Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

ksio89

Membros Plenos
  • Total de itens

    122
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%

Reputação

32

Sobre ksio89

  • Data de Nascimento 28/08/1989 (29 anos)

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    Fortaleza
  1. Pra que simplificar se pode complicar? Qual o problema da nomenclatura sequencial das versões, tipo 3.0, 3.1, 3.2 etc.?
  2. Eu tenho um notebook da ASUS e tenho enfrentado um problema em que as entradas USB às vezes param de funcionar depois de acordar da hibernação. Quero dizer, todos os dispositivos que estão conectados a eles param de funcionar, como mouse, teclado e controles sem fio, headset USB, pendrive, HD externo etc. Remover e reconectar os dispositivos não resolve o problema. A única solução que eu conheço é reiniciar o Windows No entanto, quando esse problemas das portas USB acontece, surge outro, no qual o Windows fica preso na tela de reinicialização, então tenho que desligar o notebook segurando o botão de ligar. Isso parece acontecer aleatoriamente, a maioria das vezes as portas USB funcionam depois de acordar da hibernação. Porém, ontem esse problema também apareceu algumas vezes após uma inicialização normal, o que nunca havia acontecido antes. É um problema intermitente, mais que atrapalha bastante porque uso bastante o recurso de hibernação, para já deixar o Windows pronto pra uso após ligar o notebook. Eu já desmarquei "O computador pode desligar o dispositivo para economizar energia" na aba Gerenciamento de Energia da propriedades de USB Root Hub (USB 3.0) no Gerenciador de dispositivos, e também para todas as entradas disponíveis depois de mostrar dispositivos ocultos. Também desabilitei a "Configuração de suspensão seletiva USB" nas configurações avançadas para todos os planos de energia existentes, tanto para os modos na bateria quanto para conectado. Todavia, eu não acredito que essas opções estejam relacionadas ao meu problema. Eu também já desliguei a opção de economia de energia na BIOS do notebook, mas também não resolveu o problema. Estou já estou ficando sem ideias do que podem estar causando esse problema. Me questiono se é um problema de hardware, onde os hubs USB param de funcionar aleatoriamente. Eu também já pensei em reinstalar o Windows, sem ser uma instalação limpar, e ver se esse problema não acontece mais, mas não tenho certeza de que isso vai resolver. Informação: SO: Windows 10 Home Single Language x64 versão 1709 (compilação 16299.125) modelo do notebook: ASUS X550LN-BRA-548H Portas USB: 2xUSB 3.0 + 1xUSB 2.0
  3. Com certeza é algum problema na placa-mãe, digo isso porque que estou enfrentando um problema idêntico no meu notebook Dell Inspiron. Sem entrar em detalhes técnicos, a placa-mãe tem um circuito e componentes ponde a corrente elétrica flui da bateria para alimentar a placa-mãe e todos os dispositivos, ou do carregador para recarregar a bateria. Meu notebook está do mesmo jeito, o carregador e a bateria estão funcionando porque já testei ambos em outro notebook da Dell, mas a placa-mãe está com algum componente defeituoso que impede que a corrente fornecida pelo carregador passe por ela e chegue à bateria para recarregá-la. Após plugar o carregador, o led indicador de recarga pisca em branco por um instante e então muda para laranja, indicando que o carregamento foi interrompido. Quando isso acontece, na barra de tarefas do Windows, a animação do ícone da bateria para, e quando você passa o cursor por cima, aparece a mensagem "X% disponível, conectada mas sem carregar." No meu caso, ele também só permanece ligado com o carregador plugado, só que com o clock do processador no mínimo, tornando o notebook extremamente lento. O clock da CPU vai até 2,7 GHz em modo de alto desempenho, porém por causa desse problema, ele fica sempre em apenas 700 MHz, o que tem impacto direto na performance. Quando ele funciona com a bateria, o clock chega aos 2,7 GHz esperados. Talvez o seu esteja acontecendo o mesmo, só abrir o Gerenciador de Tarefas e observar o clock da CPU na aba Desempenho, bem provável do clock estar bem baixo. Pelo que já pesquisei, infelizmente é um problema de hardware, em um componente eletrônico no circuito da placa-mãe por onde passa a corrente elétrica oriunda do carregador em direção à bateria. No meu caso, é um componente que detecta a potência que o carregador é capaz de funcionar, que é de 90W. Como ele deu defeito, a placa-mãe não consegue mais detectar o quanto de potência o carregador consegue fornecer, e acaba reduzindo o clock do processador, algo similar ao modo de proteção de motores de carros mais modernos, chamado de "limp mode". Eu cheguei a comprar o cabo de energia que tem plugue de entrada do carregador em um lado e um conector a ser ligado na placa-mãe do outro, e não resolveu. Acho que a única solução nesse caso é pedir para um técnico em eletrônica equipado de um multímetro digital fazer os testes para tentar identificar o componente defeituoso na placa-mãe, e se possível substituí-lo, mas na minha opinião é uma alternativa invíavel pelo custo e pela incerteza em encontrar o problema. Ou isso ou então comprar uma placa-mãe nova, o que é uma alternativa ainda mais inviável financeiramente.
  4. Pessoal, como faço para reproduzir o áudio via Bluetooth do meu aparelho Android no Windows 10? Eu já emparelhei o meu smartphone com o laptop, e ele está listado em Configurações>Bluetooth e outros dispositivos, ele aparece como "Emparelhado", mas não tem em lugar algum a opção de reproduzir o áudio via Bluetooth do dispositivo Android. Eu já fui até o Dispositivos e Impressora, abri a janela de Propriedades do meu aparelho Android, abri a aba Serviços", e a caixa "Advanced Audio" está marcada, que nada mais é que o protocolo de transmissão de áudio A2DP. Já emparelhei outro telefone Android, e o mesmo problema, não aparece a opção de reproduzir áudio via Blueooth. Já testei os dois aparelhos em outro notebook, e idem, é coisa do Windows mesmo. Tanto o notebook quanto o meu smartphone Android suportam Bluetooth 4.0. Está assim no meu notebook: Alguma ideia de com fazer para o Windows reproduzir áudio Bluetooth a partir do meu Android? Estou rodando a edição Home Single Languagem, versão 1703, build mais recente, 15063.540. Obrigado desde já.
  5. Gaças ao lendário Faller do tópico de energia no fórum, eu comprei dois supressores de surto (odeio o termo "filtro de linha") de qualidade, o Clone F1087 Professional. Filtro bom, com três varistores adequados, fusível térmico e outros componentes de proteção, paguei 32 reais em cada no começo de 2013, até hoje não acredito que comprei algo tão bom por um preço tão baixo. O Faller desmontou e analisou o filtro e gostou muito do que viu, foi o suficiente para me convencer e comprar um par deles. Tinha outro da Microsol, se não me engano, que era tinha custo/benefício benefício também. Como já esperava, poucos meses depois esses supressores de surto bons e baratos sumiram do mercado brasileiro, visto que deixaram de ser importados da China. Hoje você tem que pagar uma pequena fortuna em um Clamper ou Upsai para ter um supressor de surtos de qualidade. Brasil-sil-sil-sil...
  6. Pelo que eu li, a diferença seria principalmente na questão de drivers, que para as placas de vídeo destinadas ao uso profissional, seriam muito mais otimizados e estáveis que os para uso doméstico, uma vez que quem compra esses produtos são profissionais. Além disso, o suporte deve ser muito mais abrangente, e o custo é embutido no preço dessas placas de vídeo voltadas para profissionais. Em questão de hardware, como já mencionado, placas voltadas para profissionais geralmente têm uma quantidade muito maior de memória. Mas essas WX 2100 e WX 3100 são bem low-end, por mais otimizadas que sejam para uso em workstations, a quantidade de VRAM e largura de banda de memória parecem bem poucas. Mas quem sou, mero leitor do CdH, para contestar a AMD kkkk, ela não ia lançar essas GPUs sem ter certeza de que não iam dar conta do recado. A minha opinião é que essas duas placas aí não valem o que a AMD está cobrando. Aliás, placa de vídeo para uso profissional é algo que nunca me convenceu muito. Ainda acredito que na maioria das vezes vale mais a pena comprar uma placa de vídeo top mainstream, mesmo com estabilidade e otimização de drivers inferiores.
  7. Muito obrigado pela resposta. Realmente não me recordo de ter visto prazo de validade nas embalagens dos cartuchos. Bom, acabei comprei mais um par de cartuchos para guardar, acredito que fechado na embalagem, dure bastante tempo. Sobre os 6 meses de validade após o cartucho ser aberto, acredito que ele esvazie antes de completar esse prazo. Novamente, agradeço-o pelas respostas.
  8. Recentemente comprei uma multifuncional Canon PIXMA E481, que usa o cartucho PG-44 (preto) e PG-52 (colorido). Aproveitei e comprei junto dois cartuchos PG-44XL de alta capacidade, que estão em promoção na loja da Canon na internet. Eu penso em comprar vários cartuchos para estocar, mas não sei qual validade deles. Alguém saberia dizer qual a validade dos cartuchos da Canon fechados na embalagem? Já perguntei nas páginas da Canon no Twitter, no Facebook e até no Youtube, mas não obtive resposta. Obrigado desde já.
  9. Nem me decepcionei muito com a performance inferior dos Ryzen em jogos e relacão aos Kaby Lake, já meio que esperava. Gosto dos produtos da AMD e sei que ela faz milagre com o orçamento limitado e competindo ao mesmo tempo com gigantes como a Intel e a nVidia, mas ela insiste em morder a própria língua. Ela faz um marketing danado, promete mundos e fundos, e quando lança o produto não chega nem perto do que fora anunciado. Aí vem as mesmas desculpas de sempre: falta "otimização" pelo Windows, pelos jogos, pelos programas etc, BIOS, memória etc. Se a AMD prometesse menos eu nem ligaria muito, mas a AMD persiste em falar muito e mostrar pouco. A Intel pode ficar tranquila, porque para mim a AMD falhou mais uma vez em entregar o anunciado.
  10. Ultimamente tenho usado a Akasa AK-450-5G, que possui prata em sua composição. O coeficiente de condutividade térmica dela é de 9,24 W/m.K, o que me parece ser muito bom. Um tubo com 5 g (é bastante) custou cerca de 25 temers numa loja local, e abaixou uns 5 °C a temperatura em carga total (jogos 3D) da GPU do meu notebook da Dell, que tem uma Radeon HD 8850M GDDR5 overclockada para a 8870M, isso em relação à pasta da Implastec. No meu desktop baixou uns 4 °C a temperatura da CPU em carga máxima em comparação com a pasta da Implastec. Eu não pago uma fortuna numa Arctic Silver e MX-4 da vida, mas também não compro uma pasta ordinária pra usar no notebook que já trabalha no limite da capacidade de refrigeração.
  11. Estou com o Windows 10 Home e meu X550LN não está funcionando a suspensão. Quando ele acorda, ele reinicia, realizando todo o o processo de boot, em vez de retornar imediatamente para a área de trabalho após apertar alguma tecla ou tocar no touchpad. O driver ATK Package para Windows 10 já está instalado. Alguém mais com esse problema, vocês têm alguma ideia de como fazer esse notebook retornar da suspensão corretamente?
  12. Eu acho que tem muito é marketing da Microsoft como sempre sobre o DirectX Direct3D 12, pra estimular venda de placa de vídeo. Esse lance dos feature levels acabou foi me confundindo, ainda mais depois do anúncio do desenvolvedor da AMD afirmando que não existe nenhuma GPU no mercado com suporte 100% a todos os recursos do D3D 12. E realmente é irritante essa "venda casada' de uma nova versão do DirectX com uma nova versão do Windows.
  13. Gabriel, gostaria de fazer algumas correções: A Radeon HD 8830M tem somente memória DDR3 e possui 128 bits de barramento, não 256. Até porque é a GPU de entrada da série 88x0M, não faz o mínimo sentido ela possuir 256 bits. a Radeon HD 8850M possui duas variantes: uma com memória DDR3, que possui parâmetros idênticos à 8870M, exceto pelo clock efetivo de memória (2 GHz), que a faz ter 32 GB/s de largura de banda como corretamente informado no gráfico. Já os valores de clock informados na tabela para a 8850M são na verdade da 8850M GDDR5, que possui 72 GB/s de largura de banda, de acordo com o cálculo: 128 bits/8 x clock memória efetivo (1125 MHz x 4 = 4,5 GHz efetivos)/1000 = 72 GB/s. A 8870M tem somente memória GDDR5 e possui barramento de 128 bits e não 256 bits, o que acarreta em uma largura de banda de 72 GB/s. Sem querer abusar mas já abusando da boa vontade, seria legal também mencionar a configuração da GPU, isto é a quantidade de unidades processadoras, como no exemplo da 8830M/8850M/8870M: 640:40:16 => 640 unidades sombreadoras:40 unidades de textura:16 ROPs fonte: http://www.amd.com/Documents/AMD-Radeon-HD-8000M-Series-GPU-Specs.pdf http://www.notebookcheck.net/AMD-Radeon-HD-8850M.87118.0.html Parabéns novamente a você e aos demais colaboradores do CdH pelo incansável trabalho em compilar essas tabelas!
  14. Tão importante quanto a disseminação do UHD é a adoção do esquema de compressão HEVC/H.265 e decoficação via hardware. Nesse quesito a AMD (somente OpenCL) está bem atrasada, pois a Intel já implementou uma solução híbrida (SW e HW) desde o Haswell, enquanto a nVidia já dá suporte total por hardware na Maxwell 2.0, isto é, a série 9xx.
  15. Então somos 2. Não nego que SSD é infinitamente superior a HDD, mas também não vejo sentido em gastar uma nota ao adquirir um SSD só para ganhar alguns segundos ao iniciar o Windows. No meu Inspiron troquei o HD de 1 TB da Toshiba de 5400 RPM e 8 MB de cache por um da HGST de 500 GB 7200 RPM e 32 MB de cache, e reinstalei o Windows em modo UEFI + GPT, e notei um ganho muito alto de velocidade ao fazer o boot e até em carregar alguns jogos. Reiniciar o computador após hibernar é quase instantâneo, e ao transferir dados do e para o HD externo via USB 3.0 está razoável. SSD que caiba os jogos tem um preço obsceno no Brasil. Nos EUA até dá para você usar o SSD como armazenamento geral, mas qualquer HD de 240 GB comprado por vias legais no Brasil tá impraticável. Eu queria um SSD que tivesse velocidade de 7200 RPM e quantidade de cache adequada (64 MB por exemplo), mas que fosse mais barato, pois o que me atrai mesmo nos SSDs é a alta confiabilidade por não ter partes móveis.

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

GRÁTIS: minicurso “Como ganhar dinheiro montando computadores”

Gabriel TorresGabriel Torres, fundador e editor executivo do Clube do Hardware, acaba de lançar um minicurso totalmente gratuito: "Como ganhar dinheiro montando computadores".

Você aprenderá sobre o quanto pode ganhar, como cobrar, como lidar com a concorrência, como se tornar um profissional altamente qualificado e muito mais!

Inscreva-se agora!