Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Teste do Gabinete NZXT Lexa S

       
 56.253 Visualizações    Testes  
 5 comentários

A NZXT ataca novamente com mais um gabinete torre-média de baixo custo, o Lexa S. Será que ele é uma boa opção? Confira.

Teste do Gabinete NZXT Lexa S
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

A NZXT ataca novamente com mais um gabinete torre m&eacture;dia de baixo custo, o Lexa S, que usa a mesma carcaça do M59 (também da NZXT), mas vem com um painel frontal diferente e alguns recursos adicionais – especialmente dois controladores de ventoinhas. Será que ele é uma boa opção? Confira.

Gabinete NZXT Lexa S
Figura 1: Gabinete NZXT Lexa S.

Gabinete NZXT Lexa S
Figura 2: Gabinete NZXT Lexa S.

O painel lateral esquerdo é transparente equipado com uma janela de acrílico fumê, o que dá a este gabinete um visual diferente dos gabinetes que utilizam uma janela transparente. O Lexa S vem com uma ventoinha de 120 mm instalada neste painel (42 cfm, 23 dB) que brilha em azul quando ligada. Esta ventoinha tem um plugue de alimentação para periféricos e um pequeno conector de alimentação de três pinos, permitindo a você conectá-la diretamente na fonte de alimentação ou na placa-mãe para monitorar sua velocidade de rotação através do seu programa de monitoramento favorito. Você também pode conectá-la em um dos dois controladores de ventoinha disponíveis (que usam conectores de três pinos).

Como mencionamos, o Lexa S e o M59 compartilham da mesma carcaça. Os painéis lateral, superior e traseiro também são idênticos; o que é realmente diferente é o painel frontal, que vem com uma porta e um visual agressivo, parecendo (pelo menos em nossa opinião) um capacete ou máscara.

Gabinete NZXT Lexa S
Figura 3: Painel frontal com a porta fechada.

A porta é presa ao painel frontal usando duas travas magnéticas fortes. O problema é que o botão liga/desliga está localizado atrás da porta, o que significa que você precisa abrir a porta toda vez que quiser ligar ou desligar o computador. Depois de um tempo este processo fica cansativo.

Gabinete NZXT Lexa S
Figura 4: Painel frontal com a porta aberta.

O Lexa S tem uma baia externa de 3 ½’” e quatro baias externas de 5,25” equipadas com tampas gradeadas e filtros de poeira para aumentar a ventilação dentro do gabinete. Os botões para controlar a velocidade de rotação das ventoinhas podem ser vistos entre a baia de 3,5” e a logomarca da NZXT. Os dois acabamentos plásticos no painel frontal brilham em azul quando o micro é ligado (claro que se você não gostar deste recurso pode simplesmente não instalar o conector de alimentação desses LEDs).

Cada controlador de ventoinha é capaz de controlar até duas ventoinhas (conectadas em paralelo, ou seja, as ventoinhas conectadas ao mesmo controlador sempre trabalharão com a mesma velocidade). Os controladores utilizam o pequeno conector de alimentação de três pinos.

O painel frontal também tem uma ventoinha de 120 mm (42 cfm, 23 dB) que vem com um plugue de alimentação para periféricos e um pequeno conector de alimentação de três pinos, permitindo a você conectá-la diretamente na fonte de alimentação, na placa-mãe para monitorar sua velocidade ou a um dos controladores de ventoinhas.

Gabinete NZXT Lexa S
Figura 5: Ventoinha frontal.

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Ola!

Vi um a venda pelo site boa dica, o valor é R$660 aqui no Rio, bom tendo apenas um lugar que vi a venda não posso ter noção do real valor desse gabinete.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Ola!

Vi um a venda pelo site boa dica, o valor é R$660 aqui no Rio, bom tendo apenas um lugar que vi a venda não posso ter noção do real valor desse gabinete.

Nossa, muito caro pra um gabinete que custa US$80,00 lá fora. Qual é essa loja? Tem site?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×