Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Marco Tada

Membros Plenos
  • Total de itens

    326
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    N/D

Reputação

130

1 Seguidor

Sobre Marco Tada

  • Data de Nascimento 21/01/1974 (46 anos)

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    São Bernardo do Campo/SP
  • Sexo
    Masculino

Meu PC

  • Processador
    AMD Ryzen™ 7 3700X
  • Cooler
    Scythe Ninja 5
  • Placa de vídeo
    Gigabyte RX5700XT OC Gaming
  • Placa-mãe
    Asus TUF GAMING X570-PLUS Wi-Fi
  • Memória
    32GB - 2 x Corsair Vengeance LPX 16GB - CMK16GX4M2Z3200C16
  • HDs
    1 x Crucial BX500 240GB, 2 x SanDisk 120GB
  • SSDs
    Samsung Evo Plus M.2 250GB, WD Blue SN550 M.2 1TB
  • Gabinete
    Corsair Carbide Air 540
  • Fonte
    EVGA 850GQ
  • Sistema Operacional
    Fedora Linux

Meu Console

  • Modelo
    PS4 Pro e Analogue Super NT
  1. O problema é que a maioria dos fabricantes de mídia não fabricam nada, apenas colocam a marca. Não adianta você perguntar sobre marca X ou Y, pois na maioria das vezes essas marcas apenas põem sua marca em uma mídia de algum fabricante. Isso acontece com diversos outros produtos, de memória a fontes de alimentação, diversas marcas famosas apenas põem sua etiqueta nos produtos (e cobram por isso). Lembro que há muitos anos eu peguei um lote de DVD-R da Sony que era made in Japan, fui verificar o código do fabricante e descobri que o fornecedor deste lote era a Taiyo Yuden, que na opinião da maioria foi simplesmente a melhor fabricante de mídias graváveis que já existiu. Lógico que voltei na Santa Ifigênia e comprei mais pacotes fechados desta Sony, inclusive amigos meus compraram centenas destas mídias. Depois de alguns meses voltei para comprar mais mídias, e vi que as Sony não estavam mais como made in Japan, e sim Taiwan, e vi que o fornecedor não era mais o mesmo. Aí eu passei a importar mídias da própria Taiyo Yuden, sem serem remarcadas. Infelizmente a Taiyo Yuden encerrou as atividades de fabricação de mídias graváveis em 2015, e vendeu sua tecnologia para a CMC Magnetics. Quanto às mídias atuais, não posso ajudar, pois parei de usar DVDs já faz vários anos, o preço dos HDs ficou bem mais barato para usar discos rígidos para fazer backup (fora o tempo de gravação).
  2. Com relação à interface gráfica, acho que as principais atualmente são Gnome, KDE, XFCE e Mate (existem outras, mas acho que mais da metade das instalações é em cima destas). Cada distribuição tem a sua interface default, mas algumas distribuições são disponibilizadas em mais de um "sabor", e mesmo usando uma interface específica pode-se instalar em paralelo outra. Eu não recomendo instalar diferentes interfaces no mesmo SO, tem certas funcionalidades que estão encravadas no SO, e não funcionam corretamente em sistemas para os quais não foram projetados. Um exemplo é o Ubuntu de antigamente, que usava o Unity, quando lançaram os pacotes do Gnome 3 para o Ubuntu algumas coisas não funcionavam perfeitamente, pois dependiam de comuicar com programas do SO que não estavam perfeitamente ajustados no Ubuntu (no Fedora o Gnome 3 foi adotado cedo, e tudo funcionava perfeitamente no Fedora com o Gnome 3). E outra, esse negócio de interface gráfica é igual time de futebol, cada um tem a sua preferida, e sai até briga falar mal da outra. Então muitas vezes quem adota uma não vai instalar outra junto. Sugiro que você crie uma máquina virtual e brinque de instalar diferentes "sabores" de diferentes distros, para ver qual agrada mais. Sobre instalação de drivers, se você tiver placa gráfica da AMD então está com sorte. Não precisa instalar nada, os drivers open source que estão embutidos no kernel são mantidos pela própria AMD, e são melhores que os drivers "fechados" mantidos também pela AMD. O AMDGPU Pro (driver fechado) só é indicado para usos profissionais, para programação usando cores CUDA, para jogos fique com o AMDGPU open source. Agora se você usa nVidia a história é outra. Algumas distros facilitam na hora de instalar os drivers oficiais da nVidia, outras você vai ter que habilitar repositórios não oficiais da distribuição para poder instalar os drivers oficiais da nVidia - os drivers open source são mantidos sem nenhum apoio da nVidia, foi feita muita engenharia reversa em cima do histórico de drivers da nVidia, mas estão longe de serem usáveis para jogos.
  3. Os programas que você vai usar são praticamente iguais, ambos Ubuntu e Mint tem suas raízes no Debian. O Fedora é baseado no Red Hat, é inclusive considerado um "laboratório" do Red Hat, pois algumas soluções que são planejadas para o Red Hat (não todas) muitas vezes são implementadas antes no Fedora. Para quem acompanha o mundo linux há mais tempo sabe da "mágoa" que o Richard Stalman tem sobre o pessoal ignorar que linux é apenas o kernel do sistema operacional, todo o conjunto de ferramentas que acompanha o sistema operacional foi desenvolvido por Stallman em um projeto chamado GNU, quando Linus Torvalds procurou um conjunto de ferramentas para compor seu sistema operacional, juntou o kernel linux com as ferramentas do projeto GNU e daí nasceu o que Stallman gostaria que fosse chamado GNU/Linux, mas que a maioria das pessoas ignoram e chama somente de linux. Ou seja, as ferramentas que você vai usar em todos os linux são basicamente as mesmas ferramentas do projeto GNU, apenas em versões diferentes dependendo da distro que você utilizar. Uma das maiores diferenças entre o mundo Red Hat e Debian, e que me impacta diretamente, é com relação à estrutura de diretórios para libraries que cada um escolheu. Há muitos anos atrás só existiam sistemas 32 bits, e as libraries iam no /lib, /usr/lib, /usr/local/lib, etc. Quando os primeiros sistemas 64 bits apareceram, existiu a necessidade de se garantir que programas 32 bits rodassem em sistemas 64 bits, então nasceu a necessidade de se instalar libraries de 32 bits junto com libraries de 64 bits. O problema é, muitos programas nasceram na época que não existia 64 bits. Aí a Red Hat teve a ideia: libraries de 32 bits continuam indo para "lib" e libraries de 64 bits vão para diretórios "lib64". Perfeito. Aí vem a Debian e inventa de usar "lib32" para libraries de 32 bits, "lib64" para libraries de 64 bits, e tem diretórios "lib" sem nada que não se sabe o que vai ali dentro. O maior problema é que tem programas 32 bits que simplesmente não conhecem esta estrutura lib32, e não instalam corretamente. Eu trabalho com Oracle, e já desisti de instalar o Oracle em máquina Ubuntu, não funciona, já em Fedora instala e roda sem problemas. Lógico que se você instalar programas a partir dos repositórios funcionam tudo perfeitamente. Mas programas que você baixa um instalador de terceiros pode dar essa dor de cabeça - a grande maioria é de programas enterprise, nada doméstico.
  4. Não conheço. Acho que você não vai achar isso em switches para redes domésticas.
  5. Você está com entradas de ar sem filtragem. Se estiver com configuração de pressão de ar positiva (mais ventoinhas puxando ar para dentro do que jogando ar para fora), então basta garantir que todas ventoinhas de entrada estajam com filtro. Se você estiver com pressão de ar negativa (mais ventoinhas jogando ar para fora do que puxando ar para dentro), então vai entrar ar por frestas do gabinete, muitas dessas sem filtragem. Tente equalizar a quantidade de ar que entra e que sai, usando filtragem só no ar que entra, lembrando que adicionando um filtro nas ventoinhas de entrada vai diminuir o fluxo de ar, então leve isso em consideração. Eu prefiro deixar o fluxo um pouco mais positivo, meu gabinete é bem aberto na parte de cima, então o ar que não for expulso pela ventoinha traseira sai naturalmente pela parte superior.
  6. Switch serve para ligar equipamentos de uma mesma rede, eles agem na camada 2 do modelo OSI (data link), ou seja, não faz roteamento (camada 3, camada de rede). Existem switches multi layer, que podem fazer trabalho de roteamento. No seu diagrama um dos computadores está na rede 10.0.0.0, o outro está na rede 192.168.1.0, para eles se conversarem, seus switches devem ser capazes de trabalhar na camada 3.
  7. Garantia cobre contra defeitos de fabricação, não contra mau uso. Eles vão pegar a sua placa e analisar em uma oficina com equipamentos adequados, e se constatarem que houve sobrecarga devido a problemas que não da fabricação, o fabricante pode negar o conserto/troca.
  8. Esses HDs da Seagate estão meio mal-falados, pesquise sobre os problemas da Seagate, inclusive de processos que eles estão sofrendo fora do Brasil. Pelo que eu vi o problema é em relação à performance, não tem a ver com a durabilidade. As fontes da Corsair estavam dando problemas já tem uns meses, pode ser que você dê sorte de pegar um lote já corrigido. Tente trocar o disco por um SSD, ou NVME, e aí você vai sentir uma diferença boa. Eu tinha um nvme somente para sistema operacional e outro disco mecânico para dados pessoais na minha máquina, e troquei este disco mecânico por um nvme de 1TB, e a diferença é assustadora, mas meu caso é que eu uso a minha máquina para trabalhar, então eu senti que precisava uma máquina mais ágil quando eu abro qualquer programa. Antes eu abria o leitor de email, Teams, Google Chrome e outros programas, e o tempo para abrir tudo era de mais de um minuto entre abrir e a máquina começar a responder pelos comandos de mouse e teclado sem lags, agora é instantâneo.
  9. Você pode mandar um email para a Samsung questionando, ou compre o que você acha que funciona e teste, se não funcionar, você tem 7 dias a partir da data do recebimento da mercadoria para devolver.
  10. O Ryzen já nasceu DDR4, não teve Ryzen DDR3. Os Intel se não me engano teve uma geração de transição do DDR3 para DDR4, e alguns fabricantes lançavam placas mãe com slots DDR3 e DDR4. A restrição é que não dava para misturar memórias DDR3 e DDR4, tinha que usar memórias somente de uma geração. Outro inconveniente é que ficava com um conjunto de slots de memória que não dava para ser usado ocupando espaço na placa-mãe, se você usasse DDR4, ficava um conjunto de slots DDR3 ocupando espaço, e vice-versa. A AMD tinha dado a entender que talvez daqui a umas duas gerações o padrão DDR5 vai ser adotado, e eles ainda estão estudando se a mudança vai ser a seco ou se vão usar uma estratégia de placas mãe com DDR hibridos, onde você possa colocar os seus pentes de memória DDR4, e futuramente fazer upgrade para DDR5.
  11. Sim, mas em nenhum momento eu citei GPUs com PCIe 4.0, e sim storage, já estão aparecendo discos que usam a banda extra do pcie 4.0, ainda estão caros, provavelmente na prática a diferença não vai ser tão sentida assim para um nvme 3.0, mas já existe dispositivos para a nova geração pcie. Eu também recomendei as placas mãe da geração atual pois o upgrade para a próxima geração de processadores é garantido pela AMD, as placas mãe antigas já não existe essa garantia, e mesmo assim está bem indefinido quais placas vão ter upgrades garantidos (e naquele esquema, vai perder suporte a alguns processadores, e vai ser um processo sem volta). Sobre os preços, é como eu disse, a realidade lá fora é outra, algumas placas podem ter preços não tão diferentes quanto aqui no Brasil entre gerações diferentes. Mas isso quem vai decidir é o Fábio que está lá no Japão, não sei qual é a situação do mercado atual lá. Aqui no Brasil muita gente compra placas mãe de gerações anteriores, mas em alguns países não, daí os preços não flutuam igualmente em diferentes países para as mesmas placas mãe.
  12. Não sei qual é a realidade do mercado de componentes no Japão, mas acho que já daria para recomendar uma placa-mãe com chipset x570, que é o topo atualmente, não? Eu vi um vídeo gringo uma vez em que eles mencionavam placas mãe de gerações passadas, e davam a entender que o grosso de venda destes componentes era em mercados emergentes. Não que a B450 seja ruim, mas em mercados mais competitivos o preço das placas mãe lançamento não são tão pesados para bancar. E pareando uma placa-mãe da nova geração com os Ryzen da série 3000 já vai liberar o PCIe 4.0, dará uma margem boa para upgrades de disco nvme, que já tem alguns modelos aproveitando a banda de dados maior do pcie 4.0. Fica até difícil fazer muitas recomendações, pois alguns componentes não são lançados em todos os mercados, tem componentes que são vendidos aqui e não no Japão, e vice-versa. Outro detalhe é que talvez no início do ano que vem a AMD lance a nova geração dos Ryzen, e as placas mãe X570 e B550 vão ter compatibilidade garantida pela AMD, já as B450 e X470 vão depender dos fabricantes das respectivas placa-mãe de adaptarem o código que suporta os novos processadores nas suas BIOS, e é um processo que provavelmente vai retirar suporte de alguns processadores antigos nestas placas, para poder acomodar os mais novos.
  13. Aí é que está, quando se fala em jogos, estamos falando de componentes sendo exigidos praticamente no máximo durante a jogatina. Na linha Ryzen, por exemplo, as placas de entrada tem a inicial "A", as placas intermediárias tem a inicial "B" e as placas topo de linha tem a inicial "X". Eu não usaria uma placa A320, por exemplo, para montar um computador para jogar, partiria para uma B450 para cima, por exemplo. Mesmo as B450 tem exemplares melhores construídos e outros um pouco abaixo do esperado, mas com cuidado dá para pegar uma B450 boa para uma máquina para jogos.
  14. São placas mãe que para usos mais básicos. Não quer dizer que sejam de má qualidade, mas não não suportam overclock, e mesmo em velocidades stock algumas trabalham mais quentes com alguns processadores/memórias de desempenho acima da média. Não que não seja possível rodar um processador topo de linha nessas placas, mas além do fato destes componentes mais no topo exigirem mais da placa-mãe, acho pouco provável que alguém vá comprar processadores de alto desempenho e usar uma placa de entrada.
  15. Só achei estranho essa quantidade de horas de uso e de power cycles. Você usa seu computador todos os dias por horas? Pois 51 dias de uso, se você tem o hd há 3 meses, numa conta bem básica (51/90)*24h dá 13,6 horas de uso diárias por 3 meses. Fora essa quantidades de ciclos de power on, 239, você teria que ligar e desligar o computador mais de 2 vezes por dia para alcançar isso. Inclusive nos fins de semana. Tem certeza que esse hd que você comprou é novo?

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas comunidades sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

Aprenda a ler resistores e capacitores

EBOOK GRÁTIS!

CLIQUE AQUI E BAIXE AGORA MESMO!