Imprimir artigo
ASRock Beebox
por em Primeiras Impressões
Última atualização:
24.767 visualizações
Página 6 de 6

Conclusões

O ASRock Beebox é um equipamento bastante interessante para vários tipos de aplicação. Para aplicações de escritório ou comerciais, ele tem a vantagem do baixo custo, baixo consumo de energia, e do tamanho diminuto. Também pode ser utilizado em aplicações domésticas, para uso de edição de textos, internet e redes sociais, e até mesmo para segurança (gravação de vídeo, com o auxílio de uma placa de captura USB) ou para assistir filmes em serviços como Netflix, por exemplo. Segundo o fabricante, o produto é capaz de reproduzir filmes em resolução 4K..

Assim como em nossa análise do BRIX Pro da Gigabyte (que, apesar do tamanho semelhante, é um produto com um foco completamente diferente, por ser bem mais caro), achamos que é questionável vender um produto desse tipo sem memória e armazenamento. Se por um lado, este modelo oferece uma grande flexibilidade, pois o usuário pode escolher quanto memória quer instalar e quanto espaço de armazenamento é necessário, por outro o usuário médio pode ter dificuldades em escolher, comprar e instalar os componentes necessários. Ainda mais se lembrarmos de que o produto usa os ainda não tão comuns módulos de memória DDR3L de 1,35 V.

Porém, a ASRock nos informou que o modelo que pretende lançar no Brasil virá completo, com memória e unidade de armazenamento já instaladas.

A porta USB 3.0 tipo C é um dos destaques do produto, embora ainda leve algum tempo para que este tipo de conector torne-se popular.

Pontos fortes

  • Extremamente compacto para um computador de mesa
  • Baixo custo
  • Suporta um SSD mSATA mais uma unidade de 2,5 polegadas
  • Vem com uma boa interface Wi-Fi e Bluetooth
  • Baixo consumo
  • Como não utiliza ventoinhas, é totalmente silencioso
  • Suporta até três monitores e resolução 4K
  • Traz uma porta USB 3.0 tipo C

Pontos fracos

  • Necessita montagem por um profissional, ou pelo menos por um usuário experiente
  • Poderia vir com um slot M.2 em vez de um mSATA
AUTOR
Rafael Otto Coelho
Rafael Otto Coelho
Editor-Chefe

Técnico em Eletrônica, Licenciado em Física e Mestre em Educação, Rafael Coelho é apaixonado por hardware, e trabalha como professor de Física em uma instituição de ensino superior. É também comentarista do nosso podcast e moderador do nosso fórum. Tem como hobby aeromodelismo. Mora em Pelotas/RS.

ARTIGOS RELACIONADOS
Computex 2016: Mini PCs da Gigabyte
por em Feiras e Eventos
ÚLTIMAS NOTÍCIAS EM OUTROS
ÚLTIMOS ARTIGOS
530.076 usuários cadastrados
1.115 usuários on-line