Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.

Fervolt

Membros Plenos
  • Total de itens

    309
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%

Reputação

76

Sobre Fervolt

  • Data de Nascimento 04-03-1980

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    Piracicaba/SP
  • Sexo
    Masculino

Outros

  • Ocupação
    Técnico em Eletroeletrônica
  1. hahaha! Acho que já tive esse mesmo sentimento..kk Quando eu olhava um programa exemplo, pensava..."nunca vou conseguir aprender isso!". Esses micros são demais, baratos pelo que eles são. Pelo preço de um Arduino nano, não dá nem para comparar. Uso o Coocox com um ST-Link, grava diretamente pelo CoIDE e debuga, bem prático. Abç
  2. Chuveiro 4400W (220v) em bitola 6mm²

    Olá, Na minha opinião não precisa mexer em nada, tira um chuveiro e põe outro. Att,
  3. "Selo eletrônico" para relé

    E não pode mesmo ter contato mecânico (rele)?
  4. "Selo eletrônico" para relé

    Desculpe, mas tenho que perguntar... Nesse caso, seu problema não poderia ser resolvido através dos parâmetros do inversor? Estou entendendo que o contato do rele vai colocar 24V em uma DI (Digital Input). Geralmente, para partida e parada, os botões são ligados diretamente à borneira do inversor, pega-se o 24V de referência e os botões dão os retornos para as DI's. Se quiser explicar melhor sua aplicação em relação ao inversor, talvez eu possa te ajudar com a parametrização de modo a usar menos equipamentos externos. Att,
  5. Que componente é esse?

    Olá, Correta a resposta do @Mestre88 . Nos vídeo-cassete antigos tem dessas "delay line" aos montes também. Att,
  6. Despertador com 8051 em assembly

    Olá, Precisa, obrigatoriamente, ser com 8051 + assembly? Tem algum código pronto e pode postar? Dessa forma, será mais fácil conseguir ajuda. Att,
  7. Olá, Você pode usar os 2 canais PWM do PIC, um para cada motor e para inverter o sentido de giro terá de usar uma ponte H para cada motor. No caso terá de usar +1 pino do PIC para cada ponte H. Esse pino quando em nível baixo o motor gira para um lado, em nível alto, gira para o outro. Pesquise por "ponte H PWM", será retornado bastante coisa a respeito. Att,
  8. Qual o nome desse conector?

    Puts, Chutei longe..kk Se puder, faça outra foto com uma régua perto, para nos dar uma ideia da dimensão da peça. Devo dizer que acredito ser difícil descobrir a especificação desses conectores, são muitos tipos e modelos. Vou dar uma olhada em uns manuais de serviço de celulares que tenho aqui, pra ver se acho alguma coisa. Att,
  9. Qual o nome desse conector?

    Olá, Onde é usado? A primeira vista parece um porta fusível. Att,
  10. Aplicação em: Arduíno UNO

    Olá, Se entendi sua necessidade, acredito que é muita coisa para um simples Arduino UNO, talvez tenha que usar um Raspberry PI para fazer isso. Aguarde mais respostas. Att,
  11. Indicação de atuador

    @Jaime Francisco da Silva Por isso que te falei em usar ele sem o controlador interno, alimentando direto nos fios do motor, aí você coloca as chaves fim-de-curso para cortar a alimentação do motor. com 2 chaves e uns 2 reles você consegue acionar e fazer a reversão. Se quiser usar o servo como ele é, pra fazer isso com CI´s discretos vai ficar meio grande o circuito, pois, para variar a posição do servo você precisa atuar sobre o potenciômetro, alterando assim o "duty-cycle" do sinal PWM gerado pelo 555. Basicamente, para acionar o servo deve-se ter uma frequência fixa de 50Hz, em que o período é de 20ms e variar o tempo de nível alto entre 0,5ms e 2,5ms, esses valores são as 2 posições extremas, tudo para um lado e tudo para o outro lado, esses valores foram verificados com o servo que tenho aqui, existem servos em que esses tempos são direfentes. O mais adequado seria usar um microcontrolador pra fazer todo o "serviço", os mais simples conseguiriam fazer isso tranquilamente. Eu usaria um PIC12 de 8 pinos. Mas aí já envolve programação. Att,
  12. Indicação de atuador

    @Jaime Francisco da Silva Acredito que esse servo tem "força" suficiente para controlar essa portinhola. Eu tenho um desses aqui e é bem forte mesmo. Um "problema" desses servos é que eles precisam de um circuito eletrônico para funcionar corretamente. Dá pra fazer com 555, porém, uma ideia seria você isolar a parte eletrônica do servo que comanda o motor e alimentar o motor diretamente em seus terminais, claro que nesse caso você teria que usar chaves fim-de-curso para parar o motor no momento certo, tipo 2 chaves, uma porta aberta e outra porta fechada. Desse modo você aproveitaria e redução mecânica que o servo possui. Att,
  13. Equivalencia de transistor BF494/bF495

    Olá, Pode usar o 2N2222 transistor NPN de baixa potência e alta frequência. Se quiser um pouco mais de potência, pode usar 2N2218. Att,
  14. Cabo VGA - RCA, Sinal precisa de conversão?!

    Olá, @doraimom , sobre suas dúvidas... pessoal já respondeu aí, mas vou tentar clarear um pouco mais, peço desculpas se caso for redundante. Sobre ignorar os sinais de sincronismo... Não pode mesmo, tecnicamente falando, os sinais de sincronismo são usados pelo MONITOR / TV para movimentar o feixe de elétrons pela tela...assim, o pulso horizontal "desenha" as linhas, ou seja, movimenta o feixe da esquerda para a direita na tela, quando o circuito da TV recebe um pulso horizontal, significa que aquela linha acabou e o feixe deve retornar para iniciar uma nova linha. Já o pulso vertical é responsável pelo movimento do feixe de elétrons da base da tela para o topo, portanto, na vertical. Quando o circuito recebe um pulso vertical, significa que aquele quadro acabou e o feixe deve voltar para o topo da tela à esquerda, para ser iniciado um novo quadro. Estão, sem chance de ignorar esses sinais. O que pode acontecer em alguns monitores (VGA) é aceitar sinal de sincronismo composto (composite sync), salvo engano, no pino 13, ainda sim, ambos os sinais precisam estar presentes, horizontal e vertical. Sobre esses cabos funcionarem em alguma circunstância.... Chego até a achar que existe alguma possibilidade, mas vai depender muito do circuito da TV onde está sendo utilizado. Digo isso porque, antigamente o sinal de vídeo composto era recebido por circuitos independentes para que fossem separados os sinais de sincronismo e vídeo. Existia um circuito para separar o sincronismo horizontal e enviar este para a etapa de potência horizontal. idem para o sincronismo vertical. Nas TVs mais novas, um único C.I. "grandão" faz todas essas funções, então, a depender de como o C.I. faz isso, pode acontecer que se os sinais do VGA forem misturados e esse C.I. moderno conseguir, de alguma forma, lidar com esses sinais, pode até funcionar. Estes C.I.s conseguem detectar de forma automática os diferentes padrões de vídeo composto, PAL, NTSC e suas variantes. De repente, somente uma hipótese, o C.I. moderno poderia considerar um pulso horizontal e pular outro, por exemplo. Pois, como a @Isadora Ferraz disse, a frequência da varredura horizontal do VGA@640x480 é o dobro do Vídeo Composto, ~15750 Hz contra ~31500 Hz (VGA). Mas uma coisa é certa, o resultado não será bom. A título de curiosidade, para mostrar como o sinal de sincronismo é importante, no começo da TV por assinatura no Brasil, (falo de uns 20 anos atrás) para que você não pudesse assistir os canais sem o aparelho da operadora, o sinal de F.I.(sinal modulado frequência intermediária) que vinha no cabo, quando era demodulado por um vídeo cassete, por exemplo, não tinha sinal de sincronismo horizontal e por isso não era possível ver a imagem. Esse sinal de sincronismo horizontal era incluído no sinal de vídeo composto do canal pelo aparelho da operadora de acordo com o pacote de canais assinado. Até existia uma tal de "plaquinha mágica" que fazia justamente isso, era ligada na saída do sintonizador "varicap" do vídeo cassete e essa plaquinha incluía o sinal de sincronismo horizontal e então "abria" todos os canais que foram sintonizados pelo vídeo cassete. Alguns links que visitei sobre o assunto: http://www.javiervalcarce.eu/html/vga-signal-format-timming-specs-en.html http://martin.hinner.info/vga/pal.html
  15. Cabo VGA - RCA, Sinal precisa de conversão?!

    Olá, Sim, o sinal VGA precisa ser convertido para Vídeo Composto (RCA/AV). O sinal VGA é composto por basicamente 5 sinais, sendo 3 deles, RGB, sinal analógico das cores e 2 de sincronismo sendo vertical e horizontal. No VGA, os sinais de sincronismo (principalmente o horizontal) são diferentes para cada resolução, a frequência de varredura aumenta conforme aumenta a resolução. Para a conversão é necessário um circuito que faça a leitura do sinal VGA, armazene-o em uma memória RAM e em seguida "monte-o" novamente com o "timing" (tempos e formas) de acordo com o padrão do vídeo composto, que como o próprio nome diz, contém todos os sinais (cores e sincronismo) em uma via apenas. A conversão é feita em tempo real, o que exige um circuito bem rápido. Anexo a foto de um conversor o qual eu tenho um similar e funciona a contento. Caso queira mais detalhes sobre os 2 padrões de vídeo, posso postar. Att,

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×