Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.
heber184

Processadores estagnados

Processadores estão estagnados  

8 votos

  1. 1. Você achar que os processadores pararam no tempo?

    • Sim
    • Não
    • Talvez, não me interessa, tenho raiva de quem sabe
      0


Recommended Posts

Olá,

 

Corrijam me se eu estiver errado, mas eu acho que a tecnologia dos PCs (acredito que mais do que isso) está defasada, desacelerou o crescimento da performance.

 

A 10 anos quem comprasse um PC top com a TORRE no valor de 15 salários mínimos(referência), após 4 anos certamente seria um PC comum....

 

Acontece que comigo, a 4~5 anos atrás comprei a seguinte configuração

 

Phenon II X4 3.0hz

Placa mãe Gigabyte GA-MA78GM-S2H

2x 2Gb DDR 800mhz

HD4870 1GB XFX (taxa de transferência 115Gb/s)

FONTE CORSAIR TX450W

 

Essa coisa roda qualquer jogo atual nos médios com qualidade alta, jogabilidade satisfatória em tudo.

Não vejo necessidade de fazer upgrade, consigo facilmente ajustar as qualidades, resolução e ter 50 FPS em tudo...

Lógico, meu monitor é 1440x1024, não jogo em ultra-high nas qualidades... Para se ter uma ideia

Roda o Splinter Cell Blacklist no máximo com 1440x1024

Qualquer Crysis esta rodando no TALO do ultra-high.

Um GTAIV tem lá suas restrições, mas roda para lá de bem também.

 

Eu acho que esta muito estagnado isso, minha expectativa era que em 5 anos após comprar meu PC.

uma VGA onboard chegasse aos 80Gb/s(mas elas não passam de 25Gb/s, estão muito abaixo) e as VGA off passassem populares de R$ 600,00 passassem de 200 Gb/s e as VGA off high-end chegassem aos 400Gb/s... mas não aconteceu....

 

Hoje para quem joga com PC, se continuar assim, vale a pena investir num torre(Process, MB, Memom, VGA, Fonte) com preço média de 3 mil nestes 5 itens que citei da torre. Só estão aumentando numero de núcleos, bits do processador, memória RAM sobe o CLOCK lentamente.

 

Tudo isso é limitação do silício? 

 

Desculpem me se postei isso no lugar errado.

estou postando isso pois recebi este e-mail da Clube do Hardware:

[...

Reparamos que faz tempo que você não visita o Fórum do Fórum do Clube do Hardware e estamos sentindo a sua falta!

Há muitas novidades desde a sua última visita! Recentemente migramos nosso fórum para uma plataforma mais moderna e cheia de novos recursos. Além disso, desburocratizamos bastante o fórum e agora não há mais tantas regras e restrições a serem seguidas.

Acreditamos que você gostará muito dessa nossa nova fase!

...]

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Acho que os processadores pararam no tempo. Mas não se isso é de proposito ou por falta de conhecimento para evoluir. Mas, tudo isso que vamos discutir agora possa ser  apenas achismo se não tivermos dados concretos para analisarmos e compararmos. Dessa forma o que eu falo aqui é minha opinião sob meu ponto vista com base no meu achismo já que sou leigo no assunto. 

 

Esse assunto cabe diversos pontos de vistas. E um deles é que você comprou um hardware top para sua época. Portanto, seria natural que esse hardware resistisse mais tempo sem precisar ser trocado. Queria ver se você ainda estaria utilizando o mesmo computador  se tivesse comprado  as configurações mais simples da época.

 

Há questão é: o quanto é possível evoluir? Será que seria possível apresentar novidades - processador, memória, HD (inclusive a pouco tempo eu percebi  como um HD tradicional é um freio de mão para desempenho do computador de maneira geral), placa de vídeo) que fossem muito mais rápidos com pouco tempo? Será que essa diferença no mercado seria bem aceita? Não geraria prejuízo para quem vende? Não haverias buracos de desempenho? Como se comportaria as empresas que desenvolvem programas? Jogos? Sistema operacionais etc? Bom, não sei... 

 

Na minha opinião de leigo, talvez, não seja assim tão fácil evoluir: por motivos técnicos ou mercadológicos. 

 

Mas de maneira geral, eu acho que os processadores não estão evoluindo tão rápido quanto na época do Pentium 100. Mas pode ser que na época os parâmetros de desempenho fossem outros. Não esqueçam gente, eu sou leigo no assunto...rsrsrsrs

 

Uma pena que as pessoas que sabem e dominam do assunto não se manifestaram aqui ainda. Queria ver uma discussão bacana (com bons argumentos) sobre o tema.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

É fato que o desempenho em processamento estagnou. Não que parou de evoluir completamente, mas está bem mais lento, pois a indústria do silício já está esbarrando nos limites que a tecnologia permite evoluir. Até 2005 havia uma "solução mágica" para trazer grandes ganhos de performance: aumento de clock e de cache. O problema é que ao passar dos 3.0GHz problemas como superaquecimento e consumo de energia elevado fizeram o pessoal parar e pensar que soluções alternativas deveriam ser alcançadas. O primeiro passo foi lançar versões dual core dos processadores ou com tecnologia HT, o que trouxe significativos 80% a mais de performance em aplicações otimizadas e multitarefa, levando a computação moderna a outro nível. Logo, começaram a investir mais em eficiência, pois especialmente a Intel percebeu que o seu Pentium 4 HT de 3.8GHz era bem menos promissor que o Athlon 64 da concorrência (que ainda estava estagnado na casa dos 2.0GHz e com menos cache L2), fora o Pentium M da própria companhia (para mercado mobile), que ainda usava uma arquitetura baseada na dos Pentium III (mas bem melhorada) e clocks bem menores (abaixo dos 2.0GHz ainda). Então a palavra-chave tornou-se eficiência e com isso o Core2Duo de 2.0GHz estraçalhou o Pentium D de 3.4GHz e fez a AMD passar maus bocados com o até então promissor Athlon 64 X2. Só que a evolução não podia parar, né? Então, já com processadores eficientes, AMD e Intel se viram obrigadas a subir o clock e aumentar o cache de seus processadores, fora que a necessidade de lançar processadores quad core fizeram com que as mesmas lançassem o Core2Quad (e o Core2Extreme quad core, claro) e o Phenom X4, incialmente ainda em clocks na casa dos 2.0GHz, mas que alcançou clocks maiores posteriormente nos lançamentos seguintes. A Intel foi percebendo que a abordagem da AMD com o Athlon 64 e com o Phenom era bem mais interessante que a sua, ainda baseada em processadores com FSB e dependentes do chipset da placa-mãe para demonstrar seu potencial e com isso ela lançou a linha Core ix que conhecemos hoje. Já a AMD, tinha em mãos um projeto promissor no seu Phenom, mas ela nunca teve uma litografia de 65nm madura o suficiente para concorrer com a Intel à altura, então ela caprichou na litografia de 45nm e finalmente lançou um de seus produtos mais promissores, que é o Phenom II, com clock alto e cache bem maior que o antecessor. O problema do Phenom II foi ter chegado tarde. Ele competia muito bem com os modelos tops do Core2Quad, mas teve que brigar de frente com os fortíssimos (até hoje, né?) Core i7 LGA1366. Não tardou para a linha de processadores LGA1156 chegar ao mercado também, inclusive competindo com o tão querido Core i5-750 e Core i5-760, que era o produto Intel com melhor custo x benefício da época. Daquela época para cá o que aconteceu foi o seguinte: tanto Intel como principalmente AMD encontram dificuldades de melhorar a performance em processamento, então agora o foco é melhorar o que ainda estava bem fraco na época: vídeo onboard (IGP). A ideia da AMD (que a Intel copiou e lançou antes, com os Core i3 e Core i5 de 32nm para LGA1156) era que o vídeo onboard deixasse de ser apenas um recurso para máquinas bem básicas de baixa qualidade e performance sofrível, para se tornar algo realmente interessante e útil, podendo trabalhar inclusive em conjunto com placas offboard (através do Hybrid CrossfIre da AMD e do Virtu da Intel, que possuem focos bem diferentes, mas que utilizam o vídeo onboard para algo realmente interessante), fora que com o tempo os processadores com vídeo onboard bom (como os Core i5 e Core i7 da linha "K" a partir do "Sandy Bridge" e A8 e A10 da AMD) passaram a ser vistos como boas opções gamers para quem estivesse com orçamento apertado, quisesse montar um HTPC ou mesmo que fosse adicionar uma placa-de-vídeo mais forte depois de alguns meses. Gamers casuais chegaram a um outro nível! Nada de IGP da VIA ou da SiS. Os IGPs da Intel e principalmente da AMD cada vez mais estão apresentando uma performance decente e apresentável, usável até por pessoa relativamente exigentes. Triste é só ter visto a AMD ir na contra-mão com o lançamento do FX, que é menos eficiente que o antecessor, mas na base da ignorância (bota clock nisso) e aprimoramentos na eficiência, aos poucos a empresa está consertando a cagada que fez, sendo que pelo menos na linha de APUs ela vai muito bem, obrigado.

 

Com essa história toda, o que posso afirmar é que, assim como você, eu também estou "estagnado" nos kits antigos para Socket AM3 e não sinto a menor necessidade de fazer upgrade, pois rodo tudo numa boa. Sua placa-de-vídeo é bem decente sim, eu mesmo já tive uma Radeon HD 4870, rodava muita coisa em Full HD sem problemas, mas é fato que em matéria de vídeo, a indústria continua evoluindo bastante sim e que um upgrade para uma placa atual te faria sentir boa diferença, caso você migre para um monitor Full HD ou com resolução ainda maior. Mas ao mesmo tempo, isso não é uma "necessidade". Sua máquina ainda é bem valente para tarefas atuais e não deve tanto assim para uma atual. Eu digo o seguinte: quem tem um Core2Quad da série Q9xx0, Core2Extreme da série QX6xx0 ou QX9xx0, Core i5-7x0 ou superior, Phenom II X4 9x0 ou superior, não PRECISA de um upgrade. Não é uma NECESSIDADE, mas sim um capricho. Kits atuais, especialmente os baseados em LGA1155, LGA1150 e LGA2011 (nada contra o AM3+, FM2 e FM2+), com certeza trarão ganhos de performance e alguns casos até expressivos, mas dizer que isso vai mudar a experiência da pessoa com a informática? Jamais! Quase tudo o que um Core i7 atual faz um Phenom II faz, claro que mais lento. Não é igual quando eu troquei o Sempron 2200+ Socket 462 pelo Phenom II X4 955 BE C2 Socket AM3, onde eu pude fazer um monte de coisa que a plataforma não dava conta. E mesmo nesse último caso a diferença ainda foi menor do que foi quando troquei o K6-II de 350MHz pelo Sempron 2200+ de 1.5GHz, que realmente revolucionou minha experiência com a informática.

 

Bom, é isso que penso.

  • Curtir 4

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×