×
Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

paulojunior

Membro Pleno
  • Posts

    1.225
  • Cadastrado em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%

Reputação

6

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    Manaus, Amazonas
  1. @RS Faria Obrigado pelo auxílio. Pelas minhas pesquisas, ninguém sabe explicar o porquê desses pinos diferentes, apenas dizem que serve, onde 2 cabos de 4 pinos ATX12V juntos se tornam um cabo EPS12V de 8 pinos, onde normalmente a segunda sequência de 4 pinos vem com todos os conectores arredondados, em vez do padrão ATX12V (2 quadrados e 2 arredondados). Testei, funcionou, então vou apenas aceitar.
  2. Obrigado por responder amigo. Então, a trava realmente está do lado dos conectores amarelos (4 amarelos de um lado e 4 pretos do outros), mas não há inscrição CPU no mesmo. Já no cabo PCI-E, outro, está com a inscrição de mesmo nome, além de ser diferente, estando na configuração 6+2 (com 3 pretos e 3 amarelos, mais 2 auxiliares pretos), então quanto a isso estou tranquilo. Meu receio é se esse "desenho" diferente nos conectores CPU traz algum problema, ou se faz parte da compatibilidade entre padrões mesmo, que é o que acho que ocorre, mas aguardo confirmação.
  3. Estou montando minha máquina e tenho a mesma dúvida.
  4. Olá. Venho encarecidamente atrás do auxílio de usuários mais experientes. Sempre tive configurações mais antigas e de máquinas bem básicas, onde a alimentação auxiliar CPU sempre se fazia por 4 pinos (ainda estava com um Core2Quad....sic). Pois bem, fui forçado a atualizar minha configuração após a morte da minha mobo e parti pra algo mais novo, com a 7ª geração Intel. Porém me deparei com uma questão. A placa-mãe oferece conector de alimentação de 8 pinos na placa para a cpu, onde os conectores 4+4 pra cpu da fonte tem a geometria um pouco diferente. Na imagem demonstro a geometria de ambos. Minha mobo: ASROCK Z270M PRO4 Minha fonte: Corsair GS700 (CMPSU-700G) Cheguei a pesquisar sobre o assunto e encontrei algo como os padrões ATX12V que atualizaram para EPS12V, ou algo assim, mas que a pinagem seria similar. Mas em nenhum lugar achei explicitamente a informação. Então gostaria de confirmar com experiência de usuários essa questão, para não ter problema. Noto que nos 4 primeiros pinos, a geometria fica perfeita para conexão (com 2 encaixes quadrados e 2 arredondados em ambos), e que nos 4 pinos seguintes, apesar de não ser idêntica, a "pinagem" permite o encaixe nos pinos "divergentes", pois encaixa o macho com os cantos arredondados, na fêmea com cantos quadrados. Imagino que seja para permitir a retrocompatibilidade entre padrões, onde o contrário impediria o encaixe (quadrado pra conectar no arredondado). Aguardo confirmações, por favor. Assim dou continuidade na minha montagem com a segurança de que está tudo certo. Agradeço de antemão.
  5. Mais alguém para comentar as dúvidas?
  6. Obrigado pelas suas considerações @dwatashi . Entendi perfeitamente. As câmeras não farão streaming 24/7 para nuvem. Apenas farão upstream atendendo solicitações de visualização. Porém preciso validar essas medições de upstream, quando solicitadas. Fico no aguardo de mais opiniões e compartilhamento de conhecimento sobre o assunto.
  7. Olá, amigos. Gostaria de contar com o conhecimento e ajuda de vocês. Adianto que não sou especialista em redes. Preciso fazer medições de upstream(upload) em câmeras IP sem fio em dois cenários: numa rede de fibra óptica EPON(GEPON - Equipamento ONT), e em uma rede HFC(NET - Equipamento modem + roteador). As medições dizem respeito somente ao upstream gerado das câmeras para a nuvem, ou seja somente para atendimento de requisições externas de acesso e visualização. Procurar medir o tráfego gerado nas câmeras e a capacidade da rede em atender esta requisição de acesso . O fato das câmeras serem sem fio não têm tanta importância, pois também poderiam ser conectadas por cabo, contanto que a medição fosse efetiva. Pesquisei os melhores programas de gerenciamento de redes e cheguei a alguns deles, como PRTG e WIRESHARK. Entretanto, somente consigo medir tráfego das câmeras ou qualquer outro host em relação ao próprio PC, e não tenho controle sobre o tráfego das câmeras para o roteador/ONT e para a web. Se tiver como fazer, não encontrei essa solução. Além disso, não tenho acesso direto à ONT(login e senha) para descobrir quais recursos ela ofereceria para medição de tráfego. Pois bem. A melhor forma que encontrei para medir esse tráfego foi com auxílio de um acess point intermediando o processo, isolando as câmeras. Ou seja, as câmeras são ligadas ao acess point(e somente elas), simulo o tráfego solicitando visualização das câmeras, e então meço o throughput gerado no acess point em direção ao roteador/ONT. A figura abaixo exemplifica essas configurações na rede de fibra com ONT, e na rede HFC da NET. . No acess point, um WA901ND ou um wrt54g2 com DDWRT, tenho acesso a dados de throughput durante o tráfego, conforme as outras imagens anexadas. - No ddwrt, mostra informações de tráfego wireless e tráfego LAN(este segundo está na imagem), onde creio que um refere-se ao tráfego sem fio recebido, e o outro o tráfego transmitido via cabo para o roteador/ONT. Ambos são praticamente iguais(se não forem iguais) - No outro AP, mostra throughput geral, sem "divisões". OBS: É possível notar que o tráfego em ambos é praticamente o mesmo, pois ambos foram feitos em rede local, com pouco intervalo de tempo, e com a mesma complexidade de cena capturada pela cÂmera. WRT54G2(DD-WRT) WA901ND MINHAS DÚVIDAS SÃO: 1) Essas medições têm respaldo científico? Posso confiar que esse tráfego efetivamente é transmitido para web, de modo que possa afirmar essa ocorrência? Quero dizer, são medidas confiáveis do tráfego real das câmeras enviados para a nuvem, uma vez que há dados de controle, overhead, etc... na rede local, e entre o AP e o roteador/ONT. Ou apenas afirmo que é uma estimativa bem próxima do real, porém a única que pode ser realizada com estes equipamentos.. - Em testes preliminares, pelo menos aproximadamente são. E os dados medidos de upstream são próximos aos captados nas taxas de dados ao visualizar as câmeras. 2) Nestes mesmos testes, verifiquei que o tráfego mostrado no acess point acompanha a capacidade da rede em atender a solicitação do tráfego, pois mesmo quando os dados de fluxo de vídeo demandariam muito mais banda(ex: 6~8 Mbps), o acess point acompanhava o up disponível da rede(ex: 1~3 Mbps). Ou seja: quando as câmeras estiveram em local com rede capaz de oferecer upstream para a web de 1Mbps, o tráfego gerado no AP foi de cerca de 1Mbps também. Em rede com 3Mbps de upload, o tráfego no AP também foi aproximadamente este. E em rede local, com a alta capacidade de LAN, o throughput no AP aparentemente acompanhava o tráfego total gerado pela câmera, sem se limitar, conforme a complexidade das imagens captadas no momento. Se as imagens demandavam 10Mbps, o throughput ficava nessa faixa. - Então, dessa maneira, posso afirmar que o tráfego no acess point realmente acompanha a velocidade upstream da rede, só enviando na LAN/WLAN (do AP para o roteador/ONT) o que a rede é capaz de transmitir efetivamente para WAN? Ou seja, "a rede" só solicita da câmera e do acess point o que ela é capaz de transmitir efetivamente? 3) Ao medir throughput, creio já ser uma medida efetiva, correto? Se não fui claro, quero dizer informação útil transmitida, ou quanto do throughput no AP são apenas dados de controle entre os dispositivos locais da rede, e quanto será transmitido efetivamente para WAN? Se a porcentagem é desprezível, ou como considerá-la? Sei que são muitas dúvidas, em algumas talvez eu não tenha sido muito claro. Outras, para quem domina a área de redes, talvez sejam triviais. Peço a compreensão e paciência de quem estiver disposto a ajudar com as dúvidas. Como eu disse, não sou expert em redes, e apenas conheço alguns conceitos. Agradeço quem puder compartilhar conhecimento.
  8. Cogitei essa possibilidade, mas como tenho alguns "programas de terceiros", fiquei receoso e decidi antes testar a dica do vnsmoraes. Deixei esta como segunda opção, caso o outro método não desse certo. Mas valeu! Funcionou, parceiro. Obrigado! É algo que pode parecer banal, mas torna bem prático pra mim(o método de arranque do jogo que utilizo não é pelo drive BD).
  9. Obrigado pela resposta. Então amigo, antes o game fazia isso que desejo, mas desde que fiz um teste da internet pra instalar um aplicativo, desde então o console abre nesta outra tela. Logo, creio que há algum truque que faça o console abrir na tela desejada, e que não seja default, uma vez que, reiterando, antes ele abria direto na tela dos jogos(agora abre na tela de acesso à internet). Inclusive, creio que na maioria dos usuários, a xmb abre na tela onde aparecem os jogos. Ou estou enganado?!
  10. Gente, toda vez que ligo o ps3, quando aparece a xmb, vai direto na parte de acesso à internet(um dos últimos menus à direita). Como faço para que sempre o console ligue na mesma tela onde se escolhe os jogos? Já tentei desligar de diversas formas diferentes para que retornasse nesta tela; procurei nas configurações do sistema, e nada. Antes carregava na tela que estou falando, mas desde que "reinstalei" o firmware, agora já carrega nessa tela de acesso à internet. Parece algo bobo, mas tenho predileção por esta tela por me permitir carregar o jogo que desejo antes mesmo que eu ligue a tv(FIFA12), após ter apenas ligado o console através do joystick, com um simples comando, sem precisar decorar vários comandos para a mesma tarefa... Agradeço se alguém souber como ajudar...
  11. Amigo, não tenho certeza se vai ajudar, mas parece que o seguinte link se destina ao problema pelo qual você está passando: http://www.intel.com/support/pt/motherboards/desktop/sb/cs-023360.htm Boa sorte.
  12. O maior risco é de dados corrompidos se algo estiver sendo lido/escrito no momento em que o pendrive é retirado. Raramente, esses corrompimento pode levar à "morte" do pendrive. Mas "queimar" mesmo, é difícil...
  13. entendi.... beleza então. Valeu.
  14. Falou tudo. Na verdade, os preços já caíram sim, porém essa queda ainda não nos está sendo repassada, por "n" fatores. Em sites gringos, onde já "importei" através de parentes alguns hds, o preço já caiu uns 40-50% entre o auge da crise e agora... ...mas lógico, que ainda longe do valor anterior à crise, que estava mt bom.
  15. O pc parou de ligar qd fez as conexões, apenas por não estarem bem enrolados os fios??

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas comunidades sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

Curso de Hacker Ético

LANÇAMENTO!

CLIQUE AQUI E CONFIRA!

* Este curso não é ministrado pela equipe do Clube do Hardware.