Conectores de Vídeo
11/04/2012 às 17h34min por Gabriel Torres em Vídeo

Introdução

Existem vários tipos de conexão de vídeo que você pode encontrar no PC e em aparelhos eletrônicos, tais como TVs, aparelhos de DVD/Blu-Ray, consoles de videogame, receptores de TV a cabo e projetores de vídeo. Apesar de a finalidade geral desses conectores ser a mesma – conectar o sinal de vídeo de um dispositivo ao outro – a qualidade de vídeo obtida por cada tipo de conexão e/ou a quantidade de recursos disponíveis são completamente diferentes. Como você provavelmente quer obter a melhor qualidade de vídeo possível de seus equipamentos, nós escrevemos este tutorial para explicar em detalhes as diferenças entre cada tipo de conexão e quando você deve usá-las, além de fornecer várias dicas de como aumentar a qualidade de vídeo de seu equipamento..

Os tipos de conexão que falaremos neste tutorial estão listados abaixo por ordem crescente de qualidade (ou por ordem crescente de recursos, no caso das conexões digitais):

Em resumo, você deve usar a melhor conexão suportada pela sua TV e pelo dispositivo que você deseja conectar a ela.

Radiofrequência (RF)

RF é o modo mais antigo de transmissão de sinais de vídeo. Ele é usado em TVs antigas, videocassetes, receptores de TV a cabo e em consoles de videogame (Atari 2600 e o Nintendo Entertainment System, por exemplo) onde você tem que sintonizar a TV nos canais 3 ou 4 para ver a imagem gerada por esses dispositivos. Este tipo de conexão pode ser usado para conectar seu videocassete ou receptor de TV a cabo à sua TV, mas como atualmente todos os aparelhos de TV possuem conexões de vídeo melhores, você deve usar uma delas de modo a obter melhor qualidade de imagem. Em resumo, use a conexão RF apenas se você for instalar um console de videogame dos anos 80 em sua TV, caso contrário use uma das conexões de vídeo descritas nas próximas páginas..

Cabos de RF são encontrados de dois tipos: coaxial de 75 ohms e paralelo de 300 ohms. Este segundo tipo era o mais usado antigamente por antenas externas, mas atualmente mesmo as antenas externas usam cabos de 75 ohms. Você pode instalar um cabo/conector de 300 ohms em um conector de 75 ohms através do uso de um adaptador, como mostramos na Figura 6.

Na Figura 1 você pode ver uma entrada RF em um aparelho de TV. Nesse conector você deve instalar o seu receptor de TV a cabo antigo, console de videogame dos anos 80 ou sua antena, se você ainda usa recepção analógica via antena. Se o dispositivo que você quer conectar à sua TV tem um tipo de conexão melhor, você deve usá-la.


Figura 1: Entrada RF em um aparelho de TV

Na Figura 2 você pode ver uma entrada e uma saída RF em um aparelho de videocassete. A entrada é usada para conectar o videocassete ao seu receptor de TV a cabo antigo ou antena, e a saída pode ser usada para conectar o videocassete à TV, mas este tipo de conexão não deve ser feita atualmente, já que você pode usar o vídeo composto para conectar seu videocassete à sua TV, o que oferece melhor qualidade de imagem.


Figura 2: Entrada e Saída RF em um aparelho de videocassete

Em computadores, os conectores RF são usados apenas por placas de TV ou placas de captura de vídeo para permitirem que você assista e grave programas de TV em seu computador. Neste caso você deve conectar o seu receptor de TV a cabo ou sua antena no conector RF da placa de captura. Se você tem uma placa de captura de vídeo, não use este conector para ligar o videocassete ao seu micro, já que você pode usar vídeo composto que oferece melhor qualidade de imagem.


Figura 3: Entradas RF para antenas de rádio e TV em uma placa de captura de vídeo

Na Figura 4 você pode ver um cabo RF e conector típicos, e na Figura 5 outro tipo de conector que também pode ser usado em conexões RF. A diferença entre eles é que o conector do cabo na Figura 4 deve ser aparafusado em um conector fêmea em sua TV, videocassete ou receptor de TV a cabo, enquanto que o segundo conector, mostrado na Figura 5, não precisa ser aparafusado, pois ele é de encaixe.


Figura 4: Conector macho RF e cabo típicos (de aparafusar)


Figura 5: Outro tipo de conector RF macho


Figura 6: Adaptador para converter entrada RF de 300 ohms para 75 ohms (“balun”)

Vídeo Composto (RCA)

Vídeo composto é um dos tipos mais populares de conexão de vídeo e utiliza um conector RCA (projetores de vídeo antigos podem usar conectores do tipo BNC para esta conexão), e é usado pelos populares conectores “video in” e “video out”, encontrados em videocassetes, aparelhos de TV, aparelhos de DVD/Blu-Ray, consoles de videogames dos anos 90 em diante e projetores de vídeo. Nos computadores, placas de captura de vídeo e algumas placas de vídeo antigas têm esta saída..

Esta é a melhor opção para conectar seu videocassete à sua TV, assumindo que eles não possuem conector S-Video (os aparelhos de TVs mais novos possuem este tipo de conector, mas videocassetes costumam não ter saída S-Video). Para outros dispositivos, como aparelhos de DVD/Blu-Ray, consoles de videogames atuais, projetores de vídeo e até mesmo computadores, você não deve usar esta conexão, já que outros tipos de conexão de vídeo oferecem melhor qualidade de imagem, e esses dispositivos suportam pelo menos S-Video.

Na Figura 7 você pode ver a entrada de vídeo composto em um aparelho de TV e, na Figura 8, a saída de vídeo composto em um videocassete. Geralmente o conector RCA fêmea usado por vídeo composto é amarelo para diferenciar-se de outros conectores RCA, especialmente os usados por áudio, onde um conector vermelho indica o canal direito e um conector branco ou preto indica o canal esquerdo. Preste atenção na TV da Figura 7; ela tem entrada S-video, nosso próximo assunto.

Como o videocassete permite a gravação de vídeos, ele possui dois conectores de vídeo composto, sendo uma entrada e uma saída. Você deve conectar a saída do videocassete na entrada do aparelho de TV. O conector de entrada do videocassete deve ser usado caso você queira gravar algo de uma outra fonte de vídeo, como um outro videocassete (para fazer cópias de fitas) ou até mesmo um micro com saída de vídeo composto.


Figura 7: Vídeo composto em um aparelho de TV


Figura 8: Vídeo composto em um videocassete

Na Figura 9 você pode ver as saídas de um típico aparelho de DVD. Apesar de ele ter uma saída de vídeo composto, ela não deve ser usada para conectar o aparelho de DVD à TV ou projetor de vídeo, já que normalmente o DVD possui conexões melhores, como S-Video ou vídeo componente. Nós vemos apenas dois usos para a saída de vídeo composto de um aparelho de DVD ou Blu-Ray: se o seu aparelho de TV é muito antigo ou se você quer gravar em fitas VHS o conteúdo de um DVD.


Figura 9: Saídas encontradas em um aparelho de DVD típico

Algumas placas de vídeo antigas possuem um conector RCA, oferecendo, assim, saída vídeo composto. Esta saída pode ser usada para conectar seu micro em uma TV (para você pode usar sua TV como monitor de vídeo) ou em um videocassete, para gravar imagens de vídeo em fitas VHS. A qualidade de um aparelho de TV analógico, no entanto, é muito inferior à de qualquer monitor de vídeo. Existem duas razões para isso. Primeiro, aparelhos de TV analógicos trabalham com resolução de 640x480, menor do que a resolução mais comum utilizada atualmente. Segunda, aparelhos de TV analógicos trabalham com varredura entrelaçada, enquanto que os monitores de vídeo trabalham com varredura não-entrelaçada (também conhecida com varredura progressiva), que oferece melhor qualidade de vídeo.

Você também pode conectar sua placa de vídeo em seu aparelho de TV usando a conexão S-Video, desde que ambos possuam este conector. A saída S-Video de uma placa de vídeo pode ser transformada em vídeo composto através do uso de um adaptador, como explicaremos na próxima página.

Mas se você tiver uma TV digital (“HDTV”), a situação é diferente porque ela oferece resolução maior do que a de aparelhos de TVs analógicos e pode usar varredura progressiva. Se você tiver este tipo de aparelho de TV, você deve usar um tipo de conexão melhor para ligar o seu micro, de modo a obter a melhor qualidade de imagem possível.


Figura 10: Uma placa de vídeo com saída de vídeo composto

Você também encontrará vídeo composto em placas de captura de vídeo, permitindo a você conectar seu videocassete ao micro para transformar suas fitas VHS em vídeos de computador.

Na Figura 11 você pode ver o famoso conector macho RCA usado pela conexão de vídeo composto. O cabo apresentado possui mais dois conectores utilizados para transportar áudio analógico (um cabo com um plugue branco para o canal esquerdo e um cabo com um plugue vermelho para o canal direito). O cabo de vídeo composto usa o plugue amarelo.


Figura 11: Cabo de vídeo composto

Como os conectores RCA são usados para diferentes propósitos (dê uma olhada na Figura 9), na maioria das vezes eles são coloridos. Para ajudá-lo, aqui está uma lista das cores mais usadas por conectores e cabos RCA:

Vídeo Separado (S-Video)

O padrão S-Video oferece melhor qualidade de imagem do que o vídeo composto. No vídeo composto há apenas dois fios, um para transmitir o sinal de vídeo e outro que é o fio terra. Já no S-Video, três fios são usados; um para transmitir a imagem em preto-e-branco, outro para transmitir as informações de cor e um terceiro que é o fio terra. Daí o seu nome, vídeo separado (Separated Video)..

Todos os aparelhos de TV atuais e projetores de vídeo possuem este conector, mas você deve usá-lo apenas se a sua TV ou projetor de vídeo e o dispositivo que você quer conectar a eles não tenham melhores opções, como vídeo componente, DVI ou HDMI.


Figura 12: Conector S-Video em um aparelho de TV


Figura 13: Conector S-Video em um aparelho de DVD

Algumas placas de vídeo antigas possuem uma saída S-Video, como você pode ver na Figura 14. Em placas de vídeo com função de captura de imagem (também conhecidas como VIVO) ou com saídas vídeo componente, este mesmo conector também é usando para essas funções. O conector padrão S-Video possui quatro pinos. Se o conector S-Video da sua placa de vídeo tiver mais do que quatro pinos, isso significa que a sua placa de vídeo possui vídeo componente ou funções de captura. Falaremos mais sobre isso na próxima página.


Figura 14: Conector S-Video em uma placa de vídeo

O S-Video é a melhor maneira de conectar o seu micro em um aparelho de TV analógico antigo, desde que a sua TV e placa de vídeo não suportem vídeo componente (ver próxima página). Lembre-se que a qualidade de imagem de aparelhos de TV usando tubo de imagens (CRT) é muito inferior a de que qualquer monitor de vídeo. Existem duas razões para isso. Primeiro, a tela da TV trabalha com resolução de 640x480 (também conhecida como 480i ou SDTV), menor do que a resoluções mais comuns utilizadas atualmente. Segundo, o aparelho de TV trabalha com varredura entrelaçada, enquanto que os monitores de vídeo trabalham com varredura não-entrelaçada (também conhecida com varredura progressiva), que oferece melhor qualidade de vídeo. Portanto, para conectar PCs em TVs e projetores de vídeo, você deve usar os conectores DVI ou HDMI, como explicaremos depois (se o projetor de vídeo não tiver esses dois tipos de conectores, então a opção é usar a conexão VGA, que normalmente é encontrada em projetores de vídeo, mas não em aparelhos de TV).

Na Figura 15 vemos o conector e o cabo padrão do S-Video. O sinal S-Video pode ser transformado em vídeo composto através do uso de um adaptador (mostrado nas Figuras 16 e 17). Isto é interessante para conectar uma fonte de vídeo que possui apenas saída S-Video em um aparelho de TV que não possua uma entrada S-Video ou vice-versa.


Figura 15: Conector e cabo S-Video


Figura 16: Adaptador de S-Video para vídeo composto


Figura 17: Este cabo fornece entrada S-Video e saída vídeo composto

Vídeo Componente

O padrão vídeo componente oferece uma qualidade de imagem melhor do que a do S-Video, sendo a conexão de vídeo preferida para ser usada entre seu aparelho de DVD ou seu conversor de TV à cabo/satélite e sua TV ou projetor de vídeo, caso eles possuam este tipo de conexão e eles não tenham uma melhor opção de conectividade, como DVI ou HDMI. O vídeo componente usa três cabos, que devem ser conectados da seguinte forma:.

O conector Y transmite a informação de vídeo (imagem em preto e branco) enquanto a informação de cor é transmitida nos outros conectores.


Figura 18: Conectores de vídeo componente em um aparelho de DVD

Em se tratando de computadores, algumas placas de vídeo possuem este tipo de saída, que deve ser usada caso você queira conectar seu micro à sua TV e ela não tenha uma conexão que ofereça melhor qualidade de imagem, ou seja, VGA, DVI ou HDMI.

O problema, no entanto, é que não é fácil detectar visualmente se uma placa de vídeo possui ou não este tipo de saída, porque ela compartilha o mesmo conector usado pelo Vídeo Separado (S-Video). Se a sua placa de vídeo tiver uma saída S-Video, ela pode ou não suportar vídeo componente.

Uma maneira de detectar se o seu conector S-Video possui ou não saída vídeo componente é olhando para ele. Se ele tiver somente quatro pinos, significa que ele tem somente saída S-Video, não possuindo saída vídeo componente. Se ele tiver mais de quatro pinos, isso pode significar que ele talvez tenha a saída vídeo componente. Ver Figura 19.


Figura 19: Identificando o tipo de conector S-Video que a sua placa de vídeo possui

Repare que dissemos “talvez”. Isso ocorre porque algumas placas de vídeo – especialmente as com recurso de captura de vídeo (VIVO) – possuem mais do que quatro pinos em seu conector S-Video, mas esses pinos extras são usados para outra função, não havendo a saída vídeo componente.

Em resumo: se o conector S-Video da sua placa de vídeo tem quatro pinos, ela não tem saída vídeo componente, e se ela tiver mais de quatro pinos, pode ser que ela tenha saída vídeo componente. Para ter certeza, só mesmo lendo no manual da placa e procurando em suas especificações se há este recurso.

Para usar a saída vídeo componente de sua placa de vídeo, você necessitará de um adaptador. Esse adaptador normalmente vem junto com as placas de vídeo que têm saída vídeo componente. Então, se a sua placa de vídeo veio com um adaptador desse tipo, isso significa que ela tem saída vídeo componente!

Esse adaptador pode ter vários aspectos; os dois mais comuns nós mostramos nas Figuras 20 e 21.


Figura 20: Adaptador para vídeo componente


Figura 21: Outro modelo de um adaptador para vídeo componente

Se sua placa de vídeo não tiver uma saída para vídeo componente você ainda pode converter a saída VGA ou DVI da sua placa de vídeo em vídeo componente usando um adaptador. É importante notar que esta conexão não é apenas uma conexão elétrica; você precisará de componentes eletrônicos para fazer a conversão do padrão RGB para o padrão YPbPr usado pelo vídeo componente. Por este motivo, não é possível fazer este adaptador em casa facilmente. Preste atenção pois há no mercado um cabo de R$ 60 (US$ 15 nos EUA) que diz converter a saída VGA para vídeo componente, só que este cabo não funciona corretamente.

A ATI (agora AMD) vendia um adaptador para placas com chip gráfico desta empresa por US$ 30 nos EUA, chamado “DVI-TO-HDTV Adapter” (número do modelo 151-V01093). Este adaptador não funcionava em placas com chips de outros fabricantes; isto ocorre porque as placas com chip da ATI já tinham suporte de fábrica ao padrão vídeo componente. Clique aqui para mais informações sobre este adaptador.

Outros fabricantes produzem conversores de VGA ou DVI para vídeo componente compatíveis com qualquer placa de vídeo, só que o preço é maior (até US$ 150, nos EUA, dependendo do fabricante e das funcionalidades presentes). Tome cuidado, pois os conversores mais baratos podem não gerar um sinal de vídeo componente na maior resolução ou qualidade que a sua TV é capaz de mostrar. Por isto, antes de comprar, verifique as resoluções e modos que a sua TV suporta e as resoluções e modos que o adaptador é capaz de gerar. Os dois adaptadores mais populares entre usuários entusiastas nos EUA são o Digital Key KD-VTCA3 e o Audio Authority 9A60.

Vermelho, Verde e Azul (RGB)

A conexão RGB é um antigo padrão usado por monitores de vídeo. Ele usa o mesmo tipo de sinalização usado pelo VGA, mas em vez de usar um único cabo para transmitir todos os fios juntos e usar um único conector para todos os sinais, ele usa um cabo separado para cada sinal. Com um cabo separado, cada sinal possui sua própria blindagem, protegendo-o contra interferências eletromagnéticas, o que não ocorre no cabo VGA. Por causa disso, a conexão RGB oferece melhor qualidade de imagem em relação ao padrão VGA na mesma resolução..

No entanto, como esta conexão só pode ser usada por alguns monitores de vídeo analógicos antigos, a qualidade de imagem é limitada pela idade do monitor de vídeo (monitores mais novos oferecem qualidade de imagem superior à de monitores antigos devido à tecnologia utilizada) e a resolução da tela. Outro detalhe é que a maioria desses monitores de vídeo RGB antigos trabalha com frequências de varredura diferente dos monitores VGA, fazendo com que seja impossível conectar monitores de vídeo antigos que usam esse padrão diretamente em sua placa de vídeo usando o conector VGA.

Por isso, colocamos este tipo de conexão aqui apenas como referência, já que você provavelmente não verá mais este tipo de conexão. De qualquer forma, se você está curioso para saber mais sobre esse padrão ou tem um monitor de vídeo RGB antigo, acesse http://www.epanorama.net/documents/vga2rgb.

Na verdade existem três diferentes padrões de cabos RGB:

Todos esses cabos utilizam conectores BNC.


Figura 22: Exemplo de um cabo RGB5

Em resumo, a conexão RGB é melhor do que a VGA, mas por causa da idade, monitores de vídeo modernos que usam conexão VGA oferecem uma qualidade de imagem melhor do que monitores que usam conexão RGB.

VGA (Adaptador de Vídeo Gráfico)

O conector VGA é o tradicional plugue usado para conectar seu micro a monitores de vídeo. Ele também é uma opção para conectar o seu micro a projetores de vídeo e aparelhos de TV digital (HDTVs). Esta conexão oferece qualidade de vídeo melhor do que a do vídeo componente, S-Video e vídeo composto porque usa fios independentes para cada sinal de vídeo: vermelho, verde, azul, sincronia horizontal e sincroniza vertical. O VGA usa um conector de 15 pinos também conhecido como D-Sub, D-Shell ou HD15. Nesta conexão a informação é transmitida usando sinais analógicos, enquanto na conexão DVI, HDMI e DisplayPort a informação é transmitida no formato digital, oferecendo, assim, melhor qualidade. Portanto, se o seu monitor de vídeo, projetor de vídeo ou aparelho de TV digital (HDTV) tiver um conector DVI, um conector HDMI ou um conector DisplayPort – que será o caso nos modelos atualmente disponíveis no mercado – você deve usar um deles em vez do tradicional conector VGA para conectar seu micro ao seu monitor, projetor ou HDTV..


Figura 23: Conector VGA em uma placa de vídeo


Figura 24: Cabo VGA de um monitor de vídeo


Figura 25: Conector VGA em um aparelho HDTV

DVI (Interface de Vídeo Digital)

Todos os tipos de conexões que vimos até agora utilizam sinais analógicos. As conexões HDMI e DisplayPort utilizam sinais digitais. A conexão DVI, por outro lado, pode transmitir tanto sinais analógicos quanto digitais. Aqui estão os tipos de conectores DVI disponíveis:.

Na Figura 26 você pode ver as diferenças entre esses conectores.


Figura 26: Tipos de conector DVI

Mas afinal, o que significa tudo isso? Se você tem um equipamento que produz sinal analógico, ele terá um conector DVI-A e você pode conectá-lo apenas a uma tela que tenha um conector DVI-A. Você pode usar um cabo DVI-A ou um cabo DVI-I para fazer esta conexão. A mesma ideia é válida para equipamentos digitais: se o seu equipamento tiver um conector DVI-D você pode conectá-lo apenas a uma tela que também tenha um conector DVI-D. Você terá de usar um cabo DVI-D ou DVI-I para fazer tal conexão. Você não pode conectar um equipamento DVI-A a uma tela DVI-D e vice-versa.

Se o seu equipamento tiver um conector DVI-I – que é o caso das placas de vídeo – isto significa que ele produz tanto sinais analógicos quanto digitais. Você deve usar um cabo (DVI-A ou DVI-D) de acordo com o tipo de conexão que seu monitor suporta, analógica ou digital, ou então um cabo DVI-I, que suporta os dois tipos.

Claro que a melhor opção é usar a conexão digital, mas você estará limitado pelo tipo de conexão seu produto oferece. No entanto, atualmente praticamente todos os produtos eletrônicos vêm com conexão digital, portanto você encontrará nele um conector DVI-D ou um conector DVI-I e você provavelmente usará um cabo DVI-D ou DVI-I, que se encaixa em ambos os conectores e, dessa forma, você não tem com que se preocupar. Ver os exemplos abaixo.

Como computadores, conversores de TV a cabo/satélite atuais, aparelhos de DVD/Blu-Ray e consoles de videogame são equipamentos digitais, quando os sinais de vídeo são transmitidos em um meio analógico, como em saídas VGA ou de vídeo componente, eles devem primeiro converter o sinal de vídeo de digital para analógico. Na outra extremidade do cabo, o monitor LCD, aparelho de TV digital (HDTV, isto é, TV de LCD ou plasma) ou projetor de vídeo deve converter o sinal analógico de volta para digital, já que esses dispositivos também são digitais. Existe uma perda de qualidade de imagem nesse processo de converter o sinal de digital para analógico e de volta para digital.

Portanto, a vantagem de usar a conexão DVI-D, HDMI ou DisplayPort é que você evita essas conversões digital/analógico/digital, aumentando, assim, a qualidade da imagem.

Atualmente todas as placas de vídeo oferecem pelo menos uma saída DVI (normalmente um conector DVI-I dual-link, permitindo a você conectar telas com conexão analógica ou digital), como você pode ver na Figura 27. Você também encontrará o conector DVI (normalmente um conector DVI-D) em monitores LCD, conversores de TV a cabo/satélite atuais, aparelhos HDTV, projetores de vídeo e em alguns aparelhos de DVD. Se eles não tiverem um conector DVI, eles terão um conector HDMI, que é melhor.

Os conectores DVI-D e DVI-I podem ser facilmente convertidos em HDMI, já que o HDMI é totalmente compatível com o DVI-D. Nós falaremos mais sobre isso na próxima página.

Portanto, para conectar seu micro ao seu monitor de vídeo, projetor de vídeo ou HDTV você deve usar a conexão DVI em vez do tradicional conector VGA, já que você terá a melhor qualidade de imagem possível. Claro, se a sua TV e o dispositivo que você quer conectar a ela tiverem um conector HDMI, então use um cabo HDMI como explicaremos na próxima página. Mas se a sua HDTV tiver um conector HDMI e o seu PC ou fonte de vídeo (por exemplo, decodificador de TV a cabo) tiverem um conector DVI, você pode conectar seu micro a ela usando um cabo ou conversor de DVI para HDMI, como mostraremos na próxima página. Em nosso tutorial “Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre a Conexão SPDIF”, nós apresentamos alguns exemplos práticos de utilização do conector DVI.


Figura 27: Saída DVI (conector DVI-I dual-link) em uma placa de vídeo


Figura 28: Saída DVI (conector DVI-D dual-link) em um receptor de TV a cabo digital


Figura 29: Entrada DVI (conector DVI-D dual-link) em um aparelho HDTV


Figura 30: Cabo DVI-D single-link

É muito interessante notar que saídas DVI-I podem ser transformadas em saídas VGA através da utilização de um adaptador que normalmente vem com a placa de vídeo (veja na Figura 31). Com isso você pode transformar conectores DVI-I da sua placa de vídeo em saídas VGA, permitindo a você conectar o PC em monitores de vídeo antigos que não tenham um conector DVI. Esta conexão, no entanto, será analógica, não digital, já que a conexão VGA usa sinais analógicos e você está usando os sinais DVI-A do conector.

Converter um conector VGA em um conector DVI com um simples conector, no entanto, não é possível, já que a saída VGA usa sinais analógicos e monitores de vídeo com entrada DVI normalmente requerem sinais digitais (isto é, um conector DVI-D).


Figura 31: Adaptadores DVI para VGA

HDMI (Interface Multimídia de Alta Definição)

O HDMI é hoje o tipo de conexão mais encontrado em produtos eletrônicos, tais como aparelhos de DVD/Blu-Ray, receptores de TV a cabo/satélite, consoles de videogames e, é claro, computadores. Esta é a conexão que você deve usar para conectar a sua fonte de vídeo (incluindo o computador) ao aparelho de TV, se ambos suportarem este tipo de conexão. Se você está conectando o seu PC ao aparelho de TV, não se esqueça de configurar a sua TV na resolução máxima após conectar os dois para obter a melhor qualidade de imagem. Ver tabela abaixo..

Resolução Máxima da TVResolução de Vídeo
720p ou 720i1280 x 720
1080p ou 1080i1920 x 1080

Esta conexão funciona 100% no modo digital, é capaz de transmitir resoluções mais altas do que o DVI, possui um mecanismo de proteção contra cópia chamado HDCP (High Bandwidth Digital Copy Protection ou Proteção contra Cópia Digital de Banda Larga) e transfere sinais de áudio digital no mesmo cabo (até oito canais com resolução de 24 bits e taxa de amostragem de 192 kHz), eliminando a necessidade de um cabo extra para conexão do áudio, se o seu equipamento suportar este recurso. A versão 1.4 da conexão HDMI também inclui suporte para redes Fast Ethernet (100 Mbps) no mesmo cabo. Na tabela abaixo nós resumimos as principais diferenças entre as versões disponíveis do HDMI.

VersãoHDMI 1.0-1.2HDMI 1.3HDMI 1.4
Resolução Máxima1920 x 1200 a 60 Hz2560 x 1600 a 75 Hz4096 x 2160 a 24 Hz (“4K”)
Cores24 bits30, 36 e 48 bits30, 36 e 48 bits
Áudio Dolby TrueHD e DTS-HD Master NãoSimSim
Vídeo 3DNãoNãoSim
Rede EthernetNãoNãoSim

Nós já escrevemos um tutorial explicando em detalhes como o HDMI funciona, portanto você pode querer lê-lo caso esteja interessado no HDMI. Além disso, o nosso tutorial sobre a conexão de áudio SPDIF dará a você mais alguns exemplos de utilização.

Nas figuras abaixo você pode ver alguns exemplo de uso do HDMI.


Figura 32: Saída HDMI em uma placa de vídeo


Figura 33: Saída HDMI em um aparelho de DVD


Figura 34: Entrada HDMI em um aparelho HDTV


Figura 35: Cabo HDMI

Como mencionamos na página anterior, você pode facilmente converter conectores DVI-D e DVI-I para HDMI através de um cabo ou adaptador, que só deve ser usado se a sua fonte de vídeo (computador, por exemplo) tiver uma saída DVI-D ou DVI-I, mas não HDMI.


Figura 36: Cabo DVI para HDMI


Figura 37: Dois adaptadores DVI para HDMI

DisplayPort

O DisplayPort é uma conexão similar ao HDMI, pois pode transportar, em um único cabo, áudio e vídeo digitais, além de suportar oito canais, resolução de 24 bits e taxa de amostragem de 192 kHz. Enquanto o HDMI é voltado mais para produtos eletrônicos de consumo, o DisplayPort é voltado a computadores. Outra diferença importante entre os dois é que para utilizar o padrão DisplayPort não é necessário o pagamento de royalties, enquanto fabricantes que queiram usar a conexão HDMI têm que pagar royalties por cada produto vendido. Ele suporta seu próprio protocolo de proteção contra cópia, DPCP (DisplayPort Content Protection), e, a partir da sua versão 1.1, ele também suporta o protocolo HDCP. Ele suporta resolução 4K (4096 x 2160) e vídeo 3D, assim como o HDMI 1.4. Portanto, o DisplayPort é muito similar ao HDMI 1.4, exceto que o HDMI 1.4 suporta uma conexão Fast Ethernet. Por outro lado, o DisplayPort tem uma largura de banda de até 21,6 Gbps, enquanto a largura de banda do HDMI 1.3 e do HDMI 1.4 é de 10,2 Gbps, deixando “espaço” para recursos e resoluções futuras..

Uma vantagem do DisplayPort em relação ao HDMI é que ele permite a instalação de até três monitores de vídeo em cada porta. Para isso, você precisará usar um hub DisplayPort conectado na placa de vídeo, e os monitores de vídeo serão conectados ao hub. Opcionalmente, você pode usar um monitor de vídeo que tenha este componente integrado. Neste caso você conectar este monitor na placa de vídeo e os outros dois monitores nas portas disponíveis no primeiro monitor.

Há uma versão em miniatura do conector DisplayPort, chamada Mini DisplayPort ou simplesmente Mini DP.


Figura 38: Saída DisplayPort em uma placa de vídeo


Figura 39: Conector DisplayPort


Figura 40: Saídas Mini DisplayPort em uma placa de vídeo

Originalmente em http://www.clubedohardware.com.br/artigos/Conectores-de-Video/671

© 1996-2014, Clube do Hardware - Todos os direitos reservados.

É expressamente proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo e dos textos disponíveis no site principal (http://www.clubedohardware.com.br), no fórum de discussões (http://forum.clubedohardware.com.br), no boletim de notícias enviado por e-mail e em nas nossas páginas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.), seja através de mídia eletrônica, impressa ou qualquer outra forma de distribuição, mesmo citando a fonte e colocando link para o artigo original. Os infratores serão indiciados e punidos com base nas leis nº 9.610 de 19/02/1998 (Brasil), Digital Millenium Copyright Act (DMCA) (EUA) e diretiva 2001/29/EC (União Européia).

Não nos responsabilizamos por danos materiais e/ou morais de qualquer espécie promovidos pelo uso das informações contidas em nosso site, em nosso fórum de discussões, em nosso boletim de notícias ou em publicações feitas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.).

Opiniões emitidas por usuários e moderadores não necessariamente refletem a opinião do Clube do Hardware e de sua direção.

Ao acessar o nosso site ou nossa página em redes sociais, você está ciente e concorda com os termos acima.