempo de espera no carregamento de dados, e por aí em diante. Mais registos permitem também uma maior flexibilidade para o escalonamento de instruções, originando menos dependências e minimização das bubbles nas pipelines. Os processadores x86 modernos dão a volta a este problema através de um truque denominado de renomeação de registos (register renaming): este truque consiste em incluir registos internos escondidos no processador, e através de mapeamento dinâmico, mapear os registos acessíveis ao programador aos registos escondidos, vísiveis apenas para o processador. O Pentium 4, por exemplo, contém 128 registos destes, o que permite armazenar mais dados próximos da ALU (Arithmetic and Logic Unit: unidade de execução de operações aritméticas e lógicas, uma das principais unidades de execução do processador), e reduzir dependências. No entanto, destes 128, apenas 8 são vísiveis para o programador ou compilador, sendo os outros 120 vísiveis apenas para os circuitos lógicos internos do processador, o que relega para o hardware a responsabilidade de otimizar o seu uso durante a execução. Apesar deste truque, seria benéfico que mais registos fossem directamente acessíveis para o programador através da ISA x86. Isto daria ao compilador ou ao programador de assembly mais flexibilidade e controlo para uma otimização estática do código. Também permitiria uma diminuição do número de instruções de acesso à memória. A AMD, ao aumentar a ISA x86 para 64 bits, aproveitou a oportunidade para duplicar o número de GPR's e registos SIMD acessíveis através da ISA x86-64. Assim, ao correr no modo de 64 bits, os programadores vão ter acesso a 8 GPR's adicionais, além dos 8 registos SIMD (utilizados em instruções SSE e SSE2) <div class='bbimg'>http://student.dei.uc.pt/~lribeiro/imagens/x86-64.jpg' border='0' alt='Imagem postada pelo usuário' /></div> É importante referir que o stack x87 não foi modificado. Esta decisão advém da política tanto da AMD como da Intel em encorajar os programadores a utilizador a tecnologia SSE/SSE2 para cálculos de vírgula flutuante, para tentar abandonar o modelo x87, um modelo com muitas insuficiências, tanto ao nível de prestações como dificuldade de programação. É importante referir que a simples duplicação do tamanho dos registos e a possibilidade de realizar cálculos com números de 64 bits (sem ter de os dividir em 2 subnúmeros, o que é feito para realizar cálculos de 64 bits em processadores de 32) não aumenta magicamente a velocidade de um sistema como fazem crer a algumas pessoas menos informadas! Um processador em que apenas fossem implementadas estas adições teria vantagem de performance em relação a um sistema de 32 bits somente na execução de código e de cálculos de 64 bits. Fontes: http://www.amd.com/us-en/Processors/Produc...96_8800,00.html http://www.mindshare.com/hypertransport/hy...books_main.html http://www.amd.com/us-en/Corporate/Virtual...3~71149,00.html http://www.amd.com/us-en/Processors/Produc...18_8796,00.html http://www.anandtech.com/cpu/showdoc.html?i=1815 http://www.anandtech.com/cpu/showdoc.html?i=1816 http://www.anandtech.com/cpu/showdoc.html?i=1817 http://www.anandtech.com/cpu/showdoc.html?i=1818 http://www.xbitlabs.com/articles/cpu/display/athlon64.html http://www.xbitlabs.com/articles/cpu/displ...er-preview.html Bom pessoal espero que tenham gostado e digam dúvidas e a opinião de vocês. Abraços!!! Atualização: Pessoal quem quiser receber informações sobre os processadores 64 bits direto da AMD pode se se increver no site da mesma clicando aqui
  13. Cinebench

    Pessoal o Cinebench é um programa que testa o desempenho do processador e das memórias do micro e da placa de vídeo é um dos mais utilizados pelos sites como anaddtech e outros então estou criando este tópico para o pessoal divulgar os resultados dele e se tudo der certo depois de um tempo poderemos até fazer um ranking. Bom façam o download do Cinebench. Abram e Para o teste ser executado d forma mais optimizada (o q dará mais pontos), inicializem o programa mas não sigam ainda com o bench, apertem simultaneamente "Ctrl + Alt + Del", selecionem o "Gerenciador de Tarefas", cliquem com o botão direito do mouse em cima do processo "Cinebench.exe" e definam sua prioridade como "Tempo Real". Agora sim, mandem brasa! *Percebam q inicialmente a máquina parecerá ter congelado, mas aguardem + ou - 1 min e notarão q está tudo bem. Ah! Desativem tudo q estiver rodando em segundo plano antes d começar os testes, Internet, Anti-Vírus, etc... Bom depois disso peguem o arquivo .txt do cinebench, copie e colem os resultados aqui: no seguinte formato: Tester : Shadowwarrior Processor : Pentium 4 HT MHz : 2820 Number of CPUs : 2 Operating System : XP Pro Graphics Card : ATI Radeon 9600 Pro 128MB Resolution : 1600x1200 Color Depth : 32bits **************************************************** Rendering (Single CPU): 284 CB-CPU Rendering (Multiple CPU): 338 CB-CPU Multiprocessor Speedup: 1.19 Shading (CINEMA 4D) : 298 CB-GFX Shading (OpenGL Software Lighting) : 1338 CB-GFX Shading (OpenGL Hardware Lighting) : 2503 CB-GFX OpenGL Speedup: 8.40 Obs: 1- Apareceram dois processadores masé um só (HT). 2- Este micro não é meu ele está aqui só de exemplo é de um amigo. 3- Não estou propondo um ranking ainda porque quero ver a aceitação do bench se tudo der certo faremos um ranking mais adiante. Vamos lá pessoal postem os results!!! Abraços.
  14. Olá pessoal resolvi traduzir este artigo que eu achei na Internet, mas atenção o fórum redimensiona as figuras para caberem na mensagem ou seja se não estiver vendo uma figura bas ta clicar nela. Bom vamos lá: INTRODUÇÃO Quando nós recebemos as especificações finais do Opteron em 2002, nos realmente não sabíamos o que fazer com o processador. Ele não apenas seria capaz de trabalhar em 32 e 64 bits simultaneamente, como a AMD estava colocando a ponte norte do chipset NO processador. "Como no mundo eles retirariam isso de lá?" Nós pensamos. O que acontecera quando as DDR mais rápidas chegarem? O que acontecerá quando a DDR-II chegar ao mercado? Isso não revoltaria os parceiros fabricantes de placas-mãe quando souberem que a AMD está retirando um de seus maiores recursos fora da parada? A AMD nós assegurou que tudo ficará bem - esperem e verão. Apesar de não acreditarmos muito nessa informação, o que a AMD disse em 2002 realmente era verdade. O Opteron é o processador corporativo mas rápido do mercado (na maioria dos benchmarks), e o que o levou ao topo é sem dúvida o controlador de memória on die do mesmo. Mesmo o núcleo do Opteron sendo um dos grandes fatores, o controlador de memória on-die é a chave que faz o Opteron ir tão bem nos benchmarks. A funcionalidade do controlador de memória dos K8 instantâneamente faz a competição com outros (tanto do Atlhon XP como do P4) deselegante e obsoleta. Mesmo todos os K8 (Athlon64, Athlon64 FX, e Opteron) tendo um controlador de memória DDR integrado, o Opteron tem a maior capacidade dos três. O Opteron não pode apenas usar a memória DDR Dual Channel como no Atlhon 64 FX, como as suas capacidades em SMP (Multi Processamento Simétrico) abrem as portas para o uso de multiplos bancos de memória integrada na mesma placa-mãe, o que permite o suporte ao NUMA (Non-Unified Memory Access). Infelizmente, com toda essa nova tecnologia, há muitas perguntas sobre como estes novos recursos funcionarão no mundo real. E mais, muitos estão confusos sobre o que precisam para configurar um sistema de alta-performance no OPteron sozinhos. Então, nós fuçamos em alguns Opterons, em uma tonelada de memória (bem, 6 GB para ser preciso), vários sistemas operacionais, e entramos numa aventura de benchmarks incrível de uma vida. Ok, talvez não seja tão empolgante, mas conseguimos descobrir algumas informações interessantes sobre como o sistema de memória do Opteron funciona das configurações básicas as top de linha (inclusive NUMA). Vamos lá. DETALHES DO CONTROLADOR DE MEMÓRIA DO OPTERON O design do controlador de memória do Opteron não comparável a nada que o consumidor tenha visto no mercado. O controlador de memória da AMD não é fantástico no design, mas o que É fantástico é onde a AMD colocou o controlador de memória: direto no núcleo do processador. Os antigos processadores da AMD junto com os atuais da Intel, separam o processador do controlador de memória colocandos em dois locais separados na placa mãe. Na maioria, o controlador de memória do sistema é colocado na ponte norte do chipset da placa mãe. A conexão entre a ponte norte e o processador é chamada FSB (Front Side Bus), mas desde que a AMD colocou o controlador de meória direto no núcleo do processador, não há mais FSB nos Opteron / Athlon64 atuais. Para explicarmos o controlador de memória on-die da AMD, nós fizemos este gráfico simples comparando a topologia entre o Opteron / Athlon64 e o antigo Athlon XP. O Atlhon XP tem um controlador de memória off-die (separado) que fica na ponte norte do chipset na placa mãe. Como você pode ver, o processador quer obter dados dos módulos de memória, o antigo Atlhon XP tem promeiro que se comunicar com o chipset depois com a memória, e então faz a jornada inversa. O Opteron não tem este atraso, que toma tempo, aumentando em todos os aspectos a performance do sistema. A escolha da AMD de integrar o controlador de memória ao processador encurta o tempo da memória DDR, o que resulta numa oerformance de memória maior. Mas tenha em mente, apesar de ser um pornto positivo incrivel na maioria dos aspectos da computação há alguns pontos negativos também. Para começar, movendo o controlador de memória para dentro do processador limita a flexibilidade da plataforma. Por exemplo, um Opteron atual não poderá ser usado numa futura[ placa mãe com suporte a DDR-II, já que o controlador integrado é compativel apenas com a DDR-I. Ao invés de apenas trocar a placa mãe para aumentar a capacidade de memória, você também terá de comprar um novo processador. E mais, processadores controlador de memória on-die são muito mais difíceis para fabricar. Isso significa que só os processadores serão mais caros de produzir, e sendo um processo de produção mais difícil - significa que será ainda mais difícil fazer o processador rodar em altos clocks. Até aqui, estas desvantagens não estão sendo grandes impecílios para a AMD, já que o controlador de memória on-die provou ser extremamente eficiente e ter muita performance para oferecer. Como as DDR-II se aproximam rapidamente nos próximos meses, será interessante a reação dos atuais donos dos Opteron / Athlon64 quando eles perceberem que não poderam migrar para as DDR-II sem comprar um novo novo processador acompanhado de de novas memórias e placa mãe. O atual controlador de memória on-die da AMD, suporta DDR Dual Channel até os 400 Mhz mas requer o uso de módulos de memória resgistrada, que são mais caras e que tem desempenho inferior as DDR normais. Um Opteron pode controlar dois canais de memória DDR-400, resultando numa largura de memória de 6.4 GB/s por processador. O SISTEMA DE MEMÓRIA DO OPTERON EM MULTI PROCESSAMENTO Apesar do controlador de memória on die da AMD ajudar os single Atlhon 64, Atlhon 64 FX e Opteron muito bem, os maiores beneficios se mostram nos Opteeons em multi-processamento. O Opteron tem se mostrado uma solução incrivelmente robusta para worstations e servidores, um mercado que exige o poder de processamento que só os sistemas multi-processados podem proporcionar. A escolha da AMD de usar a alta largura de banda do Hyper Transport para interconectar os processadores, aliada ao controlador de memória on-die do Opteron, mostram que este processador foi desenvolvido para o mercado top de linha em primeiro lugar. Os antigos Atlhon MP foram baseados nos processadores para desktops e PODERIAM ser usados em multi-processamento, mas não era o foco do processador em questão. Já que cada processador tem seu próprio controlador de memória embutido, quando utiliza dois Opterons no mesmo sistema, você está efetivamente usando dois controladores de memória também. E cada um destes controladores de memória tem seu próprio sitema DDR Dual-Channel, e pode rodar num banco de memória completamente diferente. Isso significa que cada processador tem sua própria triha com os módulos de memória, e o processador não tem que lutar por largura de banda da memória. Para demonstrar o ponto, eu fiz este gráfico comparando um sistema de memória Dual Opteron e um Dual Xeon. <div class='bbimg'> Como você pode ver, cada processador tem picos de 6.4 GB/s de largura de banda de memória para utilizar. Isso significa que com dois processadores o pico da banda de memória do conjunto cresce pra 12.8 GB/s. E fica ainda melhor, se você for para um sistema de 4 processadores pula para uma largura de banda de 25.6 GB/s, ou então no auge para uma configuração de 8 opterons, você pode acumular uma banda maçica de 51.2 GB/s disponíveis para o uso. Isto é poder de super computador, pessoal. Para atingir os picos de largura de banda da memória, você precisa ter 2 pentes de memória para cada processador, o que significa que sistemas bi-processados para atingirem seu máximo precisarão de pelo menos 4 pentes de memória instalados. Apesar da situação parecer fantástica para os sistemas top, alguns (inclusive nós) pedimos a AMD e seus parceiros por sistemas de baixo custo para a memória. Por sorte, o controlador de memória do Opteron é incrivelmente flexivel, e alguns parceiros da AMD criaram sistemas dual Opteron de baixo custo onde eles usam os bancos de memória de apenas um processador. Estas placas mãe são comunmente chamadas de "Shared Memory Bus" (Barramento de Memória Compartilhado). Ao invés de cada processador ter seus próprios bancos de memória, os processadores se comunicam um com o outro através dos canais do Hyper Transport, e permitem que o processador secundário busque dados dos bancos de memória do processador primário. <div class='bbimg'>http://cedaspy.com.br/spe/shadowwarrior/pag3.2.gif' border='0' alt='Imagem postada pelo usuário' /></div><div class='bbimg'>http://www.gamepc.com/images/labs/rev-opteronmemory-smpgraph2.gif' border='0' alt='Imagem postada pelo usuário' /></div> Barramento de Memória Dedicada / Barramento de Memória Compartilhado Estivemos olhando nos sistemas de memória compartilhada em reportagens anteriores e nós descobrimos que em situações gerais de workstation, tendo que dividir apenas um banco de memória não afeta a performance na prática radicalmente. Claro, que memórias dedicadas tem a preferência, já que elas permitem uma maior largura de banda. A memória compartilhada não é compatível com o NUMA (Non-Unified Memory Access) que explicaremos depois. Aqui está um rápida lista de placas mãe Dual para o Opteron e quais utilizam a memória dedicada e quais utilizam a memória compartilhada. http://cedaspy.com.br/spe/shadowwarrior/pag3.3.jpg' alt='pag3.3.jpg'>
  15. Os brasileiros sempre puderam jogar on-line na live.
  16. PS3 humilha.....

    Não são não. No caso do FX 55 as 6800U que são um gargalo para o processador. Alguém sabe se da para ligar esses consoles em um LCD e usar o modo 1080? porque comprar uma TV de plasma que custa 8 mil reais pra jogar é meio forçado...
  17. Half Life 2

    Todos os jogos tem avisos para pessoas hipersensíveis, esse aviso vinha escrito até no meu antigo sega CD! Alias, eles recomendam jogar uma hora e parar 15 minutos, para descansar a vista, mas como o povo não faz isso paciência... Eu digo uma coisa, se você tem hipersensibilidade descanse após uma hora e volte a jogar depois ué, isso é melhor do que ficar sem jogar o jogo. Eu zerei HL2 e não tive o problema citado, mas se eu o tivesse, eu faria isso.
  18. Do jeito que está, está bom. Acho que cada fórum tem seu método e flooders sempre irão existir, mas quanto ao "selo", eu não acho uma ideia tão ruim, no fórum PCs tem um "selo" que é o Clube Fórum PCs, onde os usuários que mais ajudam são colocados e se você só flooda você não é aceito e ponto final. O pessoal devia parar de se procupar com a inveja de quem chega, não implementar uma ideia porque alguém pode "se sentir prejudicado ou magoado" é patético, se o usuário se sente magoado porque ele não foi selecionado é um problema dele, ou ele participa realmente ajudando os outros ou não entra no clube, ou vocês acham que alguém vai aparecer aqui e dizer "mimimimi, ele tem o selo e eu não, isso é preconceito, mimimimi". Tenha dó né??
  19. Desvantagem numérica??? E dai??? Do jeito que você fala, parece que isso é uma corrida. Mas isso foi uma TREMENDA contradição hein??? Se todos concordamos que o número de posts não é importante, como você pode dizer que se tirarem o mesmo, nós postamos a troco de nada? Quer dizer que você posta só por causa disso?
  20. Não gostei. Ela fechou o leque e generalizou e quem generaliza perde a razão. Maturidade e idade não estão ligadas, há pessoas com 25 anos que tem atitudes infantis assim como o inverso também ocorre. Eu mesmo, tenho 16 anos e já tenho minha profissão bem definida. E nada de fazer o que os pais querem só ai já seria um erro, pois meu pai quer uma coisa e minha mãe outra e a profissão que eu escolhi não não faz a vontade de nenhum. Concordo com o Clemente, a vida é minha e a profissão quem escolhe sou eu, o que os outros pensam é irrelevente.
  21. Outro game que eu gostaria de ver um remake é o Alex Kid pra master system! Muito legal esse jogo.
  22. Eu não consegui...

    Hospede a imagem em: www.imageshack.com
  23. Já existe um tópico sobre isso: http://forum.clubedohardware.com.br/index....howtopic=187847

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×