Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.

lb_felipe

Membros Plenos
  • Total de itens

    204
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%

Reputação

7

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    São Paulo
  1. @Achimed, as tensões oscilarem quando em idle e ficarem estáveis quando em load é normal.
  2. Bem, desisti de vez de overclock. Após 11h 06m 09s de OCCT, deu erro. Ou seja, o que parecia estável, não estava. E nem adianta alguém usar o argumento de "ninguém usa em load por tanto tempo", que, até que alguém me explique o contrário, isso aí não é garantia de que, com menos hora de load, ou aleatoriamente em load, o sistema não vá dar um erro que não daria se estivesse tudo dentro das especificações padrões. Eu estava usando 38x, 1.1875V + offset de 0.1625V = 1.35V e LLC1. Para tirar a dúvida de vez, realizarei um novo teste de OCCT com tudo no padrão só para confirmar a minha tese. Deixarei por 24 horas no mínimo. Acredito que não dará nenhum erro. Em stock, está tudo mais frio. Agora, no calor de São Paulo, com cerca de 30°C, rodando Prime 95 (small FTT) Tctl/Tdie não passa de 62°C com a Noctua NF-A15 a 800RPM num NH-U14S, uma NF-S12B redux-1200 PWM na traseira do Corsair 400Q exaurindo ar quente a 700RPM e duas NF-P14s redux-1200 PWM na frente insuflando ar frio a 600RPM cada uma. Nessa configuração e perfil de velocidade, o meu PC é bem silencioso durante o dia. Para que me matar, aumentar consumo, e aumentar ruído de som para ter 3.8GHz, sendo que todos os núcleos em load rodam a 3.2GHz, e em single core roda a 3.75GHz? Tanto esforço para tão pouco ganho? Bem, isso não muda o fato de eu estar muito frustrado. Fazer o quê. Overclock é uma bobagem, na maioria dos casos. Agora vou aproveitar o PC, senão fico aqui lamento o tempo perdido tentando fazer overclock nesta porcaria de plataforma Ryzen. Obrigado a todos que tentaram ajudar.
  3. Espere pelo AGESA mais novo. Isso deve melhorar as questões de subtimings da sua RAM. A ASRock tem lanaçado BIOSes regularmente? Você deve ter razão. Na verdade, nada é preciso. Tanto VDDCR quanto SVI2 TFN têm falha. Aqui, se eu deixo tudo em default (auto), VDDCR informa tensões sub 1V enquanto que SVI2 TFN não informa nada abaixo de 1.2V. Veja o que retirei do fórum do HWiNFO: Estou quase desistindo de OC com essa plataforma. Espero que o Core i7-8700K seja bom mesmo. Farei OC só alterando offset de multiplicador e nada mais. E, se não der, deixar o sistema em stock mesmo (uma versão não-K). Eu só quero fazer OC no Ryzen 7 1700 porque li que os ganhos são muito bons, e esse modelo é bem modesto em termos de clock. Como eu disse, OC não é o meu esporte não. Eu havia fetito uma coisa ontem. "Setei" 38.00 de ratio e D.O.C.P. (acho que a ASRock chama de XMP, que é a nomenclatura que a "Intel" criou). Apenas isso deixando o VDCCR setado em default (auto). Pensei que finalmente havia encontrado o melhor ajuste de Vcore, ou seja, deixar em Auto, sem quebrar a cabeça etc. O Ryzen devia ir ajustando essa tensão de acordo com a carga e clock, mesmo que em overclo. Parecia que seria isso mesmo, até que, após entre 6 e 7 horas de tortura do OCCT, deu erro no Core #0. Que raiva. Agora não sei se teste deixar VDDCR em auto de novo, mas com LLC qualquer, ou se apenas uso offset para o VDDCR. É ruim ficar só na base de tentativa e erro, sem saber exatamente e de verdade como essas coisas atuam. Cada teste pode me tomar mais de 6 horas, para, depois, voltar a estaca zero no meu OC. Estou arrependido de ter montado um sistema pensando em OC. Quero PC para resolver os meus problemas, e não resolver os problemas de se ter um PC. Já não tenho mais idade para OC.
  4. Sobre a precisão na aferição com multímetro, versus o sensor interno da CPU, veja: é normal que o multímetro mostre uma tensão maior que aquela que está circulando na CPU, pois os pontos de medição da placa-mãe estão "longe" da CPU (ou seja, sem um ponto de tomada de medição dentro da CPU, o que é inviável, não dá para medir com exatidão a tensão interna, a não ser usando um sensor interno, que seria o lido e chamado de SVI2 TFN pelo HWiNFO64), o que incorre em resistência (impedância). Pelo menos foi o que entendi e o que muitos users do OCN têm dito. A questão é saber, caso eles tenham razão, se a AMD especifica 1.35V como tensão segura para 24*7 lida pelo seu sensor interno, ou se é a penas uma estimativa sabendo que o VDCCR voltage vai estar sempre mais alto que o SVI2 TFN, portanto, ao se "setar" 1.35V, a CPU vai ser alimentada com algo em torno de 1.275V, ou seja, essa sim seria a tensão segura. Acho que não. Acho que a AMD assegura 1.35V tomados do sensor interno do Ryzen mesmo, pois não faria sentido ter tal sensor e ter de fazer estimativas basadas em sensores da placa-mãe. Mas tome tudo o que eu disse como mera especulação de minha parte. Sobre o meu OC, não tem jeito. Nem com 3.825GHz o OCCT durou por muitas horas. E eu estava usando configurações de VRM e phase bem agressivas (embora eu estivesse usando LLC3, e, com 3.8GHz, uso LLC1, sem saber, afinal, qual é mais agressivo). Pode ser que com LLC1, se for como você disse de o menor ser mais agressivo que o maior, eu consiga um OC melhor, mas no manual da PRIME X370-PRO diz justamente o contrário. Enfim, estou de novo com 3.8GHz e assim rodo o OCCT por horas sem erros. Exatamente agora ele está rodando há 17h27min. Acredito que a minha CPU seja mesmo limitada a 3.8GHz, e nem um MegaHertz a mais. A diferença de 3.8GHz para, por exemplo, 3.9GHz é tão pouca que não quero me incomodar com isso. Não me importam marcas ou números, mas sim o prazer de uso e a funcionalidade. Eu diria que não sou um overclocker esportivo não. Agora conduzirei testes de memória com HCI etc como você vem sugerindo. Quero ter a certeza de que o meu sistema está REALMENTE 100% estável. Mas por favor, vá nos deixando saber como anda o seu OC. Embora eu não seja um "esportista", sou entusiasta, e os seus relatos podem ajudar outros falantes de língua portuguesa com placas da ASRock ou similares, além dos Samsung B-die. Para quem interessar, por enquanto o meu PC ficou assim: 3.800GHz @ 1.35 VDDCR (SVI@ TFN em idle não passa de 1.35V e em load fica em média a 1.289V por causa do Vdroop) LLC1 para CPU (só ela, não SoC) VDDCR SoC @ 1.35V por causa do D.O.C.P @Atretador, use o overclock.net. Lá é onde se acha mais informações. Eu também tenho lido os artigos do Tom's Hardware. O resto eu nem leio muito, pois parece que a AMD enviou cherry picked para os sites e reviewers, assim quase todos têm obtido 4GHz com o Ryzen 7 1700 e mais de 4.1GHz com os outros que têm XFR (1700X/1800X). @Veloria, a temperatura máxima para os Ryzen é de 95ºC. E, ao contrário do colega @Nishijima_filho, eu usaria a leitura do sensor da CPU (Tctl/Tdie) como referência. Ou seja, o seu valor de temp. está ótimo. O meu aqui dá 69°C. Aliás, principalmente para o colega @Nishijima_filho, veja como há lógica. Usando sensores da CPU, a tensão informada é sempre MAIS BAIXA que aquela informada quando se usa o sensor da placa-mãe. Já com a temperatura é o inverso. A informada pela CPU é MAIS ALTA, o que corrobora com a tesse de que há uma "distância" que causa perdas nos valores. @SamucaFO, é o melhor caminho mesmo. Por favor, deixe-nos saber de tudo que você tem aprendido sobre OC dos Zen.
  5. Pelo o que li em overclock.net, esse é o intuito. Segundo eles, o que é colocado no BIOS não é o que o processador recebe em load. Na verdade, o que ocorre é que a tensão medida pelo BIOS é obtida em um sensor no VRM. Como a resistência até a energia chegar à CPU, sempre o que foi "setado" não chega íntegro à mesma. O SVI2 TFN seria a interpretação dos dados obtidos pelo sensor interno da CPU. Esse sim seria o mais confiável. Como eu disse, por causa da distância entre um e outro, o externo sempre vai marcar uma tensão e uma corrente maiores que o interno. O que não sei é o que a AMD leva em consideração a determinar o "safe". Se ela já está fazendo uma estimativa, prevendo que 1.35V ajustado no UEFI vai gerar cerca de 1.3V para a CPU e, tão logo, esse é o limite seguro, ou se ela assegura 1.35V dentro da CPU. Acho que é essa segunda opção mesmo, pois, em alguns papers, a AMD assegura 1.45V~1.424V~1.4V. Sobre o Vdroop, veja que o mesmo ocorre seja na interpretação VDCCR ou SVI@ TFN. Portanto, com certeza, não é bug nem erro de cálculo, mas apenas resistência elétrica. Se não me engano, a variação é proporcional em ambos. O que LLC faz, pelo que entendi, é diminuir essa variação e Vdroop, podendo resultar em tensões mais altas em idle do que se deseja, mas é um trade off em virtude de uma maior estabilidade. Só não sei qual é a convenção que a ASUS usa para tal. Ela tem 5 níveis de LLC. De 1 a 5. Só que já li que o 1 seria o mais agressivo e os seguintes manos que os anteriores conseguintemente, e já li que é o inverso. Qual será? Aqui o LLC1 está deixando as tensões bem estáveis. Preciso de ver direito isso. De ASUS para ASRock há algumas diferenças sutis em nomenclaturas e métodos. Sem falar que a sua é uma flagship e a minha é uma intermediária. Mas, de acordo com o que eu disse no comentário à citação anterior, acho que a "tensão menor" é a mais realista. O pessoal do overclock.net acha isso. Mas não sei. Só um engenheiro da ASUS poderia dar mais certeza sobre isso. De acordo com os meus testes e minha intuição, acho que eles têm razão. Eu diria que os sensores da sua Taichi seriam mais precisos que aquele que informa SVI2 TFN se mostrassem uma tensão menor (mais ainda assim não seria garantia, pois, mesmo assim, poder-se-ia tratar de uma estimativa ou cálculo feita pelo IC da placa). Infelizmente não. O OCCT acusou erro com 3.9GHz, 3.875GHz e 3.85GHz. 3.825GHz estão estáveis até agora (1h34min). Acho que a minha CPU só vai até 3.8GHz~3.825GHz mesmo. Obrigado pelas dicas. Bem, quanto à memória, não creio que seja um OC. Pelo contrário, é até um underclock, já que ela é especificada para 3000MHz e está operando a 2933MHz. Todavia eu já fizera testes antes e não deu erro (memtest86). Talvez eu faça de novo. Sério? eu pretendo dar o "selo de estabilidade" só após este PC ficar 72 horas (no mínimo) sob toruta ininterrupta. Para mim, OC só serve se A ESTABILIDADE DO SISTEMA FOR EXATAMENTE A MESMA DAQUELA DE QUANDO ESTÁ EM STOCK! Vejo muitos users daqui e do estrangeiro alegando que seus OCs estão bons, que, mesmo dando crashes/freezes/erros após algumas dezenas de horas de testes de tortura, não vão usar o PC em full load por tantas horas ininterruptas jamais, e que, portanto, vai ficar assim para aproveitar o máximo de desempenho. Eu discordo totalmente desse pensamento, pois o que me interessa é a confiabilidade. Quem garante que, um sistema que aguente, sei lá, 12 horas de 100% load até dar um erro não vai, subitamente, dar erro com 1 hora ou menos? Sei que (em teoria) o sistema em stock pode ficar 240 horas ou 2400 horas ou seja lá qual for o seu valor de MTBF sem dar erro, seja tarde seja subitamente cedo. Então quero que o meus sistema, mesmo em OC, aja dessa forma. Como OC para mim não é esporte, tem de ser assim. Seus DIMMs usam Samsung B-die? Sim, são esses ICs mesmo. Só que comprei estes DIMMs aqui já sabendo que rodariam a 2933MHz, pois consultei a QVL list da minha placa-mãe. Já parei, como eu disse lá em cima, e só estou conseguindo, no máximo, 3.825GHz estáveis. No entanto agora você me fez coçar o dedo. Estou pensando em "setar" algo acima de 1.35000V, como você sugeriu, só para ver se o meu Ryzen consegue pegar 3.9ghz~4GHz. O problema é que cansa testar tanto e, como sabemos, esses incrementos na tensão, acima de um certo ponto, passa a trazer aquecimento excessivo. Não é linear, é meio que logarítmico, ou não é aritmético, passa a ser geométrico. Mas estou quase parando aqui, de novo, e tentando o OC maior. Como eu disse, não sei qual é a convenção da ASUS. Lembro-me de usar LLC3 e não me dar tão bem quanto me dou agora com LLC1. Só que agora não sei até que ponto o problema era do sensor ASUS EC aliado a software de monitoramento. Vejamos. Deixá-lo-ei informado dos progressos aqui.
  6. OK, mas de qual "tensão" estamos falando? Daquela ajustada por nós no BIOS (VDDCR CPU), ou aquela cuja legenda, lida pelo HWiNFO64, é "SVI2 TFN"? Acho que tenho estabilidade sim. Desta vez o OCCT está rodando há mais de 9 horas. Suspeito de que a instabilidade estava sendo causada pela leitura, por parte do HWiNFO64, do sensor ASUS EC. Tanto é que o software adverte quanto à ativação da leitura desse sensor, alegando que pode haver instabilidade. Eu só o estava ativando para ler a temperatura do PCH, mas como a mesma nunca passava de 70°C decidi conduzir o teste, usando o software de monitoramento em questão, mas sem ler tal sensor. Até agora OK. E eu acho que era isso mesmo pois eu estava tendo black screens em menos de 5 horas de OCCT com 3.75GHz e Vcore "setado" para 1.4V! Aliás, tive tela preta até em idle com esse OC ou algo do tipo. Ou seja, só pode ser o software de monitoramento aliado ao ASUS EC que estava causando instabilidade. Agora estou usando os seguintes settings. CPU Core Ratio: 38.00 VDDCR CPU Voltage: Manual @ 1.35000V VDDCR SOC Voltage: Manual @ 1.35000V (via D.O.C.P. DDR4-2933 15-17-17-35, mas, devido ao "gear Down" ativo, ela fica @ DDR4-2933 16-17-17-35) >>DIGI+ VRM >>>>VDDCR CPU Load Line Calibration: Level 1 Voltei a deixar em default (Auto) itens como VDDCR CPU Power Phase Control, VDDCR SOC Load Line Calibration, VDDCR SOC Power Phase Control, etc. que também estão na pasta Ai Tweaker\DIGI+ VRM. Ou seja, com apenas 4 ajustes (38x, 1.35 Vcore, D.O.C.P. e LLC1), estou rodando as Corsair LPX 2x8GB DDR4-3000 15-17-17-35 na sua especificação correta (ou quase, já que o IMC dos Ryzen não tem divisor apropriado, deixando-a a 2933MHz), e o Ryzen 7 1700 @ 3800MHz. Acho que vou parar o OCCT (enquanto eu redigia isto, já está batendo 9 horas e 51 minutos de teste ininterrupto) e testar 3.9GHz. Ou será que espero mais algumas horas de tortura para ter certeza de que está rock solid? Agradeço mais uma vez pelo empenho em me ajudar no meu OC.
  7. @Nishijima_filho Obrigado pela mensagem.387V Sobre o termo gargalo, não me referi no sentido de limitar o desempenho computacional, mas sim, energético. Talvez esse termo (bottleneck ou gargalo) não seja o melhor. Desculpe-me. Quanto à fonte, li em SPCR que ela usa um IC cujo algoritmo calcula tanto a temperatura quanto a corrente (ou potência de saída), ajustando o perfil de velocidade da ventoinha de modo que não aconteça o que você disse, de o sistema de refrigeração ser pego de calças curtas. Não sei se é verdade. Além disso, ela é single rail, ou seja, é capaz de entregar os 549.6W (ou 45.8A) na linha +12V. Como quase nada "gastão" usa as demais linhas (5V, 3.3V), acho que essa corrente é mais do que suficiente para a minha configuração. A MSI GeForce GTX 1080 Gaming X 8G (a minha é não X, portanto gasta um pouco menos) gasta 254W de pico segundo o site TPU. O HWiNFO me deu um pico de 161.253W em CPU+SoC (eu sei que é uma estimativa feita pela CPU Ryzen, que só com multímetro dá para saber quanta potência a fonte está jogando aí) @ 3.8GHz 1.387V; Se jorgarmos 200W para CPU, mas uns 50W para o resto e mais uns 270W para a gráfica, ainda sobram uns 30W para coisas como teclado, mouse, etc. E isso exagerando muito prevendo que nunca acontece, que é 100% de consumo de CPU + GFX. Agora de pouco acabei de receber uma black screen. Fui à tela do BIOS e "setei": CPU 38x Vcore 1.3875V CPU LLC3 Asus DIGI+ VRM Phase Extreme O que mais posso tentar mudar para deixar este OC estável? Tenho de estipular objetivos. Qual seria a tensão segura para o Ryzen? Decidi não alterar nada no SoC, pois acho que isso só interfere com a memória, certo? Estou achando que a minha CPU é péssima de OC. Acho que ela só consegue uns 3.7GHz ou nem isso.
  8. Como assim? Aqui, lendo pelo HWiNFO64, CPU+SoC gastam juntos cerca de 120W quando há um OC para 3.8GHz. Só para você ter ideia, fazendo todos os testes de tortura/estresse, a ventoinha da RM550x nem sequuer chega a se ligar. Não quero desmentir você, e pode ser que você realmente tenha razão - inclusive, agradeço pela resposta e pela preocupação - mas duvido muito de que a fonte seja um gargalo no meu sistema. O cooler também não pode ser. Só para se ter ideia, a Noctua recomenda tal cooler (NH-U14s) para os TR. Se formos levar em conta que, em OC, o meu sistema dissiparia mais ou menos a mesma coisa que um Ryzen 16-core em stock, acredito que o cooler dá conta de @ 3800MHz no Ryzen 8-core.
  9. Sim, faço. Só que eu queria deixar o comportamento do Ryzen em overclock, o mais parecido possível com seu comportamento original. Não me agrada ver que estou gastando energia be aquecendo o interior do gabinete a toa. Não achei a opção Cool 'n' Quiet no BIOS. Acho que a ASUS dá outro nome ou não tem. Estou tentando algo, mas não consigo nem deixar a 3.8GHz estável. Estou quase desistindo de overclock nesta máquina aqui. Você acha que estarei desperdiçando muito potencial da minha CPU e da minha refrigeração se eu apenas deixar a DRAM com um "suposto overclock" (D.O.C.P. 2933MHz)?
  10. Por favor, ajudem-me a fazer overclock no meu Ryzen. Meu sistema é este: AMD Ryzen 7 1700 (YD1700BBAEBOX) ASUS PRIME X370-PRO Corsair Vengeance LPX 16GB (CMK16GX4M2B3000C15) MSI GeForce GTX 1080 GAMING 8G Crucial MX300 525GB (CT525MX300SSD1) Corsair Carbide 400Q (CC-9011100-WW) Corsair RM550x (CP-9020090-NA) Noctua NH-U14S Noctua NM-AM4-UxS Noctua NF-S12B redux-1200 Noctua NF-P14s redux-1200 PWM Noctua NF-P14s redux-1200 PWM Algumas dúvidas: Usando o Ryzen Master, consigo fazer overclock tendo os desejáveis clock e Vcore dinâmicos. Acho que isso é chamado de ZenStates (é isso?). Enfim, o problema em se usar esse programa é que, toda vez que que reinicio o computador, devo abri-lo e aplicar o perfil após o Windows se iniciar. Não há como ele se iniciar automaticamente? Caso eu não queira fazer overclock pelo Windows, posso usar os Pstates. Li em overclock.net, se não me engano, que o P0 tem bug. Que devemos deixar o P0 em AUTO, confirgurar o P1, e deixar os outros Px em AUTO também, que, por si só, já são configurados automaticamente, fazendo com que o Ryzen se auto ajuste em Vcore e clock automaticamente. Alguém sabe explicar melhor isso? Qual é a vantagem de se usar Vcore offset, calcular a diferença entre Vcore original e o Vocre pretendido para usar o resultado, em vez de digitar o Vcore pretendido e deixá-lo fixo? Se não me engano, o Vcore e o clock não ficam dinâmicos nem de um jeito e, obviamente, nem do outro, mesmo usando, em Windows, o plano de energia Ryzen Balanceado. O que são os Cstates? Há outras dúvidas, mas vamos conversando e tentando esclarecê-las aos poucos. Lembrando que a minha placa tem um BIOS/UEFI bem parecido com os das ROG, mas com algumas opções faltantes, claro.
  11. @Atretador, entendo o seu ponto. Talvez você tenha razão. Meu plano A, como você pode ver no post original, era uma B350 mesmo. Porém, por menos de 800 reais, consegui pegar um ASUS que, independentemente do chipset, vem com vários features de topo de linha, além de chokes mais duráveis. No site overclock.net, é discutido a fundo isso no thread "Ryzen motherboards". Alguns experientes users dizem que, a longo prazo, a coisa pode mudar. Ou seja, a maioria dos testes de overclock, seja nas X370, seja nas B350, é conduzida com metodologia que preveja poucas horas de stress (e é até compreensível, uma vez que o reviewr tem pouco tempo de disponibilidade da placa-mãe). Supõe-se que a longo prazo, ou seja, dias e dias de stress, fará com que as placas-mães cujo VRM seja inferior apresentem instabilidade e até break down. Isso já aconteceu comigo. E não é culpa do chipset, como você já deve saber. É que as placas cujo projeto é mais robusto costumeiramente vêm com um chipset (a um maior preço por causa disso também, obviamente) mais topo. Mas pode ser que isso tudo seja apenas conjectura, e que as B350 (ou a maioria delas fiquem) fiquem estáveis por anos ou décadas. Quem sabe? Agora é tarde. Já adquiri a PRIME X370-PRO (que, assustadoramente, tem vários reviews negativos na Newegg), que tem um bom pacote de features, como CODECs, ethernet, UEFI etc topos de linha, por um preço abaixo do praticado no Brasil. Torça por mim. Obrigado pelas mensagens e fique a vontade para criticar, sugerir, comentar etc mais o que quiser.
  12. @Atretador, obrigado pela mensagem. Não. Nem pensar em SLI ou coisa do tipo. Não peguei essa placa-mãe por causa do chipset X370. Peguei pelo conjunto que traz levando em conta a diferença de preço entre ela e outras mais baratas (B350), cujos VRMs são inferiores, sem falar de outras limitações. Veja o preço que paguei na ASUS PRIME X370-PRO. Não se acha mais essa placa-mãe por esse preço. Será que compensava economizar em torno de 100 reais e pegar uma placa-mãe B350 cujo CODEC de áudio é inferior, chip de rede, VRM etc tudo pior?
  13. Obrigado pela resposta, amigo. Acabei comprando outra coisa. Inclusive, agora o foco é gaming. KaBuM! CPU: AMD Ryzen 7 1700 (YD1700BBAEBOX) R$ 1.260,90 SSD: Crucial MX300 525GB (CT525MX300SSD1) R$ 849,90 Fonte: Corsair RM550x (CP-9020090-NA) R$ 548,90 Frete: Correios E-Sedex R$ 43,66 TerabyteShop Placa-Mãe: ASUS PRIME X370-PRO R$ 782,13 Placa de Vídeo: MSI GEFORCE GTX 1080 GAMING 8G R$ 2.461,23 Frete: Correios PAC R$ 28,26 Tecsend Memória: Corsair Vengeance LPX 16GB (CMK16GX4M2B3000C15) R$ 715,00 Pichau Gabinete: NZXT S340 Elite (CA-S340W-B3) R$ 519,90 Frete: Jamef Transportadora R$ 55,00 WAZ Cooler: Noctua NH-U12S R$ 369,99 Acessório: Noctua NM-AM4-UxS R$ 39,99 Frete: Correios PAC R$ 26,59 Dell Brasil Monitor: Dell UltraSharp U2515H R$ 1.674,00 Frete: DHL R$ 0,00 Total R$ 9.375,45 Vou substituir o cooler por um Thermalright Le GRAND MACHO RT ou um Noctua NH-D15S + Noctua NM-AM4 (o que me vai custar um pouco mais). Ainda faltam teclado, mouse, mouse pad, protetor de energia, caixas de som e cabos. Deem-me sugestões, por favor. Fiquem a vontade para criticar as minhas compras.
  14. Processador: AMD Ryzen 5 1500X (YD150XBBAEBOX) R$ 799,90 Placa-mãe: GIGABYTE GA-AB350-Gaming 3 (rev. 1.0) R$ 669,90 Memória: G.SKILL [FORTIS (for AMD)] F4-2133C15D-16GFT R$ 639,90 Gráficos: GIGABYTE Radeon RX 580 Gaming 4G (GV-RX580GAMING-4GD) R$ 976,90 Armazenamento: Crucial MX300 275GB SATA 2.5" 7mm (CT275MX300SSD1) R$ 519,90 Gabinete: Corsair Carbide Quiet 400Q (CC-9011100-WW) R$ 424,90 Fonte: Corsair RM550x (CP-9020090-NA) 548,90 Frete: R$ 100,92 Sub-total: R$ 4.681,22 Loja: KaBuM! Teclado: Logitech G610 Orion Brown R$ 539,75 Mouse: Logitech G403 Prodigy R$ 219,22 Mouse Pad: Logitech G240 R$ 97,75 Frete: R$ 161,78 Diferença: -R$ 0,01 Sub-total: R$ 1.018,49 Loja: Logitech Store Monitor: Dell UltraSharp U2515H R$ 1.580,00 Monitor: Premium Panel Warranty Advanced Exchange 5 Years R$ 95,00 Som: Dell Stereo USB Monitor Soundbar AC511 R$ R$ 188,00 Frete: R$ 0,00 Diferença: -R$ 0,34 Sub-total: R$ 1.862,66 Loja: Dell Brasil Total Geral: R$ 7.562,37 Acabei de pedir esse PC. Será destinado para web, office, fotografia e um pouco de jogos. Faço questão de baixo ruído, velocidade e conforto. O monitor é bem avaliado, tem uma resolução de 2560x1440, backlight sem flicker (flicker free), qualidade fotográfica, e bom desempenho (baixos input lag e tempo de resta sem overshoot ghosting óbvio). Acredito que a escolha dos acessórios fará com que tenha alta produtividade. Enfim, o que quero saber é se estou pagando um valor razoável por tudo isso. A escolha da barra de som foi só por motivos de praticidade e economia de espaço. Eu sei que dava para baratear em muitas coisas, mas eu tentei não comprometer muito qualidade e a harmonia, sem que isso encarecesse demais. Não selecionei uma variante de 8GB nos gráficos por falta de disponibilidade, e optei por DDR4 2133 MHz pelo mesmo motivo. Gabinete e fonte parecem over priced, mas gosto da qualidade, facilidade de manter o silêncio e estética. Teclado e mouse também foram escolhidos nessa linha, embora seja a área em que acho que exagerei um pouco, mas acredito que qualidade e prazer ao uso compensem o preço. Por favor, opinem, sugiram, critiquem e comentem tudo que puderem. Eu também gostaria de recomendações de como escolher e obter o sistema operacional. Há versão OEM? Qual é a melhor maneira? Que edição escolher? Obrigado.
  15. Mais uma vez, obrigado. Esses que você citou têm muita diferença no uso geral para o cuja configuração listo a seguir? Intel Core 2 Duo E4500 (2200 MHz) Intel Bearlake G33 4GB DDR2-667 Western Digital Blue WD1600AAJS (160GB) Sei que esse que listei é bem inferior. O ponto é: compensa pagar quase 800 reais para ter um PC melhor (sendo que talvez nem faça tanta diferença assim) ou é melhor esperar o dólar baixar, juntar mais um dinheiro (mais de 1500 reais) e comprar algo de outro patamar. O que você acha? Lembrando que é um PC emergencial, apenas para Chrome (Windows 10) e coisas de escritório.

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×