Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.
Entre para seguir isso  
diego.a.campero

[Resolvido] Tenho 3 perguntas que não sei responder!!

Recommended Posts

Tenho 3 perguntas de uma lista que não consigo responder, se puderem me ajudar agradeceria.

1) Explique o funcionamento do NAT 1:N no caso de comppartilhamento de um link de internet.

2) Qual a função das entradas do tipo MX em uma zona de um servidor DNS?

3) Cite um uso prático para as entradas do tipo PTR em uma zona DNS do tipo reversa.

Obrigado!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Guest Silver Lord
Tenho 3 perguntas de uma lista que não consigo responder, se puderem me ajudar agradeceria.

1) Explique o funcionamento do NAT 1:N no caso de comppartilhamento de um link de internet.

2) Qual a função das entradas do tipo MX em uma zona de um servidor DNS?

3) Cite um uso prático para as entradas do tipo PTR em uma zona DNS do tipo reversa.

Obrigado!!

***********************************************************************

Resposta pergunta (1)

Nessas pequenas redes corporativas (que são a grande maioria) só há UM único IP Internet

disponível (podendo ser fixo, ou não), e é ele, e somente ele, que será usado pelos computadores internos para acessar a internet (N:1).

Essa Tradução de Endereços é conhecida como “Tradução de Endereços por Porta”

(NAPT – Network Address Port Translation), ou P.A.T. – Port Address Translation.

Usualmente é referenciada pelas siglas “NAPT”, “NAT/PAT” (ou simplesmente “PAT”), ou ainda, é chamada pelo já mencionado nome “NAT Dinâmico Overloading”.

São vários nomes para a mesmíssima coisa – então fique avisado que no decorrer desta dica usaremos todas as denominações, querendo nos referir ao mesmo processo!

Como você já deve estar percebendo, nesse método não há tabela de IP Interno ↔ IP Externo,

tipo 1:1, como no NAT Estático. Há uma tabela, sim, mas que mapeia IP Interno/Porta utilizada(IP interno relativo à porta utilizada).

Nesse caso, todos os computadores utilizam o mesmo endereço IP público

(o qual pertence ao dispositivo). O que diferencia os acessos uns dos outros são as portas que cada um está utilizando.

Por exemplo, o PC 1 está acessando um determinado websitepela porta (TCP ou UDP) 1025.

Nesse caso o PATtroca o IP interno da máquina pelo seu IP internet, e altera a porta de acesso definida pela estação (1025) pela porta que o NATtenha disponível naquele momento

(por exem-plo, 34600) – e então, anota tudo isso em uma tabela interna: a porta de acesso

(34600), o IP in-terno do PC 1, e a porta de acesso da estação (1026).

Enquanto isso, o PC 2 está acessando uma aplicação parceira pela porta (TCP ou UDP) 2026 – e

o PATtambémtroca o IP interno do PC 2 pelo seu IP internet, e altera a porta de acesso por uma outra, que ele (o NAT) possua disponível naquele instante (por exemplo, a porta 25700).

Depois, anota tudo isso na tabela interna: porta de tradução (25700), IP interno do PC 2; e a porta de acesso da estação (2026).

Quando chegam as respostas, vindas da internet, o endereço IP público será o mesmo em todos

os pacotes entrantes, mas as portas de acesso seguramente serão diferentes – no caso as portas definidas pelo gateway(34600e 25700)!

Assim sendo, o dispositivo fazendo NAPTconsulta a tabela interna de modo a verificar se os pacotes entrantes se referem àlguma conexão já estabelecida.

Se os pacotes entraram pela porta 34600, então ele descobre, na tabela, que a informação entrante destina-se ao PC 1 pela porta 1025; e se os pacotes entraram pela porta 25700, o gate-waysabe, através da consulta à tabela, que a informação pertence ao PC 2 e deve ser-lhe remeti-da pela porta 2026.

Agora, sabendo disto, o NAPT troca o IP público pelo respectivo IP interno do computador de destino, destina a informação à porta de acesso especificada pela estação, e envialhe a informação.

************************************************************************

Resposta pergunta (2)

Servidor E-Mail (SMTP - MX) mail 192.168.0.4

Servidor E-Mail (SMTP - MX) - Backup

Exchange Server

O registro MX indica quais servidores de correio são responsáveis por tratar correspondência de entrada para a zona. mail.exemplo.org é o nome do servidor de correio, e 10 a prioridade daquele servidor de correio.

Alguém pode ter vários servidores de correio, com prioridades de 3, 2 e 1. Um servidor de correio tentando fazer uma entrega para exemplo.org tentaria primeiro o MX de maior prioridade, depois o de segunda maior e assim por diante, até que o correio seja entregue corretamente.

************************************************************************

Resposta pergunta (3)

Os registros DNS mais freqüentemente usados:

SOA

início da zona de autoridade

NS

um servidor de nome autoritativo

A

Um endereço de sistema (host address)

CNAME

o nome canônico para um apelido (alias)

MX

servidor de correio (mail exchanger)

PTR

um ponteiro de nome de domínio (usado em DNS reverso)

$TTL 3600

1.2.3.in-addr.arpa. IN SOA ns1.exemplo.org. admin.exemplo.org. (

5 ; Serial

10800 ; Refresh

3600 ; Retry

604800 ; Expire

3600 ) ; Minimum

@ IN NS ns1.exemplo.org.

@ IN NS ns2.exemplo.org.

2 IN PTR ns1.exemplo.org.

3 IN PTR ns2.exemplo.org.

10 IN PTR mail.exemplo.org.

30 IN PTR exemplo.org.

Editado por Silver Lord

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  • ***********************************************************************

    Resposta pergunta (1)

    Nessas pequenas redes corporativas (que são a grande maioria) só há UM único IP Internet

    disponível (podendo ser fixo, ou não), e é ele, e somente ele, que será usado pelos computadores internos para acessar a internet (N:1).

    Essa Tradução de Endereços é conhecida como “Tradução de Endereços por Porta”

    (NAPT – Network Address Port Translation), ou P.A.T. – Port Address Translation.

    Usualmente é referenciada pelas siglas “NAPT”, “NAT/PAT” (ou simplesmente “PAT”), ou ainda, é chamada pelo já mencionado nome “NAT Dinâmico Overloading”.

    São vários nomes para a mesmíssima coisa – então fique avisado que no decorrer desta dica usaremos todas as denominações, querendo nos referir ao mesmo processo!

    Como você já deve estar percebendo, nesse método não há tabela de IP Interno ↔ IP Externo,

    tipo 1:1, como no NAT Estático. Há uma tabela, sim, mas que mapeia IP Interno/Porta utilizada(IP interno relativo à porta utilizada).

    Nesse caso, todos os computadores utilizam o mesmo endereço IP público

    (o qual pertence ao dispositivo). O que diferencia os acessos uns dos outros são as portas que cada um está utilizando.

    Por exemplo, o PC 1 está acessando um determinado websitepela porta (TCP ou UDP) 1025.

    Nesse caso o PATtroca o IP interno da máquina pelo seu IP internet, e altera a porta de acesso definida pela estação (1025) pela porta que o NATtenha disponível naquele momento

    (por exem-plo, 34600) – e então, anota tudo isso em uma tabela interna: a porta de acesso

    (34600), o IP in-terno do PC 1, e a porta de acesso da estação (1026).

    Enquanto isso, o PC 2 está acessando uma aplicação parceira pela porta (TCP ou UDP) 2026 – e

    o PATtambémtroca o IP interno do PC 2 pelo seu IP internet, e altera a porta de acesso por uma outra, que ele (o NAT) possua disponível naquele instante (por exemplo, a porta 25700).

    Depois, anota tudo isso na tabela interna: porta de tradução (25700), IP interno do PC 2; e a porta de acesso da estação (2026).

    Quando chegam as respostas, vindas da internet, o endereço IP público será o mesmo em todos

    os pacotes entrantes, mas as portas de acesso seguramente serão diferentes – no caso as portas definidas pelo gateway(34600e 25700)!

    Assim sendo, o dispositivo fazendo NAPTconsulta a tabela interna de modo a verificar se os pacotes entrantes se referem àlguma conexão já estabelecida.

    Se os pacotes entraram pela porta 34600, então ele descobre, na tabela, que a informação entrante destina-se ao PC 1 pela porta 1025; e se os pacotes entraram pela porta 25700, o gate-waysabe, através da consulta à tabela, que a informação pertence ao PC 2 e deve ser-lhe remeti-da pela porta 2026.

    Agora, sabendo disto, o NAPT troca o IP público pelo respectivo IP interno do computador de destino, destina a informação à porta de acesso especificada pela estação, e envialhe a informação.

    ************************************************************************

    Resposta pergunta (2)

    Servidor E-Mail (SMTP - MX) mail 192.168.0.4

    Servidor E-Mail (SMTP - MX) - Backup

    Exchange Server

    O registro MX indica quais servidores de correio são responsáveis por tratar correspondência de entrada para a zona. mail.exemplo.org é o nome do servidor de correio, e 10 a prioridade daquele servidor de correio.

    Alguém pode ter vários servidores de correio, com prioridades de 3, 2 e 1. Um servidor de correio tentando fazer uma entrega para exemplo.org tentaria primeiro o MX de maior prioridade, depois o de segunda maior e assim por diante, até que o correio seja entregue corretamente.

    ************************************************************************

    Resposta pergunta (3)

    Os registros DNS mais freqüentemente usados:

    SOA

    início da zona de autoridade

    NS

    um servidor de nome autoritativo

    A

    Um endereço de sistema (host address)

    CNAME

    o nome canônico para um apelido (alias)

    MX

    servidor de correio (mail exchanger)

    PTR

    um ponteiro de nome de domínio (usado em DNS reverso)

    $TTL 3600

    1.2.3.in-addr.arpa. IN SOA ns1.exemplo.org. admin.exemplo.org. (

    5 ; Serial

    10800 ; Refresh

    3600 ; Retry

    604800 ; Expire

    3600 ) ; Minimum

    @ IN NS ns1.exemplo.org.

    @ IN NS ns2.exemplo.org.

    2 IN PTR ns1.exemplo.org.

    3 IN PTR ns2.exemplo.org.

    10 IN PTR mail.exemplo.org.

    30 IN PTR exemplo.org.

    valeu!! Brigadão!!

    Podem Fechar o tópico!!

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Caso o autor do tópico necessite, o mesmo será reaberto, para isso deverá entrar em contato com a moderação solicitando o desbloqueio.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    Visitante
    Este tópico está impedido de receber novos posts.
    Entre para seguir isso  





    Sobre o Clube do Hardware

    No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

    Direitos autorais

    Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

    ×