Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.

Rafael Coelho

Moderadores
  • Total de itens

    9.500
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    100%

Reputação

1.975

Sobre Rafael Coelho

  • Data de Nascimento 23-08-1972

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    Pelotas/RS
  • Sexo
    Masculino

Outros

  • Biografia
    Editor-chefe do Clube do Hardware
  1. A ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC é uma placa de vídeo baseada no chip Radeon Vega 64, que faz parte da mais recente geração de chips gráficos da AMD. Ela possui 4.096 núcleos de processamento e 8 GiB de memória HBM2. Vamos ver o seu desempenho! A nova geração de placas de vídeo da AMD topo de linha tem, até agora, três modelos: Vega 56, Vega 64 e Vega 64 Liquid Edition. Enquanto as Vega 56 têm (como o nome indica) 56 unidades computacionais e 3.584 núcleos, as Vega 64 têm 64 unidades computacionais e 4.096 núcleos. O modelo Vega 64 Liquid Edition vem com um sistema de refrigeração líquida instalado de fábrica e clocks mais altos do que o modelo Vega 64 convencional. A versão padrão da Radeon RX Vega 64 tem clock base de 1.247 MHz e clock turbo de 1.546 MHz. O modelo testado (ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC) tem um clock anunciado de 1.590 MHz (sem especificar se é o clock base ou turbo), mas o clock mostrado no programa GPU-Z foi de 1.630 MHz. Desta forma, esta placa de vídeo vem com um overclock em torno de 5%. As placas de vídeo baseadas em chips Radeon RX Vega utilizam memória HBM2. Na Vega 64, a memória trabalha a um clock de 1.890 MHz com barramento de 2.048 bits, resultando em uma largura de banda de memória de 483,8 GiB/s. O modelo testado utiliza 8 GiB de memória no clock padrão. O TDP do chip Vega 64 é de 295 W, e a potência mínima recomendada para a fonte de alimentação é de 750 W. A Figura mostra a visão geral da ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC. As áreas em torno das ventoinhas acendem com cores e padrões programáveis. Figura 1: a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC Em termos de preço nos EUA, a concorrente mais próxima da Radeon Vega 64 é a GeForce GTX 1080 Ti. Assim, comparamos o modelo testado com uma GTX 1080 Ti Founders Edition. Nós também incluímos os dados de desempenho da GeForce GTX 1080 e da GeForce GTX 1070 Ti, para termos uma ideia de diferença de desempenho entre elas. Infelizmente, não tínhamos à disposição uma Radeon RX 580, o que seria interessante para vermos o ganho de desempenho entre duas gerações de placas de vídeo da AMD. Na tabela abaixo, comparamos as principais especificações das placas de vídeo incluídas neste teste. Os preços foram pesquisados na Newegg.com no dia da publicação do teste, pegando o valor mais baixo para placas de vídeo com o mesmo chip. Placa de vídeo Clock dos núcleos Clock turbo Clock da memória (efetivo) Interface de memória Taxa de transferência da memória Memória Núcleos de processamento TDP DirectX Preço ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC 1.590 MHz 1.630 MHz 1,89 GHz 2.048 bits 483,8 GiB/s 8 GiB HBM2 4.096 295 W 12 US$ 900 GeForce GTX 1080 Ti FE 1.480 MHz 1.582 MHz 11,0 GHz 352 bits 484 GiB/s 11 GiB GDDR5X 3.584 250 W 12.1 US$ 800 GeForce GTX 1080 FE 1.607 MHz 1.733 MHz 10,0 GHz 256 bits 320 GiB/s 8 GiB GDDR5 2.560 180 W 12.1 US$ 580 GALAX GeForce GTX 1070 Ti EX 1.607 MHz 1.683 MHz 8,0 GHz 256 bits 256 GiB/s 8 GiB GDDR5 2.432 180 W 12.1 US$ 500 Você pode comparar as especificações destas placas de vídeo com outras através dos nossos tutoriais “Tabela comparativa dos chips Radeon da AMD (desktop)” e “Tabela comparativa dos chips GeForce da NVIDIA (desktop)”. Agora vamos dar uma olhada mais de perto na placa de vídeo testada. A ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC da ASUS tem 300 mm de comprimento e ocupa três slots. Ela usa três ventoinhas de 90 mm. Na Figura 2 podemos ver os conectores de vídeo da placa, com um conector DVI-D, dois conectores HDMI 2.0 e dois conectores DisplayPort. Figura 2: conectores de vídeo Na Figura 3 vemos a parte de cima da placa, onde ficam os dois conectores de alimentação PCI Express de oito pinos. Os logotipos acendem quando a placa está ligada, e você pode selecionar a cor ou o efeito de iluminação deste logotipo. Figura 3: vista de cima Na Figura 4 vemos a parte traseira da placa. Aqui temos um conector para sistemas de LED RGB, bem como dois conectores para ventoinhas externas, o que é interessante para controlar automaticamente ventoinhas do gabinete de acordo com a temperatura da placa de vídeo. Figura 4: vista traseira A Figura 5 mostra o lado da solda da placa analisada. Este lado é coberto por uma tampa protetora. O logotipo da ASUS ROG também é iluminado com LEDs RGB com cores e padrões programáveis. Figura 5: tampa protetora A Figura 6 mostra o lado da solda da placa de vídeo, com a tampa protetora removida. Figura 6: chapa protetora removida Na Figura 7 vemos o cooler da ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC da ASUS removido. Trata-se de um enorme cooler com seis heatpipes, que fica em contato com o chip gráfico e com as memórias HBM2 (estas estão fisicamente localizadas no próprio chip gráfico, ver Figura 9) e também com os transistores do circuito regulador de tensão. Note que, sob o cooler, há ainda uma moldura metálica que ajuda a conduzir o calor. Figura 7: cooler do chip gráfico removido A Figura 8 mostra a placa de vídeo com esta moldura removida. Figura 8: o chip GP104 Na Figura 9 podemos ver o chip Radeon RX Vega 64. Note que, junto ao chip principal, ficam os dois chips de memória HBM2, cada um com 4 GiB de capacidade. Figura 9: chip Radeon RX Vega 64 O circuito regulador de tensão, de 12+1 fases, é mostrado na Figura 10. Figura 10: regulador de tensão As principais características da ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC incluem: Chip gráfico: Radeon RX Vega 64 rodando a 1.630 MHz Memória: 8 GiB HBM2 Barramento: PCI Express 3.0 x16 Conectores de vídeo: dois HDMI, dois DisplayPort, um DVI-D Consumo de energia: 295 W Fonte de alimentação recomendada: 750 W Cabos e adaptadores que vêm com a placa: um adaptador de alimentação de 2 x seis pinos para oito pinos Número de CDs/DVDs que acompanham a placa: um Jogos e programas incluídos: nenhum Mais informações: www.asus.com Preço médio nos EUA*: US$ 900 * Pesquisado na Newegg.com no dia da publicação deste teste. Durante nossas sessões de teste, nós usamos a configuração listada abaixo. Entre um teste e o outro, o único componente variável era a placa de vídeo sendo testada. Nos jogos, nós rodamos os testes em resolução Full HD (1920 x 1080). Configuração de hardware Processador: Core i9-7800X a 4,6 GHz Placa-mãe: Gigabyte X299 AORUS Gaming 7 Cooler do processador: Thermaltake Water 3.0 Ultimate Memória: 64 GiB DDR4-3000 HyperX Predator, quatro módulos KHX3000C15/16GX de 16 GiB configurados a 2.666 MHz Unidade de boot: Samsung 960 EVO de 500 GiB Gabinete: Thermaltalke Core P3 Monitor de vídeo: Samsung U28D590 Fonte de alimentação: Corsair CX750 Configuração de software Windows 10 Home 64-bit Versões dos drivers Driver de vídeo NVIDIA: 388.71 Driver de vídeo da AMD: 18.1.1 Software usado 3DMark Deus Ex: Mankind Divided F1 2017 GTA V Hitman Mad Max Tom Clancy's Rainbow Six Siege Rise of the Tomb Raider The Witcher 3: Wild Hunt Margem de erro Adotamos uma margem de erro de 3%. Assim, diferenças abaixo de 3% não são consideradas significativas. Em outras palavras, produtos com diferenças de desempenho abaixo de 3% são considerados tendo desempenho semelhante. O 3DMark é um programa composto por vários testes que verificam o desempenho 3D do computador. Rodamos os testes Time Spy, Fire Strike Ultra e Sky Diver. O teste Time Spy mede o desempenho nativo em DirectX 12, rodando testes na resolução de 2560 x 1440. Neste teste, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 17% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. O teste Fire Strike Ultra mede o desempenho em DirectX 11 e é voltado a computadores “gamer” de alto desempenho. Ele roda na resolução 4K. Neste teste, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 20% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. Já o teste 3DMark Sky Diver é voltado a computadores intermediários com simulações DirecX 11. Ele roda em 1920 x 1080. Neste teste, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 13% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. Deus Ex: Mankind Divided Deus Ex: Mankind Divided é um RPG de ação e elementos de FPS, lançado em Agosto de 2016, que utiliza o motor Dawn, sendo compatível com DirectX 12. Nós testamos o desempenho utilizando o próprio teste incluído no jogo, com DirectX 12 ativado, opções gráficas em “alto” e MSAA 2x. Os resultados abaixo, em Full HD e 4K, estão em quadros por segundo. No Deus Ex: Mankind Divided em Full HD, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 15% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. Na resolução 4K, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 21% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. F1 2017 F1 2017 é um jogo de corrida de carros lançado em Agosto de 2017, que utiliza o motor EGO 4.0, sendo compatível com DirectX 12. Nós testamos o desempenho utilizando o próprio teste incluído no jogo, com opções gráficas em “alta”. Os resultados abaixo, em Full HD e 4K, estão em quadros por segundo. No F1 2017, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 24% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. Já na resolução 4K, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 17% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. Grand Theft Auto V O Grand Theft Auto V, ou simplesmente GTA V, é um jogo de ação em mundo aberto lançado para PC em abril de 2015, utilizando o motor RAGE. Para medir o desempenho usando este jogo, rodamos o teste de desempenho do jogo, medindo o número de quadros por segundo usando o FRAPS sempre no mesmo ponto (parte em que a câmera acompanha o voo do avião). Nós rodamos o jogo com a qualidade de imagem configurada como “muito alta” e MSAA em 2x. Os resultados abaixo estão expressos em quadros por segundo. No GTA V, em Full HD, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 20% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. Já na resolução 4K, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 30% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. Hitman É um jogo estilo ação/aventura furtiva, lançado em março de 2016, e que utiliza uma versão do motor Glacier 2, compatível com DirectX 12. Para medir o desempenho usando este jogo, rodamos o teste de desempenho do jogo, medindo o número de quadros por segundo usando o FRAPS. Nós rodamos o jogo com DirectX 12 habilitado, com a qualidade de imagem configurada como “ultra” e SMAA ligado. Os resultados abaixo estão expressos em quadros por segundo. No Hitman, em Full HD, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 5% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. Já na resolução 4K, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 8% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. Mad Max O Mad Max é um jogo de ação em mundo aberto lançado em setembro de 2015, utilizando o motor Avalanche. Para medir o desempenho utilizando este jogo, nós rodamos a introdução do mesmo, medindo o número de quadros por segundo usando o FRAPS três vezes na sequência. Rodamos o jogo com a qualidade gráfica em “muito alta”. Os resultados abaixo estão em quadros por segundo e são uma média aritmética dos três resultados coletados. No Mad Max, em Full HD, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 26% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. Já na resolução 4K, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 28% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. Rainbow Six Siege O "Tom Clancy's Rainbow Six Siege" é um jogo estilo FPS tático lançado em dezembro de 2015, baseado no motor AnvilNext, que é DirectX 11. Para medir o desempenho utilizando este jogo, nós rodamos o teste de desempenho embutido no mesmo, com qualidade gráfica “ultra”. Os resultados abaixo estão em quadros por segundo. Neste jogo, em Full HD, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 9% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. Já na resolução 4K, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 11% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. Rise of the Tomb Raider O Rise of the Tomb Raider é um jogo de aventura e ação lançado em janeiro de 2016, baseado no motor Foundation. Para medir o desempenho utilizando este jogo, rodamos o teste de desempenho embutido no mesmo, com DirectX 12 habilitado, com qualidade gráfica “alta”. Os resultados abaixo estão em quadros por segundo. No Rise of the Tomb Raider, em Full HD, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC ficou em empate técnico com a GeForce GTX 1080 Ti. Já na resolução 4K, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 24% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. The Witcher 3: Wild Hunt O The Witcher 3: Wild Hunt é um RPG em mundo aberto, lançado em maio de 2015 e baseado no motor REDengine 3. Para medir o desempenho usando este jogo, ficamos andando pelo primeiro cenário do jogo, medindo três vezes o número de quadros por segundo usando o FRAPS. Rodamos o jogo com a qualidade de imagem configurada em “ultra”. Os resultados abaixo estão expressos em quadros por segundo e são a média aritmética dos três resultados coletados. Neste jogo, em Full HD, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 10% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. Na resolução 4K, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC foi 22% mais lenta do que a GeForce GTX 1080 Ti. Houve muita expectativa entre os entusiastas antes da chegada da nova geração de chips gráficos topo e linha da AMD, a Radeon RX Vega. Porém, quando testadas, as placas de vídeo baseadas neste chip decepcionaram por entregar um desempenho um pouco abaixo do esperado, com um consumo alto e preço também elevado. Isto ficou claro em nosso teste: embora o preço da Radeon RX Vega 64 seja equivalente ao da GeForce GTX 1080 Ti, o seu desempenho é equivalente, na maioria dos casos, ao da GeForce GTX 1080 e da GeForce GTX 1070 Ti, que custam bem menos. A Radeon RX Vega 64 é realmente uma placa de vídeo de alto desempenho, poderosa o suficiente até mesmo para rodar jogos recentes em resolução 4K e qualidade gráfica alta ou muito alta. Seu problema é apenas a relação custo/benefício, que não é das melhores do mercado. É importante lembrar que o mercado de placas de vídeo passa por um momento bastante atípico. A onda das criptomoedas, que permite utilizar o poder de processamento de placas de vídeo para "minerar" moedas virtuais como o Bitcoin, fez com que houvesse uma grande procura por placas de vídeo de alto desempenho para a montagem de computadores voltados a esta tarefa, alguns com várias placas de vídeo. Isto produziu uma escassez de placas de vídeo no mercado e, como sabemos, a lei da oferta e da procura não perdoa: as placas de vídeo de alto desempenho, quando encontradas nas lojas, estão com valores muito mais altos do que provavelmente aconteceria em uma situação normal. Isto pode até ser bom para os fabricantes (que estão vendendo rapidamente toda a sua produção), mas é ruim para o consumidor final e para o mercado como um todo. Quanto ao modelo testado, a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC, trata-se de uma placa de vídeo que impressiona pelo tamanho e pelo aspecto robusto. A qualidade de fabricação é excelente e os recursos de iluminação RGB (chamados de Aura Sync pelo fabricante) e de refrigeração são compatíveis com uma placa de vídeo topo de linha. Dois detalhes bem interessantes são o fato de as ventoinhas pararem quando a placa de vídeo está ociosa, bem como os conectores para ligação de ventoinha externas diretamente na placa. Com isso, você pode ter um computador totalmente silencioso enquanto não estiver sendo exigido, e ao mesmo tempo uma excelente ventilação da placa de vídeo e do gabinete enquanto estiver jogando.
  2. Tópico para a discussão do seguinte conteúdo publicado no Clube do Hardware: Teste da placa de vídeo ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC "Testamos a ASUS ROG Strix Radeon RX Vega 64 OC, placa de vídeo baseada em um dos mais recentes chip gráficos topo de linha da AMD. Confira!" Comentários são bem-vindos. Atenciosamente, Equipe Clube do Hardware http://www.clubedohardware.com.br
  3. Teste do notebook Acer Aspire VX 15

    O procedimento é simples para quem tem alguma experiência em, pelo menos, abrir notebooks. Se você nunca fez isso, é melhor procurar um profissional experiente para fazer essa instalação. Quanto à marca, não existe nenhum tipo de restrição, basta que o SSD use um padrão compatível. Você pode pesquisar entre os SSDs que nós já testamos: http://www.clubedohardware.com.br/artigos/armazenamento/
  4. Como saber se SSD é compatível com notebook?

    A melhor maneira é entrar em contato com o fabricante de seu notebook.
  5. Placa-mãe ASRock Fatal1ty Z170 Gaming K6+

    A informação está na página 3 do artigo.
  6. Não, não existe nenhum motivo para isto.
  7. Teste do gabinete Bluecase BG-007

    O Bluecase BG-007 é um gabinete torre média com painel lateral em vidro temperado, duas baias de 3,5/2,5 polegadas e uma baia de 2,5 polegadas, com espaço para até dez ventoinhas. Vamos analisá-lo em detalhes. As Figuras 1 e 2 mostram o gabinete, disponível na cor preta. Apesar das imagens no site do fabricante trazerem o gabinete todo iluminado por ventoinhas com LEDs verdes, vermelhos ou azuis, na verdade o gabinete vem sem nenhuma ventoinha instalada. Como podemos ver, a lateral esquerda do gabinete é uma tampa de vidro temperado fumê, fixada com quatro parafusos de dedo. A lateral direita é sólida. Figura 1: o gabinete Bluecase BG-007 Figura 2: o gabinete Bluecase BG-007 Vamos analisar este gabinete mais de perto nas próximas páginas. O painel frontal do BG-007 é coberto por uma grande peça em acrílico fumê. Há um pequeno vão entre a tampa e o painel frontal, para a entrada de ar. Figura 3: painel frontal A Figura 4 mostra a tampa de acrílico removida; ela é apenas encaixada em um painel plástico gradeado. Figura 4: painel de acrílico removido A Figura 5 mostra o painel plástico removido. Aqui vemos o espaço para três ventoinhas de 120 mm ou de 140 mm (não incluídas). Figura 5: painel frontal removido No painel superior do gabinete há uma grade para saída de ar. Figura 6: painel superior Na parte frontal do painel superior temos uma porta USB 3.0, duas portas USB 2.0, os conectores para fone de ouvido e microfone, botões reset e liga/desliga e os LEDs indicadores. Figura 7: conectores e botões Puxando o painel superior para cima, podemos removê-lo facilmente, obtendo acesso ao local onde podem ser instaladas duas ventoinhas de 140 mm, três de 120 mm, ou radiadores de tamanho equivalente. Figura 8: painel superior removido O painel inferior do Bluecase BG-007 não tem aberturas para instalação de ventoinhas. Apesar disto, ele tem um filtro de ar removível para a ventoinha da fonte de alimentação, como mostrado na Figura 9. Figura 9: painel inferior O painel traseiro do Bluecase BG-007 é pintado em preto. A fonte de alimentação é instalada na parte inferior do gabinete. Aqui, há espaço para uma instalação de uma ventoinha de 120 mm (não incluída). Não há aberturas para a instalação de mangueiras para sistemas de refrigeração líquida externos. O gabinete tem sete slots de expansão, cobertos por tampas que devem ser quebradas para serem utilizados (porém, o gabinete vem com uma tampa sobressalente). Figura 10: painel traseiro Agora, vamos dar uma olhada no interior do gabinete. A bandeja da placa-mãe tem uma grande abertura que permite acesso à placa suporte do cooler do processador sem a necessidade de remover a placa-mãe do gabinete, além de orifícios que permitem passar os cabos por trás dela. O gabinete suporta placas-mãe ATX e menores. Na parte inferior há uma chapa que separa o compartimento da placa-mãe daquele para a fonte de alimentação, o que, juntamente com a disposição das baias de unidades de armazenamento, cria uma sensação de grande espaço disponível no interior do gabinete. Sobre esta chapa, há orifícios para instalação de até três ventoinhas de 120 mm (não incluídas), mas pelo espaço disponível, você só poderá instalar ventoinhas aqui caso o slot inferior do gabinete não esteja sendo utilizado por nenhuma placa. Figura 11: visão geral Figura 12: visão geral Na Figura 12 podemos ver o compartimento principal, para a placa-mãe. Como mencionamos anteriormente, as tampas dos slots devem ser quebradas para a utilização. As placas de expansão são fixadas por parafusos comuns. Não há bordas cortantes e o acabamento da pintura é muito bom. Você pode instalar coolers de processador de até 165 mm de altura e placas de vídeo de até 400 mm de comprimento. Figura 13: compartimento da placa-mãe A fonte de alimentação é instalada na parte de baixo do gabinete, em um compartimento separado da placa-mãe. Ela pode ser instalada com sua ventoinha voltada para cima ou para baixo, ou seja, puxando ar de fora ou de dentro do gabinete. Como mostramos anteriormente, há um filtro de ar para a ventoinha da fonte de alimentação no painel inferior do gabinete. O gabinete acomoda fontes de alimentação de até 240 mm de profundidade. Não há suporte para ventoinhas adicionais no painel inferior do gabinete. Figura 14: compartimento da fonte de alimentação O BG-007 não tem baias externas de 5,25 polegadas. Há duas gavetas para unidades de 3,5 ou 2,5 polegadas (no compartimento da fonte de alimentação) e uma baia para unidades de 2,5 polegadas. A Figura 15 mostra as gavetas para unidades de 3,5 ou 2,5 polegadas, que ficam no compartimento da fonte de alimentação. Discos rígidos de 3,5 polegadas são instalados sem ferramentas ou parafusos, mas para instalar unidades de 2,5 polegadas é necessário utilizar parafusos comuns. Figura 15: bandejas para unidades de 3,5 ou 2,5 polegadas A Figura 16 mostra a baia de 2,5 polegadas, que fica atrás da bandeja da placa-mãe. Figura 16: baia de 2,5 polegadas As principais especificações do gabinete Bluecase BG-007 incluem: Estilo: torre média Aplicação: ATX e padrões menores Material: aço revestido de zinco (SECC) Fonte de alimentação: não vem com o produto Cores disponíveis: preto Painel lateral: painel de vidro temperado fumê Dimensões: 524 x 213 x 465 mm (A x L x P) Peso bruto: 8,9 kg Baias: duas baias internas de 3,5 ou 2,5 polegadas e uma baia interna de 2,5 polegadas Slots de expansão: sete Comprimento máximo da placa de vídeo: 400 mm Altura máxima do cooler do processador: 165 mm Ventoinhas: nenhuma Ventoinhas opcionais: três duas ventoinhas de 120 mm ou duas de 140 mm no painel superior, três ventoinhas de 120 mm ou 140 mm no painel frontal, uma ventoinha de 120 mm no painel traseiro e três ventoinhas de 120 mm na chapa que cobre o compartimento da fonte de alimentação Recursos extras: filtro de ar removível para a ventoinha da fonte de alimentação, chapa metálica cobrindo o compartimento da fonte de alimentação Mais informações: http://www.kernel.com.br Preço médio no Brasil: R$ 330,00 O Bluecase BG-007 é um gabinete com boa qualidade de construção, permitindo uma excelente organização de cabos para quem gosta de um visual interno bacana, sem praticamente nenhum cabo visível. As baias para unidades de armazenamento ficam escondidas, o que permite destaque para a placa-mãe e seus acessórios. Um dos destaques do BG-007 é o painel esquerdo em vidro temperado, bem como o painel frontal em acrílico, o que pode deixar um aspecto muito bonito se você instalar ventoinhas com iluminação. Aliás, o fato de ele vir sem nenhuma ventoinha, embora possa incomodar algumas pessoas porque o usuário terá de gastar com ventoinhas extras (afinal, ele não é um gabinete barato), é interessante porque você pode instalar ventoinhas (ou radiadores) com a configuração que quiser, priorizando silêncio, iluminação, ou ventilação. O principal problema do BG-007 é realmente a pequena quantidade de baias para discos rígidos e SSDs: apenas três, o que pode ser pouco para alguns usuários. A Figura 17 mostra uma placa-mãe instalada dentro do Bluecase BG-007, para que você possa ter ideia de seu espaço interno. Figura 17: placa-mãe instalada Pontos fortes Painel esquerdo em vidro temperado Design que valoriza a iluminação interna Boa qualidade de construção Excelente espaço interno Filtro de ar para a fonte de alimentação Suporta dois radiadores de até 360 mm Amplo espaço para placas de vídeo Boa possibilidade de organização de cabos Pontos fracos Apenas três baias para unidades de armazenamento Não vem com ventoinhas Poderia vir com tampas removíveis nos slots
  8. Tópico para a discussão do seguinte conteúdo publicado no Clube do Hardware: Teste do gabinete Bluecase BG-007 "Testamos o Bluecase BG-007, que tem painel esquerdo em vidro temperado, espaço para até dez ventoinhas e três baias para unidades de armazenamento. Confira!" Comentários são bem-vindos. Atenciosamente, Equipe Clube do Hardware http://www.clubedohardware.com.br
  9. Teste do notebook Dell Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C)

    Sim, podemos afirmar que este slot suporta pci express 3.0 x2, pois a optane funcionou. Muito provavelmente aceita x4 também. E provavelmente aceita SATA, mas não chegamos a testar.
  10. @TabajaraLabs, já que você pediu apenas uma, lá vai: http://www.geil.com.tw/products/show/id/553 Ou seja, há modelos de memória com iluminação RGB que utilizam conectores externos de energia para a iluminação.
  11. AMD apresenta os novos processadores Ryzen com gráficos integrados Vega

    A AMD não informou explicitamente se o soquete segue compatível, mas informações dão conta de que os novos processadores seguem compatíveis com as placas-mãe AM4 atuais.
  12. O Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C) é um notebook da Dell com processador Core i7 de oitava geração. Ele tem tela HD de 15,6 polegadas, processador Intel Core i7-8550U, 8 GiB de memória (RAM), chip gráfico Radeon 530 com 4 GiB de memória dedicada e disco rígido de 2 TB. Vamos dar uma boa olhada nele. Medindo 380 x 258 x 19,9 mm e pesando 2,02 kg, o Inspiron 15 5000 (5570) pode ser considerado um modelo fino e razoavelmente leve para um modelo com tela de 15,6 polegadas. Ele está disponível na cor prata. O código do modelo analisado é i15-5570-A30C, que corresponde à configuração analisada. Existem outras opções à venda, que se diferenciam pelo processador (que pode ser o Core i5-8250U ou o Core i7-8550U), disco rígido (1 TB ou 2 TB), sistema operacional (Windows 10 ou Linux), e pela presença ou não do chip gráfico dedicado Radeon 530, com 2 GiB ou 4 GiB de memória. Não há opção com SSD. O destaque neste notebook é o fato de ser um dos primeiros modelos no mercado a utilizar o processador Core i7 (ou Core i5) de oitava geração. O processador Core i7-8550U é baseado na arquitetura Kaby Lake Refresh (a oitava geração dos processadores Core i inclui modelos Kaby Lake Refresh, Coffee Lake e os ainda não lançados Cannon Lake), tem clock base de 1,8 GHz, clock máximo de 4,0 GHz, quatro núcleos, oito threads e TDP de apenas 15 W. A Figura 1 mostra o Dell Inspiron 15 5000 (5570): a tampa é de plástico com acabamento prateado fosco, que não fica com marcas de dedos. Figura 1: o Dell Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C) A Figura 2 mostra a fonte de alimentação de 65 W do Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C). Figura 2: fonte de alimentação Vamos examinar o Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C) mais de perto nas próximas páginas. Não há nenhum conector ou abertura na parte frontal do notebook. Figura 3: frente Do lado direito temos um leitor de cartões SD e uma porta USB 2.0, além de um orifício para dispositivos antifurto padrão Noble (que não é compatível com dispositivos padrão Kensington). Figura 4: lateral direita Na lateral esquerda, vemos o conector da fonte de alimentação, uma porta USB 3.0 tipo C, uma saída HDMI, o conector de rede Ethernet 10/100, duas portas USB 3.0 tipo A e um conector para headset. O Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C) não tem unidade de disco óptico. Figura 5: lateral esquerda Na traseira do notebook não vemos nenhuma abertura. A saída de ar do sistema de refrigeração fica entre a traseira do notebook e a tela. Figura 6: traseira A Figura 7 mostra o Dell Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C) com a tampa levantada. A tela de 15,6 polegadas é fosca, evitando reflexos indesejados. A resolução da tela é de 1366 x 786. Este é provavelmente o maior ponto fraco do notebook, já que era de se esperar uma tela Full HD (ou mesmo de resolução mais alta) em um aparelho nesta faixa de preço. Figura 7: o Inspiron 15 5000 (5570) aberto Na Figura 8, podemos ver a superfície principal do notebook, feita em alumínio. O teclado é completo, do padrão ABNT, com teclas bem espaçadas e teclado numérico reduzido, e possui retroiluminação com LEDs brancos. O touchpad fica logo abaixo. Note que não há LEDs indicadores (ligado, atividade de disco, etc). Figura 8: teclado Na parte superior fica a webcam HD (1280 x 720) com LED indicador de funcionamento à direita, e dois microfones (um de cada lado). Figura 9: webcam A Figura 10 mostra a parte de baixo do Dell Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C). A bateria é interna e não é removível. Não há nenhuma tampa de acesso aos componentes como memória e disco rígido: é necessário remover toda a tampa inferior do aparelho, o que não é muito simples para quem não tem experiência nesse tipo de tarefa, pois além de remover dez parafusos, é necessário desencaixar a tampa em toda a volta. Um ponto positivo é que não há lacres que invalidem a garantia. Figura 10: parte de baixo Na Figura 11 podemos ver o Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C) com a tampa inferior removida. Vemos a placa-mãe na parte superior direita da figura, e na parte inferior o disco rígido e a bateria. Figura 11: tampa inferior removida O Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C) tem dois soquetes de memória, aceitando até 32 GiB de memória DDR4 SODIMM. O modelo analisado vem com um módulo DDR4-2400 de 8 GiB, da marca Teikon. O fato de vir com apenas um módulo tem a desvantagem de não habilitar o modo de dois canais, o que pode reduzir o desempenho em certas tarefas. Por outro lado, tem a vantagem de vir com um soquete vago, o que facilita se você quiser instalar mais memória. Figura 12: memória (RAM) Na Figura 13 podemos ver a bateria do notebook, com 11,4 V, 3.500 mAh e 42 Wh. Figura 13: bateria O Dell Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C) vem com um disco rígido de 2 TB da Seagate, modelo ST2000LM007, de 5.400 rpm e 128 MiB de cache. Figura 14: disco rígido Na Figura 15 você confere a placa de rede sem fio do Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C), padrão IEEE802.11ac de banda dupla, instalada em um slot M.2. Figura 15: adaptador de rede sem fio O Inspiron 15 5000 (5570) vem com um slot M.2 livre, mostrado na Figura 16. O site do produto não especifica se este slot é compatível com SATA, PCI Express ou ambos. Figura 16: slot M.2 Na Figura 17 você pode ver o cooler removido. Trata-se de um cooler bem pequeno, que resfria o processador e também a placa de vídeo. Figura 17: Cooler removido A Figura 17 mostra o processador Intel Core i7 8550U. Como comentamos anteriormente, trata-se de um processador Core i7 de oitava geração, com quatro núcleos e oito threads graças à tecnologia Hyper-Threading. Seu clock base é de 1,8 GHz, com clock máximo de 4,0 GHz. Ele tem 8 MiB de cache e seu TDP é de 15 W. Ele tem um motor gráfico integrado Intel UHD 620 com clock máximo de 1.150 MHz. Figura 18: processador O Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C) vem com um chip gráfico Radeon 530 com 4 GiB de memória GDDR5. Este chip é bastante básico e, apesar da nomenclatura, não é baseado na arquitetura atual (Polaris), e sim em uma arquitetura anterior, com processo de fabricação de 28 nm. Ele possui 384 núcleos com clock de 1.024 MHz e é ligado ao processador por uma interface PCI Express 3.0 x4. A memória tem clock de 4,5 GHz e usa um barramento de 64 bits, com largura de banda de apenas 36 GiB/s. Figura 19: placa de vídeo O Dell Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C) testado vem com Windows 10 Home Single Language. O notebook vem com alguns aplicativos de configuração da própria Dell e uma versão válida por 15 meses do antivírus McAfee. Em relação à configuração, podemos dizer que o Dell Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C) é um notebook bastante desbalanceado. Ele traz um processador Core i7 de oitava geração com excelente desempenho para um chip com TDP de apenas 15 W, mas a tela de baixa resolução (1366 x 768) é similar à encontrada em notebooks de baixo custo de anos atrás. Você pode ser levado a pensar que se trata de um notebook voltado para jogos, pelo fato de ele trazer uma placa de vídeo dedicada. Porém, o fato de o chip gráfico Radeon 530 ser um modelo fraco, baseado em uma geração anterior e com barramento de memória de 64 bits, aliado à tela que não é Full HD, nos leva a desaconselhar este modelo, caso seu interesse seja por um notebook "gamer". Na verdade, não há muito sentido na presença deste chip gráfico, pois ele é fraco demais para jogos novos (embora consiga rodar jogos pouco exigentes, como Overwatch, por causa da tela de baixa resolução). A qualidade do som é boa, por conta dos dois alto-falantes. Para testar a duração da bateria, deixamos o notebook rodando vídeos do YouTube até ele se desligar por falta de bateria, o que aconteceu cerca de quatro horas e meia de teste, o que é uma marca razoável. Pela falta de um SSD, o tempo de espera para o carregamento do sistema operacional e dos programas é bastante elevado. Pelo menos há a possibilidade de instalar um SSD no slot M.2, mas em um notebook desta faixa de preço, seria de se esperar que ao menos houvesse a opção de uma versão que já viesse com um SSD instalado. Depois de nossos testes, por conta da lentidão causada pelo disco rígido, decidimos verificar se conseguiríamos instalar no notebook uma memória Intel Optane, que atua como um cache para o disco rígido. Para isso, abrimos o aparelho e instalamos um módulo de memória Optane de 32 GiB no slot M.2, e então fomos fazer a configuração da mesma. Para nossa surpresa, obtivemos a mensagem de erro de que não era possível configurar a memória Optane pois a última partição do disco rígido não podia ser redimensionada. Com isso, nós limpamos completamente o disco rígido (apagando todas as partições existentes) e reinstalamos o Windows 10 a partir de uma memória USB. Depois disso, conseguimos configurar corretamente a memória Optane. Com isso, o uso do notebook mudou "da água para o vinho", o carregamento do sistema operacional ficou várias vezes mais rápido, bem como o carregamento dos programas e arquivos mais usados. Ou seja, um notebook como este é um dos casos onde o uso de uma memória Optane é vantajoso, mas infelizmente a forma como o disco rígido vem particionado de fábrica não permite esta instalação diretamente. Talvez no futuro a Dell entregue um produto já pronto para o uso deste recurso. Para termos uma ideia do desempenho de processador do Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C), rodamos o Cinebench R15, que renderiza uma imagem utilizando todas as threads disponíveis no processador. Apenas para termos uma ideia, comparamos o resultado com o Samsung Essentials E34, que usa um processador Core i3-5005U. Lembre-se, porém, que este notebook não é concorrente do Inspiron 15, por se tratar de um modelo de entrada. Neste teste, notamos que o Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C) tem um desempenho de processamento muito superior ao do Samsung Essentials E34. Na verdade, se olharmos neste teste, vemos que o processador Core i7-8550U, mesmo sendo um modelo de baixíssimo consumo, tem um desempenho equivalente ao de processadores intermediários voltados a computadores de mesa. Para verificarmos o desempenho do chip Radeon 530, rodamos três testes do programa 3DMark (Time Spy, Fire Strike e Sky Diver) no notebook, comparando os resultados com os obtidos no Acer Aspire VX 15 e no Samsung Essentials E34. Novamente, lembramos que estes notebooks não são concorrentes do Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C) (já que um deles é um modelo voltado a jogos, e o outro é um modelo de entrada). Podemos ver que o desempenho do chip Radeon 530 presente no modelo testado é muito inferior ao do GeForce GTX 1050 Ti presente no Acer Aspire VX 15, porém substancialmente mais rápido do que o vídeo integrado Intel HD 5500 presente no modelo da Samsung. As principais especificações do Dell Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C) que nós analisamos incluem: Dimensões: 380 x 258 x 19,9 mm (L x P x A) Peso: 2,02 kg Tela: 15,6 polegadas, antirreflexiva, resolução nativa de 1366 x 768 Processador: Intel Core i7-8550U (quatro núcleos, clock base de 1,8 GHz, clock turbo de 4,0 GHz, cache de 8 MB, TDP de 15 W) Chipset: integrado ao processador Memória: um módulo de 8 GiB DDR4-2400 Teikon Chip gráfico: Radeon 530, com 4 GiB de memória dedicada Disco rígido: Seagate ST2000LM007, 2 TB, 5.400 rpm, 128 MiB de cache Unidade óptica: nenhum Webcam: sim, HD Rede com fio: uma porta Ethernet 10/100 Rede sem fio: IEEE 802.11ac de banda dupla Portas: uma porta USB 3.0 tipo C, duas portas USB 3.0 tipo A, uma porta USB 2.0, saída HDMI, Ethernet Leitor de cartões de memória: sim, padrão SD Sistema operacional: Windows 10 Home Single Language Mais informações: www.dell.com Preço médio no Brasil: R$ 3.800,00 De forma simplificada, há três tipos de notebooks: o primeiro, dos notebooks de entrada, de baixo custo, com processadores básicos, pouca memória e construção simples. O segundo, dos notebooks voltados para jogos, em geral com uma configuração muito potente, um chip gráfico dedicado, preço alto, e com a desvantagem de serem grandes e pesados. O terceiro tipo são os notebooks topo de linha, geralmente com preço alto, uma configuração de hardware potente, porém bastante finos e leves. Em geral estes notebooks já vêm com SSD, ou com uma combinação de um SSD e um disco rígido. O Dell Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C), porém, parece não saber a qual categoria quer pertencer. Seu processador potente e econômico e seu design fino nos remetem a um notebook topo de linha; o fato de trazer um chip gráfico dedicado dá a impressão (equivocada) de que se trata de um notebook para jogos; enquanto isso, a tela com resolução 1366 x 768 o coloca no patamar dos notebooks de entrada. Na verdade, como vimos no teste do Samsung Essentials E34 há um ano atrás, mesmo modelos de baixo custo já podem ser encontrados com tela Full HD. Simplesmente não faz sentido que um notebook desta faixa de preço, com uma configuração robusta e tela de 15,6 polegadas seja vendido com uma tela de resolução tão baixa. É comum encontramos notebooks com telas bem menores, como 13 polegadas, e até mesmo tablets e smartphones, com telas Full HD (1920 x 1080), Quad HD (2560 x 1440) ou mesmo 4K (3840 x 2160). Outro problema é a ausência de um SSD em qualquer versão do notebook. Se você está acostumado a utilizar um PC com um SSD como unidade principal, vai achar muito lento qualquer computador que não use um SSD. Este, porém, é um problema relativamente fácil de solucionar: basta instalar um SSD formato M.2 no notebook e transferir o sistema operacional para ele, mantendo o disco rígido de 2 TB como unidade secundária. Porém, em nossa opinião, um notebook desta faixa de preço já deveria vir com um SSD instalado. O chip Radeon 530, com 4 GiB de memória GDDR5 dedicada, que vem no modelo testado, pode dar a impressão de tratar-se de um notebook voltado para jogos, o que não é verdade pois, além da tela de baixa resolução, trata-se de um vídeo integrado bastante fraco. Ele até roda jogos que não sejam muito exigentes, mas não é um notebook "gamer". Aliás, é interessante prestar atenção em um fato: este chip Radeon 530 não tem nada a ver com o chip gráfico presente nos recém-lançados processadores Core i7-8705G, Core i7-8709G e Core i7-8809G. Apesar de o processador propriamente dito ser praticamente o mesmo do Core i7-8550U, o vídeo integrado presente no Core i7-8809G e demais modelos novos é o Radeon Vega M, que é com certeza muito mais potente do que o chip gráfico Radeon 530. Pontos fortes Processador de alto desempenho e baixo consumo Design fino e aspecto robusto Duração de bateria razoável Não há lacre de garantia impedindo a abertura do aparelho Oferece um soquete M.2 interno para SSD Teclado retroiluminado Vem com chip gráfico dedicado com 4 GiB Pontos fracos Tela de baixa resolução Deveria já vir com um SSD como unidade primária O chip gráfico dedicado tem desempenho fraco Apesar de ser compatível com memória Optane, é necessário formatar o disco rígido para configurá-la Conexão Ethernet 10/100, e não Gigabit Ethernet
  13. Tópico para a discussão do seguinte conteúdo publicado no Clube do Hardware: Teste do notebook Dell Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C) "Testamos o Dell Inspiron 15 5000 (i15-5570-A30C), notebook com processador Core i7-8550U de oitava geração, chip gráfico Radeon 530 com 4 GiB, disco rígido de 2 TB e tela HD. Confira!" Comentários são bem-vindos. Atenciosamente, Equipe Clube do Hardware http://www.clubedohardware.com.br
  14. Configuração PCI na Gigabyte B250M-Gaming 3

    Não existe incompatibilidade. Alguma das peças está com defeito ou é alguma configuração que está incorreta.
  15. Vazam informações sobre o novo processador Intel Core i7-8809G

    O processador traz os dois chips gráficos.

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×