Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
G00GL3

Roteador

Recommended Posts

À primeira vista, a diferença entre o TP-WR841N e o TP-WR841ND é o segundo tem as antenas destacáveis e podem ser atualizadas para maiores.
 
Note que o TL-WR741ND é o único que é apenas 150 Mbps. Todo que é 300 Mbps tem no mínimo duas antenas, fazendo 2T2R (transmite e recebe por cada uma delas) em MIMO.
 
Minha sugestão é que você vá às páginas de produto e/ou suporte nos respectivos sites de fabricante, e compare especificações, manuais e tutoriais.
 
Dependendo de suas versões, esses modelos TP-LINK podem receber DD-WRT ou Open-WRT. Mas é um procedimento que anula a garantia. Por padrão, segundo me lembro, os firmwares originais tem pouca funcionalidade, são muito básicos.
 
Também existe o TP-WR843ND, que tem de "extra", no firmware original, se não me engano, apenas a funcionalidade de ser cliente WISP.
 
Não sei comentar o L1-RW332. Sugiro-lhe mais uma vez que você colha informação no site do fabricante.

Tente desenhar o seu escritório com ASCII. Exemplo:

┌───┬───┬───┐│   │  o│   ││   │   │   │└─────────  ┘

O seria como o lugar para o roteador?
 
Se não, como seria?

Nisso importa o E.I.R.P. Alguns modelos tais como Intelbras WIN240 (700 mW) e o Multilaser RE073 (500 mW) pode ter um diferencial nisso, ao menos para as bandas b/g. Mas eles não recebem firmwares customizados e são apenas 150 Mbps.

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu não entendo praticamente nada sobre o assunto,você poderia me dizer se ele é melhor que os outros modelos acima.

 

Roteador Wireless N 300   L1-RW332

Características

·         Wireless N 300 Mbps: Ideal para aplicações como streaming de vídeos em HD, jogos e transmissão em alta velocidade;

·         Duas antenas de 5 dBi: Duas antenas de alto ganho que oferecem robustez e estabilidade ao sinal;

·         WDS - Wireless Bridge: Amplie a área de cobertura de sinal utilizando dois ou mais roteadores;

·         Instalação: Rápida, fácil e intuitiva, por PC, smartphone ou tablet, dispensando CD;

·         Segurança: Padrões de segurança 64/128 bit WEP, WPA-PSK, WPA2-PSK, WPS. Configuração WPS por um botão;

·         Controle dos Pais: Restrição de acesso a páginas na internet e/ou configuração de horários de utilização

·         Padrões   IEEE 802.3/3U- IEEE 802.11b/g/n 

·         Interface   1 porta WAN 10/100 M (Auto MDI/MDIX) 3 portas LAN 10/100 M (Auto MDI/MDIX) 

·         Faixa de Frequência   2.412 GHz-2.472 GHz 

·         Velocidade de Rede Wireless   Até 300 Mbps 

·         Tipo de Antena   2 antenas 5 dBi fixas omnidirecional 

·         Características Avançadas   VPN Passthrough (PPTP/L2TP) 

 

 

O local seria algo parecido com esta planta.

Zmi1OLA.jpg?1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Não tenho experiência. Olhando rapidamente o manual, pude perceber que ele pode funcionar como cliente WISP. Se você tiver uso pra isso agora ou no futuro, parece ser uma diferença, em termos de firmware original. Agora, é como eu disse, algumas versões dos TP-Link podem receber firmware customizado, fora da garantia.

 

Acho que o que passa a ser relevante é se existe diferença de E.I.R.P. entre os modelos. Pessoas dizem que DD-WRT pode melhorar o sinal...

 

Update

 

Há, sim, uma coisa muito relevante: as antenas são fixas. Pra mim, isso é um ponto muito negativo!

 

É verdade que muitas vezes "tentar a sorte" num upgrade de antenas não é a ação mais inteligente; mas às vezes é o caso.

 

Então minha sugestão é que, dentre esses, você opte por um TP-Link. Além de tudo, por que são produtos muito mais comuns no mercado, fica mais fácil expandir WDS com certeza de compatibilidade, caso se torne necessário no futuro.


O local seria algo parecido com esta planta.

 

Zmi1OLA.jpg?1

 

Onde estaria o roteador?

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Entendi isto:

┌───┬─────┐│  o│     ││   │     │└───      │  ┌ └─────┤  │       │  │       │  └───────┘

Se o roteador for de potência muito ordinária, pode não ser ideal para "x":

┌───┬─────┐│  o│     ││   │     │└───      │  ┌ └─────┤  │       │  │      x│  └───────┘

Mas acho que todo produto que indique "E.I.R.P. < 20 dBm" satisfará. Geralmente isso significa 20 dBm ou 100 mW nominais.

 

A presença de antena 5 dBi também é indicador positivo.

 

O WIN240 faz 21 dBm em 802.11n, mas é 150 Mbps.

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Você mencionou 40 m². Isso não importa muito. Pense no que inicialmente falava-se para o padrão 802.11n: alcance de 70 m interno e 250 m externo. E para o padrão 802.11g: alcance de 38 m interno e 140 m externo. Fonte: CT_GESER_II_2012_11.pdf.
 
Hoje é comum as especificações anunciarem alcance de 100 m interno e 200 m externo. A verdade é que a propaganda enganosa tem muito espaço nessa discussão. O alcance pode ser bem grande se a pessoa se satisfaz com uma velocidade menor. Dê uma olhada em tabelas que relacionam alcance com largura de banda (taxas de transferência) nos diversos padrões 802.11.
 
Então a potência a E.I.R.P. importa, e muito! Mas os fabricantes escondem a informação, ou a divulgam de uma maneira distorcida ou obscura, dando margem a interpretações erradas.
 

O que você acha desse modelo Intelbras WRN 300 (200mW)?
A marca é boa?

http://www.intelbras.com.br/residencial/wireless/roteadores/grandes-ambientes/wrn-300


Veja que a propaganda que a mesma empresa faz para seu WIN240, d'ele ser até 7x mais potente do que os modelos mais comuns do mercado, é enganosa. Aquela altíssima potência de 700 mW seria para o padrão 802.11b. Veja nas especificações:

 

Potência máxima: 29 dBm em IEEE802.11b 23 dBm em IEEE802.11g 21 dBm em IEEE802.11n

 

21 dBm é 125 mW. Você pode converter entre dBm e mW usando a calculadora do RadioLabs.

 

Sabe-se lá em que padrão o WIN300 é 200 mW! E o padrão que interessa é o N, é ou não é?

 

Mesmo com tudo isso, esses produtos da Intelbras ainda são, de fato, diferenciados, segundo conseguimos inferir/filtrar dos anúncios.

 

Mas quando eu leio que a potência "máxima" é 200 mW, eu jogo isso lá para o padrão B, tentando imaginar a queda, passando pelo padrão G e indo até o N. Seguindo esse raciocínio foi que eu optei, aproveitando uma promoção local, pelo Multilaser RE073 de 500 mW "nominais".

 

A minha escolha foi entre:

  • WIN240 "700 mW" de R$ 139,00
  • RE076 "500 mW" de R$ 119,00 por R$ 89,90

Mas isso porque eu tinha pressa, já ia fazer WDS limitante (com WEP) uma extensão da rede, e não estava ligando em não ser 300 Mbps na primeira nuvem. Foi muito "pra não gastar".

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

alexandre.mbm

Muito obrigado pelas explicações, amanha vou olhar outros modelos e me decidir sobre qual comprar.

Tenha um bom dia!

 

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

Estou na duvida de qual modelo escolher:

  • Intelbras WRN 300 300Mbps  200mW (ate 23dBm) R$ 71,90
  • Multilaser Re073 150Mbps 500mW R$ 89,90

Conheço pouco da marca Multilaser e achei poucas referências sobre o roteador, já a Intelbras é uma marca que conheço melhor.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Por esse preço, e para o seu pequeno escritório, parece ser melhor arriscar o Intelbras. Aliás, a marca tem um suporte muitíssimo melhor. Compare os sites. Eu não quis o WRN300 porque aqui a casa é maior e as antenas dele são fixas. Estava apenas 10 reais a mais. :rolleyes:

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O comprador fora meu pai. Eu dei a consultoria. Outro fator é que havia pressa e inexperiência da nossa parte, então não queríamos pedir o produto pela Internet. Se eu pareço "saber de alguma coisa", é devido a uma intensa pesquisa encaminhada durante a última semana.

 

Acho que você fez uma aquisição acertada. Peço-lhe que quando ativar sua rede, por favor, use o Wifi Analyser e registre, compartilhando conosco aqui no tópico, para aprendizado sobre a potência do modelo, a sensibilidade de recepção do sinal nos diversos pontos do local.

 

Você poderá inclusive usar um software tal como o Wolf WiFi Pro Net Tools Demo (Android) ou o Heatmapper (Windows) e gerar um mapa de calor para o sinal em toda a planta baixa do escritório. Assista no Olhar Digital como usar este último.

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Qual é o teu provedor? Ele fornece o modem?

Se for a NET, cuida pois eles só se comprometem a distribuir o sinal a uma única peça... O resto é contigo...

Quando fores contratar, manda eles colocarem explicitamente que o sinal deve abranger todas as peças do escritório. Assim não precisaras gastar com aparelhos e fica tudo na conta da empresa provedora.

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Qual é o teu provedor? Ele fornece o modem?

Se for a NET, cuida pois eles só se comprometem a distribuir o sinal a uma única peça... O resto é contigo...

Quando fores contratar, manda eles colocarem explicitamente que o sinal deve abranger todas as peças do escritório. Assim não precisaras gastar com aparelhos e fica tudo na conta da empresa provedora.

Utilizo a NET, e o modem é um Cisco DPQ2160.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Não tenho o contrato da NET a mão, mas reclamei a baixa potência do meu modem fornecido pela NET (marca Arris). Eles enviaram um técnico e o cara simplesmente disse que a empresa fornece o modem (q também é roteador) para trazer o sinal da internet até a minha casa e distribuir a uma peça apenas. A distribuição do sinal para o restante da casa seria compromisso meu.

Acho um desaforo isso, pois os usuários assim como tu (e eu) contratamos o serviço que inclui o aparelho, mas que nos fornece aproveitamento apenas para um local da casa! Depois temos que gastar com outros aparelhos e quebrar a cabeça tentando instalar esse monte de coisas!

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@mmrc2011, desaforo era ser ilegal ter mais de um aparelho usufruindo da Internet nos planos residenciais.
 
O cuidado que você requer deveria ser oferecido como serviço ou plano "extra" de suporte. Pois é injusto um cliente simples (com um único aparelho) pagar a mesma coisa e não usufruir de tais cuidados. Eu acho muito razoável a coisa como é hoje. O que acontece é que o usuário (você, parece) não tem preparo para montar a própria rede, não quer adquiri-lo, e ainda quer receber gratuitamente esse serviço de administração de rede. Aí demais!
 
Existe um profissional chamado "administrador de redes". Eu sei que redes domésticas, em sua maioria, são irrelevantes para eles. Mas ainda assim, podem e devem cobrar "alguma coisa" para administrá-las ou implantá-las. Lembre-se de que pagamos a um eletricista para que ele instale um novo ponto de luz ou tomada. E tem gente que dá uma de eletricista, nesses casos mais simples.
 

Só não entendi muito bem a questão do provedor distribuir sinal para somente única peça.


@G00GL3, acho que ficou explicado acima.

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom, assim que o aparelho chegar (vai demorar)  posto aqui, minha opinião sobre o aparelho citado a cima.

 

Desejo a todos vocês um Feliz Ano Novo e que suas metas e objetivos se concretizem!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pois é Alexandre.... Compreendo tua opinião, e concordo com algumas coisas. Principalmente no que diz respeito a contratar um profissional.

Minha área de trabalho é a da saúde, e não deveria entender muita coisa de informática, etc. Porém, tenho perdido meu tempo tentando entender como isso funciona, pois até o momento os técnicos com que eu falei pedem para vir na minha casa, cobram visita, mas ninguém me deu uma posição segura do que está acontecendo, ou o que poderia ser feito. Já forneci diversas informações de diagnóstico de rede, sinal que chega/sai, oscilações de horários, canais usados, quantidade de redes na redondeza, etc, etc. O que querem é instalar aparelhos novos (tenho um PT-LINK comprado há 2 semanas, um repetidor de tomada com 3 meses de uso, e um Lynksys antigo).

 

Por outro lado, entendo que um "plano residencial" com um modem wireless incluído seja um serviço a ser fornecido pelo provedor de serviços a uma residencia, e não apenas a uma peça da residencia. Caso contrário, eu teria ficado com o modem antigo, um roteador velho, velocidade de 5 Mbps e TODA A CASA (casa de dois andares) recebendo o sinal. Porém, eu solicitei o aumento de velocidade e me disseram que teria que usar um outro modem (fornecido pela NET) e que já teria um poder de distribuição de sinal muito bom para toda a casa, e a NET não se comprometeria a configurar o antigo Lynksys mesmo que eu quisesse.

 

Sabes bem que o ***** aqui caiu na arapuca: não entendo M**** nenhuma sobre redes, contratei o serviço, vi minha conta cair dos R$112,00 para R$110,00/mês, e tive a velocidade comprometida devido à perda do sinal. Para completar, a porta da arapuca se fechou quando assumi um contrato de 01 ano.

 

Alexandre, como falei eu não sou expert no assunto, mas tive que aprender na marra como instalar meu antigo Lynksys, como passar cabo por conduítes, como instalar repetidores de tomada, etc - tudo por vídeos/foruns na internet. Me considero um autodidata com bastante sucesso.

 

O problema que estou apontando aqui é o absurdo que as provedoras de telefonia e internet estão fazendo neste país. Temos uma das piores e mais cara internet do mundo e ainda dependemos da boa vontade desses técnicos de informática que são piores do que mecanicos de automóveis em matéria de picaretagem. Para teres ideia, um vagabundo desses que atendia o meu vizinho, em conchavo com um técnico da GVT "derrubou" o sinal da internet na minha casa... aí, o ***** aqui chamou o mesmo técnico (até então muito bem recomendado pelo meu vizinho) e descobri que o cara mandava msgs pelo celular p/ um segundo vagabundo que ficava no tal de "quadro" que fica na rua dizendo para "recolocar o cabo derrubado na semana anterior" = O MEU CABO!. Não entrarei em mais detalhes, mas te digo que o DFP deve ter saido daqui com as calças cheias, e foi rapidinho refazer a minha conexão.

 

Ou seja: nós usuários e pagantes temos que nos sujeitar aos abusos de uma empresa rica e exploradora, e depois temos que dar mais uma mesadinha p/ esse bando de vagabundos que se aproveitam da situação.

 

Para não me distanciar muito do tópico iniciado pelo G00GL3, eu postei tudo isso aqui apenas como um aviso: os provedores já fornecem o aparelho que funciona como wireless e nós usuários devemos exigir que o sinal funcione em todo a residencia (ou escritório). Isso é um direito nosso! O G00GL3 não deveria estar quebrando a cabeça e gastando o dinheiro dele com isso.

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pois é Alexandre.... Compreendo tua opinião, e concordo com algumas coisas. Principalmente no que diz respeito a contratar um profissional.

Minha área de trabalho é a da saúde, e não deveria entender muita coisa de informática, etc. Porém, tenho perdido meu tempo tentando entender como isso funciona, pois até o momento os técnicos com que eu falei pedem para vir na minha casa, cobram visita, mas ninguém me deu uma posição segura do que está acontecendo, ou o que poderia ser feito. Já forneci diversas informações de diagnóstico de rede, sinal que chega/sai, oscilações de horários, canais usados, quantidade de redes na redondeza, etc, etc. O que querem é instalar aparelhos novos (tenho um PT-LINK comprado há 2 semanas, um repetidor de tomada com 3 meses de uso, e um Lynksys antigo).

 

Tal como eletricistas.

 

Sabes bem que o ***** aqui caiu na arapuca: não entendo M**** nenhuma sobre redes [...]

 

Alexandre, como falei eu não sou expert no assunto, mas tive que aprender na marra como instalar meu antigo Lynksys, como passar cabo por conduítes, como instalar repetidores de tomada, etc - tudo por vídeos/foruns na internet. Me considero um autodidata com bastante sucesso.

 

Peço-lhe desculpas por minhas opiniões apressadas sobre sua pessoa.

 

Para teres ideia, um vagabundo desses que atendia o meu vizinho, em conchavo com um técnico da GVT "derrubou" o sinal da internet na minha casa... aí, o ***** aqui chamou o mesmo técnico (até então muito bem recomendado pelo meu vizinho) e descobri que o cara mandava msgs pelo celular p/ um segundo vagabundo que ficava no tal de "quadro" que fica na rua dizendo para "recolocar o cabo derrubado na semana anterior" = O MEU CABO!. Não entrarei em mais detalhes, mas te digo que o DFP deve ter saido daqui com as calças cheias, e foi rapidinho refazer a minha conexão.

Tal como um "eletricista" mal caráter.

 

Para não me distanciar muito do tópico iniciado pelo G00GL3, eu postei tudo isso aqui apenas como um aviso: os provedores já fornecem o aparelho que funciona como wireless e nós usuários devemos exigir que o sinal funcione em todo a residencia (ou escritório). Isso é um direito nosso!

Não. Existem casas ou apartamentos minúsculos, e existem casas ou apartamento muito amplos, de mais de um piso inclusive.

Meu ponto é que o provedor pode fornecer serviços diferenciados ou "extras" para esses clientes diferenciados. Ele tem o direito de fazer isso e, se não está fazendo, está perdendo oportunidade.

 

O caminho para a diminuição dos preços é o estímulo à concorrência.

 

Quanto aos vagabundos aproveitadores, eles existem em todas as áreas. Cabe ao cliente e ao Estado combatê-los, filtrá-los, isolá-los, criticá-los, e então reformá-los.

  • Curtir 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×