Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
ricardospimentel

Entendendo circuito com resistor paralelo com bobina.

Recommended Posts

Bom dia.

Estou montando um sistema um bi-amplificador estéreo e aproveitando para estudar o LM1876 e o escolhi por acreditar que este CI seja melhor que algum da linha TDA. Outra hora explico o porquê do bi-amplificador estéreo.

No dataxite do LM1876 da Ti, http://www.ti.com/lit/ds/snas097c/snas097c.pdf, escolhi o modelo da Figura 5.

Estou calculando o valor para todos os componentes para o meu uso por que dois de meus amplificadores serão para agudos com falantes de 6 Ohms, mas empaquei na saída dele com esta combinação LC com o resistor em paralelo com a bobina...

Exemplo_LC.jpg

... !

A minha maior dúvida está na descrição do valor da bobina em Farad. Por que, cargas d'água o valor de uma bobina está em micro Farad e não micro Henry?

Esta combinação é chamada de Baffle-Step Correction que acredito ser alguma correção da acústica para o alto-falante. Possivelmente, os valores para o meu caso serão outros, já que estes valores foram aplicados para um alto-falante de 8 Ohms.

Obrigado à atenção.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom, voce tem razão, existe um erro nesse datasheet.

O correto é mesmo em uH , pois é um indutor para que o sinal de áudio passe direto sem nenhuma atenuação, e se por acaso existir algum sinal de alta frequência, ele seja obrigado a passar pelo resistir.

Isso é uma tentativa para evitar que o circuito entre em auto-oscilação, o que iria destruir tanto o CI como possivelmente o alto-falante.

O curioso é que eu baixei o datasheet da National, e lá não tem esse circuito, eu simplesmente ligaria o alto-falante à saída do CI, sem resistor e sem indutor....

Paulo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Bom, voce tem razão, existe um erro nesse datasheet.

O correto é mesmo em uH , pois é um indutor para que o sinal de áudio passe direto sem nenhuma atenuação, e se por acaso existir algum sinal de alta frequência, ele seja obrigado a passar pelo resistir.

Isso é uma tentativa para evitar que o circuito entre em auto-oscilação, o que iria destruir tanto o CI como possivelmente o alto-falante.

O curioso é que eu baixei o datasheet da National, e lá não tem esse circuito, eu simplesmente ligaria o alto-falante à saída do CI, sem resistor e sem indutor....

Paulo

Sim é porque esse indutor ai não tem praticamente função alguma! Sem ele o CI funciona perfeitamente sem oscilar, a função dele é quase nada, apenas amplificadores para uso em PA ou de maiores potencia, onde os cabos são muito longos, e captam muito mais interferencia que um amplificador de baixa potencia. audio é baixa frequencia, o que os fios captariam é frequencias muito mais elevadas. o indutor não deixa ela passar para o amplificador, se for muito intensam o amplificador não oscila (porque teoricamente um classe AB oscila até em faixa de audio) o proprio circuito é limitado a oscilar, mas se interferencias forem muito grandes comprometeria o sinal do audio porque o proprio amplificador não deixaria oscilar. É bem difícil explicar porque tem que analisar o circuito completo do amplificador etc...

Alem de fios muito longos acabaria tendo grande capacitancia, vou deixar pensar sozinhos: Capacitancia nos fios, e o amplificador amplificador uma onda quadrada!

Pelo resistor passa as frequencias mais altas, proximas ou acima de 20khz (mesmo que acima de 20khz não se ouve, mas o som fica muito mais rico com transientes) já que a reatancia do alto falante estaria altissima não provocando queda no resistor.

Esse resistor: o que vim de fora, da direita nao passa pro outro lado, mas o que tiver na esquerda passa para a direita tranquilamente!!

E nos graves onde a impedancia dos falantes sao baixas, o indutor se vira!

Tem muito mais coisa muito mais, mas o basico é isso.

Como eu falei, isso ai nem faz diferença em um amplificador de baixa potencia domestico, pra ser sincero, ja vi projetos de uma empresa (que não vou falar o nome), e olha que é amplificadores profissionais PA, o valor desse indutor é tabelado kkkkkkkkkk :rolleyes: É incrivel como os engenheiros fazem só copias e copias ao invés de projetar aquilo para a empresa exclusivo. Ele pegava o valor para cada faixa de potencia....

Para amplificador simples domestico é só aquele filtro basico RC e olhe lá! para os de potencia maiores onde sao fios grossos e longos ai se usa o indutor também. seria como se fosse um filtro mais sofisticado, mas sao a mesmo coisa os dois!

o que eu acho: as vezes nesses esquemas, um ponha o indutor porque ve varios circuitos com ele, outros não ponham porque o circuito funciona perfeitamente tanto com ele quanto sem. Ou também tem o lado da frescura e querer detalhes imperceptiveis. Ai não da pra adivinhar como cada um pensou :confused:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Visitante

Aproveitando e reforçando o topico se possivel gostaria de entender calculos

com fasores pois não entendi muito bem os calculos falou pessoal:confused::wacko:

ahd.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom dia e um obrigado para o Paulo e MRoberto.

Quanto a este filtro da saída do amplificador, sempre vejo o uso de capacitores que oferecem tanto proteção contra CC quanto contra frequências baixas que o falante não possa tocar garantindo a faixa sonora adequada a ele e não sei quando é possível que se ligue o altofalante direto na saída.

Esse filtro RL é algo muito raro de ser ver mesmo. Mesmo naqueles amplificadores puro Classe A, mas se vê em amplificadores de grande potência como em alguns Ciclotron profissionais e também em amplificadores voltados ao mundo High-End, onde o pessoal se preocupa até com a qualidade do cabo que alimenta o aparelho. Vou montar o circuito numa protoboard e experimentar.

Pegando o gancho do que MRoberto disse, quero projetar meu amplificador de lepitópi. Escolhi esse CI por oferecer um produto com mais fidelidade. Depois monto um com TDA para comparar.

Comprei um par de caixas Panasonic SB-PM17 por conhecer o som que as caixas dessa marca oferecem e também por terem o tamanho ideal para a minha mesa e elas possuem duplo cabeamento. Bem sei que para se ligar a um amplificador comum basta que eu calcule um capacitor bipolar para o tweeter, mas depois de ouvir o som que uma caixinha similar a esta em seu aparelho original com saída bi-amplificada (investiguei seu esquemático e vi que realmente o amplificador é, de fato, separado e entre o amplificador e seu pré há um crossover ativo com um transistor), decidi montar o sistema com quatro amplificadores com um pré e o crossover ativo, claro que assim que me sobrar tempo.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pera um pouquinho, existe sim casos onde tem de se usar o indutor.

A grande maioria dos amplificadores automotivos modernos utilizam Classe D ou outras de tecnologia de alta frequência semelhante, então realmente na saída tem de ter o filtro de indutor, e dependendo da frequência do oscilador e da corrente que irá circular, exige-se um excelente indutor, que não é possível enrolarmos com núcleos comuns.

Eu mesmo estou montando um baita amplificador para o meu som de casa, utilizando 3 módulos stereo classe D de 350WRms por canal, e um módulo de 700WRms mono para o sub-woofer, todos utilizam circuitos muito semelhantes e todos possuem um indutor especial, que o próprio fabricante IRF recomenda em seus Applications notes.

Tem gente vendendo no Mercado Livre a cópia desses módulos, porém com esse indutor enrolado à mão com ferrite comum, e o resultado é que o som sai distorcido e quando se aumenta muito a potência danifica tanto os mosfets de saída como a caixa acústica.

Enfim, são casos e casos diferentes, e eu lembro a todos sempre que se o Depto. de Engenharia do fabricante recomenda algo especial, tem um motivo sério. Só aqui que a gente insiste em ignorar, em baratear, enfim..... me lembrei de algo que não posso deixar passar sem comentar...

Aproveitando a fala de ontem de nosso ministro da aeronáutica..... "Aqui no Brasil temos Engenheiros Ruins, porisso que todas as obras tem custo alto porque tem de ser refeitas duas vezes ......"

Acho que vamos ter de inventar aqui o "MAIS ENGENHEIROS", e trazer uns Engenheiros latinos para poder ajudar o nosso Pais ...... aí sim teremos produtos "maravilhosos" para comprarmos ....

Tá certo que eu já insisto na baixa qualidade de nossos formandos de Eletrônica faz tempo, mas justificar esses gastos extras absurdos com a Copa, colocando a culpa em nossos Engenheiros Civís, em vez de nos nossos Políticos Ruins, é um dos maiores absurdos que eu já ví em toda a minha vida....

E o pior de tudo é o silêncio do Crea ! Melhor eu parar por aqui antes que me calem também....

Paulo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Cara, outro dia vendo uns videos no youtube eu quase chorei de vergonha rsrrssr sobre o nosso país.

Mas olha ai um coisa boa que a dilma fez:

[ame=http://www.youtube.com/watch?v=Ks0_iNFks-k]Universidade nos EUA X BRASIL - Julia Jolie - YouTube[/ame]

Essa garota ta ai por causa do programa Ciência sem Fronteira.

Ao invés de investir nas escolas aqui ela gastando com copa e ainda falam que sao mal formados.

Mas depois que eu ouvi a dilma falando na Tv que devemos receber os vizinhos bem, do jeito que eles nos recebe, nem comento nada...

O amplificador com tda, o unico com boa qualidade que ja vi foi com o tda2030...

O fimtro ativo pode ser melhor para pessoas que gostam de passagens mais suaves, ai depende de gosto... Para qualidade mesmo, quanto mais você separa os alto falantes maior qualidadr. Por exemplo, você ponha um sub woofer, um woofer, um mid range, e um tweeter..

Um para cada faixa de frequencia.. E um usar um filtro ativo antes do amplificador.

Normalmente os minisystem, vem com canal l e r, mas o sub é apenas 1. Não precisa de graves nos dois canais pois não é stereo. Ele pega os dois canais e junta, passa por um lpf ativo e vai pra um amplificador mais forte que é so para o subwoofer.. E depois tem mais 2 amp L e R só para as altas.

o que faz a stereofonia sao os agudos e não os graves.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Paulo, esse filtro RL é usado nas saídas, mais para proteção que para corrigir, né? Pois vi que tal filtro é usado também para corrigir a acústica da caixa (Baffle-Step Correction, mas aí acho que esse filtro deve ficar na caixa e não no amplificador). Não vou precisar, acho, do capacitor na saída, já que vou usar um crossover ativo antes do amplificador, a não ser que eu precise proteger a saída de corrente contínua.

1650W de energia sonora na sua sala, Paulo? Um dia chego lá também!

Então Roberto, é aí mesmo que quero chegar. São poucos os aparelhos que nos oferecem tal opção com tamanha qualidade e ainda quando nos chegam, nos chegam com preços assustadores.

Pensando nisso que decidi fazer meu próprio High-End System. Vou começar com operacionais simples, como o TL072 ou TL074 mesmo, depois os troco para aqueles mais refinados afim de perceber e ouvir suas peculiaridades.

Escolhi o LM1876 (antes queria fazer cada saída com um LM1875) por ele reunir alguma simplicidade frente a um amplificador com transístor ou mosfet, também pela garantia de alta fidelidade que a Texas dá (também por alguns comentários na rede).

Tenho procurado educar meus ouvidos evitando tocar nos equalizadores dos aparelhos. Passei a fazer isso depois de ter feito um curso/workshop de sonorização de ambientes, foi ali que aprendi a serventia real de um equalizador. Para equalizar! Oras! Desde então, passei a ouvir música sempre em flat e só quando vejo que algo está errado tento corrigir. Não aprendi ainda a usar adequadamente o ruído rosa.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

No caso do circuito postado na saída do LM, para falar a verdade , está por preciosismo.... Uns alegam que é para corrigir deficiências dos alto-falantes, outros que serve para proteger o amplificador, já a National nem menciona isso no datasheet.... E pesquisei nos fóruns de DIY, quem montou montou sem nada, apenas o alto-falante ligado na saída do CI....

E o que que eu te respondo ???? Para mim, não é um circuito com alta frequência, nem o caso de se ligar 200 metros de fio na saída dele antes da caixa e ter de fazer alguma correção de impedância, então eu não usaria isso !

Quanto aos Tl's, esquece eles !

Use sempre os dual NE5532, são muito melhores que esses TLs da vida, tem um custo baixo, e só perdem para CI's que custam mais de 10 vezes mais caro !

Quanto ao meu som, na verdade seriam equivalentes a apenas 350 + 350 e um subwoofer de 700, pois estou fazendo divisor ativo de frequência que solta 4 saídas, e vai um módulo em cada saída !

E o meu equalizador é um DEQ2496, justamente para corrigir o ambiente.

Sabe de uma coisa ? Esses módulos de potência de 350 + 350 custam uma média de US$ 50 cada, para você mesmo montar aqui.... Fazendo as contas não sai tão caro quanto parece !

Pelo que estou montando, deve sair um excelente som, baixo ruído e com potência de sobra para sons digitais como de CD ou de DVD.

No mes de dezembro vou montar todas as caixas acústicas para esse som todo, aí sim vai custar os tubos...... Serão 6 tweeters JBL, 4 drives Mid corneta JBL, 2 woofers de 12", e dois de 12" para o subwoofer....

O meu sonho é tocar o novo blu-ray do Pink Floyd, naquele belo volume com qualidade..... !

Paulo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Paulo, esse filtro RL é usado nas saídas, mais para proteção que para corrigir, né? Pois vi que tal filtro é usado também para corrigir a acústica da caixa (Baffle-Step Correction, mas aí acho que esse filtro deve ficar na caixa e não no amplificador). Não vou precisar, acho, do capacitor na saída, já que vou usar um crossover ativo antes do amplificador, a não ser que eu precise proteger a saída de corrente contínua.

1650W de energia sonora na sua sala, Paulo? Um dia chego lá também!

Então Roberto, é aí mesmo que quero chegar. São poucos os aparelhos que nos oferecem tal opção com tamanha qualidade e ainda quando nos chegam, nos chegam com preços assustadores.

Pensando nisso que decidi fazer meu próprio High-End System. Vou começar com operacionais simples, como o TL072 ou TL074 mesmo, depois os troco para aqueles mais refinados afim de perceber e ouvir suas peculiaridades.

Escolhi o LM1876 (antes queria fazer cada saída com um LM1875) por ele reunir alguma simplicidade frente a um amplificador com transístor ou mosfet, também pela garantia de alta fidelidade que a Texas dá (também por alguns comentários na rede).

Tenho procurado educar meus ouvidos evitando tocar nos equalizadores dos aparelhos. Passei a fazer isso depois de ter feito um curso/workshop de sonorização de ambientes, foi ali que aprendi a serventia real de um equalizador. Para equalizar! Oras! Desde então, passei a ouvir música sempre em flat e só quando vejo que algo está errado tento corrigir. Não aprendi ainda a usar adequadamente o ruído rosa.

Qual potencia você deseja? Eu usaria um ci de boa qualidade na amplificaçao do sinal e colocaria transistor para aufiliar na corrente, ja que esses CI's tende a distorcer com correntes altas ou se desiquilibrar..

assim se teria fidelidade no sinal e uma bela potencia...

só cuidado em fazer filtro ativi e um amplificador para cada faixa de frequencia, ambos devem ter o mesmo ganho para se tet uma coisa mais linear possivel.

não prcisam ter a mesmo potencia, por exemplo, o amp do tweeter não precisa ter a mesmo potencia que o do graves.. Digo em corrente, a tensão de alimentaçao e o ganho devrm ser o mesmo! E como se fosse assim: o amp de graves deve ser capaz de alimentar alto falante de 8 ou 4 ohms. Mas o dr tweeter não precisa ter potencia para carga de 8 ou 4, os tweeter não vai ter uma impedancia de 8 ou 4 ohmd, exemplo, se o amp do tweeter trabalha a partir de 8khz, o tweeter não vai ter 8ohms em 8khz! Nos manuais dizem a reatancia do conjunto conforme a frequencia, com isso ja da pra você saber a media que os tweeter tem para você poder calcular o amplificador, desse jeito você economiza muito e não deixa de ser um equipamento de alta qualidade.

Ou para ser mais fácil, fazer todos os amplificadores identicos, mas para o tweeter vai ser disperdicio, você vai ver que ele nem vai esquentar.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Uau! Deu até vontade de chorar só de imaginar ouvir tamanha qualidade ouvindo um show do Pink Floyd no blue-ray. Se quando vejo Festival Crossroads 2007 em DVD já me arrepia...

Eu gostaria de fazer o circuito com o TL e depois trocar para o NE para ouvir a diferença, mas parece que há uma diferença na impedância de entrada deles. Então vou partir logo para NE5532.

Roberto, minhas caixinhas são de cerca de 25W a 6 ohms. Medi cada componente e o woofer tem exatos 5,6 Ohms e o tweeter 5 Ohms. Acho que estão dentro da faixa dos 6 Ohms. Antes do tweeter há um capacitor de 4,7 µF bipolar, creio que para proteção contra acidentes, já que ligar o tweeter na saída original do woofer sem ele deveria matá-lo.

Vou utilizar dois LM1876 que podem me entregar essa potência com boa qualidade, segundo a Ti. Vou fazer assim: vou utilizar cada um deles para cada caixa, assim, uma saída alimentará o woofer enquanto a segunda saída alimentará o tweeter.

No esquemático do aparelho original, utiliza-se o RSN314H41A-P, que não possui datasheets, mas acredito que ele possua as quatro saídas iguais. Com o LM1876 é possível que eu altere o ganho, mas como você recomendou que não faça isso, acho que terei de usar algum ajuste no filtro ativo dos agudos para atenuação.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

você vai fazer assim: os 4 amplificadores identicos! O do tweeter você vai por um filtro ativo antes do amp, o filtro elimina os graves e deixa passar os agudos, mas cuido com os ativos, os agudos não podem ter nenhum ganho!! o que entrar no filtro de agudo, vai ter que sair fo jeito que entrou sem atenuaçao ou sem ganho. Apenas eliminara os graves...

E para o amp de graves você também ponha um filtro antes do amp, igual o outro, sem ganho algum nos graves, esse vai passar os graves do jeito que entrar, mas eliminara os agudos...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O que vou fazer:

Vou fazer um pré, na saída dele eu vou colocar dois crossovers ativos quase idênticos, somente com os ajustes de capacitores e resistores adequados para cada faixa de frequência e nas suas saídas os amplificadores. Bem parecido com o que ocorre na linha profissional, onde se utiliza crossovers antes dos amplificadores, ou 'potência', como a maioria dos profissionais do som dizem.

Só estou em dúvida se utilizo ou não a etapa do pré-amplificador, será mesmo necessário isso ou é apenas capricho meu?

Há quem ache desnecessário fazer essa separação toda, mas acredito que o que terei nos meus ouvidos será algo muito distante de um efeito placebo, acho que terei muito mais clareza no som, coisa que tanto espero para poder ouvir cada nuance de uma boa música, seja ela Blues ou Toquinho.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Minha opinião : faça um simples pré com controle de graves e agudos, pelo menos, mas com baixo ganho. Se você equalizar o seu ambiente, e tocar uma música que não tenha tanta qualidade, você sempre consegue dar um reforço simples, sem mudar a equalização do ambiente !

Se quiser fazer algo exagerado, use a técnica de vários AMP-OP em paralelo, para diminuir o ruído, e também use potenciômetros de baixo valor para poder ter um ruído térmico menor. Claro que isso é ser extremista, e se usar pote de baixo valor, vai ter problema com o controle de tom Baxandall, terá de fazer um amp-op para a malha de agudos, e um outro amp-op para a malha de graves, isso porque com por de agudo de baixo valor a impedância de entrada do baxandal abaixa prá menos de 200 ohms e pode sobrecarregar os circuitos....

Enfim, técnicas de altíssima qualidade e baixíssimo ruído são complicadas, e caras também, se quiser ver como isso funciona, verifique o artigo do novo pré-amplificador da Elektor, escrito pelo Douglas Self, que é um dos Deuses nessa área de altíssima fidelidade.

http://www.douglas-self.com

Tenho aprendido muito tanto com os artigos dele como também do próprio Baxandall, ambos são o que existe de melhor em termos de Eletrônica de Áudio.

Paulo

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Onde vai ligar esse amp? Em microfone ou saidas de tv, dvd pc etc..?

Recentemente projetei um amplificador de 40W mono 4ohms, mas ele é todo transistorizado classe ab, para ligar em saidas de tv ou celular... Mas é um circuito de alta fidelidade e sem nenhum ruido, você aumenta no max e ponha o dedo na entrada e não se escuda NADA de ruido. Ou seja, relaçao de ruido com sinal esta muito maior que 100db..

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Quanto a revista Elektor, não tenho assinatura, mas logo logo vou atrás desta última edição (de outubro. Né?) para conhecer o trabalho do Douglas. Entrei no site dele e, no pouco que vi, notei que ele faz apenas referências a seus trabalhos e não os mostra por lá, mas vou ver com mais atenção depois.

Esse sistema será ligado ao meu computador e pretendo ouvir uma pequena porção de músicas flac com ele e também ouvir rádio FM além de cds.

Sou iniciante nesse mundo sonoro diy e mais adiante, futuramente, vou fazer outras com caixas feitas a mão e um pouquinho mais de potência. A maior dificuldade é encontrar alto falantes de qualidade, a começar com os sistemas de áudio para carro onde só se vê falantes com cones de plástico.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

pois é, para essa potencia é quase impodsivel se achar falantes de altissima qualidade ou profissionais... Outro dia eu estava atras de falantes de uns 50W... Não encontrei, e olha que nem os de baixa qualidade eu achei!

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Agradeço intensamente ao Paulo e MRoberto pelas dicas e atenção. Aprendi bastante coisa com eles.

Em breve montarei esse básico amplificadorzinho e mais para frente, quem sabe, eu consiga montar um sistema com energia sonora de 1650W algum dia e provocar um terremoto aqui em Mogi das Cruzes ouvindo Pride and Joy de Steve Ray Vaughan. Claro, assim que ir me sobrando tempo, coisa que será cada vez mais difícil, já que ano que vem volto a estudar e porei alguns dos pingos nos is e js.

Abração e, para se fechar o tópico, é só escrever "fechar o tópico", né?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

1650Wrms é um absurdo de potencia!! Se for um amplificador de altissima fidelidade transistorizado, e caixas de altissima qualidade como as Inglesas, Eletro Voice por exemplo.. Ja vi umas marcas inglesas de falantes onde as bobinas eram de prata.. É um absurdo de qualidade!!

Com 1650W com uns falantes desse bem distribuito numa sala.... Putz, você teria um absurdo de som em casa! Ouvindo uma música num som desse você ate chora kkk:D

Vale a pena montar!!

Ai eu te pergunto, você ja ouviu um som desses?

Olha uns Electro Voice:

[ame=http://www.youtube.com/watch?v=2MU_LfAjMAQ]Electro Voice ZXA1-SUB Test Drive - YouTube[/ame]

[ame=http://www.youtube.com/watch?v=DtReBXnP8co]Full EV LiveX System Preview Video! 4x112P 2x115P 2x118P - YouTube[/ame]

Os ingleses são os melhores para alto falantes.. É uma qualidade absurda...

Eu estou montando um amplificador de uns 500W cada canal!! Na verdade nem começei, falta de tempo também kkk:D primeiro tenho qie projetar a fonte chaveada... Depois o amplificador... E depois ver se junto uma grana pra comprar uns falantes desses passivos..

mas imagina com uma potencia dessa dentro de casa com uma qualidade sem igual.. :cool:

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Esse "Ev" não me é estranho, já o vi em algum canto ou vídeo por aí.

Meus ouvidos ainda não tiveram a oportunidade de ouvir tamanha qualidade ainda, mas estou atrás e essa é mais uma referência que tenho para, quem sabe algum dia, quando estiver trabalhando com sonorização profissional.

Já fiz serviços de sonorização numa igreja, mas como eu ainda era muito tchongo, fazia muita ca... excrementação! Como, por exemplo, jogar fora um 'cubo' de 1,5m com quatro woofers de 15" com cabeçote valvulado por achá-lo antigo e ruim. Era um amplificador para contrabaixo. Me arrependo até hoje disso. Mas o lado bom é que eu me esforçava demais e vivia procurando o ponto central dos PAs para avaliar o som com a igreja cheia.

Um dia eu chego lá. Meu primeiro passo em DIY Sonoro vai ser com esse amplificadorzinho que, pelos meus cálculos, para que ele opere a 20W - 6Ohms, precisarei de 16VCC e 2,5A por canal, sendo necessários 10A para mover um sistema de 20Wx4!!! Vou ter, claro, que repensar um pouco minha exigência com o amplificador dos agudos ao menos, pois acredito que eles exigirão por volta da metade disso.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olha, 1650 Wrms em um só módulo deve ser algo que permite muita definição, mas sem as caixas adequadas a esta qualidade, vai mudar pouco.... Eu pessoalmente o máximo que escutei foram 450 + 450 Wrms, mas tinha muito ruído , então não achei grande coisa não.

Nos sites de DIY tem um projeto de um engenheiro argentino, 4000 Wrms em classe D, quem montou disse que a qualidade é muito boa !

Mas, e caixas para isso tudo ????

Os alto-falantes ingleses fizeram muita fama por um pequeno truque, eles usavam bobina de fio trefilado, e isso aumenta bastante o rendimento deles, ao mesmo tempo que levou os preços para as alturas.. A gente podia ter algum fornecedor dessas bobinas aqui no Brasil não é ?

Quanto aos seus LM1876 :

voce tem de ter pelo menos +-22vdc para obter 20w em 8 ohms, então sugiro que a sua fonte seja dimensionada para uma tensão um pouco maior , sem carga, para que caia nesses níveis quando puxar o máximo de corrente.

Paulo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×