Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

rjjj

Membro VIP
  • Total de itens

    733
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%

Reputação

509

1 Seguidor

Sobre rjjj

  • Data de Nascimento 17/02/1995 (25 anos)

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    Acre, Brasil
  • Sexo
    Masculino
  1. Interna e eletricamente está certo. Porém, externamente as ilhas de qualquer placa PCB profissional são revestidas de um acabamento denominado coating. As substâncias aplicadas para isso vão de ligas de estanho e chumbo até misturas com ouro : http://www.epectec.com/articles/pcb-surface-finish-advantages-and-disadvantages.html Espero ter ajudado .
  2. Ir do esquema direto para o layout requer que cada componente do diagrama já tenha um footprint bem definido. Muitas vezes é melhor fazer as etapas manualmente, isto é, com a mínima interferência dos processos automáticos do software . Sugiro que primeiramente faça as simulações com o Proteus. Com o circuito verificado, migre para o KiCAD, que é gratuito, a fim de desenhar o esquemático e finalmente o layout do seu projeto de PCB. Espero ter ajudado .
  3. Esse tipo de display conjunto emprega uma forma de multiplexação que consiste em exibir cada casa decimal (de unidades, de dezenas etc) por ativações individuais e alternadas em alta velocidade: https://www.studentcompanion.co.za/multiplexing-of-7-segment-displays-with-pic-microcontroller-mikroc/ Espero ter ajudado .
  4. A Lei de Oersted indica que toda corrente que passa por um fio condutor gera em torno de si um campo magnético. Partindo desse fenômeno, um indutor consegue produzir um campo magnético bem mais intenso ao utilizar um fio bobinado e um núcleo magnético de construções específicas . Contudo, pela Lei de Faraday resulta que qualquer variação de corrente associada a um indutor gera uma tensão induzida contrária. Essa é a queda de tensão que aparece sobre um indutor. Como os domínios de Weiss só conseguem mudar até certo ponto quando a certo nível de corrente, chega-se a um
  5. Para comutar uma carga AC seria preciso fazer um relé de estado sólido com DIAC e TRIAC, que pertencem à classe dos tiristores. Por exemplo, com um integrado MOC para excitação optoisolada : Com o SCR, o tiristor comum, apenas faria sentido se o relé fosse de remanência ou biestável. Isso devido a ele possuir um efeito natural de latching em DC . Espero ter ajudado .
  6. Um CI amplificador LM1875 resolve o problema. Adicionando um retificador de onda completa à saída, distorções do CI pouco importariam, o que significa que ganhos de tensão na ordem de 100 V/V não causariam problemas. Através de uma calibração via potenciômetro, o grupo de LEDs mudaria de luminosidade de acordo com a amplitude ou volume proveniente do microfone de eletreto . Espero ter ajudado .
  7. Sinceramente, para trabalhar com 127 V, 220 V e 380 V, bom mesmo é seguir as normas de segurança para instalações de baixa tensão, que no pior caso viram leis. Eu usaria no mínimo luvas e botas de borracha para classe 00 de 500 V, pois não gosto de tomar choques . Sugiro ao @leaokrollew delegar isso a um técnico profissional, conforme indicado pelo @Eder Neumann. Apesar disso, o teste com lâmpada incandescente do @Renato.88 provavelmente funcionaria para diferenciar neutro e terra. Sobre aterramentos e a observação do @alexandre.mbm a respeito, recomendo verificar com
  8. Em princípio, condutores neutro e condutores terra são distintos dentro do quadro de circuitos de uma instalação interna. Isso é o que mais importa para o usuário. Um fio N serve, junto de um fio F, para fechar circuitos de fase única como os de iluminação e tomadas. Os terminais de terra das tomadas, que são alimentados pelo quadro interno da instalação, servem para remover cargas elétricas que se acumulam nas carcaças dos equipamentos. O aterramento do medidor da concessionária serve para a rede de distribuição externa. Ele não é obrigatoriamente o mesmo das tomadas
  9. @alexandre.mbm Em outras palavras, um transformador comercial típico aguenta até 90% do máximo rotulado. Se for 50 W, deve-se projetar com 45 W para a condição de plena carga. É uma questão de folga mesmo, diminuir o máximo em 10% para garantir que não vai queimar. Essa porcentagem foi encontrada pelo @faller depois de vários ensaios com transformadores . Espero ter ajudado .
  10. @Enzo Henrique Tonello Não se anulariam. A diferença de potencial ou tensão é o potencial de um extremo menos o potencial de outro extremo. Se o segundo for negativo, a subtração da fórmula vira soma durante o cálculo. Espero ter ajudado .
  11. @alexandre.mbm Uma vez foi discutido aqui no fórum sobre como aumentar a potência máxima de um transformador, sendo que um típico de bancada queima a menos de 10% do limite. Conclui que não adianta só mudar os fios de cobre, deve-se alterar o núcleo para assegurar a passagem maior de fluxos magnéticos . Com seções e isolamentos de fios já aumentados, o que mais poderia aquecer uma estrutura ferromagnética até a falha total? As correntes de Foucault, que inclusive são o motivo das laminações. Veja bem: se a entrada total do sistema aumenta, a tendênc
  12. O potencial e a tensão são uma simplificação de um conceito mais extenso e complexo: o campo elétrico. Uma bateria gera um campo elétrico em torno de si através de reações químicas. Esse campo, ao ser confinado em fios, é aplicado em uma única direção e sentido relativamente a um volume de condutor : Fisicamente, o que uma ligação em série de baterias faz é a soma vetorial de campos elétricos distintos. O tipo de resultante fica a depender das direções e sentidos dos vetores de campo, o que remete às polaridades convencionadas das baterias.
  13. Tanto tensões quanto correntes, além das frequências destas, afetam a estrutura mecânica de um motor elétrico. Isso devido às forças criadas serem regidas pela Lei de Lorentz a qual envolve tanto campos elétricos quanto magnéticos : Assim, deformações como fratura e fadiga ocorrem nos metais de um motor, similar a qualquer ferramenta mecânica. Porém, a temperatura é o fator mais crítico por diminuir a rigidez das ligações atômicas e por ser provocada pela corrente elétrica através do efeito térmico:
  14. No condutor neutro passa corrente na presença de uma carga desequilibrada, o que é frequente em instalações reais. No condutor terra passa corrente somente em caso de faltas, ou seja, eletrizações fora do comum. Um pára-raios de um prédio, por exemplo, pode ser feito com uma malha de condutores ligados ao solo. Espero ter ajudado .
  15. @Felipe Alves 2207 Sim, esse é o padrão para os gráficos de resposta em frequência. Espero ter ajudado .

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas comunidades sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

Aprenda a ler resistores e capacitores

EBOOK GRÁTIS!

CLIQUE AQUI E BAIXE AGORA MESMO!