Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

FelipeZ.

Membros Plenos
  • Total de itens

    373
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%

Reputação

143

1 Seguidor

Sobre FelipeZ.

  • Data de Nascimento 02-04-1998 (20 anos)

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    Porto Alegre-RS
  • Sexo
    Masculino

Outros

  • Biografia
    Sou estudante de Engenharia Mecânica pela federal do RS,tudo que aprendi sobre eletrônica foi por meio de pesquisa e pratica, sempre fui fascinado por alta tensão!
  • Ocupação
    Estudante,Hobbysta em eletrônica.
  1. Então, acabei usando isolamento em tecido, Nomex pra ser mais exato, o fator de enchimento não fica o melhor possível, mas ficou bom o suficiente pra o que eu precisava.
  2. Agradeço muito pela disponibilidade em ajudar! Na realidade estou rebobinando ele por que se trata de um motor de CRF450X que usamos em um protótipo de Fórmula SAE, e como toda moto importada com poucos exemplares no Brasil a peça nova custa horrores, cerca de 1300 reais nova, então vou refazer esse que temos mesmo. Além do mais, como o motor usa injeção eletrônica atualmente eu não preciso mais das bobinas de campo, então vamos rebobinar ele pra trifásico (originalmente eh bifásico) pra aumentar um pouquinho a potência de saída, os cálculos pra isso foram feitos por um pessoal especializado hahahaha Mas ainda preciso resolver o pepino do isolamento da armação que não existe atualmente.
  3. Muito obrigado pelas informações! Então, o que eu estou procurando refazer eh a parte plástica que recobre o metal do estator, na qual você enrola o fio sobre (a parte verde na imagem abaixo). Acontece que o meu estator derreteu ao ponto de não sobrar nada do plástico original, então estava procurando algo que eu pudesse usar pra refazer isso. Como você mencionou que a resina acrílica aguenta uns 300°C acho que eu consigo fazer moldes pra formar o acrílico na pecinha de plástico que eu preciso pra enrolar as bobinas. Você tem uma marca específica que você usa, ou qualquer resina acrílica deve servir? Pra isolamento final eu vou banhar em verniz próprio pra transformadores, provavelmente um classe H, pra aguentar a temperatura, e depois talvez enrolar uma fita Kapton por cima da bobina.
  4. Boa noite! A uns dias atrás o estator (gerador) do motor da minha moto disse adeus a esse mundo, i.e. pegou fogo. Após retirar ele do motor estou na missão de recuperar ele, acontece que quando eu fui tirar as espirras torradas, elas derreteram aquele plástico que tem por cima da armação metálica do estator, ou seja, o plástico teve que ser retirado também, me sobrando só a armação metálica laminada dele. O que eu gostaria de saber é se alguém poderia me dizer algum tipo de plástico, resina, epoxy, ou algo do gênero que eu possa usar pra refazer essa cobertura plástica do estator, pensei nos epoxys usuais mas acontece que esse estator vai dentro do motor, em contato com o óleo quente, e o material usado pra fazer esse isolamento teria que aguentar cerca de 200°C. Alguém tem alguma sugestão do que eu poderia usar pra refazer essa cobertura? pode ser até um esmalte, ou algo assim. Passei um bom tempo pesquisando que tipo de material se usa pra fazer esses rebobinamentos, mas não achei conteúdo fiável sobre isso, se vocês puderem me dar uma luz no assunto eu ficaria muito agradecido!
  5. Ah bom, então realmente, a foto não ajudou nem um pouquinho no entendimento do que você precisava. Tudo depende do que você quer usinar com a CNC que você vai montar, se ela é pra usinar plastico e madeira, se é pra usinar até alumínio, ou se você quer passar um 4340 Chromoly nela. Vamos lá, cremalheira não vai funcionar, por que cremalheira não tem a precisão necessária pra isso, a precisão de um conjunto de cremalheira pinhão é totalmente dependente no número de dentes que fazem contato entre o pinhão e a cremalheira, quanto mais dentes maior a precisão do movimento, porém menor os dentes ficam, e ai você acaba comprometendo a robustez do conjunto, a não ser que você faça algo ridiculamente grande. O conjunto de rosca sem fim é usado justamente por que a limitação de precisão do movimento não fica no conjunto da rosca sem fim, a precisão do movimento é limitada pela precisão de steps do motor, então quanto mais preciso o motor, mais preciso o eixo com rosca sem fim, uma vez que a rosca sem fim não tem dentes pra ficar "engatando" numa cremalheira, o movimento é liso e continuo. O que não acontece com um conjunto de cremalheira, pelos motivos que eu pincelei acima. Outro fator a se considerar, a precisão de toda a CNC é tão boa quanto a qualidade de sua estrutura, não adianta nada você ter eixos e motores capazes de usinar Chromoly se no momento que a fresa encostar no aço os suportes dos eixos fletirem, ou empenarem. Então leve em consideração que quanto mais forte ao motor que movimenta a fresa, mais forte tem que ser a estrutura que segura ele no lugar. Os motores que você usaria seriam os de passo, motores de passo são sem fim (imagino que você tinha a ideia que eles tinham um "fim de curso", certo? Mas não, eles não tem), eles não tem limites de idas, nem de voltas, eles giram pra mesma direção indefinidamente enquanto eles estiverem ligados. A precisão deles é dada em "steps" (passo em inglês, por isso motor de passo rsrs), quanto mais steps, mais preciso eles são, alguns motores de boa qualidade que você pode usar são os NEMAs, tem vários tamanhos, que variam essencialmente no torque que eles são capazes de desenvolver. O NEMA 34 por exemplo é um motor bem grandinho, com um torque considerável, que eu imagino ser capaz de usinar os aços mais comuns, como um 1020 da vida... Esses seriam os motores pra movimentar os eixos. O motor pra girar a fresa já é outra história, esse tem que ser de alta rotação, e de preferência com um certo ajuste nessa rotação, motores de passo não servem aqui, você teria que procurar por uma solução pronta, como uma micro retifica pra adaptar na CNC, ou algum motor Brushless de alta capacidade de torque e uma rotação boa, na casa dos 5k RPM no minimo.
  6. Realmente, mesma ideia, só quis salientar que a adaptação da fresadora para movimentar a fresa é bastante inviável.
  7. Cara isso ai é uma fresadora manual, ela já tem todo sistema de roscas feitinho internamente nela, e sim, ela opera através de roscas Daniel hehehe. Na realidade quase todas as fresadoras no mercado operam através de roscas, não há nada que garanta esse nível de robustez e precisão com essa simplicidade. O que acontece é que as fresadoras tem o movimento da fresa (nome da ferramenta que vai ai e gira é fresa, não é uma broca não hehehe) fixo, ou seja, ela não se move, por causa do sistema de transmissão de potencia do motor. A movimentação inteira da peca a ser usinada é na base, e não na fresa, e é justamente a base que você deveria estar pensando em mover, por que não da pra adaptar essa fresadora ai pra mover a fresa, é mais fácil fazer uma fresadora inteira nova. Esse movimento da base é incrivelmente preciso se a fresadora está nova, da casa de 0.1mm pra menos de erro. A primeira coisa que você precisa fazer é colocar as mãos nelas e ver se tem folga nos eixos, o eixo "y" ou horizontal é a manivela ao lado da mesa que controla, o movimento "z" é a manivela logo a frente do operador, e, no caso dessa fresadora o movimento "x" é subindo ou abaixando a mesa, é aquela manivela maior, mais abaixo e na diagonal que controla. Se tiver folga nela não tem muito o que fazer, pra trocar as roscas sem fim de uma fresadora é caro, e naturalmente não vale a pena, você pode contornar o problema da folga usando encoders lineares. Eu tenho uma Natal NU-2 na minha oficina, ela tem folga de quase 1/4 de volta, ou seja, você gira a manivela 1/4 de volta antes da mesa começar a se mover. O que eu recomendo, na hora de passar uma fresadora dessas pra CNC, é usar o mecanismo original, ou seja, colocar motores no lugar das manivelas, você nunca vai conseguir este nível de robustez e precisão se for querer sair construindo mecanismos de movimentação novos. Ademais essas manivelas são pesadas, a "z" e "y" são mais leves, mas a "x" é bem pesadinha, principalmente para subir a mesa da fresadora, você vai precisar de motores grandes, ou motores com redução boa, se você decidir por colocar eles girando as manivelas. Eu diria que precisaria de algo na casa de uma NEMA 34 ou por ai, não tem como fazer calculo disso assim facilmente, teria que medir empiricamente, ou testar mesmo.
  8. Curiosamente potência sonora é um tópico que estou vendo em física 3, então só para botar em contexto e o pessoal ter uma ideia dos níveis de potência sonora. Digamos que um som destes seria realmente capaz de produzir 1800W de potência sonora, quanto seria isso em decibéis? e ao que isso seria comparável? Decibéis é uma medida logaritmica de intensidade sonora que é dada por db=10*log(Is/1x10^(-12)) onde Is é a intensidade sonora. A intensidade (Is) sonora por sua vez é a medida da potência sonora divida pela área de propagação da onda, assumimos que o ouvinte esteja a 1m de distância e desconsideramos a área transversal do canal do ouvido, portanto a área de propagação equivale a área superficial de uma esfera de raio 1m. Fazendo as contas para Is e substituindo na fórmula dos decibéis obtemos 143db, ok, mas quanto é 143db? Sabemos que o limiar da dor, limite superior de decibéis para o qual acima disso a pessoa passa a sentir dor é 160db, 143db equivalem a nada mais, nada menos, que ouvir um tiro de espingarda a queima roupa ou estar perto da decolagem de um caça militar. Acho que é bem seguro afirmarmos que 1800W de potência sonora em um sonzinho dentro de casa não é possível.... PS: Existem sim equipamentos sonoros capazes de produzir isso e até mais de potência sonora, mas desconfie daquele seu mini-system que diz que tem 1800W
  9. Eu tenho um aquecedor a gás de passagem aqui em minha casa, funciona muito bem e aquece até demais as vezes. Mas o que eu gostaria mesmo de comentar é que estes aquecedores de passagem a gás naturalmente precisam de uma pressão de água bem elevada, o que em minha casa, por exemplo, com uma caixa da água de 5 mil litros e uma queda de no minimo 5 metros não tem. O que acontece é que se não existir a pressão nos canos necessária o aquecedor não liga, e ai você precisa colocar uma bombinha pressurizadora antes do aquecedor, esse pressurizador custa uns 500 reais (http://www.leroymerlin.com.br/pressurizadores-hidraulicos eu uso esse da primeira opção), é automático e pequenino mas deve ser levado em conta no orçamento se sua casa não tiver uma coluna de água adequada.
  10. Cara o ferro tem que ser na temperatura máxima aplicando bastante pressão! O papel está certo, é glossy mesmo, a impressão tem de ser a laser, para saber isso é so perguntar se a impressora usa tinta ou toner que você vai saber fácil se é a laser ou inkjet (se for à laser é sempre toner). Fique atento que só um dos lados do papel serve para isso, você vai ver que ele é "brilhante" em um dos lados, este é o lado que você tem que imprimir. Posicione o papel recortado do tamanho certo sobre a placa, esquente o ferro na temperatura máxima e o coloque por cima do papel , tem tem fazer bastante pressão no papel com o ferro senão não funciona, só largar o ferro lá não ai funcionar nunca. Fique aplicando pressão com o ferro quente por uns 5min. Depois da parte com o ferro o papel tem de estar grudado na placa, se isso não acontecer nem adianta seguir à diante que não funcionou. Se ele estiver devidamente grudado (pode acontecer de ficar umas bolhas entre o papel e a placa, mas isso é normal) a dica é esquentar uma água até ficar numa temperatura média (morna) colocar numa vasilha e largar a placa dentro para amolecer o papel, deixe a placa na água por uns 15min, depois disso é só remover o excesso de papel (que deve estar se desmanchando por ter ficado na água) com delicadeza e pronto.
  11. Isso é um destes. O que eu faço é dar um pre-set do equalizador no mini system, escolho entre os gêneros musicais pré definidos, e em seguidos escolho o nível do bass boost (que é o T-Bass), depois faço o ajuste mais fino no software do computador, o software que uso é o Breakway Audio Enhancer pago (um software muito muito bom que substitui o controlador da audio card do laptop) e rodo a música pela entrada auxiliar do mini system, fica realmente muito bom. Como eu só uso entrada aux toca cds e toca fitas (pasme, ainda tinha toca fitas) eu desliguei para não me incomodar, quando não estou usando os alto-falantes ainda assim conecto um fone de ouvido (JBL J55i) na saída para fone do mini system, para poder usar o t-bass e o equalizador.
  12. Prefiro o STK, tenho um mini system Aiwa NSX-V300 antigo que usa um STK405-030 de 40W, ele tem o melhor equalizador que eu consegui achar em um mini system até hoje, além de um bass boost fenomenal. Além de ter uma resposta de frequência melhor (segundo o datasheet ele chega até os 50kHz) ele tem uma qualidade de som que eu considero superior aos TDAs em potências mais elevadas.
  13. O conceito de corrente é meio embaçado para iniciantes, mas vai da seguinte maneira: Não e a fonte que determina quanta corrente vai para o componente, uma fonte tem capacidade de entregar corrente "x" que pode até ser de 1000A ou infinita, quem determina quanta corrente vai para o componente é ele mesmo. Eu costumo falar que ele não "suporta até 6A", mas "puxa 6A", o que basicamente quer dizer que se você conectar o componente a uma fonte de corrente infinita, 6A passarão por ele por que ele requer 6A para funcionar em plena capacidade não por que a fonte é de 6A ou mais. Se a fonte pode fornecer até 1000A não interessa, o que importa é que a fonte tenha capacidade de suprir 6A para pastilha. Eu colocaria um resistor de 100R ai no lugar deste de 110 para ter uma valor padrão e deixaria assim mesmo, só lembre-se de botar um dissipador nesse TIP, por que ele vai esquentar... E lembre-se: tensão é totalmente diferente, não funciona da mesma maneira que corrente, então não confunda os dois...
  14. Pior choque da vida dele? ta brincando né? huahauha Isso ai só da um choquezinho de leve, o cara nunca levou choque então.... Enfim a uns 20 rpm ja gera uns 300v, o que é altinho mas não faz absolutamente nada por causa da baixíssima corrente, só mataria alguém se você ligasse isso ai diretamente no coração da pessoa.... PS: Os piores choques que já levei estão entre um capacitor de 300uf carregado a 320v que eu tive a infelicidade de encostar, e um de uma desses geradores de alta tensão ZVS, não pelo estrago, mas sim pela sensação horrível de euforia que eu fiquei depois do choque, parece que te injetaram epinefrina na veia
  15. Eu medi uma vez @cesardelta1, da uns 350v se girar rápido, já levei uns choques desse dai uma vez também, não é nada extraordinariamente forte, só um choquezinho...

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×