Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Jimmy 2

Membro Pleno
  • Total de itens

    285
  • Cadastrado em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%

Tudo que Jimmy 2 postou

  1. Olá a todos. Fiz reparo na TV da minha tia, que tinha alguns LEDs queimados, e os troquei. Posteriormente vi aqui no fórum, que o aconselhável é trocar todas as barras, porque se um led fechou no fim da vida útil, é provável que outros também estejam por chegar. A TV voltou com mais LEDs queimados, confirmando o que eu disse acima. As barras de LEDs da Philips em questão custam absurdos $450. Pensei em trocar os LEDS, 1 a 1, por LEDs retirados de uma lâmpada tubular OSRA, que tem 3 anos de garantia, o que indica confiança do fabricante nos LEDs que utiliza. Medi na lâmpada que cada LED é submetido à tensão de 3V, e que a corrente de 65mA. Claro que vou verificar se na TV há as mesmas condições. Finalmente as PERGUNTAS: Para eu trocar os LEDs, terei que aquecer a barra por baixo (lado do alumínio) com solda de ar quente, e isso fará com que os LEDs ao redor também aqueçam. Esse aquecimento pode danificar os LEDs novos? Qual a temperatura máxima indicada para fazer isso? Alguma dica de outros fatores que devo observar, fora essa questão da temperatura e da corrente/tensão? Grato por toda a ajuda Jimmy San Juan
  2. Ola @.if , Eu gostaria sim de continuar, pelo desafio que é, e pelo aprendizado que virá. Só achei que seria um beco sem saída ao não conseguir identificar o CI, e, assim, não poder comprar um outro. A ideia do arduino eu gostei muito, e estou disposto a seguir em frente se puder contar com o apoio do pessoal daqui. Será meu primeiro trabalho com arduíno. A cafeteira ganhei de sucata, e vi uma oportunidade de aprender. O problema que causei foi o seguinte. A bomba estava ligada um polo no 127VAC, e o outro havia apenas um fio solto (solto até demais). Ao ligar a placa, o fio solto (segundo polo da bomba) estava encostado em um dos 5 pinos do conector que acredito ser de serviço. A bomba de cara funcionou, e eu estranhei porque ela estava com 1 polo desligado. Achei o bandido, separei bem ele da placa e liguei novamente, e foi quando vi que mais nada funcionava. A placa funciona mais ou menos assim: quando o power é pressionado, ela lê o sensor de temperatura da caldeira, que eu não sei se é analógico ou digital. Pisca o led vermelhao enquanto o sensor não acusar temperatura ok. Depois fixa o led verde, e assim que o operador escolhe entre quente ou frio (alavanca que é colocada de um lado ou outro) a bomba é ligada (não sei por quanto tempo), e passa o café. Tem 1 sensor na cabeça que é um reed switch que detecta um imã existente na bandeja da cápsula de café (sem a bandeja, nada funciona). Acho que até aqui não há problemas, mas tenho dúvidas: a) a caldeira continua sendo mantida aquecida enquanto a cafeteira está ligada e sem uso? b) se sim, seria um simples liga/desliga (com alguma histerese) baseado apenas no sensor da caldeira? b) tem power off por tempo de inatividade? Tentarei conseguir alguém que tenha a cafeteira pra que eu possa "mapear" algumas ações. Vou terminar uns projetos que estou tocando no momento, e assim que puder vou me dedicar a isso. Obrigado. Surgiu uma dúvida sobre sua sugestão. O comum a que se refere é o comum do Triac? Este está ligado em uma das fases 127VAC. Se o gate deve estar ligado a 5VDC da porta do CI (com resistor limitador), como essa medição entre os 2 poderia dar 5V?
  3. @.if Mas seria esse piscar causado pelo LED, ou pelo dispositivo de alimentação? Eles piscam individualmente ou coletivamente?
  4. @.if e @Renato.88, Obrigado pela ajuda que têm prestado, mas infelizmente a placa da cafeteira foi a óbito. Por causa de uma inabilidade minha, um fio encostou onde não devia, e agora ela nem dá mais luz de power. Suspeito que o C.I., que certamente estava funcionando, tenha queimado. Tentei identificar o código do CI mas está parcialmente ilegível, e tudo o que consegui foi F8212 e 2102, e que ele tem 16 terminais. Com apenas isso não consegui encontrar na internet para comprar. Acredito que a porta do CI que comanda a bomba d'água já estava pifada (problema original), o que já exigiria a troca do CI, logo, minha inabilidade não acrescentou dano significativo. Matei o moribundo. Mais uma vez agradeço. Abraços.
  5. Isso dá uma dissertação de Mestrado!! Correlacionar tempo de uso x luminosidade x aquecimento, e sei lá mais o que! Uma vez um técnico me falou que com o multímetro analógico dava pra medir algo (não me disse o que, ou de que forma), que indicava a vida pregressa do LED, e saber se ele tava "cansado" ou não. Não botei fé, mas... não custa perguntar pra quem entende. Obrigado pessoal.
  6. Olá, Gostaria de saber se existe algum teste que me permita verificar quais LEDs (de uma barra de LEDs de TV, por exemplo) estão "cansados", ou "desgastados", e embora funcionando, não vão durar muito tempo. Obrigado, Jimmy San Juan
  7. Você pode trocar de lugar as 2 que estão acendendo, com outras 2 que acendem fraco. Se as com brilho forte ficar nas 2 de baixo (na foto) é provável que o problema não está nas barras, mas nas conexões, fonte, cabos, etc. Se o brilho forte for junto com as barras que já tinham o brilho forte, é provável que sejam as barras com defeito. Esse teste já ajudará a fezer o teste recomendado pelo BCP. Jimmy San Juan
  8. Vou fazer isso, mas vou retirar o Triac para que um possível curto nele não afete a medição.
  9. Percebi que como a placa é envernizada, a medição que fiz no gate, e resultou 5V, estava só com uma ponta do multímetro em uma fase, a outra estava aberta, e marcou 5V aleatoriamente. Retirei o verniz e passou a medir 127VAC. Surge uma hipótese: o problema todo é que o Triac pifou, colocando gate e comum em curto, e agora passo a medir 127VAC tanto no gate quanto no comum, inclusive ambos em fase. Além disso, com a cafeteira na tomada, mas desligada, meço 127VAC também. Se for isso, a porta do CI deve ter queimado.
  10. @Renato.88 , obrigado pela grande ajuda que me destes. Peço desculpas por tomar mais do teu tempo, mas estou aprendendo muito, e agradeço pelos ensinamentos. Entendi, mas ai surgiu outra dúvida, apenas curiosidade: se o Triac serve pra CA (corrente nos 2 sentidos) porque não é usado para CC, se permitiria a corrente no sentido desejado? Questão de custo de fabricação? Outra dúvida: o triac para que conduza nos 2 sentidos, o gate tem que inverter a polaridade constantemente, ou pode ser estimulado com corrente em qualquer sentido, e vai conduzir nos 2 sentidos? Me ocorre perguntar, pelo que escrevi abaixo. Eu te passei info errada. Eu medi 5V no gate do Triac, mas medi errado. O correto é 127DCA. O que achei estranho é que quem estimula o gate do triac é uma saída de um CI (acredito que um microcontrolador),e tem um resistor de 560ohms entre sua porta e o triac. É possível que um C.I. tenha saída de 127VCA? Medi a tensão de gate com a bomba desconectada, e depois repeti a medição, agora com a bomba conectada. Com ela conectada eu percebi que quando eu media, a bomba acionava. Conclui que apesar do multímetro ter resistência interna alta, a medição de tensão permitia corrente suficiente para estimular o gate. Concluí corretamente? Para calcular a corrente do gate, eu teria que saber a tensão na saída do C.I. (127VCA), o valor da resitência (smd 5600), e o valor da resistência interna do gate. Como posso obter este último? Não achei no datasheet que você indicou.
  11. Não! Não pretendo fazer gambiarra. Não saberia fazer, e também não saberia identificar a possibilidade da barra adaptada danificar a placa fonte. Minha pergunta foi puramente no campo das finanças. Porque é tão cara se, aparentemente, envolvem apenas LEDS e uma base onde são soldados. Sim, algumas envolvem lentes de plástico (e muito menos LEDS), mas não é o caso da minha, que mesmo assim é cara. Se for uma questão de qualidade do LED, ok, mas mesmo as tubulares de boa qualidade, as que duram 10 anos, não custam tanto. Você saberia me dizer se existe algum teste que me permita verificar quais LEDs estão "cansados", ou "desgastados", e embora funcionando, não vão durar muito tempo?
  12. Olá a todos, Sou crú em eletrônica, mas com muita vontade de aprender. Estou tentando consertar uma cafeteira Nescafé Dolce Gusto Arno, que a bomba d'água não aciona. Bomba: 127VAC, 58W Suspeito de um SMD triac (creio ser) que tem tensão de gate (aprox 5V), e tensão de source (127VAC), mas não sai nada no drain. No corpo tá escrito 204S6D 4629 Pmj12 08 C5 Procurei datasheet, mas não achei com exatamente essa nomenclatura. Na verdade não sei qual a forma correta de buscar no google. Pelo 4629? Ou por 204S6D? Como não encontrei o datasheet, fiquei sem saber quais as tensões e correntes envolvidas. Na Sta Ifigênia, me indicaram um TIC229D como substituto. Nem é SMD, mas acho que dá pra adaptar. Em casa achei o datasheet, e vi que é de 400V, 8A (pra que tanto?), e tensão de gate máxima de 2V (se é que eu soube interpretar o datasheet). Acontece que eu medi 5V no gate do Triac "pifado". Poderiam me indicar um componente que substitua o original? Não gostaria de apenas saber qual é ele. Gostaria, se possível, aprender a fazer isso sozinho em outra oportunidade. Sei que também tem a questão da prática, que eu não tenho, mas espero poder absorver algo deste reparo. Obrigado Jimmy San Juan
  13. Mais uma pergunta: Porque uma lampada tubular, que tem 1 barra de LEDS de 1,2m, custa entre 15 e 30 reais, e uma barra de led de TV, que nem driver tem, custa tão caro?
  14. @vtrx , obrigado pela resposta. O problema é que são 4 barras, a R$ 100 cada = R$ 400 Já troquei, e diminui o brilho da tela pra "poupar" um pouco os LEDS, e também passei pasta térmica entre os fundos das barras (alumínio), e onde elas apoiam (alumínio tb), pra tentar diminuir a temperatura. Jimmy San Juan Isso me leva a perguntar: existe algum teste que me permita verificar quais LEDs estão "cansados", ou "desgastados", e embora funcionando, não vão durar muito tempo?
  15. @BCP , obrigado pela resposta. Vou verificar. Quero acrescentar outra questão: A alimentação das barras de LED é de 105VDC, medidos sem carga. São 2 conjuntos (A e B) alimentados individualmente. Cada conjunto têm 2 barras. Cada barra tem 2 sub-barras em paralelo, de 23 LEDs cada. CONJUNTO A CONJUNTO B ┌23┐ ┌23┐ ┌23┐ ┌23┐ (105VDC) --| |---| |---(GRN) (105VDC) --| |---| |---(GRN) └23┘ └23┘ └23┘ └23┘ Barra1 Barra2 Barra3 Barra4 Tenho que trocar alguns LEDs, e para tanto devo saber que led devo usar. Dividi 105 por 2 e obtive a tensão em cada barra (52,5V). Dividi 52,5V por 23 LEDs, e obtive 2,28V por LED. O problema é que pelo que pesquisei, os LEDs de TV existentes no mercado são de 3V-1W, ou 6V-1.8W, ou 6V-2W. Não achei LEDs próximos a 2,28V. Se considerarmos uma queda na alimentação devido à carga, fica pior ainda. Qual devo usar? Recordando: TV Philips 46PFL7606D-78 Obrigado pela ajuda Jimmy San Juan
  16. Olá, Estou fuçando em uma TV Philips 46PFL7606D-78, que os LEDs não acendem. Vejo que existe imagem, quando iluino o LCD com lanterna. Percebi que a saída BL ON/OFF da placa principal para a placa fonte não tem tensão, seja em stand by, seja com a TV ligada. O correto seria consertar isso, mas sou leigo e estou aprendendo. Me ocorreu uma ideia. A fonte disponibiliza tensão 12V sempre que a TV é ligada. Pensei em usar um potenciômetro para tirar desses 12V a tensão de 2V necessária para injetar na entrada BL On OFF da placa fonte, para ela acionar a saída de LEDs. Quando a TV for desligada, os 12V morrem, e morre junto os 2V. Minhas dúvidas, em uma TV que funciona corretamente: a) existe alguma situação em que a TV está ligada, mas a saída BL On/Off deva estar desligada? b) A saída BL On/Off é corrente contínia ou pode ser pulsada? Porque se puder ser pulsada, minha ideia de tirar dos 12V fica inviável pois não teria pulsos. Obrigado por qualquer ajuda. Jimmy San Juan
  17. Olá, alguma ideia sobre como diminuir o tamanho do cluster ao gravar um DVD? Obrigado,
  18. Vale mencionar todas as possibilidades, mesmo que remotas: Você está alimentando o conjunto com fio de bitola adequado? Sei que a potência da carga é baixa, mas se for um fio muito fino pode estar havendo perda de tensão nele e sobrando o não suficiente para as 2 lâmpadas. Ao ligar apenas 1 lâmpada, a corrente cai e a perda no fio também, restando o suficiente para acender 1 delas. Caso esteja ligando as fitas de LED diretamente em VCC, verifique se a capacidade da fonte é suficiente para 2 lâmpadas.
  19. Olá a todos. Tenho 10 pastas no Windows 8.1, que ao todo contém 4 milhões de arquivos pequenos, com tamanho médio de 650bytes. Apesar de ocuparem 2,5Gb de dados, no disco ocupam 16Gb, pois o HD é formadado com unidade de alocação (cluester) de 4kb. Como o HD é de uso geral, não vale a pena formatar com unidade de alocação menor, só por causa desses arquivos. Acontece que quero salvar isso num DVD, usando o próprio Windows Explorer (arrastando a pasta para o drive de DVD e mandando gravar), mas ao fazer isso, os 16Gb não cabem num DVD, nem mesmo em um dual layer. A solução seria definir um cluster de 1Kb, ao invés de 4Kb. Pergunta: uma vez que o tamanho da unidade de alocação é definida na formatação, mas o DVD ao ser gravado não exibe a tela de formatação, como posso fazer para que a gravação ocorra com clusters de 1Kb? Tem como alterar os 4Kb padrão do Windows, via Painel de controle ou registro do Windows? Obrigado
  20. Olá @.if Legal a aula. Estou aprendendo muito com tudo isso. Obrigado. Entendo o que você disse sobre o meu circuito, e você tem razão. O que ocorreu é que eu pensei em um transistor NPN, mas desenhei um PNP. Aquele circuito, já com o transistor corrigido, eu repliquei no Proteus e funcionou. Faltou apenas definir os valores dos resistores e do capacitor. O que não gostei foi que o transistor fica com 0,7V, dos escassos 2,2V (considerando 2 pilhas recarregáveis de 1,2 cada, já um pouco gastas). Acaba ficando 1,5V para o circuito, projetado para trabalhar com 3V. Outra coisa que incomodou é que a tensão fornecida cai gradativamente, à medida em que o capacitor vai esvaziando, assim como você bem previu. Eu queria evitar de usar as portas lógicas porque o CI de 6 portas ocupa espaço que eu não tenho dentro do controle, mas pra resolver a questão da queda de tensão gradativa, como você falou, só mesmo com porta lógica. Quanto à tensão EC que fica no transistor, não sei como resolver. Perguntas: A) Existe porta lógica NOT com apenas 1 ou 2 portas, ou só CI com 6? Existe porta lógica NOT que aguenta 300mA? Esse valor já tem uma boa margem de segurança. O normal é de 50mA. C) Se eu ligar as 6 portas do CI em paralelo (sua sugestão do post #2), a corrente se distribuirá por igual nas portas, ou isso não é garantido? Se der pra fazer isso, posso eliminar o transistor, e, quem sabe, o CI caiba dentro do controle.
  21. @.if, Obrigado pela disposição em me ajudar. Sim, você tem razão, e até me sugeriu o circuito para isso, mas acabei não desenvolvendo porque apesar de enorme interesse, tenho poucos conhecimentos de eletrônica (um pouco de teoria da faculdade, e nada de prática). Precisaria de mais detalhes sobre o circuito que você passou, ou seja, informações que são óbvias pra quem tem conhecimento, mas que pra mim são pontos de interrogação. Se você estiver disposto a continuar nesse assunto, gostaria de te fazer duas perguntas: 1) Eu propus um circuito na msg #19, que deveria funcionar sem porta inversora. Claro que sua solução é melhor, mas gostaria de entender onde errei no circuito para aprender. 2) Sua proposta, em cima do meu circuito, eu entendi, mas pra confirmar: a porta inversora ficaria em série com o resistor R1, mas antes ou depois dele? Creio que é indiferente, mas não tenho certeza.
  22. Olá, Implementei a sugestão do @Blumer Celta e coloquei uma chave de mercúrio. A solução apresentada por @.if eu não senti segurança suficiente nos meus conhecimentos de eletrônica, e como um controle desses custa caro, preferi partir do simples, e se precisar passo para o mais sofisticado, o que não está descartado. Com o que fiz, a interrupção da trilha do positivo da bateria também poderá ser aproveitado na solução com porta lógica, transistor, etc. @alexandre.mbm, coloquei a chave de mercúrio na parte final do controle. Inicialmente coloquei só a chave, mas ao testar percebi uma falha. Para acionar a função mouse (pointer na tela) do controle, é preciso chacoalhar ele, e isso fazia com que o controle reiniciasse porque por breves instantes de tempo o mercúrio deixava de dar contato. Resolvi colocando um capacitor de 1000uF em paralelo com a chave. Ele segura por fração de segundo, mas o suficiente para ser possível segurar a alimentação do controle durante a chacoalhada (que tem que ser leve). Visão geral: Tem trilhas saindo do positivo da bateria dos 2 lados da placa. Eu interrompi nos 2 lados, nos locais marcados com "I1" e "I2". Na parte da placa do lado do LED (oposta ao teclado), eu interrompi lá perto do LED porque em outros pontos há uma trilha super fina e bem próxima à que interrompi. Perto do LED achei mais seguro, embora fique mais longe do local onde instalei a chave. Já na face da placa onde fica o teclado, cortei mais próximo do final do controle remoto, onde coloquei os componentes novos. Conectei os pontos de alimentação da placa "A1" e "A2", e os conectei ao polo negativo do capacitor. Escolhi esse local para A2 porque tem uma área bem maior que uma trilha, e fica mais confortável soldar; só é preciso tomar cuidado com o componente assinalado com "C". Conectei também o polo positivo das baterias, ponto "P", ao polo positivo do capacitor. Com uma lima triangular, limei a lateral da placa (ponto "T"), para poder passar o fio de um lado a outro da placa. Retirei o jumper das baterias e recoloquei com os fios por baixo deles, porque por cima eles ficariam prensados entre a parte de cima da carcaça e o junper. Ao juntar a chave e o capacitor, eu alinhei-os pela parte de cima, porque o fundo do local onde foram alojados tem uma parte mais funda, onde entra a chave (que é mais comprida que o capacitor) mas não entra o capacitor, que é mais grosso que a chave. Após ter certeza de que o que foi feito realmente ajuda a manter a cargadas baterias, tentarei implementar a ideia do @.if, embora eu acredito que não há espaço no controle para alojar tantos componentes. Jimmy
  23. @if., obrigado pela sua ajuda. Por favor, veja se entendi corretamente: você desaconselha a utilização do circuito que você apresentou na mensagem #2, porque face às medições que fiz, a corrente pode ser elevada para o 40106N. Então você recomendou usar o transistor 2N3906. Na sua mensagem #16, você apresentou um circuito com o transistor para servir de base de desenvolvimento. Deduzi que o transistor vai trabalhar saturado. Eu fiz o circuito abaixo, e gostaria que você criticasse, e tb me ajudasse com o cálculo de R1 e C1. Eu olhei o datasheet do transistor e não sei bem como interpretar a informação sobre o multiplicador da corrente de base para definir a co emissor. Se for no mínimo 30 vezes (não sei), para VCC=2,0V (pilha recarregável não com plena carga), e para obter o Ie=300mA mínimo, tenho que ter corrente de Ib = 10mA. Logo, R1 deve ter 2/0,01 = 200ohms. Correto? Sei tb que haverá queda de tensão Vce, e chegará menos à carga, mas não sei o quanto isso é significativo. Outra dúvida é sobre o consumo (corrente) no transistor quando não há corrente de base. Pode-se considerar zero, ou na casa dos uA ou nA?
  24. Deixo registrado para futuras consultas: Abri o controle remoto para medir o consumo, alimentado com 3V. Ele em repouso, sem uso, TV desligada ou desligada (tanto fez) consome 7mA, continuamente. Ao teclar algo, durante o botão pressionado e led aceso, consome 15mA. E ao chacoalhar para entrar na função mouse, pointer, etc, ele consome entre 25 e 50mA. Percebi também que quando dava uma pancadinha bem de leve com a chave de fenda na placa, o consumo subia pra uns 40mA, durava 5 segundos e baixava novamente pra 7. Isso não é coisa do acelerômetro, porque ele não entrava no modo mouse (com o pointer na tela). Nem do microfone, porque eu gritei pra ele e continuou com 7mA. Com a pancadinha, aparentemente subia o consumo mas não fazia nada. Resumo: o bandido na história é o consumo de 7mA contínuo, pois este consome 24 horas por dia. @if., eu dei um banho de isopropílico com pincel nele e não mudou nada.
  25. Legal @if., vou partir para a realização. Qual CI você sugere para eu implementar a segunda ideia (porta não barrada + resistor alto + capacitor pequeno)? Que o capacitor deve ser bem pequeno, ok, mas que tipo é mais indicado? Eletrolítico? Cerâmico? Poliester? SMD? @Thiago Miotto, o meu controle é diferente, é mais antigo e pode ser que tenha um projeto não tão bom. https://www.casadocontroleremoto.com.br/varejo/produto/cr-3116-p-tv-lg-smart-magic-an-mr500g-akb73975807/

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas comunidades sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

Curso de Hacker Ético

LANÇAMENTO!

CLIQUE AQUI E CONFIRA!

* Este curso não é ministrado pela equipe do Clube do Hardware.